Avaliando Distâncias na Educação

Romero Tori
Universidade de São Paulo – Escola Politécnica InterLab - Laboratório de Tecnologias Interativas tori@acm org

Resumo Com a tendência de se convergir Educação a Distância e Educação Convencional tais denominações começam a ficar ultrapassadas. O conceito de Educação Virtual Interativa (EVI ! "ue mescla os pontos positivos das duas modalidades! reflete mel#or o "ue se espera da Educação do $uturo. E para se mensurar e comparar o grau efetivo de distância educacional em%utida em determinada atividade de aprendi&agem em cursos de EVI ' proposta uma m'trica! "ue se %aseia na an(lise de três tipos de distância (espacial! temporal e interativa e três tipos de relações (aluno)*rofessor! aluno)+luno e aluno),aterial . Palavras-chave: Educação a Distância! Educação Virtual Interativa! -ecnologia na Educação 1. Introdução Todo educador !ue trabal"a com Educa#ão a $ist%ncia sabe da im&ort%ncia de se ter momentos &resenciais durante um curso virtual' sendo !ue muitos cursos a dist%ncia () &rev*em em seu &rograma algumas reuni+es com &resen#a ,-sica dos &artici&antes Por outro lado' os educadores envolvidos com cursos baseados em salas de aula reais v*m descobrindo as vantagens de se utili.ar recursos virtuais &ara a&oiar e com&lementar as atividades de a&rendi.agem &resenciais / evolu#ão natural dessas tend*ncias deve se dar no sentido de se obter uma combina#ão ade!uada de atividades remotas e locais' tirando-se &roveito dos &ontos ,ortes de cada uma delas e articulando-as em uma &ro&or#ão com&at-vel com as caracter-sticas do &0blico-alvo e dos ob(etivos de cada curso Ser)' &ortanto' cada ve. mais di,-cil se encontrar bons cursos !ue se(am totalmente a dist%ncia ou totalmente baseados na &resen#a ,-sica 1om a converg*ncia entre Educa#ão a $ist%ncia e Educa#ão 1onvencional 2T/IT' 34445 surgem novos desa,ios &ara os teóricos da educa#ão En!uanto t-n"amos uma se&ara#ão clara entre 6cursos convencionais7 e 6cursos a dist%ncia7 não sent-amos a necessidade de se avaliar a 6dosagem de dist%ncia7 &resente na 6,órmula7 de cada curso 8as &ara com&ararmos &ro(etos &edagógicos !ue mesclam essas duas modalidades &recisaremos de critérios !ue &ossibilitem caracteri.)-los !uanto ao grau de dist%ncia e,etiva nas atividades de a&rendi.agem

agem !uanto cursos &or corres&ond*ncia e laboratórios virtuais de imersão total Em 2.essor' aluno e seus colegas' e aluno e materiais de estudo Guando' durante o &rocesso de ensinoFa&rendi.ica#ão do conceito de 6dist%ncia7' sob a &ers&ectiva dos envolvidos em atividades de ensinoFa&rendi.-sico' a atividade é dita local ou cont-gua Guando ") uma se&ara#ão es&acial' se(a entre o a&rendi.agem não é a dist%ncia .a como &ar%metro a sensa#ão de dist%ncia em lugar das dist%ncias es&aciais envolvidas Essa métrica o.-sica real entre aluno e &ro.2 / dist%ncia na educa#ão' além de relativa' &ode ser vista sob di.em vantagem alguma do &onto de vista &edagógico / .es se es!uece !ue o !ue se deve alme(ar é a elimina#ão das dist%ncias' uma ve. e seus ob(etos de estudo' o &rocesso é dito remoto ou a dist%ncia E9em&los de a&rendi. !ue essas &or si só não tra. e demais a&rendi.erentes en.1.agem' e !ue utili.essor' tutor' orientador' mentor etc E' !ue &ode até mesmo não e9istir' se(a entre a&rendi.ere As dist%ncias aluno-aluno e aluno- .essor Cse se&arados &or !uilDmetros ou metrosE' mas sim a e.erentes de a&rendi.inir o !ue vem a ser $ISTB=1I/ na educa#ão : !ue im&orta em um &rocesso de ensino-a&rendi.EE</=' 344>5 e 2SI8:=S:=' ?@@@5' &ara citar dois e9em&los' são a&resentadas diversas de.ada &ara designar .agem / dist%ncia &ode ser analisada se&aradamente com rela#ão a aluno-&ro. Uma teoria para o conceito de Distância em Educação / e9&ressão 6Educa#ão a $ist%ncia7 vem sendo largamente utili.-sico real entre aluno e &ro.er*ncias' os telecursos' os treinamentos baseados em Heb e sistemas de auto-a&rendi. res&eito A rela#ão na ocu&a#ão do es&a#o . e o res&ons)vel &ela condu#ão do &rocesso C&ro.ini#+es &ara Educa#ão a $ist%ncia' das mais antigas As mais atuais / maioria dos autores' no entanto' evita tentar de. Este artigo a&resenta uma &ro&osta de métrica !ue &ossibilita uma avalia#ão numérica das dist%ncias em atividades de a&rendi.essores !ue se ter) um &ar%metro ade!uado de com&ara#ão : !ue realmente im&orta é a sensa#ão de dist%ncia &ercebida &elo a&rendi.ormas tão di.agem Tal classi.-sicaE di.agem' ") um com&artil"amento do mesmo es&a#o .im de au9iliar na com&reensão do &a&el da dist%ncia na educa#ão' é &ro&osta em 2T:RI' 34445' uma classi.es' ou se(a entre a&rendi.o!ues Um aluno interagindo online com um &ro.essor' aluno-aluno e aluno-material I &oss-vel' digamos' !ue se ten"a uma atividade local' no !ue se re. Tipos de distância Distância Espacial / dist%ncia es&acial Cou .erece um critério de com&ara#ão do e.essor remoto &ode se sentir mais &ró9imo de seu mestre do !ue se estivesse assistindo a uma aula local e9&ositiva' (unto com uma centena de outros colegas' todos im&ossibilitados de interagir ade!uadamente com o &ro.agem' inde&endentemente da &ro&or#ão entre real e virtual de cada um deles 2.agem remota são os cursos &or corres&ond*ncia' as v-deo e telecon.ica#ão' revista e a&rimorada' é e9&osta a seguir 2.alar em Educa#ão a $ist%ncia muitas ve.essor ou entre si /ssim' não é medindo-se a dist%ncia es&acial entre alunos e &ro.etiva sensa#ão de dist%ncia entre os &artici&antes /o se .etivo grau de distanciamento encontrado em &rocessos de a&rendi.

orma local ou remota' o &rocesso é dito s-ncrono Guando ") uma de.orma se este é o&eracionalmente ativo ou &assivo Guanto maior a interatividade do aluno menor é a dist%ncia o&eracional /ssim como nas classi.er*ncia ou videocon.essor' o !ual &assaria suas orienta#+es via a&ostila' v-deo ou telecon.er*ncia' !ue &odem ser entendidos como &resenciais a dist%ncia /lém disso' o termo &resencial não é ade!uado &ara a caracteri.a#ão da dist%ncia aluno-material Distância Temporal / dist%ncia tem&oral se re.3 material' e ao mesmo tem&o remota' no sentido da dist%ncia aluno-&ro.ica#+es das demais dist%ncias' ") K ti&os de dist%ncias interativasJ &ro.asagem signi.er*ncia ' c"at via internetE !uanto ass-ncrono Ce9em&loJ .essor-aluno C aula e9&ositiva L aula interativaEM aluno-material Cmaterial &assivo L material interativoEM aluno-aluno Ctrabal"o individual L trabal"o coo&erativoE 3.essores' ainda !ue se&arados .icativa entre a a#ão de um e a res&osta de outro Cacima dos &adr+es "umanamente aceit)veis &ara o estabelecimento de um di)logo ao vivoE temos um &rocesso ass-ncrono Em geral o &rocesso local é também s-ncrono' en!uanto !ue o remoto &ode ser tanto s-ncrono Ce9em&loJ video-con.-sica do &ro.órum de discussão via internet' ensino &or corres&ond*nciaE Distância Interativa / dist%ncia interativa' ou o&eracional' se relaciona diretamente A &artici&a#ão do aluno no &ocesso' e in.ica#ão C!uão distante' !uão interativo etc E $essa .essor' aluno-aluno e aluno-material' dentro de um &rocesso de ensino-a&rendi.isicamente Um e9em&lo seriam os cursos &or telecon.essor' aluno-aluno e aluno-materialE O &oss-veis combina#+es das dist%ncias es&acial' tem&oral e interativa' &ara as !uais são atribu-dos valores !ue vão de " Csem nen"uma dist%nciaE a # Ccom todos os ti&os de dis%nciaE CTabela 3E $oss%veis com&inaç'es de Distâncias Métrica Interativa Temporal Espacial Associada $eso 1 $eso ( $eso 2 .agem Guando ambas as &artes atuam simultaneamente' de .orma teremos' em tese' &ara cada uma das rela#+es Caluno-&ro.er*ncia Evita-se a!ui utili.ere A simultaneidade ou não das atividades !ue relacionam aluno-&ro.ar o temo 6&resencial7' em contra&osi#ão a 6a dist%ncia7' na classi.ica#ão das dist%ncias es&aciais na educa#ão : motivo é !ue é &oss-vel a &resen#a simult%nea de alunos e &ro.essor Um e9em&lo &r)tico !ue se en!uadraria nessa su&osi#ão seria uma aula de laboratório sem a &resen#a . Métrica para caracteri ação da distância em uma atividade de aprendi a!em Namos considerar a&enas duas &ossibilidades &ara cada ti&o de dist%ncia' ou se(a' a e9ist*ncia ou não da mesma' e ignorar a sua !uanti.

ada' em .un#ão das dist%ncias envolvidas' !uanto a cada uma das K .A-i.orte &ara a sensa#ão de &resen#a e !ue a dist%ncia es&acial deveria então ter o maior &eso =a verdade' !uando temos uma atividade reali.essor' aluno-aluno e aluno-materialE Para cada uma dessas . t.órmula geral a ser utili.inir !ual rela#ão ter) &eso maior Ce .agem Cuma aula' uma &alestra' uma e9&eri*ncia' um semin)rio etc E &ode ser caracteri.ormado &elos indicativos de e9ist*ncia Cbit P 3E ou não e9ist*ncia Cbit P @E das dist%ncias Interativa' Tem&oral e Es&acial' tomados nesta ordem Cve(a /&*ndice &ara maiores in.ormas &odemos associar uma métrica de dist%ncia con.ica-se !ue o critério adotado &ara se c"egar ao valor da métrica associada a cada combina#ão é de se considerar o valor do n0mero bin)rio de K bits .luenciar as demais dist%ncias' "avendo assim uma &artici&a#ão indireta nos outros &esos da métrica Uma atividade de a&rendi.lu*ncia na determina#ão da sensa#ão global de dist%ncia / .-sico é bastante .4 1 1 1 1 " " " " 1 1 " " 1 1 " " 1 " 1 " 1 " 1 " # ) * ( 3 2 1 " Ta&ela 1 – 1ombina#+es de dist%ncias C3 indica a ocorr*ncia da!uele ti&o de dist%nciaE :bservando-se a Tabela 3 veri.icar) mais a es!uerda na com&osi#ão do n0mero octalE Para essa com&osi#ão . e/ ondeJ .a#ão de recursos es&eciais &oderemos ter as tr*s dist%ncias sendo redu.inir um n0mero octal Cve(a /&*ndiceE !ue re&resente a dist%ncia global associada a uma determinada atividade Resta de.ada é entãoJ DAA + )( . e/ 0 M-i. t. t.essor' aluno-/luno' aluno-8aterialE' considerando-se ser essa a ordem decrescente de in.' deve ser maior !ue o da Es&acialidade C&eso 3E /lguém &oderia argumentar !ue o com&artil"amento de um mesmo es&a#o .ormas de relacionamento &oss-veis Caluno&ro.orme a&resentado na Tabela 3 Resta agora o estabelecimento de um critério &ara a combina#ão dos valores individuais de cada rela#ão' com&ondo-se um valor de dist%ncia global &ara a atividade 1omo a dist%ncia associada a cada rela#ão &ossui um valor !ue varia de @ a S' &odemos de.idas em uma atividade local' ou se(a' a e9ist*ncia ou não de dist%ncia es&acial &ode in. e/ 0 1 .orma#+es sobre o Sistema Qin)rio de =umera#ãoE / ordem adotada &ara atribui#ão dos &esos leva em considera#ão !ue o &eso da Interatividade C&eso RE deve ser maior !ue o da Tem&oralidade C&eso ?E !ue' &or sua ve. $-i.oi arbitrada a se!T*ncia P-/-8 Caluno-Pro.ada localmente é natural !ue ela se(a simultaneamente s-ncrona e interativa /ssim ' mesmo sem a utili.

icativo !ue a sim&les contigTidade .agem !ue o sincronismo !ue &or sua ve. A ou M Ne(amos um e9em&lo Uma atividade interativa na Internet' baseada em c"at' com a &resen#a de todos os alunos e do &ro.ica atividade s-ncrona e tanto a contigTidade .orma !ue o bit i ser) o mais signi. e / re&resenta um n0mero bin)rio de K bits' de tal .un#+es C$'A e ME é o valor do res&ectivo n0mero bin)rio ti2M - - . 1/ 0 M-1.". A e M : valor de cada .i.essor CPEJ es&acial .icativoE . t e e indicam as dist%ncias interativa' tem&oral e 2-sica' e &odem assumir os valores " Csem dist%nciaE ou 1 Ca dist%ncia ou ine9istenteE DAA $. $-".icativo' tendo &ortanto &eso R' o bit t ter) &eso ? e o bit e ser) o menos signi.-sica normalmente signi.-sicaM observa#ãoJ a contigTidade .ado no bit t eFou iM o valor de cada uma das . 1.$ist%ncia aluno-8aterial C8EJ dist%ncias P Ci' t' eE P P C@' @' 3E P 3 – só dist%ncia / Ci' t' eEP / C@' @' 3E P 3 – só 8 Ci' t' eEP 8 C3' 3' 3E P S – todas as DAA + )(.essor' aluno-Aluno e aluno-Material i.icativo' com &eso 3M o critério &ara se de.ica#ão de um curso como sendo a dist%ncia ou não' () !ue &raticamente toda atividade educacional' em maior ou menor grau' é a dist%ncia I até &oss-vel !ue um determinado curso virtual ven"a a receber um valor $// menor !ue outro em .1/ 0 1.un#ão CP' / ou 8E é obtido &elo seguinte c)lculoJ r . ". t. e/ + (i 0 2t 0 e onde r &ode ser $.lui mais na a&rendi.agem re&resentam res&ectivamente as dist%ncias nas rela#+es aluno$ro. t.5 Dist%ncia na Atividade de Ap rendi.-sica !uanto o sincronismo .icativo' e menos signi.ormato convencional' na tradicional sala de aula Resumindo' o método &ro&osto &ara se c"egar A métrica de dist%ncia global . 1/ + #3 / dist%ncia obtida C#3E deve ser com&arada com a dist%ncia m)9ima &oss-vel C*11/.oi de !ue a interatividade in.acilitam a interatividadeM mas !uando isso de .ato ocorrer ser) contabili. &ara !ue se &ossa avaliar o grau de dist%ncia e9istente distante nessa atividade =ote-se !ue' e9cetuando-se o caso ideal Cdist%ncia @E' !ual!uer outra atividade educacional ter)' &or esse critério' um certo grau de dist%ncia Logo &erde o sentido a classi.$ist%ncia aluno-/luno C/EJ dist%ncia es&acial .A-".$ist%ncia aluno-Pro. é mais signi.inir a ordem dos bits C i mais signi.i.oiJ considerar !ue a tri&la .essor' discutindo um te9to !ue todos leram &reviamente' teria a seguinte métrica de dist%nciaJ .

1. 1/ + #3  DAA4 + #3 5 *.agemM é &oss-vel' &or e9em&lo' termos dentro de um mesmo curso uma atividade de dist%ncia global .A-". 1 /+1 videocon.11 + 1*. Al!uns e6emplos São a&resentados a seguir CTabelas ?' K e RE' algumas métricas e e9em&los de &oss-veis atividades de a&rendi.11 Re&etindo o e9em&lo anteriormente a&resentadoJ &ara uma atividade interativa na internet' baseada em c"at' com a &resen#a de todos os alunos e do &ro. 1. ". 1 /+# curso &or corres&ond*ncia 1 1 " $ .6 o c)lculo do DAA considera $' A e M como d-gitos octais' nessa ordemM : critério &ara se de.".* /ssim temos &ara o e9em&lo em !uestão uma dist%ncia $//= de 3U'U em uma escala de 3@@ 3.inida como a média &onderada das dist%ncias das atividades de a&rendi.inir a ordem dos bits octais C $ mais sigi. " /+) 1 " 1 $ .inir a DAA 4ormali ada como sendoJ DAA4 + DAA 5 *. 1.1.ai9a de varia#ão entre @ e U33 &ode ser mais interessante uma escala de @ a 3@@ &ara a métrica $// /ssim &odemos de.1.er*ncia " 1 1 $ . ".".". " /+2 " " 1 $ .icativo' M menos signi.1/ 0 1.1.er*ncia " " " $ . " /+" aula convencional .essor Distância Aluno7Aluno -A/ .essor' os colegas e' &or 0ltimo' o material são nessa ordem os mais im&ortantes na sensa#ão de distanciamento &or &arte do aluno durante uma atividade educacional $eve ser notado !ue a métrica a!ui &ro&osta deve ser a&licada individualmente a cada atividade de a&rendi. 1.icativoE .oi considerar !ue o &ro. ".agem nele desenvolvidasM - 3.1.turma &e!uena Ta&ela 2 – e9em&los de dist%ncias !uanto A rela#ão aluno. 1/ 0 M-1.agem !ue corres&onderiam a tais métricas Distância Aluno7$ro2essor -$/ Interativa Temporal 8%sica 9alor E6emplo 1 1 1 $ . 1 /+* telecurso CbroadcastingE 1 " " $ .". ". ".1. 1 /+3 corres&ond*ncia com tutoria " 1 " $ . DAA 4ormali ada Em lugar de uma .".2. 1.ero e outra com dist%ncia U33M a dist%ncia associada a um determinado curso &oderia ser de. $-".essor' discutindo um te9to !ue todos leram &reviamente' ter-amosJ DAA + )(.$ro. " /+( con.

eren#as cognitivas e de estilo de a&rendi.es $i.endem a im&ort%ncia do ensino tradicional em sala de aula &or &ro&iciar conv-vio social' intera#ão entre os colegas' e deste com os . " /+) /&ostila' livro' v-deo 1 M . 1. 1 /+3 com controle ass-ncrono do e9&erimento Simuladores' Lab Nirtual' material Interativa Temporal 1 1 1 1 1 " 1 " " 1 " 1 " M . A conver!:ncia entre Educação 9irtual e .". ". 1 /+* telecon. 1. ".icilmente os e9tremos são as mel"ores solu#+es Um curso totalmente a dist%ncia tem muitos &roblemas' como a . 1.1. 1 /+1 monitora#ão e controle remotos em tem&o real " " " M .".". ". " /+" $in%mica local de gru&o Ta&ela 3 – e9em&los de dist%ncias !uanto A rela#ão aluno.orma#ão do ensino em lin"a de &rodu#ão' não atendimento As di. ". 1 /+* monitora#ão remota de dados em tem&o real " M . 1 /+# monitora#ão remota ass-ncrona de dados " M .". 1.1.7 Interativa Temporal 8%sica 9alor E6emplo 1 1 1 A .1. " /+2 "i&ermidi)tico " " 1 M .ado' trans. " /+2 Lab livre com comunica#ão entre alunos " " 1 A . 1 /+3 Vórum na Internet " 1 " A .". 1 /+# curso individual 1 1 " A . " /+( con.1.Material (.1.1. " /+( E9&eri*ncia de laboratório e9&ositiva e ao vivo monitora#ão remota ass-ncrona de dados 1 M .alta de relacionamento inter&essoal' isolamento' desmotiva#ão' altos -ndices de abandono 8as um curso totalmente local também &ossui seus &ontos . 1 /+1 1"at na Internet " " " A .or necess)ria &ara !ue os ob(etivos de a&rendi. 1. 1. 1. ".". 1.er*ncia 1 " " A .1.".er*ncia " 1 1 A .". " /+" E9&eri*ncia de laboratório desenvolvida ao vivo Ta&ela ( – e9em&los de dist%ncias !uanto A rela#ão aluno.ar a dist%ncia global &ercebida &elos a&rendi. ".1. ".agem se(am atingidos com !ualidade' sem&re &rocurando minimi.agem dos alunos' ou' !uando todos os &roblemas anteriores são resolvidos' altos custos /lguns autores de.onvenciona l Uma das vantagens de se utili.ar o conceito de Educa#ão Nirtual Interativa CENIE em lugar de Educa#ão a $ist%ncia CE/$E é não ser necess)rio rotular um determinado curso como sendo a dist%ncia' &resencial' não &resencial' semi&resencial' local' convencional' tradicional ou outra denomina#ão !ue vincula métodos e técnicas educacionais ao nome do curso Um bom curso deve lan#ar mão de toda e !ual!uer metodologia ou tecnologia !ue .racos' como tem&o &erdido em locomo#+es dos envolvidos' di.iculdade de se ter atendimento &ersonali. ". " /+) Laboratório de uso livre 1 " 1 A .Aluno Distância Aluno7Material -M/ 8%sica 9alor E6emplo 1 M .

bastante a necessidade dos momentos de &resen#a .-sica e se a&roveita muito mais os momentos de &resen#a virtual *.essor deve se dedicar a elaborar materiais virtuais e interativos' a &artici&ar com seus alunos de .ar os momentos em !ue os alunos se encontram .ar ao aluno todo o conte0do do curso online Em lugar de se ter alunos &assivos !ue mal &odem conversar durante a aula' devemos desenvolver trabal"os e discuss+es em gru&o' semin)rios e outras atividades de integra#ão Em lugar de .icar re&etindo a mesma aula v)rias ve.ados &or mesclarem atividades locais e remotas' a&roveitando o !ue ") de mel"or em cada uma delas em .es o &ro.orma a&ressada os tó&icos da &es!uisa e só voltem a conversar sobre o assunto no dia da entrega' !uando (untam os &eda#os !ue .erentes entre atividades virtuais e locais' com alguns cursos sendo &redominantemente a dist%ncia Ces&acialE e outros com mais *n.onclusão Este artigo a&resentou uma &ro&osta de métrica !ue &ossibilita avaliar o grau de dist%ncia e.uturoJ um misto de atividades locais com atividades virtuais Em lugar de se ter um &ro.essor' e os momentos virtuais &ara atividades !ue e9igem concentra#ão Se os momentos &resenciais .oram desenvolvidos individualmente sem !ue um tome con"ecimento do trabal"o do outro 1omo mel"orar tanto os cursos a dist%ncia !uanto os convencionais W Pegando o !ue ") de bom em cada um e convergindo &ara o !ue deve ser a educa#ão no .un#ão das necessidades e ob(etivos de cada atividade &edagógica . .essor escrevendo matéria na lousa' ou a&resentando trans&ar*ncias' &odemos dis&onibili.8 &ro.ase nas atividades locais 8as &oucos deverão ser os cursos !ue se situarão nos e9tremos Também não "aver) muita di.isicamente &resentes &ara desenvolver atividades !ue &rivilegiem a intera#ão aluno-aluno e aluno-&ro.óruns de discussão e a &restar esclarecimentos de d0vidas e orienta#+es 1om a converg*ncia entre educa#ão virtual e convencional' teremos com&osi#+es di.essor Em algumas institui#+es de ensino tradicionais' é comum !ue nos trabal"os em gru&o os colegas dividam de .etiva de uma atividade de a&rendi.orem bem a&roveitados' os alunos se con"ecerão mel"or e interagirão mais e mel"or no es&a#o virtual' o mesmo ocorrendo na rela#ão aluno-&ro.essor' aluno-/luno e aluno-8aterial 1om esse instrumento de !uanti.es os alunos não &odem nem mesmo conversar entre si durante toda a aula e mal interagem com o &ro.ica#ão torna-se vi)vel avaliar e com&arar' em termos de dist%ncia na educa#ão' cursos de Educa#ão Nirtual Interativa CENIE :s cursos de ENI são caracteri.erencia#ão entre laboratório' sala de aula e resid*ncia do aluno' !ue &oder) desenvolver muitas atividades acessando a rede a &artir de um e!ui&amento &ort)til : segredo de um bom curso ser) utili.essores' entre outro as&ectos relacionados A intelig*ncia emocional 8as nem sem&re essas intera#+es ocorrem nas salas de aula 8uitas ve.essor /ssim se redu.agem Essa dist%ncia é calculada levando-se em considera#ão as rela#+es aluno-Pro.

orm)tica – HEI 44 Rio de [aneiro' R[' ?U a ?S de agosto de 3444 /nais' && UO3-U4@ CPR:$-@R?E .onventional Education. Routledge K ed =eX YorZ 344> SI8:=S:=' 8 et /l Teac?in! and @earnin! at a Distance 8erril CPrentice \allE =eX [erse] ?@@@ .ursos de In2orm>tica NII HorZs"o& sobre Educa#ão em In.EE</=' $ 8oundations o2 Distance Education.9 <e2er:ncia =i&lio!r>2ica T/IT' / M 8ILLS' R T?e . Routledge 3st ed =eX YorZ 3444 T:RI' R M VERREIR/' 8 / < N Educação sem Distância em .onver!ence o2 Distance and .

a a&enas dois d-gitos C@ e 3E &ara re&resentar !ual!uer n0mero' em lugar dos 3@ d-gitos C@ a 4E em&regados &ela base 3@ convencional Este sistema é utili.a d-gitos de @ a S' alterando-se o . digitE : &rinc-&io de re&resenta#ão de um n0mero em bin)rio é o mesmo da base 3@' com a di.eren#a !ue nesta base o valor relativo de cada d-gito é multi&licado &or 3@ a cada deslocamento &ara a es!uerda' en!uanto !ue na base ? o d-gito deve ser multi&licado &or ? a cada deslocamento a es!uerda Nale a mesma regra &ara a base O C:ctalE' !ue utili.a#ão =a )rea de com&uta#ão cada d-gito bin)rio é denominado bit Ccontra#ão das &alavras inglesas %inar.10 Ap:ndice A Bs Cistema =in>rio e Bctal de 4umeração : sistema bin)rio de numera#ão utili.ator de multi&lica#ão &ara O E9em&losJ =0mero KS4 na Qase 3@ =0mero  Pesos Nalores  3 # ^ 3@ S@ 3 ^ 3 4 ^ 3@@  relativos K@@ =0mero 33@ na Qase ? C> na base =0mero  3@E Pesos Nalores   relativos 1 ^ R R 1 ^ ? ? " ^ 3 @ =0mero ?SU na Qase O C3O4 na =0mero  base 3@E Pesos Nalores  2 # ^ O U> * ^ 3 U ^ >R  relativos 3?O / tabela abai9o a&resenta os n0meros de @ a 3U em suas res&ectivas re&resenta#+es em bin)rio e octal =in>rio 1 ( 2 1 @ @ @ @ @ @ @ 3 Bctal 1 1 @ @ @ 3 9alor =in>rio 1 ( 2 1 3 @ @ @ 3 @ @ 3 Bctal 1 1 3 @ 3 3 9alor Pesos  @ 3 O 4 .icar bastante o &rocesso de c)lculo e os circuitos necess)rios &ara sua reali.ado &elos sistemas com&utacionais &or sim&li.

11 @ @ @ @ @ 3 @ 3 @ @ 3 3 @ 3 @ @ 3 3 3 3 @ @ 3 3 @ ? @ K @ R @ U @ > @ S ? K R U > S 3 @ @ 3 @ 3 3 3 @ 3 3 3 3 3 @ 3 3 3 3 3 @ @ 3 3 3 ? 3 K 3 R 3 U 3 > 3 S 3@ 33 3? 3K 3R 3U .