O clima: o Rio de Janeiro tropical

No estado do Rio de Janeiro é grande a variação climática, apesar da pequena extensão do território.
Os verões costumam ser chuvosos e muito quentes, com temperaturas muitas vezes superiores a 40 ºC. Os
invernos em geral são secos, e as temperaturas médias anuais situam-se acima dos 20 ºC.
Nas áreas de terras mais elevadas, porém, ocorre o clima tropical de altitude, que se caracteriza por verões
quentes e chuvosos e invernos frios e secos.
As temperaturas médias anuais giram em torno dos 20 ºC, mas podem ser registradas temperaturas bastante
baixas em locais de serra, como Petrópolis, Teresópolis e Visconde de Mauá, por exemplo.

As influências culturais no estado do Rio de Janeiro
Todo povo tem a sua cultura. Ela é formada por tradições, crenças, costumes e manifestações de arte que vão
passando de geração para geração.
A cultura do estado do Rio de Janeiro - assim como a do Brasil – recebeu influências de indígenas, europeus e
africanos.
De cada um desses grupos recebemos diferentes valores culturais. Dos indígenas, por exemplo, herdamos muitas
palavras de origem tupi (o tupi--guarani era a língua falada pelos povos que habitavam o litoral); hábitos como
tomar banho todos os dias e usar redes para dormir ou descansar; o cultivo e o consumo de alimentos como milho
e mandioca; o uso de plantas medicinais; a prática de artesanato em cerâmica, madeira, fibras vegetais, sementes
e penas de aves; lendas que fazem parte do folclore.
Os africanos marcaram sua presença principalmente na música e na dança.
Mas os diversos povos vindos da África também deixaram influências das suas diferentes culturas na culinária, na
religião e no vocabulário.
Já dos europeus - em especial os portugueses, que colonizaram o país - herdamos o idioma oficial, diversas
tradições religiosas e festas populares. No estado do Rio de Janeiro, particularmente, a presença portuguesa
exerceu grande influência na culinária, introduzindo pratos como a bacalhoada, por exemplo.
A religiosidade foi um traço marcante deixado pelos portugueses na nossa cultura. As datas religiosas sempre
foram motivo para festas que animavam a vida das cidades, como as procissões.

O folclore e as festas populares
O folclore do Rio de Janeiro é muito rico devido à diversidade de grupo que formaram o povo fluminense e difere
bastante de uma região para outra.
O Carnaval, famoso em todo o mundo, originou-se de uma antiga festa chamada entrudo. A capoeira, por sua vez,
é uma manifestação folclórica genuinamente brasileira. Ela teve origem no Brasil Colônia entre os africanos
procedentes de Angola.
Muitas outras manifestações folclóricas ocorrem no estado do Rio de Janeiro.
O jongo e o caxambu, por exemplo, são danças folclóricas de origem africana.
Há também as cirandas, chamadas de chibas; o fado; o mineiro-pau; o calango; as pastorinhas; as cavalhadas; o
jaraguá; o caiapó; o boi-de-reis; entre tantas outras.


O clima: o Rio de Janeiro tropical
No estado do Rio de Janeiro é grande a variação climática, apesar da pequena extensão do território.
Os verões costumam ser chuvosos e muito quentes, com temperaturas muitas vezes superiores a 40 ºC. Os
invernos em geral são secos, e as temperaturas médias anuais situam-se acima dos 20 ºC.
Nas áreas de terras mais elevadas, porém, ocorre o clima tropical de altitude, que se caracteriza por verões
quentes e chuvosos e invernos frios e secos.
As temperaturas médias anuais giram em torno dos 20 ºC, mas podem ser registradas temperaturas bastante
baixas em locais de serra, como Petrópolis, Teresópolis e Visconde de Mauá, por exemplo.

As influências culturais no estado do Rio de Janeiro
Todo povo tem a sua cultura. Ela é formada por tradições, crenças, costumes e manifestações de arte que vão
passando de geração para geração.
A cultura do estado do Rio de Janeiro - assim como a do Brasil – recebeu influências de indígenas, europeus e
africanos.
De cada um desses grupos recebemos diferentes valores culturais. Dos indígenas, por exemplo, herdamos muitas
palavras de origem tupi (o tupi--guarani era a língua falada pelos povos que habitavam o litoral); hábitos como
tomar banho todos os dias e usar redes para dormir ou descansar; o cultivo e o consumo de alimentos como milho
e mandioca; o uso de plantas medicinais; a prática de artesanato em cerâmica, madeira, fibras vegetais, sementes
e penas de aves; lendas que fazem parte do folclore.
Os africanos marcaram sua presença principalmente na música e na dança.
Mas os diversos povos vindos da África também deixaram influências das suas diferentes culturas na culinária, na
religião e no vocabulário.
Já dos europeus - em especial os portugueses, que colonizaram o país - herdamos o idioma oficial, diversas
tradições religiosas e festas populares. No estado do Rio de Janeiro, particularmente, a presença portuguesa
exerceu grande influência na culinária, introduzindo pratos como a bacalhoada, por exemplo.
A religiosidade foi um traço marcante deixado pelos portugueses na nossa cultura. As datas religiosas sempre
foram motivo para festas que animavam a vida das cidades, como as procissões.

O folclore e as festas populares
O folclore do Rio de Janeiro é muito rico devido à diversidade de grupo que formaram o povo fluminense e difere
bastante de uma região para outra.
O Carnaval, famoso em todo o mundo, originou-se de uma antiga festa chamada entrudo. A capoeira, por sua vez,
é uma manifestação folclórica genuinamente brasileira. Ela teve origem no Brasil Colônia entre os africanos
procedentes de Angola.
Muitas outras manifestações folclóricas ocorrem no estado do Rio de Janeiro.
O jongo e o caxambu, por exemplo, são danças folclóricas de origem africana.
Há também as cirandas, chamadas de chibas; o fado; o mineiro-pau; o calango; as pastorinhas; as cavalhadas; o
jaraguá; o caiapó; o boi-de-reis; entre tantas outras.