TV Digital

No dia 2 de dezembro de 2007, a televisão brasileira deu o primeiro passo para uma nova era:
a das Transmissões Terrestres Digitais. A nova tecnologia surge como a evolução da TV
analógica, permitindo inúmeras novidades na forma de se fazer e assistir TV.
Na TV Digital os sons e as imagens são digitalizados e transmitidos. Na tela da TV, a vantagem
mais visível da transmissão digital é o fim dos ruídos e chiados, um conforto que apenas os
consumidores de TV por assinatura podiam desfrutar. Mas é preciso lembrar que imagem de
boa qualidade é apenas uma das muitas vantagens da TV Digital.
Todos podem assistir à TV quando estão fora de casa. A TV Digital permite a recepção em
movimento, com qualidade perfeita, em aparelhos portáteis como palmtops e, claro, celulares.
Ginga
Ginga é o middleware opensource que gerencia as funções de interatividade na televisão
digital do Brasil e em quase toda a América Latina. Ou seja, ele é responsável por executar as
aplicações enviadas pelo transmissor. O Ginga é resultado de vários anos de pesquisa e
desenvolvimento realizados pela PUC-Rio de Janeiro PUC-Rio e pela UFPB. O software Ginga é
divido em três partes: Ginga-CC (núcleo principal), Ginga-J (execução de aplicações em java) e
Ginga-NCL (execução de aplicações escritas em NCL).
O Ginga está presenta nas TVs, Set-Top-Boxes e dispositivos portáteis. Os aparelhos que
possuem o ginga possuem o selo DTVi.
O Governo Federal estipulou a obrigatoriedade de implantação do Ginga na produção de
televisores de alta definição (LCD, LED e plasma) produzidos na Zona Franca de Manaus. Os
fabricantes de receptores terão que entregar a partir de janeiro de 2014 90% com o Ginga.
Com a evolução dos equipamentos DTVi, será possível no futuro utilizar o canal de retorno,
que permitirá votações em programas ou compras de produtos e serviços que estão sendo
anunciados utilizando o controle remoto.
NCL
A linguagem NCL é o padrão ABNT e ITU-T para a criação de conteúdos declarativos interativos
para o Ginga.
A linguagem NCL é uma linguagem do tipo declarativa, isto é, ela especifíca de maneira
imperativa o que deve ser feito. A NCL é baseado no modelo NCM (Nested Context Model, ou
Modelo de Contextos Aninhados). Este modelo usa os conceitos de nós (nodes) e elos (links)
para descrever e relacionar objetos de mídia.
Estrutura
A estrutura básica de um documento NCL define Onde, Como, O que e Quando as mídias irão
aparecer.
Ferramentas de Autoria NCL
Composer
Plugin NCL Eclipse

Composer
NCL Composer é uma ferramenta de autoria flexível e multiplataforma desenvolvida para
auxiliar na criação de aplicações para a TV Digital Interativa (TVDI) em NCL (Nested Context
Language).
O que
As mídias, ou seja, os nós, que serão exibidas no documento.
Quando
Para definir quando as mídias irão aparecer utilizamos os links e ports. Os elementos podem
ser iniciados ou parados em tempos específicos ou através da interação do usuário, exemplo
quando ocorre um clique em um elemento.
Onde
Para definir onde os objetos aparecerão utilizamos as regiões, que são elementos que indicam
a posição e tamanho dos objetos.
Como
Para descrever como um objeto irá aparecer utilizamos os descritores, como por exemplo, o
volume de um som, a transparência de uma imagem. Também relaciona uma mídia com uma
região, ou seja, diz em qual região uma mídia será apresentada.