You are on page 1of 7

DIREITO FALIMENTAR – PROFA. ELIZABETH AULA 06 DE FEVEREIRO 1. Lei 11.

101/2005: busca a recuperação da empresa (judicial ou extrajudicial) ou decretar a falência. Foco em empresas viáveis no caso de recuperação; não sendo viável a empresa, decreta-se a falência. 2. Recuperação da empresa: fruto de uma crise, que pode ser: * econômica (* generalizada; * específica; * segmentada); * financeira (falta de capital de giro; passivo superior ao ativo); * patrimonial (insolvência – insuficiência de bens para solver o passivo). 3. Direito: traz mecanismos jurídicos de recuperação da empresa. 4. Histórico da recuperação de empresas: surge nos EUA, em 1934 – atenuar os danos causados pela crise de 1929. Na França, surge em 1967, com reformas em 1985 e 1995; na Itália, em 1970, temos a administração extraordinária; na Espanha, em 1992; e no Brasil, em 2005. 5. Reforma do Direito Falimentar: duas frentes: * combater o desemprego; * retomar o desenvolvimento econômico.

AULA 13 DE FEVEREIRO JORGE LOBO: “a recuperação é a meta e liquidação, a alternativa”. 1. FUNÇÃO SOCIAL DA EMPRESA: preservação da empresa (manutenção da fonte produtiva). 2. PRINCIPAIS ALTERAÇÕES DA LEI 11.101/05:  Concordata: recuperação judicial é mais célere, mas deve-se atentar para a viabilidade da empresa.   Pedido de falência: valor da dívida superior a 40 salários mínimos (critério objetivo). Venda dos bens do falido de imediato (e não após a verificação dos créditos e investigação dos crimes falimentares).  Escolha da melhor forma e modalidade de venda – cabe ao juiz (e não o administrador judicial).

3. PRINCÍPIOS DO DIREITO FALIMENTAR (TEXTO 1) AULA 20 DE FEVEREIRO 1.5. 4. Assembleia Geral de Credores. Verificação dos créditos.3. .3. Comitê de credores. 3. Legitimação – Art. 6º. 2º: 4. falência é decretada (áudio 1hora e 3 minutos) 3. 3.4. Sociedades não empresárias (inclusive as simples). 4. 83. Altera-se a ordem de classificação dos credores – ART. 3.1. DISPOSIÇÕES COMUNS À FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS 3.   Administrador judicial (maior autonomia) e não mais o síndico. 2. TEXTO 2 (DIFERENCIAÇÃO ENTRE FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO JUDICIAL). 4. desobediência à lei ou ameaça de lesão ao interesse público. § 8º).1.2. Sociedades empresárias: Empresários individuais: 4. 3. 1º: 3. Recuperação extrajudicial: é homologada. Instituições financeiras públicas e privadas c/c Art. 197-199 (exclusão relativa – Banco Central que pode solicitar a falência.2.2.1.6. Administrador judicial. 3. e não o devedor). MP: só interfere se houver indício de crime. Empresas públicas e as sociedades de economia mista. 3. Suspensão das ações e execuções (ressalvadas as suas peculiaridades). Regras sobre competência e prevenção de juízo (art. Sociedades excluídas – Art.

7º: 10. 7. 5º. mas sim onde acontece o maior volume de operações. ANÁLISE DO ART.4. 2º (empresa pública e sociedade de economia mista).-Lei 73/66 – liquidação compulsória).5. 5. EXCLUSÃO RELATIVA da aplicação da Lei: inciso II do Art.3. 8.1.2. 9.4. Sociedades seguradoras (procedimento específico: Dec. Sede: contratual ou estatutária → é irrelevante. 10. A centralidade gira em torno de onde ocorre o maior volume de operações. 7.2. COMPETÊNCIA JUDICIAL – ART.1.2. 2º. Principal estabelecimento? Não necessariamente é a sede da empresa. 4. ANÁLISE DO ART.5. CREDORES EXCLUÍDOS: hipóteses do Art. LC 109/2001 – art. §4º: se a recuperação já houver sido concedida? Corre nos próprios autos. 3º: 7. . 9. Verificação dos créditos. §8º: prevenção. §1º: Edital (15 dias para habilitação ou divergência).4. 7.656/98.1. 73). 9. §6º: comunicação sobre eventuais ações. Juízo da falência: atrai todas as ações. 10. 6. Sociedades operadoras de plano de saúde (Lei 9. EXCLUSÃO ABSOLUTA da aplicação da Lei: inciso I do Art. 9. 6º: 9. Prescrição? §2º: direitos trabalhistas são indisponíveis.3. 9.

11. Da função social da empresa.5.2.2. ART. Princípios que fundamentam a medida: 2. 11.101/2005. 12. Ausência de condenação em crime previsto na Lei N. Requisitos para recuperação judicial: 3. Da preservação da empresa.1. 3. 1. 3. §2º: publicação da relação de credores – 45 dias após o prazo de 15 dias para habilitação ou divergência. 3.1. Não ter obtido recuperação judicial especial (da micro e pequena empresa) há menos de 8 anos. 2.1. É dirigida ao juiz. 8º: IMPUGNAÇÃO contra RELAÇÃO DE CREDORES. Finalidade: 1.10.5.1. Do estímulo à atividade econômica. 2. 10: habilitação retardatária. 3.2.3. AULA 27 DE FEVEREIRO (FALTA) AULA 06 DE MARÇO AULA 13 DE MARÇO RECUPERAÇÃO JUDICIAL (art. . Execução do plano.4. Mediata: salvar a atividade empresarial em risco.2. 3. Processamento da recuperação.3. Não ter obtido recuperação judicial há menos de 5 anos. 3.5. 1.3. 2. Ser empresário. ART. Duas fases: 3. 47). Imediata: satisfação dos credores.

1. 48. 5.3. Obsta a recuperação judicial – art.5.8. Devedor.2. Realiza atos de administração.8. Bem objeto de venda com reserva de domínio. Administração controlada: * juiz. 5. Exceções: 3. ENCERRAMENTO DA RECUPERAÇÃO: duas formas: 1. 64. 3. Adiantamento de contrato de câmbio para exportação (recuperando devedor).8. Situação do empresário devedor: 4.6. Afastamento: hipóteses art. Art.4. * Comitê.1. Relativo a arrendamento mercantil.5. Créditos fiscais. ainda que não vencidos. Crédito – credor fiduciário (bens móveis e imóveis). Legitimação ativa: 5.3.4. Herdeiros. relatório (15 dias): dissolução dos órgãos auxiliares – comunicação à Junta Comercial (estava averbado que a empresa estava em recuperação judicial). Cumprimento do plano (2 anos): juiz profere a sentença de encerramento – quitação de honorários. Cônjuge (do falecido).4. 3. Não perde a posse dos bens.7. 4. 4. 3. 3. Inventariante.2. 5. 49 da LRE: todos os créditos existentes na data do pedido.2. custas. 3.3.1. 4. Sócio remanescente de sociedade desfeita.8. 5.3.8. 4. AULAS 20 E 27 DE MARÇO 1. 5.5.1. 4. .8. Legitimação: atuar em juízo. 3.

. 2.1.2. CONDIÇÃO JURÍDICA DA DEVEDORA: retorna à condição jurídica que tinha antes da recuperação. SEMINÁRIO DE REVISÃO. Decorre do pedido de desistência da devedora (a qualquer tempo e sujeito à aprovação pela Assembleia Geral de Credores). 3.

0 ponto). .2º BIMESTRE AULA 24 DE ABRIL ATIVIDADE: resume de recuperação extrajudicial (até 1. VALE ESTÁGIO. 2 laudas.