You are on page 1of 2

Superior Tribunal de Justiça

CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 122.508 - GO (2012/0095711-6) RELATOR SUSCITANTE SUSCITADO INTERES. INTERES. : MINISTRO HERMAN BENJAMIN : JUÍZO DE DIREITO DA 2A VARA CÍVEL DE CRISTALINA GO : JUÍZO FEDERAL DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL E CRIMINAL DE LUZIÂNIA - SJ/GO : EUZEBIO PIRES GUIMARÃES : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS DECISÃO Trata-se de Conflito Negativo de Competência instaurado entre o Juízo de Direito da 2ª Vara Cível de Cristalina – GO, contra decisão declinatória do Juízo Federal do Juizado Especial Cível e Criminal de Luziânia – SJ/GO nos autos da Ação Previdenciária ajuizada por Euzebio Pires Guimarães contra o INSS. O Juízo federal declarou-se incompetente para processar e julgar a demanda e declinou da sua competência, com base no fundamento de que compete à Justiça comum estadual o julgamento de causas decorrentes de acidente do trabalho (fl. 73, e-STJ). Por outro lado, o Juízo comum suscitou o presente Conflito, sob o argumento de ser incompetente para processar e julgar a demanda, porquanto ela envolve, unicamente, a concessão de auxílio-doença ou ainda a possibilidade da aposentadoria definitiva por invalidez (fl. 4, e-STJ). Dispensei a manifestação do Ministério Público Federal, tendo em vista cuidar-se de questão já conhecida desta Corte. É o relatório. Decido. Os autos foram recebidos neste Gabinete em 25.5.2012. O autor propôs ação objetivando a concessão de benefício previdenciário, no Juízo Federal, que declinou de sua competência para a Justiça Estadual, sob o entendimento de que "(...) compete a Justiça Comum estadual o julgamento de causas decorrentes de acidente de trabalho" (fl. 73, e-STJ). O Juízo estadual, a seu turno, sustentando que o pedido formulado fora de concessão de benefício previdenciário, suscitou o presente conflito. Este o cerne da controvérsia. No exame acurado dos autos verifica-se que, efetivamente, não há como depreender que o acidente sofrido pelo autor fora relacionado ao trabalho por ele exercido, à época. Assim sendo, esta Corte Superior já assentou entendimento no sentido de que as tais ações, por possuírem natureza essencialmente previdenciária, devem ser processadas perante a Justiça Federal. Neste sentido, confiram-se:
PREVIDENCIÁRIO. COMPETÊNCIA. CONFLITO
Página 1 de 2 Documento: 22534553 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJe: 27/06/2012

decorrentes de acidentes de outra natureza." (CC 95. "Inexiste a delegação de competência federal prevista no 109.348/SP.Superior Tribunal de Justiça NEGATIVO. p. § 3º. Ainda em acordo com a posição sedimentada pelo referido Órgão. Terceira Seção. Inaplicabilidade. TERCEIRA SEÇÃO. "É da competência da Justiça Federal o julgamento de ações objetivando a percepção de benefícios de índole previdenciária. que não do trabalho. Rel. CAUSA DE PEDIR QUE REVELA A NATUREZA PREVIDENCIÁRIA DA POSTULAÇÃO.220/SP. DJe 28/10/2008). TERCEIRA SEÇÃO. PREVIDENCIÁRIO E PROCESSUAL CIVIL. Min. NATUREZA LABORAL NÃO-COMPROVADA. Rel. ACIDENTE SOFRIDO PELO AUTOR. decorrentes de acidentes de outra natureza. 1. Ministro Arnaldo Esteves Lima. Ministro OG FERNANDES. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA FEDERAL. DJ 26/3/2007. não restou comprovada a natureza laboral do acidente sofrido pelo autor. VARA DISTRITAL. julgado em 14/3/2007. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA FEDERAL. o suscitado (CC 93. Min." (CC 93. Intimem-se. Rel. Corte Superior). É da competência do Justiça Federal o julgamento de ações objetivando a percepção de benefícios de índole previdenciária. Brasília (DF). E NÃO ACIDENTÁRIA. o suscitado.303/SP.Site certificado . In casu. Publique-se. Terceira Seção. Na forma dos precedentes desta Col. CONFLITO DE COMPETÊNCIA. da Súmula nº 3/STJ (Precedentes da 1ª e 3ª Seções desta e. Conflito conhecido para declarar a competência do Juízo Federal do Juizado Especial Previdenciário da 3ª Região/SP.Despacho / Decisão .2. JUÍZOS ESTADUAL E FEDERAL. 21 de junho de 2012. que não do trabalho. não restou comprovada a natureza laboral do acidente sofrido pelo autor. CONSTITUCIONAL.DJe: 27/06/2012 Página 2 de 2 . Ainda no mesmo sentido: CC 62.3. julgado em 10/9/2008. In casu. 2. AÇÃO REIVINDICATÓRIA DE APOSENTADORIA POR INVALIDEZ OU DE CONCESSÃO DE AUXÍLIO-DOENÇA. Ante o exposto.111/SC. COMARCA SEDE DE VARA FEDERAL. Min. DJe 28/10/2008). TERCEIRA SEÇÃO. Agravo regimental a que se nega provimento (AgRg no CC 118.1. na espécie. BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO DE AUXÍLIO-DOENÇA OU APOSENTADORIA POR INVALIDEZ. FELIX FISCHER. ARNALDO ESTEVES LIMA. DJe 1º/10/2008). 200. quando a comarca a que se vincula a vara distrital sediar juízo federal. TERCEIRA SEÇÃO. da CF/88. MINISTRO HERMAN BENJAMIN Relator Documento: 22534553 .303/SP. DJe 22/03/2012). Rel. declaro competente o Juízo Federal do Juizado Especial Cível e Criminal de Luziânia – SJ/GO. Rel. julgado em 8/10/2008. MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA.