You are on page 1of 31

ANTICRIOULO

Manifestação Linguística de Resistência Cultural

Cenário
• Pidginística - "é uma língua de emergência, que surge quando povos falantes de línguas mutuamente ininteligíveis entre si entram em contato estreito". Não é língua materna de ninguém - só é usada na situação de contato. • Crioulística - O crioulo é definido como "um pidgin que passou a ser a língua nativa de uma comunidade de falantes".

um continuum Basileto - Mesoleto - Acroleto “Língua Pura” Língua Relexificadora

- Semicrioulos - Descrioulização

RELEXIFICAÇÃO X REGRAMATICALIZAÇÃO .

• Intertwined languages (línguas entrelaçadas/ duomistas) . no léxico e na gramática. léxico de uma fonte e gramática de outra. apenas no nível da gramática.CRIOULO • Mescla linguística – Mescla intracomunidade – Mescla intercomunidade 1) 2) 3) 4) apenas no nível do léxico.

Léxico do Superstrato e Gramática do Substrato .

Características dos Crioulos LL + LS → PIDGIN INSTÁVEL CRIOULO CRIOULIZAÇÃO PIDGIN ESTÁVEL .

Características principais da situação de contato que dá lugar aos crioulos: • multilinguismo: contato estreito e continuado entre falantes de LL e de LS. • em geral LL fornece o essencial do léxico enquanto que LS fornece pelo menos parte da gramática. depois de formado. . • em alguns casos. o crioulo sofre um processo de descrioulização. o pidgin ou até mesmo o próprio crioulo pode ser relexificado por uma língua diferente da que lhe deu origem. • em geral o contato se dá no território de LS ou em outro que não seja nem de LL e nem de LS. • na maioria das vezes.

Comunitarização L P T MODELO DE COMUNIDADE .

LL + LS LL + LS LL + LS LL + LS T1 T2 T3 T1 T2 .

….crioulização {PL2..PLn} ↑↓ TIC > EIC > ECC > CRIOULO (MCI) {PL1} descrioulização . PL3.

Tipos de sociedades crioulas • • • • Sociedade de habitação Sociedade de plantação Sociedade de fortaleza Sociedade de quilombos .

ANTICRIOULO CRIOULO léxico gramática Relexificação LÍNGUA DE SUPERSTRATO LÍNGUA DE SUBSTRATO gramática ANTICRIOULO léxico Regramaticalização .

Semelhanças • Resultado do contato de povos e suas respectivas diferentes línguas. • Línguas mistas .

• Regramaticalização .Características Linguísticas • Vocábulário da língua de substrato (dominada) usado com a gramática da língua de superstrato (dominante envolvente).

Características sócio-culturais • Resistência Cultural • Território dos falantes de anticrioulo .

LL + LS LL + LS LL + LS LL + LS T1 T2 T3 T1 T2 .

Características sócio-culturais • • • • • Resistência Cultural Território dos falantes de anticrioulo Glototanásia Situação de bilinguismo / multilinguismo Gradualismo .

Anticrioulo e Antilíngua • Semelhanças – Línguas mistas – Símbolo de identidade do grupo – Sigilo de mensagens – Bilinguismo .

Anticrioulo e Antilíngua • Diferenças: – Posição diante da sociedade – Artificial X natural – Língua não-materna – Dinâmica da língua – Formas específicas – Parcialidade .

compreender ’ .Exemplos de Antilinguas • Dread Talk – DT – rastafari jamaicano – Categoria I: entram formas já existentes no crioulo jamaicano com novo significado • Burn ‘fumar canja’ • Bad ‘legal’ • Cool ‘fique frio’ – Categoria II: Suprimi-se a arbitrariedade do signo • Oppress → downpress ‘oprimir ’ • Understand → higherstand ‘entender.

ego) • I-man (<I + man) ‘eu. de ‘I’ (eu. nós’ • I-nana (<I + banana) ‘banana’ – Categoria IV: genuinamente criações novas • Dunny • Backative ‘dinheiro’ ‘estamina.Exemplos de Antilinguas • Dread Talk – DT – rastafari jamaicano – Categoria III: são palavras [ay]. força’ . me.

Exemplos de Antilinguas • Cafuzo • Callahuaya • Pachuco .

ANTICRIOULO • Principais características: – Resultado do contato de dois povos (dominante e dominado) – Desenvolve-se no território do povo dominante (endógeno ou exógeno) – A língua do povo dominado está em um processo de glototanásia – Resistência cultural – Perda da língua original lenta e gradual – Léxico da língua dominada + gramática da língua dominante .

Conceito muito amplo. 1996) 1o. 2o. Considera-se um conceito “antigo” . Anticrioulo é baseia em uma concepção ‘simplista’ de crioulo. 3o.A legitimidade do conceito Anticrioulo Críticas (Petter. Que o conceito ‘anticrioulo’ seria desnecessário. 4o.

3o.A legitimidade do conceito Anticrioulo Comentários de Parkvall e Huber 1o. Que os falantes de crioulos vêem na língua de superstrato um alvo linguistico. O termo anticrioulo sugere sistemas autônomos 5o. . 4o. Que há “apenas influência lexical” da língua dominada. 2o. O termo ‘anti’. A quantidade do léxico da língua dominada.

literatura oral. artesanato. antroponímia .Anticrioulos Culturais .Comida (prato e ingredientes). música (letra e instrumentos). religião.

exTchecoslováquia. ex-Iugoslávia. Áustria) . Eslovênia.Estudo de caso • A língua dos ciganos – Dialetos conservadores (Hungria.

Finlândia. Noruega. Armênia. Pérsia .• Variedades mistas (anti-crioulizadas) • (Grã-Bretanha) Romani britânico Forma quase desaparecida Anticrioulo anglo-romani basiletal Jaw te puches tire phenya Jaw ta puch tiri pen Jal and puch tuti’s pen Diferentes graus de obsolescencia do anticrioulo Jal and putch your pen Go and putch your pen Go and ask your pen • Portugal.

1992) – Saída por volta do século V – Chegada na Europa – meados da Idade Média • Chegada dos ciganos no Brasil – romanês .‘roma’ (kalderash) – calons .• Origem e percurso dos ciganos – Índia (Hancock.

Grã-Bretanha.– Comunidades de ex-quilombos no Brasil • Cafundó. … • Comunidades ameríndias – Povo Pataxó – Nordeste brasileiro • Os Sheltas – Nômades irlandeses (Escócia. São João da Chapada. Calunga. Estados Unidos). .