You are on page 1of 4

A EFETIVIDADE DO PEELING DE ÁCIDO SALICÍLICO NA REGRESSÃO DA ACNE VULGAR

KAWATA, Y.1; OLIVEIRA, G.G.2. 1. Acadêmica do 3º ano do Curso Superior Tecnólogo em Estética e Cosmética do Centro Universitário Filadélfia, UniFil, Londrina, PR. 2. Docente da disciplina de Farmacologia do Curso Superior Tecnólogo em Estética e Cosmética do Centro Universitário Filadélfia, UniFil, Londrina, PR.

RESUMO

A acne é um processo inflamatório que acomete a maioria dos adolescentes, mas também pode acometer indivíduos jovens e adultos causando um impacto negativo sobre sua autoestima. Diversos tratamentos tem sido propostos, como por exemplo, o peeling de ácido salicílico que é uma opção bastante utilizada e que vem apresentando resultados satisfatórios.

INTRODUÇÃO

A acne vulgar é uma dermatose que a apresenta um acúmulo de sebo ou com processo inflamatório do folículo piloso sendo mais freqüente em adolescentes. O peeling de ácido salicílico é uma substância química indicada no tratamento da acne com propriedades antiinflamatórias, esfoliante e redutor de oleosidade da pele acnéica. O objetivo deste trabalho é aprofundar os conhecimentos sobre o processo fisiopatológico da acne, bem como dos principais tratamentos utilizados para a mesma, em particular o peeling de ácido salicílico.

MATERIAIS E MÉTODOS

ROTTA. Caracteriza-se pelo surgimento de comedões (cravos abertos e fechados). livros e monografias na área. . periódicos. 2006. pústulas. Aumento dos hormônios androgênicos. os microrganismos mais envolvidos: Propionibacterium acnes e Staphylococcus epidermides. Aumento da atividade seborreica (produção de sebo). 2008). que é o quadro evoluído a processos inflamatórios (LEONARDI.sebáceo (RIBEIRO. REVISÃO DE LITERATURA A acne vulgar é típica em adolescentes atingindo 80% dos mesmos. 2008). pústulas e cicatrizes. Colonização bacteriana do folículo. O comedão se dá na fase inicial da lesão podendo ou não evoluir para pápulas. pápulas. sendo os casos mais graves de maior incidência no sexo masculino. Liberação de mediadores da inflamação no folículo e na derme adjacente (ROTTA. nódulos e cistos. A causa da acne apresenta envolvimento multifatoriais sendo os seguintes: • • • • • • Predisposição genética. A acne vulgar pode ser classificada conforme as lesões apresentada: • Grau I – Acne comedoniana ou acne não-inflamatória: apresenta apenas comedões fechados e abertos. Hiperqueratinização folicular. 2008).Esta pesquisa de revisão bibliográfica será realizada com consulta em bases de dados da internet. Sua manifestação se inicia com uma inflamação do folículo pilo .

A ação esfoliante deste ativo induz a esfoliação da camada córnea provavelmente por dissolução das lamelas (cimento celular) e/ou ao aumento da proteólise dos corneodesmossomas (RIBEIRO. sendo indicado no tratamento de certas doenças cutâneas ou melhora estética (RIBEIRO. 2006. tônico-adstringente e gel anti-acne. fungicida. diminuição da população bacteriana e dos processos inflamatórios. o eritema e a inflamação (LEONARDI. pápulas e pústulas. 2006. bacteriostática. LEONARDI. 2010). usado em concentração de no máximo 20% (PIMENTEL. ROTTA. Grau III – Acne nodulocística: presença de nódulos e pseudocistos além de comedões. redução da atividade sebácea. Apresenta característica lipofílica. Os princípios do tratamento da acne com o peeling de ácido salicílico baseiamse no efeito queratolítico. RIBEIRO. 2008). O ácido salicílico é um beta-hidroxiácido ou ácido 2-hidroxibenzóico. com drenagem de material seropurulento ou hemático. leucocitose e eritema inflamatório com quadro febril (ROTTA. • Grau V – Acne fulminante: agravamento para necrose das lesões. o que facilita sua penetração na unidade sebácea o que o torna efetivo contra comedões e lesões (BORGES. Grau IV – Acne conglobata: há lesões bastante inflamatórias. exuberantes. Peelings consistem na aplicação de um ou mais agentes químicos na pele. antimicrobiano e antiinflamatório. O quadro pode ser moderado ou grave. visam reduzir a oleosidade. 2008). 2006. cuja composição contém o ácido salicílico de 1% a 2%. O cuidado diário utilizando cosméticos como sabonete. 2008). . 2010). provocando a degradação de porções da epiderme e/ou derme induzindo na seqüência uma reepitelização e renovação dos tecidos epidérmicos e dérmicos. extraído do Salix Alba (salgueiro branco).• • • Grau II – Acne papulopustulosa: presença de lesões inflamatórias (pápulas/pústulas) com numerosos comedões. formando abscessos evoluindo para lesões cicatriciais. visando à correção do defeito da queratinização folicular. 2010).

antiinflamatório e antimicrobiano. RIBEIRO. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BORGES. Santa Isabel. 2006. 2008. máscara e acne: seus tipos e passo a passo do tratamento estético. Fábio dos Santos. São Paulo. São Paulo. 1ª edição. RIBEIRO. LEONARDI. . Cosmetologia Aplicada a Dermoestética. Peeling. 2ª edição. 2008. Claudio de Jesus. da inflamação e no controle da oleosidade da pele. tornando este esfoliante químico eficaz no tratamento de acne resultando na redução do eritema. ROTTA. Pharmabooks. Cosmetologia Aplicada. 2010. Pharmabooks. São Paulo. 2ª edição. Cosmetologia Aplicada a Dermoestética. São Paulo. Guia de dermatologia: clinica. Dermato-funcional: modalidades terapêuticas nas disfunções estéticas. PIMENTEL. São Paulo. Arthur dos Santos.CONCLUSÃO Conclui-se que as propriedades terapêuticas do peeling de ácido salicílico tem efeito queratolítico. 2008. São Paulo. Manole. 2006. Osmar. 1ª edição. Claudio de Jesus. editora Phorte. editora Livraria Médica Paulista. cirúrgica e cosmiatria. Gislaine Ricci.