You are on page 1of 6

Superior Tribunal de Justiça

CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 122.511 - SP (2012/0095728-0) RELATOR SUSCITANTE SUSCITADO INTERES. INTERES. : MINISTRO HUMBERTO MARTINS : JUÍZO FEDERAL DA 5A VARA DE GUARULHOS - SJ/SP : JUÍZO DE DIREITO DA 2A VARA DO FORO DISTRITAL DE FERRAZ DE VASCONCELOS - POÁ - SP : MARIA AUXILIADORA DOMINGOS : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS

EMENTA CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA. BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO. AUSÊNCIA DE VARA FEDERAL NO DOMICÍLIO DO AUTOR DA DEMANDA. COMPETÊNCIA DELEGADA. ART. 109, § 3º, DA CF/88. INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. UNIDADE DO CONTEXTO FÁTICO. RELAÇÃO DE SUBSIDIARIEDADE. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA ESTADUAL. DECISÃO Vistos. Cuida-se de conflito negativo de competência instaurado entre JUÍZO FEDERAL DA 5ª VARA DE GUARULHOS – SJ/SP e o JUÍZO DE DIREITO DA 2ª VARA DO FORO DISTRITAL DE FERRAZ DE VASCONCELOS – POÁ – SP, nos autos de ação ordinária de restabelecimento de auxílio doença, cumulada com indenização por danos morais, manejada contra o Instituto Nacional do Seguro Social – INSS. A teor do que consta nos autos, a demanda foi inicialmente proposta perante a Justiça Estadual, que declinou da competência, verbis (fl.89, e-STJ): "Pois bem, não se discute que este Juízo é competente para o conhecimento da pretensão de implantação do benefício, questão de natureza exclusivamente previdenciária, na forma do artigo 109, § 3º, Constituição federal. Contudo, para o pedido cumulado, qual seja, a imposição de indenização por danos morais que teriam sido experimentados pelo autor, este Juízo é absolutamente incompetentes para conhecê-lo. Este pedido possui natureza indenizatória pura, sem qualquer traço de natureza previdenciária, pois decorre da alegação de omissão administrativa ilícita perpetrada pelo réu. Assim, de rigor a impossibilidade de conhecimento cumulado do pedido, por conta de incompetência absoluta."
Documento: 22706500 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 11/06/2012 Página 1 de 6

a lei poderá permitir que outras causas sejam também Documento: 22706500 . se na comarca onde reside o executado não houver vara federal. no foro do domicílio dos segurados ou beneficiários. Inicialmente.Despacho / Decisão . 105. cumulado com danos morais. e-STJ). ainda que o município esteja abrangido pela jurisdição de uma subseção judiciária. Aos juízes federais compete processar e julgar: I ." Porém. as de acidentes de trabalho e as sujeitas à Justiça Eleitoral e à Justiça do Trabalho. sendo o julgamento em conjunto cabível ao Juízo Estadual.. no essencial. Extrai-se dos autos que o autor da demanda principal busca a concessão de benefício previdenciário. a fim de se evitar a prolação de decisões contraditória " (fl.] § 3º . exceto as de falência. a teor do que preceitua o art. o Juízo Estadual passa a ser competente para processar e julgar as execuções fiscais. conheço do conflito.. o processo deverá ser processado pelo Juízo Federal. assistentes ou oponentes. e-STJ). o relatório. 109. verbis : "Art. tratando-se de ação movida contra ente federal. já que o pedido de indenização formulado em ação de concessão de benefício previdenciário constitui apenas pedido acessório. em razão de haver pedido de indenização. I.DJe: 11/06/2012 Página 2 de 6 .Superior Tribunal de Justiça Remetidos aos autos à Justiça Federal. da Constituição Federal. sempre que a comarca não seja sede de vara do juízo federal. 118/119. alínea "d". O Ministério Público Federal opinou pela declaração da competência da Justiça Estadual (fls.107. da CF/88. verbis : "Art. em conformidade com o art. por entender que "não prevalece a alegação de que. pois trata-se de controvérsia instaurada entre juízes vinculados a tribunais distintos. está também se deu por incompetente e suscitou o presente incidente.Serão processadas e julgadas na justiça estadual. Esta é a inteligência do art. 109. as causas em que forem parte instituição de previdência social e segurado. Aos juízes federais compete processar e julgar: [. Com efeito. a competência para o seu julgamento é da Justiça Federal. rés. se verificada essa condição.Site certificado . mesmo sem a existência de Vara Federal na localidade em questão. da CF. 109. inciso I. É. e. 109.as causas em que a União. entidade autárquica ou empresa pública federal forem interessadas na condição de autoras. § 3º.

em conformidade com o artigo 109. DJe 6. Primeira Seção. da CF/88. a competência para o seu julgamento é da Justiça Federal. ADIN N. E concluiu pelo encaminhamento dos autos ao TRF/3ª Região. EXECUÇÃO FISCAL. da CF/88). REDIRECIONAMENTO DA EXECUÇÃO. 109.10. AUTARQUIAS FEDERAIS. Se. 3. CONSELHO DE FISCALIZAÇÃO PROFISSIONAL. IMÓVEL ARREMATADO PELA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL. Min. Rel.954/BA. o juízo estadual passa a ser competente para processar e julgar as demandas (art. AUSÊNCIA DE VARA FEDERAL NO DOMICÍLIO DA EXECUTADA. descartando hipótese de aplicação da Súmula 3/STJ. a qual. compareceu aos autos para argüir a incompetência absoluta do Juízo de Direito nos termos do art. o suscitado. por entender adequar-se o caso à Súmula 3/STJ. O Juízo Federal. 2.Site certificado ." (CC 95. porém. não poderia o magistrado decliná-la sem oposição de exceção pelo executado. a execução foi redirecionada para a CEF. Conflito de competência conhecido para declarar a competência do Juízo de Direito do Serviço Anexo das Fazendas de Mogi das Cruzes . após ser citada. I. 1. DJ 01/08/2006. da Constituição Federal.717/DF. Precedente da Primeira Seção: CC 61. julgado em 10. de natureza relativa. na comarca onde reside o executado não houver vara federal.º 1. EXECUÇÃO FISCAL. ART. COMPETÊNCIA DELEGADA.2008.) "CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA. DA CF/88. O TRF. COMARCA QUE Documento: 22706500 . COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA ESTADUAL. § 3º.DJe: 11/06/2012 Página 3 de 6 . I.Superior Tribunal de Justiça processadas e julgadas pela justiça estadual. 109.Despacho / Decisão ." Nesse sentido: "CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA. por sua vez. Ministro Mauro Campbell Marques. Castro Meira. Tratando-se de ação movida contra ente federal. entendendo que a competência fixada para o ajuizamento da ação é territorial.9. Tratam os autos de ação de execução fiscal ajuizada originalmente contra Aguinaldo Teixeira de Oliveira e outro visando à cobrança de IPTU incidente sobre imóvel que foi arrematado pela Caixa Econômica Federal.SP.841/SP. ainda que o município esteja abrangido pela jurisdição de uma subseção judiciária. COBRANÇA DE IPTU. 109. Rel. SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA QUE ABRANGE O MUNICÍPIO ONDE TEM DOMICÍLIO A EXECUTADA. O Juízo acolheu o pleito formulado e determinou a remessa dos autos à Justiça Federal. Considerando esse fato. remeteu o feito ao STJ. § 3º.2008.

º 1.8.010/66). em prejuízo do administrado. Se por um lado é verdade que a Constituição não utiliza termos e expressões com rigor científico. cada subseção judiciária abrange a um determinado número de municípios. é também verdadeira a assertiva de que a regra constitucional não deve ser interpretada. mas pode abranger mais de um município. declarou a inconstitucionalidade do art. que poderá acompanhar o processo na comarca onde reside. considerando que todos os atos processuais teriam que ser deprecados para a comarca do domicílio do executado. por outro. A regra de delegação tem por escopo agilizar o trâmite da execução. Corresponde. COMPETÊNCIA DELEGADA." (CC 61954/BA. I.Despacho / Decisão . ART.) "PROCESSUAL CIVIL – CONFLITO DE COMPETÊNCIA – EXECUÇÃO FISCAL PARA COBRANÇA DE DÍVIDA ATIVA Documento: 22706500 . 58 e seus parágrafos da Lei n.DJe: 11/06/2012 Página 4 de 6 . à margem da literalidade.010/66.º 5. em 07 de novembro de 2002. Objetiva também facilitar a defesa do demandado. Comarca é área de competência jurisdicional prevista na organização judiciária do estado. Conflito de competência conhecido para declarar competente o Juízo de Direito suscitado. DJ 1º. DA CF/88 E ART. SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA QUE ABRANGE O MUNICÍPIO ONDE TEM DOMICÍLIO O EXECUTADO.6.649/98. Mantida a natureza de autarquias federais dos conselhos de fiscalização profissional. da CF/88 c/c art.Site certificado . ela abrange o território do estado. § 3º. Se na seção judiciária não houver subdivisões. Se existir seccionamento. 109. A Constituição e a lei falam em "comarca" e não em "sessão judiciária". 4. sob pena de prejudicar o executado a quem a regra de delegação visou beneficiar.º 66/STJ. em regra.717/DF. 6. é de se preservar o entendimento sufragado na Súmula n. Assim. ao território municipal. 15 DA LEI Nº 5. Se na comarca onde reside o executado não houver vara federal.º 9. Rel. o juízo estadual passa a ser competente para processar e julgar as execuções fiscais promovidas por conselhos profissionais (art. 1.2006. JUSTIÇA ESTADUAL. 5. não se deve interpretar extensivamente o termo "comarca" para equipará-lo à "seção judiciária". da Lei n. analisando o mérito da ADIn n. Ministro Castro Meira. A Suprema Corte.Superior Tribunal de Justiça NÃO É SEDE DA JUSTIÇA FEDERAL. 15. 2. Seção Judiciária (em alguns casos subseção judiciária) é o equivalente à comarca na organização judiciária federal. 3. julgado em 14. Primeira Seção. ainda que o município esteja abrangido pela jurisdição de uma subseção judiciária.2006. § 3º. 109.

SC. que suscitou conflito negativo de competência para o executivo que diz respeito à cobrança de imposto de renda e COFINS (e respectivas multas moratórias). § 3º. o pedido de indenização por danos morais é decorrente do pedido principal. ART. as ações serão processadas na justiça estadual. 5. pela Emenda Constitucional 45/2004. 109. . SUSCITADO.5. 1. A execução fiscal de dívida ativa tributária da União continua a ser processada perante a Justiça Federal. consoante os artigos 109. OPÇÃO PELO SEGURADO.8. 3.667/RJ. nos termos do art." (CC 56. da Lei 5. 15. CONCESSÃO DE APOSENTADORIA POR IDADE CUMULADA COM INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. I.Extrai-se dos autos que o pedido do autor consiste na concessão de aposentadoria por idade. CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA. p. § 3º. FORO. Documento: 22706500 . Segunda Turma. "PROCESSUAL CIVIL E PREVIDENCIÁRIO. Execução fiscal ajuizada para cobrança de dívida tributária e não-tributária da União.Despacho / Decisão . 216) Na hipótese. Ministra Eliana Calmon. 4. da Lei 5. julgado em 23. ainda que esse município esteja abrangido por jurisdição de subseção judiciária sediada em outro município. Aplicação do art. DJ 11. Demais disso.2006. bem como na condenação do INSS ao pagamento de indenização por danos morais.Site certificado .261/SC.Superior Tribunal de Justiça TRIBUTÁRIA (COFINS E IMPOSTO DE RENDA) – COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA FEDERAL – ARTS. Hipótese em que a modificação. I. da CF/88.2007). Primeira Seção. c/c o art. 109. Rel. 109. se a comarca do município em que domiciliado o executado não for sede de vara federal.010/66 (EDcl no REsp 725.9. 2. Ministra Eliana Calmon.010/66. do art. I. Conflito de competência conhecido para declarar a competência do Juízo de Direito de Tijucas . Prevalece a competência da Justiça Comum Estadual quando a comarca do domicílio do devedor não for sede de Vara Federal. DA CR/88. 1. Desmembramento determinado pela Justiça do Trabalho. Rel. I E 114 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL (ALTERADO PELA EMENDA CONSTITUCIONAL 45/2004) – DOMICÍLIO DO RÉU QUE NÃO É SEDE DE VARA FEDERAL – COMPETÊNCIA DELEGADA. da CF/88. prevalece o entendimento de que. § 3º da CF/88 e 15. 114 da CF em nada alterou a competência da Justiça Federal para o julgamento do presente feito. JUSTIÇA ESTADUAL E JUSTIÇA FEDERAL. DJ de 21. e a ele está diretamente relacionado.2006. 109. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA ESTADUAL.DJe: 11/06/2012 Página 5 de 6 . o suscitado.

Publique-se. Intimem-se. DJe 02/08/2010. Rel.Superior Tribunal de Justiça 2. e a ele está diretamente relacionado. 06 de junho de 2012. nos termos do art.DJe: 11/06/2012 Página 6 de 6 .) Ante o exposto. com fundamento no art. § 3º. o suscitado. que por sua vez não possui Vara Federal instalada. MINISTRO HUMBERTO MARTINS Relator Documento: 22706500 . TERCEIRA SEÇÃO. parágrafo único.Despacho / Decisão . DESEMBARGADOR CELSO LIMONGI (CONVOCADO DO TJ/SP). 120.Entende esta Relatoria que o pedido de indenização por danos morais é decorrente do pedido principal.Conflito de competência conhecido para declarar a competência do Juízo de Direito da 1ª Vara de Registro-SP. 109. Brasília (DF). 4. § 3º. o Juízo Comum Estadual tem sua competência estabelecida por expressa delegação constitucional. 5.O autor optou pela Justiça Estadual localizada no foro de seu domicílio. 109.Consoante regra do art. conheço do presente conflito para declarar competente o Juízo de Direito da 2ª Vara do Foro Distrital de Ferraz de Vasconcelos – POÁ – SP. (CC 111447/SP. do Código de Processo Civil. 3. julgado em 23/06/2010.Site certificado . da CR/88. da CR/88.