A Constituição da Cheon Il Guk

---------------------------------------------------------------------------
---
Lei religiosa para atualizar (realizar) o mundo ideal pacífico
de Deus
---------------------------------------------------------------------------
----
Prefácio
A Nação da Paz e Unidade Csmica (dora!ante "C#eon $l
%u&') ( o mundo onde toda a #umanidade) tanto no mundo
físico como no mundo espiritual) !i!e ser!indo Deus como
seu pai) so* o ideal de "Uma +amília so* Deus', Deus pre!iu
a C#eon $l %u& -uando criou o #omem) a mul#er e todas as
coisas no começo dos tempos) mas o .eu son#o foi dei/ado
incompleto de!ido 0 1ueda dos primeiros antepassados, Por
isso) apesar da dor e sofrimento do .eu coração) 2le tem
guiado a pro!id3ncia da restauração,
Depois de passar atra!(s de uma prolongada #istria
pro!idencial de restauração) Deus en!iou o 4e!erendo .un
56ung 5oon e a Dra, 7a& 8a 7an 5oon 0 terra como o
.al!ador) o 5essias) o .en#or da .egunda 9inda e os
9erdadeiros Pais do C(u) :erra e 7umanidade, ; 4e!erendo
.un 56ung 5oon e a Dra, 7a& 8a 7an 5oon) os 9erdadeiros
Pais) desco*riram a perdida Pala!ra de Deus e proclamaram-
na ao mundo inteiro, 2les cumpriram o ideal de todas as
religi<es e legaram-nos o !erdadeiro amor) !erdadeira !ida e
!erdadeira lin#agem de Deus depois de as ele!arem ao ní!el
do esta*elecimento csmico, ; curso dos 9erdadeiros Pais
tem sido um tesouro de !itrias alcançadas no c(u e na terra
atra!(s de incompreensí!el indeminização sacrificial e
de!oção= como tal) ( o modelo de !ida -ue todas as pessoas
de!em seguir,
;s 9erdadeiros Pais conseguiram completa e final(definiti!a=
a*soluta= integral) unidade) igualdade de posição e igual
autoridade, Aperfeiçoaram) completaram e concluíram a sua
missão e atingiram o estatuto de eternos 4ei e 4ain#a da Paz
da C#eon $l %u&) no d(cimo terceiro dia do primeiro m3s pelo
calend>rio celestial no ano da fundação da C#eon $l %u&)
proclamando o Dia da +undação) o começo da C#eon $l %u&
em su*st?ncia,
2sta Constituição ( decretada para esta*elecer as leis)
princípios e diretrizes -ue ser!irão e guiarão todas as pessoas
da C#eon $l %u& para -ue possam incorporar a Pala!ra) -ue os
9erdadeiros Pais t3m re!elado atra!(s da sua !ida e
esta*elecer (criar) a estrutura de !ida) de família) de igre@as
nacionais e das igre@as glo*ais) de modo a realizar um firme
esta*elecimento e consumação da C#eon $l %u&,
Ao ser!ir Deus e os 9erdadeiros Pais) *uscamos um mundo
pacífico atra!(s de famílias ideais atra!(s do desa*roc#ar da
cultura de coração *aseada no !erdadeiro amor -ue !ai para
al(m dos muros da religião) *arreiras nacionais) se/o e raça e
pretendendo o consenso em #armonia entre todos os po!os,
.o* a *3nção dos 9erdadeiros Pais) a C#eon $l %u& declara
por este meio a presente Constituição da C#eon $l %u& perante
toda a #umanidade e cosmos neste dia AB do primeiro m3s do
segundo ano da C#eon $l %u& segundo o calend>rio celestial,
A Promessa da Família
A, A nossa +amília) sen#ora da C#eon $l %u& ) promete
procurar a nossa terra original e construir o 4eino de
Deus na :erra e no C(u) o ideal original da criação)
centrando-se no !erdadeiro amor,
C, A nossa +amília) sen#ora da C#eon $l %u&) promete
representar e tornar-se central para o C(u e para a :erra
ao ser!ir o Pai Celestial e os 9erdadeiros Pais=
prometemos aperfeiçoar o camin#o de o*edi3ncia na
família) de fil#os e fil#as de piedade filial na nossa
família) patriotas na nossa nação) santos no mundo e
fil#os e fil#as di!inos no Ceu e na :erra) centrando-se no
!erdadeiro amor,
B, A nossa +amília) sen#ora da C#eon $ l %u&) promete
aperfeiçoar as 1uatro %randes 2sferas no Coração) as
:r3s %randes 4ealezas e o 4eino da +amília 4eal)
centrando-se no !erdadeiro amor,
D, A nossa +amília) sen#ora da C#eon $l %u&) promete
construir a família uni!ersal -ue a*raça o C(u e a :erra)
-ue ( o ideal da criação do Pai Celestial e aperfeiçoar o
mundo de li*erdade) paz) unidade e felicidade) centrando-
se no !erdadeiro amor,
E, A nossa +amília) sen#ora da C#eon $l %u&) promete
la*utar diariamente para o a!anço da unificação do
mundo espiritual e do mundo físico) como parceiros
su@eito e o*@eto) centrando-se no !erdadeiro amor,
F, A nossa +amília) sen#ora da C#eon $l %u&) promete
tornar-se uma família -ue transmite a fortuna celestial ao
encarnar o Pai Celestial e os 9erdadeiros Pais e
aperfeiçoar uma família -ue transmite a *3nção do C(u 0
nossa comunidade) centrando-se no !erdadeiro amor,
G, A nossa +amília) sen#ora da C#eon $l %u&) promete) ao
!i!er pela causa do *em dos outros) aperfeiçoar o mundo
com *ase na cultura de coração) -ue tem a raiz na
lin#agem original) centrando-se no !erdadeiro amor,
H, A nossa +amília) sen#ora da C#eon $l %u&) promete)
tendo entrado na 2ra da C#eon $l %u&) atingir o ideal de
Deus e dos seres #umanos unidos em amor atra!(s da f(
a*soluta) amor a*soluto e o*edi3ncia a*soluta e
aperfeiçoar a esfera da li*ertação e plena li*erdade no
4eino de Deus na :erra e no C(u) centrando-se no
!erdadeiro amor,
CAPITULO
!I"PO"I#$%" G%&AI"
"ecção ' !eus
Arti(o ' !eus
A, Deus ( o Criador do Cosmos (os reinos celestial e
terrestre),
C, Deus) como Pai Celestial) ( a ess3ncia original do
coração,
B, Deus ( o .en#or do c(u e da terra) -ue atra!(s do
!erdadeiro amor e da .ua Pala!ra preside e realiza a .ua
pro!id3ncia no mundo da criação,
Arti(o )' !eus e a *umanidade
A, Deus ( o 9erdadeiro Pai incorpreo e encontra-se numa
relação de pai-fil#o com a #umanidade,
C, Deus dese@a -ue os seres #umanos completem as :r3s
%randes I3nçãosJ a perfeição do car>ter como indi!íduos)
a perfeição da família e a perfeição do domínio,
B, Deus dese@a -ue todas as pessoas #erdem o !erdadeiro
amor) a !erdadeira !ida e a !erdadeira lin#agem de Deus
e se unam numa relação de amor com 2le) tornando-se
.eus o*@etos parceiros em su*st?ncia,
D, Deus realizou a pro!id3ncia de restauração) a fim de
sal!ar a #umanidade) -ue perdeu o seu !alor original
pre!isto no momento da criação,
Arti(o +' !eus e a Cheon Il Guk
Deus esta*eleceu a C#eon $l %u& atra!(s dos 9erdadeiros Pais
e dos cidadãos da C#eon $l %u&,
"ecção )' Os ,erdadeiros Pais
Arti(o -' Os ,erdadeiros Pais
A, ;s 9erdadeiros Pais são os antepassados originais da
#umanidade como a perfeita personificação de Deus -ue
atingiram a unidade de coração) a unidade de corpo) a
unidade de pensamento e a unidade no seu ?mago,
C, ;s 9erdadeiros Pais t3m !alor e dimensão csmica -ue (
a*soluta) Knica) imut>!el e eterna,
B, ;s 9erdadeiros Pais realizaram em todo o c(u e terra) o
tra*al#o espiritual para o renascimento) ressurreição e
!ida eterna de todas as pessoas) atra!(s do !erdadeiro
amor,
Arti(o .' Os ,erdadeiros Pais e a Cheon Il Guk
;s 9erdadeiros Pais são os eternos 4ei e 4ain#a da Paz da
C#eon $l %u& -ue aperfeiçoaram) completaram e concluíram
todos os aspetos da sua missão,
Arti(o /' Poderes relacionados com a Administração da
Cheon Il Guk
A, ;s 9erdadeiros Pais t3m autoridade na decisão final so*re
a administração da C#eon $l %u&,
C, ;s 9erdadeiros Pais podem) -uando necess>rio) delegar a
sua autoridade em assuntos de administração) para um
o*@eti!o limitado,
Arti(o 0' Poderes relacionados com a 12nção do
Casamento
A, ;s 9erdadeiros Pais t3m autoridade e/clusi!a na I3nção
do Casamento,
C, ;s 9erdadeiros Pais podem) -uando necess>rio) delegar a
sua autoridade so*re a I3nção do Casamento) para um
conte/to limitado,
"ecção +' Cheon Il Guk
Arti(o 3' Cheon Il Guk
A, C#eon $l %u& ( uma pala!ra -ue su*stancia o mundo
ideal pacífico de Deus) de li*erdade) paz) unidade e
felicidade com Deus e com os 9erdadeiros Pais no seu
centro,
C, A C#eon $l %u& ( constituída por so*erania) pessoas e
territrio) os elementos *>sicos uma nação ideal pacífica,
B, A C#eon $l %u& ( realizada pela perfeição do ideal das
famílias a*ençoadas,
Arti(o 4' Princí5ios Fundamentais
A C#eon $l %u& *aseia-se nos princípios de interdepend3ncia)
de prosperidade mKtua e de !alores uni!ersalmente
partil#ados,
Arti(o 6' "o7erania da Cheon Il Guk
A, A so*erania da C#eon $l %u& para o mundo ideal pacífico
!em de Deus e dos 9erdadeiros Pais,
C, A so*erania da C#eon $l %u& para o mundo ideal pacífico
( su*stanciada pelos Cidadãos da C#eon $l %u&,
Arti(o ' Territ8rio
; territrio da C#eon $l %u& ( o cosmos) -ue englo*a o
mundo físico e o mundo espiritual) onde o mundo ideal
pacífico de Deus ( realizado,
Arti(o )' !e9eres
A C#eon $l %u& de!e esta*elecer e e/ecutar políticas para o
a!anço do *em-estar e dos direitos dos Cidadãos da C#eon $l
%u&,
Arti(o +' A Fonte :urídica
; 9erdadeiro Amor de Deus e as pala!ras dos 9erdadeiros
Pais pro!idenciam a fundação para as leis da C#eon $l %u&,
Arti(o -' %scrituras Princi5ais
As escrituras principais da C#eon $l %u& são a C#eon .eong
%6eong) C#am Iumo %6eong e a P6eong 7La %6eong,
Arti(o /' 1ens P;7licos
A, ;s cidadãos da C#eon $l %u& fazem doaç<es ou ofertas
!olunt>rias para a pro!id3ncia da C#eon $l %u&,
C, ;s *ens pK*licos da C#eon $l %u& são os *ens materiais e
imateriais (tangí!eis e intangí!eis) realizados pela
pro!id3ncia de Deus e dos 9erdadeiros Pais) e os *ens
materiais e imateriais oferecidos pelos cidadãos de C#eon
$l %u&,
B, 1uais-uer mudanças em assuntos relati!os aos *ens
pK*licos da C#eon $L %u& de!em estar de acordo com as
leis do país em -ue o ati!o em -uestão est> localizado e
e/igem a apro!ação pr(!ia dos 9erdadeiros Pais e do
líder nacional dessa nação,
Arti(o /' Lín(ua Oficial
A língua oficial da C#eon $l %u& ( o Coreano o -ual ( a língua
da terra natal de Deus,
Arti(o 0' 1andeira <acional= *ino <acional e Flores
<acionais
A *andeira nacional da C#eon $l %u& ( a Iandeira da C#eon $l
%u&) o seu #ino nacional ( a Canção da C#eon $l %u&) o
p>ssaro nacional ( o %rou e as flores nacionais são a 4osa e o
Lírio,
Arti(o 3' A "ede >undial
; local da .ede 5undial da C#eon $l %u& ser> C#eon 8eong
%ung na 4epK*lica da Coreia) a -ual ( a p>tria e terra natal de
Deus,
CAPITULO )'
O" CI!A!?O" !A C*%O< IL GU@
"ecção ' Os Cidadãos da Cheon Il Guk
Arti(o 4' Os Cidadãos da Cheon Il Guk
A, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& são definidos como a-ueles
-ue ser!em Deus e os 9erdadeiros Pais e seguem os
ensinamentos dos 9erdadeiros Pais,
C, Assuntos relati!os 0s -ualificaç<es dos cidadãos da
C#eon $l %u& de!em ser definidos por lei,
Arti(o )6' !ireitos
A, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& são iguais perante a lei) e
não #a!er> nen#uma discriminação em relação ao se/o)
idade) estrato social) propriedade ou raça,
C, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& t3m o direito de eleger ou
ser eleitos de acordo com os termos descritos pela lei,
B, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& t3m o direito de apresentar
petiç<es a -ual-uer organismo relacionado com a C#eon
$l %u& de acordo com as condiç<es definidas por lei,
D, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& t3m o direito de solicitar
audi3ncias de acordo com a lei) perante os @uízes
-ualificados so*re a Constituição e a lei, #a*ilitados
E, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& t3m o direito 0 educação
para o aperfeiçoamento das :r3s %randes I3nçãos,
F, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& t3m o direito de se
tornarem autoridades pK*licas,
G, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& t3m o direito de se
tornarem Líderes de $gre@as Lar de 7oon Do& 7ae e
5essias :ri*ais,
H, A li*erdade e os direitos *>sicos dos cidadãos da C#eon $l
%u& não de!em ser negligenciados apenas com o
fundamento de -ue estes não estão enumerados na
Constituição,
M, 2m casos necess>rios) os direitos dos cidadãos da C#eon
$l %u& podem ser restringidos por lei pela causa do firme
esta*elecimento e consumação da C#eon $l %u&,
Arti(o )' !e9eres
A, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& de!em manter a lin#agem
pura do c(u,
C, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& de!em respeitar o coração
e os direitos #umanos uns dos outros,
B, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& de!em fazer *om uso dos
fundos pK*licos,
D, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& de!em ler) praticar)
di!ulgar e educar atra!(s das pala!ras dos 9erdadeiros
Pais,
E, ;s Cidadãos da C#eon $l %u& de!em ser!ir como líderes
de família 7oon Do& 7ae e 5essias :ri*ais pela causa do
esta*elecimento su*stancial e consumação da C#eon $l
%u&,
Arti(o ))' Autoridades P;7licas
A, As autoridades pK*licas da C#eon $l %u& de!em manter
um padrão de f() car>cter e profissionalismo no e/ercício
(desempen#o) dos de!eres pK*licos pela causa do
esta*elecimento su*stancial e consumação da C#eon $l
%u&,
C, Uma autoridade pK*lica da C#eon $l %u& de!e ser
des-ualificada no caso de ele ou ela fal#ar em demonstrar
um car>cter condizente com uma autoridade pK*lica) ou
dei/ar de realizar os seus de!eres pK*licos,
B, Assuntos relati!os 0 -ualificação ou des-ualificação das
autoridades pK*licas de!em estar definidos na lei,
Arti(o )+' Caducidade e &ecu5eração dos !ireitos
A, Alguns ou todos os direitos de um cidadão da C#eon $l
%u& podem ser in!alidados no caso de ele ou ela terem
cometido um dos seguintes actosJ
a) Um ato de negação (renKncia) a Deus ou aos
9erdadeiros Pais,
*)Um ato de negação da identidade e ideologia da
C#eon $l %u&,
c) Um ato de renKncia 0 Constituição da C#eon $l %u&,
d)Um ato -ue dificulta o esta*elecimento su*stancial e
consumação da C#eon $l %u&,
C, Assuntos relacionados com a in!alidação ou recuperação
dos direitos dos cidadãos da C#eon $l %u& de!em estar
definidos na lei,
"ecção )' A Família dos ,erdadeiros Pais e as Famílias
A7ençoadas
Arti(o )-' A Família dos ,erdadeiros Pais
A, A +amília dos 9erdadeiros Pais ( definida pelos
descendentes diretos dos 9erdadeiros Pais e dos seus
esposos,
C, ; !alor dos mem*ros da família dos 9erdadeiros Pais (
legitimado atra!(s da relação de f( a*soluta) amor
a*soluto e o*edi3ncia a*soluta com os 9erdadeiros
Pais,
Arti(o ).' !e9eres dos >em7ros da Família dos
,erdadeiros Pais
A, Para #erdar a tradição dos 9erdadeiros Pais) os
mem*ros da família dos 9erdadeiros Pais de!em
manter uma !ida de ser!iço aos 9erdadeiros Pais,
C, ;s mem*ros da família dos 9erdadeiros Pais de!em
manter um car>ter e/emplar e adotar uma !ida de
acordo com os ensinamentos dos 9erdadeiros Pais,
Arti(o )/' Famílias A7ençoadas
A, Uma família a*ençoada ( composta por marido e
mul#er e pelos seus descendentes diretos -ue) atra!(s
da I3nção do Casamento concedida a este marido e
mul#er pelo .al!ador) 5essias e 9erdadeiros Pais da
7umanidade) ti!eram o seu pecado original purificado
e renasceram,
C, As famílias a*ençoadas são todos os mem*ros
constituintes da grande família csmica centrada em
Deus e nos 9erdadeiros Pais,
B, Assuntos relati!os 0s -ualificaç<es da família
a*ençoada) 0 perca ou restauração dessas -ualificaç<es)
de!em estar definidos na lei,
Arti(o )0' !e9eres das Famílias A7ençoadas
A, As famílias a*ençoadas #erdam a lin#agem dos
9erdadeiros Pais e) de modo a mant3-la) de!em !i!er
uma !ida de ser!iço,
C, As famílias a*ençoadas de!em ter um car>ter e/emplar
e seguir uma !ida de f( a*soluta) amor a*soluta e
o*edi3ncia a*soluta de acordo com os ensinamentos
dos 9erdadeiros Pais,
B, As famílias a*ençoadas de!em respeitar e proteger a
família dos 9erdadeiros Pais,
CAPITULO +
O CO<"%L*O "UP&%>O !A C*%O< IL GU@
Arti(o )3' O Ar(ão "u5remo de !ecisão
; rgão supremo de decisão da C#eon $l %u& ser> o Consel#o
.upremo da C#eon $l %u&,
Arti(o )4' Com5osição do Conselho "u5remo da Cheon Il
Guk
A, ; Consel#o .upremo da C#eon $l %u& ser> composto
por treze (AB) mem*ros,
C, 2stes mem*ros de!em incluir um (A) Presidente) um (A)
9ice Presidente e onze (AA) e/-oficioNN mem*ros
!ogaisNN (por iner3ncia de cargoNN) designados ou
eleitos,
Arti(o +6' Presidente e ,iceB5residente
A, ; Presidente ser> nomeado pelos 9erdadeiros Pais de
entre os mem*ros da família dos 9erdadeiros Pais e
de!er> simultaneamente ser o Presidente 5undial da
C#eon 8eong Oon (%o!erno da C#eon $l %u&),
C, ; 9ice-presidente ser> nomeado pelos 9erdadeiros
Pais e e/ercer> os de!eres do Presidente -uando este
não os puder realizar por moti!os de força maior ou
-uando o Presidente delegar a sua autoridade no 9ice-
presidente,
B, ; Presidente e o 9ice-presidente podem ser destituídos
por -uem os nomeou) como est> definido na lei,
D, ; Presidente e o 9ice-presidente de!em oferecer os
seus ser!iços sem compensaç<es financeiras,
Arti(o +' >em7ros
A, ;s mem*ros e/-oficioN (!ogaisNN) (por iner3ncia de
cargo) de!em incluir o Porta 9oz da C#eon Oi Oon
(Assem*leia Nacional da C#eon $l %u&)) o Presidente
do .upremo :ri*unal do C#eon Ieo* Oon (:ri*unal da
C#eon $l %u&)) o Presidente da C#eon 8ae Oon
(+undação da C#eon $l %u&) e o 9ice Presidente da
C#eon %ong Oon (Comit( dos 5edia da C#eon $l
%u& ),
C, ;s 9erdadeiros Pais nomearão os mem*ros,
B, ;s 9erdadeiros Pais farão estas nomeaç<es de entre os
candidatos eleitos pelo C#eon Oi Oon,
D, ;s mem*ros do Consel#o .upremo da C#eon $l %u&
não serão e/onerados durante o seu mandato sal!o se
e/onerados por -uem os nomeou) conforme definido
por lei,
E, ;s mem*ros do Consel#o .upremo da C#eon $l %u&
oferecerão os seus ser!iços sem -ual-uer compensação
financeira,
Arti(o +)' >andato
A, ; mandato do Presidente ser> de sete (G) anos podendo
ser reno!ado,
C, ; mandato do 9ice-presidente e dos mem*ros ser> de
-uatro (D) anos podendo ser reno!ado, Contudo) no
total) não de!em permanecer no cargo mais de doze
(AC) anos,
Arti(o ++' Assuntos 5ara !eli7eração e &esolução
; Consel#o .upremo da C#eon $l %u& deli*erar> e decidir>
so*re assuntos relacionados com os seguintes pontosJ
A)Assuntos relacionados com a realização de instruç<es dos
9erdadeiros Pais,
C)Assuntos relacionados com a identidade e princípios
*>sicos da C#eon $l %u&
B)Assuntos relacionados com os direitos) de!eres e f( dos
cidadãos da C#eon $l %u&
D);s assuntos propostos por cada organização,
E)Assuntos relacionados com a alteração da Constituição da
C#eon $l %u&,
F)Assuntos de -ual-uer forma prescritos definidos pela
Constituição e Leis
Arti(o +-' &esolução
A):odos os assuntos propostos ao Consel#o .upremo da
C#eon $l %u& de!erão) em princípio) ser resol!idos por
decisão unanime) pelos mem*ros em e/ercício incluindo
o Presidente e o 9ice-Presidente,
C).e não for conseguida uma decisão unanime) por moti!os
de força maior) o assunto pode ser resol!ido com a
apro!ação de tr3s -uartos dos mem*ros em e/ercício
incluindo o Presidente e o 9ice-Presidente,
B);utros assuntos relacionados com o m(todo utilizado
para deli*eração de!erão estar definidos na lei,
Arti(o +.' Im5lementação e Gestão de !eli7eraçCes
A);s assuntos decididos por !oto pelo Consel#o .upremo
da C#eon $l %u& de!erão ser implementados somente
depois de terem sido apro!ados pelos 9erdadeiros Pais,
C)1uest<es detal#adas referentes a outras aç<es do
Consel#o .upremo da C#eon $l %u& de!erão estar
definidas por lei,
Arti(o +/' %Dercício Indireto de Poderes
Centrado no Presidente) o Consel#o .upremo da C#eon $l %u&
e/ercer> !icariamente (su*stituir>) a autoridade dos
9erdadeiros Pais) no caso de morte) completa incapacidade ou
transfer3ncia de autoridade dos 9erdadeiros Pais) como
definido pela Constituição e leis,
CAPETULO -
C*%O< :%O<G FO<
GO GO,%&<O !A C*%O< IL GU@H
"ecção ' O Cheon :eon( Fon Go Go9erno da Cheon Il
GukH
Arti(o +0' Poderes %Decuti9os
;s poderes e/ecuti!os do C#eon 8eong Oon serão in!estidos
no C#eon 8eong Oon (o %o!erno da C#eon $l %u&)
Arti(o +3I Ar(ãos Administrati9os
A, ; C#eon 8eong Oon (o %o!erno da C#eon $l %u&)
instalar> e funcionar> com os rgãos administrati!os
necess>rios para a e/ecução sistem>tica e eficiente dos
assuntos administrati!os
2. :odos os assuntos relacionados com a instalação e
funcionamento dos rgãos administrati!os serão
regulados por lei,
Arti(o +4' Or(aniJaçCes de Assessoria
A, ; C#eon 8eong Oon (o %o!erno da C#eon $l %u&)
poder> criar organizaç<es de assessoria so* a sua
autoridade se necess>rio para e/ecutar as suas funç<es,
2. 1uest<es relati!as 0 instalação e gestão das organizaç<es
de assessoria serão reguladas por lei,
Arti(o -6' Km7ito das Ati9idades
A, ; C#eon 8eong Oon (o %o!erno da C#eon $l %u&) de!er>
criar e e/ecutar políticas para o firme esta*elecimento e
conclusão da C#eon $l %u&,
2. ; C#eon 8eong Oon (o %o!erno da C#eon $l %u&)
tomar> responsa*ilidade por todo o tra*al#o relati!o 0s
miss<es e pro@etos de *em-estar
"ecção )' O Presidente >undial e o ,iceBPresidente
>undial
Arti(o -' O Presidente >undial
1. ; Presidente 5undial como diretor da C#eon 8eong Oon
(o %o!erno da C#eon $l %u&)) de!e dirigir e super!isionar
todas as organizaç<es pro!idenciais) rgãos
administrati!os e organizaç<es de assessoria conforme
regulado por lei
C, ; Presidente 5undial ser> nomeado ou e/onerado pelos
9erdadeiros Pais de acordo com a Constituição e
conforme regulado por lei,
Arti(o -)' O ,iceBPresidente >undial
A, ; 9ice-Presidente 5undial como segundo na ordem de
direção do C#eon 8eong Oon (o %o!erno da C#eon $l
%u&) de!er> e/ecutar as tarefas do Presidente 5undial
-uando o Presidente 5undial não o possa fazer por raz<es
ine!it>!eis) ou -uando o Presidente 5undial confiar ao
9ice-Presidente 5undial a sua autoridade,
2. ; 9ice-Presidente 5undial ser> nomeado ou e/onerado
(demitido) pelos 9erdadeiros Pais de acordo com a
Constituição conforme regulado por lei,
3. ;s de!eres e autoridade do 9ice-Presidente 5undial
serão definidos por lei,
Arti(o -+' >andato
A, ; mandato do Presidente 5undial ser> de sete (G) anos
podendo ser reno!ado,
C, ; mandato do 9ice-Presidente ser> de -uatro (D) anos
podendo ser renomeado, Contudo) no total) não de!em
permanecer no cargo mais de doze (AC) anos,
"ecção +' Or(aniJaçCes Pro9idenciais
Arti(o --' Or(aniJaçCes Pro9idenciais
A, ; C#eon 8eong Oon (; %o!erno da C#eon $l %u&)
operaN (gereN) as organizaç<es pro!idenciais
necess>rias para o firme desen!ol!imento e
consumação su*stancial da C#eon $l %u&,
C, :odos os assuntos relacionados com o
desen!ol!imento) propsito) funcionamento)
organização e e/ecução das organizaç<es pro!idenciais
de!erão estar regulados na lei,
Arti(o -.' Os Líderes das Or(aniJaçCes Pro9idenciais
A, ;s líderes das organizaç<es pro!idenciais serão
nomeados pelos 9erdadeiros Pais por recomendação do
Consel#o .upremo da C#eon $l %u&,
C, ;s líderes das organizaç<es pro!idenciais poderão ser
e/onerados por -uem os nomearam) como definido na
lei,
Arti(o -/' >andato 5ara os Líderes das Or(aniJaçCes
Pro9idenciais
; mandato para os líderes de organizaç<es pro!idenciais ser>
de -uatro (D) anos e podendo ser reno!ado, Contudo) no
total) não de!em permanecer no cargo mais de doze (AC) anos,
CAPETULO .
A C*%O< FI FO<
A A""%>1L%IA <ACIO<AL !A C*%O< IL GU@
Arti(o -0' Poderes Le(islati9os
;s poderes legislati!os da C#eon $l %u& serão in!estidos na
C#eon Oi Oon (a Assem*leia Nacional da C#eon $l %u&)
Arti(o -3' Com5osição
A, A C#eon Oi Oon ser> composta por um Presidente) um
9ice-Presidente) mem*ros e/ - oficioNN (por iner3ncia de
cargoNN)) mem*ros eleitos e mem*ros messias tri*ais,
C, ; nKmero de mem*ros da C#eon Oi Oon ser> definido
por lei) mas não de!erão ser mais de CAP) incluindo o
Presidente e o 9ice-Presidente,
Arti(o -4' O Presidente e o ,iceBPresidente
A, 7a!er> um (A) Presidente e dois (C) 9ice-Presidentes, ;s
9ice-Presidentes serão um #omem e uma mul#er,
C, ; Presidente e os 9ice-Presidentes satisfarão as
condiç<es definidas por lei,
B, ;s 9erdadeiros Pais nomearão o Presidente de entre os
candidatos -ualificados) conforme regulado por lei,
D, ;s 9ice-Presidentes serão nomeados pelo Presidente de
entre os candidatos indicados por) pelo menos) um -uarto
dos mem*ros no ati!o,
; Presidente e os 9ice-Presidentes não serão e/onerados
durante os seus mandatos sal!o se e/onerados por -uem os
nomeou) conforme definido por lei,
Arti(o .6' >em7ros
A, ;s mem*ros e/ ofícioNN (por iner3nciaNN) incluirão os
messias tri*ais de cada nação e representantes dos lideres
nacionais,
C, ; m(todo de eleição e a -ualificação dos mem*ros por
iner3ncia e dos mem*ros eleitos ser> conforme definido
por lei,
3. ;s mem*ros messias tri*ais serão a-ueles -ue satisfaçam
as -ualificaç<es definidas por lei
Arti(o .' >andato
A, ; mandato do Presidente e dos 9ice-Presidentes ser> de
-uatro (D) anos) podendo ser reno!ado, Contudo) no total)
não de!em permanecer no cargo mais de doze (AC) anos,
C, ; mandato dos mem*ros ser> de -uatro (D) anos) podendo
ser reno!ado,
Arti(o .)' "essCes &e(ulares e sessCes Pro9is8rias
A, ; Presidente da C#eon Oi Oon con!ocar> as sess<es
regulares da Assem*leia Nacional e as sess<es pro!isrias
-uando re-ueridas,
C, A sessão regular da Assem*leia Nacional reunir> duas
!ezes por anoJ no Dia da +undação e no Dia de
Ani!ers>rio da Ascensão do 9erdadeiro Pai,
B, Aa sess<es pro!isrias da Assem*leia Nacional reunir>
nos seguintes casos (circunst?ncias)J
a) A pedido do 9erdadeiro Pai
b) A pedido do Consel#o .upremo da C#eon $l %u&
c) A pedido de pelo menos cin-uenta por cento dos
mem*ros da C#eon Oi Oon
Arti(o .+' Lu8rum
As sess<es da C#eon Oi Oon (a Assem*leia Nacional da
C#eon $l %u&) e/igem pelo menos a presença de cin-uenta por
cento do total de mem*ros e as decis<es !inculati!as da
Assem*leia Nacional e/igem a apro!ação de pelo menos dois
terços ou mais dos mem*ros presentes
Arti(o .-' "u7missão e Conclusão de ProMetos de Lei
A, ;s mem*ros da C#eon Oi Oon (a Assem*leia Nacional
da C#eon $l %u&) e o C#eon 8eong Oon (o %o!erno da
C#eon $l %u&) podem su*meter pro@etos de lei,
2. ;s pro@etos de lei -ue passem na C#eon Oi Oon (a
Assem*leia Nacional da C#eon $l %u&) carecem de
apro!ação pelos 9erdadeiros Pais,
Arti(o ..' !eli7eração e Conclusão do ProMeto de Lei
Orçamental
A, A C#eon Oi Oon (a Assem*leia Nacional da C#eon $l
%u&) de!e deli*erar e apro!ar o orçamento da C#eon $l
%u& e os pro@etos propostos,
2. ;s planos de orçamento e de negcios -ue passem na
C#eon Oi Oon (a Assem*leia Nacional da C#eon $l %u&)
entrarão em !igor aps apro!ação pelos 9erdadeiros Pais,
Arti(o ./' Poderes de Ins5eção
A, A C#eon Oi Oon (a Assem*leia Nacional da C#eon $l
%u&) pode in!estigar mat(rias específicas relati!as ao
C#eon 8eong Oon (o %o!erno da C#eon $l %u&)) ao
C#eon Ieo* Oon (o :ri*unal da C#eon $l %u&) 0 C#eon
8ae Oon (a +undação C#eon $l %u&) e ao C#eon %ong
Oon (o Comit( para os 5(dia da C#eon $l %u&) e pode
e/igir a apresentação de documentos diretamente
relacionados com os mesmos) a presença de testemun#as
ou o fornecimento de declaraç<es
C, ;s processos (procedimentos) e outras mat(rias
relacionadas com a in!estigação ser> regulada por lei
Arti(o .0' &e9isão das LualificaçCes e AçCes !isci5linares
A, A C#eon Oi Oon (a Assem*leia Nacional da C#eon $l
%u&) pode re!er as -ualificaç<es e proceder a aç<es
disciplinares aos seus mem*ros,
2. Assuntos relacionados com a re!isão das -ualificaç<es e
aç<es disciplinares dos seus mem*ros de!em ser
definidos por lei,
Arti(o .3' !ireito de Im5u(nação
A, No caso de um funcion>rio pK*lico !iolar a Constituição
ou outras leis no desempen#o das suas funç<es oficiais) a
C#eon Oi Oon (a Assem*leia Nacional da C#eon $l %u&)
pode apro!ar uma moção para a sua impugnação,
2. ; m(todo e os procedimentos para a moção de
impugnação de!em ser definidos por lei,
CAPETULO /
O C*%O< 1%O1 FO<
GO T&I1U<AL !% C*%O< IL GU@H
Arti(o .4' Poderes :udiciais
;s poderes @udiciais de C#eon $l %u& serão in!estidos no
C#eon Ieo* Oon (o tri*unal C#eon $l %u&)
Arti(o /6' Com5osição
; C#eon Ieo* Oon ser> constituído por um (A) ;ficial de
8ustiça e oito (H) @uízes
Arti(o /' O Oficial de :ustiça e os :uíJes
A, ; ;ficial de 8ustiça e os @uízes do C#eon Ieo* Oon
de!em satisfazer as condiç<es definidas pela lei
C, ;s 9erdadeiros Pais nomearão o ;ficial de 8ustiça de
entre os candidatos -ualificados conforme definido por lei
B, ;s 8uízes serão nomeados pelos 9erdadeiros Pais so*
recomendação do Consel#o .upremo da C#eon $l %u&
4. ; ;ficial de 8ustiça e os 8uízes não serão e/onerados
durante o seu mandato) e/ceto se e/onerados por -uem os
nomeou) conforme definido por lei,
Arti(o /)' >andato
; mandato do ;ficial de 8ustiça e dos @uízes ser> de -uatro (D)
anos) podendo ser reno!ado, Contudo) no total) não de!em
permanecer no cargo mais de doze (AC) anos,
Arti(o /+' Km7ito das Acti9idades
A, A C#eon Ieo* Oon decidir> so*re litígios relati!os 0
Constituição e Leis da C#eon $l %u&
C, ;s 8uízes decidirão de forma independente) de acordo
com as suas consci3ncias e em conformidade com o
!erdadeiro amor de Deus) os ensinamentos dos
9erdadeiros Pais) a Constituição e a lei
B, ;utras -uest<es e processos (procedimentos) @udiciais
serão regulados por Lei
CAPETULO 0
T*% C*%O< :A% FO<
GA FU<!A#?O !% C*%O< IL GU@H
Arti(o /-' Poderes Financeiros
;s poderes financeiros da C#eon $l %u& serão in!estidos na
C#eon Ieo* Oon (+undação C#eon $l %u&)
Arti(o /.' Com5osição
A C#eon 8ae Oon (+undação C#eon $l %u&) ser> constituída
por no!e (M) mem*rosJ um (A) Presidente e oito (H) mem*ros
do comit( (!ogaisNN),
Arti(o //' Presidente e >em7ros da Comissão
A, ; presidente da C#eon 8ae Oon e os mem*ros da
comissão de!erão possuir determinadas -ualificaç<es)
conforme definidas por lei
C, ;s 9erdadeiros pais nomearão o Presidente de entre os
candidatos -ualificados) conforme definido por lei
B, ;s 9erdadeiros Pais nomearão os mem*ros do Comit( da
C#eon 8ae Oon so* recomendação do Consel#o .upremo
da C#eon $l %u&
D, ; Presidente e os mem*ros do Comit( não serão
e/onerados durante os seus mandatos sal!o se e/onerados
por -uem os nomeou) conforme definido por lei
Arti(o /0' >andato
; mandato do Presidente e dos mem*ros do comit( (!ogaisNN)
ser> de -uatro (D) anos) podendo ser reno!ado, Contudo) no
total) não de!em permanecer no cargo mais de doze (AC) anos
Arti(o /3' Km7ito de Ati9idades
A, A C#eon 8ae Oon de!e suportar financeiramente as
operaç<es de todas as organizaç<es so* a direção da
C#eon $l %u&
2. A C#eon 8ae Oon de!e incluir ati!idades empresariais
lucrati!as e não lucrati!as utilizando os *ens de
propriedade da +undação
B, A C#eon 8ae Oon de!e gerir os *ens pK*licos da C#eon $l
%u&
4. A C#eon 8ae Oon de!er> rece*er a apro!ação dos
9erdadeiros Pais para dispor dos *ens pK*licos da C#eon
$l %u&
CAPETULO 3
A C*%O< GO<G FO<
GO CO>ITN PA&A O" >N!IA !A C*%O< IL GU@H
Arti(o /4' Poderes relati9os aos >Odia
As autorizaç<es para a a-uisição de opini<es das pessoas (de
entre!istas)) relatrios de m(dia) relaç<es pK*licas para
empresas e o esta*elecimento su*stancial e consumação da
C#eon $l %u& são concedidas no C#eon %ong Oon
Arti(o 06' Com5osição
A C#eon %ong Oon ser> constituída por um (A) Presidente e
oito (H) mem*ros do comit( (!ogaisNN)
Arti(o 0' Presidente e >em7ros do ComitO G,o(aisPPH
A, ; Presidente e mem*ros do comit( (!ogaisNN) do C#eon
%ong Oon de!erão possuir as -ualificaç<es conforme
definidas por lei
C, ;s 9erdadeiros Pais nomearão o Presidente de entre os
candidatos -ualificados conforme definido por lei
B, ;s 9erdadeiros Pais nomearão os mem*ros do comit(
(!ogaisNN) do C#eon %ong Oon so* recomendação do
Consel#o .upremo da C#eon $l %u&
4. ; Presidente e os mem*ros do comit( (!ogaisNN) não
serão e/onerados dos seus cargos) sal!o se e/onerados
por -uem os nomeou) conforme prescrito por lei,
Arti(o 0)' >andato
; mandato do Presidente e dos mem*ros do comit( (!ogaisNN)
ser> de -uatro (D) anos) podendo ser reno!ado, Contudo) no
total) não de!em permanecer no cargo mais de doze (AC) anos,
Arti(o 0+' Km7ito de Ati9idades
A, ; C#eon %ong Oon ser> respons>!el pelas ati!idades
relacionadas com notícias) informação pK*lica e educação
dos cidadãos da C#eon $l %u&,
C, ; C#eon %ong Oon de!e a!aliar a opinião pK*lica e
transmiti-la) atra!(s dos meios de comunicação da C#eon
$l %u&) ao C#eon 8eong Oon (o %o!erno da C#eon $l
%u&)) ao C#eon Oi Oon (a Assem*leia Nacional da
C#eon $l %u&)) ao C#eon Ieo* Oon (o :ri*unal da
C#eon $l %u&)) ao C#eon 8ae Oon (a +undação C#eon $l
%u&) e aos cidadãos da C#eon $l %u&,
3. ; C#eon %ong Oon pode recol#er a opinião pK*lica e
criar uma agenda a ser apresentada ao C#eon 8eong Oon
( o %o!erno da C#eon $l %u&)) ao C#eon Oi Oon (a
Assem*leia Nacional da C#eon $l %u&)) ao C#eon Ieo*
Oon (o :ri*unal da C#eon $l %u&) ou ao C#eon 8ae Oon
( a +undação C#eon $l %u&),
CAPETULO 4
GO,%&<O &%GIO<AL !A IG&%:A
"ecção ' Go9erno Continental da I(reMa
Arti(o 0-' Líderes Continentais
A, ;s 9erdadeiros Pais nomearão os Líderes Continentais
so* recomendação do Presidente 5undial
C, ;s Líderes Continentais não serão e/onerados durante o
seu mandato) e/ceto se e/onerados por -uem os nomeou)
conforme definido por lei,
Arti(o 0.' >andato
; mandato dos Líderes Continentais ser> de -uatro (D) anos)
podendo ser reno!ado, Contudo) no total) não de!em
permanecer no cargo mais de doze (AC) anos,
Arti(o 0/' Poderes dos Líderes Continentais
;s Líderes Continentais de!em coordenar e cooperar com as
ati!idades das igre@as das naç<es do seu continente para o
firme esta*elecimento e consumação da C#eon $l %u&,
Arti(o 00' Com5osição e Gestão das Or(aniJaçCes
Assuntos relacionados com a constituição e funcionamento
das organizaç<es necess>rios para o go!erno da igre@a
continental de!e ser definido por lei,
"ecção )' Go9erno <acional da I(reMa
Arti(o 03' >essias <acional
A, ;s 9erdadeiros Pais nomearão os messias nacionais de
entre os candidatos -ualificados conforme definido por
lei,
2. ;s messias nacionais podem ser e/onerados pelas pessoas
com autoridade para nomear) conforme definido por lei,
B, ;s messias nacionais serão consel#eiros dos líderes
nacionais) dando sugest<es e respondendo a -uest<es dos
líderes nacionais no -ue respeite ao go!erno da igre@a da
nação,
Arti(o 04' Líderes <acionais
A autoridade para nomear e e/onerar os líderes nacionais
reside em cada nação) com decis<es definiti!as aps a
apro!ação dos 9erdadeiros Pais
Arti(o 36' >andato dos Líderes <acionais
; mandato dos líderes nacionais ser> de -uatro (D) anos) sal!o
decisão diferente na nação) podendo ser reno!ado, Contudo)
no total) não de!em permanecer no cargo mais de doze (AC)
anos,
Arti(o 3' "ede
A, A .ede da igre@a de cada nação ser> respons>!el por todo
o tra*al#o na nação para o forte esta*elecimento e
consumação da C#eon $l %u&,
2. A .ede de cada nação de!e pro!er e gerir o ga*inete para
as ati!idades dos messias tri*ais,
Arti(o 3)' Or(aniJação e O5eraçCes
A, A organização e funcionamento para o go!erno da igre@a
nacional de!e estar em conformidade com a organização
e funcionamento da C#eon $l %u&,
C, Assuntos relacionados com a organização e
funcionamento necess>rios para a go!erno da igre@a
nacional de!e ser definido por lei,
CAPETULO 6
%L%I#$%"
Arti(o 3+' %leiçCes
A, Como regra geral) todas as eleiç<es na C#eon $l %u&
serão realizadas por meio de sufr>gio uni!ersal) igual)
direto e secreto) e tam*(m por sorteio) com *ase nas
recomendaç<es,
2. 1uais-uer eleiç<es em -ue menos de um terço do total de
!otos elegí!eis se@a emitido serão in!>lidas
3. :odas as -uest<es relacionadas com as eleiç<es de!em ser
definidas por lei,
Arti(o 3-' A Comissão <acional de %leiçCes
1. De!e ser criada uma Comissão 2leitoral com a finalidade
da @usta gestão das eleiç<es de tal forma -ue elas
manifestem a !ontade de Deus e a dos cidadãos da C#eon
$l %u&,
2. :odas as -uest<es relacionadas com a composição da
Comissão Nacional de 2leiç<es e sua @urisdição de!em
ser definidas por lei,
CAPETULO
ALT%&A#$%" Q CO<"TITUI#?O
Arti(o 3.' Pro5ostas de AlteraçCes
Uma proposta de alteração da Constituição pode ser
apresentada pelo Consel#o .upremo da C#eon $l %u& ou pelo
menos por cin-uenta por cento dos mem*ros -ue comp<em a
C#eon Oi Oon,
Arti(o 3/' A9iso de Pro5osta de Alteração
; Consel#o .upremo da C#eon $l %u& de!e apresentar as
propostas de alteração 0 Constituição perante o pK*lico
durante um período de pelo menos trinta (BP) dias,
Arti(o 30' !ecisão e Conclusão das AlteraçCes Pro5ostas
A, A C#eon Oi Oon (Assem*leia Nacional da C#eon $l
%u&) de!e decidir so*re as alteraç<es propostas dentro de
sessenta (FP) dias aps o anKncio pK*lico,
2. A transição das alteraç<es propostas 0 Constituição re-uer
a apro!ação de dois-terços ou mais do total de mem*ros
da C#eon Oi Oon (Asse*leia Nacional da C#eon $l %u&)
e a decisão) por !oto) do Consel#o .upremo da C#eon $l
%u&,
B, Uma proposta de alteração 0 Constituição su*metida a
resolução pela C#eon Oi Oon e pelo Consel#o .upremo
da C#eon $l %u& s ser> concluída com a apro!ação dos
9erdadeiros Pais,
A!%<!A
Arti(o ' !ata de %ntada em ,i(or
2sta Constituição de!e ser proclamada no AB dia do primeiro
m3s do segundo ano da C#eon $l %u& e de!e entrar em !igor
aps FP dias,
Arti(o )' &e(ulamentos Anteriormente em ,i(or
4egulamentos) !>rios artigos dos 2statutos da Associação e
normas (leis) em !igor no momento em -ue esta Constituição
entrar em !igor mant3m-se !>lidos desde -ue não contrariem
esta Constituição, !igorar ordenar
Arti(o +' >edidas Pro9is8rias &elati9as G&elacionadas
comH R Or(aniJação
;s sistemas em !igor no momento em -ue esta Constituição
entrar em !igor) de!em ser aumentados com *ase nos
seguintes princípiosJ
1. ;s sistemas centrados nos pastores de!em ser
complementares e pelo fortalecimento do sistema de
messias tri*al de!em contri*uir para a criação de C$%
com *ase no mo!imento de igre@a-lar
2. A .ede regional e as igre@as ser!irão e funcionarão
simultaneamente como locais de culto e como centros de
cultura do coração para as comunidades locais,
Arti(o -' >edidas Pro9is8rias &elacionadas com A(2ncias
e Or(aniJaçCes Gor(anismosH
1. .e as ag3ncias e organizaç<es da C$% forem incapazes de
realizar as suas tarefas por raz<es impre!istas (de força
maior) no momento em -ue esta Constituição entrar em
!igor) outras organizaç<es ou di!is<es (departamentos)
apro!ados (autorizados) pelos 9erdadeiros Pais realizarão
essas tarefas
2. A realização das tarefas) conforme descrito no artigo D (A)
terminar> -uando as organizaç<es da C#eon $l %u& forem
capazes de realizar as referidas tarefas,
Arti(o .' ,ersão Ori(inal
A !ersão original desta Constituição ( a !ersão Coreana,
1uais-uer -uest<es decorrentes da sua interpretação de!em
ser resol!idas atra!(s de refer3ncia estrita 0 !ersão original
coreana