You are on page 1of 18

IGREJA BATISTA DO BACACHERI – ESCOLA BÍBLICA DINÂMICA

CURSO ESCATOLOGIA II – APOCALIPSE
Prof. Eliseu Pereir (eliseugp@yahoo.com.br)
LI!"O # – INTRODU!"O GERAL
Te$%o &e'o(io)l*
“Não temas; Eu sou o primeiro e o último; E o que vivo e fui morto, mas eis aqui
estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno¨
(Ap 1.17-18)
[1]T+%ulo * apocalupsis (gr. Apokalutw) significa revelação, desvendamento,
descobrimento de algo que está encoberto, tirar o véu.
[2]Au%or e &% * apóstolo João, bispo de Éfeso, quando exilado na ilha de
Patmos, entre 90-96 d.C., durante o reinado do imperador Domiciano.
[3]Co)%e$%o ,is%-ri(o * durante o reinado do imperador Domiciano.
[4]Mo&os &e i)%er.re%/0o *
# – 1 2 – #3 45 – 44
Pre%eris%* a maioria das
profecias (ou todas), se
cumpriram no passado;
Ìgrejas
históricas;
Simbolismo das
condições atuais;
Simbolismo do
céu e da terra;
His%-ri(* as profecias estão
e serão totalmente cumpridas
na era da Ìgreja, inclusive a
Tribulação (pós-milenista e
amilenista);
Ìgrejas
históricas;
Simbolismo dos
acontecimentos da
história: queda de
Roma, islamismo
papado, Reforma;
O juízo final,
milênio, estado
eterno;
I&elis%* não crêem em
uma cronologia das
profecias; as passagens
proféticas apenas ensinam
idéias ou verdades;
Ìgrejas
históricas;
Simbolismo do
conflito entre bem e
o mal;
A vitória do bem;
6u%uris%* crêem que todos
os eventos ocorrerão no
futuro, durante a Grande
Tribulação, na Segunda
Vinda e no Milênio (pré-
milenista);
Ìgrejas
históricas
e/ou sete
estágios da
história da
igreja;
A futura tribulação;
julgamentos
concentrados sobre
a igreja apóstata e
sobre o anticristo; a
vinda de Cristo;
O reino milenar;
julgamento dos
ímpios mortos;
estado eterno;
[5]Her7e)8u%i( *
a. Bíblia X Jornais : o enfoque é a Palavra de Deus e não as manchetes de
jornais;
b. Simbologia : necessidade de separar o que linguagem simbólica da literal;
c. Profecias do AT : muitas porções do Apocalipse são recorrentes nos profetas
do Antigo Testamento.
d. Números : três (trindade) ÷ quatro (terra) ÷ seis (imperfeito, incompleto) ÷ sete
(perfeito) ÷ dez (plenitude) ÷ doze (governo) -
e. Tempo : “as coisas que em breve devem acontecer¨ ou o “tempo está próximo¨
[6]Es9o/o*
#

a. Passado: as coisas que viste (1);
b. Presente : as que são (2-3);
c. Futuro : as coisas que hão de acontecer (4-22);
i. Os ímpios serão julgados (4-19)
ii. Os justos serão abençoados (20-22)
d. Diagrama :
1: ;UADRO
Cap 4-11
Céu
#: ;UADRO
Cap 1
Jesus
4: ;UADRO
Cap 2-3
Ìgreja
2: ;UADRO
Cap 12-16
Terra
Trombetas
Taças
<: ;UADRO
Cap 19-20
Reino
=: ;UADRO
Cap 21-22
Cidade
>: ;UADRO
Capítulos 17-
18
Mundo
Espiritual
“cousas que viste¨ “e as que são¨ “e as que hão de acontecer depois destas.¨
1
Baseado no livro “O Futuro Glorioso do Planeta Terra¨, de Arthur Bloomfield. Editora Betânia.
LI!"O 4 – A ?IS"O DO TRONO@ O LI?RO SELADO E OS JUÍAOS
Te$%o &e'o(io)l* “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao
que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso
de Deus.¨ (Carta à Ìgreja de Éfeso, Ap 2.7)
B#CCo)(ei%os*
a. tempo: “as coisas que viste¨, “as que são¨ e “as que hão de acontecer¨
b. já x ainda não : o reino de Deus DE está entre nós, mas i)& )0o foi implemen-
tado inteiramente.
[2]Es9o/o* A.o(li.se (. 2F##
a. Visão no céu : cap 4 e 5;
i. Deus (cap 4):
(1) descrição da glória de Deus (v 2-8a);
(2) adoração a Deus: 2 hinos (8b e 11) e narrativa (9-10);
ii. Jesus (cap 5):
(1) descrição da glória de Cristo (v 5-7);
(2) adoração a Cristo: 2 hinos (9-10 e 12) e narrativa (11-12a);
iii. Adoração a Deus e Jesus (cap 5): v 13,14;
b. Abertura dos selos : cap 6 e 8.1-5
c. Os servos de Deus : cap 7
i. 144 mil judeus (v 1-8);
ii. Santos da tribulação (v 9-17);
B1C?is0o &o (Gu*
a. 3ª seção : “mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer.¨
b. Trono : poder (relâmpagos, trovões e vozes) e misericórdia (arco-íris);
c. Personagens :
i. Deus: primeira descrição do que se assenta no trono. Deus é espírito; aparên-
cia não é antropomórfica;
ii. 24 anciãos: são o “Conselho de Deus¨; não são anjos; são homens que repre-
sentam o governo de Deus sobre Ìsrael (12 patriarcas) e sobre a igreja (12
apóstolos). Eles se assentam em tronos (Mt 19.28), usam coroas (Ap 2.10), es-
tão vestidos de branco (Ap 3.4-5).
iii. 4 seres viventes: o pano de fundo são os querubins de Ezequiel (1.5,10; 10.20)
e de Ìsaías (6.2) inclusive com respeito ao cântico.
iv. Messis Hue 'e)(eu: estava no meio do trono (7.17) como o Leão da tribo de
Judá (Gn 49.9-10) e Raiz de Davi (Ìs 11.1; ver Hb 1.3);
v. Cordeiro de Deus (Lc 24.26): 7 chifres (onipotente Mt 28.18); 7 olhos (onisciên-
cia, cf. Zc 4.10); 7 espíritos (Espírito Santo Jo 16.7; At 2.33).
B2CA9er%ur &os selos*
a. Livro : selado com 7 selos na mão de Deus;
i. Formato: livro ou rolo de papiro ou pergaminho, geralmente escrito apenas na
parte interna;
ii. Selado: lacre de cera; os selos não indicam o conteúdo do livro, mas ao serem
abertos, são acompanhados de juízos;
b. Selos : do latim sigilus ou segredo; não revelam o conteúdo do livro, mas indi-
cam que o conteúdo será revelado após a abertura dos selos;
1 ÷ 2 ÷ 3 ÷ 4 ÷ 5 ÷ 6 1 ÷ 2 ÷ 3 ÷ 4 ÷ 5 ÷ 6 1 ÷ 2 ÷ 3 ÷ 4 ÷ 5 ÷ 6
selos trombetas taças
i. 7 selos: costume de lacrar um testamento diante de 7 testemunhas que coloca-
vam cada uma seu próprio selo para conferir validade;
ii. Testamento: a morte de Cristo o qualifica para abrir o livro e mostra que ele
tem toda autoridade no céu e na terra. Somente Cristo conhece o conteúdo do
livro os acontecimentos atuais e futuros;
iii. Significado: o rolo é símbolo da promessa do Reino de Deus que será dado em
herança ao povo comprado para Deus;
iv. Herança: 1 Pe 1.4 dá a entender que Deus havia determinado na eternidade
dar em herança o seu reino a um povo comprado para si;
B>CRel/Ies suJeri&s e)%re selos@ %ro79e%s e %/s*
a. arranjo simultâneo: os julgamentos são vistos como
ocorrendo simultaneamente, com a repetição mostrando a
intensificação dos juízos;
b. arranjo consecutivo : todos os juízos dos
selos, trombetas e taças em seqüência cro-
nológica;
c. arranjo telescópico : apresenta o 7º selo introduzindo a série de 7 trombetas e
sendo explicado por ela; a 7ª trombeta introduz a série de 7 taças e é explicada
por ela. Assim, as 7 taças se igualam a 7ª trombeta e as 7 trombetas se igua-
lam ao 7º selo.
7º selo
7ª trombeta
d. arranjo consecutivo e posicional : apresenta o 7º selo introduzindo a série de 7
trombetas e as 7 taças, sendo que as trombetas são as causas provocadas no
céu e as taças são os efeitos vistos na terra e no mundo espiritual.
CÉU 6 Selos >
7º selo
7 trombetas
*
TERRA
7 taças
e
*
ÌNFERNO
7 anos de tribulação
Selos
Trombetas
Taças
Selo  trombetas  taças
LI!"O 1 – A ABERTURA DOS SELOS E OS SER?OS DE DEUS
Te$%o &e'o(io)l* “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O
que vencer não receberá o dano da segunda morte.¨ (Carta à Esmirna Ap 2.11)
B#CA9er%ur &os selos*
a. Abertura : os selos não revelam o conteúdo do livro, mas liberam as forças que
estarão em ação durante o julgamento da grande tribulação: a guerra, a forme e
todo tipo de praga que resultará em juízo e morte;
b. Conteúdo dos selos : pano de fundo em Zacarias 6.1ss;
i. 1º selo: cavalo branco ÷ anti-Cristo ou evangelização do mundo??? A figura do
arco nunca está associada a Deus, a Cristo ou à igreja.
ii. 2º, 3º e 4º selos: cavalos ÷ referência a juízo ÷ anjos que recebem poder para
causar dano na terra e no mar (7.2)
iii. 5º selo: referência aos mártires da igreja;
iv. 6º e 7º selo: referência ao dia do Senhor e à 2ª vinda de Jesus
c. Efeitos dos selos :
SELO DESCRI!"O K E6EITOS
1º Selo Cavalo branco: cavaleiro armado com arco para vencer; (o)Huis%
2º Selo Cavalo vermelho: cavaleiro armado com espada para tirar a paz da
terra; Juerr
3º Selo Cavalo preto: cavaleiro com uma balança indicando fome, escassez e
carestia; es(sseL e (rise e(o)M7i(
4º Selo Cavalo amarelo: cavaleiro chama Morte tem poder para matar ¼ da
população da terra (guerras, fome, peste e feras); 7or%)&&e
5º Selo Visão dos mártires: promessa de vingança; Dus%i/
6º Selo Terremoto, efeitos no sol, na lua e nas estrelas; o céu se abre e há forte
abalo na terra, nas ilhas e nos mares; pânico entre as nações;
7º Selo Silêncio no céu
d. Comparação com Sermão Profético:
M%eus 42 A.o(li.se <
v. 4-5 ÷ falsos cristos e engano; cavaleiro armado com arco para vencer;
(o)Huis%
v. 6-7 ÷ guerras e rumores de guerras;
nação contra nação, reino contra reino;
espada para tirar a paz da terra; Juerr
v. 7 ÷ fome; fome, escassez e carestia;
V 8 ÷ guerra, fome e terremotos em
vários lugares;
Morre ¼ da população da terra
(guerras, fome, peste e feras);
9-13: perseguição, martírio, ódio,
traição e falsos profetas e apostasia
Visão dos mártires: promessa de
vingança; Dus%i/
29-31: “o sol escurecerá , e a lua não
dará a sua luz, e as estrelas cairão do
céu, e as potências dos céus serão
abaladas.¨
12-17: efeitos no sol, na lua e nas
estrelas; o céu se abre e há forte abalo
na terra, nas ilhas e nos mares; pânico
entre as nações;
B4COs ser'os &e Deus*
a. Povo comprado para Deus (5.9) : costume de resgatar escravo para uma
divindade perante a qual o preço era pago; a expressão “tribo, língua, povo e
nação¨ aquela altura era profética quanto à expansão do reino de Deus;
b. Os 144 mil selados em Ap 7.1-8 :
i. Cenário: terra
ii. Origem: tribos de Ìsrael nacional
iii. Ìdentidade: judeus remanescentes que se converterão a Cristo
iv. Relação com igreja: Ìsrael distinto da igreja ou símbolo da igreja?
v. Selo de Deus: contraste com a marca da besta; não sofrem os danos no
juízo de Deus sobre a terra durante a grande tribulação;
c. Os 144 mil selados em Ap 14.1-5 :
i. Cenário: estão no céu diante do Cordeiro (v.1), junto com o seres viventes e
dos anciãos (v.3), selados com o nome de Deus e de Cristo e cantam um
novo cântico exclusivo (v 3.b);
ii. Origem: comprados da terra (v. 3.c);
iii. Ìdentidade: homens puros e virgens, sem mácula, redimidos dentre os
homens e primícias para Deus e para o Cordeiro (v.4,5);
d. Santos da tribulação (7.9-17) :
i. Cenário: céu
ii. Origem: de todas as nações, tribos, povos e línguas;
iii. Ìdentidade: salvos crentes em Cristo;
iv. Relação com a igreja: salvos durante a perseguição da Grande Tribulação;
e. Cântico de Moisés (15.1-4) :
i. Cenário: céu
ii. Origem: de todas as nações, tribos, povos e línguas;
iii. Ìdentidade: vencedores da besta, da sua imagem e do número do nome;
iv. Relação com a igreja: salvos durante a perseguição da Grande Tribulação;
f. Numerosa multidão (19.1-10) :
i. Cenário: estão no céu, junto com o seres viventes e anciãos (v 1, 4, 5);
ii. Origem: de todas as nações, tribos, povos e línguas;
iii. Ìdentidade: a noiva do Cordeiro formada por todos os servos de Deus;
Relação com a igreja: salvos durante a perseguição da Grande Tribulação;

AS SETE BEMFA?ENTURAN!AS NO APOCALIPSE
1) Bem-aventurado os que lêem e os que ouvem e guardam a profecia deste livro (1.3).
2) Bem-aventurado os mortos, que morrem no Senhor (14.13).
3) Bem-aventurado aquele que vigia (arrebatamento) ÷ (16.15).
4) Bem-aventurado aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro (19.9).
5) Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição (20.6).
6) Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro (22.7).
7) Bem-aventurado aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro (22.14).
LI!"O 2 – O JUÍAO DAS TROMBETAS E DAS TA!AS
Te$%o &e'o(io)l* Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas:
Ao que vencer darei a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra
branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão
aquele que o recebe. (Carta à Ìgreja de Pérgamo, Ap 2.17)
[1]Re'is0o *
a. 1º selo: cavalo branco ÷ anti-Cristo;
b. 2º, 3º e 4º selos: cavalos ÷ referência a juízo: guerra, fome, morte;
c. 5º selo: referência aos mártires da igreja;
d. 6º selo: referência ao dia do Senhor e à 2ª vinda de Jesus;
[2]A9er%ur &o =: Selo *
a. há silêncio no céu : manifestação de expectativa e reverência;
b. 7 anjos recebem 7 trombetas : anunciam os julgamentos de Deus;
c. orações dos santos: são oferecidas no altar de ouro e o incenso é lançado
sobre a terra provocando trovões, vozes, relâmpagos, e terremotos;
d. selos : as forças liberadas pela abertura dos selos estarão em ação durante o
juízo das trombetas e das taças;
[3]Tro79e%s *
a. dividem-se em 2 grupos:
i. as quatro primeiras atingem a natureza;
ii. as três últimas (também chamadas de ais) atingem os homens ímpios “os
que moram na terra" (3.10; 6.10; 11.10; 13.8; 17.2);
b. características : atingem cerca de 1/3 do alvo; tem o objetivo de julgar e
produzir arrependimento;
c. relação com pragas do Egito : figura do juízo de Deus sobre os ímpios - água
se transformam em sangue; escuridão;
B2CEfei%os &s %ro79e%s*
a. 1ª trombeta : atinge a terra e queima 1/3 da vegetação da terra;
b. 2ª trombeta : atinge o mar; mata 1/3 da vida marinha e 1/3 dos navios;
c. 3ª trombeta : atinge 1/3 da água doce; mata muitas pessoas (ver Jr 9.15);
d. 4ª trombeta : atinge 1/3 do sol, da lua e das estrelas; produz escuridão; a luz
do dia diminuirá para cerca de 16 horas;
e. 5ª trombeta (1º ai) : um anjo abre o abismo e libera seres que têm poder de
ferir os homens que adoram a besta durante 5 meses; (Lc 10.19; Jl 2.4-10);
f. 6ª trombeta (2º ai) : atinge o Rio Eufrates e solta 4 anjos malignos, líderes de
um exército demoníaco de 200 milhões que matam 1/3 dos ímpios (9.15) por
meio de fogo, fumaça e enxofre;
g. 7ª trombeta (3º ai) : o reino de Cristo é anunciado; adoração e louvor;
;UADRO COMPARATI?O DAS TROMBETAS E DAS TA!AS*
TROMBETA AL?O E6EITOS E6EITOS AL?O TA!A
1ª trombeta saraiva e fogo sobre a
Terra;
queimou 1/3 terra,
vegetação (árvores e
ervas);

Úlceras malignas e
perniciosas
Terra e
adoradores da
besta
1ª taça
2ª trombeta grande montanha em
chamas cai no mar;
1/3 da águas se tornam
sangue; morre 1/3 da vida
marinha; destrói 1/3 das
embarcações;

As águas do mar se
tornam em sangue e
mata toda a vida marinha
Mar 2ª taça
3ª trombeta Grande estrela em
chamas cai sobre rios
e água doce;
1/3 se torna absinto;
morte de muitas pessoas;
As águas se tornam em
sangue
Rios e fontes
de água doce
3ª taça
4ª trombeta Fere o 1/3 do sol, lua e
estrelas;
1/3 do dia e da noite na
escuridão;

Queimar os homens com
intenso calor; blasfêmias;
sol 4ª taça
5ª trombeta ÷
1º ai
Anjo solta seres
ferozes do abismo;
Ferir os homens que não
têm o selo de Deus por 5
meses sem matar;

Escuridão e os homens
remordiam a língua de
dor; blasfêmias;
Trono da
besta
5ª taça
6ª trombeta ÷
2º ai
Soltos os quatro anjos
do Eufrates: fogo,
fumaça e enxofre;
200 milhões de soldados
matam 1/3 dos homens;
os demais não se
arrependem;

Reis do oriente: ajuntam
os reis para a batalha do
Armagedom
Eufrates 6ª taça
7ª trombeta ÷
3º ai
Louvor e adoração; abre-
se o santuário de Deus;
relâmpagos, vozes,
trovões, terremoto e
grande saraivada;

relâmpagos, vozes,
trovões, grande terremoto
destrói muitas cidades;
grande saraivada
Ar 7ª taça
LI!"O > – AS BESTAS DO APOCALIPSE
Te$%o &e'o(io)l* E ao que vencer, e guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe
darei poder sobre as nações, E com vara de ferro as regerá; e serão quebradas
como vasos de oleiro; como também recebi de meu Pai. E dar-lhe-ei a estrela da
manhã. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. (Carta à igreja de
Tiatira ÷ Ap 2.26-29)
B#CGlossErio*
a. Besta : no sentido escatológico é um domínio, conforme as visões de Daniel.
b. Cabeça : também significa domínio, mas talvez em um sentido mais
específico;
c. Chifre : a pessoa do dominador; um rei; um tirano;
d. Mulher : cidade, ou sistema político e / ou religioso;
e. Dragão : o diabo
B4CDes(ri/0o &s 9es%s*
Bes% &o 7r NA. #1O Bes% & %err NA. #1O Bes% &o 9is7o NA. #=O
7 cabeças, 10 chifres e 10
diademas (v.1)
2 chifres de cordeiro (v.11) Vermelha (v.3), 7 cabeças, 10
chifres (v. 3,7)
Semelhante ao leopardo, pés
de urso e boca de leão
-- --
Dragão: dá poder, trono e
grande poderio
Dragão: fala como ele (v.11) --
Poder sobre tribo, língua e
nação
Exerce todo o poder da besta
do mar (v. 12)
--
1 nome de blasfêmia sobre as
cabeças (v. 1)
-- Corpo cheio de nomes de
blasfêmias (v. 3)
Boca profere grandes coisas e
blasfêmias contra Deus,
guerra contra santos (v. 5, 6)
promove adoração à besta
do mar (v.12, 14) obriga sob
pena de morte (15-17)
--
Tempo de atuação: 42 meses Faz grandes sinais, desce
fogo do céu; engana
--
B1CBes% &o 7r K 9is7o*
a. Fundo profético : a visão dos animais em Daniel:
i. 4 animais (leão, urso, leopardo e um animal terrível) sendo que o leopardo
tem 4 cabeças, totalizando 7 cabeças (7.1-8);
ii. o animal terrível: tem 10 chifres; 1 pequeno chifre cheio de olhos derruba
três chifres; ele tem uma boca que fala grandes coisas;
b. Ìdentidade : em sentido amplo é o sistema de governo mundial; mas é
também o 'iníquo', homem da perdição¨ ou “o filho da perdição¨ (2 Ts 2:3-8);
c. Mar : representa os povos, multidões, nações e línguas (17.15)
d. Cabeças : representam poderes;
i. 7 montes: sobre os quais a cidade está assentada ÷ Roma (17.9);
ii. 7 reis: 5 reis já caíram (Egito, Assíria, Babilônia, Média-Pérsia, Grécia), 1
está presente (Roma) e outro virá e durará pouco tempo (Anticristo) (17.10);
e. 10 chifres : representam 10 reis que reinarão com a besta por 1 hora, se
voltarão contra meretriz e a destruirão;
f. Besta que era, não é mas virá (17.7-8) : a própria besta é o oitavo rei; é dos 7
reis e caminha para a destruição
B2CBes% & %err*
a. Ìdentidade : falso profeta (16.13; 19.20; 20.10); é um homem e não um
sistema;
b. Terra : Palestina??
c. 2 chifres : exerce dupla autoridade ÷ política e religiosa ?
d. Número da besta : controle total ÷ “pequenos e grandes, ricos e pobres';
e. Significado : o que o nome e o número da besta significam será conhecido
dos santos que estiverem na terra na época em que a besta estiver aqui em
pessoa. De uma coisa temos certeza: ninguém na terra atualmente tem
sabedoria suficiente para compreender o número da besta.
2
B>CMere%riL*
a. Ìdentidade : a grande Babilônia que domina sobre os reis da terra (17.18);
b. Mulher : vestes: vestida de vermelho e púrpura; adornada de ouro, pedras
preciosas e pérolas; cálice de ouro com abominações e da imundícia da
prostituição; tem escrito na testa “Mistério, a grande Babilônia, mãe das
prostituições e abominações da terra¨; está embriagada com o sangue dos
santos e testemunhas de Jesus.
c. Este sistema religioso dará sustentação ao governo do Anticristo;
B<CA 'is0o & 7ul,er )o (Gu*
a. Mulher:
i. Ìdentidade: judeus? Maria? Cristandade?
ii. Visão: vestida com o sol, com a lua sob os pés, uma coroa de 12 estrelas na
cabeça, grávida em trabalho de parto; após o nascimento do filho, a mulher
foge para o deserto, e é protegida por 1260 dias;
b. Filho :
i. Ìdentidade: ressurreição de Cristo? ou arrebatamento da igreja?
ii. Visão: arrebatado por Deus para o seu trono e reinar sobre as nações
c. Dragão :
i. Ìdentidade: Satanás, diabo e acusador
ii. Visão: não consegue atingir o filho da mulher e persegue a sua
descendência. É derrotado por Miguel e lançado sobre a terra.
d. Ìnterpretações:
i. A mulher representa Ìsrael (povo judeu) do qual descende o Cristo. O varão
então representa Cristo em seu ministério terreno. O arrebatamento para
Deus é a ascensão de Cristo após a ressurreição. Satanás perseguirá os
judeus, mas estes serão poupados por Deus.
ii. Por coerência, se a meretriz representa o sistema religioso, a mulher
representa outro sistema ÷ a cristandade; o filho varão representa os cristãos
verdadeiros que serão arrebatados para o trono de Deus (ver Ap 3.21
quando diz que o vencedor se assentará com Cristo em seu trono). O diabo
imporá terror à igreja porque não sabe a hora do arrebatamento, mas Deus
livrará os escolhidos. A descendência da mulher ÷ restante dos cristãos ÷
serão poupados e salvos por um período de tempo (3,5 anos e meio).
B=CDus %es%e7u),s*
2
Lockyer Herbert. Apocalipse: O Drama dos Séculos. Miami, Flórida EUA: Ed. Vida, 1982, pp.
141-142.
a. Ìdentidade : os dois ungidos Moisés e Elias (ver Zacarias)
b. Tempo de atuação : 1260 dias (=42 meses)
c. Poder : poder de reter chuva e amaldiçoar as águas e outras pragas
d. Morte e ressurreição : serão mortos pela 1ª besta em Jerusalém ÷ haverá
comemoração em todo o mundo;
e. Ressurreição : sobem ao céu
f. Terremoto : cai a décima parte da cidade e mata 7 mil homens
g. Glória : Pessoas dão glória a Deus
LI!"O < – O ANTICRISTO E A BABILPNIA
Te$%o &e'o(io)l* O que vencer será vestido de vestes brancas, e de
maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu
nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos. Quem tem ouvidos, ouça o
que o Espírito diz às igrejas. (Carta à igreja de Sardes ÷ Ap 3.1-6)
B#CGlossErio*
a. Besta: no sentido escatológico é um domínio, conforme as visões de Daniel.
b. Cabeça: também significa domínio, mas talvez em um sentido mais
específico;
c. Chifre: a pessoa do dominador; um rei; um tirano;
d. Mulher (prostituta): cidade, ou sistema político e / ou religioso;
B4CBes% &o 7r – o A)%i(ris%o*
a. Ìdentidade:
i. em sentido amplo é o sistema de governo mundial;
ii. em sentido estrito é também o 'iníquo', homem da perdição¨ ou “o filho da
perdição¨ (2 Ts 2:3-8); tentará sentar-se no trono de Deus como se fosse
deus (2 Ts 2.4); será um homem dotado de inteligência e capacidade de
persuasão (Dn 7:8, 20; 8:23)
b. Ìnterpretação:
i. um sistema político que envolve 7 ou 10 reinos, encabeçado por um líder
anticristo; ele eliminará 3 reis para chegar ao poder (Dn 7.8,24);
B1CBes% & %err*
a. Ìdentidade: falso profeta (16.13; 19.20; 20.10); é um homem e não um
sistema;
b. Ìnterpretação: um líder religioso que promove o culto à primeira besta;
i. um sistema religioso que blasfema contra Deus e exige adoração; persegue
os “santos¨; proferirá grandes coisas (Dn 7.20; 11.36);
ii. um sistema econômico: controle do comércio e do abastecimento;
identificação com a adoração à besta;
B2CDes(ri/0o & 9es% e & 7ere%riL*
a. Besta do abismo: é a mesma besta do mar (Ap 13) - vermelha (v.3), 7
cabeças, 10 chifres (v. 3,7), corpo cheio de nomes de blasfêmias (v. 3);
b. Meretriz:
i. montada sobre a besta do abismo,
ii. vestida de vermelho e púrpura; adornada de ouro, pedras preciosas e
pérolas; tem na mão um cálice de ouro cheio de abominações e da imundícia
da prostituição (17.4);
iii. tem escrito na testa “Mistério, a grande Babilônia, mãe das prostituições e
abominações da terra¨ (17.5);
iv. está embriagada com o sangue dos santos e testemunhas de Jesus (17.6);
B>CBes% &o 9is7o*
a. Besta era, não é mas virá (17.7-8): a própria besta é o oitavo rei; é dos 7 reis
e caminha para a destruição (17.8,11); será admirada pelos ímpios (17.8)
b. Cabeças: representam poderes;
i. 7 montes: sobre os quais a cidade está assentada ÷ Roma (17.9);
ii. 7 reis: identidade controvertida ÷ seriam os impérios mundiais: 5 reis já
caíram (Egito, Assíria, Babilônia, Média-Pérsia, Grécia), 1 está presente
(Roma) e outro virá e durará pouco tempo (Anticristo) (17.10);
c. Chifres: são 10 reis que entregam seu governo à besta;
[6]Mere%riL F A Gr)&e B9ilM)i*
a. Ìdentidade: a grande cidade que domina sobre os reis da terra (17.18);
b. Roma ou Jerusalém: Jerusalém é retratada como prostituta pelos profetas;
c. Mar: representam os povos, multidões, nações e línguas;
d. Relação com o anticristo: dá sustentação ao sistema político-religioso do
anticristo, mas afinal é destruída por ele (17.16,17);
e. Babilônia: relação com todos os reis da terra e comércio mundial (18.3);
f. Julgamento e queda:
i. Juízo repentino: em um só dia (18.8) em uma hora (18.10, 17, 19);
ii. Ver advertência de Paulo: “Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis
que lhes sobrevirá repentina destruição, como vem a dor de parto à que está
para dar à luz; e de nenhum modo escaparão¨ (1 Ts 5.3);
iii. flagelos: morte, pranto, fome e fogo enviados da parte de Deus (18.8);
iv. grande comoção e impacto sobre os países (18.9), sobre o comércio (18.11-
13); sobre o meios de transporte (18.17,19);
v. ruínas: morada de demônios e covil de espíritos imundos (18.2, 14);
LI!"O = – A ?INDA DE JESUS E OS JULGAMENTOS
Te$%o &e'o(io)l* Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que
ninguém tome a tua coroa. A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus,
e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade
do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu
novo nome. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. (Carta à Ìgreja de
Filadélfia 3.11-13).
B#CRe'is0o*
a. Besta do mar : era, não é, mas virá; 7 cabeças e 10 chifres; blasfêmia;
perseguição contra os que não aceitam adorar;
b. Meretriz : Babilônia, a grande cidade que domina sobre os reis da terra
(17.18);
c. Julgamento e queda :
i. Juízo repentino: em um só dia (18.8) em uma hora (18.10, 17, 19);
ii. Paulo: “Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá
repentina destruição, como vem a dor de parto à que está para dar à luz; e
de nenhum modo escaparão¨ (1 Ts 5.3);
iii. Cântico (18.20): Deus julgou a causa dos profetas e cristãos perseguidos;
iv. Pedra da mó (18.21-24): lançada ao mar, desaparecimento;
B4CBo&s &o Cor&eiro N#3.#F#5O*
a. Cânticos (19.1-2;3;4;5;6-7):
b. Esposa : pronta para as bodas ÷ vestida de linho fino, puro e resplandecente;
c. Linho fino : obras de justiça dos santos (19.8);
B1C?i)& &e Jesus N#3.##F4#O*
a. Visão do Senhor Jesus :
i. Aspecto: montado em um cavalo branco (19.11); olhos como chama de fogo
(19.12); muitos diademas na cabeça (19.12b); veste salpicada de sangue
(19.13a);
ii. Título: Fiel e Verdadeiro (19.11b); nome desconhecido (19.12c); chamado
Palavra de Deus (19.13b); Rei dos reis e Senhor dos senhores (19.16);
iii. Juízo: julga e peleja com justiça (19.11c); espada afiada: instrumento de
justiça e juízo contra os ímpios (19.15); pisa o lagar da ira de Deus (19.15.b);
b. Exércitos do céu: seguem o Senhor Jesus, montados em cavalos brancos e
vestidos de linho fino, branco e puro (19.14);
B2C?is0o &o DulJ7e)%o*
a. Convocação (19.7-18): figura de vitória em batalhas;
b. Armagedom : exércitos reunidos para a batalha sob o comando da besta e do
falso profeta (19.19); eles são presos e lançados no lago de fogo (19.20); os
demais são mortos pela Palavra de Deus (19.21);
c. Textos paralelos : “e com o sopro dos seus lábios matará o ímpio¨ (Ìsaías
11.4); “a quem [anticristo] o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e
aniquilará pelo esplendor da sua vinda¨ (2 Ts 2.8);
d. Satanás : é preso por mil anos (20.1-3); sua atuação é limitada e não pode
enganar e agir;
B>CMil8)io*
a. Visões:
i. Amilenista: o milênio é simbólico e representa o reino de Cristo;
ii. Pós-milenista: o reino de Cristo começou com a ascensão de Cristo;
iii. Pré-milenista: o milênio coincide com a prisão de satanás;
b. Definição: O Milênio é o período de 1000 anos em que Cristo reinará sobre a
terra, dando cumprimento às alianças abraâmica e davídica, bem como à
nova aliança.
c. Designações: O Milênio é chamado de “reino dos céus¨ (Mt 6.10), “reino de
Deus¨ (Lc 19.11), “reino de Cristo¨ (Ap 11.15), a “regeneração¨ (Mt 19.28),
“tempos de refrigério¨ (At 3.19) e o “mundo por vir¨ (Hb 2.5).
d. Textos bíblicos: reino de paz e comunhão sobre a Terra (Ìs 1:25-31; 2:1-22;
Jr 23:5-8; Mq 4:1-4; Ez 34:11-24; Zc 14:1-21; Jo 3:5; Ap 12:10).
e. A Bíblia deixa claro que Jesus será o Rei dos judeus e se assentará
literalmente no trono de Ìsrael (Lucas 1:32-33), cumprindo literalmente a
promessa feita a Davi (Salmos 89:3-4).
f. Governo:
i. Seu cabeça será Cristo (Ap 19.16)
ii. Seu caráter: Um reino espiritual que produzirá paz, equidade, justiça,
prosperidade e glória (Ìs 11.2-5).
iii. Sua capital será Jerusalém (2.3).
g. População: a nação israelense continuará existindo fisicamente (sem corpos
glorificados) e muitas nações continuarão existindo, sob o governo do
Mestre, mesmo aquelas que subirão contra Jerusalém (Zc 14:16; Ez 36:33-
36).
h. Relação com Satanás: Durante este período Satanás estará acorrentado,
sendo liberto ao seu final, para liderar uma revolta final contra Cristo (Ap 20).
Satanás será derrotado e lançado definitivamente no lago de fogo.
[6]B%l, fi)l NA. 45.#.#5O
a. Soltura de Satanás : “é necessário que seja solto por um pouco de tempo¨
(Ap 20.3b); seduzirá as nações para a batalha final contra os santos;
b. Batalha final : aliança de nações rebeldes contra o povo de Deus; eles são
destruídos por intervenção de Deus (Ap 9.10);
c. Condenação de Satanás: ele é lançado no lago de fogo (Ap 20.10; Mt 25.41;
ver Ìs 14.10, 15, 24-27: “Tu também como nós estás fraco? e és semelhante
a nós?...).
B=CO JulJ7e)%o &os Mor%os N0oFRe&i7i&os*
a. Textos: Ap 20.11-15
b. Tempo: Depois do Milênio.
c. Lugar: Perante o Grande Trono Branco.
d. Juiz: o Pai confiou todo julgamento ao Filho (Jo 5.22); Cristo foi constituído
como juiz de vivos e mortos (At 10.42; 2 Tm 4.1); Paulo diz que Deus julgará
o mundo com justiça por meio de Cristo (At 17.30-31);
e. Réus : a terra e os céus (fim da velha ordem); as obras da terra (1 Pe 3.10-
11); anjos caídos (Jd 6) e todos os mortos (Ap 20.12-13); todos os não-
salvos desde o principio da humanidade.
f. Juízo : quem não crê já está sumariamente julgado (Jo 5.38);
g. Base : O que faz serem julgados é a rejeição da salvação em Cristo, mas o
fogo do juízo é a demonstração de que pelas próprias más obras merecem a
punição eterna.
h. Resultados: O lago de fogo, segunda morte: a primeira morte é a morte
física; a segunda morte é espiritual ÷ condenação eterna (Ap 20.15);
i. Livros : livro das obras de cada um e o livro da vida do Cordeiro (21.27);
[8]Ressurrei/Ies
Ressurreição dos Justos: (Lc 14.14; Jo 5.28,29)
i. Ìnclui os mortos em Cristo, que são ressuscitados no arrebatamento da igre-
ja (1Ts 4.16).
ii. Ìnclui os salvos durante o período da tribulação (Ap 20.4).
iii. Ìnclui os santos do A.T. (Dn 12.2 - Alguns crêem que serão ressuscitados no
arrebatamento; outros pensam que isso se dará na segunda vinda). Todos
estes são incluídos na primeira ressurreição.
b. Ressurreição dos Ímpios: Todos os não-salvos serão ressuscitados depois
do milênio para comparecerem perante o Grande Trono Branco e serem jul-
gados (Ap 20.11-15). Esta segunda ressurreição resulta na segunda morte
para todos os envolvidos.
[9]No' JeruslG7 NA. 4#.#F44.>O
a. Nova ordem: fim da velha ordem e início da nova ordem ÷ novo céu e nova
terra; Deus diz a João: ¨eis que faço novas todas as coisas¨ (21.5);
“esperamos novos céus e nova terra nos quais habita justiça¨ (2Pe 3.13);
b. Mar: símbolo de luta e dominação, de mistério e perigo; por outro lado, diz
que todas as coisas são recriadas (21.5);
c. Cidade santa: assim como Babilônia é símbolo do sistema conta Deus, assim
Jerusalém é símbolo da habitação de Deus e seu povo;
d. Tabernáculo de Deus : Deus habitará com os homens ÷ este é ponto máximo
da bendita esperança cristã; “contemplarão a sua face¨ (22.4);
e. Cidadãos dos céus : os vencedores têm acesso, mas há lista de pessoas que
não têm permissão para entrar (ver 21.8; 22.15; ver Salmos 15);
f. Descrição da cidade (21.9-22.5): a glória da Jerusalém celestial; suas
medidas, portas e fundamentos;
g. Templo : não há templo na cidade, porque Deus habita com os homens
(21.22) e os santos contemplarão a sua face (22.4);
LI!"O Q – RE?IS"O GERAL
Te$%o &e'o(io)l* “Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu
trono; assim como eu venci e me assentei com meu !ai no seu trono. "uem tem
ouvidos ou#a o que o $sp%rito di& 's igre(as.¨ (Carta à Ìgreja de Laodicéia, Ap 3.20-
22)
[1]EsHue7 * pré-tribulacionista / pré-milenista
B4CLeJe)&*
1 Revelação do Anti-Cristo
Arre9%7e)%o
Batalha no céu:
Satanás lançado na terra
2 Trono de Cristo
Bodas do Cordeiro
3 tempo indefinido
santos da tribulação
6 selos
4 70ª Semana de Daniel
5 1ª parte ÷ 3,5 anos:
Tri9ul/0o
início: aliança com o Anticristo
Encarnação de Satanás
6 2ª parte ÷ 3,5 anos:
Gr)&e Tri9ul/0o
Rompimento da aliança
Abominação desoladora
Ministério das 2 testemunhas:
- morte e ressurreição
7º selo: 7 trombetas e 7 taças
7 SeJu)& ?i)& &e Jesus
8 Batalha do Armagedom
Derrota do Anticristo
9 Satanás é preso
Mil8)io
Julgamento dos vivos
10 Fim do Milênio:
Satanás é solto
Última batalha: Gogue e Magogue
Satanás é lançado no lago de fogo
11 Trono Branco: julgamento dos
mortos
12 Lago de fogo
13 Eternidade
Milênio Era Cris! "rib#la$!o
B1CB8)/0os e e$or%/Ies fi)is
a. “Eis que venho sem demora. Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da
profecia deste livro.¨ (Ap 22.7)
b. “Continue o injusto fazendo injustiça; continue o imundo ainda sendo imundo; o justo
continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se.¨ (Ap 22.11)
c. “Eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a
cada um segundo as suas obras.¨ (Ap 22.12)
d. “Amém. Vem, Senhor Jesus¨ (Ap 22.20)
NOTAS BIBLIOGRR6ICAS E LEITURAS RECOMENDADAS*
ALEXANDRE, Marcos. Notas introdutórias às cartas de 1ª, 2ª e 3ª de João e
Apocalipse; acessado no site http://www.icegob.com.br/marcos/EpJOeAP.pdf
BAPTÌSTA. Walter Santos. O Apocalipse; acessado no site
http://www.scribd.com/doc/23221954/Walter-Santos-Baptista-O-APOCALÌPSE
BLOOMFÌELD, Arthur E. O Futuro glorioso do Planeta Terra - as profecias do
Apocalipse. Belo Horizonte: Editora Betânia, 1974.
Coelho Filho, Ìsaltino Gomes. O Apocalipse de João; acessado no site
http://www.isaltinogomes.com/2007/09/o-apocalipse-de-joao.
FERREÌRA. João Cesário Leonel Estudos no livro do Apocalipse; acessado no site
http://www.monergismo.com/textos/escatologia_reformada/estudosapocalipse.htm
GENTRY Jr, Kenneth L.. “A importância da carta do Apocalipse¨ in Beast of Revelation,
cap. 8. Disponível no site www.monergismo.com.
HARBÌN, Chrístopher B. Escatologia: Estudo Teológico das Coisas Finais (Vida além-
túmulo, Parousia, Ressurreição, Julgamento, Fim do Mundo e o Apocalipse).
Porto Alegre: Seminário Teológico Batista do Rio Grande do Sul, 2006; acessado
no site http://www.theotrek.org/resources/br/Escatologia.pdf.
HENDRÌKSEN, William. Mais que Vencedores ÷ Ìnterpretação do Livro de Apocalipse,
1ª ed. São Paulo: Cultura Cristã, 1987.
KEENER, Craig S. Comentário Bíblico Atos. Novo Testamento, 1ª ed. Belo Horizonte:
Editora Atos, 2004.
LADD, George. Apocalipse. Ìntrodução e Comentário, 5ª reimpressão. São Paulo:
Edições Vida Nova, 1996.
LOCKYER, Herbert. Apocalipse: o Drama dos Séculos, 3ª ed. Miami, Flórida: Editora
Vida, 1988.
MCDOWELL, Eduward A. Apocalipse ÷ Sua Mensagem e Significação. Rio de Janeiro:
Casa Publicadora Batista, 1960.
PÌNHEÌRO, Jorge. A esperança escatológica; acessado no site
http://miriamz.sites.uol.com.br/Escatologia/Esperancaescatologica.htm.
POHL, Adolf. Apocalipse de João Ì. Comentário Esperança. Curitiba: Editora
Evangélica Esperança, 2001.
ROPE, David. Apocalipse. A verdade para hoje; acessado em
http://www.biblecourses.com/Portuguese/NewTestament.aspx
SÌLVA, Mauro Clementino da. Análise Escatológica do Apocalipse de João, 1ª ed.
Editora não identificada, 1994.