You are on page 1of 3

4 ³ Edição Reviva Rap 20l2 Ultima do Ano!

Dia 4 de Novembro de l6hs
Convidados Lívia Cruz e Samuel Porfirio
Concorrentes: JC Rhazec, Kuka D'Sabre, Opção de Defesa, Caminho Alternativo,
Sinfonica D'Perifa, Agentes Mc, néctar O Mc, Max Griot e Preto Contenção
Discotecagem: DJ Dagoma
Apresentação: Mamuti 0ll
Praça Benedita Cavalheiro, s / n º (Entre como Estrada do Sabão Ruas e Rua Elói
Salmon) - Em Frente a Escola João Solimeo - Brasilândia
Apresentação;
No ano de 2009, o Grupo de Trabalho de Hip-Hop do Coletivo Literatura Suburbana, em
parceria com alguns coletivos inicia o projeto Reviva Rap, baseado em outro projeto do
coletivo "Hip-Hop Educação (2007 a 2008)", que tinha como alvo levar a cultura Hip-Hop
para dentro dos espaços públicos da região da Brasilândia, sempre com alguma
temática de cunho sócio-cultural. Porém o Projeto Reviva Rap surge para suprir uma
demanda percebida no projeto hip-hop educação, que era a falta de oportunidades dos
grupos de Rap das comunidades de se apresentarem e desenvolverem projetos.
lniciamos em junho/julho de 2009 em parceria com o ClCAS (Centro lndependente de
Cultura Social e Alternativa), a primeira ação do projeto, o Festival Reviva Rap, que
ocorreu no mês de Julho, com a participação de l3 grupos, de varias regiões da cidade,
lnterior e Fora do estado. A premiação do festival foi uma gravação no estúdio do
ClCAS que contava com apoio do Programa VAl. Notamos a utilidade do projeto na
divulgação desses grupos, promovendo visibilidade e oportunidade aos grupos para
mostrarem seu trabalho, conhecerem novos espaços e outros artistas. Já em Outubro
realizamos a segunda ação do projeto que foi o "Reviva Rap Freestyle de Quebrada",
desta vez em parceria com o Portal "Voz da Rua". O evento aconteceu em uma escola
no Bairro do Morro Grande na Brasilândia, com apresentações de grupos de rap,
basket, discotecagem, porém a grande atração do evento ficou por conta da Batalha de
Mc's, o famoso Freestyle, onde os Mc's com rimas de improvisos batalham pela melhor
rima, agitando o publico. Conseguimos reunir a comunidade para prestigiar o evento, já
que é comum esses eventos acontecerem nas regiões centrais da cidade. No final do
ano realizamos junto aos coletivos ClCAS e Projeto Espremedor a ultima edição do ano
do festival Reviva Rap, que contou com l0 grupos, de todas regiões da cidade e um de
Campinas, o festival foi transmitido ao vivo pela radio l00jaba FM, essa edição contou
com maior apoio da comunidade, pois contou com vários grupos moradores da
localidade!
Por isso acreditamos no Rap como uma manifestação cultural importante para reflexão
e mobilização sócio-cultural de qualquer região periférica da cidade, por isso afirmamos
que a interação do artista com sua comunidade é super importante para o crescimento
da musica local e também de sua comunidade.
Proposta
O projeto Festivais "Reviva Rap", trás a proposta de trazer novamente a força do Rap
para suas comunidades de origem.
O Rap e conseqüentemente o Hip-Hop, tem sua história ligada a periferia, seja nos
bairros da Jamaica, onde teve inicio a tradição Sound Sistem, ou nos bairros negros dos
Estados Unidos. Já no Brasil a origem do Rap e do Hip Hop está ligado ao centro da
cidade pela história das reuniões na Estação São Bento, porém o Rap mesmo
desenvolve-se nas periferias, onde campos vazios viravam palcos, onde rodas de
sambas viraram rodas de rimas, escolas viravam salão de Baile do Mestres de
Cerimônia (MC), e não é a toa que o Rap brasileiro tem como característica muito forte
a contestação dos problemas sociais, culturais, raciais do país.
Na década de 90 o Rap tomou proporções fenomenais, tendo como seus ícones,
Racionais Mc's, Thayde, Consciência Humana, entre outros. Todos estes com seus
discos lançados independentes e seu sucesso maior vindo da periferia. Porém com o
tempo e o processo de agigantamento da cultura Hip-Hop e do Rap, essa cultura tem se
afastado de seu lugar de origem, seja nas festas, nas casas, no cantar das crianças, ou
nos shows que acontecem nas "quebradas". Motivando assim um êxodo dos Mc's para
outros lugares (que em sua maioria são limitados) que por sua vez gera um
distanciamento da comunidade dessa forte cultura, distancia também o artista de seu
bairro, impedindo o mesmo de se desenvolver localmente e privando a comunidade de
eventos culturais. Na zona norte temos um bom contingente de grupos de Rap/Mc's,
porém a mobilização e espaços para apresentação e articulações desses grupos é
muito limitado.
Pensando nessa problemática, entendemos que o Projeto "Festivais Reviva Rap" se faz
importante para propor esse reencontro, esse "reavivamento", da musica rap com seu
local de origem. O projeto não tem como alvo isolar os artistas locais do restante do
mundo, mas acreditamos na importância do envolvimento desses artistas com suas
comunidades, na valorização da produção cultural regional e desenvolvimento da
mesma!
Objetivo Geral;
Proporcionar por meio dos Festivais Reviva Rap e outras ações uma reaproximação do
Rap com as comunidades periféricas, promovendo o desenvolvimento cultural local e
valorizando os artistas da região
Contatos: revivarap@gmail.com ou (ll)34275363