You are on page 1of 1

E STA D O D E M I N A S

D O M I N G O ,

1 3

D E

A B R I L

D E

2 0 1 4

6
2 0 1 4

GRACIE SANTOS
E Sescolas T A D O públicas D E M I N no A S Brasil. ● DExisO M

Não existe uma saída para as

I

Aprovados, com louv Aprovados, com louvor m louvor
O processo de criação
180 mil 20 mil

stico,pelos da Rede Globo, assinados diretores Luiz Bolognesi e Laís Bodanzky, mostram que a escola pública pode dar certo a escola pública pode dar certo

cesso de criação

s os

or

tem várias. Não há mágica ou fórmulas, mas é possível ter ensino público de qualidade ainda que em regiões distantes ou violentas. É o que mostra a série de documentários assinada pelos cineastas Luiz Bolognesi (Uma história de amor e fúria) e Laís Bodanzky (Bicho de sete cabeças). Educação.doc tem roteiro e ESTRATÉGIA Para se aproximar direção dele, codireção dela. do grande público, eles não abriOs programas de 25 minutos ram mão da complexidade da inque estão sendo exibidos aos doformação. “Não diluímos em mingos,às20h30,pelaGloboNews água, a forma é didática mas tem (TV paga – o segundo vai ao ar horitmo. Essa foi a estratégia para je), e os inserts de 6min a 8min falar com milhões de pessoas”, mostrados no Fantástico, da Gloexplica o diretor, que fugiu da pebo(foramexibidosquatroeainda gada de denúncia. “Meu sentiserão mostrados dois), reprodumento era de outra ordem, ilumizem a realidade (privilegiada) de nar experiências que deram cerGRACIE SANTOS cadência e linguagem acessível. oito escolas do Piauí, Ceará, Bahia, to, mostrar o que fez as coisas AParaná, ideia “é fazer o Brasil inteiro Rio de Janeiro e São Paulo. funcionarem (e o audiovisual FOTOS: BURITI FILMES/DIVULGAÇÃO saídae para as ver que possível mudar o paraEm écena, experiências que tem esse poder de colocar luz soGRACIE SANTOS Não existe uma cadência linguagem acessível. FOTOS: BURITI FILMES/DIVULGAÇ ÃO escolas públicas Brasil. Exisdigma da escola ruim.do E que isso deram certo a partir trabalho bre as coisas). Em vez das celebriAno ideia “é fazer o Brasil inteiro Diretor e roteirista do Educaç ã o.doc Luiz Bolognesi durante as filmagens do documentário que mostra públicas de brother sucesso ,no Brasil tem várias. Não há mágica ou faça as pessoas pensarem: ‘quecoletivo dades do Big queríamos Não existe uma saída para as ver que é possível mudar o para- de alunos, professores eescolas mas é possível ter enuma escola assim para o meu escolas públicas nofórmulas, Brasil. Exisdigma da escola ruim. ro Ecomunidade. que isso Com depoimentos Diretor e roteirista do Educação.doc Luiz Bolognesi durante as filmagens do do mostrar que com essas crianças tem várias. Não há mágica ou de faça as pessoas pensarem: ‘quesino público qualidade ainda filho.’ É preciso importantes departicipar diretores, porautodessas escolas você pode discutir fórmulas, mas é possível terregiões enro uma escola assim para o se meu que em distantes ou vioque esperarmos poder ridades, pensadorespelo da educação o que quiser. Porque elas leem, sino público de qualidade filho.’ Éapreciso participar por-nunca vamos lentas.ainda É o que mostra série de público, ter isso. e formuladores de políticas púestudam, têm professores briqueENSINO em regiões distantes ou vioque se esperarmos poder documentários assinada pelos pelo Podemos sensibilizar o país blicas. Num dos casos, o dapara Escolhantes de escolas com diretores lentas. É o que mostra a série de público, nunca vamos ter isso. cineastas Luiz Bolognesi ( Uma buscar uma escola melhor”, afirla Municipal Presidente Campos excepcionais, escolhidos por conBRASILEIROassinada pelos Podemos sensibilizar o país para documentários ENSINO história de amor fúria ) e Laís ma Bolognesi. Salles, em Heliópolis os mucurso e não competência, e não indiForam e seis meses de pesquipolíticas públicas,(SP), nos últimos cionam houve escolhas por cineastas Luiz Bolognesi (Uma buscarsete umacabeescola melhor”, afirBodanzky (Bicho sas para a de realização dos filmes.ros foram anos, além de protagonistas de apadrinhamento. São necessáderrubados numa decados por políticos.” BRASILEIRO história de amor e fúria) e Laís ma Bolognesi. Eles partiram escolas nossa história quesaíram dasesrios testes de seleção, deve-se le- de ças). Educação.doc temde roteiro e com ESTRATÉGIA Para se aproximar monstração de segurança contra Bolognesi não se esquece Foram seis meses de pesquipolític Bodanzky (Bicho de sete cabebons resultados do IDEB, em colas públicas, gente que pode varemcontaaconvivênciadeles direção dele, codireção dela. do grande público, eles não abria violência vizinha. Interessante que o nível das escolas brasileiras sas para a realização dos filmes. anos, ças ). Educação.doc e pobres, ESTRATÉGIA Para se aproximar escolas públicas tem roteiro áreas com IDH baixo, etambém comprovar que elas podem dar com a comunidade”. Ele conviprogramas de 25 minutos ram da complexidade dapesinéa participação de ainda é muito baixo. Mas, avisa: Eles partiram de escolas com nossa direção dele, codireçãoOs dela. do grande público, eles nãomão abrisaíram a campo para descobrir certo”, conta Bolognesi. da: “Vamos revolucionar as rede era estão sendoram exibidos aos doformação. “Não diluímos em soas do meio artístico (o rapper “A boa notícia é que, o que bons resultados do IDEB, em colas p Os programas deque 25 minutos mão da complexidade da incomo uma escola em área pobre “Arespostaparaasperguntas pública e, quem sabe um dia, a escolas públicas mingos,às20h30,pelaGloboNews água, a forma é didática mas tem Emicida, o artista plástico Vick uma água parada, faz uns 10 anos áreas pobres, com IDH baixo, e comp que estão sendo exibidos aos doformação. “Não diluímos em pode dar resultado. “Fizemos quefizemosestánosfilmes.Não gentenãovaiquerertirarnossos vai ao aré horitmo. Essa foi a estratégia para escolas privadas (TV paga – o segundo Muniz e a atriz Camila Pitanga, que está se mexendo. Se as pessaíram a campo para descobrir certo” mingos,às20h30,pelaGloboNews água, a forma didática mas tem primeiro uma viagem precursotem mágica nenhuma, mas filhos da escola particular para je), os de 6min a 8min falar com milhões de pessoas”, (TV paga – o segundo vaie ao arinserts horitmo. Essa foi a estratégia para entre outros), personagens da soas não se movimentam e parcomo uma escola em área pobre “Ar ra, para conhecer os lugares. Demuito trabalho”, afirma o direcolocar numa pública?”. je), e os inserts de 6min a 8min falar com milhões pessoas”, mostrados no saímos Fantástico , da Glo- de explica o diretor, que fugiu da pesociedade brasileira que “precisaestudatem sempre do princípio de que pode dar resultado. “Fizemos quefiz pois, para identificar os Depois da exibição na Globotor, defendendo que escolas privadas mostrados no Fantástico , da Gloexplicae, o diretor, que fugiu da pe-denúncia. bo(foramexibidosquatroeainda gada de “Meu sentiram em escolas públicas, como tudo e não fazem primeiro uma viagem precursotem personagens num terceiro mosterjovensmaiscapacitados News,é auma série porcaria de documentários professores bo(foramexibidosquatroeainda gada dereprodudenúncia. “Meu sentiserão mostrados dois), mento eraser de outraLuiz ordem, ilumio próprio diretor Bolognesi. sua parte, as coisas nãoencarmudam ra, para conhecer os lugares. Demuito momento,partirmosparaasenpara professores, investir na será distribuída em DVDs serão mostrados dois), reprodumento era de outra zem a realidade (privilegiada) de ordem, nar ilumiexperiências que deram certrevistas. Decidimos, também, carreira do educador, selecionar tados em um livro para 50 mil Com ritmo embalado por trinunca. Resolvemos focar no oupois, saímos para identificar os tor, de zem a realidade (privilegiada) dedo Piauí, nar experiências que deram ceroito escolas Ceará, Bahia, ouvir depoimentos de pensadodiretores por seu mérito técnico escolas damostrar rede pública to, mostrar o que fez as coisas lha do Barbatuques (grupo bratro lado, queem no todo mesmo personagens e, num terceiro moste professores oito escolas do Piauí,Paraná, Ceará, Bahia, to,Tião mostrar oeque fez as coisas alunos res como Maria do ecompetênciaenãopormeiode o Brasil, ao longo de três anos,vioRio de Janeiro e Rocha São Paulo. funcionarem (e o audiovisual sileiro de percussão corporal lugar pobre, na mesma favela momento,partirmosparaasenpara s Paraná, Rio de Janeiro e São funcionarem (e o pesaudiovisual Pilar experiências Lacerda, entre outros, indicaçõespolíticas.Percebemos comoobjetivodeinspirarnovas EmPaulo. cena, que tem esse poder de colocar luz socriado em 1995 pelo músico lenta podem haver escolas funtrevistas. Decidimos, também, carreir Em cena, experiências que tem esseenvolvidas poder de colocar luz sosoas que estão nas queemtodasasescolasquefuniniciativas na educação. deram certo a partir do trabalho bre as coisas). Em vez das celebripaulistano Fernando Barba), os cionando, passando valores, com ouvir depoimentos de pensadodireto deram certo a partir do trabalho bre as coisas). Em vez das celebricoletivo de alunos, professores e alunos dades do Big brother , queríamos documentários, que segundo competência, com alunos aprenres como Tião Rocha e Maria do ecom coletivo de alunos, professores e dades do Big brother, queríamos comunidade. Com depoimentos Diretor e roteirista do Educaç ã o.doc Luiz Bolognesi durante as filmagens do documentário que mostra escolas públic mostrar que com essas crianças Bolognesi já foram assistidos por dendo português e matemática, Pilar Lacerda, entre outros, pesindica comunidade. Com depoimentos Diretor e roteirista do Educação.doc Luiz Bolognesi durante as filmagens do documentário que mostra escolas públicas de sucesso no Brasil mostrar que com essas crianças importantes de diretores, autodessas escolas você pode discutir 30 milhões de pessoas, têm boa medalhistas em química”. soas que estão envolvidas nas queem de diretores, auto- púdessas escolas você discutir magens doimportantes documentário que mostra escolas blicas de sucesso nopode Brasil pensadores da educação o que quiser. Porque elas leem, ridades, pensadoresridades, da educação o que quiser. Porque elas leem, e formuladores de políticas púestudam, e formuladores de políticas púestudam, têm professores bri- têm professores briblicas. casos, o da Esco- com lhantes de escolas com diretores blicas. Num dos casos, o daNum Esco- doslhantes de escolas diretores la Municipal Presidente Campos Ponto excepcionais, escolhidos la Municipal Presidente Campos excepcionais, escolhidos por conforte do Educação.doc , por conENSINO ENSINO Salles, em Heliópolis (SP), os mucurso e competência, ecurso não indiSalles, em Heliópolis (SP), os mue competência, e não indialém de roteiro redondo e trilha ros foram derrubados numa decados por políticos.” que potencializa a força ros foram derrubados numa de- das cados por políticos.” BRASILEIRO BRASILEIRO monstração de segurança contra Bolognesi não se esquece de Foram seis meses de pesqui-Foram políticas públicas, nos últimos cionam não houve por cionam n ações das falas, são os depoimonstração de e segurança contra Bolognesi não se esquece de seis meses de pesquipolíticas públicas, nosescolhas últimos a violência vizinha. Interessante que o nível das escolas brasileiras sas para a realização dos filmes. anos, além de dos protagonistas São necessámentos. Exemplo: a história uipolíticas públicas, nos últimos cionam não houve escolhas por a violência vizinha. Interessante que o nível das escolas brasileiras sas para a realização filmes. de anos,apadrinhamento. além de protagonistas de Ponto forte do Educação.doc, apadrinh também é protagonistas a participação de pesainda é muito baixo. Mas, avisa: Eles partiram de escolas com nossa história quesaíram dasesrios testesquesaíram de seleção, deve-se le- rios teste narrada pelo educador Tião Roes. anos, além de de apadrinhamento. necessátambém é a participação de São pesainda é muito baixo. Mas, avisa: Eles partiram de escolas com nossa história dasesalém de roteiro redondo e trilha soas do meio artístico (o rapper “A boa notícia é que, o que era bons resultados do IDEB, em colas públicas, gente que pode varemcontaaconvivênciadeles cha ( veja box ) sobre um aluno, m nossa história quesaíram dasesrios testes de (o seleção, deve-se le-boa notícia é que, o que era soas do meio artístico rapper “A bons resultados do IDEB, em colas públicas, gente a que pode potencializa força das varemco escolas públicas Emicida, o artista plástico uma água parada, faz uns 10 anos áreasp pobres, e comprovar que elas podem dar que com a comunidade”. Ele conviÁlvaro, que o ensinou a enxerm colas públicas, gente que pode Vick varemcontaaconvivênciadeles escolas úblicas com IDH baixo, Emicida, o artista plástico Vick uma água parada, faz uns 10 anos áreas pobres, com IDH baixo, e comprovar que elas podem dar com a co ações e das falas, são os depoiMuniz eque a atriz Pitanga, que está se mexendo. Se as pessaíram a campo para descobrir certo”, conta Bolognesi. da: “Vamos revolucionar as rede gar o papel do professor e hoje é o, e comprovar elasCamila podem dar e a com a comunidade”. Ele conviMuniz atriz Camila Pitanga, que está se mexendo. Se as pessaíram a campo para descobrir certo”, conta Bolognesi. da: “Vam a um história entre outros), personagens seu da soas não se movimentam como uma escola em área pobre “Arespostaparaasperguntas mentos. pública Exemplo: e, quem sabe dia, a “anjo da guarda” (“aparece rir certo”, conta Bolognesi. da: “Vamos revolucionar as rede e parentre outros), personagens da soas não se movimentam e parcomo uma escola em área pobre “Arespostaparaasperguntas pública e pelo educador Tião Rosociedade brasileira que estudatem do princípio pode dar resultado. “Fizemos quefizemosestánosfilmes.Não narrada gentenãovaiquerertirarnossos sempre que me distancio dodia, ca- ade que bre “Arespostaparaasperguntas pública e, sempre quem sabe um escolas privadas sociedade brasileira que estudatem sempre do princípio de que pode dar resultado. “Fizemos quefizemosestánosfilmes.Não gentenã cha ( veja box ) sobre um aluno, ram em escolas públicas, como tudo é uma porcaria não fazem primeiro uma viagem precursotem mágica nenhuma, mas filhos da escola particular para minho que devo seguir”) ée coos quefizemosestánosfilmes.Não gentenãovaiquerertirarnossos escolas privadas ram em escolas públicas, como tudo é uma porcaria e não fazem primeiro umatrabalho”, viagem precursotem mágica nenhuma, Álvaro, que o ensinou a mas enxer- filhos da o próprio Luiz Bolognesi. sua parte, as coisas não mudam movente. coisas, ra, para conhecer os lugares. Demuito afirma o direcolocar numa pública?”. sotem mágica diretor nenhuma, mas filhos daEntre escolaoutras particular para o próprio diretor Luiz Bolognesi. sua parte, as coisas não mudam ra, para conhecer os lugares. Demuito trabalho”, afirma o diregar o papel do professor e hoje é colocar n Rocha revela que “indicava para Com ritmo embalado por trinunca. Resolvemos focar no oupois, saímos para identificar os tor, defendendo que “precisaDepois da exibição na GloboDemuito trabalho”, afirma o direcolocar numa pública?”. BOM EXEMPLO Com braritmo embalado por nunca. Resolvemos focar no oupois, saímos para identificar os tor, defendendo que “precisaDepo os alunos 7ª série ostrimesmos do Barbatuques (grupo troda lado, mostrar que no mesmo personagens e, num terceiro mosterjovensmaiscapacitados News, a série de documentários seu “anjo da guarda” (“aparece os tor,lha defendendo que “precisaDepois da exibição na Globoprofessores livros que passava para os da fasileiro de percussão lugar pobre, na mesma favela viomomento,partirmosparaasenpara ser professores, investir na será distribuída em DVDs encarlha corporal do Barbatuques (grupo bratro lado, mostrar que no mesmo personagens e, num terceiro mosterjovensmaiscapacitados News, as ro mosterjovensmaiscapacitados News, a série de documentários sempre que me distancio do caAlunos da Escola Municipal de Caimbongoprofessores (Ibitiara), na culdade. Os da 7ª liam tudo e criado em 1995 pelo músico lenta podem haver escolas funtrevistas. Decidimos, também, carreira do educador, selecionar tados em um livro para 50 mil será distr enpara ser professores, investir na de será distribuída em DVDs encarsileiro percussão corporal lugar pobre, na mesma favela viomomento,partirmosparaasenpara ser professores, investir na minho que devo seguir”) é coChapada Diamantina (BA), região pobre do interior que está buscavam mais. “Havia rodas paulistano Fernando Barba), os cionando, passando valores, ouvir depoimentos de pensadodiretores por seu mérito técnico escolas da rede pública em todo tados em m, carreira do educador, selecionar tados em um livro para 50 mil criado em 1995 pelo músico lentacom podem haver escolas trevistas. Decidimos, também, carreira do educador, selecionar movente. Entre outras coisas, chamando a atençfunão dos especialistas pela surpreendente alunos de bate-papo e discussão nos sádocumentários, que segundo competência, com alunos aprenres como Tião Rocha e Maria do ecompetênciaenãopormeiode o Brasil, ao longo de três anos, dodiretores por seu mérito técnico escolas da rede pública em todo paulistano Fernando Barba), os cionando, passando valores, com ouvir depoimentos de pensadodiretores por seu mérito técnico Rocha revela que “indicava para escolas d qualidade do ensino em 20 municípios. Lá, a educação vem bados edendo domingos, enquanto na Bolognesi já foram assistidos por português e matemática, Pilar Lacerda, entre outros, pesindicaçõespolíticas.Percebemos comoobjetivodeinspirarnovas do ecompetênciaenãopormeiode o Brasil, ao longo de três anos, alunos documentários, que segundo competência, com alunos aprenres como Tião Rocha e Maria do ecompetênciaenãopormeiode o Brasil, os alunos da 7ª série os mesmos melhorando ano a ano. A explicaç ã o: conseguiram que faculdade os livros indicados fi30 milhões de pessoas, têm boa medalhistas em química”. soas que estão envolvidas nas queemtodasasescolasquefuniniciativas na educação. escomoobjetivodeinspirarnovas indicaçõespolíticas.Percebemos Bolognesi já foram assistidos por dendo português e matemática, Pilar Lacerda, entre outros, pesindicaçõespolíticas.Percebemos comoob livros que passava para os da famudanças na pol í tica n ã o interrompam projetos na educaç ã o. cavam pela metade.” E sempre nas queemtodasasescolasquefuniniciativas na educação. 30 milhões de pessoas, têm boaque ia medalhistas em química”. soas que estão envolvidas nas queemtodasasescolasquefunculdade. Os da 7ª liam tudo e iniciativa que Rocha se lembrava buscavam mais. “Havia rodas dar aula para o Álvaro no dia sede bate-papo e discussão nos ságuinte, ia para casa estudar, pois bados e domingos, enquanto na sabia que seria sabatinado. Há desde uma aluna do Piauí ao esfaculdade os livros indicados fipecialista Yves de la Taille falancavam pela metade.” E sempre do sobre ética, e fala importanque Rocha se lembrava que ia Ponto forte do Educação.doc, te do rapper Emicida, contando oc, além de roteiro redondo e trilha dar aula para o Álvaro no dia seque viveu o apartheid em sua ha que potencializa a força dasPonto forte do Educação.doc, guinte, ia para casa estudar, pois sala de aula: “A professora puas ações e das falas, são os depoialém de roteiro redondo e trilha sabia que seria sabatinado. Há nha os brancos assentados na oimentos. Exemplo: a história que potencializa a força das desde uma aluna do Piauí ao esfrente e os negros atrás”. Episória narrada pelo educador Tião Roações e das falas, são os depoipecialista Yves de la Taille falandio de destaque é também o Rocha (veja box) sobre um aluno, mentos. Exemplo: a história do sobre ética, e fala importanque discute a escola do futuro. no, Álvaro, que o ensinou a enxernarrada pelo educador Tião Rote do rapper Emicida, contando Muitos concordam que o eduergar o papel do professor e hoje é cha ( veja box ) sobre um aluno, que viveu o apartheid em sua cador vai perder o papel de ineé seu “anjo da guarda” (“aparece Álvaro, que o ensinou a enxersala de aula: “A professora puformador para ser aquele que ce BOM TRABALHO sempre que me distancio do cagar o papel do professor e hoje é ajuda a filtrar o excesso de infornha os brancos assentados na caminho que devo seguir”) é comações e a direcionar para o seu “anjo da guarda” (“aparece cofrente e os negros atrás”. EpisóResponsável por um dos depoimentos mais emocionantes movente. Entre outras coisas, que o aluno quiser. as, sempre que me distancio do cadio de destaque é também o do Educação.doc, Tião Rocha é educador, antropólogo Rocha revelaeque “indicava para BOM EXEMPLO ara minho que devo seguir”) é coque discute a escola do futuro. BOM EXEMPLO os alunos da 7ª série os mesmos folclorista brasileiro, autor de obras de desenvolvimento os Entre outras coisas, concordam que o edulivros que passava para os damovente. facultural e comunitário, além de membro de várias Alunos da Escola MunicipalMuitos de Caimbongo (Ibitiara), na TM faRocha “indicava para Alunos da Escola Municipal de Caimbongo (Ibitiara), na culdade. Os da e revela que cador vai perder o papel inorganizações de fomento a iniciativas na área. Fundador e 7ª liam tudo BOM EXEMPLO Chapada Diamantina (BA), região pobre do interior quede está oe buscavam mais. “Havia rodas os alunos da 7ªchamando série os mesmos Chapada Diamantina (BA), região pobre do interior que está formador para ser aquele que presidente do Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento a atenção dos especialistas pela surpreendente as de bate-papo e discussão noslivros sá- que passava para os da fachamando a atenção dos especialistas pela surpreendente a filtrar oa excesso de infor-de Caimbo (CPCD), organização não-governamental sem fins lucrativos Alunos da Escola Municipal qualidade do ensino em 20ajuda munic ípios. Lá, educaç ã o vem sábados ecom domingos, enquantoculdade. na Os da 7ª liam tudo e qualidade do ensino em 20 municípios. Lá, a educação vem mações e a direcionar para oregião pob criada em 1984, em Belo Horizonte, que trabalha Chapada Diamantina melhorando ano a ano. A explicação: conseguiram que (BA), na faculdade os livros indicados fibuscavam mais. “Havia rodas melhorando ano a ano. A explicação: conseguiram que que o aluno quiser. educação popular e com desenvolvimento comunitário a fimudanças na política não interrompam projetos educaç ão. especialistas chamando a na atenç ão dos cavam pela metade.” E sempre de bate-papo e discussão nos sámudanças na política não interrompam projetos na educação. partir da cultura. pre qualidade do ensino em 20 municípios que Rocha se lembrava que ia bados e domingos, enquanto na ia dar aula para o Álvaro no dia semelhorando ano a ano. A explicação: c faculdade os livros TM indicados fiseguinte, ia para casa estudar, pois mudanças na política não interrompam p cavam pela metade.” E sempre ois sabia que seria sabatinado. Há Há desde uma aluna do Piauí aoque es- Rocha se lembrava que ia esdar aula para o Álvaro no dia se-

D E

CULTURA ❚ BRASIL LEGAL para a GloboNews e quadros para o Fantástico, da Rede Globo, a ❚ BRASILDocumentários LEGAL pelos diretores Luiz Bolognesi e Laíspara Bodanzky, mostram que a escola pública pode Documentários para a GloboNews e quadros o Fantástico , da Rede Globo, assinados

6

cadência e linguagem acessível. FOTOS: BURITI FILMES/DIVULGAÇ ÃO A ideia “é fazer o Brasil inteiro ver que é possível mudar o paraN G O da , escola 1 3 D E EA B isso R I digma ruim. que faça as pessoas pensarem: ‘quero uma escola assim para o meu filho.’ É preciso participar porque se esperarmos pelo poder público, nunca vamos ter isso. Podemos sensibilizar o país para buscar uma escola melhor”, afirma Bolognesi.

CULTURA
L D E 2 0 1 4

O process

180 mil 20 mil

2 milhões

44 milhões

2 milhões

44 milhões

Por que ver os documentários

Por quede ver os O processo de criaç ã o O processo cri documentários

180 mil 20 mil

180 mil 20 mil

2 milhões

2 milhões

44 milhões

44 milhões

Por que ver os Por que ver os documentários

documentários