ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CENPES um novo paradigma
08/12/2011 | Notícia | Revista Arquitetura & Aço - nº 28 - Novembro 2011 Centro de pesquisa privilegia o aço e traça novos rumos para a arquitetura

Geodésica do Centro de Realidade Virtual

No primeiro semestre de 2011, a Petrobras foi considerada a quarta maior empresa do mundo no setor de energia. Por trás disso estão investimentos em diversas áreas, principalmente em tecnologia e pesquisa, e também em suas próprias instalações. É o que se percebe quando o assunto é o Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobras II (Cenpes), considerado um novo paradigma da arquitetura contemporânea sustentável. Inaugurado em outubro de 2010, o prédio, projetado pelo arquiteto Siegbert Zanettini, em coautoria com José Wagner Garcia, privilegia, nas novas instalações, o uso das estruturas em aço. A obra, na Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro, incluiu reforma e ampliação do prédio já existente (o Cenpes I) e transformou os 150 mil m2 da área construída anteriormente em um total de 305 mil m².

e. custo/benefício. possibilitar simetria e regularidade estrutural. garantir equalização de vãos e dimensões das peças estruturais. A engenheira Heloísa Maringoni. acrescenta à lista de vantagens do material. na sequência. além de favorecer a padronização em função do uso”. cinco soluções estruturais distintas para o complexo: estrutura dos laboratórios. do centro de realidade virtual e dos edifícios de apoio. sem interromper as atividades do Centro. Área interna em montagem. do centro de convenções. rapidez de montagem e organização dos canteiros de obras. e prevendo futuras modificações do espaço em função das pesquisas desenvolvidas e do crescimento da Petrobras. o aço foi escolhido por “garantir a permeabilidade do olhar e transparência. foram adotadas. do prédio central.Vista do prédio principal Segundo Zanettini. facilidade no transporte. empresa responsável pelo cálculo das estruturas do Cenpes. Em 2004. que continuou funcionando nas instalações antigas. da Companhia de Projetos. flexibilidade. basicamente. vista posterior do complexo Estruturas .

Nos laboratórios. Os números impressionam: só de perfis de aço foram consumidas 1.500 cientistas. de 10 m. que apoiam lajes steel deck. no total. uma espécie de circulação articuladora do edifício. Constituída por cinco blocos. Precisou ser desenvolvido um sistema especial de . que desenvolvem estudos simultâneos em áreas como biotecnologia. Acima dos laboratórios está a estrutura do prédio central. esta estrutura exigiu uma grande variedade nas angulações de nós e comprimento de barras. e externamente. utiliza a mesma modulação principal. tornando-o o maior centro de pesquisas da América Latina. gás e energia. a estrutura foi padronizada. O travamento da estrutura metálica se dá nos blocos de circulação vertical em concreto moldado in loco. O vigamento a cada 2.5 m. com espaçamento secundário a cada 2. foi projetada uma estrutura radial com 75 m de diâmetro e cobertura secundária de sombreamento em tensoestrutura em alguns espaços. “Por ter forma geodésica elíptica. por duas escoras tubulares inclinadas. Tal material fica sobre uma estrutura metálica formada por 11 módulos – composta por arcos tubulares calandrados.762 toneladas e erguidos. conta ainda com uma grande cobertura em estrutura espacial. 227 laboratórios. além de demandas do pré-sal. desafiadora e complexa do projeto. O Centro De Realidade Virtual é lembrado como a parte mais inusitada. para a adoção de lajes alveolares protendidas. A cobertura dos beirais recebeu chapas perfuradas. Já para o centro de convenções. suportada por pilares tubulares em árvore. e revestida com telhas termoacústicas. segura e ecoeficiente do projeto (ver box). que podem abrigar mais de 3. por mastro vinculado ao solo e aos próprios arcos. dispostos em planos radiais sustentados e articulados nas extremidades de duas maneiras: internamente. voltadas às instalações técnicas e pipe-racks.5 m. com vigas mistas em “I” e vão s principais de 10 m x 10 m.50 m dispensa qualquer escoramento. meio ambiente. Além da concepção de arquitetura limpa. e secundária de 2. localizados no térreo.

Projeto estrutural: Heloísa Maringoni (Companhia de Projetos Ltda.800 t. o que consumiu 345 toneladas de aço. (C.A.E.. em sheds. Planejamento e Consultoria). Vista geral do piso de ligação entre os blocos de laboratórios. e para isso foi desenvolvido um sistema original. Outro desafio da parte estrutural. houve uma preocupação maior com a proteção da estrutura metálica. explica Heloísa.) Ficha Técnica Projeto arquitetônico: Siegbert Zanettini (Zanettini – Arquitetura. Um dado que dá a medida do gigantismo do conjunto é que o projeto contou com 50 mil m 2 de lajes steel deck e 48 mil m2 de telhas e coberturas metálicas. o material recebeu proteção contra corrosão e fogo. RJ Data do projeto: 2004 Conclusão da obra: 2010 Ecoeficiência e sustentabilidade . respectivamente.623 barras e 477 nós.) Fornecedor da estrutura metálica: não informado Execução da obra: Consórcio Cenpes (Construtora OAS Ltda. o que exigiu soluções complementares.A.A. como revestimento externo em fibra de vidro e resina pigmentada.. Devido a estes fatores. 1. no Rio. Além disso.equalização de custos para barras e nós. foi lidar com o clima e salinidade do local. da Companhia de Projetos. e Construcap – CCPS Engenharia e Comércio S. com a estrutura diferenciada de cobertura As coberturas. Construbase Engenharia Ltda. José Wagner Garcia (coautor) Área construída: 305 mil m² Aço empregado: ASTM A572 Volume de aço: 6. mas muito próximo de algo ancestral: as cestarias”. Carioca Christiani-Nielsen Engenharia S.. Schahin Engenharia S. A geodésica elíptica construída tem dimensões de 35 m x 20 m x 14 m. que correspondem ao tamanho de seis campos de futebol e uma dimensão suficiente para cobrir o Estádio do Maracanã. colaboram para a iluminação e ventilação naturais dos ambientes.) Local: Rio de Janeiro. formadas por 960 triângulos.

No total. a obra envolveu 30 especialidades. paisagismo. o gerente geral da Petrobras. “Esta premiação reconhece a política da Petrobras em atuar de forma sustentável.O projeto de ampliação do Cenpes ganhou o prêmio Green Building Brasil na categoria Obra Pública Sustentável. estrutura. Além disso. planejamento e organização. sistemas de conforto ambiental e eficiência energética. José Alfredo Thomaz. De acordo com informações divulgadas pela Petrobras. durante a execução da obra foram gerados cerca de seis mil empregos diretos e 15 mil empregos indiretos. sistemas prediais de utilidades e de recomposição dos ecossistemas naturais para garantir o “equilíbrio e a harmonia arquitetônica. em 26 de outubro deste ano. urbanização. Planejamento e Consultoria. decorrentes do dimensionamento adequado de cada espaço”. entre arquitetu ra. instalações. afirmou. . ecoeficiência. em nota à imprensa. os sistemas construtivos estruturais estão aliados à arquitetura. a empresa ressalta que o projeto é resultante de uma “nova prática profissional multidisciplinar integrada”. Segundo informações da Zanettini – Arquitetura. sempre preocupada com as questões ambientais em todas as esferas de atuação”.