Programas de Estudo para Concursos SERVIÇO SOCIAL

I - COMPANHIA BRASILEIRA DE TRENS URBANOS - CBTU Administração de Recursos Humanos – Analista de Gestão, com formação em Serviço Social.

1. Ambiente de atuação do Assistente Social. 1.1 Instrumental de pesquisa em processos de investigação social:

elaboração de projetos, métodos e técnicas qualitativas e quantitativas. 1.2 Propostas de intervenção na área social: planejamento estratégico, planos, programas, projetos, e atividades de trabalho. 1.3 Avaliação de programas e políticas sociais. 1.4 Estratégias, instrumentos e técnicas de intervenção: sindicância,

abordagem individual, técnica de entrevista, abordagem coletiva, trabalho com grupos, em redes, e com famílias, atuação na equipe interprofissional (relacionamento e competências). 1.5 Diagnóstico. 2. Elaboração de laudo e parecer (sociais e psicossociais), estudo de caso, avaliação social.

e psicológica. 4. 4.2 Ética profissional.4 Políticas de Assistência Beneficiária . áreas e limites de atuação do profissional de Serviço Social. 8. 7.6 Política Nacional do Idoso.3 Qualidade de Vida e Saúde do Trabalhador.2 Doenças sexualmente transmissíveis. 4. 3.Lei Orgânica da Assistência Social. 8. Alternativas para a resolução de conflitos: conciliação e mediação. 4.1 Relação Estado/Sociedade.2 Contexto atual e o neoliberalismo. 4. Prática do Serviço Social em Empresas.3. 3.2 Relações de trabalho. 4. Legislação de Serviço Social. 8. Relações de Poder institucional e profissional. 5. 8. 4.1 Uso do álcool. 3.3 Políticas de Seguridade e Previdência Social. Políticas Sociais.4 Atendimento às vítimas. social.Sistema único de Saúde (SUS) e Agências reguladoras.3 Aids.5 Políticas de Saúde . 3. tabaco e outras drogas: questão cultural. Atuação em programas de prevenção e tratamento.1 Balanço Social.1 Níveis. 5. . 5. 6.

8.1 Conceitos de instituição. abordagem coletiva. 2. projetos e atividades de trabalho. 2. programas.DPF 1 Ambiente de atuação do Assistente Social. planos. 1. técnica de entrevista. de pesquisa em processos de investigação social: elaboração de projetos e programas sociais. 1. 1.3 Uso de recursos institucionais e comunitários.5 Indicadores. atuação na equipe interprofissional (relacionamento e competências). em redes. e com famílias.2 Estrutura brasileira de recursos sociais. trabalho com grupos. . 8. métodos e técnicas qualitativas abordagem individual. planejamento e gestão de projetos sociais integrados. 1.5 Diagnóstico. 1.6 Intersetorialidade.DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL . ___________________________________________________________________________________ II . instrumentos e técnicas de intervenção: sindicância.2 Propostas de intervenção na área social: planejamento participativo. 2 Estratégias de trabalho institucional.4 Estratégias. 1. 2.1 Instrumental e quantitativas.4 Política de benefícios.3 Avaliação e gestão de programas e políticas sociais.

8 Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA (Lei nº 8.2 Ética profissional.4 Redação de correspondências oficiais: laudo e parecer (sociais e psicossociais). estudo de caso. 3 Políticas sociais. informação e avaliação social. 4. 7 SA 8. 3. 5.2. 3. 3.3 Políticas de seguridade e previdência Social.2 Contexto atual e o neoliberalismo.000 e ISO 14.1 Diagnóstico. 6 Balanço social. 3.853/1989).1 Estatuto do Idoso (Lei nº 10.1 Relação Estado/Sociedade.742/1993).4 Lei Orgânica da Assistência Social – LOAS (Lei nº 8. áreas e limites de atuação do profissional de serviço social. 3. 4. 5 Novas modalidades de família. 4 Legislação de Serviço Social. 3. ___________________________________________________________________________________ . 3.7 Política Nacional do Idoso.2 Alternativas para a resolução de conflitos: conciliação e mediação. abordagem sistêmica e estratégias de atendimento e acompanhamento.9 Lei Nacional da Pessoa com Deficiência (Lei nº 7.1 Níveis. 3.7.000.741/2003). 3.069/1990.5 Política Nacional da Assistência Social – PNAS (2004). 5. 3.6 Norma Operacional Básica – NOB/Sistema Único da Assistência Social – SUAS (2005).

O mundo do Trabalho na era da reestruturação produtiva e da mundialização do capital. BLOCO 2: 1. conhecimentos. História e constituição da categoria profissional. ético-político e técnico-operativo do Serviço Social e as respostas profissionais aos desafios de hoje. Atuação do Assistente Social em equipes interprofissionais e interdisciplinares.III . Leis e códigos relacionados ao trabalho profissional do Assistente Social. Administração e planejamento em Serviço Social. O Serviço Social e a Saúde do Trabalhador diante das mudanças na produção. 3. organização e gestão do trabalho.A. . 3. 2. 5. Serviço Social na contemporaneidade: Debate teórico-metodológico. Fundamentos e história da política social.PETRÓLEO BRASILEIRO S. BLOCO 3: 1. Condicionantes. 2. demandas e exigências para o trabalho do Serviço Social em Empresas. – PETROBRAS Assistente Social Júnior BLOCO 1: 1. Debate contemporâneo sobre a família e o serviço social. 2. Constituição e (contra) reforma do Estado brasileiro. 4. 3.

Fundamentos da gestão de Responsabilidade Social: conceitos. . Responsabilidade Social das Empresas e Serviço Social. 7. consultoria e Serviço Social. 8. referenciais normativos e indicadores. Assessoria. 5.UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE – UFRN Técnico-administrativo em educação.4. transtornos mentais e o cuidado na Família. pobreza e desigualdade social. O debate contemporâneo sobre questão social. Fundamentos da Gestão em Saúde e Segurança: Conceitos. Saúde Mental. 6. referenciais normativos e indicadores. com formação em Serviço Social 1. Serviço Social. I .

10. Política Social e Serviço Social: história. Políticas Setoriais e atuação profissional: trabalho em e quipe e planejamento e gestão de serviços. 3. signifi cado na sociedade capitalista e o debate sobre políticas sociais no serviço social. 12. Espaços sócio-ocupacionais e atuação profissional: parâmetros. Ética Profissional em Serviço Social. 4. Seguridade Social brasileira e exercício profissional do assistente social. 7. . O Serviço Social na educação. 6. programas e projetos sociais (elaboração. 9.2. A instrumentalidade no trabalho do assistente social: a materialização dos elementos teórico-metodológicos. coordenação. O trabalho do assistente social em assessorias e na formação de recursos humanos. O Serviço Social na contemporaneidade: fundamentos históricos e teóricometodológicos. competências e atribuições. fundamentos. 8. o Projeto Ético-Político do profissional de Serviço Social e o Código de Ética do Assistente Social de 1993. Pesquisa e dimensão investigativa no Serviço Social. ético-políticos e técnico-operativos. Lei nº 8662/93 de Regulamentação da Profissão de Assistente Social. execução e avaliação). Legislação Social e Serviço Social. 13. 5. 11.

9. 14. O trabalho do assistente social na Educação. Constituição Federal da República Federativa do Brasil de 1988. Lei Federal n° 9394/96 – Lei de Diretrizes e bases da Educação Nacional. 13. Título VIII.742. Norma Operacional Básica – NOB/SUAS/ 2012. de 7 de dezembro de 1993. O Serviço Social na contemporaneidade. Lei Federal nº. Decreto nº 7. 12.662/93). Capítulo III. 6. . 5. 15. Política Nacional de Assistência Social – PNAS.º 8. Constituição Federal da República Federativa do Brasil de 1988. Sistema Único de Assistência Social.234. Dispõe sobre a organização da Assistência Social. Código de Ética do Assistente Social. Lei que regulamenta a profissão do Assistente Social (Lei Federal N. Capítulo II. Serviço Social e formação profissional. Estatuto da Criança e do Adolescente. Assistência estudantil. 3. Questão Social e suas manifestações na contemporaneidade. 2.II . 11. Seção IV – Da Assistência Social. 7. de 19 de julho de 2010. de 13 de junho de 1990. 8. Título VI II.INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE . Lei Orgânica da Assistência Social – LOAS.IFRN 1. 10. Seção I – Da Educação. Serviço Social e Educação 4.Lei Federal nº 8. 8069.

2. 3. Filiação e inscrição. 2. . Segurados obrigatórios.3. com formação em Serviço Social LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA 1.INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL – INSS Analista do Seguro Social.I .1. 2. Segurado facultativo: conceito.4. 2. Empresa e empregador doméstico: conceito previdenciário. 2. características e abrangência: empregado. trabalhador avulso e segurado especial. empregado doméstico. características. 2.5. Regime Geral de Previdência Social. Conceito. Finalidade e princípios básicos da Previdência Social. Trabalhadores excluídos do Regime Geral. 2. filiação e inscrição. contribuinte individual.

4.1. de 24/07/1991 e alterações posteriores. Reabilitação Profissional. 10.2. Restituição e compensação de contribuições. Conceito.3. Justificação Administrativa. 7. .213. 4. 13. Receitas da União.4. do empregador doméstico e do produtor rural. benefícios. disposições gerais e específicas. renda mensal do benefício. de 06/05/1999 e alterações posteriores. Lei n° 8.3. 9. Plano de Benefícios da Previdência Social: beneficiários. 4. Lei n° 8. espécies de prestações. 5. 14. perda e restabelecimento da qualidade de segurado.1. Plano Simplificado de Previdência Social. Parcelas integrantes e parcelas não integrantes.3. das empresas.3. 8. 4. períodos de carência. 4. 6. Decreto n° 3. salário-de-benefício. Competência do INSS e da Secretaria da Receita Federal. de 24/07/1991 e alterações posteriores. Serviço Social. Parcelamento de contribuições e demais importâncias devidas à seguridade social.048. 11. 12. Salário-de-contribuição. Recurso das decisões administrativas. 4. Manutenção. Receitas das contribuições sociais: dos segurados.4.3.212. Infrações à legislação previdenciária.2. 4. Limites mínimos e máximos. Financiamento da Seguridade Social. reajustamento do valor dos benefícios.

NOB/SUAS. Previdência Social . .1. 1. dos Serviços.Custeio e Benefícios. LTR. Das Definições e dos Objetivos. Política Pública de Assistência Social. Jurisprudência do STF. Dos Benefícios.SUAS.. 2008.O Direito Fundamental À Previdência Social. Claudia Salles Vilela. Daniel Machado da . Análise situacional. 2008. 2004.2. Dos Princípios e das Diretrizes. Rocha. Direito Previdenciário.Livraria do Advogado.1. 2. LEGISLAÇÃO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL 1. 1. 1. dos Programas e dos Projetos de Assistência Social. Jose P. Da Organização e da Gestão.PNAS/2004.2.3. 1. 2.Comentários À Lei de Benefícios da Previdência Social . ROCHA. 1. Gestão da Política Nacional de Assistência Social na perspectiva do Sistema Único de Assistência Social . VIANNA.BIBLIOGRAFIA UTILIZADA: JUNIOR.5. Lei Orgânica da Assistência Social. Do Financiamento da Assistência Social. Daniel Machado da .4. STJ. 2008.3. 2. Quartier Latin. BALTAZAR Jr. 3. Política Nacional de Assistência Social . 2. Miguel Horvath. Norma Operacional Básica . Livraria do Advogado.

6. Da Política de Atendimento ao Idoso. 4. Do Monitoramento e da Avaliação. Instâncias de articulação.3. Financiamento. 5. 5.4.2. 5. Regras de transição. Do Benefício de Prestação Continuada e do Beneficiário. 4. Da Habilitação. Da Defesa dos Direitos e do Controle Social. Estatuto do Idoso. 4. 5.1. da Representação e do Indeferimento.6. Da Prevenção. Tipos e níveis de gestão do Sistema Único de Assistência Social . Da Suspensão e da Cessação.2. Da Gestão. 5. 3. Instrumentos de gestão.3.4. . da Concessão. Dos Direitos Fundamentais. da Manutenção. Das Medidas de Proteção.1.5. 4.3.3. 4. Das Disposições Preliminares. 5. 3. 3. pactuação e deliberação. Justificativa da Norma Operacional Básica do SUAS. 6. 6.5. Disposições Preliminares. Do Acesso à Justiça e alterações posteriores.SUAS.3. Dos Direitos Fundamentais. 3.5. 3.4.1.2. 4. 6. Estatuto da Criança e do Adolescente.2.1.

6.3. Acessibilidade para as pessoas com deficiência. 7.4.4.4. Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (a ser adotado simultaneamente com a Convenção) e alterações posteriores. Da implementação da acessibilidade arquitetônica e urbanística. 8. Da Política de Atendimento. 8. Convenção Sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da Organização das Nações Unidas. 6.4.3.8. Do Acesso à Justiça. 8.7.4. 6. Pensão especial às pessoas atingidas pela hanseníase que foram submetidas a isolamento e internação compulsórios. Do atendimento prioritário. 8. Dos Crimes e das Infrações Administrativas. Das ajudas técnicas. 8. Das disposições finais e alterações posteriores. Das Medidas Pertinentes aos Pais ou Responsável. 9. 8. 9.5.4.4.6. Parte Especial.4. Do acesso à informação e à comunicação. 8.1.6.2. Do programa nacional de acessibilidade. Das Medidas de Proteção.1. . Da acessibilidade aos serviços de transportes coletivos. Das condições gerais da acessibilidade. Da Prática de Ato Infracional. 6. Do Conselho Tutelar.4. 6. 8.5.2.4.6.1. 6.7. 6. 8.

Visão geral dos componentes da CIF.CIF.1. de 15 de outubro de 2004. Significado social da profissão. Histórico.296 de 2 de dezembro de 2004. Usos da CIF. . Concepção de profissão. 1. de 13 de julho de 1990 e alterações posteriores.742. de 24/07/2007. 10. 10. 13.2.4.5. 10. de 7 de dezembro de 1993 e alterações posteriores.214. Classificação Internacional de Funcionalidade Incapacidades e Saúde da Organização Mundial de Saúde .3. 10.520. 15. 14. de 26 de setembro de 2007. Decreto 6. Lei nº 11. Resolução nº 145 do CNAS. de 15 de julho de 2005. 16. de 18/09/2007 e alterações posteriores. Serviço Social como profissão.1.168. Resolução CNAS nº 130. 17. 1.1. Dimensão histórica e teórico-metodológica. Decreto nº 6. Objetivos da CIF. 11. 1. 19.10.1. 18. Lei nº 8.741 . Lei nº 10. 10.1.069. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 1. 10. Decreto nº 5.2. Lei nº 8.6.de 1º de outubro de 2003 e alterações posteriores. 12. Modelos de funcionalidade e de Incapacidade. Propriedade da CIF.

Mudanças no mundo do trabalho e as suas repercussões no trabalho profissional do assistente social.4. Crise e renovação do Serviço Social tradicional. Código de Ética Profissional dos Assistentes Sociais.1. instrumentos e técnicas de intervenção: abordagem individual. Dimensão ético-política.2.2.1. planos. recursos materiais. Instrumentos técnicos: pesquisa social. Estratégias. Trajetória histórica.2.1.3.2. Gênese e institucionalização do Serviço Social.3. Uso de recursos institucionais e comunitários. 1. 1. Ações profissionais: socialização das informações.2.4. 1. abordagem coletiva.1. 1. O projeto ético-político do Serviço Social. Proposta de intervenção na área social: planejamento estratégico. 1. parecer social.1. em redes e com famílias.3. 1. 1.3.1. Dimensão técnico. 1.operativa.1. 1. O serviço social na Previdência Social.2.2. 1.2. técnica de entrevista. 1. fortalecimento do coletivo e assessoria. A renovação profissional: vertente modernizadora.1.2. Contribuições teórico-práticas para o aperfeiçoamento da política previdenciária e de assistência social. 1.1. 1. trabalho com grupos.2.1.2.1.3.2.2.7.5. 1. atuação na equipe interprofissional (relacionamento e competências) e visitas domiciliares. a vertente da reatualização do conservadorismo e a vertente da intenção de ruptura.1. 1. 1.2.2.2. O Serviço Social na contemporaneidade.2. . programas.6. projetos e atividades de trabalho.

e alterações posteriores. Regulamentação do exercício profissional. 2. Decreto-lei nº 8. Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências. cidadania e direitos sociais no Brasil.2. de 07 de junho de 1993. 2. 4. Dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências. 5.3.Lei n° 8. financiamento e controle social). Resolução CFESS nº 273/93 de 13 de março de 1993. exclusão e vulnerabilidade social. Política de Educação e trabalho no Brasil. 1. gestão. de 07 de dezembro de 1993. 1.662.3. _________ . 6. BIBLIOGRAFIA UTILIZADA PARA LEGISLAÇÃO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL E CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS _________ . . Questão Social e suas manifestações na contemporaneidade.1.662. previdência e assistência social (organização. Decreto-lei nº 8. de 7 de junho de 1993 e alterações posteriores.3. 7. Lei de Regulamentação da Profissão . desigualdade.4.5. Projeto profissional .742. Pobreza. Políticas Sociais públicas. Movimentos sociais contemporâneos.1.3. 3. 2.rumos éticos e políticos do trabalho profissional na contemporaneidade. Políticas de seguridade: saúde. As implicações ético-políticas do agir profissional.

fundamentos ontológicos.Regulamenta o benefício de prestação continuada da assistência social devido à pessoa com deficiência e ao idoso ANTUNES._________ .Reforma da Previdência _________ . BOSCHETTI. Serviço Social e Sociedade. Lei 8213/91 . 10 ed. 2005. Elaine Rossetti. BEHRING. 41 e 47 . seguridade social e o lugar da filantropia. . Lei nº 8. Política Nacional de Assistência Social. 79. Estatuto da Criança e do Adolescente. Campinas. In: Adeus ao Trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. Ricardo. São Paulo. BOSCHETTI. v. Elaine Rossetti.741.março 2003. BARROCO. 2004. Emenda Constitucional 19. de 01 de outubro de 2003. nº 73. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. de 13 de julho de 1990 (e suas atualizações). Ivanete. São Paulo: Cortez. São Paulo: Cortez.p.069. Política social: fundamentos e história. Ética e Serviço Social . _________ . Decreto 6. SP: Editora Universidade Estadual de Campinas.Planos de Benefícios da Previdência Social _________ . 2006. 2005. 2004. BEHRING. "Seguridade social e projeto ético-político do Serviço Social: que direitos para qual cidadania?" In: Revista Serviço Social e Sociedade.214/07 . Lei 10.101-119 BEHRING. 20. Brasil em Contra-Reforma: desestruturação do Estado e perda de direitos. Ivanete. Brasília: Secretaria Nacional de Assistência Social. _________ . Contra-reforma do Estado. Maria Lucia Silva. 2003. A Crise contemporânea e as metamorfoses no mundo do trabalho. _________ . São Paulo: Cortez. Elaine. São Paulo: Cortez.

Orçamento da seguridade social e política econômica: perversa alquimia. março de 2003. pp. 2006. p. julho 2004 CARTAXO. Marcelo. Serviço Social e Sociedade.25-57. 1995. Política Social no Capitalismo . BOSCHETTI. Ivanete & SALVADOR. Ivanete. São Paulo: Cortez. Código de Ética Profissional do Assistente Social. São Paulo: Cortez Editora. São Paulo: Cortez. Adriana. Brasília: GESST/SER/UnB. O Serviço Social na Previdência: trajetória. Raul. projetos profissionais e saberes. BRASIL. Ivanete et all. São Paulo. BRAGA. Assistência social no Brasil: um direito entre originalidade e conservadorismo. São Paulo: Cortez. 1993. BOSCHETTI.p. Cortez. nº 73. CFESS. 120-141. Maria do Socorro (orgs. 4371. paradoxo na construção das políticas de previdência e Assistência social no Brasil. 2006. Ivanete. Ana Maria Baima. (orgs. BRAZ. O processo de reforma da previdência social pública brasileira: um novo padrão de regulação social do estado? Serviço social e Sociedade. Evilásio. CARVALHO. In: Serviço Social & Sociedade.BOSCHETTI. Constituição da República Federativa do Brasil. 2007.).tendências contemporâneas.). 2008. . Seguridade Social e Trabalho. In Revista de Serviço Social e Sociedade n. 2003. BOSCHETTI. nº 78. 1988 (e suas atualizações). Estratégias de sobrevivência: A Previdência e o Serviço Social. nº 87. 2. "O Governo Lula e o projeto ético-político do Serviço Social". Os modernos agentes da justiça e da caridade. 1980. Léa e CABRAL. Brasília: Letras Livres. DUARTE.

Pp. MOTA. Ana Elisabete. V. Raul de (1982). Octávio. Brasília. Edição Especial (1995-2005). Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada . Serviço Social em Tempo de Capital Fetiche capital financeiro. In: SICSÙ. Brasília: IPEA. Estado e Políticas Sociais no Neoliberalismo. São Paulo: . 2002. Asa Cristina (org. Vicente de Paula.). 2007. FALEIROS. Brasília: IPEA. São Paulo: Cortez Editora. de onde vem? E Gastos Públicos. João (org. Marilda Vilela & CARVALHO. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil. Cultura da Crise e seguridade social. Esboço de uma interpretação históricometodológica. O Serviço Social na Contemporaneidade in O Serviço Social na Contemporaneidade: Trabalho e Formação Profissional. Guilherme e CARDOSO Jr. 2007.DELGADO.) Arrecadação. 2002. 2003. (1991) In: Revista São Paulo em Perspectiva. Um estudo das tendências da previdência e da assistência social nos anos 80-90. MONTAÑO. Marilda Vilela. São Paulo: Cortez Editora. 17-82 IAMAMOTO. IAMAMOTO. Marilda Vilela. 2ª ed. 2002. Programa de Pós Graduação em Política Social do Departamento de Serviço Social da UnB. Denise Lobato. Questão Social. IANNI. 13. São Paulo: Cortez. São Paulo: Cortez. Carlos. In: Políticas Sociais Acompanhamento e Análise n°. A universalização dos direitos sociais no Brasil: A previdência rural nos anos 90. 5. GENTIL. São Paulo: Fundação SEADE. A Política fiscal e a falsa crise do sistema de seguridade social no Brasil: análise financeira do período recente. trabalho e questão social. José Celso. São Paulo: Cortez. SER Social. nº 11. Terceiro Setor e Questão Social.IPEA. CELATS. 1998. LAURELL.2007 IAMAMOTO. Previdência social: conflitos e consensos. Política de seguridade social. para onde vão? São Paulo: Boitempo.

Rio de Janeiro: Paz e Terra. _________ . PEREIRA. Especial 2007 . 05. Cortez. São Paulo: Cortez. Especial 2004. São Paulo: Cortez. São Paulo: Cortez. p. n° 87. Revista Temporalis n° 03. O SUAS e os direitos socioassistenciais: a universalização da seguridade social em debate. Serviço Social no INSS: uma luta para garantir direitos e cidadania. Estado. In: Serviço Social & Sociedade. SADER. "A conjuntura brasileira: o Serviço Social posto à prova". In Revista Serviço Social e Sociedade n° 81. regulação social e controle democrático In BRAVO. Brasília: CFESS. RAICHELLIS. 1995 NETTO. p. abril 1996. Beatriz. Dezembro de 1999. Emir & GENTILI. Potyara. SALVADOR.87-132. 2001. São Paulo. Potyara. José Paulo. São Paulo. Política Social e Democracia. Cortez. São Paulo: Cortez Editora. Mª Inês. Revista Serviço Social & Sociedade.Projeto Profissional e Conjuntura. 1998. NETTO.) Pós-neoliberalismo. (cap. n° 79. Capitalismo Monopolista e Serviço Social. p. José Paulo. . Transformações Societárias e Serviço Social. Maria Lúcia Lopes da. São Paulo: Cortez. Serviço Social e Sociedade. 2005. n° 91. José Paulo. n°50. 1995. 19-22. In: Revista Inscrita. 2006. SILVA. "Implicações da reforma da previdência social sobre o mercado de trabalho". Ditadura e Serviço Social. V. Pablo (orgs. PAIVA. NETTO. Raquel.25-42. II). PEREIRA. 2005. Evilásio.Cortez. p. Esfera pública e conselhos de assistência social: caminhos da construção democrática. 5-24.1 991. São Paulo: Cortez. In: Serviço Social & Sociedade. Ano XXVIII.

São Paulo: Cortez.SPOSATI. Texto de Raquel Ferreira Crespo de Alvarenga e Marinete Cordeiro Moreira. In: Serviço Social & Sociedade.EDITORA CORTEZ.96 . TAVARES. Camelita. suas determinações sócio-históricas e o projeto hegemônico do Serviço Social in: BRAGA. Petrópolis: Vozes. Laura. projetos profissionais e saberes. A Assistência na Trajetória das Políticas Sociais Brasileiras: uma questão em análise. São Paulo: Cortez.). Ajuste Neoliberal e Desajuste Social na América Latina. _________ . Maria do Socorro Reis (org. p. considerando a política previdenciária. YASBEK. Aldaíza. ESTUDO SOCIAL EM PERÍCIAS. . n° 87. Cortez. 2001. Lea e CABRAL.11 5136. São Paulo. 2004. Análise da Matriz Teórico-Metodológica do Serviço Social no INSS (1995). 2007. 2006. p. LAUDOS E PARECERES TÉCNICOS . São Paulo: Cortez.122. O primeiro ano do Sistema Único de Assistência Social. SILVA. O Serviço Social na Previdência: trajetória. 2003. Ademir Alves. A Gestão da Seguridade Brasileira: entre política pública e o mercado.

12. Participação e controle social no SUS. Pacto em defesa do SUS. 5. 7. Sistema Único de Saúde . 4. 11. Gestão de Sistema e Serviços de Saúde. 2. 9. Organização dos Serviços de Saúde no Brasil.I . Políticas de Saúde (Política de Atenção Básica. Pacto pela Vida.080 e Lei 8. Média e Alta Complexidade). 3. Pacto de Gestão. . Descentralização e a municipalização da Saúde no Brasil.SECRETARIA ESTADUAL DA SAÚDE PÚBLICA – SESAP/RN CONHECIMENTOS EM SAÚDE 1. Informações em Saúde. Políticas de Saúde: retrospectiva histórica e reforma sanitária. Lei 8. 10.Princípios e diretrizes. 8. Processo de Trabalho em Saúde. 13.142. 6.

22. Planejamento e gestão de serviços. Sistema de informação no SUS. 3. Elaboração. 18. Gestão do trabalho e da Educação na Saúde. Instrumental de pesquisa em processos de investigação social. políticas e prático-profissionais. 17. Epidemiologia em Saúde Coletiva. Planejamento e avaliação de serviços. execução e avaliação de programas e projetos sociais. 16. Os procedimentos teórico-metodológicos em Serviço Social. Política Nacional de Humanização. 6. O projeto ético-político do profissional de Serviço Social: ética e legislação profissional. Formação e Educação em Saúde. 21.14. 15. coordenação. 4. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 1. . implicações éticas. Promoção da saúde e prevenção das doenças. Processo Saúde & Doença. 5. significados e funções. 2. O Serviço Social na atualidade e as tendências do debate contemporâneo da profissão: bases teórico-metodológicas. significação sócio-histórica. 7. 20. Vigilância em Saúde (Vigilância Epidemiológica / Vigilância Ambiental / Vigilância Sanitária). Ética e Bioética. As políticas sociais em seus fundamentos. 23. Regulação em Saúde. 19.

12. 9. Avaliação de políticas sociais. Estatuto do Idoso. A saúde e o ambiente. Lei Orgânica da Assistência Social – LOAS e O Sistema Único de Assistência Social – SUAS. . 14. Previdência Social e Saúde. 13.8. Seguridade Social: Assistência Social. A prática do Serviço Social no âmbito da Saúde Pública. 10. Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA. 11. Reforma Psiquiátrica no Brasil: as mudanças e a nova lógica da assistência em saúde mental.

O Serviço Social. 1.3.2. 1. A questão social no cenário contemporâneo. assistência e saúde. A questão dos direitos sociais no sistema de seguridade social: previdência. A política de assistência social como política de proteção social e o SUAS. A Reestruturação das políticas sociais no Brasil e as novas formas de regulação Social.PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAU-RN 1. as diferentes expressões concretas na sociedade brasileira e a sua centralidade no Serviço Social. . as Políticas Sociais e a questão dos Direitos Sociais no contexto da Reforma do Estado brasileiro. 1. O lugar ocupado pelo Serviço Social na implementação das Políticas Sociais no contexto da descentralização e municipalização: a gestão social e participativa.I . A contrarreforma do Estado e as Políticas Sociais no Brasil na contemporaneidade. 2. 1. 1.1.5.4.

Pobreza. ética.4. O projeto profissional e as estratégias para fazer frente às diferentes expressões da Questão Social. As dimensões éticas e políticas do projeto profissional. os espaços ocupacionais e o trabalho profissional do Assistente Social no contexto da reestruturação do capital e da lógica neoliberal em defesa dos direitos sociais.3. O assistente social como trabalhador coletivo: o trabalho profissional. 2. 3. 2. instrumento sócio-jurídico e legal na efetivação e defesa dos direitos sociais. exclusão social e subalternidade: expressões concretas da Questão Social no Brasil contemporâneo.2. metodológica.2. Estado. política. Questão social. O projeto ético-político profissional. 2.2. 4. 3. técnica e operativa no fazer profissional na defesa dos direitos sociais. demandas e requisições que exigem competência teórica. A questão social como base fundante do trabalho do assistente social. Seguridade Social brasileira e exercício profissional do assistente social.PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ .1. pobreza e desigualdade social: desafios para as políticas sociais e em particular à assistência social e às políticas para juventude. Contextualização histórica da Política de Assistência Social no Brasil. 3.3. .1. 3.RN 1. 3. ___________________________________________________________________________________ II . Metamorfoses da questão social nos meandros das relações entre o Estado e a Sociedade no Brasil contemporâneo. A legislação social e o trabalho profissional. 3. Política Social e Serviço Social.

gênero e raça na realidade juvenil. o Projeto Ético-Político do profissional de Serviço Social e o Código de Ética do Assistente Social. O trabalho do assistente social no Sistema Único de Assistência Social: competências e parâmetros de atuação. 11. Lei Orgânica da Assistência Social. inserção no mundo do trabalho. movimentos da juventude hoje e as questões de classe. Estatuto da Juventude e o PNDH-3 9. 14. ético-políticos e técnico-operativos. 13. 12. 10.5. O Serviço Social na contemporaneidade: fundamentos históricos e teórico-metodológicos. controle democrático e participação popular. Juventude: concepções. Norma Operacional Básica de Recursos Humanos do SUAS (NOB-RH/SUAS) e Legislação Complementar relativa ao SUAS. território. Políticas Públicas para Juventude. 15. 8. . Norma Operacional Básica (NOB-SUAS). Pesquisa e dimensão investigativa no Serviço Social. Conselhos. Conferências e Fóruns de Juventude. gestão. A Política Nacional de Assistência Social e o Sistema Único de Assistência Social (SUAS): conceitos. Legislação social e legislação específica das políticas para a juventude. fundamentos. Ética Profissional em Serviço Social. 6. A instrumentalidade no trabalho do assistente social: elementos teóricometodológicos. financiamento e controle democrático. 7.