You are on page 1of 2

1-

A regulação do nível de glicemia está intimamente relacionada aos hormônios insulina e glucagon, produzidos pelo pâncreas pelas células beta e alfa respectivamente. Quando uma pessoa se alimenta, durante o processo de digestão e absorção há um aumento da glicose no sangue. Diante disso, o organismo produz quantidades adequadas de insulina que permitem que esta glicose em excesso entre nas células. Diante de um longo período de jejum, as células do corpo continuam consumindo a glicose no sangue e o organismo, para evitar que a glicose no sangue abaixe muito, libera alguns hormônios que aumentam o nível de glicose como o glucagon, o hormônio de crescimento (GH), a adrenalina e o cortisol. Estes hormônios ativam a liberação do glicogênio (glicose estocada no fígado) e transformam outros nutrientes como proteínas e gordura em glicose. O glucagon é secretado quando o nível de glicose sanguínea é BAIXO. Age em receptores do FÍGADO. Estimula a DEGRADAÇÃO DO GLICOGÊNIO. Causa AUMENTO da glicemia, assim como o hormônio epinefrina, Produzido pelas glândulas supra-renais. Secretado quando: o nível de glicose sanguínea é BAIXO em resposta a estresse e atividade física. Age em receptores dos MÚSCULOS e de outros tecidos. Estimula também a DEGRADAÇÃO DO GLICOGÊNIO. Logo, quando DIMINUI a taxa de glicose no sangue, glucagon e epinefrina (adrenalina) são secretados e induzem a degradação do GLICOGÊNIO presente no fígado, AUMENTANDO o nível de glicose no sangue (secretada pelo fígado em resposta ao glucagon).

2-

CORTISOL:Exerce importantes efeitos no metabolismo dos carboidratos, proteínas e gorduras. Além disso, estabiliza membrana de lisossomas.Efeitos no metabolismo dos carboidratos: O cortisol reduz a utilização da glicose pelas células, reduz a glicogênese e aumenta a glicogenólise. Como consequência aumenta a glicemia. Efeitos no metabolismo das proteínas: O cortisol faz com que as células, de um modo geral, reduzam a síntese de proteínas e aumentem a lise das mesmas: Isso promove uma redução das proteínas e um aumento na quantidade de aminoácidos circulantes. No fígado ocorre o contrário: aumento na síntese e redução na lise protéica. Como consequência, aumento na quantidade de proteínas plasmáticas. Efeitos nos metabolismo das gorduras: O cortisol aumenta a mobilização de ácidos graxos dos tecidos adiposos e a utilização das gorduras pelas células para produção de energia. Efeitos na membrana dos lisossomas: O cortisol estabiliza a membrana dos lisossomas, dificultando seu rompimento durante uma lesão tecidual. TIROXINA: a tiroxina acelera muito a intensidade do metabolismo de todas as células.Muitas enzimas celulares que entram em contato com a tiroxina ficam aumentadas, e como estas são reguladoras das reações químicas celulares, aumentando a intensidade do metabolismo celular. Como a tiroxina age sobre totalidade dos tecidos do corpo, ela regula a intensidade global da atividade de todas as funções do corpo.A tiroxina faz com que o corpo queime todos os seus carboidratos disponíveis de forma muito rápida e, em seguida, reduzir de modo acentuado as reservas de gordura.

3-

O processo de síntese hormonal na tireóide é relativamente complexo envolvendo várias etapas e várias enzimas. A glândula tireóide apresenta a propriedade de concentrar iodo e o torna disponível para a síntese dos hormônios tireoideanos T4 e T3. A síntese de hormônios tireoideanos requer o desenvolvimento adequado da glândula tireóide e um aporte dietético suficiente de iodo seguido de uma série sequencial de reações bioquímicas que têm lugar nas células foliculares da glândula. A liberação de TSH estimula as células que compõem os folículos colóides dentro da glândula tireóide.Cada folículo tireoideano consiste de uma única camada de células epiteliais o qual é preenchido por um colóide onde predomina a tireoglobulina (Tg), uma grande glicoproteína que atua como suporte para a síntese de hormônios tireoideanos. A captação de iodo através da membrana basolateral dos tireócitos é necessária para a plena síntese de hormônios e esse processo é mediado pela proteína transportadora, onde no processo de transporte, dois íons sódio são carreados enquanto somente um iodo é internalizado. Os íons sódio atuam no sentido de criar um gradiente que favorece o transporte do iodo. O iodo bombeado se converte em iodeto pela é passado para o interior do colóide onde se une com a proteína tireoglobulina (Tg). Surgem os hormônios definitivos da tireóide dentro do colóide ( T3 e T4).

4-

Os principais efeitos do GH nos tecidos são o aumento na síntese protéica celular, Menor utilização de glicose pelas células para produção de energia (promove, assim, um efeito poupador de glicose no

atingindo as células da adenohipófise. Estas duas variáveis sofrem influência direta do sistema nervoso simpático. inibe a hipófise. Isso ocorrerá pois a variação da PCO2 no sangue e conseqüente variação de pH. onde o aumento da produção de um hormônio inibe a secreção do hormonio estimulante e inibe o fator. no tubo contornado distal e no tubo coletor. Acontece que o Hipotálamo produz diversas substâncias denominadas Fatores de Liberação (ou de Inibição). aumentar a expressão de aquaporinas. Filtração Glomerular: Dentre as variáveis que influem de forma determinante na taxa de filtração glomerular. tendendo a diluir o plasma e reequilibrar a osmolaridade. como resultado. Tudo isso proporciona.Impede a diminuição. melhores condições para que as mesmas sintetizem mais proteínas. assim como um aumento no HCO3 tenderá a produção de acidose metabólica.Aumenta. Óxido nítrico derivado de endotélio Aumenta. Epinefrina . podem ser destacadas a pressão coloidosmótica dos capilares glomerulares. estas aumentam em volume e em número. logo é um mecanismo indireto de regulação da PA. nas células. bem como sobre o fluxo sanguíneo renal. gonadotrófos (FSH/LH – Fator GnRH ou LHRH – Ovários/testículos – Estrogênio. O aumento da síntese protéica celular ocorre porque o hormônio do crescimento aumenta o transporte de aminoácidos através da membrana celular. Portanto observamos um aumento no tamanho de quase todos os tecidos e órgãos do nosso corpo. a uréia praticamente não tem efeito. lactotrofos (Prolactina – Dopamina – Mamas – Produz leite). fazem-nas aumentar ou reduzir a secreção de determinados hormônios.organismo) e aumento da utilização de gordura pelas células para produção de energia. Houve também aumento de volume. Angiotensina II . somatotrófos (GH – Fatores GHRH E GHIH – Vários tecidos – Produzem fatores de crescimento). 6- O pH sangüíneo dependerá da proporção de bicarbonato e ácido carbônico presente no plasma sanguíneo. O Sódio contribui com cerca de 95% da pressão osmótica do plasma. canais de água. A osmolaridade plasmática se mantém notavelmente constante e constitui o fator mais importante na regulação da secreção de ADH. promoverá um estímulo constante dos quimiorreceptores sensíveis às alterações do pH sanguíneo e do líquido cérebro-espinhal. no hipotálamo anterior. enquanto a glicose estimula a secreção do ADH na presença de insulina. ADH tem o papel específico de. conforme pode-se perceber: Norepinefrina Diminui. Os osmorreceptores (células osmoticamente sensíveis). secretam o ADH ou Hormônio Antidiurético que tem o papel de reabsorver e conservar a água corporal e regular a tonicidade dos líquidos corporais.Diminui. Um aumento de PCO2 tenderá a produção de acidose respiratória. sendo o principal responsável pela estimulação do ADH. aumenta a formação de RNA e aumenta os ribossomas no interior das células. . A diminuição do PCO2 tenderá a alcalose respiratória. Existem diversos hormônios e autacóides que podem atuar sobre a taxa de filtração glomerular. Cada fator é responsável por controlar cada agrupamento de células secretoras de hormonios: Corticotrófos (Secretam ACTH – Fator CRH – Cortéx supra-renal – Produzem cortisol). Além disso. estimulando a reabsorção de água livre. Prostaglandinas . Tampão renal: O rim desempenha um papel importante para o equilíbrio ácido-básico através da regulação do HCO3 plasmático através da reabsorção do íon HCO3 filtrado que evita a perda urinaria. substâncias que. Em consequência do aumento das proteínas e de um maior armazenamento de glicogênio no interior das células. Tampão respiratório: A acidose estimula os quimiorreceptores que controlam a respiração e aumentam a ventilação alveolar. e a pressão hidrostática glomerular. 5- A secreção de cada um dos hormônios da adenohipófise pode aumentar ou diminuir sob comando do hipotálamo. de hormônios ou autacóides. que por sua vez. tireotrofos (TSH – Fator TRH – Tireóide – Produz T3 e T4). e a diminuição do HCO3 tenderá a alcalose metabólica. O aumento da utilização de gordura pelas células para produção de energia reduz os depósitos de gordura nos tecidos adiposos. a PCO2 diminuirá e o pH tenderá a normalidade. a regulação é feita por feedback negativo. testosterona e progesterona).