Blog da MÉDITT

TUDO O QUE VOCÊ GOSTARIA DE SABER
SOBRE ANESTESIA.
1. O que é Anestesia?
- A anestesia é o estado de total ausência da dor e de outras sensações durante uma operação, exame
diagnóstico ou curativo.
Ela pode ser GERAL, isto é, para o corpo todo; ou PARCIAL, também chamada de regional, quando
apenas uma região do corpo é anestesiada. Sob o efeito de uma anesesia geral, você dorme. Com a
anestesia parcial (REGIONAL) você pode ficar dormindo ou acordado, conforme a conveniência, embora
parte do seu corpo fique anestesiada.
2. O que é Anestesista ou Anestesiologista?
- São Médicos Especialistas que cursaram seis anos em uma Faculdade de Medicina e mais dois ou três
anos de curso, no mínimo, de especialização reconhecida pela Sociedade Brasileira de Anestesiologia.
3. Que tipos de Anestésicos são usados?
- Existem diversos tipos de anestésicos gerais e locais.
Os anestésicos LOCAIS são depositados próximos aos nervos, enquanto os anestésicos GERAIS são
administrados pela via venosa (Veia – por um acesso onde conectamos um soro para sua hidratação) ou
através da sua respiração (anestesia inalatória ou o conhecido “cheirinho”).
Todos proporcionam anestesias adequadas.
A escolha do anestésico varia com o tempo e tipo de cirurgia, com as suas condições físicas e emocionais.
Depois de conhecê-lo, avaliar seus exames pré-operatórios, saber a cirurgia proposta, o Anestesiologista
indicará a melhor opção.
4. Existe o termo “Anestesia Fraca”?
- Nos procedimentos que não requerem internação hospitalar e que são chamados de ambulatoriais
requerem os mesmos cuidados às cirurgias e exames mais complexos. NÃO existe anestesia “fraca” ou “em
menor quantidade”. Os cuidados são os mesmos, antes e depois da anestesia.
5. Quais os tipos principais de Anestesia?
I – ANESTESIA GERAL: O paciente fica totalmente inconsciente sem percepção ao procedimento, seja ele
cirúrgico ou exame.
II – SEDACAO: A consciência fica alterada, induzida por medicamentos, no caso sedativos, podendo o
paciente estar em vários níveis, desde acordado e tranqüilo ate em uma sonolência profunda, podendo
receber anestesia local e/ou medicamentos analgésicos.
III – ANESTESIA REGIONAL: É um procedimento anestésico no qual o Médico Anestesiologista injeta a
medicação anestésica próximo a um nervo ou feixe de nervos. O paciente poderá permanecer acordado ou
receber um sedativo.
• Raquianestesia: Ou a tão famosa “raqui” – o paciente fica sentado ou deitado em posição lateral, é
realizada uma punção com uma agulha fina na região lombar até localizar o líquido cefalorraquidiano (que
envolve a medula espinhal). Nesta região é injetada a medicação anestésica levando a perda da sensibilidade
dolorosa, tato e o movimento das pernas.
• Peridural: A técnica é semelhante a raquianestesia, porem a agulha é introduzida mais superficialmente, o
calibre da agulha é um pouco maior e a quantidade de medicação anestésica também é maior. A
sensibilidade dolorosa desaparece juntamente com o movimento das pernas, mas o tato normalmente é
preservado, dando ao paciente a falsa impressão de que sente alguma dor.
• Local: É aplicada a medicação anestésica no local (pele ou tecido próximo). Muito realizada em punções
com agulhas (mama – nódulos, Ultrassonografia, angiografia). Pode ser ou não acompanhada de sedação.
6. Vou ser Intubado?
- Na grande maioria dos procedimentos onde se necessita anestesia geral, o paciente tem que ser intubado.
É utilizado um tubo apropriado que é introduzido pela boca até a traquéia. Todas estas manobras são
realizadas com o paciente dormindo.
Caso ocorra alguma dificuldade na hora da intubação, o médico anestesiologista conta com protocolos para
tratar o problema como também aparelhos específicos. Próteses, dentaduras e dentes amolecidos podem
afetar durante a laringoscopia para a intubação traqueal. Informe ao seu anestesiologista sobre as condições
de seus dentes e da sua boca.
7. Quem aplica a Anestesia?
- A Anestesia é aplicada por Médicos Especialistas, Médicos Anestesiologistas.
Estes Médicos não só aplicam anestesia, como também cuidam de você durante toda a cirurgia e além dela.
Controlam a sua Pressão Arterial, Pulso, Ritmo Cardíaco, Respiração, Temperatura e outras funções
orgânicas de suma importância.
Cuidam de tudo para que você esteja sem sofrimento, sentindo-se seguro e para que o cirurgião possa fazer
o trabalho com tranqüilidade.
O Anestesiologista é o verdadeiro guardião da sua vida durante e logo após uma operação.
Estará ao seu lado durante toda a cirurgia, exclusivamente para cuidar de você, mesmo que você não
perceba ou não se lembre de nada depois da anestesia.
8. O Doutor ou Doutora estará ao meu lado durante a cirurgia?
- SIM. O Médico Anestesiologista está ao lado do paciente durante todo o procedimento cirúrgico até a alta
da sala de RPA (Recuperação Pós-Anestésica).
Costumo responder que a anestesia é a arte de CUIDAR! Pois a função do Anestesista não é somente tirar
a dor, mas também tão ou mais importante ainda é MANTER A FISIOLOGIA DO PACIENTE O MAIS
PROXIMO DO NORMAL POSSIVEL FRENTE AO ATO ANESTESICO.
Trocando em miúdos, é CUIDAR do paciente em todos os seus aspectos, orgânico e psicológico, durante a
cirurgia.
Portanto seremos sempre o primeiro a te dar a mão e o último a soltar.
9. Quanto tempo dura uma Anestesia?
- A Anestesia dura o tempo necessário para que a Equipe Cirúrgica faça seu trabalho.
Oferece, ainda, abolição da Dor por tempo variável após o procedimento.
Atualmente existem recursos para abolir toda a dor que vem depois de uma operação.
10. Por que o medo da Anestesia?
- Porque é perigoso VIVER.
Qualquer pessoa relativamente normal deve ter medo do desconhecido.
A cirurgia e a anestesia boa parte das vezes, são eventos inéditos e ímpares.
Nossa vida muda a cada dia, assim como nossos humores e emoções.
Você como é hoje com certeza será diferente de um ano atrás.
Nossa vida é dinâmica, assim como nossas reações ao desconhecido: a cirurgia e a anestesia, povoada de
medos e ansiedades.
Portanto, pondere o tamanho do seu problema e avalie se vale à pena vencer este medo.
11. Qual o risco de uma Anestesia?
- Para algumas pessoas só comer um delicioso camarão pode ser perigoso, portanto qualquer evento em
nossas vidas pode se tornar um risco inclusive a sua anestesia para cirurgia, um exame de imagem sob
anestesia ou até um procedimento sob anestesia local.
Procuramos ser o menos agressivo possível, porém não dominamos todos os processos da natureza e suas
eventuais surpresas.
Por estarmos muito bem equipados com aparelhos de ultima geração, sistematicamente checados, com um
criterioso preparo do paciente e uma melhor qualidade de medicações utilizadas na anestesia, os riscos tem
sido reduzidos significativamente nos últimos anos.
Porém os riscos podem estar relacionados ao estado de saúde do paciente, a doenças como diabetes,
hipertensão, alergias, problemas cardíacos como também a complexidade da cirurgia ou exame diagnóstico.
Aproveitar uma ocasião de um procedimento anestésico para fazer várias cirurgias é um grande erro, pois
quanto maior o trauma, maior o risco. Diminua o trauma e estaremos diminuindo os riscos.
Qual é a escala dessa agressividade? (Lembre-se que tudo pode causar reações adversas).
Partindo do menos para o mais agressivo, quanto menos drogas forem usadas melhor. Sem anestesia alguma
isso pode ser insuportável!
12. Existem problemas hereditários relacionados à anestesia?
- Sim, um deles é a chamada Hipertermia maligna que é desencadeada pela utilização de medicamentos
anestésicos. Se alguém da sua família apresentou problemas com a anestesia, não deixe de comunicar ao seu
anestesiologista para que ele possa tomar as medidas necessárias.
13. O porquê do Jejum antes de uma anestesia?
- Quando recebemos uma anestesia, seja ela sedação ou uma geral, nossos reflexos são diminuídos
(deglutição e tosse) e ai o alimento que ingerimos pode ir parar nos pulmões causando graves danos
respiratórios (inflamação nos pulmões).
O Jejum para alimentos sólidos é de 08 (oito) horas e água pura é de 04 (três) horas. Dependendo do tipo
de alimento ingerido, da urgência do procedimento cirúrgico, idade do paciente o jejum poderá ser
modificado.
O profissional Médico indicado para avaliação do paciente e determinante do jejum é o Anestesiologista,
estudando caso a caso.
14. Como você colabora com a sua própria segurança? Como evitar reações alérgicas?
- Tudo o que você fez na vida vem à tona nos momentos mais inesperados.
O que você sofreu, ingeriu ou comeu aparece nesses momentos.
Genética, doenças pré-existentes e até o Karma podem interferir.
Portanto conte tudo ao seu Médico Anestesista.
É fundamental informar sobre qualquer alergia (alimentos, medicamentos, poeira, produtos químicos ou
problemas em anestesias anteriores. Isso ajudará no planejamento anestésico e escolha da medicação
apropriada, diminuindo satisfatoriamente os riscos.
Porém, se acontecer alguma reação, o anestesiologista está preparado para tratá-la.
15. O que acontece antes da sua operação?
- Todo mundo chega um pouquinho nervoso, isto é normal.
Você faz a parte burocrática na recepção e sobe ou para o quarto ou até muitas vezes direto ao centro
cirúrgico.
Quando vai direto ao quarto, normalmente tem seu acompanhante ao lado, incentivando-o, confortando-o
até o momento tão esperado.
Quando vai direto ao centro cirúrgico, é levado ao vestiário onde troca de roupa (muitas vezes com uma
abertura nas costas) e passa para a sala de recuperação, faz mais um xixi e vai para a sala de cirurgia.
Pequenos atrasos podem acontecer, principalmente se sua cirurgia for seqüência de outra. Lembre-se que
alguém estará recebendo a mesma atenção que você receberá em breve.
Pode acontecer de alguns Médicos que você não conhece apareçam e o examinem novamente apertando ali
ou aqui, outros tiram fotos e outros desenham em seu corpo em frente a um espelho ou sob uma luz forte.
Entenda que uma cirurgia não é realizada por um único Médico, e sim, por uma equipe formada de pelo
menos dois da mesma especialidade e sempre no mínimo um Médico Anestesista irá estar ao seu lado.
Nessa hora o Médico que irá realizar sua cirurgia conversa tudo de novo sobre a cirurgia explicando
sucintamente o que irá fazer no momento em que estiver dormindo.
Depois de tudo isso, levamos você para a sala de Cirurgia.
16. O que é a sala de cirurgia?
- Geralmente as pessoas falam que a sala de cirurgia é um lugar frio. Sim! , mas dentro dela encontram se
pessoas de coração para te tranqüilizar.
Os pacientes quando entram, na sua maioria, vem deitado em uma maca, mas podem vir em cadeira de
rodas ou andando.
São recepcionados por um auxiliar de enfermagem, Técnico de enfermagem ou Enfermeiro que o direcionam
até a mesa cirúrgica. Esta mesa é muito mais estreita do que a cama confortável do seu quarto e mais dura.
Nela começam os procedimentos para o início na Anestesia, pelo único momento que existe uma dorzinha,
que é a punção da veia, para que possamos infundir as medicações.
Passamos as medicações que irão induzir o seu sono, a potência disso você combinará na sua consulta pré-
anestésica. Podendo dormir o tempo todo ou só dar um soninho.
Passamos a anestesia Local ou Bloqueios e geralmente ninguém sabe o que aconteceu.
“É como a pergunta ao final da cirurgia: Já fez a anestesia?”.
17. Quem são as pessoas que trabalham no centro cirúrgico?
- São pessoas qualificadas e treinadas para lidar com qualquer evento, seja ele normal (eletivo) seja ele de
urgência ou emergência.
Pessoas atenciosas, tranqüilas, que às vezes encontram-se rindo ou conversando, como um ambiente normal
de suas casas. Por estarem muito tempo de suas vidas dentro do centro cirúrgico, transferem um pouco da
sua vida, do seu lar para este setor
Podem confiar nelas, por que estarão ao seu lado também antes, durante e após o procedimento anestésico-
cirurgico.
18. Quais os efeitos que podem ocorrer após a anestesia?
- Com a melhor qualidade das medicações utilizadas hoje pela anestesia, os efeitos indesejáveis se tornaram
muito menores.
Cada paciente reage de uma forma diferente, pois somos diferentes uns dos outros, a cada tipo de anestesia
aplicada, mas poderão existir náuseas, dores nas costas pelo tempo prolongado de estar numa mesa
cirúrgica ou exame, dor de garganta após uma anestesia geral (pela introdução de um tubo siliconizado para
garantir a respiração durante a cirurgia), dor nas costas ou dor de cabeça após uma raquianestesia.
Algumas raras, mas sérias, podem ocorrer complicações como convulsões e até parada cardíaca.
19. O que é a sala de Recuperação? CTI? UTI?
- Quando termina a cirurgia você ainda está sob os efeitos das drogas que utilizamos.
Até está acordadíssimo, você fica numa sala onde há um monte de aparelhagem chamada de monitores e sob
a vigilância de pessoal treinado que estará encarregado da sua segurança. Esta sala se chama Sala de
Recuperação.
Nesta sala você permanecera até seus sinais vitais (pressão arterial, temperatura, pulso, freqüência cardíaca,
respiração), nível de consciência e dor esteja devidamente controlado, permitindo alta (Day Clinic,
Enfermaria, UTI/CTI).
Um grupo de pacientes vão para casa no mesmo dia (este sistema se popularizou com o nome de Day-Clínic
ou Day Hospital e o utilizamos a muito tempo, antes mesmo de este nome existir). Portanto os pacientes
saem da sala de recuperação direto para as suas casas, sem precisar ir para a internação.
Isto devido a anestesias e cirurgias menos agressivas e com maior segurança. Indicação de internação será
avaliada caso a caso, quando for necessária.
Outro grupo de pacientes necessitam já estarem internados para um cuidado maior no pós operatório,
devido à cirurgia ter sido um pouco mais delicada. Isso não significa que a cirurgia ou a anestesia foram
graves, e sim um cuidado maior ao paciente.
Existem outros casos onde necessitamos de um melhor controle, rígido, constante. Daí, encaminhamos o
paciente para uma UTI ou CTI. Na maioria das vezes nos assustamos ao ouvir esse nome, por que por
muito tempo foi associado a doenças graves ou até a morte. Mas hoje não o vemos assim.
A UTI ou CTI é um lugar onde encontramos profissionais, sejam eles Médicos, auxiliares, enfermeiros,
fisioterapeutas 24h ao seu lado, cuidando de você, para que a sua recuperação seja o mais breve possível e
que logo possa estar ao lado dos seus familiares.
Sigam sempre as recomendações do seu Médico Anestesista para um pós-operatório seguro.
20. O que será feito em caso de Dor após uma cirurgia ou exame diagnostico?
- O Anestesiologista auxiliará no controle da dor juntamente com a equipe cirúrgica ou equipe médica.
Nas cirurgias, freqüentemente, são administrados anestésicos no local da incisão minimizando a dor da
incisão (corte), principalmente em crianças, para evitar o surgimento da dor.
Além disso, analgésicos são administrados “de horário”, normalmente prescritos pela equipe cirúrgica por via
oral, endovenosa, retal ou peridural. O paciente poderá receber um ou mais analgésicos administrados em
intervalos regulares caso continue referindo dor ate a sua melhora.
21. Quando indicamos uma anestesia em crianças?
- Indicamos anestesia em crianças para garantir segurança, bem estar e eficácia, tanto em cirurgias quanto em
exames diagnósticos, para que seja necessária a sua colaboração.
22. Como os pais ou responsáveis podem ajudar antes de uma anestesia?
- Conversando, seja ele adulto ou criança, assim que a decisão de submetê-la a um procedimento cirúrgico
ou exame for tomada.
O papel dos pais ou responsáveis, transmitindo calma e segurança é muito mais importante que a
administração de sedativos, embora os dois métodos possam se complementar.
23. Será dado algum sedativo antes da cirurgia?
- Sim, a partir da avaliação do anestesiologista. O paciente (criança ou adulto) poderá receber medicamento
sedativo antes da cirurgia ou exame diagnostico. Contudo, isso não diminui a importância dos pais ou
responsáveis para acalmar e orientar.
A medicação pré-anestésica pode ser administrada por via oral, intravenosa ou retal e o tempo para
começar a agir depende da droga (medicação), da via de administração e de características próprias do
paciente.
24. Quem escolhe o Anestesista?
- Alguns colegas Cirurgiões já possuem aquele que participa da sua equipe.
A maioria dos Hospitais já possui Médicos Anestesistas que compõem o grupo.
Mas nada impede de você procurar saber se pode levar o seu Médico Anestesista de confiança, aquele que
conhece a sua vida pré-cirúrgica, conhece seus medos, aquele que cuidará de você.
Conheça os Médicos Anestesista da MÉDITT.
25. Quem esclarece a você sobre a Anestesia?
- Você pode conversar diretamente com o Médico Anestesista, marcando uma consulta pré-anestésica.
Em geral as pessoas gostam deste contato e isto faz parte de um processo civilizado e humano
Este é o nosso diferencial. Os Anestesistas da MÉDITT ao seu alcance.
26. O Paciente pode escolher o tipo de anestesia?
- Quem decide sobre o tipo de anestesia é o médico anestesiologista, a partir das avaliações clínicas e
médicas realizadas no paciente. Ele explicará, ou ao paciente ou a alguém de sua família, o motivo da sua
escolha.
27. Existe algum “teste” de alergia usado para quem vai tomar anestesia?
- NÃO ! Não existe “teste” de anestesia, a exemplo dos testes utilizados para identificar alergias.
28. É importante deixar de fumar antes da anestesia?
- É importante não FUMAR. É bom largar pelo menos 15 dias antes da operação.
Se você for fumante inveterado, pelo menos reduza ao máximo o número de cigarros consumidos
diariamente.
29. Quanto custa uma anestesia?
- Depende muito do procedimento cirúrgico, do tempo do trabalho e da complexidade.
Se você é paciente particular, tudo será acertado com a máxima antecedência.
Se possuir algum convênio, verifique se o anestesiologista está credenciado, e se não for, serão seguidas as
regras e exceções do convênio.
Caso não seja e você tiver algum anestesiologista de confiança, converse como será efetuado o pagamento e
como você poderá ser ressarcido do convênio.
Procure saber com antecedência se seu convênio dá o direito à consulta pré-anestésica.
Seu médico anestesiologista e seu convênio poderão lhe esclarecer melhor.
Esperamos que você tenha encontrado todas as suas respostas, mas se ainda persistirem dúvidas não deixe
de enviá-las a nossa equipe de anestesiologistas.
This entry was posted on quarta-feira, agosto 25th, 2010 at 7:19 AM by MÉDITT and is filed under Sem categoria. You can
follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.
2 respostas para TUDO O QUE VOCÊ GOSTARIA DE SABER SOBRE
ANESTESIA.
1. rosana chies milanez disse:
31 de março de 2012 às 1:26 PM
tomei a raque e ainda estava anestesiada passe muito nervoso.qostaria de saber se causa reação.tenho
depressão mas ate este dia estava otima ,desde então fiquei muito ruim,com a depressão.
Responder
2. rosana chies milanez disse:
31 de março de 2012 às 1:29 PM
quem tem depressão a anestesia raque prejudica?
Responder
Deixe uma resposta
O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *
Nome *
Email *
Site
Comentário
Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title="">
<acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em>
<i> <q cite=""> <strike> <strong>
Publicar comentário
« Previous Post
Next Post »
Archives
agosto 2012
maio 2012
fevereiro 2012
setembro 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
setembro 2010
agosto 2010
Search for: Search
Categories
Sem categoria (19)
Copyright © 2014 Blog da MÉDITT. All rights reserved.
Coaster Theme by ThemesWPfree.net