PE-5EA-01042-0 - Cópia Não-Controlada - Jose Antonio Lins Pereira - PrestServ

Page 1 of 10

UO-RIO

Código: PE-5EA-01042-0
CORPORATIVO

FSO-38 - EMBARCAÇÃO - MANOBRAS DE PULL-BACK
Status: Ativo

Órgão aprovador: UO-RIO AP!" OP-"SO-#$ Órgão g%stor: UO-RIO AP!" OP-"SO-#$ )ipo d% Cópia I*pr%ssa: +ão Co(tro,ada Cadastro do padrão

&ata d% Aprova'ão: 13/03/2013 Assi(atura: Sergio Correa Silva

Clique aqui para expandir a seção validação.

1. OBJETIVO Efetuar manobras de pull-back com segurança para atender às manobras de pull-in/pull-out, offloading e, eventualmente, pouso das aeronaves, objetivando assegurar a integridade estrutural da Unidade Marítima. 2. APLICAÇÃO E ABRANGÊNCIA Este padrão se aplica à área de Embarcação da gerência de Operação da UORIO/APMF/OP-FSO-38. 3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA E COMPLEMENTARES 3.1 – MT-3ED-00051-C - DIRETRIZES PARA OPERAÇÃO DE REBOCADORES EM FAINAS DE PULL-BACK EM F(P)SO'S 3.2 – Manual da Embarcação 4. DEFINIÇÕES LSV – Lay Supply Vessel (embarcação de lançamento de linhas flexíveis) Mooring Master – Oficial de Náutica especializado nas Manobras dos Rebocadores ON – Oficial de Náutica – Trabalha na U.M. e Orienta as Manobras dos

http://rjln202/03256991005C3181/0/1FB8B45768DEE86983257B18005259C9?OpenD... 9/4/2013

COMREB – Comandante do Rebocador envolvido com as manobras de posicionamento de F(P)SO REBOQUE DE EMERGENCIA – Operação de reboque que visa compensar o efeito de uma linmha de ancoragem rompida.. realizar um briefing a bordo do FSO relatando a operação.1. recursos envolvidos.. 5. .Operação de posicionamento e aproamento do FSO através da utilização de rebocadores conectados a popa dos mesmos. Pull-Back . fazendo com que o cabo de reboque cruze a popa da UM de um bordo para outro. as verificações necessárias visando deixar todo material (acessórios. assim como as tripulações das demais embarcações envolvidas.Cópia Não-Controlada . http://rjln202/03256991005C3181/0/1FB8B45768DEE86983257B18005259C9?OpenD. cabos e demais sistemas) pronto e em condições adequadas para uso. previamente. o GEPLAT deverá atuar na coordenação geral das operações. 9/4/2013 .Executar. REBOCADORES – Embarcações usadas no posicionamento do FSO durante as fainas de Pull-Back PUXADA CRUZADA . planos de contingência. AUTORIDADE E RESPONSABILIDADE Todo pessoal a bordo do FSO comprometido envolvido diretamente com as manobras aqui descritas. de forma a preservar a intergiadde dos risers . . é responsável por paralisar ou cancelar a operação de pull-back e conseqüentemente o pull-in/pull-out .Manobra de Pull-Back em que um rebocador conectado em determinado bordo traciona a UM para o bordo oposto. normalmente executada para permitir o pull-in / pull-out de risers em FSO baseados ancorados em turrets.Jose Antonio Lins Pereira . Com base nas informações passadas pelo Coemb . 5. esclarecendo detalhes das manobras.Prover recursos para a comunicação adequada e contínua com as embarcações envolvidas nas manobras.Observar se os procedimentos operacionais estão sendo seguidos.2 – COEMB O Coordenador da Embarcação terá as seguintes atribuições: . 5. etc. Esta tarefa poderá ser designada ao COEMB quando o GEPLAT julgar necessário. É responsabilidade também do GEPLAT.GEPLAT Designado como Gerente de Plataforma. deverão ter o necessário conhecimento dessas diretrizes. quanto aos recursos necessários para a execução das manobras. Mooring Master ou Oficial de Náutica. ou para pouso das aeronaves.Oferecer suporte ao MM ou Oficial de Náutica. seus procedimentos (incluídos os de emergência) e medidas de contingência adotados em cada caso. .PrestServ Page 2 of 10 Rebocadores nos Pull-Back com apenas 1 rebocador. MNC – Auxilia na manobra de conexão e desconexão da amarra para a realização do Pull Back.PE-5EA-01042-0 .

informando imediatamente ao Geplat . assim como no auxílio às manobras de outras embarcações envolvidas diretamente nas fainas. retinidas. Deverá verificar previamente todo material a ser utilizado na faina de Pull back (guinchos. garantindo que estejam prontos e em condições adequados para uso. http://rjln202/03256991005C3181/0/1FB8B45768DEE86983257B18005259C9?OpenD.3. tomar as ações corretivas necessárias .PE-5EA-01042-0 . estropos acessórios e demais equipamentos necessários. quando em operação de Pull-Back. cabos. 9/4/2013 .Oficial de Náutica (ON): Oficial de Náutica terá como atribuição a orientação e coordenação geral das manobras dos rebocadores no posicionamento do FSO . Cientifica-se e informa ao Coemb a autonomia e necessidades do(s) rebocador (ES). Reportar às embarcações sobre quaisquer modificações nos procedimentos planejados.PrestServ Page 3 of 10 .4. Realizar inspeção na área aonde será realizado as manobras de conexão/desconexão da amarra com os rebocadores. Acessar diariamente o Boletim de previsão metereológica. plano de execução. Assessorar o GEPLAT e COEMB em decisões que envolvam pull back. . deverão permanecer com dedicação exclusiva para esta manobra. Verificar se o COMREB e o OIMLSV têm o completo entendimento dos procedimentos operacionais em geral. Verificar se todas as pessoas envolvidas nas operações encontram-se familiarizadas com os procedimentos que serão executados 5. etc. . número de rebocadores. 5. Notificar as embarcações quanto às condições ambientais previstas. Operar o Painel de Controle Hidráulico dos guinchos na manobra de pull back. Assessorar o Coemb em decisões que envolvam a operação de pull back utilizando apenas rebocadores.Cópia Não-Controlada .Decidir junto com o GEPLAT as necessidades e quando efetuar e interromper as manobras. ao tempo estimado para realização da operação.Providenciar o boletim de previsão meteorológica para que o mesmo seja informado ao MM ou Oficial de Náutica e repassado às demais embarcações envolvidas.. informando ao Coemb e ao MM as condições meteorológicas e oceanográficas. Assessorar o Coemb e MM nas manobras com o FSO caso necessário.Mooring Master (MM): O MM terá como atribuição a orientação geral das manobras dos rebocadores no posicionamento do FSO para pull in/pull out e envelope de pouso. Manter a sala de rádio e o E1 informados sobre as operações realizadas inerentes as suas funções.Em caso de emergências envolvendo ou que impactem nas manobras de pull back . incluídas as fainas de emergência.Jose Antonio Lins Pereira . configuração da manobra..

estropo retinidas. avisar ao MM ou ON qualquer anormalidade observada..5.Cópia Não-Controlada . Diariamente o ON deve consultar a previsão meteorológica e oceanográfica.PE-5EA-01042-0 . FSO. Isolar a área de manobra na popa. impedindo o acesso de pessoas estranhas à operação.Jose Antonio Lins Pereira . nessa reunião será acordado as ações principais atribuídas a cada parte (LSV. 5. http://rjln202/03256991005C3181/0/1FB8B45768DEE86983257B18005259C9?OpenD. DESCRIÇÃO ETAPAS DE EXECUÇÃO DAS TAREFAS: 6. e REBOCADOR) considerando primordialmente o fator segurança de todos envolvidos na operação e distribuindo funções e alertando para o ON E MM sobre os riscos envolvidos na operação.) Quando solicitado. tifor. o COEMB deverá entrar em contato com a US-SUB/ANC cinco dias antes. contra-pino de segurança do smit bracket. o Coemb deverá se reunir com o ON e os Mooring Masters com a finalidade de planejar a operação e conciliar as atividades do Pull Back como um todo..PrestServ Page 4 of 10 Avisa a Sala de Rádio toda vez que houver troca e/ou acréscimo de rebocador de Pull-Back e o bordo em que está conectado ao FSO. Especialmente deve orientar quanto ao risco envolvido com o rebocador em puxada cruzada. posicionamento indevido. Em caso de operação programada de Pull-Back para Pull-in / Pull-out. com especial atenção na proximidade das buzinas e strong points.Marinheiro de Convés: O Marinheiro de Convés terá as seguintes atribuições: Auxiliar o ON a Preparar o conjunto de equipamentos a bordo a serem utilizados na faina de pull back (manilha capacidade 120 t.1 – Planejamento das operações e mobilização de recursos: Avisado da programação de Pull-In e/ou Pull-Out.). Após os rebocadores estarem conectados o MNC deve se posicionar em local seguro para acompanhar a manobra dos rebocadores (tensão nos cabos. Explicando da necessidade de enviar rebocador (ES) com cabo de poliéster devido as nossas linhas de ancoragem. em relação à estrutura da plataforma. informar via rádio ao ON ou MM. a distância estimada da amarra para a estrutura de popa. etc. 9/4/2013 . verificando a previsão de envio dos rebocadores para faina de Pull Back. e obter dados da correnteza junto aos barcos especiais ou navios sonda operando na área e informar ao COEMB alertas ou mudanças expressivas nas condições ambientais do momento. 6. para que negocie com a US-SUB/ANC eventuais substituições. Manter radio VHF ligado no mesmo canal de todos envovildos na manobra. aproximação perigosa da unidade. Auxiliar na faina de conexão/desconexão das amarras do rebocador no FSO. Comunicar a Coordenação dos Mooring Masters para combinar o embarque destes profissionais. O COEMB deverá estar ciente também da autonomia e/ou necessidades do(s) rebocador (ES).

MM. Com o mensageiro no convés e a amarra na posição.Cópia Não-Controlada . Definir canal VHF que será utilizado especificamente para operação de Pull Back. 6. “Rebocador conecta o cabo seis” no terceiro elo do tramo da amarras/ malhetes. principalmente a existência de tubulação / cabo elétrico provisório. “O FSO paga cabo um seis” de polipropileno para o Rebocador. para o Turret.M. A manobra de pull-back deverá ser interrompida da forma mais segura possível para melhor avaliação da necessidade e segurança da operação A manobra de pull-back deverá ser interrompida da forma mais segura possível para melhor avaliação da necessidade e segurança da operação. A popa da U. Após a reunião o MM deverá fazer contato com o GELAT e COMREB das embarcações envolvidas na operação a fim de repassar em linhas gerais o planejamento da operação que ficou estabelecido em ata. para evitar a "puxada cruzada”.M. O ON deverá preencher o check list do anexo 01 antes do início efetivo da manobra (ordem de traciona mento ao rebocador). atravessando da parte móvel da U. Acordar o aproa mento desejado pelo LSV. em caso de falha na certificação não exceder a 70 t.) A Manobra deverá ser executada sob a orientação de um ON ou MM com dedicação exclusiva enquanto durar a manobra. junto ao FSO. Finalidade – Manter um posicionamento da U. o ON ou MM deverá informar ao COEMB. Se houver mudança repentina nas condições ambientais. Após a conexão solicitar ao Rebocador que se afaste 500 m da unidade e http://rjln202/03256991005C3181/0/1FB8B45768DEE86983257B18005259C9?OpenD. quando houver a tendência de puxada cruzada. sob condições normais o cabo de pull back não deverá ultrapassar de 110tons. Com o ON na operação do Painel de Controle de popa o FSO recolhe o cabo de seis “até o convés.PE-5EA-01042-0 . tão logo haja segurança para isso.M.3 – Execução da Manobra A UM solicita aproximação do rebocador para manobra de conexão. 6. informando a proa desejada pelo FSO para operação.. Número de aproa mentos esperados conforme planejado e duração estimada em cada um deles (os valores de azimutes deverão ser informados). etc. Deverá ser considerada para essa decisão. para efetuar serviços com um grau de menor precisão de posicionamento (embarque/desembarque de pessoal. o ON mantém o cabo tensionado para que o MNC efetue o travamento no primeiro elo no pino trava do Smit Bracket. 9/4/2013 .2 – Pull-back para atendimento ao pull-in/Pull-out com (um rebocador). deverá ser girada preferencialmente para o bordo conectado do rebocador.PrestServ Page 5 of 10 Alertar ao MM ou ON que os rebocadores estejam equipados com dispositivos apropriados para monitoração de tração este item é mandatório.Jose Antonio Lins Pereira . inspeção de mergulho no costado. que decidirá junto com o GEPLAT pela interrupção do Pull-Back. O MNC passa por retinida o mensageiro para o convés do rebocador.. O MM deverá definir com os COMREB o comprimento dos respectivos cabos do Pull Back.

9/4/2013 . quando um dos rebocadores cruzarem a popa. Para isso deverá solicitar que o MNC mantenha todo o tempo em contato visual com a amarra e a citada estrutura. tão logo haja segurança para isso..5 – Pull-back para atendimento ao Pull-in/Pull-out com (dois rebocadores)) Finalidade – É uma operação com maior precisão no posicionamento da U. inspeção nas linhas de ancoragem etc. 6.PE-5EA-01042-0 . Durante a manobra de giro ou mudança de posicionamento. que decidira junto com o Geplat pela interrupção do Pull Back. Deverá ser considerada para essa decisão principalmente a existência de embarcação no raio de giro da P-38 e /ou se tubulação/ cabo elétrico provisório. devido à criticidade da operação (ex: substituição de amarra.. 6. Avaliar permanentemente a condição de máquina dos rebocadores. então o MNC conecta o mensageiro de seis’ no terceiro elo da amarra que se encontra no Smit braket.4 – Manobras Desconexão do Rebocador O MM ou ON solicita para o rebocador recolher o cabo e se aproximar da unidade.5.Jose Antonio Lins Pereira . o MM deverá estar em vigilância constante mantendo ângulo seguro para evitar o contato da amarra do sistema de reboque com a estrutura da plataforma de abandono de popa. 6. pagando o seu cabo de poliéster e mantendo o sistema de pull-back sem tensão. http://rjln202/03256991005C3181/0/1FB8B45768DEE86983257B18005259C9?OpenD. atravessando da parte móvel da U.M para o Turret.) 6. intervenção no oleoduto.M.PrestServ Page 6 of 10 aguarde instruções do MM ou ON.M. Acompanhamento do ângulo entre o cabo de Pull-back e o espelho de popa para evitar danos à estrutura da U.6 – Durante o Giro Atentar para os seguintes fatores O MM ou ON deverá efetuar a verificação periódica da tração do cabo dos rebocadores. o ON ou MM deverá informar ao COEMB.1 – Execução da manobras Seguir os todos os itens do item 6. Quando o Rebocador se aproximar da popa o ON ou MM verifica se está sem tensão.Cópia Não-Controlada .. Se ainda assim a amarra oferecer risco de contato com a estrutura. O ON vai pagando o mensageiro através do guincho até o cabo ficar sem tensão e o MNC retirar o contra pino de segurança do Smit Braket e deixar portando pela boca até entregar a amarra para o rebocador. Efetuar uma avaliação continua do azimute entre os cabos do Pull-back e da distancia entre os rebocadores. Manter comunicação em ”standby” com o Rebocador no canal definido anteriormente.3 A Manobra deverá ser executada sob a orientação de dois Mooring Master com dedicação exclusiva para esta tarefa.

antes do início da manobra. do início da manobra. Tem autonomia para comandar as manobras.. solicitando que esta dê aviso geral de “Balanço Acentuado”.PrestServ Page 7 of 10 Próximo ao aproa mento desejado.Cópia Não-Controlada . Havendo alguma embarcação no raio de giro. de que será dado início o giro da UM. Durante as operações de Pull-Back. verificar visualmente e pelo sistema AIS da sala de rádio. Esse acompanhamento deverá ser feito preferencialmente pelo ON ou no impedimento deste o Coemb. Havendo autorização ainda assim não for possível alcançar ou manter o aproa mento desejado. a manobra não deve ser iniciada. por rádio ou telefone. como zona de exclusão marítima. até que a embarcação se retire do raio de giro ou. Na ocorrência de emergência na U. no contra-bordo daquele onde está o rebocador de Pull-back. autorizando tensão de até 100 t. de que a P-38 inicia manobra de Pull-Back estabelecendo o raio de giro de 1 milha náutica ao redor do FSO. O ON ou MM deverá. não for possível alcançar ou mantiver o aproa mento desejado. só poderão ser feitas em situações muito críticas com autorização do Coemb e concordância do Geplat. 6. depois de cientificado o Coemb e analisada a operação. ou seja. chegar-se ao entendimento de que a posição da embarcação não causa risco de abalroamento. a câmera de vídeo deverá estar posicionada para o rebocador. quando informado da probabilidade desta ocorrência pelo ON ou Coemb. a existência de embarcações no raio de giro da P-38. altura e período das ondas.7 – Precauções a serem tomadas durante a operação de Pull Back: O ON deverá preencher o checklist do anexo 01 antes do início efetivo da manobra (ordem de traciona mento do rebocador). O operador da Sala de rádio deverá dar anuncio pelo sistema de Intercom. se há probabilidade de ocorrência de balanço acentuado durante a manobra. O operador da sala de rádio dará aviso pelo rádio UHF canal 16. incluindo a mensagem de Balanço Acentuado.. o Coemb deverá ser avisado para autorização de aumento da tensão para 110 t. Se ao atingir esse limite. solicitar ao Comreb o ajuste dos propulsores na potencia mínima para um posicionamento estável. o ON dará aviso a estes pessoalmente. conforme mensagem padrão disponível na sala de rádio.Jose Antonio Lins Pereira .PE-5EA-01042-0 . se a expectativa de manutenção http://rjln202/03256991005C3181/0/1FB8B45768DEE86983257B18005259C9?OpenD. Deverá sempre haver alguém acompanhando visualmente o rebocador de pull-back nas operações de giro da unidade para uma proa desejada. munido de rádio portátil VHF. Neste caso deve avisar à Sala de Rádio.M durante a operação de Pull back o Geplat deverá avaliar a necessidade de interromper a operação. Checar o posicionamento das cargas critica no convés a serem afetadas pelo balanço no momento do giro da unidade informando ao Coemb. Havendo equipe de mergulho a bordo. Ao obter o aproa mento desejado informar ao LSV. O ON ou MM deverá avaliar o estado do mar. O ON e MM devem controlar a tensão no cabo de reboque. conforme mensagem padrão disponível na sala de rádio. O Coemb deve ser mais uma vez alertado para uma eventual autorização para elevação da tensão até 120 t. 9/4/2013 . Puxadas cruzadas só podem ser realizadas com permissão do Coemb e Geplat. ou mesmo no bordo para onde está sendo feita a puxada. Operações combinadas com embarcações “à sombra”.

o risco de que o rebocador “atravesse a proa” do FSO é grande. Se a tensão no cabo de reboque chegar a 110 t e não for possível alcançar ou manter o aproa mento desejado. Embarcação eventualmente autorizada a operar dentro do raio de giro do FSO.PE-5EA-01042-0 . Especial atenção deve ser dada. Nesse caso.Cópia Não-Controlada . ou em contato com o(s) rebocador (ES) e orientar a esse(s) quanto ao que fazer para evitar complicações decorrentes da perda de posição. 6. Aspectos de Segurança Operacionais nas Operações de Pull Back. O ON ou MM deverá em seguida identificar as causas da perda de controle. Quando isso acontece. Caso de dois rebocadores avisar o Cmte do rebocador não afetado . o ON ou MM deverão comunicar a ocorrência aos abaixo relacionados: 1. essas devem ser paralisadas caso a tensão no cabo exceda 100 t. 6. especialmente se contar com apenas um rebocador. Aeronave em aproximação.PrestServ Page 8 of 10 nessa tensão for de apenas alguns minutos.. 3. Este setor tem seu limite definido por uma linha imaginária. o Coemb deverá decidir pelo cancelamento da operação de Pull-Back. Setores Operacionais 6. Supervisor de Movimentação de Cargas. o retorno deve ser cuidadoso.. Não deverá ser excedida a tensão de 120ton. quando esta tiver um ETA para o FSO. perpendicular a linha de centro do F(P) SO a partir do ponto de amarração no convés do mesmo (Localização: espelho de popa). O rebocador deve ser orientado a retornar com cabo brando. em caso de perda de máquinas e giro descontrolado de mais de 90º. 9/4/2013 .9 – Setores Operacionais SETOR VERMELHO: Setor dentro do qual os REBOCADORES não deverão se situar enquanto mantêm o posicionamento do F(P) SO. 5. seja visualmente.Jose Antonio Lins Pereira . SETOR VERDE: Setor dentro do qual os REBOCADORES poderão operar http://rjln202/03256991005C3181/0/1FB8B45768DEE86983257B18005259C9?OpenD. Sala de Rádio. Coemb/Geplat 2.8 – Ações imediatas e corretivas em caso de anomalias Caso haja o rompimento do cabo do Pull Back do reboque ou perda de posição ou máquina do(s) rebocadores. devido ao perigo de rompimento de uma linha de ancoragem ou estrutura submersa. que leve ao giro descontrolado da P-38. Se a operação de Pull-Back estiver sendo realizadas para operação de Pull-In ou mergulho. 4.

O coordenador da Manobra (MM) deverá manter contato constante. O Estado de Alerta compreende. com o GEPLAT e com o Comandante das embarcações envolvidas na operação (REBOCADORES e LSV). ESTADO DE ALERTA Nível 3: Deve ser iniciado quando o vento alcança velocidade acima de 50 nós.PE-5EA-01042-0 . ou quando um dos rebocadores atinge o SETOR VERMELHO encontrando dificuldades em retornar para o SETOR VERDE.. Entretanto. o ângulo de trabalho deste cabo deve ser limitado de forma que não ocorram danos. Somente após o completo afastamento do LSV os REBOCADORES devem ser desconectados. basicamente. Nos FPSOs que portarem apêndices nos quais o cabo de pull-back possa entrar em contato. inicia o seu afastamento do F(P) SO e os REBOCADORES permanecem aguardando instruções quanto à desconexão. O LSV. três (03) estágios: ESTADO DE ALERTA Nível 1: Deve ser iniciado quando o vento alcança velocidade de até 40 nós. 9/4/2013 . o meio ambiente. As embarcações devem estar preparadas para se afastarem (caso do LSV) ou desconectar (caso dos REBOCADORES). as distâncias e aproa mentos relativos recomendados entre os REBOCADORES deverão ser respeitados..PrestServ Page 9 of 10 enquanto mantém o posicionamento do F(P) SO. 7.Jose Antonio Lins Pereira . deve ser observado que mesmo operando dentro no setor permitido. REGISTROS LIMITES OPERACIONAIS – ESTADO DE ALERTA O Estado de Alerta deve ser acionado em condições adversas de mar que possam comprometer a segurança das operações.Cópia Não-Controlada . seguindo os procedimentos estabelecidos no padrão E&P . o que será http://rjln202/03256991005C3181/0/1FB8B45768DEE86983257B18005259C9?OpenD. ESTADO DE ALERTA Nível 2: Deve ser iniciado quando o vento alcança velocidade de até 50 nós. O LSV deve iniciar os preparativos para se afastar F (P) SO e os REBOCADORES aguardam instruções quanto ao momento adequado da desconexão.PG-2D-001110. a preservação dos ativos e da vida humana. via rádio.

PrestServ Page 10 of 10 informado pelo MM. 8.PE-5EA-01042-0 .Jose Antonio Lins Pereira ...UI/0O E-E)R1+ICA UO-RIO/APMF/OP-FSO-3 &%v%-s% dar prioridad% 8 9o(su.is%: 20/02/2015 -IS)A &E &IS)RI.i*it% para a(7.Cópia Não-Controlada . 9/4/2013 .ta a padr:%s atrav. Não operar com embarcações no raio de giro da P-38 durante a operação de pull back.s do SI+PEP< %vita(do a sua i*pr%ssão I!PRESSA &ES)I+A)2RIOS Clique aqui para acessar ou fechar as informações sobre declaração Aprova'ão = = = >-)I!A "O-?A &O PA&R0O = = = http://rjln202/03256991005C3181/0/1FB8B45768DEE86983257B18005259C9?OpenD. ANEXOS Clique aqui para acessar ou fechar o Sumário de Revisões RE35 0 &ata 13/03/2013 SU!2RIO &E RE3IS4ES &ESCRI/0O E OU I)E+S A)I+6I&OS Emissão Original &OCU!E+)OS CO!P-E!E+)ARES A&ICIO+AIS: &ata .