1

SIMULADO DE DIREITO CONSTITUCIONAL - ANDRÉ ALENCAR

QUESTÕES TIPO ESAF

01. Com base na recente reforma do Judiciário (EC 45/2004), assinale a alternativa
que contenha disposição constitucional que não faça parte do atual texto
constitucional ou que esteja em discordância com o texto recém modificado.
a) “Art. 93. Inciso: I – ingresso na carreira, cujo cargo inicial será o de juiz substituto,
mediante concurso público de provas e títulos, com a participação da Ordem dos
Advogados do Brasil em todas as fases, exigindo-se do bacharel em direito, no mínimo,
três anos de atividade jurídica e obedecendo-se, nas nomeações, à ordem de
classificação;”
b) “Art. 5º. Inciso LXXVIII a todos, no âmbito judicial e administrativo, são
assegurados a razoável duração do processo e os meios que garantam a celeridade de
sua tramitação. § 3º Os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que
forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional, em dois turnos, por três
quintos dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes às emendas
constitucionais. § 4º O Brasil se submete à jurisdição de Tribunal Penal Internacional a
cuja criação tenha manifestado adesão.”
c) “Art. 102. Compete ao Supremo Tribunal Federal, precipuamente, a guarda da
Constituição, cabendo-lhe: Inciso I - processar e julgar, originariamente: Alínea a) a
ação direta de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo federal ou estadual e a ação
declaratória de constitucionalidade de lei ou ato normativo federal ou estadual;”
d) “Art. 93. Inciso XII a atividade jurisdicional será ininterrupta, sendo vedado férias
coletivas nos juízos e tribunais de segundo grau, funcionando, nos dias em que não
houver expediente forense normal, juízes em plantão permanente;”
e) "Art. 104. Parágrafo único. Os Ministros do Superior Tribunal de J ustiça serão
nomeados pelo Presidente da República, dentre brasileiros com mais de trinta e cinco e
menos de sessenta e cinco anos, de notável saber jurídico e reputação ilibada, depois de
aprovada a escolha pela maioria absoluta do Senado Federal, sendo:”...

02. Sobre o Poder Constituinte e as Emendas à Constituição assinale a alternativa
correta:
a) No sistema constitucional atual, segundo entendimento dominante fixado pela
jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, todas as propostas de Emenda à
Constituição deverão ter sua tramitação iniciada na Câmara dos Deputados e somente
após a aprovação em dois turnos por meio de quorum qualificado de no mínimo 3/5 dos
membros desta Casa Legislativa é que as propostas seguirão para a votação no Senado
Federal.
b) É possível que intervenção em Município obste a votação dos trabalhos do Poder
Constituinte Derivado Reformador;
c) Não se aceita no Brasil a tese das normas constitucionais inconstitucionais já que
todas têm origem no Poder Constituinte (Originário ou Derivado) e estes, em suas
manifestações, são ilimitados perante a ordem jurídica interna;
d) Embora haja divergência de ordem doutrinária é majoritária a corrente que entende
que o Poder Constituinte Derivado pode reduzir matérias constantes do núcleo
intangível da Constituição conhecido como limitações materiais expressas, mesmo que
a redução possa ser substancial a ponto de tender a abolição;
2
e) Poder Constituinte Derivado Decorrente Institucionalizador é o Poder de criar uma
nova Constituição em âmbito Estadual ou as Leis Orgânicas no Distrito Federal e nos
Municípios.

3. Sobre o Controle de Constitucionalidade assinale a alternativa correta:
a) A Constituição Federal por ser a Lei Fundamental de um Estado é o fundamento de
validade para as demais leis, sendo assim, se qualquer lei, estiver incompatível formal
ou materialmente com ela deverá ser declarada inconstitucional por meio do controle
concentrado junto ao Supremo Tribunal Federal;
b) Devido ao princípio da inércia da jurisdição não se admite que o J uiz, diante de um
caso concreto levado a sua apreciação para produção de decisão, possa, de ofício,
declarar inconstitucional a lei de que uma das partes litigantes utiliza para alegar seu
direito;
c) Devido ao princípio da livre disposição das partes é admissível que o autor da Ação
Direta de Inconstitucionalidade ou da Ação Declaratória de Constitucionalidade desista
da ação obrigando o Supremo Tribunal Federal interromper o prosseguimento do feito
por falta de parte legítima no pólo ativo da relação jurídica processual instaurada;
d) No Brasil, assim como em outros países, uma lei declarada inconstitucional por
decisão definitiva do Supremo Tribunal Federal será sempre considerada
inconstitucional desde o seu nascimento, ou seja, desde a sua origem, posto que o
controle repressivo da constitucionalidade tem por objetivo a retirada de norma jurídica
que seja incompatível com a Constituição, sendo assim, não cabe ao J udiciário fixar
momento diferenciado para a eficácia daquela decisão;
e) Supondo que uma lei ordinária federal de caráter geral e abstrato editada em 1999
apresente dois sentidos possíveis na sua interpretação e que um destes sentidos seja
incompatível com a Constituição Federal em vigor, neste caso, o órgão jurisdicional
competente provocado por meio de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade acerca
desta lei poderá julgar a ação improcedente utilizando a técnica de interpretação
conforme a Constituição para fixar um sentido que lhe preserve a Constitucionalidade;

4. Acerca das normas relativas à Organização do Estado assinale a alternativa
correta:
a) Mesmo dispondo expressamente no texto da Lei Maior que o Distrito Federal possui
as competências legislativas reservadas aos Estados e Municípios é sabido que há
limites no que tange a legislação referente ao Poder J udiciário, ao Ministério Público e à
Defensoria Pública que atuam naquele ente federativo o que leva a concluir que o
Distrito Federal não possui todo o poder de auto-organização dado aos Estados da
federação;
b) Devido a existência de vedações implícitas ao poder de auto-organização, os Estados
não poderão instituir Medidas Provisórias em suas Constituições já que este é um
instrumento tipicamente federal e de utilização excepcional;
c) Há norma constitucional que determine limites a quantidade de deputados estaduais
nas Assembléias Legislativas. Apesar de a Constituição Federal atrelar o número de
deputados estaduais a três vezes o número de deputados federais que o respectivo estado
pode eleger, ela não admite, por disposição expressa contida na Lei Maior, que o
número de deputados estaduais ultrapasse a 90.
d) As Leis Complementares Federais são hierarquicamente superiores às Leis
Ordinárias Municipais independentemente da matéria veiculada em ambas;
3
e) A Constituição Federal admite a intervenção Estadual em Município pertencente a
outro Estado que não o interveniente desde que o Município que sofrerá a intervenção
não tenha pagado suas dívidas para com o Estado interventor;

5. Em relação aos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário assinale a alternativa
correta:
a) A tripartição das funções estatais consolidada por Montesquieu e seguida pela
Constituição Federal não admite a hipótese de controles recíprocos sob pena de se ferir
a independência e harmonia que deverá reinar entre as funções.
b) Recentemente a criação de um Conselho Nacional de J ustiça dentro da estrutura do
Poder J udiciário causou grande controvérsia acerca da constitucionalidade de tal
proposta. Para minimizar os riscos de eventual declaração de inconstitucionalidade sob
o argumento de que haveria sido criado um Controle Externo indevido já que o
Conselho contaria com membros indicados pelo Legislativo, a Emenda Constitucional
45 foi promulgada indicando que todos os membros do Conselho Nacional de J ustiça
sejam membros do Poder J udiciário Nacional, conforme consta no Art. 103-B da CF;
c) As imunidades parlamentares, as garantias dos magistrados e as competências
privativas do Presidente da República não podem ser renunciadas pelo agente em
exercício da função já que não se trata de prerrogativas disponíveis posto que são da
função ou do cargo e não do agente que a ocupa;
d) Como não foram indicados como Poderes no Art. 2º da Carta Magna em vigor, a
doutrina indica que os Tribunais de Contas e os Ministérios Públicos são considerados
extra-poderes já que sempre atuam como fiscalizadores da atividade fim dos Poderes
Legislativo, Executivo e J udiciário;
e) Em caso de Crime de Responsabilidade o Presidente da República será julgado
perante o Senado Federal após a admissibilidade do processo pela Câmara dos
Deputados sendo que o julgamento de admissibilidade pela Câmara dos Deputados será
feito em sessão secreta e será presidida pelo Presidente do Supremo Tribunal Federal;

6. Em relação ao Processo Legislativo assinale a alternativa correta:
a) A rejeição parcial ao veto parcial faz com que, automaticamente, parte da lei seja
promulgada pelo Presidente da República e parte seja da promulgação seja de
competência do Presidente do Senado Federal;
b) Assim como as Emendas à Constituição, a tramitação de um projeto de lei
complementar deverá retornar à casa iniciadora toda vez que sofrer alguma
modificação, sendo que a casa iniciadora poderá fazer novas modificações ao projeto e
após estas enviar à casa revisora novamente. O processo terá seguimento até que o texto
seja aprovado nas duas casas sem alterações de qualquer delas;
c) O STF admite que o legislativo fixe data razoável para que o Chefe do Executivo
apresente projeto de lei sobre as matérias de competência privativas deste sob pena de
inviabilizar os trabalhos legislativos ferindo assim a separação entre os Poderes;
d) Nas iniciativas privativas concorrentes os não legitimados estão excluídos da
apresentação de propostas enquanto os legitimados podem exercer concorrentemente o
direito de apresentação de proposta junto à Casa Legislativa;
e) Enquanto a promulgação torna existente uma lei inovando o ordenamento jurídico a
publicação a torna eficaz e salvo disposição em contrário todas as leis deverão entrar em
vigor no território nacional dentro de 30 dias.

7. Em relação ao Processo Legislativo e ao Controle de Constitucionalidade
assinale a opção correta;
4
a) É possível ao judiciário exercer controle concentrado preventivo por via de Ação
Direita de Inconstitucionalidade de projetos de leis que se mostrem incompatíveis com a
Constituição vigente, entretanto, o Supremo Tribunal Federal só admite como
legitimado para a propositura da Ação o Partido Político com representação no
Congresso Nacional devido a existência de pertinência temática para esta possibilidade;
b) O Congresso Nacional pode delegar ao Presidente da República, por meio de Decreto
Legislativo atribuições para que o Presidente possa editar lei sobre a matéria objeto da
delegação. Se o ato produzido desvia de delegação prevista no Decreto Legislativo cabe
ao Congresso Nacional sustar a Lei Delegada fazendo com que esta deixe de ser
aplicada no território nacional;
c) Diante de declaração de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo em um caso
concreto proferida por Tribunal, desde que observada a reserva de plenário (ou órgão
especial), após o trânsito em julgado desta decisão é competência discricionária do
Senado Federal a sustação do ato normativo para dar a decisão a eficácia erga omnes
não prevista no controle difuso;
d) A J urisprudência do Supremo Tribunal admite que tanto o Poder Legislativo, quanto
o Executivo ou mesmo o J udiciário – este quando instado a manifestar-se por
parlamentar que entenda ferido seu direito líquido e certo ao devido processo
legislativo–, possam exercer o controle de constitucionalidade em sua forma preventiva,
evitando que projetos de lei sejam promulgados em desconformidade com a
Constituição Federal. Também é certo que mesmo quando o Executivo ou o Legislativo
se manifestem pela constitucionalidade do projeto estas decisões políticas não
vincularão futura decisão do J udiciário em controle repressivo difuso ou concentrado;
e) A matéria não reservada a Lei Complementar de forma expressa pela Constituição
Federal, quando tratada por esta espécie normativa, levará o judiciário em eventual
manifestação a declarar a inconstitucionalidade formal da Lei Complementar por
invadir o campo normativo da Lei Ordinária.

8. Acerca do Poder Executivo e suas relações com os outros poderes assinale a
alternativa correta:
a) O Poder Executivo é exercido pelo Presidente da República e este é auxiliado pelos
Ministros de Estado. No sistema constitucional vigente nem o Presidente e nem os
Ministros de Estado podem ser convocados, sob a coação de cometerem crime de
responsabilidade, a prestar esclarecimentos junto a uma comissão da Câmara dos
Deputados ou do Senado Federal;
b) O chefe do Poder Executivo Federal exerce a função executiva em sua inteireza já
que acumula funções de Chefe de Estado, Chefe de Governo e Chefe da Administração
Pública. Além desta chefia unitária é possível afirmar que o Brasil possui um sistema de
governo presidencialista porque é mais nítida a separação entre o Poder Legislativo e o
Executivo, sendo verificada esta separação pela inexistência de necessária confiança
entre tais Poderes como condição de permanência no cargo.
c) O Presidente da República tem prerrogativas exclusivas de indicar diretores de
Autarquias do Poder Executivo e membros do Legislativo Federal, também possui
competência para indicar Ministros do Supremo Tribunal Federal, no entanto, ao indicar
o Presidente do Supremo Tribunal Federal a escolha só será efetivada se a indicação for
aprovada pelo Senado Federal;
d) O Legislativo poderá julgar membros do Poder J udiciário quando estes cometerem
crimes de responsabilidade. Os conselheiros do Conselho Nacional de J ustiça se
submetem ainda a julgamento no Legislativo quando cometerem crimes comuns em
decorrência de atividade conexa com o Presidente da República;
5
e) O Presidente da República não poderá vetar projetos de leis aprovados pelo
Legislativo quando a iniciativa tiver sido exercida pelo Poder J udiciário, como a Lei
Complementar sobre a Magistratura, pois já houve a manifestação de dois Poderes. O
Presidente também não tem poder de veto sobre os projetos que convertam o texto
original de Medida Provisória em Lei Ordinária;

9. Acerca dos direitos fundamentais assinale a alternativa correta:
a) As Comissões Parlamentares de Inquérito que terão poderes de investigação próprios
das autoridades judiciais, além de outros previstos nos regimentos das respectivas Casas
podem dar ordem de prisão em flagrante ao investigado que preste falso testemunho,
mesmo que este não tenha prestado juramento de dizer a verdade, posto que o princípio
da verdade real e a possibilidade de prisão em flagrante autorizam a ação;
b) O princípio da legalidade se diferencia do princípio da reserva legal, no primeiro há a
exigência de edição de ato normativo editado pelo Poder Legislativo ou a este
equiparado e o segundo exige que todos cumpram as normas legais quando estas
instituam deveres ou obrigações;
c) O STF já decidiu que a existência de parâmetros subjetivos para correção de provas
aplicadas em certames públicos não fere o princípio da inafastabilidade da prestação
jurisdicional prevista como direito fundamental.
d) O Mandado de Segurança Individual é instrumento hábil para ser usado por particular
que se veja obrigado por autoridade administrativa a depositar previamente o valor
contestado em auto de infração como condição para a interposição de recurso em
processo administrativo, posto que será o instrumento garantidor do direito líquido e
certo ao duplo grau de jurisdição na instância administrativa;
e) Pelo fato de ser gratuito, ter forma livre, rito sumaríssimo e prescindir de Advogado o
Habeas Corpus é o remédio correto para que qualquer pessoa, inclusive jurídica, possa
impetrá-lo em busca do direito líquido e certo à locomoção daquela pessoa natural que
esteja sofrendo abuso em sua liberdade de ir, vir ou permanecer dentro do território
brasileiro em tempo de paz;

10. Com base na Teoria da Constituição assinale a alternativa correta:
a) A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 foi promulgada pelos
representantes do povo, constitui-se em documento solene e escrito, teve como
elaboração um processo dogmático, é rígida quanto ao seu processo de alteração e
analítica no que se refere à extensão.
b) Por conter mais princípios do que normas a Constituição de 1988 carece de aplicação
prática imediata, necessitando da função concretizadora do legislador ordinário para que
suas disposições possam ter eficácia jurídica;
c) As normas de eficácia contida, segundo classificação de J osé Afonso da Silva,
permitem a atividade restritiva do legislador infraconstitucional, porém, estas normas
são sempre protegidas contra emenda constitucional por serem clausulas pétreas.
d) Pelo princípio da simetria ou homogeneidade os Estados Federados poderão adotar
em suas Constituições, facultativamente, institutos previstos na Constituição Federal,
como é o caso do Art. 37 da Constituição Federal;
e) O Supremo Tribunal Federal não admite o processo de modificação informal da
Constituição (Mutação Constitucional), posto que por este processo o atual Poder
Legislativo poderia se livrar dos limites estabelecidos para a produção de Emendas à
Constituição;

FIM
6
















































Gabarito:
1 – C; 2 – B; 3 – E; 4 – A; 5 – C; 6 – D; 7 – D; 8 – B; 9 – E; 10 – A;