POLÍTICA

Políticas configuram decisões de caráter geral que apontam os rumos e as linhas estratégicas de atuação de uma determinada gestão

Conjunto de objetivos que informam determinado programa de ação governamental e condicionam a sua execução.

POLÍTICA
OBJETIVOS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS

Tornar públicas e expressas as intenções do Governo; Permitir o acesso da população em geral e dos formadores de opinião, em particular, à discussão das propostas de Governo; Orientar o planejamento governamental no detalhamento de programas, projetos e atividades; Funcionar como orientadoras da ação do Governo, reduzindo os efeitos da descontinuidade administrativa e potencializando os recursos disponíveis.

gerenciais. . envolvendo diversos aspectos: políticos. estadual e municipal. a definição ou redefinição de planos. entre outros. A PNM tem como base os princípios e diretrizes do SUS e exigirá. para a sua implementação. técnicos.POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS CONCEITO Conjunto de diretrizes. programas e atividades específicas nas esferas federal. regulatórios. prioridades e decisões na área farmacêutica.

. estabelece como campo de atuação do Sistema Único de Saúde (SUS) a “formulação da política de medicamentos (.º. em seu artigo 6.) de interesse para a saúde (..º 8.)” .080/90.POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS Um dos elementos fundamentais para a efetiva implementação de ações capazes de promover a melhoria das condições da assistência à saúde da população... A Lei n.

Aumento da demanda e envelhecimento populacional Qualidade dos medicamentos/ ocorrência de muitos casos de falsificação Aumentos de preços dos medicamentos .POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS FATORES QUE INFLUENCIARAM PARA A CRIAÇÃO DE UMA PNM       Extinção da CEME em julho de 1997 Desarticulação da Assistência Farmacêutica e a desorganização dos serviços. Problemas de acesso .exclusão de grande parcela da população.

º 3. eficácia e qualidade dos medicamentos  Garantir a promoção do uso racional  Garantir o acesso da população àqueles medicamentos considerados essenciais .1998 PROPÓSITOS  Garantir a necessária segurança. de 30.916.POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS Portaria n.10.

POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS DIRETRIZES  Adoção de relação de medicamentos essenciais.  Desenvolvimento e capacitação de recursos humanos.  Desenvolvimento científico e tecnológico.  Garantia da segurança. eficácia e qualidade dos medicamentos.  Regulamentação sanitária de medicamentos. .  Promoção do uso racional de medicamentos.  Reorientação da Assistência Farmacêutica.  Promoção da produção de medicamentos.

POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS PRIORIDADES Revisão Permanente da RENAME  Reorientação da Assistência Farmacêutica  Promoção do Uso Racional de Medicamentos  Organização das Atividades de Vigilância Sanitária de Medicamentos  .

 Desenvolvimento científico e tecnológico  Política de medicamentos no âmbito estadual e municipal.PRIORIDADES ADOÇÃO E REVISÃO DA RENAME Definição de uma seleção de medicamentos essenciais indispensáveis para atender a maioria dos problemas de saúde da população e servir de referência para:  Direcionamento da produção farmacêutica. .PNM . nas quantidades e formas farmacêuticas apropriadas.  Garantia do acesso  Disponibilidade desses produtos aos segmentos da sociedade que deles necessitem.

PRIORIDADES REGULAMENTAÇÃO SANITÁRIA DE MEDICAMENTOS      Registro de medicamentos e autorização para o funcionamento Restrições a produtos inadequados ao uso.PNM . contratos. Obrigatoriedade da adoção da denominação genérica nos editais. Obrigatoriedade da denominação genérica nas compras e licitações públicas de medicamentos. nas embalagens. . Regulamentação e decisões que envolvam questões de natureza científica e técnica. textos e demais materiais de divulgação e informação médica. propostas. bulas. prospectos. notas fiscais e exigências sobre requisitos de qualidade dos produtos. rótulos.

(papel indelegável do gestor federal. exceto. Registro de medicamentos e Autorização do funcionamento de empresas.transferidas à responsabilidade direta de estados e municípios.  Descentralização das ações de VS.  . relativas à sua forma e à identificação do paciente e do profissional que a prescreve.PRIORIDADES REGULAMENTAÇÃO SANITÁRIA DE MEDICAMENTOS Adoção de exigências para o aviamento de receita médica ou odontológica.  Garantia da aplicação das normas existentes e a integração operacional do sistema em todas as esferas.PNM .

.PNM .  Otimização e na eficácia do sistema de distribuição no setor público. coordenada e disciplinada pelos três gestores do Sistema.PRIORIDADES REORIENTAÇÃO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA O modelo de AF deverá ser reorientado de modo que não se restrinja à AQUISIÇÃO e à DISTRIBUIÇÃO de medicamentos. viabilizando. devendo estar fundamentada:  Descentralização da gestão.  Promoção do uso racional dos medicamentos.  No desenvolvimento de iniciativas que possibilitem a redução nos preços dos produtos. o acesso.

PNM .  Deve ser desenvolvida atividades dirigidas aos prescritores e dispensadores.  A Farmácia deve ser considerada estabelecimento (comercial) de saúde diferenciado.  •Dispor da obrigatória presença do profissional responsável. à necessidade da receita médica na dispensação de medicamentos tarjados. deve estar em conformidade com as definições constantes da Lei n.080/90.PRIORIDADES PROMOÇÃO DO USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS Deverá ser dado ênfase ao processo educativo dos usuários acerca dos riscos da automedicação.  Adequação dos currículos dos cursos de formação dos profissionais de saúde.º8. . interrupção e troca da medicamentos. com enfoque a adoção de medicamentos genéricos.

Implementação da RENAME. Promoção de campanhas educativas. . Regulação da propaganda de medicamentos dentro de preceitos éticos e legais.PNM . Promoção do uso de medicamentos genéricos.PRIORIDADES PROMOÇÃO DO USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS       Deve haver estímulo ao acesso do profissional de saúde a conhecimentos e treinamentos específicos. Promoção de educação continuada dos profissionais de saúde.

PRIORIDADES DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO  Incentivo a revisão das tecnologias de formulação farmacêutica e a dinamização de pesquisas na área. instituições de pesquisa e empresas do setor produtivo. em especial os constantes da RENAME. com destaque para aquelas estratégicas para a capacitação e o desenvolvimento tecnológico nacional. .PNM . incentivo a integração entre universidades.  Apoio a pesquisas e o desenvolvimento tecnológico da produção de fármacos.

QUALIDADE DOS MEDICAMENTOS  EFICÁCIA E  Cumprimento da regulamentação sanitária.PRIORIDADES GARANTIA DA SEGURANÇA. com as quais é feita a verificação regular e sistemática.PNM . destacando-se as atividades de inspeção e fiscalização. . e efetivadas pelo Sistema Nacional de Vigilância Sanitária. no cumprimento dos regulamentos concernentes às Boas Práticas de Fabricação. A coordenação em âmbito nacional será feita pela Secretaria de Vigilância Sanitária.

com a finalidade de "propor prioridades. Adequação dos cursos de formação na área da saúde. sobretudo no tocante à qualificação nos campos da farmacologia e terapêutica aplicada.inclusive.PNM . a criação de Comissão Permanente de integração entre os serviços de saúde e as instituições de ensino profissional e superior.   O desenvolvimento e a capacitação constituirão ações sistemáticas que permearão todas as medidas. programas e atividades dela .PRIORIDADES DESENVOLVIMENTO E CAPACITAÇÃO DE RH  Formação e a educação continuada . métodos e estratégias".

  . Promover a capacitação de recursos humanos. Farmacopéia Brasileira e Formulário Terapêutico Nacional  Implementar as atividades de controle da qualidade de medicamentos.RESPONSABILIDADES NA PNM GESTOR FEDERAL  Promover a revisão permanente da RENAME. atualizando legislação. Coordenar e monitorar o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária.

  Promover pesquisas estratégicas e incentivar a revisão das tecnologias de formulação farmacêutica .  Promover a disseminação de experiências e de informações científicas. os medicamentos essenciais. articuladamente com as outras esferas de governo. Adquirir e distribuir.RESPONSABILIDADES NA PNM GESTOR FEDERAL  Acompanhar os preços dos medicamentos.

 Apoiar a organização de consórcios intermunicipais de saúde destinados à prestação da AF  Promover o uso racional de medicamentos junto à população. para implementação desta Política.RESPONSABILIDADES NA PNM GESTOR ESTADUAL  Promover a formulação da Política Estadual de Medicamentos. . aos prescritores e aos dispensadores.  Coordenar e executar a Assistência Farmacêutica no âmbito do estado.  Prestar cooperação técnica e financeira aos municípios.  Coordenar o processo de articulação intersetorial no seu âmbito.

.  Utilizar.RESPONSABILIDADES NA PNM GESTOR ESTADUAL  Definir a relação estadual de medicamentos. e em conformidade com o perfil epidemiológico do estado. a capacidade instalada dos laboratórios oficiais para o suprimento das necessidades de medicamentos do estado. promovendo o  Investir em infra-estrutura das centrais farmacêuticas. com base na RENAME.  Investir em RH. visando garantir a qualidade dos produtos até a sua distribuição.  Participar da promoção de pesquisas na área farmacêutica. prioritariamente. em especial aquelas consideradas estratégicas  Assegurar adequada dispensação dos medicamentos.

RESPONSABILIDADES NA PNM GESTOR MUNICIPAL  Coordenar e executar a Assistência Farmacêutica no seu respectivo âmbito.  Associar-se a outros municípios.  Assegurar a dispensação adequada dos .  Treinar e capacitar os recursos humanos para o cumprimento das responsabilidades do município no que se refere a esta Política. decorrentes do perfil epidemiológico da população. RESME. tendo em vista a execução da AF.  Definir a relação municipal de medicamentos essenciais.  Promover o uso racional de medicamentos junto à população. aos prescritores e aos dispensadores. com base na RENAME. por intermédio da organização de consórcios. a partir das necessidades locais.

visando assegurar a qualidade dos medicamentos.RESPONSABILIDADES NA PNM GESTOR MUNICIPAL  Assegurar a dispensação adequada dos medicamentos. a capacidade dos laboratórios oficiais para o suprimento das necessidades de medicamentos do município. prioritariamente.  Investir na infra-estrutura de centrais farmacêuticas e das farmácias dos serviços de saúde.  Adquirir produtos definidos no Plano Municipal de Saúde como responsabilidade concorrente do município.  Utilizar. .  Assegurar o suprimento dos medicamentos destinados a atenção básica à saúde de sua população.

INTEGRALIDADE DAS AÇÕES GARANTIA DE FINANCIAMENTO DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA UNIFICADO DE INFORMAÇÕES INSERÇÃO DO PROFISSIONAL FARMACÊUTICO EM TODOS OS NÍVEIS DE ATENÇÃO DEFINICAÇÃO DE MECANISMO DE CONTROLE E AVALIAÇÃO PROMOÇÃO DO USO RACIONAL FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL . 6. 7. 4.DESAFIOS 1. 3. 5. 2.

QUESTÃO .