PRINCÍPIOS ADMINISTRATIVOS

1.CONSIDERAÇÕES INICIAIS

1.1. Princípios expressos e implícitos ..................................................................... 07 1.2. Colisão entre princípios ......................................................................................... 09 1.3. Princípios Básicos .............................................................................................. 10 2. Princípios constitucionais expressos 2.1. Princípio da legalidade ........................................................................................... 10

Obrigatoriedade de realização de concurso público para ingresso em cargo ou emprego público (artigo 37. Sob o primeiro aspecto. Atos prejudiciais ao particular em razão de inimizade ou perseguição política. parentesco ou troca de favores. a saber: 1º) dever de tratamento isonômico a todos os administrados. Assim. II) A obrigatoriedade de realização de licitação pela Administração (artigo 37. fica vedado: Tratamento privilegiado a um ou alguns indivíduos em função de amizade. já que proporcionam igualdade de condições para todos os interessados. por exemplo.2.2. tem-se o princípio da impessoalidade como uma faceta do princípio da isonomia. 1º) Dever de Tratamento Isonômico a todos os administrados. XXI). 2º) imputação dos atos praticados pelos agentes públicos diretamente às pessoas jurídicas em que atuam. 3º) dever de sempre agir com o intuito de satisfazer o interesse público. Nesse caso. PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE Pode ser analisado sob vários aspectos distintos. . o princípio da impessoalidade impõe à Administração Pública a obrigação de conceder Tratamento Isonômico a todos os administrados que se encontrarem em idêntica situação jurídica. São exemplos clássicos de tal princípio.

2º) imputação dos atos praticados pelos agentes públicos diretamente às pessoas jurídicas em que atuam. .

da Constituição Federal de 1988: § 1º. artigo 37. 3º) dever de sempre agir com o intuito de satisfazer o interesse público. que estará prevista em lei. é necessário que se observe também a finalidade específica de todo ato praticado pela Administração. obras. Em sentido estrito. a finalidade dos atos editados pela Administração Pública sempre será a satisfação imediata do interesse público. do § 1º. dela não podendo constar nomes. serviços e campanhas dos órgãos públicos deverão ter caráter educativo. . não poderão ser utilizados para a promoção pessoal de quem quer que seja. informativo ou de orientação social. o princípio da impessoalidade determina que os atos praticados pela Administração Pública não podem ser utilizados para a promoção pessoal do agente público. o princípio da impessoalidade pode ser estudado como uma aplicação do princípio da finalidade. Em sentido amplo. pois o objetivo maior da Administração deve ser sempre a satisfação do interesse público. mandamento expresso na segunda parte. A publicidade dos atos. símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos. programas. Sob um terceiro aspecto. portanto.Em relação ao segundo aspecto. A finalidade deve ser observada tanto em sentido amplo quanto em sentido estrito. Os atos praticados pelos agentes públicos devem ser imputados à entidade política ou administrativa às quais se encontram vinculados.

em alguns casos. é possível concluir que quando um ato administrativo de remoção for editado com o objetivo de “punir” um servidor faltoso. do mesmo ato de remoção de servidor? Suprir a carência de servidores em outra localidade. Apesar de a Administração ter por objetivo alcançar o interesse público. Outra pergunta: E qual seria a finalidade. já que a remoção não é uma das hipóteses de penalidade que podem ser aplicadas ao servidor público. em sentido estrito. Assim. estará sendo violado o PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE.Pergunta: Qual é a finalidade em sentido amplo. na permissão de uso de um certo bem público (quando o Município. por exemplo. o interesse público também será atendido. assim como todo e qualquer ato editado pela Administração. poderão ser editados atos com o objetivo de satisfazer o interesse particular. mesmo que secundariamente. O que não se admite é que um ato administrativo seja editado para satisfazer exclusivamente o interesse particular . Nesse caso. de um ato administrativo de remoção de servidor? Satisfazer o interesse público. por exemplo. é válido ressaltar que. permite ao particular a possibilidade de utilizar uma loja do Mercado municipal para montar o seu estabelecimento comercial).

................... Princípio da moralidade ................ Princípios implícitos 3........3......... 21 2....................................................................... 29 ........................5............... Princípio da supremacia do interesse público sobre o privado .... 17 2............2.......................3.................................................. Princípio da razoabilidade e da proporcionalidade .........1........................................ Princípio da indisponibilidade do interesse público ...4............. Princípio da eficiência ..................... 24 3..................................... Princípio da publicidade ..... 27 3...........................................................2................... 25 3......................

.........................8.... Princípio da tutela ........................ 36 3.................................4.............................................................................. 34 3........................................................ 32 3...7.......6......................... Princípio da segurança jurídica ........9...... Princípio da autotutela ...... 30 3...... Princípio da especialidade ........... 33 3................... Princípio da continuidade dos serviços públicos ...............3...5.............................. Princípio da motivação ..............................................