Balanço Hídrico

10 Previsão de enchentes – métodos indiretos
10.1 Introdução
Os métodos indiretos são utilizados em locais onde há ausência de registro de vazões
observadas; tal fato é sentido, particularmente, em pequenas bacias hidrográficas.
ausência de dados de vazão é o caso mais comum que os engenheiros hidráulicos!
hidr"logos, envolvidos no dimensionamento de obras hidráulicas, enfrentam nas
atividades do dia a dia.
#étodos indiretos mais utilizados$
• #étodo racional;
• #étodo do hidrograma unitário;
• #étodo de %oil &onservation %ervice '%&%(.
)odos os métodos indiretos estimam as vazões a partir dos dados de chuva que são
menos escassos do que os dados de vazão; desta forma, cabe rever, inicialmente, alguns
conceitos de chuvas intensas.
10.2 Chuvas intensas
*ara uma utiliza+ão prática dos dados de chuva nos trabalhos de ,ngenharia, faz-se
necessário conhecer a rela+ão entre as quatro caracter.sticas fundamentais da chuva$
intensidade, dura+ão, freq/ência e distribui+ão.
- 0istribui+ão  análise regional dos dados de diversos postos pluviométricos;
- 1aria+ão da intensidade com a dura+ão  quanto menor a dura+ão considerada,
maior a intensidade média.
- 1aria+ão da intensidade com a freq/ência  quanto mais intensa a chuva, menor a
freq/ência 'maior per.odo de retorno(.
10.2.1 Relação Intensidade-Duração-Fre!"ncia #I-D-F$
- ,m geral, esta rela+ão é representada pela equa+ão do tipo$
n
m
) t t (
KT
i
2
+
=
'32.3(
onde i é a intensidade, t é a dura+ão e T é o per.odo de retorno; K, m, n e t
0
são
par4metros a determinar, que variam de local para local.
2.2 %uação I-D-F &ara al'umas cidades (rasileiras
seguir são apresentadas algumas equa+ões de chuvas intensas, com i em mm!h, t em
minutos e T em anos$
*ara %ão *aulo 'eng5 *aulo %ampaio 6il7en(
3
Balanço Hídrico
289 3
3:8 2
82
: ;<=8
,
,
) t (
T ,
i
+

=
'32.8(
*ara &uritiba 'eng5 *arigot de %ouza(
39 3
83: 2
8=
9>9>
,
,
) t (
T
i
+
=
'32.;(
*ara ?io de @aneiro 'eng5 AlBsses lc4ntara(
:< 2
39 2
82
38;>
,
,
) t (
T
i
+
=
'32.<(
)abela 32.3 C Dntensidade de chuva 'em mm!h( para %ão *aulo.
10.) *em&o de concentração da (acia
Outro par4metro importante no cálculo de vazão por método indireto é o tempo de
concentração da bacia, que é o tempo necessário para que toda a água precipitada na
bacia de drenagem passe a contribuir para a vazão na se+ão de interesse. ,m geral, esse
tempo é adotado como dura+ão da chuva de pro@eto.
,Eistem inFmeras f"rmulas emp.ricas para calcular o tempo de concentra+ão. 0entre
elas, são citadas duas. ,m ambos os casos t
c
é o tempo de concentra+ão em minutos e L é
o comprimento do curso principal em 7m.
a( G"rmula de Hirpich
;I9 , 2
8
9:








⋅ =
S
L
t
c
'32.9(
onde S é a declividade equivalente do curso dJágua em m!7m.
c( G"rmula do &alif"rnia KighLaBs and *ublic 6or7s '&K*6(
;I9 2
;
9:
,
c
H
L
t








=
'32.=(
onde H é a diferen+a de n.vel entre o ponto mais afastado da bacia e o ponto considerado.
8
P e r í o d o d e r e t o r n o (a n o s)
t (min) 2 5 10 50 100 200
10 119,438 139,826 157,531 207,773 234,081 263,720
20 88,937 104,118 117,301 154,713 174,302 196,372
30 70,753 82,831 93,319 123,082 138,666 156,224
40 58,693 68,712 77,412 102,102 115,030 129,595
50 50,115 58,669 66,098 87,179 98,218 110,654
60 43,704 51,165 57,643 76,027 85,654 96,499
120 24,627 28,831 32,481 42,841 48,265 54,376
240 13,057 15,286 17,221 22,714 25,590 28,830
360 8,849 10,360 11,672 15,394 17,343 19,540
480 6,680 7,820 8,810 11,620 13,091 14,748
Balanço Hídrico
10.+ ,étodo Racional
*ara bacias que não apresentam compleEidade e que tenham até 9 7m
8
de área de
drenagem, é usual que a vazão de pro@eto se@a determinada pelo #étodo ?acional. %ão
empregados em pro@etos de drenagem urbana, que tenham estruturas hidráulicas como
galerias e bueiros e ainda para estruturas hidráulicas pro@etadas em pequenas áreas rurais.
O método pode ser representado pela seguinte f"rmula$
= ;,
A i C
Q
p
⋅ ⋅
=
'32.:(
onde
Q
p
- vazão de pico em m
;
!s;
C - coeficiente de escoamento superficial ou coeficiente de Mrun offN; é fun+ão das
caracter.staicas da bacia em estudo 'ver )abela 8(;
i - intensidade da chuva de pro@eto, em mm!h; valor a ser calculado pela equa+ão de
chuvas intensas válidas para o local do pro@eto.
A - área de drenagem da bacia, em 7m
8
.
O método pressupõe a necessidade de que a dura+ão da chuva de pro@eto se@a igual ao
tempo de concentra+ão da bacia 't
c
(.
10.+.1 -e!"ncia de c.lculo
a( 0elimitar a bacia hidrográfica;
b( *lanimetrar a área 'A( e verificar se A ≤ 9 7m
8
;
c( 0ivisão de áreas quanto a cobertura da bacia 'C
1
, C
2
, C

, etc.(;
d( &álculo do C 'média ponderada(
A
A C !!! A C A C
C
n n
+ + +
=
8 8 3 3
'32.I(
e( 0etermina+ão do comprimento do curso principal L e a sua declividade S 'ou H, que é
o desn.vel entre o ponto mais afastado da bacia e a eEut"ria(;
f( &om L e S 'ou H( calcular o tempo de concentra+ão;
g( Gazer a dura+ão da chuva de pro@eto 't( O tempo de concentra+ão 't
c
(;
h( &onhecimento do per.odo de retorno T 'depende da obra hidráulica a ser pro@etada(;
i( &om os valores de T e t calcular a intensidade i 'mm!h( através da equa+ão de chuvas
intensas;
@( &álculo da vazão máEima pela f"rmula
= ;,
A i C
Q
p
⋅ ⋅
=
.
10.+.2 Forma do hidro'rama
;
Balanço Hídrico
O #étodo ?acional adota como hidrogama de pro@eto a forma de tri4ngulo is"celes, no
qual a base é igual a duas vezes o tempo de concentra+ão.
P
p
t
c
t
c
)abela 8 C 1alores de &.
)ipo!cobertura do solo &
%uperf.cies impermeáveis
Qona urbana C vias pavimentadas
)erreno estéril ondulado
)erreno estéril plano
*astagem
Qona urbana C vias não-pavimentadas
#atas
*omares
Rreas cultivadas
1árzeas
2,>2
2,I9
2,:2
2,=2
2,92
2,<2
2,;9
2,;2
2,89
2,82
,Eemplo de aplica+ão do #étodo ?acional$
&alcular a vazão máEima pelo #étodo ?acional, da bacia hidrográfica abaiEo para o
per.odo de retorno de 32 anos. equa+ão de chuvas intensas para o local é$

88 3
3= 2
3I
;<I3
,
,
) t (
T
i
+

=
%ão dados$
&omprimento do curso dJágua 'L( O ;7m
<
Balanço Hídrico
Rrea da bacia 'A( O <,I 7m
8
Rrea da mata O 3,2 7m
8
Rrea da zona urbana pavimentada O 2,I 7m
8
Rrea cultivada O 2,> 7m
8
Rrea de várzea O 8,3 7m
8
?esolu+ão$
a( Rrea da bacia A O <,I 7m
8
&omo A S 9 7m
8
o método ?acional é aplicável.
b( &álculo do coeficiente de escoamento superficial médio da bacia
;9 , 2
I , <
82 , 2 3 , 8 89 , 2 > , 2 I9 , 2 I , 2 ;9 , 2 2 , 3
=
× + × + × + ×
= C
c( &álculo de i
Dnicialmente determina-se o tempo de concentra+ão
∆K O :8>,I< C :2=,38 O 8;,:8 m
;I9 , 2
;
;I9 , 2
;
:8 , 8;
2 , ;
9: 9:








× =








⋅ =
H
L
t
c
≅ =2 minutos
%ubstituindo na equa+ão de chuvas intensas$
: , 8<
( 3I =2 '
32 ;<I3
( 3I '
;<I3
88 , 3
3= , 2
88 , 3
3= , 2
=
+
×
=
+

=
t
T
i
mm!h
c( &álculo de Q
p
$
= , ;
I , < : , 8< ;9 , 2
= , ;
× ×
=
⋅ ⋅
=
A i C
Q
p ∴ Q
p
/ 1101 m
)
2s
9