You are on page 1of 16

AMCHAM BRASIL - RECIFE Comitê de Energia

Energia Elétrica: Otimizando as Fontes Primárias
Luiz Otávio Koblitz
24/03/2014

Energia Elétrica no Brasil
Capacidade de Geração do Brasil – Empreendimentos em Operação

TIPO CGH EOL PCH UFV UHE UTE UTN TOTAL

EMPREENDIMENTOS EM OPERAÇÃO QUANTIDADE POTÊNCIA FISCALIZADA(KW) % POTÊNCIA 438 269.471 0,21% 111 2.275.776 1,79% 462 4.613.147 3,63% 75 6.021 0,00% 196 81.557.233 64,20% 1796 36.326.220 28,59% 2 1.990.000 1,57% 3.080 127.037.868 100,00%

Fonte: ANEEL / mar14

2

%

MATRIZ DE OFERTA DE ELETRICIDADE MUNDO x BRASIL (%)
Mundo - 2012
23.110 TWh
Renováveis: 21%

Combustíveis Fósseis: 68%

%

Brasil - 2012 593 TWh
(2,6% do Mundial)

Renováveis : 88% Combustível Fósseis : 8%

Fonte: IEA e MME/ BEN

3

Balanço estático de garantia física do SIN não considerando a energia de reserva

4

Evolução da capacidade de armazenamento do SIN

***Até 2022 o consumo aumentará 44% e os reservatórios apenas 2%. Belo Monte irá piorar ainda mais a capacidade de regulação.

5

Garantia física após MRA e alocação de energia secundária no MRE

Fonte CCEE

6

Garantia física após MRA e alocação de energia secundária no MRE

Fonte CCEE

7

Histórico de geração hidráulica, térmica e eólica

Fonte CCEE

8

Histórico de geração térmica por tipo de fonte

Fonte CCEE

9

Evolução da capacidade instalada por fonte de geração
FONTE RENOVÁVEIS HIDRO (a) IMPORTAÇÃO (b) OUTRAS PCH EÓLICA BIOMASSA NÃO RENOVÁVEIS URÂNIO GÁS NATURAL CARVÃO ÓLEO COMBUSTÍVEL (d) ÓLEO DIESEL GÁS DE PROCESSO(COGERAÇÃO) TOTAL RENOVÁVEIS HIDRO OUTRAS NÃO RENOVÁVEIS URÂNIO OUTRAS TOTAL 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 CRESCIMENTO SUGESTÃO DE DE 2013 À CRESCIMENTO 2022 157.150 114.088 4.925 38.137 6.905 17.463 13.769 25.903 3.412 14.065 3.205 3.563 971 687 183.053 85,80% 65,00% 20,80% 14,20% 1,90% 12,30% 100,00% 46% 38% -20% 104% 30% 348% 45% 17% 70% 25% 0% 1% -32% 0% 41% 100% 100% 100% 300% 50%

107.397 82.576 6.120 18.701 5.330 3.898 9.473 22.055 2.007 11.218 3.205 3.512 1.426 687 129.452 82,90% 68,50% 14,40% 17,10% 1,60% 15,50% 100,00%

112.212 84.574 6.032 21.606 5.473 6.561 9.572 22.905 2.007 12.218 3.205 3.362 1.426 687 135.117 83,00% 67,00% 16,00% 17,00% 1,50% 15,50% 100,00%

118.930 88.789 5.935 24.206 5.537 9.097 9.572 22.998 2.007 12.218 3.205 3.563 1.318 687 141.928 83,80% 66,70% 17,10% 16,20% 1,40% 14,80% 100,00%

124.278 92.560 5.829 25.889 5.537 10.780 9.572 22.998 2.007 12.218 3.205 3.563 1.318 687 147.276 84,40% 66,80% 17,60% 15,60% 1,30% 14,30% 100,00%

129.582 96.445 5.712 27.425 5.690 12.063 9.672 22.998 2.007 12.565 3.205 3.563 971 687 152.580 85,00% 67,00% 18,00% 15,00% 1,30% 13,70% 100,00%

136.377 101.357 5.583 29.437 5.955 13.063 10.419 24.903 3.412 13.065 3.205 3.563 971 687 161.280 84,60% 66,30% 18,30% 15,40% 2,10% 13,30% 100,00%

140.022 103.074 5.441 31.507 6.165 14.063 11.279 25.103 3.412 13.265 3.205 3.563 971 687 165.125 84,80% 65,70% 19,10% 15,20% 2,10% 13,10% 100,00%

144.687 105.805 5.285 33.597 6.445 15.063 12.089 25.503 3.412 13.665 3.205 3.563 971 687 170.190 85,00% 65,30% 19,70% 15,00% 2,00% 13,00% 100,00%

149.682 108.531 5.114 36.037 6.705 16.263 13.069 25.903 3.412 14.065 3.205 3.563 971 687 175.585 85,20% 64,70% 20,50% 14,80% 1,90% 12,80% 100,00%

Participação Relativa (%)

Plano Decenal de Expansão de Energia 2022 – Geração de energia elétrica Fonte: EPE

** Não está previsto no PDE 2022

10

Análise das Fontes através dos impactos positivos ou negativos que elas aportam aos seguintes quesitos:
1- Preço da energia na barra do gerador; 2- Volume de investimento por KW médio de longo prazo; 3- Investimentos associados ao SIN(custo evitado ou acrescido); 4- Perdas no sistema, redução ou incremento; 5- Geração na ponta; 6- Contribuição à sustentação dos reservatórios; 7- Confiabilidade no fornecimento da energia programada; 8- Geração Intermitente - Dificuldade na Operação; 9- Balança comercial brasileira / empregos locais; 10- Risco Operacional; 11- Sustentabilidade.

11

Análise das Fontes através dos impactos positivos ou negativos que elas aportam aos seguintes quesitos:
EXTERNALIDADES DAS FONTES DE ENERGIA REGIME DE OPERAÇÃO COGERAÇÃO/ GÁS GÁS DE UHE PCH EÓLICA BIOMASSA SOLAR URÂNIO CARVÃO NATURAL PROCESSO PERMANENTE 3 3 3 1 1 3 0 3 3 3 3 26 2 3 3 2 2 2 1 3 3 3 3 27 3 3 1 1 1 1 1 2 0 1 3 17 2 3 2 3 3 1 3 3 3 3 3 29 ÓTIMO BOM REGULAR RUIM 0 3 1 3 2 0 0 3 0 1 3 16 3 2 1 0 1 3 2 1 1 3 0 3 3 1 0 18 1 0 2 1 1 3 0 3 3 1 3 18 1 1 2 2 2 3 0 3 3 1 3 21 2 2 2 3 3 3 0 3 3 2 3 26 0 0 0 3 3 3 3 3 3 1 3 22 GÁS NATURAL ÓLEO ÓLEO (CICLO ABERTO) COMBUSTÍVEL DIESEL EMERGENCIAL 0 0 0 3 3 3 3 3 3 0 3 21 0 0 0 3 3 3 3 3 3 0 3 21

1. Preço da Energia na Geração 2. Sustentabilidade 3. Volume de investimento por KW médio de longo prazo 4. Investimentos associados ao SIN 5. Perdas no sistema, redução ou incremento 6. Geração na ponta 7. Contribuição à sustentação dos reservatórios 8. Confiabilidade no fornecimenteo de energia programada 9. Geração Intermitente - Dificuldade na Operação 10. Balança comercial brasileira/empregos locais 11. Risco Operacional
PONTUAÇÃO ARITMÉTICA DA QUALIDADE(Máx. 33 Pontos)

12

Sugestões para Correção da Rota até 2022
1- Instalar o potencial restante de 9.600 MW médios do Setor Sucroalcooleiro, quadruplicando a potência instalada (atualmente existe 2.400 MWmed). Em 2022, o incremento “virtual” dos reservatórios subiria de 2% para 27%; 2- Intensificar a construção das UHE’s , quando possível com reservatório (faltam 17% para 44%); 3- Construir mais 5.000 MW de PCH, dobrando a Potência Instalada dessa fonte; 4- Voltar a incentivar a cogeração industrial e comercial; 5- Orientar a Energia Solar para o aquecimento de água e diminuição do consumo residencial/comercial; 6- Estudar melhor os impactos que as fontes intermitentes, Eólica e Solar, quando em parques, incrementarão no preço da energia do SIN para pagamento de disponibilidade aos outros Geradores, antes de aumentar mais os parques existentes. Em 2013 haviam 3.898 MW instalados, porém em funcionamento 2.275 MW. Em 2022 está projetado 17.463 MW.

13

Artigos de Jornais/Revistas
ARTIGO 01: The Financial Times 06/11/2012 - As Fontes Solar e Eólica aumentaram o preço para o Consumidor em 3% para pagar disponibilidade de outros Geradores devido a intermitência ARTIGO 02: Bloomberg - 26 Out 2012 - Germany's windmill – Polônia e Republica Tcheca pensam instalar disjuntores de fronteira para desconexão da Alemanha quando houver forte intermitência nas Eólicas ARTIGO 03 : Bloomberg - 27 Mar 2013 - Bulgaria to Suspend Up to 40% of Wind, Solar Power Capacity ARTIGO 04: Duke Energy – Jan 2013 :Duke Energy Renewables completes Notrees Battery Storage Project in Texas; North America's largest battery storage project at a wind farm January 23, 2013 ARTIGO 05: Bloomberg – Agosto 2013 -Japanese Battery Trial Seeks to Transform How Grids Work: Energy By Chisaki Watanabe - Aug 7, 2013 11:17 AM GMT-0300

14

Artigos de Jornais/Revistas
ARTIGO 06: GE – Maio 2013GE Wins Order for Three Wind Turbines With Storage Technology By Christopher Martin - May 1, 2013 10:21 AM GMT-0300 ARTIGO 07: Revista Opiniões – Jan-Mar 2013 – A Importância da Diversificação – Hermes Chipp – Diretor –Geral do NOS ARTIGO 08: The Financial Times 28/02/2014 - RWE expected to declare €3bn net loss, By Jeevan Vasagar in Berlin (As geradoras alemãs começam a divulgar balanços com prejuízos enormes, resultado das políticas que priorizaram as energias renováveis (solar & eólica), ao mesmo tempo que exigiam que as térmicas (principalmente à carvão) ficassem garantindo a confiabilidade do sistema) ARTIGO 09: The Financial Times 16/03/2014 - Germany’s energy policy is expensive, harmful and short-sighted March 16, 2014 5:08 pm By Bjorn Lomborg (sustenta que o programa de energia (renovável) da Alemanha é caro, prejudicial e com visão de curto prazo)

Artigos Jornais Revista

15

Obrigado!
Para Contato:
Luiz Otávio Koblitz luiz.otavio@koblitz.com.br www.koblitz.com.br Recife +55 (81) 3221-2623

16