A Fertilidade do Solo e a Fertilização na perspectiva da Agricultura Biológica

ISA, 26 de Maio de 2010

José Carlos Ferreira
FRUBIO – Agricultura Biológica Lda jcf.frubio@sapo.pt

Fertilidade do solo

Fertilidade do solo

Componente física Componente biológica

Componente química

Componente física

Textura, estrutura, porosidade, compacidade etc.

Componente química

pH, teor de nutrientes, interacção de nutrientes etc.

1989) .Componente biológica Quantidades de organismos que podem existir num solo Organismos Biomassa Kg/ha Nº /grama solo (Bourgignon.

1989) .Componente biológica Quantidades de organismos que podem existir num solo Organismos Bactérias Biomassa Kg/ha 1 000 Nº /grama solo 1 000 000 000 000 (Bourgignon.

Componente biológica Quantidades de organismos que podem existir num solo Organismos Bactérias Fungos Biomassa Kg/ha 1 000 1 000 a 2 000 Nº /grama solo 1 000 000 000 000 1 500 000 (Bourgignon. 1989) .

Componente biológica Quantidades de organismos que podem existir num solo Organismos Bactérias Fungos Actinomicetas Biomassa Kg/ha 1 000 1 000 a 2 000 1 000 Nº /grama solo 1 000 000 000 000 1 500 000 100 000 000 (Bourgignon. 1989) .

Componente biológica Quantidades de organismos que podem existir num solo Organismos Bactérias Fungos Actinomicetas Algas Biomassa Kg/ha 1 000 1 000 a 2 000 1 000 50 a 200 Nº /grama solo 1 000 000 000 000 1 500 000 100 000 000 100 000 (Bourgignon. 1989) .

1989) .Componente biológica Quantidades de organismos que podem existir num solo Organismos Bactérias Fungos Actinomicetas Algas Minhocas Biomassa Kg/ha 1 000 1 000 a 2 000 1 000 50 a 200 2 000 Nº /grama solo 1 000 000 000 000 1 500 000 100 000 000 100 000 10 000 000 / ha (Bourgignon.

1989) .Componente biológica Quantidades de organismos que podem existir num solo Organismos Bactérias Fungos Actinomicetas Algas Minhocas Protozoários Biomassa Kg/ha 1 000 1 000 a 2 000 1 000 50 a 200 2 000 100 a 300 Nº /grama solo 1 000 000 000 000 1 500 000 100 000 000 100 000 10 000 000 / ha (Bourgignon.

) Biomassa Kg/ha 1 000 1 000 a 2 000 1 000 50 a 200 2 000 100 a 300 200 a 1000 Nº /grama solo 1 000 000 000 000 1 500 000 100 000 000 100 000 10 000 000 / ha (Bourgignon. nemátodos etc. 1989) .Componente biológica Quantidades de organismos que podem existir num solo Organismos Bactérias Fungos Actinomicetas Algas Minhocas Protozoários Outros (insectos.

) Total de biomassa viva (Bourgignon.Componente biológica Quantidades de organismos que podem existir num solo Organismos Bactérias Fungos Actinomicetas Algas Minhocas Protozoários Outros (insectos. nemátodos etc. 1989) Biomassa Kg/ha 1 000 1 000 a 2 000 1 000 50 a 200 2 000 100 a 300 200 a 1000 5 000 a 7 500 Nº /grama solo 1 000 000 000 000 1 500 000 100 000 000 100 000 10 000 000 / ha .

Organismos do solo Macrorganismos: • Função melhoradora das características físicas e biológicas • Microrganismos: • Função melhoradora das características químicas e biológicas .

Microrganismos do solo Algumas funções: • Captação de nutrientes da atmosfera • Solubilização da fracção mineral .

Ciclo do Fósforo Plantas Fosfato em solução Fosfato adsorvido Mineralização Húmus Imobilização Solubilização por Fungos (micorrizas) Fósforo mineral insolúvel .

Absorção de nutrientes num solo sem seres vivos .

Absorção de nutrientes num solo vivo .

8 % de K • 0.02 % a 0.Fracção mineral Um solo em média contém: • 0.2 a 4.15 % de P .

8 % de K • 0.02 % a 0.Fracção mineral Um solo em média contém: • 0.15 % de P Considerando 20 cm de solo: • 6 000 a 173 000 kg de K2O / ha • 1 400 a 10 400 kg de P2O5 / ha .2 a 4.

Organismos do solo Algumas funções: • Captação de nutrientes da atmosfera • Solubilização da fracção mineral • Diminuição da lexiviação de nutrientes .

Organismos do solo Algumas funções: • Captação de nutrientes da atmosfera • Solubilização da fracção mineral • Diminuição da lexiviação de nutrientes • Produção de quelatos .

Organismos do solo Algumas funções: • Captação de nutrientes da atmosfera • Solubilização da fracção mineral • Diminuição da lexiviação de nutrientes • Produção de quelatos • Produção de reguladores de crescimento. antibióticos etc. .

Organismos do solo Algumas funções: • Captação de nutrientes da atmosfera • Solubilização da fracção mineral • Diminuição da lexiviação de nutrientes • Produção de quelatos • Produção de reguladores de crescimento. antibióticos etc. • Alguns microrganismos protegem as plantas de pragas e doenças .

Influência da biologia do solo na protecção das plantas .

Influência da biologia do solo na protecção das plantas Está bem estudada a influência das micorrizas na protecção das plantas (barreira fisica e química) .

Influência da biologia do solo na protecção das plantas Mortalidade em pinheiros micorrizados e não micorrizados após inoculação com Fusarium (Amaranthus. 1999) Pinheiros não micorrizados % pinheiros mortos 90 % Pinheiros micorrizados com Rhizopogon 5% . M.

• Alguns microrganismos protegem as plantas de pragas e doenças • Aceleram a pedogénese . antibióticos etc.Organismos do solo Algumas funções: • Captação de nutrientes da atmosfera • Solubilização da fracção mineral • Diminuição da lexiviação de nutrientes • Produção de quelatos • Produção de reguladores de crescimento.

Organismos do solo Algumas funções: • Captação de nutrientes da atmosfera • Solubilização da fracção mineral • Diminuição da lexiviação de nutrientes • Produção de quelatos • Produção de reguladores de crescimento. • Alguns microrganismos protegem as plantas de pragas e doenças • Aceleram a pedogénese • Melhoram a estrutura do solo . antibióticos etc.

1ª Conclusão A biologia do solo é fundamental para a fertilidade do solo e para o crescimento das plantas (nutrição e protecção) .

biológica do solo • Utilização de pesticidas .Técnicas inibitórias da compon.

biológica do solo • Utilização de pesticidas • Utilização de adubos químicos solúveis .Técnicas inibitórias da compon.

Ciclo do Fósforo Plantas Fosfato em solução Fosfato adsorvido Mineralização Húmus Imobilização Solubilização por Fungos (micorrizas) Fósforo mineral insolúvel .

Técnicas inibitórias da compon. biológica do solo • Utilização de pesticidas • Utilização de adubos químicos solúveis • Lavouras profundas .

biológica do solo • Utilização de pesticidas • Utilização de adubos químicos solúveis • Lavouras profundas • Monocultura .Técnicas inibitórias da compon.

Outro componente importantíssimo do solo .

Matéria orgânica (húmus) .efeito no solo Características físicas • Agrega as partículas elementares • Afofa solos argilosos e dá corpo aos arenosos • Aumenta a estabilidade estrutural • Aumenta a permeabilidade (hídrica e gasosa) • Facilita a drenagem e as mobilizações • Reduz a erosão • Aumenta a capacidade de retenção de água .

efeito no solo Características químicas • Aumenta o poder tampão (pH) • Aumenta a CTC (húmus 5 x mais que argilas) • Teor de nutrientes .Matéria orgânica (húmus) .

Matéria orgânica (húmus) .efeito no solo Características biológicas • Estimula a actividade biológica (MO alimenta os mos) • Favorece a respiração das raízes • Contribui para o bom estado sanitário dos órgãos subterrâneos • CO2 libertado favorece a solubilização mineral .

Princípios da fertilidade / fertilização em AB • Alimentar o solo e não as plantas • Fornecer matéria orgânica ou estimular a sua produção no local (Composto – excelente) • Quando necessário adicionar fertilizantes minerais não directamente assimiláveis pelas plantas • Importância das rotações consociações (biodiversidade) • Não efectuar lavouras profundas .

Consequências deste modo de fertilização • Produtos agrícolas com teores mais baixos de nitratos • Produtos agrícolas com um valor nutricional mais elevado • Menos pragas e doenças • Menor dependência de fertilizantes (P e K recursos limitados) • Menos poluição (caso do azoto) .

Ciclo do Azoto N2 NOx Animais Plantas Atmosfera Terra Fixação Sínt. Industrial Bactérias Trovoadas Plantas Húmus NH4+ NO3Lexiviação .

Azoto • Consequências da duplicação pelo homem do fluxo natural de azoto – Aumento das perdas sob a forma de nitratos – Efeito de estufa (NO2) – Danos na camada do ozono (NO2) – Produção de ozono à superfície – Chuvas ácidas .

Consequências deste modo de fertilização • Melhor conservação do solo .

comparação Comparação de 2 quintas vizinhas durante 37 anos (1948-1985) (Reganold et al. .. Agric. Expl.Erosão do solo . Agric. Nature) Perda de solo Solo erosionado 21 cm 5 cm Expl. Biol. Convenc. 1988.

Conclusão A abordagem da fertilização em agricultura biológica é muito diferente da abordagem da agricultura convencional e resulta essencialmente na diferença da componente biológica do solo .

é uma solução que resolve vários problemas. do meu ponto de vista. mas que no futuro terá cada vez mais peso . actualmente é um nicho de mercado.Opinião A agricultura biológica.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful