You are on page 1of 2

Aluno: Diogo Ramires Rosemberg

Discorra sobre as modalidades de obrigações ilíquidas, citando exemplos e trazendo julgados que abordem as respectivas modalidades.
Primeiramente sobre as obrigações liquidas, pois para ser cumprida a obrigação ilíquida terá que ser convertida para obrigação liquida. Considera-se líquida a obrigação certa, quanto à sua existência, e determinada, quanto ao seu objeto. Essa modalidade é expressa por uma cifra, por um algarismo, quando se trata de dívida em dinheiro. Mas pode também ter por objeto a entrega ou restituição de outro objeto certo, como, por exemplo, um veículo ou determinada quantidade de cereal. A obrigação é ilíquida quando o seu objeto depende de prévia apuração, pois o valor ou montante apresenta-se incerto. Deve ela converter-se em obrigação líquida, para que possa ser cumprida pelo devedor. Essa conversão se obtém em juízo pelo processo de liquidação, quando a sentença não fixar o valor da condenação ou não lhe individualizar o objeto. Depreende-se do exposto que a sentença ilíquida não é incerta quanto à existência do crédito, mas somente quanto ao seu valor. A liquidação visa apurar apenas o quantum devido. Não se confunde com obrigação de dar coisa incerta, malgrado a semelhança observada em função da existência de incerteza, em ambas, sobre o objeto da prestação. Na obrigação de dar a coisa incerta, todavia, a incerteza nasce com a própria obrigação, sendo característica inerente à sua existência. Na obrigação ilíquida a incerteza não é originária, pois o devedor sabe o que deve, faltando apenas apurar o seu montante. Formas legais pelo qual se pode efetuar a liquidação: Por calculo: É aquela realizada por simples cálculo aritmético, ocasião em que o próprio credor cuidará de fazer a memória discriminada dos valores atualizados. Dada a simplicidade dos cálculos, não há a necessidade de contador (Art. 604, do Código de Processo Civil). Por arbitramento: É aquela que depende de conhecimento técnico para sua apuração, referindo o Art. 604, do Código de Processo Civil, a este aspecto, quando então se nomeará perito. O Art. 606, do Código de Processo Civil, especifica que se fará a liquidação por arbitramento quando determinado na sentença ou assim convencionado pelas partes e quando a natureza do objeto exigir essa modalidade. Por artigos: É aquela que ocorre quando para determinar o valor de condenação, houver necessidade de alegar e provar fato novo, conforme disciplina o Art. 608, do Código de Processo Civil. Não é possível fugir ao pedido da petição inicial na liquidação da sentença. Entretanto, eventualmente, não poderá o autor estipular na petição inicial um pedido líquido. Pode ocorrer também a necessidade de perícia na liquidação por artigos. Não se pode, todavia, na liquidação por artigos, discutir-se novamente a lide ou se modificar a sentença que a julgou (Art. 610, do Código de Processo Civil).

LIQUIDAÇÃO DE SENTENÇA. da Constituição Federal . 535 . Recurso de revista não conhecido . na redação anterior à que lhe foi dada pela Lei 9.89 A 31. da Constituição Federal . por óbvio que o provimento judicial restringiu-se ao disposto na referida lei. a forma de liquidação realizada na origem.250 /95. desde que os rendimentos e ganhos de capital produzidos pelo patrimônio da entidade tenham sido tributados na fonte. 6º . VIGÊNCIA NO PERÍODO DE 1º. Assim. DA LEI N. 535 DO CPC . na forma do art.12. LIQUIDAÇÃO DE SENTENÇA.1995. portanto.713 /88. por força da isenção concedida pelo art. 7. . 2. a dita "isenção proporcional" reconhecida na sentença não se refere à totalidade das contribuições vertidas para o fundo de previdência entre 1º. 7. dispositivo que assegura a autoridade da coisa julgada.1989 a 31.95. 6 .95. tendo em vista que o acórdão recorrido se manifestou de forma clara e fundamentada sobre a questão posta à sua apreciação. mas sim aos valores correspondente às contribuições cujo ônus tenha sido do participante. de relatoria do Ministro Teori Albino Zavascki.89 a 31. AUSÊNCIA DE VIOLAÇÃO À COISA JULGADA.1. desde que haja fundamentação suficientes para por fim à lide. inciso XXXVI . Cumpre afastar a alegada ofensa ao art.713 /88. é indevida a cobrança de imposto de renda sobre o valor da complementação de aposentadoria e o do resgate de contribuições correspondentes a recolhimentos para entidade de previdência privada ocorridos no período de 1º. antes de sua revogação pela Lei n. ISENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA SOBRE BENEFÍCIOS RECEBIDOS DE ENTIDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA. em liquidação de sentença. VII . NÃO OCORRÊNCIA. o qual dispunha expressamente.12. PROCESSO EM FASE DE EXECUÇÃO. que somente estavam abrangidos pelo benefício os valores correspondente às contribuições cujo ônus tenha sido do participante. quando do julgamento do REsp 1.TST . ART.250 /95. Não há.1. do CPC . Recurso especial não provido. b . pacificou o entendimento no sentido de que. LIQUIDAÇÃO QUE SE AMOLDA AO DISPOSITIVO LEGAL PELO QUAL FORAM ACOLHIDOS OS PEDIDOS AUTORAIS. II . estando correta. Incólume o artigo 5º . da Lei 7. Tendo sido estabelecido que os reclamantes têm direito às diferenças vindicadas e estas resumindo-se a diferenças salariais vencidas . A isenção em questão vigorou sob a égide da Lei n. B. 1. 93 . ainda que a conclusão adotada tenha sido contrária à pretensão dos ora recorrentes. LIMITAÇÃO ÀS CONTRIBUIÇÕES CUJO ÔNUS TENHA SIDO SUPORTADO PELOS CONTRIBUINTES. VII. A primeira Seção desta Corte. 6º. COISA JULGADA. não pode o juízo. DIFERENÇAS SALARIAIS. sob pena de inovar a sentença liquidanda. tendo como autorizativo o seu art. 7. IX .RECURSO DE REVISTA Ementa: RECURSO DE REVISTA. 3. b . portanto. 4. Se a sentença que se liquida nos autos acolheu o pedido dos autores relativamente à isenção de que trata a Lei n.012. VIOLAÇÃO AO ART. desde que os rendimentos e ganhos de capital produzidos pelo patrimônio da entidade tenham sido tributados na fonte.01. É cediço que o julgador não precisa se manifestar sobre todos os argumentos deduzidos pelas partes.713 /88. 9.RECURSO ESPECIAL Ementa: PROCESSUAL CIVIL.12. VII .713 /88.903/RJ . violação à coisa julgada na hipótese. 5. STJ . incluir no cálculo eventuais diferenças vincendas .