You are on page 1of 3

EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) JUIZ (A) DO TRABALHO DA __ª VARA DE

(CIDADE)/(ESTADO)

PROCESSO NÚMERO ........................................
CONTRARRAZÕES DE RECURSO ORDINÁRIO
Ceres, por seu advogado, nos autos da
RECLAMAÇÃO TRABALHISTA que perante este MM. Juízo move em face de Ateliê
Janice ME vem, respeitosamente, à presença de Vossa Excelência, apresentar sua
resposta ao Recurso Ordinário interposto pela Reclamada, o que faz pelas CONTRARAZÕES , requerendo a remessa das anexas razões ao Egrégio TRT da ___ Região.

Nestes termos,
Pede deferimento.
São Paulo, data
Advogado
OAB/SP

pois é pacífico o entendimento de que o desconhecimento do estado gravídico da trabalhadora não é motivação determinante para a descaracterização da estabilidade de que trata a lei. sentença.. a Reclamada interpôs o Recurso Ordinário ora respondido............CONTRA-RAZÕES DA RECORRIDA RECORRENTE: ATELIÊ JANICE ME AÇÃO: RECLAMAÇÃO TRABALHISTA PROCESSO NÚMERO: .... .. merece ser mantida por seus próprios fundamentos..... consoante será exposto... JUÍZO "A QUO": . não merece reparos... buscando a reforma da decisão de primeiro grau.... PREAMBULARMENTE I) HISTÓRICO PROCESSUAL Refere-se a uma ação trabalhista julgada parcialmente procedente.... Com efeito. quanto aos pontos objeto das razões recursais apresentadas pela Reclamante...... a Súmula nº 244 do C. sentença proferida. TST ampara a decisão de primeiro grau que...... DAS RAZÕES PARA O PEDIDO DE REFORMA II) DA ESTABILIDADE GESTANTE Não há motivação jurídica que permita a reforma da R. Insatisfeita...... MM. Todavia..... condenando a Reclamada na reintegração da Reclamante em razão de seu estado gravídico....ª VARA DO TRABALHO DE .... a R.. aduzindo que a ação é improcedente quanto à reintegração. visto que a Reclamante em nenhum momento avisou a empresa que estava grávida..... então.. a saber: .SP EGRÉGIO TRIBUNAL DOUTOS JULGADORES....

O desconhecimento do estado gravídico pelo empregador não afasta o direito ao pagamento da indenização decorrente da estabilidade (art. III . mantendo a respeitável sentença de primeira instância. do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Advogado/OAB Nome e Assinatura do Advogado . 185/2012.A garantia de emprego à gestante só autoriza a reintegração se esta se der durante o período de estabilidade. alínea “b”. como medida de JUSTIÇA! Local e data. mesmo na hipótese de admissão mediante contrato por tempo determinado.09.GESTANTE. II. inciso II.A empregada gestante tem direito à estabilidade provisória prevista no art.812 de 16 de maio de 2013. 391-A. com a seguinte redação: Art. DEJT divulgado em 25. 10. a Lei Federal nr. que acrescenta o Artigo 391-A à consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Do contrário. negarão o conhecimento e o provimento ao recurso ordinário interposto pela Recorrente. por certo. ainda que durante o prazo do aviso prévio trabalhado ou indenizado.Res. a garantia restringe-se aos salários e demais direitos correspondentes ao período de estabilidade. 12.2012) . ESTABILIDADE PROVISÓRIA (redação do item III alterada na sessão do Tribunal Pleno realizada em 14. A confirmação do estado de gravidez advindo no curso do contrato de trabalho. 10 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. 26 e 27. garante à empregada gestante a estabilidade provisória prevista na alínea b do inciso II do art.” III) DO PEDIDO Aguarda-se a criteriosa decisão de Vossas Excelências que. IV – Foi publicada no dia 17 de maio de 2013.2012 I . II .09. "b" do ADCT). 10.