Resumão - Ética na Administração

Pública
RESUMO
ÉTICA na
AMI!ISTRA"#O
P$%&ICA
Conteúdo
1. Constituição Federal : Direitos e Garantias Fundamentais pag. 02
Constituição Federal : Da Administração Pública pag. 0
2. C!digo Penal : Do Crime pag. 0"
Da #mputabilidade Penal pag. 10
Dos $%eitos da Condenação pag. 11
Dos Crimes praticados por Funcion&rios Públicos pag. 11
Dos Crimes praticados por Particulares ' Administração Pag. 1(
). *egime +ur,dico dos -er.idores Ci.is da /nião
01ei 2.1123 de 1141241""05 pag. 16
Formas de Pro.imento e 7ac8ncia de cargos públicos pag. 16
Direitos e 7antagens pag. 20
1icenças pag. 2)
A%astamentos pag. 2(
-eguridade -ocial do -er.idor Público pag. 2
(. -er.iço Público: conceito3 classi%icação3 regulamentação pag. 22
. Atos Administrati.os: conceitos3 %ormação3 atributos pag. ))
6. Crimes contra a 9rdem :ribut&ria 01ei 2.1);3 2;41241""05 pag. );
;. #mprobidade Administrati.a 01ei 2.(2"3 0240641""25 pag. )2
2. C!digo de <tica Pro%issional do -er.idor Público
Decreto => 1.1;13 de 2240641""( pag. ()
". *esponsabilidade p4 Acesso #moti.ado aos -istemas
#n%ormati?ados da -ecretaria da *eceita Federal
Portaria -*F ;223 de 2040641""; pag. (;
1
Resumão - Ética na Administração
Pública
Alexandre José Granzotto 'ul(o a Outubro )
*++*
RESUM#O - ÉTICA na AMI!ISTRA"#O
P$%&ICA
,- CO!STITUI"#O .EERA& / IREITOS E 0ARA!TIAS
.U!AME!TAIS
:odos são iguais perante a lei3 sem distinção de qualquer natureza3 garantindo@se aos
brasileiros e aos estrangeiros residentes no Pa,s a in.iolabilidade do direito A .ida3 A
liberdade3 A igualdade3 A segurança e A propriedade3 nos termos seguintes:
• Bomens e mulBeres são i1uais em direitos e obri1aç2esC
• nin1u3m ser4 obri1ado a 5a6er ou dei7ar de 5a6er alguma coisa senão em 8irtude
de lei9
• nin1u3m ser4 submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradanteC
• 3 li8re a mani5estação do :ensamento3 sendo P*9#D#D9 o anonimatoC
• 3 asse1urado o direito de res:osta3 proporcional ao agra.o3 al3m da indeni6ação
por dano material3 moral ou A imagemC
• 3 in8iol48el a liberdade de consci;ncia e de crença3 sendo assegurado o li.re
e'erc,cio dos cultos religiosos e garantida3 na %orma da lei3 a proteção aos locais de
culto e a suas liturgiasC
• nin1u3m ser4 :ri8ado de direitos :or moti8o de crença reli1iosa ou de con.icção
%ilos!%ica ou pol,tica3 sal.o se as in.ocar para e'imir@se de obrigação legal a todos
imposta e recusar@se a cumprir prestação alternati.a3 %i'ada em leiC
• E assegurada a :restação de assist;ncia reli1iosa nas entidades ci8is e militares
de internação coleti.aC
• 3 li8re a e7:ressão da ati8idade intelectual< art=stica< cient=5ica e de
comunicação3 independentemente de censura ou licençaC
• são in8iol48eis a intimidade< a 8ida :ri8ada< a (onra e a ima1em das :essoas3
assegurado o direito a indeni?ação pelo dano material ou moral decorrente de sua
.iolaçãoC
• a casa 3 asilo in8iol48el do indi8=duo3 ninguEm nela podendo penetrar sem
consentimento do morador3 sal.o em caso de %lagrante delito ou desastre3 ou para
prestar socorro3 ou3 durante o dia< :or determinação >udicialC
• 3 in8iol48el o si1ilo da corres:ond;ncia e das comunicaçFes telegr&%icas3 de dados
e das comunicaç2es tele5?nicas3 sal.o3 no último caso3 por ordem Gudicial3 nas
Bip!teses e na %orma Hue a lei estabelecer para 5ins de in8esti1ação criminal ou
instrução :rocessual :enal9
2
Resumão - Ética na Administração
Pública
• 3 li8re o e7erc=cio de @ual@uer trabal(o< o5=cio ou :ro5issão3 atendidas as
Huali%icaçFes pro%issionais Hue a lei estabelecerC
• 3 asse1urado a todos o acesso A in5ormação e resguardado o sigilo da %onte3
Huando necess&rio ao e'erc,cio pro%issionalC
• 3 li8re a locomoção no territBrio nacional em tempo de pa?3 podendo HualHuer
pessoa3 nos termos da lei3 nele entrar3 permanecer ou dele sair com seus bensC
• todos podem reunir@se paci%icamente3 sem armas3 em locais abertos ao público3
independentemente de autori?ação3 desde Hue não %rustrem outra reunião
anteriormente con.ocada para o mesmo local3 sendo apenas e'igido prE.io a.iso A
autoridade competenteC
• 3 :lena a liberdade de associação :ara 5ins l=citos3 .edada a de car&ter paramilitarC
• a criação de associaç2es e a de coo:erati8as inde:endem de autori6ação3 sendo
.edada a inter%erIncia estatal em seu %uncionamentoC
• as associaçFes s! poderão ser compulsoriamente dissol.idas ou ter suas ati.idades
suspensas por decisão Gudicial3 e'igindo@se3 no primeiro caso3 o tr8nsito em GulgadoC
• nin1u3m :oder4 ser com:elido a associar-se ou a :ermanecer associadoC
• as entidades associati8as3 Huando e'pressamente autori?adas3 t;m le1itimidade
:ara re:resentar seus 5iliados >udicial ou e7tra>udicialmente9
• 3 1arantido o direito de :ro:riedadeC
• a :ro:riedade atender4 a sua 5unção social9
• a lei estabelecer4 o procedimento :ara desa:ro:riação :or necessidade ou
utilidade :ública3 ou :or interesse social3 mediante Gusta e prE.ia indeni?ação em
dinBeiroC
• no caso de iminente perigo público3 a autoridade competente poder& usar de
propriedade particular3 assegurada ao propriet&rio indeni?ação ulterior3 se Bou.er
danoC
• a :e@uena :ro:riedade rural3 assim de%inida em lei3 desde @ue trabal(ada :ela
5am=lia< não ser4 ob>eto de :en(ora :ara :a1amento de d3bitos decorrentes de
sua ati8idade :roduti8a3 dispondo a lei sobre os meios de %inanciar o seu
desen.ol.imentoC
• 3 1arantido o direito de (erança9
• a sucessão de bens de estrangeiros situados no Pa,s ser& regulada pela lei brasileira
em bene%,cio do cJnGuge ou dos %ilBos brasileiros3 sempre Hue não lBes seGa mais
%a.or&.el a lei pessoal do de cujusC
• o Estado :romo8er4 a de5esa do consumidor9
• todos t;m direito a receber dos Br1ãos :úblicos in5ormaç2es de seu interesse
:articular3 ou de interesse coleti8o ou 1eral3 Hue serão prestadas no pra?o da lei3
sob pena de responsabilidade3 ressal.adas aHuelas cuGo sigilo seGa imprescind,.el A
segurança da sociedade e do $stadoC
• são a todos asse1urados3 independentemente do pagamento de ta'as:
aC o direito de petição aos Poderes Públicos em de%esa de direito ou contra
ilegalidade ou abuso de poderC
bC a obtenção de certidFes em repartiçFes públicas3 para de%esa de direitos e
esclarecimento de situaçFes de interesse pessoalC
• a lei não e'cluir& da apreciação do Poder +udici&rio lesão ou ameaça a direitoC
• a lei não :re>udicar4 o direito ad@uirido< o ato >ur=dico :er5eito e a coisa >ul1adaC
• não (a8er4 >u=6o ou tribunal de e7ceção9
3
Resumão - Ética na Administração
Pública
• E reconBecida a instituição do Gúri3 com a organi?ação Hue lBe der a lei3 assegurados:
aC a plenitude de de%esaC
bC o sigilo das .otaçFesC
cC a soberania dos .eredictosC
dC a competIncia para o Gulgamento dos crimes dolosos contra a .idaC
• não (4 crime sem lei anterior @ue o de5ina< nem :ena sem :r38ia cominação
le1alC
• a lei :enal não retroa1ir4< sal8o :ara bene5iciar o r3uC
• constitui crime ina5ianç48el e im:rescrit=8el a ação de 1ru:os armados3 ci.is ou
militares3 contra a ordem constitucional e o $stado Democr&ticoC
• nen(uma :ena :assar4 da :essoa do condenado3 podendo a obrigação de reparar
o dano e a decretação do perdimento de bens ser estendidas aos sucessores e contra
eles e'ecutadas3 atE o limite do .alor do patrimJnio trans%eridoC
• a lei regular& a indi8iduali6ação da :ena e adotar&3 entre outras3 as seguintes:
aC pri.ação ou restrição da liberdadeC
bC perda de bensC
cC multaC
dC prestação social alternati.aC
eC suspensão ou interdição de direitosC
• não (a8er4 :enas:
aC de morte3 sal.o em caso de guerra declaradaC
bC de car&ter perpEtuoC
cC de trabalBos %orçadosC
dC de banimentoC
eC cruEisC
• nen(um brasileiro ser4 e7traditado3 sal.o o naturali?ado3 em caso de crime comum3
praticado antes da naturali?ação3 ou de compro.ado en.ol.imento em tr&%ico il,cito de
entorpecentes e drogas a%ins3 na %orma da leiC
• não ser4 concedida e7tradição de estran1eiro :or crime :ol=tico ou de o:iniãoC
• nin1u3m ser4 :ri8ado da liberdade ou de seus bens sem o de8ido :rocesso
le1al9
• aos liti1antes< em :rocesso >udicial ou administrati8o3 e aos acusados em geral
são assegurados o contradit!rio e ampla de%esa3 com os meios e recursos a ela
inerentesC
• são inadmiss=8eis3 no processo3 as :ro8as obtidas :or meios il=citos9
• nin1u3m ser4 considerado cul:ado at3 o trDnsito em >ul1ado de sentença :enal
condenatBriaC
• ser4 admitida ação :ri8ada nos crimes de ação :ública3 se esta não %or intentada
no pra?o legalC
• nin1u3m ser4 :reso senão em 5la1rante delito ou :or ordem escrita e
5undamentada de autoridade >udici4ria com:etente3 sal.o nos casos de
transgressão militar ou crime propriamente militar3 de%inidos em leiC
• a :risão ile1al ser4 imediatamente rela7ada :ela autoridade >udici4riaC
• nin1u3m ser4 le8ado A :risão ou nela mantido3 Huando a lei admitir a liberdade
:ro8isBria< com ou sem 5iançaC
• não (a8er4 :risão ci8il :or d=8ida3 sal.o a do respons&.el pelo inadimplemento
.olunt&rio e inescus&.el de obrigação aliment,cia e a do deposit&rio in%ielC
4
Resumão - Ética na Administração
Pública
• conceder-se-4 habeas corpus sem:re Hue alguEm so5rer ou se ac(ar ameaçado
de so5rer 8iol;ncia ou coação em sua liberdade de locomoção3 por ile1alidade ou
abuso de :oder9
• conceder-se-4 mandado de se1urança :ara :rote1er direito l=@uido e certo< não
am:arado :or habeas corpus ou habeas data< @uando o res:ons48el :ela
ile1alidade ou abuso de :oder 5or autoridade :ública ou a1ente de :essoa
>ur=dica no e7erc=cio de atribuiç2es do Poder Público9
• o mandado de se1urança coleti8o pode ser impetrado por:
aC partido pol,tico com representação no Congresso =acionalC
bC organi?ação sindical3 entidade de classe ou associação legalmente constitu,da e
em %uncionamento B& pelo menos um ano3 em de%esa dos interesses de seus
membros ou associadosC
• conceder@se@& mandado de in>unção sempre Hue a %alta de norma regulamentadora
torne in.i&.el o e'erc,cio dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogati.as
inerentes A nacionalidade3 A soberania e A cidadaniaC
• conceder@se@& habeas data:
aC para assegurar o conBecimento de in%ormaçFes relati.as A pessoa do
impetrante3 constantes de registros ou bancos de dados de entidades
go.ernamentais ou de car&ter públicoC
bC para a reti%icação de dados3 Huando não se pre%ira %a?I@lo por processo sigiloso3
Gudicial ou administrati.oC
• @ual@uer cidadão 3 :arte le1=tima :ara :ro:or ação :o:ular @ue 8ise a anular ato
lesi8o ao :atrim?nio :úblico ou de entidade de Hue o $stado participe< A
moralidade administrati8a< ao meio ambiente e ao :atrim?nio (istBrico e cultural3
%icando o autor3 sal.o compro.ada m&@%E3 isento de custas Gudiciais e do Jnus da
sucumbInciaC
• o Estado :restar4 assist;ncia >ur=dica inte1ral e 1ratuita aos @ue com:ro8arem
insu5ici;ncia de recursosC
• o Estado indeni6ar4 o condenado :or erro >udici4rio< assim como o @ue 5icar
:reso al3m do tem:o 5i7ado na sentençaC
• são 1ratuitas as aç2es de habeas corpus e habeas data< e3 na %orma da lei3 os atos
necess&rios ao e'erc,cio da cidadania.
• As normas de%inidoras dos direitos e garantias %undamentais tIm aplicação
imediata.
CO!STITUI"#O .EERA& / A AMI!ISTRA"#O P$%&ICA
5
Resumão - Ética na Administração
Pública
A administração pública direta e indireta de HualHuer dos Poderes da /nião3 dos $stados3
do Distrito Federal e dos Kunic,pios obedecer4 aos :rinc=:ios de &E0A&IAE<
IMPESSOA&IAE< MORA&IAE< PU%&ICIAE e E.ICIE!CIA e3 tambEm3 ao
seguinte:
• os car1os< em:re1os e 5unç2es :úblicas são acess=8eis aos brasileiros assim
como aos estrangeiros3 na %orma da leiC
• a in8estidura em car1o ou em:re1o :úblico de:ende de a:ro8ação :r38ia em
concurso :úblico3 ressal.adas as nomeaçFes para cargo em comissão de li.re
nomeação e e'oneraçãoC
• as 5unç2es de con5iança3 e'ercidas e'clusi.amente por ser.idores ocupantes de
cargo e%eti.o3 e os car1os em comissão3 a serem preencBidos por ser.idores de
carreira3 destinam-se a:enas As atribuiç2es de direção< c(e5ia e assessoramento9
• 3 1arantido ao ser8idor :úblico ci8il o direito A li8re associação sindicalC
• o direito de 1re8e ser4 e7ercido nos termos e nos limites de%inidos em lei
es:ec=5icaC
• a lei estabelecer4 os casos de contratação :or tem:o determinado para atender a
necessidade tempor&ria de e'cepcional interesse públicoC
• a remuneração dos ser8idores :úblicos somente :oder4 ser 5i7ada ou alterada
:or lei es:ec=5ica
• a remuneração e o subs,dio dos ocupantes de cargos3 %unçFes e empregos públicos
da administração direta3 aut&rHuica e %undacional3 dos membros de HualHuer dos
Poderes da /nião3 dos $stados3 do Distrito Federal e dos Kunic,pios3 dos detentores
de mandato eleti.o e dos demais agentes pol,ticos e os pro.entos3 pensFes ou outra
espEcie remunerat!ria3 percebidos cumulati.amente ou não3 inclu,das as .antagens
pessoais ou de HualHuer outra nature?a3 não :oderão e7ceder o subs=dio mensal<
em es:3cie< dos Ministros do Su:remo Tribunal .ederalC
• os 8encimentos dos car1os do Poder &e1islati8o e do Poder 'udici4rio não
:oderão ser su:eriores aos :a1os :elo Poder E7ecuti8oC
• 3 8edada a 8inculação ou e@ui:aração de HuaisHuer espEcies remunerat!rias para o
e%eito de remuneração de :essoal do ser8iço :úblicoC
• o subs=dio e os 8encimentos dos ocu:antes de car1os e em:re1os :úblicos são
irredut=8eis
• E .edada a acumulação remunerada de cargos públicos3 e'ceto3 Huando Bou.er
compatibilidade de Bor&riosC
aC a de dois cargos de pro%essorC
bCa de um cargo de pro%essor com outro3 tEcnico ou cient,%icoC
cC a de dois cargos pri.ati.os de mEdicoC
• a :roibição de acumular estende-se a em:re1os e 5unç2es e abran1e autar@uias<
5undaç2es< em:resas :úblicas< sociedades de economia mista< suas
subsidi4rias< e sociedades controladas< direta ou indiretamente< :elo :oder
:úblico9
• somente por lei espec,%ica poder& ser criada autarHuia e autori?ada a instituição de
empresa pública3 de sociedade de economia mista e de %undação3 cabendo A lei
complementar3 neste último caso3 de%inir as &reas de sua atuaçãoC
• depende de autori?ação legislati.a3 em cada caso3 a criação de subsidi&rias das
entidades mencionadas acima3 assim como a participação de HualHuer delas em
empresa pri.adaC
6
Resumão - Ética na Administração
Pública
• as obras3 ser.iços3 compras e alienaçFes serão contratados mediante processo de
licitação :ública3 o Hual somente :ermitir4 as e7i1;ncias de @uali5icação t3cnica
e econ?mica indispens&.eis A garantia do cumprimento das obrigaçFes.
• A publicidade dos atos3 programas3 obras3 ser.iços e campanBas dos !rgãos
públicos de.er& ter car&ter educati.o3 in%ormati.o ou de orientação social3 dela
não podendo constar nomes3 s,mbolos ou imagens Hue caracteri?em promoção
pessoal de autoridades ou ser.idores públicos.
• A não@obser.8ncia do disposto nos incisos acima implicar& a nulidade do ato e
a punição da autoridade respons&.el3 nos termos da lei.
• A lei disciplinar& as %ormas de participação do usu&rio na administração pública
direta e indireta3 regulando especialmente:
• as reclamaçFes relati.as A prestação dos ser.iços públicos em geral3
asseguradas a manutenção de ser.iços de atendimento ao usu&rio e a
a.aliação peri!dica3 e'terna e interna3 da Hualidade dos ser.içosC
• o acesso dos usu&rios a registros administrati.os e a in%ormaçFes sobre
atos de go.ernoC
• a disciplina da representação contra o e'erc,cio negligente ou abusi.o
de cargo3 emprego ou %unção na administração pública.
• Os atos de im:robidade administrati8a im:ortarão a sus:ensão dos
direitos :ol=ticos3 a :erda da 5unção :ública< a indis:onibilidade dos bens
e o ressarcimento ao er4rio3 sem :re>u=6o da ação :enal cab=8el-
• As :essoas >ur=dicas de direito :úblico e as de direito :ri8ado :restadoras
de ser8iços :úblicos res:onderão :elos danos @ue seus a1entes< nessa
@ualidade< causarem a terceiros< asse1urado o direito de re1resso contra
o res:ons48el nos casos de dolo ou cul:a-
• < .edada a percepção simult8nea de pro.entos de aposentadoria decorrentes
do art. (0 ou dos arts. (2 e 1(2 com a remuneração de cargo3 emprego ou
%unção pública3 ressal.ados os cargos acumul&.eis na %orma desta
Constituição3 os cargos eleti.os e os cargos em comissão declarados em lei de
li.re nomeação e e'oneração.
SERFIORES P$%&ICOS eleitos
Ao ser.idor público da administração direta3 aut&rHuica e %undacional3 no e'erc,cio de
mandato eleti8o3 aplicam@se as seguintes disposiçFes:
• tratando@se de mandato eleti8o 5ederal< estadual ou distrital3 5icar4 a5astado de
seu car1o3 emprego ou %unçãoC
• in.estido no mandato de Pre5eito3 ser& a%astado do cargo3 emprego ou %unção3
sendo@l(e 5acultado o:tar :ela sua remuneraçãoC
• in.estido no mandato de Fereador3 Ba.endo compatibilidade de Bor&rios3 perceber&
as .antagens de seu cargo3 emprego ou %unção3 sem preGu,?o da remuneração do
cargo eleti.o3 e3 não (a8endo com:atibilidade3 ser& aplicada a norma do inciso
anteriorC
• em HualHuer caso Hue e'iGa o a%astamento para o e'erc,cio de mandato eleti.o3 seu
tem:o de ser8iço ser4 contado :ara todos os e5eitos le1ais< e7ceto :ara
:romoção :or merecimentoC
• :ara e5eito de bene5=cio :re8idenci4rio< no caso de a5astamento< os 8alores
serão determinados como se no e7erc=cio esti8esse-
7
Resumão - Ética na Administração
Pública
SERFIORES P$%&ICOS
A /nião3 os $stados3 o Distrito Federal e os Kunic,pios instituirão conselBo de pol,tica de
administração e remuneração de pessoal3 integrado por ser.idores designados pelos
respecti.os Poderes.
 9 membro de Poder3 o detentor de mandato eleti.o3 os Kinistros de $stado e os
-ecret&rios $staduais e Kunicipais serão remunerados $LC1/-#7AK$=:$ por subs=dio
%i'ado em parcela única3 8edado o acr3scimo de @ual@uer 1rati5icação3 adicional<
abono< :r;mio< 8erba de re:resentação ou outra es:3cie remuneratBria-
 1ei da /nião3 dos $stados3 do Distrito Federal e dos Kunic,pios poder& estabelecer a
relação entre a maior e a menor remuneração dos ser.idores públicos
 9s Poderes $'ecuti.o3 1egislati.o e +udici&rio publicarão anualmente os .alores do
subs,dio e da remuneração dos cargos e empregos públicos.
 9s ser.idores abrangidos pelo regime de pre.idIncia de Hue trata este artigo serão
aposentados3 calculados os seus pro.entos a partir dos .alores %i'ados na %orma do M )N:
• por in8alide6 :ermanente3 sendo os :ro8entos :ro:orcionais ao tem:o de
contribuição3 e'ceto se decorrente de acidente em ser.iço3 molEstia pro%issional
ou doença gra.e3 contagiosa ou incur&.el3 especi%icadas em leiC
• com:ulsoriamente3 aos setenta anos de idade3 com :ro8entos :ro:orcionais ao
tem:o de contribuição9
• 8oluntariamente3 desde Hue cumprido tem:o m=nimo de ,+ anos de e5eti8o
e7erc=cio no ser8iço :úblico e G anos no car1o e5eti8o em Hue se dar& a
aposentadoria3 obser.adas as seguintes condiçFes:
aC H+ anos de idade e IG de contribuição3 se Bomem3 e GG anos de
idade e I+ de contribuição3 se mulBerC
bC HG anos de idade3 se Bomem3 e H+ anos de idade3 se mulBer3 com
pro.entos proporcionais ao tempo de contribuição.
 9s pro.entos de aposentadoria e as pensFes3 por ocasião de sua concessão3 não
poderão e'ceder a remuneração do respecti.o ser.idor3 no cargo e%eti.o em Hue se deu a
aposentadoria ou Hue ser.iu de re%erIncia para a concessão da pensão.
 9s pro.entos de aposentadoria3 por ocasião da sua concessão3 serão calculados com
base na remuneração do ser.idor no cargo e%eti.o em Hue se der a aposentadoria e3 na
%orma da lei3 corresponderão A totalidade da remuneração.
 < .edada a adoção de reHuisitos e critErios di%erenciados para a concessão de
aposentadoria aos abrangidos pelo regime de Hue trata este artigo3 ressal.ados os casos
de ati.idades e'ercidas e'clusi.amente sob condiçFes especiais Hue preGudiHuem a
saúde ou a integridade %,sica3 de%inidos em lei complementar.
 9s reHuisitos de idade e de tempo de contribuição serão redu?idos em G anos3 em
relação ao disposto no M 1N3 ###3 a3 para o :ro5essor @ue com:ro8e e7clusi8amente
tempo de e%eti.o e'erc,cio das 5unç2es de ma1ist3rio na educação in5antil e no
ensino 5undamental e m3dio-
8
Resumão - Ética na Administração
Pública
 *essal.adas as aposentadorias decorrentes dos cargos acumul&.eis na %orma desta
Constituição3 E .edada a percepção de mais de uma aposentadoria A conta do regime de
pre.idIncia pre.isto neste artigo.
 1ei dispor& sobre a concessão do bene%,cio da pensão por morte3 Hue ser& igual ao
.alor dos pro.entos do ser.idor %alecido ou ao .alor dos pro.entos a Hue teria direito o
ser.idor em ati.idade na data de seu %alecimento3 obser.ado o disposto no M )>.
 9 tem:o de contribuição 5ederal< estadual ou munici:al ser4 contado :ara e5eito
de a:osentadoria e o tem:o de ser8iço corres:ondente :ara e5eito de
dis:onibilidade-
 A lei não poder& estabelecer HualHuer %orma de contagem de tempo de contribuição
%ict,cio.
 Ao ser8idor ocu:ante3 e'clusi.amente3 de car1o em comissão declarado em lei de
li.re nomeação e e'oneração bem como de outro cargo tempor&rio ou de emprego
público3 a:lica-se o re1ime 1eral de :re8id;ncia social.
 A /nião3 os $stados3 o Distrito Federal e os Kunic,pios3 desde Hue instituam regime de
pre.idIncia complementar para os seus respecti.os ser.idores titulares de cargo e%eti.o3
poderão %i'ar3 para o .alor das aposentadorias e pensFes a serem concedidas pelo
regime de Hue trata este artigo3 o limite m&'imo estabelecido para os bene%,cios do
regime geral de pre.idIncia social de Hue trata o art. 201.
 -ão ESTJFEIS ap!s tr;s anos de e5eti8o e7erc=cio os ser8idores nomeados
:ara car1o de :ro8imento e5eti8o em .irtude de concurso público.
 9 ser8idor :úblico est48el s! perder& o cargo:
• em .irtude de sentença Gudicial transitada em GulgadoC
• mediante processo administrati.o em Hue lBe seGa assegurada ampla
de%esaC
• mediante procedimento de a.aliação peri!dica de desempenBo3 na %orma de
lei complementar3 assegurada ampla de%esa.
 In8alidada :or sentença >udicial a D$K#--O9 do ser8idor est48el3 ser4 ele
REI!TE0RAO3 e o e.entual ocupante da .aga3 se est48el3 *$C9=D/P#D9 ao
cargo de origem3 sem direito a indenização3 apro.eitado em outro cargo ou posto
em disponibilidade com remuneração proporcional ao tempo de serviço.
 E7tinto o car1o ou declarada a sua desnecessidade3 o ser8idor est48el %icar& em
disponibilidade3 com remuneração proporcional ao tempo de ser.iço3 atE seu
adeHuado a:ro8eitamento em outro cargo.
9
Resumão - Ética na Administração
Pública
 Como condição :ara a a@uisição da estabilidade3 E obri1atBria a AFA&IA"#O
ESPECIA& E ESEMPE!KO por comissão institu,da para essa %inalidade.
OS MI&ITARES OS ESTAOS< O ISTRITO .EERA& E OS TERRITLRIOS
 9s membros das Pol,cias Kilitares e Corpos de Dombeiros Kilitares3 instituiçFes
organi?adas com base na BierarHuia e disciplina3 são militares dos $stados3 do
Distrito Federal e dos :errit!rios.
 A:licam-se aos militares dos $stados3 do Distrito Federal e dos :errit!rios3 alEm
do Hue .ier a ser %i'ado em lei3 as disposiçFes do art. 1(3 M 2>C do art. (03 M ">C e do
art. 1(23 MM 2> e )>3 cabendo a lei estadual espec,%ica dispor sobre as matErias do
art. 1(23 M )>3 inciso L3 sendo as patentes dos o%iciais con%eridas pelos respecti.os
go.ernadores.
 Aos militares dos $stados3 do Distrito Federal e dos :errit!rios e a seus
pensionistas3 aplica@se o disposto no art. (03 MM ;> e 2>.Q
art- ,M
N OP - 9 militar alist48el 3 ele1=8el3 atendidas as seguintes condiçFes:
I @ se contar menos de de6 anos de ser8iço3 de8er4 a5astar-se da ati8idadeC
II @ se contar mais de de6 anos de ser8iço3 ser& agregado pela autoridade
superior e3 se eleito< :assar4 automaticamente< no ato da diplomação< :ara a
inati8idade.
art- M+
N QP 9 tempo de contribuição %ederal3 estadual ou municipal ser& contado para e%eito
de aposentadoria e o tempo de ser.iço correspondente para e%eito de disponibilidade.
art- ,M*
N *P - !ão caber4 habeas corpus em relação a :uniç2es disci:linares militares.
*- CLI0O PE!A& %RASI&EIRO
O CRIME 
Relação de causalidade  9 resultado3 de Hue depende a e'istIncia do crime3 somente
E imput&.el a Huem lBe deu causa. Considera@se causa a ação ou omissão sem a @ual o
resultado não teria ocorrido-
Rele8Dncia da omissão  A omissão E penalmente rele.ante Huando o omitente de.ia e
podia agir para e.itar o resultado. 9 de.er de agir incumbe a Huem:
aC tenBa por lei obrigação de cuidado3 proteção ou .igil8nciaC
10
Resumão - Ética na Administração
Pública
bC de outra %orma3 assumiu a responsabilidade de impedir o resultadoC
cC com seu comportamento anterior3 criou o risco da ocorrIncia do resultado.
Tentati8a  Huando3 iniciada a e'ecução3 não se consuma por circunst8ncias alBeias A
.ontade do agente.
esist;ncia 8olunt4ria e arre:endimento e5ica6  9 agente Hue3 .oluntariamente3
desiste de prosseguir na e'ecução ou impede Hue o resultado se produ?a3 s! responde
pelos atos G& praticados.
Arre:endimento :osterior  =os crimes cometidos sem .iolIncia ou gra.e ameaça A
pessoa3 reparado o dano ou restitu,da a coisa3 atE o recebimento da denúncia ou da
Huei'a3 por ato .olunt&rio do agente3 a pena ser& redu?ida de um a dois terços.
Crime im:oss=8el  =ão se pune a tentati.a Huando3 por ine%ic&cia absoluta do meio ou
por absoluta impropriedade do obGeto3 E imposs,.el consumar@se o crime.
Crime doloso  Huando o a1ente @uis o resultado ou assumiu o risco de :rodu6i-loC
Crime cul:oso  Huando o a1ente deu causa ao resultado por #KP*/DR=C#A3
=$G1#GR=C#A 9/ #KP$*SC#A.
Crime consumado  Huando nele se reúnem todos os elementos de sua de%inição
legalC
“ninguém pode ser punido por fato previsto como crime, senão quando o pratica
dolosamente. “
A1ra8ação :elo resultado  Pelo resultado Hue agra.a especialmente a pena3 s!
responde o agente Hue o Bou.er causado ao menos culposamente.
Erro sobre elementos do ti:o  9 erro sobre elemento constituti.o do tipo legal de
crime e'clui o dolo3 mas permite a punição por crime culposo3 se pre.isto em lei.
Erro determinado :or terceiro  *esponde pelo crime o terceiro Hue determina o erro.
Erro sobre a :essoa  9 erro Huanto A pessoa contra a Hual o crime E praticado não
isenta de pena. =ão se consideram3 neste caso3 as condiçFes ou Hualidades da .,tima3
senão as da pessoa contra Huem o agente Hueria praticar o crime.
Erro sobre a ilicitude do 5ato  O desconhecimento da lei é inescusável. 9 erro
sobre a ilicitude do %ato3 se ine.it&.el3 isenta de :enaC se e.it&.el3 poder& diminu=-la de
um se7to a um terço-
• Considera@se e8it48el o erro se o agente atua ou se omite sem a consciIncia da
ilicitude do %ato3 Huando lBe era poss,.el3 nas circunst8ncias3 ter ou atingir essa
consciIncia.
Coação irresist=8el e obedi;ncia (ier4r@uica  -e o %ato E cometido sob coação
irresist=8el ou em estrita obedi;ncia a ordem3 não mani%estamente ilegal3 de superior
Bier&rHuico3 sB 3 :un=8el o autor da coação ou da ordem.
11
Resumão - Ética na Administração
Pública
E7clusão de ilicitude  =ão B& crime Huando o agente pratica o %ato:
I @ em estado de necessidadeC
II @ em leg,tima de%esaC
III @ em estrito cumprimento de de.er legal ou no e'erc,cio regular de direito.
E7cesso :un=8el  9 agente3 em HualHuer destas Bip!teses3 responder&
pelo e'cesso doloso ou culposo.
Estado de necessidade  Considera@se em estado de necessidade Huem pratica o
%ato para sal.ar de perigo atual3 Hue não pro.ocou por sua .ontade3 nem podia de outro
modo e.itar3 direito pr!prio ou alBeio3 cuGo sacri%,cio3 nas circunst8ncias3 não era ra?o&.el
e'igir@se.
• =ão pode alegar estado de necessidade Huem tinBa o de.er legal de en%rentar o
perigo.
• $mbora seGa ra?o&.el e'igir@se o sacri%,cio do direito ameaçado3 a pena poder&
ser redu?ida de um a dois terços.
&e1=tima de5esa  $ntende@se em le1=tima de5esa Huem3 usando moderadamente dos
meios necess&rios3 re:ele in>usta a1ressão< atual ou iminente< a direito seu ou de
outrem-
A IMPUTA%I&IAE PE!A&
Inim:utabilidade  < a isenção de pena Huando o agente Hue3 por doença mental ou
desen.ol.imento mental incompleto ou retardado3 era3 ao tempo da ação ou da omissão3
inteiramente inca:a6 de entender o car&ter il,cito do %ato ou de determinar@se de acordo
com esse entendimento.
Redução de :ena  A pena pode ser redu?ida de um a dois terços3 se o agente3 em
.irtude de perturbação de saúde mental ou por desen.ol.imento mental incompleto ou
retardado não era inteiramente ca:a6 de entender o car&ter il,cito do %ato ou de
determinar@se de acordo com esse entendimento.
Menores de de6oito anos  9s menores de 12 0de?oito5 anos são :enalmente
inim:ut48eis3 %icando suGeitos As normas estabelecidas na legislação especial.
Emoção e :ai7ão  =ão e'cluem a imputabilidade penal:
I @ a emoção ou a pai'ãoC
II @ a embriague?3 .olunt&ria ou culposa3 pelo &lcool ou subst8ncia de e%eitos
an&logos.
• < isento de pena o agente Hue3 por embriague? completa3 pro.eniente
de caso %ortuito ou %orça maior3 era3 ao tempo da ação ou da omissão3
inteiramente incapa? de entender o car&ter il,cito do %ato ou de
determinar@se de acordo com esse entendimento.
• A pena pode ser redu?ida de um a dois terços3 se o agente3 por
embriague?3 pro.eniente de caso %ortuito ou %orça maior3 não possu,a3 ao
12
Resumão - Ética na Administração
Pública
tempo da ação ou da omissão3 a plena capacidade de entender o car&ter
il,cito do %ato ou de determinar@se de acordo com esse entendimento.
OS E.EITOS A CO!E!A"#O
E5eitos 1en3ricos e es:ec=5icos  -ão e%eitos da condenação:
I @ tornar certa a obri1ação de indeni6ar o dano causado pelo
crimeC
II @ a :erda em 5a8or da União3 ressal.ado o direito do lesado ou
de )> de boa@%E:
aC dos instrumentos do crime3 desde Hue consistam em coisas
cuGo %abrico3 alienação3 uso3 porte ou detenção constitua %ato
il,citoC
bC do produto do crime ou de HualHuer bem ou .alor Hue
constitua pro.eito au%erido pelo agente com a pr&tica do %ato
criminoso.
III @ a :erda de car1o< 5unção :ública ou mandato eleti8o:
aC Huando a:licada :ena :ri8ati8a de liberdade :or
tem:o i1ual ou su:erior a , ano3 nos crimes praticados
com abuso de :oder ou 8iolação de de8er para com a
Administração PúblicaC
bC Huando %or a:licada :ena :ri8ati8a de liberdade :or
tem:o su:erior a M R@uatroC anos nos demais casos.
• 9s e%eitos da condenação não são autom&ticos3 de.endo ser
moti.adamente declarados na sentença.
OS CRIMES CO!TRA A AMI!ISTRA"#O P$%&ICA
CRIMES PRATICAOS POR .U!CIO!JRIO P$%&ICO CO!TRA A AMI!ISTRA"#O
.uncion4rio :úblico  Considera@se 5uncion4rio :úblico3 para os e%eitos penais3
Huem3 embora transitoriamente ou sem remuneração3 e7erce car1o< em:re1o ou 5unção
:ública.
• $Huipara@se a %uncion&rio público Huem e'erce cargo3 emprego ou %unção em entidade
paraestatal3 e Huem trabalBa para empresa prestadora de ser.iço contratada ou
con.eniada para a e'ecução de ati.idade t,pica da Administração Pública.
• A pena ser& aumentada da terça parte Huando os autores dos crimes pre.istos neste
Cap,tulo %orem ocupantes de cargos em comissão ou de %unção de direção ou
assessoramento de !rgão da administração direta3 sociedade de economia mista3
empresa pública ou %undação institu,da pelo poder público.
13
Resumão - Ética na Administração
Pública
S Peculato  APROPRIAR-SE o %uncion&rio público de dinBeiro3 .alor ou HualHuer
outro bem m!.el3 público ou particular3 de Hue tem a posse em ra?ão do
cargo3 ou ESFIJ-&O3 em :ro8eito :rB:rio ou al(eio:
• Pena @ reclusão3 de 2 0dois5 a 12 0do?e5 anos3 e multa.
• Aplica@se a mesma pena3 se o %uncion&rio público3 embora não tendo a posse do
dinBeiro3 .alor ou bem3 o subtrai3 ou concorre para Hue seGa subtra,do3 em
pro.eito pr!prio ou alBeio3 .alendo@se de %acilidade Hue lBe proporciona a
Hualidade de %uncion&rio.
S Peculato cul:oso  -e o %uncion&rio concorre cul:osamente para o crime de
outrem:
• Pena @ detenção3 de ) 0trIs5 meses a 1 0um5 ano.
• Caso a reparação do dano se precede A sentença irrecorr,.el< e7tin1ue a
:unibilidadeC se lBe E posterior3 r edu? A metade a :ena im:osta-
S Peculato mediante erro de outrem  A:ro:riar-se de dinBeiro ou HualHuer utilidade
Hue3 no e'erc,cio do cargo< recebeu :or erro de outrem:
• Pena @ reclusão3 de 1 0um5 a ( 0Huatro5 anos3 e multa.
S Inserção de dados 5alsos em sistema de in5ormaç2es  #nserir ou %acilitar a inserção
de dados %alsos3 alterar ou e'cluir inde.idamente dados corretos nos sistemas
in%ormati?ados ou bancos de dados da Administração Pública com o %im de obter
.antagem inde.ida para si ou para outrem ou para causar dano:
• Pena T reclusão3 de 2 0dois5 a 12 0do?e5 anos3 e multa.
S Modi5icação ou alteração não autori6ada de sistema de in5ormaç2es  Kodi%icar ou
alterar sistema de in%ormaçFes ou programa de in%orm&tica sem autori?ação ou solicitação
de autoridade competente:
• Pena T detenção3 de ) 0trIs5 meses a 2 0dois5 anos3 e multa.
• As penas são aumentadas de um terço atE a metade se da modi%icação ou
alteração resulta dano para a Administração Pública ou para o administrado.
E7tra8io< sone1ação ou inutili6ação de li8ro ou documento  E7tra8iar li.ro o%icial ou
HualHuer documento3 de Hue tem a guarda em ra?ão do cargoC sone14-lo ou inutili64-lo3
total ou parcialmente:
• Pena @ reclusão3 de 1 0um5 a ( 0Huatro5 anos3 se o %ato não constitui crime
mais gra.e.
Em:re1o irre1ular de 8erbas ou rendas :úblicas  Dar As .erbas ou rendas públicas
a:licação di8ersa da estabelecida em lei:
• Pena @ detenção3 de 1 0um5 a ) 0trIs5 meses3 ou multa.
Concussão  ETI0IR3 para si ou para outrem3 direta ou indiretamente3 ainda Hue %ora da
%unção ou antes de assumi@la3 mas em ra?ão dela3 8anta1em inde8ida:
• Pena @ reclusão3 de 2 0dois5 a 2 0oito5 anos3 e multa.
14
Resumão - Ética na Administração
Pública
E7cesso de ETA"#O  -e o %uncion&rio ETI0E tributo ou contribuição social Hue
sabe ou de.eria saber inde8ido3 ou3 @uando de8ido3 emprega na cobrança meio
8e7atBrio ou 1ra8oso3 Hue a lei não autori?a:
• Pena @ reclusão3 de ) 0trIs5 a 2 0oito5 anos3 e multa.
• -e o %uncion&rio des.ia3 em pro.eito pr!prio ou de outrem3 o Hue recebeu
inde.idamente para recolBer aos co%res públicos:
• Pena @ reclusão3 de 2 0dois5 a 12 0do?e5 anos3 e multa.
Corru:ção :assi8a  SO&ICITAR ou receber3 para si ou para outrem3 direta ou
indiretamente3 ainda Hue %ora da %unção ou antes de assumi@la3 mas em ra?ão dela3
.antagem inde.ida3 ou ACEITAR promessa de tal .antagem:
• Pena @ reclusão3 de 1 0um5 a 2 0oito5 anos3 e multa.
• A pena E aumentada de um terço se3 em conseHUIncia da .antagem ou
promessa3 o %uncion&rio retarda ou dei'a de praticar HualHuer ato de o%,cio ou o
pratica in%ringindo de.er %uncional.
• -e o %uncion&rio pratica3 dei'a de praticar ou retarda ato de o%,cio3 com in%ração
de de.er %uncional3 cedendo a pedido ou in%luIncia de outrem:
• Pena @ detenção3 de ) 0trIs5 meses a 1 0um5 ano3 ou multa.
.acilitação de contrabando ou descamin(o  .ACI&ITAR3 com in%ração de de.er
%uncional3 a pr&tica de contrabando ou descaminBoC
• Pena @ reclusão3 de ) 0trIs5 a 2 0oito5 anos3 e multa.
Pre8aricação  RETARAR ou EITAR E PRATICAR3 inde.idamente3 ato de o%,cio3
ou pratic&@lo contra disposição e'pressa de lei3 para satis5a6er interesse ou sentimento
:essoal:
• Pena @ detenção3 de ) 0trIs5 meses a 1 0um5 ano3 e multa.
Condescend;ncia criminosa  EITAR o %uncion&rio3 :or I!U&0E!CIA< L<
%O!AE3 de responsabili?ar subordinado Hue cometeu in%ração no e'erc,cio do cargo
ou3 Huando lBe %alte competIncia3 não le.ar o %ato ao conBecimento da autoridade
competente:
• Pena @ detenção3 de 1 0Huin?e5 dias a 1 0um5 mIs3 ou multa.
Ad8ocacia administrati8a  PATROCI!AR< direta ou indiretamente3 interesse pri.ado
perante a administração pública3 .alendo@se da Hualidade de %uncion&rio:
• Pena @ detenção3 de 1 0um5 a ) 0trIs5 meses3 ou multa.
• -e o interesse E ileg,timo:
• Pena @ detenção3 de ) 0trIs5 meses a 1 0um5 ano3 alEm da multa.
Fiol;ncia arbitr4ria  Praticar .iolIncia3 no e'erc,cio de %unção ou a prete'to de
e'ercI@la:
15
Resumão - Ética na Administração
Pública
• Pena @ detenção3 de 6 0seis5 meses a ) 0trIs5 anos3 alEm da pena
correspondente A .iolIncia.
Abandono de 5unção  A%A!O!AR CAR0O P$%&ICO 3 %ora casos permitidos em
lei:
• Pena @ detenção3 de 1 0Huin?e5 dias a 1 0um5 mIs3 ou multa.
• -e do %ato resulta preGu,?o público:
• Pena @ detenção3 de ) 0trIs5 meses a 1 0um5 ano3 e multa.
• -e o %ato ocorre em lugar compreendido na %ai'a de %ronteira:
• Pena @ detenção3 de 1 0um5 a ) 0trIs5 anos3 e multa.
E7erc=cio 5uncional ile1almente anteci:ado ou :rolon1ado  $ntrar no e'erc,cio de
%unção pública antes de satis%eitas as e'igIncias legais3 ou continuar a e'ercI@la3 sem
autori?ação3 depois de saber o%icialmente Hue %oi e'onerado3 remo.ido3 substitu,do ou
suspenso:
• Pena @ detenção3 de 1 0Huin?e5 dias a 1 0um5 mIs3 ou multa.
Fiolação de si1ilo 5uncional  *e.elar %ato de Hue tem ciIncia em ra?ão do cargo e
Hue de.a permanecer em segredo3 ou %acilitar@lBe a re.elação:
• Pena @ detenção3 de 6 0seis5 meses a 2 0dois5 anos3 ou multa3 se o %ato
não constitui crime mais gra.e.
• =as mesmas penas deste artigo incorre Huem:
I T permite ou %acilita3 mediante atribuição3 %ornecimento e emprEstimo de
senBa ou HualHuer outra %orma3 o acesso de pessoas não autori?adas
a sistemas de in%ormaçFes ou banco de dados da Administração
PúblicaC
II T se utili?a3 inde.idamente3 do acesso restrito.
• -e da ação ou omissão resulta dano A Administração Pública ou a outrem:
• Pena T reclusão3 de 2 0dois5 a 6 0seis5 anos3 e multa.
Fiolação do si1ilo de :ro:osta de concorr;ncia  De.assar o sigilo de proposta de
concorrIncia pública3 ou proporcionar a terceiro o enseGo de de.ass&@lo:
• Pena @ detenção3 de ) 0trIs5 meses a 1 0um5 ano3 e multa.
CRIMES PRATICAOS POR PARTICU&ARES CO!TRA A AMI!ISTRA"#O
Usur:ação de 5unção :ública  USURPAR o e'erc,cio de %unção pública:
• Pena @ detenção3 de ) 0trIs5 meses a 2 0dois5 anos3 e multa.
• -e do %ato o agente au%ere .antagem:
• Pena @ reclusão3 de 2 0dois5 a 0cinco5 anos3 e multa.
16
Resumão - Ética na Administração
Pública
Resist;ncia  O:or-se A e7ecução de ato le1al3 mediante .iolIncia ou ameaça a
%uncion&rio competente para e'ecut&@lo ou a Huem lBe esteGa prestando au',lio:
• Pena @ detenção3 de 2 0dois5 meses a 2 0dois5 anos.
esobedi;ncia  esobedecer a ordem le1al de %uncion&rio público:
• Pena @ detenção3 de 1 0Huin?e5 dias a 6 0seis5 meses3 e multa.
esacato  ESACATAR %uncion&rio público no e'erc,cio da %unção ou em ra?ão dela:
• Pena @ detenção3 de 6 0seis5 meses a 2 0dois5 anos3 ou multa.
Tr45ico de in5lu;ncia  SO&ICITAR< ETI0IR< CO%RAR OU O%TER3 para si ou para
outrem3 .antagem ou promessa de .antagem3 a prete'to de in%luir em ato praticado por
%uncion&rio público no e'erc,cio da %unção:
• Pena T reclusão3 de 2 0dois5 a 0cinco5 anos3 e multa.
• A pena E aumentada da metade3 se o agente alega ou insinua Hue a .antagem E
tambEm destinada ao %uncion&rio.
Corru:ção ati8a  9%erecer ou prometer .antagem inde.ida a %uncion&rio público3 para
determin&@lo a praticar3 omitir ou retardar ato de o%,cio:
• Pena @ reclusão3 de 1 0um5 ano a 2 0oito5 anos3 e multa.
• A pena E aumentada de um terço3 se3 em ra?ão da .antagem ou promessa3 o
%uncion&rio retarda ou omite ato de o%,cio3 ou o pratica in%ringindo de.er
%uncional.
Contrabando ou descamin(o  #mportar ou e'portar mercadoria proibida ou iludir3 no
todo ou em parte3 o pagamento de direito ou imposto de.ido pela entrada3 pela sa,da ou
pelo consumo de mercadoria:
• Pena @ reclusão3 de 1 0um5 a ( 0Huatro5 anos.
• #ncorre na mesma pena Huem:
aC pratica na.egação de cabotagem3 %ora dos casos permitidos em leiC
bC pratica %ato assimilado3 em lei especial3 a contrabando ou descaminBoC
cC .ende3 e'pFe A .enda3 mantEm em dep!sito ou3 de HualHuer %orma3
utili?a em pro.eito pr!prio ou alBeio3 no e'erc,cio de ati.idade
comercial ou industrial3 mercadoria de procedIncia estrangeira Hue
introdu?iu clandestinamente no Pa,s ou importou %raudulentamente ou
Hue sabe ser produto de introdução clandestina no territ!rio nacional
ou de importação %raudulenta por parte de outremC
dC adHuire3 recebe ou oculta3 em pro.eito pr!prio ou alBeio3 no e'erc,cio
de ati.idade comercial ou industrial3 mercadoria de procedIncia
estrangeira3 desacompanBada de documentação legal3 ou
acompanBada de documentos Hue sabe serem %alsos.
17
Resumão - Ética na Administração
Pública
• $Huipara@se As ati.idades comerciais3 para os e%eitos deste artigo3 HualHuer %orma
de comErcio irregular ou clandestino de mercadorias estrangeiras3 inclusi.e o
e'ercido em residIncias.
• A pena aplica@se em dobro3 se o crime de contrabando ou descaminBo E praticado
em transporte aEreo.
Im:edimento< :erturbação ou 5raude de concorr;ncia  #mpedir3 perturbar ou %raudar
concorrIncia pública ou .enda em Basta pública3 promo.ida pela administração %ederal3
estadual ou municipal3 ou por entidade paraestatalC a%astar ou procurar a%astar concorrente
ou licitante3 por meio de .iolIncia3 gra.e ameaça3 %raude ou o%erecimento de .antagem:
• Pena @ detenção3 de 6 0seis5 meses a 2 0dois5 anos3 ou multa3 alEm da
pena correspondente A .iolIncia.
• #ncorre na mesma pena Huem se abstEm de concorrer ou licitar3 em ra?ão da
.antagem o%erecida.
Inutili6ação de edital ou de sinal  *asgar ou3 de HualHuer %orma3 inutili?ar ou
conspurcar edital a%i'ado por ordem de %uncion&rio públicoC .iolar ou inutili?ar selo ou sinal
empregado3 por determinação legal ou por ordem de %uncion&rio público3 para identi%icar
ou cerrar HualHuer obGeto:
• Pena @ detenção3 de 1 0um5 mIs a 1 0um5 ano3 ou multa.
Subtração ou inutili6ação de li8ro ou documento  -ubtrair3 ou inutili?ar3 total ou
parcialmente3 li.ro o%icial3 processo ou documento con%iado A cust!dia de %uncion&rio3 em
ra?ão de o%,cio3 ou de particular em ser.iço público:
• Pena @ reclusão3 de 2 0dois5 a 0cinco5 anos3 se o %ato não constitui crime
mais gra.e.
Sone1ação de contribuição :re8idenci4ria  -uprimir ou redu?ir contribuição social
pre.idenci&ria e HualHuer acess!rio3 mediante as seguintes condutas:
I T omitir de %olBa de pagamento da empresa ou de documento de
in%ormaçFes pre.isto pela legislação pre.idenci&ria segurados
empregado3 empres&rio3 trabalBador a.ulso ou trabalBador autJnomo
ou a este eHuiparado Hue lBe prestem ser.içosC
II T dei'ar de lançar mensalmente nos t,tulos pr!prios da contabilidade da
empresa as Huantias descontadas dos segurados ou as de.idas pelo
empregador ou pelo tomador de ser.içosC
III T omitir3 total ou parcialmente3 receitas ou lucros au%eridos3
remuneraçFes pagas ou creditadas e demais %atos geradores de
contribuiçFes sociais pre.idenci&rias:
• Pena T reclusão3 de 2 0dois5 a 0cinco5 anos3 e multa.
• < e'tinta a punibilidade se o agente3 espontaneamente3 declara e con%essa as
contribuiçFes3 import8ncias ou .alores e presta as in%ormaçFes de.idas A
pre.idIncia social3 na %orma de%inida em lei ou regulamento3 antes do in,cio da
ação %iscal.
18
Resumão - Ética na Administração
Pública
I- RE0IME 'URUICO OS SERFIORES CIFIS A U!I#O
PROFIME!TO E CAR0OS P$%&ICOS
-ão re@uisitos b4sicos para in8estidura em cargo público:
# @ a nacionalidade brasileiraC
## @ o go?o dos direitos pol,ticosC
### @ a Huitação com as obrigaçFes militares e eleitoraisC
#7 @ o n,.el de escolaridade e'igido para o e'erc,cio do cargoC
7 @ a idade m,nima de 12 0de?oito5 anosC
7# @ aptidão %,sica e mental.
• Vs pessoas portadoras de de%iciIncia E assegurado o direito de se inscre.er em
concurso público para pro.imento de cargo cuGas atribuiçFes seGam compat,.eis
com a de%iciIncia de Hue são portadorasC para tais pessoas serão reser.adas atE
20W 0.inte por cento5 das .agas o%erecidas no concurso.
• 9 pro.imento dos cargos públicos %ar@se@& mediante ato da autoridade competente
de cada Poder.
• A in8estidura do car1o :úblico ocorrer4 com a :osse-
o Concurso Público
• a in8estidura em car1o ou em:re1o :úblico de:ende de a:ro8ação :r38ia em
concurso :úblico de :ro8as ou de :ro8as e t=tulos3 de acordo com a nature?a e a
comple'idade do cargo ou emprego3 na %orma pre.ista em lei < ressal8adas as
nomeaç2es :ara car1o em comissão declarado em lei de li8re nomeação e
e7oneraçãoC
• 9 concurso público ter& 8alidade de at3 * RdoisC anos3 :odendo ser :rorro1ada
uma única 8e6< :or i1ual :er=odo.
19
Resumão - Ética na Administração
Pública
• !ão se abrir4 no8o concurso en@uanto (ou8er candidato a:ro8ado em concurso
anterior com :ra6o de 8alidade não e7:irado-
• 9 ser.idor (abilitado em concurso :úblico e em:ossado em car1o de :ro8imento
e5eti8o adHuirir& estabilidade no ser8iço :úblico a:Bs I anos de e5eti8o e7erc=cio.
• 9 ser8idor :erder4 o car1o em 8irtude de sentença >udicial transitada em
>ul1ado3 de :rocesso administrati8o ou insu5ici;ncia de desem:en(o3 no Hual lBe
seGam assegurados o contradit!rio e a ampla de%esa.
a Posse e do E7erc=cio
• A posse dar@se@& pela assinatura do res:ecti8o termo3 no Hual de.erão constar/ as
atribuiç2es< os de8eres< as res:onsabilidades e os direitos ao car1o ocu:ado.
$stas especi%icaçFes não poderão ser alteradas unilateralmente3 por HualHuer das
partes.
• A posse ocorrer& no pra?o de I+ RtrintaC dias contados da :ublicação do ato
de pro.imento.
• $m se tratando de ser.idor3 Hue esteGa na data de publicação do ato de
pro.imento3 em licença ou a5astamento3 o pra?o ser& contado do tErmino do
impedimento.
• Conceder-se-á ao servidor licença:
- por motivo de doença em pessoa da família;
- para o serviço militar;
- para capacitação;
• Além das ausncias ao serviço previstas no art! "#$ são
considerados como de efetivo e%ercício os afastamentos em
virtude de:
- férias;
- participação em programa de treinamento
- j&ri e outros serviços obrigat'rios por lei;
- licença:
a( ) gestante$ ) adotante e ) paternidade;
b( para tratamento da pr'pria sa&de$ até o limite de *+
meses$ cumulativo ao longo do tempo de serviço
p&blico$ em cargo de provimento efetivo;
c( por motivo de acidente em serviço ou doença
profissional;
d( para capacitação;
e( por convocação para o serviço militar;
• A posse poder& dar@se mediante procuração espec,%ica.
• SB (a8er4 :osse nos casos de :ro8imento de car1o :or nomeação.
20
Resumão - Ética na Administração
Pública
• -er& tornado sem e5eito o ato de :ro8imento se a posse não ocorrer no pra?o
pre.isto de )0 0trinta5 dias.
• < de 1 0Huin?e5 dias o pra?o para o ser.idor empossado em cargo público entrar
em e'erc,cio3 contados da data da posse. Caso não cumpra este pra?o3 o ser.idor
ser& e'onerado do cargo ou ser& tornado sem e%eito o ato de sua designação.
• Ao entrar em e'erc,cio3 o ser.idor nomeado para o cargo de pro.imento e%eti.o
%icar& suGeito a est&gio probat!rio por per,odo de )6 0trinta e seis5 meses3 durante o
Hual a sua aptidão e capacidade serão obGeto de a.aliação para o desempenBo do
cargo3 obser.ados os seguintes %atores:
# @ assiduidadeC
## @ disciplinaC
### @ capacidade de iniciati.aC
#7 @ produti.idadeC
7 @ responsabilidade.
• 9 ser.idor não a:ro8ado no est41io :robatBrio ser4 e7onerado ou3 se est48el3
recondu?ido ao cargo anteriormente ocupado
• Ao ser8idor em est41io :robatBrio somente poderão ser concedidas as
licenças e os a5astamentos :re8istos A%AITO3 bem como a5astamento :ara
:artici:ar de curso de 5ormação decorrente de apro.ação em concurso para
outro cargo na Administração Pública Federal.
# @ por moti.o de doença em pessoa da %am,liaC
## @ por moti.o de a%astamento do cJnGuge ou companBeiroC
### @ para o ser.iço militarC
#7 @ para ati.idade pol,ticaC
.ormas de :ro8imento de car1o :úblico 
I - nomeação9
II - :romoção9
III - reada:tação9
IF - re8ersão9
F - a:ro8eitamento9
FI - reinte1ração9
FII - recondução-
!omeação  A nomeação %ar@se@&:
# @ em car4ter e5eti8o3 Huando cargo isolado de pro.imento e%eti.o ou de carreiraC
## - em comissão3 para cargos de con%iança .agos.
• A nomeação para cargo de carreira ou cargo isolado de pro.imento e%eti.o
depende de prE.ia Babilitação em concurso público de pro.as ou de pro.as e
t,tulos3 obedecidos a ordem de classi%icação e o pra?o de .alidade.
21
Resumão - Ética na Administração
Pública
Promoção  os demais reHuisitos para o ingresso e o desen.ol.imento do ser.idor na
carreira3 mediante promoção3 serão estabelecidos pela lei Hue %i'ar as diretri?es do
sistema de carreira na Administração Pública Federal e seus regulamentos.
• A promoção não interrompe o tempo de e'erc,cio3 Hue E contado no no.o
posicionamento na carreira a partir da data de publicação do ato Hue promo.er
o ser.idor.
Reada:tação  E a in8estidura do ser8idor em cargo de atribuiçFes e
responsabilidades compat,.eis com a limitação Hue tenBa so%rido em sua capacidade
%,sica ou mental .eri%icada em inspeção mEdica.
• -e >ul1ado inca:a6 :ara o ser8iço :úblico3 o readaptando ser4 a:osentado.
• A readaptação ser& e%eti.ada em cargo de atribuiçFes a%ins3 respeitada a
Babilitação e'igida3 n,.el de escolaridade e eHui.alIncia de .encimentos e3 na
Bip!tese de ine'istIncia de cargo .ago3 o ser.idor e'ercer& suas atribuiçFes como
e'cedente3 atE a ocorrIncia de .aga.
Re8ersão  E o retorno A ati8idade de ser.idor aposentado:
# @ :or in8alide63 Huando Gunta mEdica o%icial declarar insubsistentes os
moti.os da aposentadoriaC ou
## @ no interesse da administração3 desde Hue:
a5 tenBa solicitado a re.ersãoC
b5 a aposentadoria tenBa sido .olunt&riaC
c5 est&.el Huando na ati.idadeC
d5 a aposentadoria tenBa ocorrido nos anos anteriores A solicitaçãoC
e5 BaGa cargo .ago.
• A re.ersão %ar@se@& no mesmo cargo ou no cargo resultante de sua
trans%ormação.
• 9 tempo em Hue o ser.idor esti.er em e'erc,cio ser& considerado para
concessão da aposentadoria.
• 9 ser.idor Hue retornar A ati.idade por interesse da administração
perceber&3 em substituição aos pro.entos da aposentadoria3 a
remuneração do cargo Hue .oltar a e'ercer3 inclusi.e com as .antagens
de nature?a pessoal Hue percebia anteriormente A aposentadoria.
• 9 ser.idor de Hue trata o inciso ## somente ter& os pro.entos calculados
com base nas regras atuais se permanecer pelo menos cinco anos no
cargo.
A:ro8eitamento  9 retorno A ati.idade de ser.idor em disponibilidade %ar@se@&
mediante a:ro8eitamento obri1atBrio em cargo de atribuiçFes e .encimentos
compat,.eis com o anteriormente ocupado.
• 9 Xrgão Central do -istema de Pessoal Ci.il determinar& o imediato
apro.eitamento de ser.idor em disponibilidade em .aga Hue .ier a ocorrer nos
!rgãos ou entidades da Administração Pública %ederal.
• o ser8idor :osto em dis:onibilidade poder& ser mantido sob responsabilidade do
!rgão central do -istema de Pessoal Ci.il da Administração Federal T -#P$C3 atE o
seu adeHuado apro.eitamento em outro !rgão ou entidade.
22
Resumão - Ética na Administração
Pública
• -er& tornado sem e5eito o a:ro8eitamento e cassada a dis:onibilidade se o
ser.idor não entrar em e7erc=cio no :ra6o le1al3 sal.o doença compro.ada por
Gunta mEdica o%icial.
Reinte1ração  E a rein8estidura do ser8idor est48el no cargo anteriormente
ocupado3 ou no cargo resultante de sua trans%ormação3 Huando in.alidada a sua
demissão por decisão administrati.a ou Gudicial3 com ressarcimento de todas as
.antagens.
• =a Bip!tese de o cargo ter sido e'tinto3 o ser.idor %icar& em disponibilidade3 com
remuneração proporcional ao tempo de ser.iço.
• $ncontrando@se pro.ido o cargo3 o seu e.entual ocupante ser& recondu?ido ao
cargo de origem3 sem direito a indeni?ação ou apro.eitamento em outro cargo3 ou3
ainda3 posto em disponibilidade.
Recondução  E o retorno do ser.idor est&.el ao cargo anteriormente ocupado e
decorrer& de:
# @ inabilitação em est41io :robatBrio relati.o a outro cargoC
## - reinte1ração do anterior ocu:ante.
• $ncontrando@se pro.ido o cargo de origem3 o ser.idor ser& apro.eitado em
outro
• O ocu:ante de car1o em comissão ou 5unção de con5iança submete-se a
re1ime de inte1ral dedicação ao ser8iço< obser8ado o dis:osto no art- ,*+<
:odendo ser con8ocado sem:re @ue (ou8er interesse da Administração-
FACV!CIA E CAR0OS P$%&ICOS
• A .ac8ncia do cargo público decorrer& de:
I - e7oneração9
II - demissão9
III - :romoção9
IF - reada:tação9
F - a:osentadoria9
FI - :osse em outro car1o inacumul48el9
FII - 5alecimento-
E7oneração 
• a e7oneração de car1o e5eti8o dar@se@& a pedido do ser.idor3 ou de o%,cio.
• A e'oneração de o%,cio dar@se@&:
# @ Huando não satis%eitas as condiçFes do est&gio probat!rioC
## @ Huando3 tendo tomado posse3 o ser.idor não entrar em e'erc,cio
no pra?o estabelecido.
• a e7oneração de car1o em comissão e a dis:ensa de 5unção de con5iança3
dar@se@&:
# @ a Gu,?o da autoridade competenteC
## @ a pedido do pr!prio ser.idor.
23
Resumão - Ética na Administração
Pública
A REMO"#O E A REISTRI%UI"#O
Remoção  E o deslocamento do ser8idor3 a :edido ou de o5=cio3 no 8mbito do
mesmo Huadro3 com ou sem mudança de sede.
# @ de o%,cio3 no interesse da AdministraçãoC
## @ a pedido3 a critErio da AdministraçãoC
### @ a pedido3 para outra localidade3 independentemente do interesse da
Administração:
• a5 para acompanBar cJnGuge ou companBeiro3 ser.idor público ou
militar3 de HualHuer dos Poderes da /nião3 dos $stados3 do Distrito
Federal e dos Kunic,pios3 Hue %oi deslocado no interesse da
AdministraçãoC
• b5 por moti.o de saúde do ser.idor3 cJnGuge3 companBeiro ou
dependente Hue .i.a As suas e'pensas e conste do seu
assentamento %uncionalC
• c5 em .irtude de processo seleti.o promo.ido3 na Bip!tese em Hue
o número de interessados %or superior ao número de .agas3 de
acordo com normas preestabelecidas pelo !rgão ou entidade em
Hue aHueles esteGam lotados.
Redistribuição  E o deslocamento de car1o de :ro8imento e5eti8o3 ocupado ou
.ago no 8mbito do Huadro geral de pessoal3 :ara outro Br1ão ou entidade do mesmo
Poder3 obser.ados os seguintes preceitos:
@ interesse da administraçãoC
@ eHui.alIncia de .encimentosC
@ manutenção da essIncia das atribuiçFes do cargoC
@ .inculação entre os graus de responsabilidade e comple'idade das
ati.idadesC
@ mesmo n,.el de escolaridade3 especialidade ou Babilitação pro%issionalC
@ compatibilidade entre as atribuiçFes do cargo e as %inalidades institucionais
do !rgão ou entidade.
• A redistribuição ocorrer& ex officio para aGustamento de lotação e da %orça de
trabalBo As necessidades dos ser.iços3 inclusi.e nos casos de reorgani?ação3
e'tinção ou criação de !rgão ou entidade.
• A redistribuição de cargos e%eti.os .agos se dar& mediante ato conGunto entre o
!rgão central do -#P$C e os !rgãos e entidades da Adm. Pública Federal
en.ol.idos.
• =os casos de reor1ani6ação ou e7tinção de !rgão ou entidade< e7tinto o car1o
ou declarada sua desnecessidade no Br1ão ou entidade3 o ser.idor est&.el Hue
não %or redistribu,do ser& colocado em disponibilidade3 atE seu apro.eitamento
24
Resumão - Ética na Administração
Pública
• , retorno ) atividade de servidor em disponibilidade far-se-á mediante
aproveitamento obrigat'rio em cargo de atribuiç-es e vencimentos
compatíveis com o anteriormente ocupado.
• , .rgão Central do /istema de 0essoal Civil determinará o imediato
aproveitamento de servidor em disponibilidade em vaga 1ue vier a ocorrer
nos 'rgãos ou entidades da Administração 0&blica federal!
OS IREITOS E FA!TA0E!S
IREITOS
Fencimento  E a retribuição pecuni&ria pelo e'erc,cio de cargo público3 com .alor
%i'ado em lei.
Remuneração  E o .encimento do cargo e%eti.o3 acrescido das .antagens pecuni&rias
permanentes estabelecidas em lei.
• =enBum ser.idor poder& perceber3 mensalmente3 a t,tulo de remuneração ou
subs,dio3 im:ortDncia su:erior A soma dos 8alores :ercebidos como
subs=dio mensal< em es:3cie< dos Ministros do Su:remo Tribunal .ederal.
• $'cluem@se do teto as seguintes .antagens: dEcimo terceiro sal&rio3 adicional
de %Erias3 Bora@e'tra3 sal&rio@%am,lia3 di&rias3 aGuda de custo e transporte.
• -al.o por imposição legal3 ou mandado Gudicial3 nenBum desconto incidir& sobre
a remuneração ou pro.ento.
• Kediante autori?ação do ser.idor3 poder& Ba.er consignação em %olBa de
pagamento a %a.or de terceiros3 a critErio da administração e com reposição de
custos3 na %orma de%inida em regulamento.
• 9 .encimento3 a remuneração e o pro.ento não serão obGeto de arresto3
seHUestro ou penBora3 e'ceto nos casos de prestação de alimentos resultante
de decisão Gudicial.
FA!TA0E!S
• AlEm do .encimento3 :oderão ser :a1as ao ser8idor as seguintes 8anta1ens/
# @ indeni6aç2esC
## @ 1rati5icaç2esC
### @ adicionais.
• As indeni6aç2es não se incor:oram ao 8encimento ou
:ro8ento para HualHuer e%eito.
25
Resumão - Ética na Administração
Pública
• As 1rati5icaç2es e os adicionais incor:oram-se ao 8encimento
ou :ro8ento3 nos casos e condiçFes indicados em lei.
as Indeni6aç2es  Constituem indeni?açFes ao ser.idor: a>uda de custo9 di4rias e
trans:orte-
• A>uda de Custo  A aGuda de custo destina@se a com:ensar as des:esas de
instalação do ser.idor Hue3 no interesse do ser.iço< :assar a ter e7erc=cio em
no8a sede< com mudança de domic=lio em car4ter :ermanente3 .edado o duplo
pagamento de indeni?ação3 a HualHuer tempo3 no caso de o cJnGuge ou
companBeiro Hue detenBa tambEm a condição de ser.idor .ier a ter e'erc,cio na
mesma sede.
• A aGuda de custo E calculada sobre a remuneração do ser.idor3 não
podendo e'ceder a import8ncia correspondente a ) 0trIs5 meses.
• =ão ser& concedida aGuda de custo ao ser.idor Hue se a%astar do cargo3
ou reassumi@lo3 em .irtude de mandato eleti.o.
• -er& concedida aGuda de custo AHuele Hue3 não sendo ser.idor da /nião3
%or nomeado para cargo em comissão3 com mudança de domic,lio.
• i4rias  9 ser.idor Hue3 a ser8iço< a5astar-se da sede em car4ter e8entual ou
transitBrio para outro ponto do territ!rio nacional ou para o e'terior3 %ar& Gus a
passagens e di&rias destinadas a indeni?ar as parcelas de despesas
e'traordin&rias com pousada3 alimentação e locomoção urbanaC
• A di&ria ser& concedida por dia de a%astamento3 sendo de.ida pela
metade Huando o deslocamento não e'igir pernoite %ora da sede3 ou
Huando a /nião custear3 por meio di.erso3 as despesas e'traordin&rias
cobertas por di&rias.
• Indeni6ação de Trans:orte  Conceder@se@& indeni?ação de transporte ao
ser.idor Hue reali6ar des:esas com a utili6ação de meio :rB:rio de locomoção
para a e'ecução de ser.iços e'ternos3 por %orça das atribuiçFes pr!prias do cargo.
as 0rati5icaç2es e Adicionais  AlEm do .encimento e das .antagens3 serão
de%eridos aos ser.idores as seguintes retribuiçFes3 grati%icaçFes e adicionais:
@ retribuição pelo e'erc,cio de %unção de direção3 cBe%ia e
assessoramentoC
@ grati%icação natalinaC
@ adicional pelo e'erc,cio de ati.idades insalubres3 perigosas ou pe@
nosasC
@ adicional pela prestação de ser.iço e'traordin&rioC
@ adicional noturnoC
@ adicional de %EriasC
@ adicional ou prImio de produti.idade.
• Retribuição :elo E7erc=cio de .unção de ireção< C(e5ia e Assessoramento
 Ao ser.idor ocu:ante de cargo e%eti.o in.estido em %unção de direção3 cBe%ia
26
Resumão - Ética na Administração
Pública
ou assessoramento3 cargo de pro.imento em comissão ou de nature?a espe cial 3
de8ida retribuição :elo seu e7erc=cio.
• 0rati5icação !atalina  A grati%icação natalina corresponde a 1412 0um do?e
a.os5 da remuneração a Hue o ser.idor %i?er Gus no mIs de de?embro3 por mIs de
e'erc,cio no respecti.o ano.
• Adicionais de Insalubridade< Periculosidade ou Ati8idades Penosas  9s
ser.idores Hue trabalBem com Babitualidade em locais insalubres ou em contato
permanente com subst8ncias t!'icas3 radioati.as ou com risco de .ida3 %a?em Gus a
um adicional sobre o .encimento do cargo e%eti.o.
• 9 ser.idor Hue %i?er Gus aos adicionais de insalubridade e de
periculosidade de.er& optar por um deles.
• Adicional :or Ser8iço E7traordin4rio  9 ser.iço e'traordin&rio ser&
remunerado com acrEscimo de 0W 0cinHUenta por cento5 em relação A Bora
normal de trabalBo.
• Adicional !oturno  9 ser.iço noturno3 prestado em Bor&rio compreendido entre
22 0.inte e duas5 Boras de um dia e cinco Boras do dia seguinte3 ter& o .alor@Bora
acrescido de 2W 0.inte e cinco por cento5 computando@se cada Bora como
cinHUenta e dois minutos e trinta segundos.
• Adicional de .3rias  #ndependentemente de solicitação3 ser& pago ao ser.idor3
por ocasião de %Erias3 um adicional correspondente a 14) 0um terço5 da
remuneração do per,odo de %Erias.
&ICE!"AS
is:osiç2es 0erais  Conceder@se@& ao ser.idor licença:
@ por moti.o de doença em pessoa da %am,liaC
@ por moti.o de a%astamento do cJnGuge ou companBeiroC
@ para o ser.iço militarC
@ para ati.idade pol,ticaC
@ para capacitaçãoC
@ para trato de interesses particularesC
@ para desempenBo de mandato classista.
• < .edado o e'erc,cio de ati.idade remunerada durante o per,odo
da licença pre.ista no inciso # deste artigo.
• A licença concedida dentro de sessenta dias do tErmino de outra
da mesma espEcie ser& considerada como prorrogação.
27
Resumão - Ética na Administração
Pública
• &icença :or Moti8o de oença em Pessoa da .am=lia  Poder& ser concedida
licença ao ser.idor por moti.o de doença do cJnGuge ou companBeiro3 dos pais3
dos %ilBos3 do padrasto ou madrasta e enteado ou dependente Hue .i.a As suas
e'pensas e conste do seu assentamento %uncional3 mediante compro.ação por
Gunta mEdica o%icial.
• A licença ser& concedida sem preGu,?o da remuneração do cargo e%eti.o3
atE )0 0trinta5 dias3 podendo ser prorrogada por atE )0 0trinta5 dias3 me@
diante parecer de Gunta mEdica o%icial e3 e'cedendo estes pra?os3 sem
remuneração3 por atE "0 0no.enta5 dias.
• &icença :or Moti8o de A5astamento do C?n>u1e  Poder& ser concedida
licença ao ser.idor para acompanBar cJnGuge ou companBeiro Hue %oi deslocado
para outro ponto do territ!rio nacional3 para o e'terior ou para o e'erc,cio de
mandato eleti.o dos Poderes $'ecuti.o e 1egislati.o.
• A licença ser& por pra?o indeterminado e sem remuneração.
• &icença :ara o Ser8iço Militar  Ao ser.idor con.ocado para o ser.iço militar
ser& concedida licença. Conclu,do o ser.iço militar3 o ser.idor ter& atE )0 0trinta5
dias sem remuneração para reassumir o e'erc,cio do cargo.
• &icença :ara Ati8idade Pol=tica  9 ser.idor ter& direito a licença3 sem
remuneração3 durante o per,odo Hue mediar entre a sua escolBa em con.enção
partid&ria3 como candidato a cargo eleti.o3 e A .Espera do registro de sua
candidatura perante a +ustiça $leitoral.
• 9 ser.idor candidato a cargo eleti.o na localidade onde desempenBa
suas %unçFes e Hue e'erça cargo de direção3 cBe%ia3 assessoramento3
arrecadação ou %iscali?ação3 dele ser& a%astado3 a partir do dia imediato
ao do registro de sua candidatura perante a +ustiça $leitoral3 atE o 10>
0dEcimo5 dia seguinte ao do pleito.
• A partir do registro da candidatura e atE o 10> 0dEcimo5 dia seguinte ao
da eleição3 o ser.idor %ar& Gus A licença3 assegurados os .encimentos do
cargo e%eti.o3 somente pelo per,odo de ) 0trIs5 meses.
• &icença :ara Ca:acitação  Ap!s cada HUinHUInio de e%eti.o e'erc,cio3 o
ser.idor poder&3 no interesse da Administração3 a%astar@se do e'erc,cio do
cargo e%eti.o3 com a respecti.a remuneração3 por atE ) 0trIs5 meses3 para
participar de curso de capacitação pro%issional.
• a &icença :ara Tratar de Interesses Particulares  A critErio da
Administração3 poderão ser concedidas ao ser.idor ocupante de cargo e%eti.o3
28
Resumão - Ética na Administração
Pública
desde Hue não esteGa em est&gio probat!rio3 licenças para o trato de assuntos
particulares3 pelo pra?o de atE ) 0trIs5 anos consecuti.os3 sem remuneração.
• &icença :ara o esem:en(o de Mandato Classista  < assegurado ao
ser.idor o direito A licença sem remuneração para o desempenBo de mandato
em con%ederação3 %ederação3 associação de classe de 8mbito nacional3
sindicato representati.o da categoria ou entidade %iscali?adora da pro%issãoC
• A licença ter& duração igual A do mandato3 podendo ser
prorrogada3 no caso de reeleição3 e por uma única .e?.
A.ASTAME!TOS
• A5astamento :ara Ser8ir a outro Lr1ão ou Entidade  9 ser.idor poder& ser
cedido para ter e'erc,cio em outro !rgão ou entidade dos Poderes da /nião3 dos
$stados3 ou do Distrito Federal e dos Kunic,pios3 nas seguintes Bip!teses:
@ para e'erc,cio de cargo em comissão ou %unção de con%iançaC
@ em casos pre.istos em leis espec,%icas.
• o Jnus da remuneração ser& do !rgão ou entidade cession&ria3 mantido
o Jnus para o cedente nos demais casos.
• =a Bip!tese de o ser.idor cedido A empresa pública ou sociedade de
economia mista3 nos termos das respecti.as normas3 optar pela remu@
neração do cargo e%eti.o3 a entidade cession&ria e%etuar& o reembolso
das despesas reali?adas pelo !rgão ou entidade de origem.
• A cessão %ar@se@& mediante portaria publicada no Di&rio 9%icial da /nião.
• Kediante autori?ação e'pressa do Presidente da *epública3 o ser.idor
do Poder $'ecuti.o poder& ter e'erc,cio em outro !rgão da
Administração Federal direta Hue não tenBa Huadro pr!prio de pessoal3
para %im determinado e a pra?o certo.
• A5astamento :ara E7erc=cio de Mandato Eleti8o  Ao ser.idor in.estido em
mandato eleti.o aplicam@se as seguintes disposiçFes:
• # @ tratando@se de mandato %ederal3 estadual ou distrital3 %icar&
a%astado do cargoC
• ## @ in.estido no mandato de Pre%eito3 ser& a%astado do cargo3
sendo@lBe %acultado optar pela sua remuneraçãoC
• ### @ in.estido no mandato de .ereador:
a5 Ba.endo compatibilidade de Bor&rio3 perceber& as .antagens
de seu cargo3 sem preGu,?o da remuneração do cargo eleti.oC
b5 não Ba.endo compatibilidade de Bor&rio3 ser& a%astado do
cargo3 sendo@lBe %acultado optar por sua remuneração.
29
Resumão - Ética na Administração
Pública
• =o caso de a%astamento do cargo3 o ser.idor contribuir& para a
seguridade social como se em e'erc,cio esti.esse.
• 9 ser.idor in.estido em mandato eleti.o ou classista não poder&
ser remo.ido ou redistribu,do de o%,cio para localidade di.ersa
daHuela onde e'erce o mandato.
• A5astamento :ara Estudo ou Missão no E7terior  9 ser.idor não poder&
ausentar@se do Pa,s para estudo ou missão o%icial3 sem autori?ação do Presidente
da *epública3 Presidente dos Xrgãos do Poder 1egislati.o e Presidente do
-upremo :ribunal Federal.
• A ausIncia não e'ceder& Huatro anos3 e %inda a missão ou estudo3
somente decorrido igual per,odo3 ser& permitida no.a ausIncia.
• Ao ser.idor bene%iciado pelo disposto neste artigo não ser& concedida
e'oneração ou licença para tratar de interesse particular antes de
decorrido per,odo igual ao do a%astamento3 ressal.ada a Bip!tese de
ressarcimento da despesa Ba.ida com seu a%astamento.
• 9 disposto neste artigo não se aplica aos ser.idores da carreira
diplom&tica.
• As Bip!teses3 condiçFes e %ormas para a autori?ação de Hue trata este
artigo3 inclusi.e no Hue se re%ere A remuneração do ser.idor3 serão
disciplinadas em regulamento.
A SE0URIAE SOCIA& O SERFIOR
 9 Plano de Se1uridade Social do Ser8idor ser& custeado com o produto da
arrecadação de contribuiçFes sociais obrigat!rias dos ser.idores ati.os dos poderes da
/nião3 das autarHuias e das FundaçFes Públicas.
• 9 ser8idor ocu:ante de car1o em comissão Hue não seGa3 simultaneamente3
ocupante de cargo ou emprego e%eti.o na Administração Pública direta3
aut&rHuica e %undacional3 não ter4 direito aos bene5=cios do Plano de
Se1uridade Social3 com e'ceção da assistIncia A saúde.
 9s bene5=cios do Plano de -eguridade -ocial do ser.idor compreendem:
I - @uanto ao ser8idor/
a5 aposentadoriaC
b5 au',lio@maternidadeC
c5 sal&rio@%am,lia para o servidor de bai%a renda;
d5 licença para tratamento de saúdeC
e5 licença A gestante3 A adotante e licença@paternidadeC
30
Resumão - Ética na Administração
Pública
%5 licença por acidente em ser.içoC
g5 assistIncia A saúdeC
B5 garantia de condiçFes indi.iduais e ambientais de trabalBo
satis%at!riasC
II - @uanto ao de:endente/
a5 pensão .ital,cia e tempor&riaC
b5 au',lio@%uneralC
c5 au',lio@reclusão para o servidor de bai%a rendaC
d5 assistIncia A saúde.
• As aposentadorias e pensFes serão concedidas e mantidas pelos !rgãos ou
entidades aos Huais se encontram .inculados os ser.idores
• /ão estendidos aos inativos 1uais1uer benefícios ou vantagens
posteriormente concedidas aos servidores em atividade$ inclusive
1uando decorrentes de transformação ou reclassificação do cargo
ou função em 1ue se deu a aposentadoria!
%E!E.UCIOS 
a A:osentadoria  9 ser.idor ser4 a:osentado:
# @ por in.alide? permanente3
## @ compulsoriamente3 aos ;0 0setenta5 anos de idade3
### @ .oluntariamente3 desde Hue cumprido tempo m,nimo de de? anos de
e%eti.o e'erc,cio no ser.iço público e cinco anos de cargo e%eti.o
a5 no caso de aposentadoria .olunt&ria integral @ 60 anos de idade
e ) anos de contribuição3 se Bomem3 e anos de idade e )0
anos3 se mulBerC
no caso de aposentadoria .olunt&ria por idade T 6 anos de idade3 se Bomem3 e 60
anos de idade3 se mulBerC
Au7=lio-!atalidade  E de.ido A ser.idora por moti.o de nascimento de %ilBo3 em
Huantia eHui.alente ao menor .encimento do ser.iço público3 inclusi.e no caso de
natimorto.
• =a Bip!tese de parto múltiplo3 o .alor ser& acrescido de 0W 0cinHUenta por
cento53 por nascituro.
• 9 au',lio ser& pago ao cJnGuge ou companBeiro ser.idor público3 Huando a
parturiente não %or ser.idora.
Sal4rio-.am=lia  E de.ido ao ser.idor de bai'a renda3 por dependente econJmicoC
&icença :ara Tratamento de Saúde  -er& concedida ao ser.idor licença para
tratamento de saúde3 a pedido ou de o%,cio3 com base em per,cia mEdica3 sem preGu,?o da
remuneração a Hue %i?er Gus.
• 9 ser.idor Hue durante o mesmo e'erc,cio atingir o limite de trinta dias de
licença para tratamento de saúde3 consecuti.os ou não3 para a concessão de
31
Resumão - Ética na Administração
Pública
no.a licença3 independentemente do pra?o de sua duração3 ser& submetido a
inspeção por Gunta mEdica o%icial.
&icença A 0estante< A Adotante e &icença-Paternidade  -er& concedida licença A
ser.idora gestante por 120 0cento e .inte5 dias consecuti.os3 sem preGu,?o da
remuneração.
• Pelo nascimento ou adoção de %ilBos3 o ser.idor ter& direito A licença@
paternidade de 0cinco5 dias consecuti.os.
• Para amamentar o pr!prio %ilBo3 atE a idade de 6 0seis5 meses3 a ser.idora
lactante ter& direito3 durante a Gornada de trabalBo3 a uma Bora de descanso3
Hue poder& ser parcelada em dois per,odos de meia Bora.
• V ser.idora Hue adotar ou obti.er guarda Gudicial de criança atE 1 0um5 ano de
idade3 serão concedidos "0 0no.enta5 dias de licença remunerada.
&icença :or Acidente em Ser8iço  -er& licenciado com remuneração integral3 o
ser.idor acidentado em ser.iço.
Pensão  Por morte do ser.idor3 os dependentes %a?em Gus a uma pensão mensal de
.alor correspondente ao da respecti.a remuneração ou pro.ento3 a partir da data do !bitoC
• A :ensão 8ital=cia E composta de cota ou cotas permanentes3 Hue
somente se e'tinguem ou re.ertem com a morte de seus bene%ici&rios.
• A :ensão tem:or4ria E composta de cota ou cotas Hue podem se
e'tinguir ou re.erter por moti.o de morte3 cessação de in.alide? ou
maioridade do bene%ici&rio.
• -ão bene%ici&rios das pensFes:
I - 8ital=cia/
a5 o cJnGugeC
b5 a pessoa desHuitada3 separada Gudicialmente ou di.orciada3 com
percepção de pensão aliment,ciaC
c5 o0a5 companBeiro0a5 Hue compro.e união est&.el como entidade
%amiliarC
d5 a mãe e o pai Hue compro.em dependIncia econJmica do ser.idorC
e5 a pessoa designada3 maior de 60 0sessenta5 anos e a pessoa
portadora de de%iciIncia3 Hue .i.am sob a dependIncia econJmica do
ser.idorC
II - tem:or4ria/
a5 os %ilBos3 ou enteados3 atE 21 0.inte e um5 anos de idade ou3 se
in.&lidos3 enHuanto durar a in.alide?C
b5 o menor sob guarda ou tutela atE 21 0.inte e um5 anos de idadeC
c5 o irmão !r%ão3 atE 21 0.inte e um5 anos3 e o in.&lido3 enHuanto durar a
in.alide?3 Hue compro.em dependIncia econJmica do ser.idorC
d5 a pessoa designada Hue .i.a na dependIncia econJmica do ser.idor3
atE 21 0.inte e um5 anos3 ou3 se in.&lida3 enHuanto durar a in.alide?.
• =ão %a? Gus A pensão o bene%ici&rio condenado pela pr&tica de crime doloso de
Hue tenBa resultado a morte do ser.idor.
32
Resumão - Ética na Administração
Pública
Au7=lio-.uneral  9 au',lio@%uneral E de.ido A %am,lia do ser.idor %alecido na ati.idade
ou aposentado3 em .alor eHui.alente a 1 0um5 mIs da remuneração ou pro.ento.
Au7=lio-Reclusão  V %am,lia do ser.idor ati.o de bai'a renda E de.ido o au',lio@
reclusão3 nos seguintes .alores:
# @ dois terços da remuneração3 Huando a%astado por moti.o de prisão3 em
%lagrante ou pre.enti.a3 determinada pela autoridade competente3 enHuanto
perdurar a prisãoC
## @ metade da remuneração3 durante o a%astamento3 em .irtude de condenação3
por sentença de%initi.a3 A pena Hue não determina a perda do cargo.
• =os casos pre.istos no inciso # deste artigo3 o ser.idor ter& direito A
integrali?ação da remuneração3 desde Hue absol.ido.
• 9 pagamento do au',lio@reclusão cessar& a partir do dia imediato AHuele em
Hue o ser.idor %or posto em liberdade3 ainda Hue condicional.
A ASSISTE!CIA W SA$E
A assistIncia A saúde do ser.idor3 ati.o ou inati.o3 e de sua %am,lia3 compreende
assistIncia mEdica3 Bospitalar3 odontol!gica3 psicol!gica e %armacIutica3 prestada pelo
Sistema $nico de Saúde X SUS ou diretamente pelo !rgão ou entidade ao Hual esti.er
.inculado o ser.idor3
M- SERFI"O P$%&ICO
Conceito  -er.iço Público E todo aHuele prestado pela Administração ou por seus
delegados3 sob normas e controles estatais3 para satis%a?er necessidades essenciais ou
secund&rias da coleti.idade ou simples con.eniIncias do $stado.
• A atribuição primordial da Administração Pública E o%erecer utilidades aos
administrados3 não se Gusti%icando sua presença senão para prestar ser.iços A
coleti.idade.
• $sses ser.iços podem ser essenciais ou a:enas úteis A comunidade3 da, a
necess&ria distinção entre ser.iços públicos e ser.iços de utilidade públicaC
mas3 em sentido amplo e genErico3 Huando aludimos a ser.iço público3
abrangemos ambas as categorias.
Particularidades do Ser8iço Público 
• são .inculados ao princ,pio da legalidadeC
33
Resumão - Ética na Administração
Pública
• a Adm. Pública pode unilateralmente criar obrigaçFes aos e'ploradores do
ser.içoC
• continuidade do ser.iço C
Caracter=sticas 
 Elemento Sub>eti8o - o ser.iço público E sempre incumbIncia do $stado. <
permitido ao $stado delegar determinados ser.iços públicos3 sempre atra.Es de lei e sob
regime de concessão ou :ermissão e por licitação- < o pr!prio $stado Hue escolBe os
ser.iços Hue3 em determinado momento3 são considerados ser.iços públicos. 2%!:
Correios; telecomunicaç-es; radiodifusão; energia elétrica; navegação aérea e infra-
estrutura portuária; transporte ferroviário e marítimo entre portos brasileiros e fronteiras
nacionais; transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros; portos
fluviais e lacustres; serviços oficiais de estatística$ geografia e geologia 3 4562; serviços
e instalaç-es nucleares;
• -er.iço Hue compete aos $stados  distribuição de g&s canali?adoC
 Elemento .ormal X o regime Gur,dico3 a princ,pio3 E de Direito Público. Yuando3
porEm3 particulares prestam ser.iço em colaboração com o Poder Público o regime
Gur,dico E B,brido3 podendo pre.alecer o Direito Público ou o Direito Pri.ado3 dependendo
do Hue dispuser a lei. $m ambos os casos3 a res:onsabilidade 3 ob>eti8a. 0os danos
causados pelos seus agentes serão indeni?ados pelo $stado5
 Elemento Material X o ser.iço público de.e corresponder a uma ati.idade de interesse
público.
Princ=:ios do Ser8iço Público  Faltando HualHuer desses reHuisitos em um ser.iço
público ou de utilidade pública3 E de.er da Administração inter.ir para restabelecer seu
regular %uncionamento ou retomar sua prestação.
• Princ=:io da Perman;ncia ou continuidade - impFe continuidade no ser.içoC
os ser.iços não de.em so%rer interrupçFesC
• Princ=:io da 1eneralidade @ impFe ser.iço igual para todosC de.em ser
prestados sem discriminação dos bene%ici&riosC
• Princ=:io da e5ici;ncia - e'ige atuali?ação do ser.iço3 com preste?a e
e%iciInciaC
• Princ=:io da modicidade - e'ige tari%as ra?o&.eisC os ser.iços de.em ser
remunerados a preços ra?o&.eisC
• Princ=:io da cortesia - tradu?@se em bom tratamento para com o público.
Classi5icação dos Ser8iços Públicos 
Ser8iços Públicos  são os Hue a Administração presta diretamente A comunidade3 por
reconBecer sua essencialidade e necessidade para a sobre.i.Incia do grupo social e
do pr!prio $stado. Por isso mesmo3 tais ser.iços são considerados pri.ati.os do Poder
Público3 no sentido de Hue s! a Administração de.e prest&@los3 sem delegação a
terceiros.
34
Resumão - Ética na Administração
Pública
2%!: defesa nacional$ de polícia$ de preservação da sa&de p&blica!
Ser8iços de Utilidade Pública  -er.iços de utilidade pública são os Hue a
Administração3 reconBecendo sua con8eni;ncia 0não essencialidade3 nem necessidade5
para os membros da coleti.idade3 presta@os diretamente ou aHuiesce em Hue seGam
prestados por terceiros 0concession&rios3 permission&rios ou autori?at&rios53 nas
condiçFes regulamentadas e sob seu controle3 mas por conta e risco dos prestadores3
mediante remuneração dos usu&rios. 2%!: os serviços de transporte coletivo$ energia
elétrica$ gás$ telefone!
Ser8iços :rB:rios do Estado  são aHueles Hue se relacionam intimamente com as
atribuiçFes do Poder Público 02%!: segurança$ polícia$ 7igiene e sa&de p&blicas etc!5 e
para a e'ecução dos Huais a Administração usa da sua supremacia sobre os
administrados. =ão podem ser delegados a particulares. :ais ser.iços3 por sua
essencialidade3 geralmente são gratuitos ou de bai'a remuneração.
Ser8iços im:rB:rios do Estado  são os Hue não a%etam substancialmente as
necessidades da comunidade3 mas satis%a?em interesses comuns de seus membros3 e3
por isso3 a Administração os presta remuneradamente3 por seus !rgãos ou entidades
descentrali?adas 02%!: autar1uias$ empresas p&blicas$ sociedades de economia mista$
fundaç-es governamentais53 ou delega sua prestação.
Ser8iços 0erais ou “uti universi  são aHueles Hue a Administração presta sem :er
usu&rios determinados3 para atender A coleti.idade no seu todo. $'.: pol,cia3 iluminação
pública3 calçamento. Da, por Hue3 normalmente3 os ser.iços uti uni.ersi de.em ser
mantidos por imposto 0tributo geral53 e não por ta'a ou tari%a3 Hue E remuneração
mensur&.el e proporcional ao uso indi.idual do ser.iço.
Ser8iços Indi8iduais ou Yuti sin1uliZ  são os Hue tIm usu&rios determinados e
utili?ação particular e mensur&.el para cada destinat&rio! 2%!: o telefone$ a água e a
energia elétrica domiciliares! -ão sempre ser.iços de utili?ação indi.idual3 %acultati.a e
mensur&.el3 pelo HuI de.em ser remunerados por ta'a 0tributo5 ou tari%a 0preço público53
e não por imposto.
Ser8iços Industriais  são os Hue produ?em renda mediante uma remuneração da
utilidade usada ou consumida! 2%!: 48A$ C8A.
Ser8iços Administrati8os  são os Hue a administração e'ecuta para atender as suas
necessidades internas. 2%!: 4mprensa ,ficial.
Com:et;ncias e Titularidades
• interesses pr!prios de cada es%era administrati.a
• a nature?a e e'tensão dos ser.iços
• a capacidade para e'ecut&@los .antaGosamente para a Administração e para os
administrados.
Podem ser:
• Pri8ati8os 
35
Resumão - Ética na Administração
Pública
 da União - de%esa nacionalC a pol,cia mar,tima3 aErea e de %ronteirasC a emissão
de moedaC o ser.iço postalC os ser.iços de telecomunicaçFes em geralC de energia
elEtricaC de na.egação aErea3 aeroespacial e de in%ra@estrutura portu&riaC os de
transporte interestadual e internacionalC de instalação e produção de energia
nuclearC e a de%esa contra calamidades públicas.
 dos Estados X distribuição de g&s canali?adoC
 dos Munic=:ios - o transporte coleti.oC a obrigação de manter programas de
educação prE@escolar e de ensino %undamentalC os ser.iços de atendimento A
saúde da populaçãoC o ordenamento territorial e o controle do uso3 parcelamento e
ocupação do solo urbanoC a proteção ao patrimJnio Bist!rico@cultural local.
• Comuns 
 ser.iços de saúde pública 0-/-5C promoção de programas de construção de
moradiaC proteção do meio ambienteC
• Usu4rios 
 o direito %undamental do usu&rio E o recebimento do ser.içoC
 os ser.iços uti singuli podem ser e'igidos Gudicialmente pelo interessado Hue
esteGa na &rea de sua prestação e atenda as e'igIncias regulamentares para sua
obtençãoC
Modalidades e .ormas de Prestação do Ser8iço Público 
• Ser8iço Centrali6ado  o $stado E3 ao mesmo tempo3 titular e prestador do
ser.iço3 Hue permanece integrado na Administração direta
• Ser8iço escentrali6ado  E todo aHuele em Hue o Poder Público trans%ere
sua titularidade 0ou e'ecução53 por outorga ou delegação3 a autarHuias3
entidades paraestatais3 empresas pri.adas ou particulares indi.idualmente. <
a trans%erIncia da e'ecução do ser.iço para outra entidade.
• Outor1a - Huando o $stado cria uma entidade e a ela trans%ere3 por lei3
determinado ser.iço público ou de utilidade públicaC s! pode ser retirado
ou modi%icado por leiC
• ele1ação - Huando o $stado trans%ere ao particular3 por contrato
0concessão5 ou ato administrati.o 0permissão ou autori?ação53 a
e'ecução do ser.içoC pode ser re.ogada3 modi%icada ou anulada por
mero ato administrati.o.
OUTOR0A E&E0A"#O
• O Estado cria a entidade
• O ser8iço 3 trans5erido :or lei
• Trans5ere-se a titularidade
• o :articular cria a entidade
• o ser8iço 3 trans5erido :or lei<
contrato RconcessãoC ou :or
ato unilateral R:ermissãoC
36
Resumão - Ética na Administração
Pública
• Presunção de de5initi8idade
• trans5ere-se a e7ecução
• transitoriedade
• Ser8iço esconcentrado  E todo aHuele Hue a Administração e'ecuta
centrali?adamente3 mas o distribui entre .&rios !rgãos da mesma entidade3 para
%acilitar sua reali?ação e obtenção pelos usu&rios.
• E uma tEcnica administrati.a de simpli%icação e aceleração do ser.iço
dentro da mesma entidade3
• di.ersamente da descentrali?ação3 Hue E uma tEcnica de especiali?ação3
consistente na retirada do ser.iço dentro de uma entidade e trans%erIncia
a outra para Hue o e'ecute com mais per%eição e autonomia.
Concessão e Permissão de Ser8iços Públicos 
 < incumb;ncia do Poder Público3 na %orma da lei3 diretamente ou sob re1ime
de concessão ou :ermissão3 sempre através de licitação3 a prestação de
serviços p&blicos!
 $'iste a necessidade de lei autori?ati.a
• A lei dispor& sobre:
I @ o regime das empresas concessionárias e permissionárias de
ser.iços públicos3 o car4ter es:ecial de seu contrato e de sua
prorrogação3 bem como as condiçFes de caducidade$ fiscalização e
rescisão da concessão ou permissão;
II @ os direitos dos usu&riosC
III @ pol,tica tari%&riaC
IF @ a obrigação de manter ser.iço adeHuado.
Concessão  E a delegação contratual da e'ecução do ser.iço3 na %orma autori?ada e
regulamentada pelo $'ecuti.o. 9 contrato de Concessão E aGuste de Direito
Administrati.o3 bilateral< oneroso< comutati8o e reali?ado intuito personae
Permissão  E tradicionalmente considerada pela doutrina como ato unilateral3
discricion4rio< :rec4rio< intuito personae3 podendo ser 1ratuito ou oneroso. 9 termo
contrato3 no Hue di? respeito A Permissão de ser.iço público3 tem o sentido de
instrumento de delegação3 abrangendo3 tambEm3 os atos administrati.os.
• outrina  Ato Administrati.o
• &ei  Contrato Administrati.o 0contrato de Adesão5C
ireitos dos Usu4rios  participação do usu&rio na administração:
I @ as reclamaç2es relati8as A :restação dos ser8iços :úblicos em
geral3 asseguradas a manutenção de serviços de atendimento ao
37
Resumão - Ética na Administração
Pública
usuário e a avaliação peri'dica$ e%terna e interna$ da 1ualidade dos
ser8içosC
II @ o acesso dos usu4rios a re1istros administrati8os e a in%ormaçFes
sobre atos de go.ernoC
III @ a disci:lina da re:resentação contra o e%ercício negligente ou
abusivo de cargo$ emprego ou função na administração p&blica.
Pol=tica Tari54ria  os ser.iços públicos são remunerados mediante tarifa.
&icitação 
• Concessão  $'ige 1icitação modalidade !oncorr"ncia
• Permissão  $'ige 1icitação
Contrato de Concessão 
Contratar terceiros  Atividades acess'rias ou complementares
Sub-concessão  9ediante autorização
Trans5er;ncia de concessão e
Controle societ4rio 
/' com anuncia
Encar1os do Poder Concedente  regulamentar o serviço; fiscalizarC poder de
reali?ar a rescisão atra.Es de ato unilateralC
Encar1os da Concession4ria  prestar serviço adequadoC cumprir as cláusulas
contratuais;
Inter8enção nos Ser8iços Públicos  para assegurar a regular e%ecução dos
serviços3 o Poder Concedente :ode3
através de #ecreto3 instaurar
procedimentos administrativos para intervir
nos ser.iços prestados pelas
concession&rias.
E7tinção da Concessão 
Ad8ento do Termo Contratual  ao tErmino do contrato3 o serviço é e%tintoC
Encam:ação ou Res1ate  E a retomada do serviço pelo $oder
!oncedente durante o prazo da concessão3 por
moti.os de interesse público3 mediante &ei
Autori6ati8a espec,%ica e ap%s prévio
pagamento da indenização.
Caducidade  corresponde & rescisão unilateral pela não e7ecução ou
descum:rimento de cl4usulas contratuais3 ou Huando por
HualHuer moti.o o concession4rio :aralisar os ser8iços.
38
Resumão - Ética na Administração
Pública
Rescisão  por iniciativa da concessionária3 no caso de
descumprimento das normas contratuais pelo 0oder
Concedente3 mediante ação >udicial-
Anulação  por ilegalidade na licitação ou no contrato administrativoC
.al;ncia ou E7tinção da Concession4ria9
.alecimento ou inca:acidade do titular< no caso de em:resa indi8idual9
Autori6ação  a Administração autori6a o e7erc=cio de ati8idade Hue3 por sua
utilidade pública3 est& sujeita ao poder de policia do 2stado. <
reali?ada por ato administrativo, discricionário e precário 'ato
negocial5. < a trans%erIncia ao particular3 de ser.iço público de %&cil
e'ecução3 sendo de regra sem remuneração ou remunerado
através de tarifas. 2%!: :espac7antes; a manutenção de canteiros e
jardins em troca de placas de publicidade!
Con8;nios e ConsBrcios Administrati8os 
Con8;nios Administrati8os  são acordos %irmados por entidades :úblicas de
HualHuer espEcie3 ou entre estas e or1ani6aç2es :articulares3 para reali?ação de
obGeti.os de interesse comum dos part,cipes.
ConsBrcios Administrati8os  são acordos %irmados entre entidades estatais<
aut4r@uicas< 5undacionais ou :araestatais< sem:re da mesma es:3cie3 para
reali?ação de obGeti.os de interesse comum dos part,cipes.
Lr1ãos Re1uladores  -ão autarHuias em regime especial
• A=$$1 T AgIncia =acional de $nergia $lEtricaC
• A=A:$1 T AgIncia =acional de :elecomunicaçFesC
• A=P T AgIncia =acional do Petr!leo
Or1ani6aç2es Sociais RO!0[sC 
• -ão :essoas >ur=dicas de ireito Pri8ado3 sem fins lucrativos3 institu,das por
iniciati.a de particulares3 para desempenBar ser.iços sociais não e'clusi.os do
$stado3 com incenti.o e %iscali?ação do Poder Público3 mediante .,nculo Gur,dico
institu,do por meio de contrato de 1estão.
39
Resumão - Ética na Administração
Pública
G- ATOS AMI!ISTRATIFOS
Conceito  E o ato Gur,dico praticado pela Administração PúblicaC E todo o ato l,cito3 Hue
tenBa por %im imediato adHuirir3 resguardar3 trans%erir3 modi%icar ou e'tinguir direitosC
• s! pode ser praticado por agente público competenteC
.ato 'ur=dico/ E um acontecimento material in.olunt&rio3 Hue produ? conseHUIncias
Gur,dicas.

Ato 'ur=dico/ E uma mani%estação de .ontade destinada a produ?ir e%eitos Gur,dicos.

.ato Administrati8o/ E o acontecimento material da Administração3 Hue produ?
conseHUIncias Gur,dicas. =o entanto3 não tradu? uma mani%estação de .ontade .oltada
para produção dessas conseHUIncias. 2%!: A construção de uma obra p&blica; o ato de
ministrar uma aula em escola p&blica; o ato de realizar uma cirurgia em 7ospital p&blico$

RE\UISITOS  Com:et;ncia< .inalidade< .orma< Moti8o e Ob>eto
0C9F#F9K9D5
• Com:et;ncia/ E o poder3 resultante da lei3 Hue d& ao agente administrati.o a
capacidade de praticar o ato administrati.oC 3 8inculadoC
 < o primeiro reHuisito de .alidade do ato administrati.o. #nicialmente3 E
necess&rio .eri%icar se a Pessoa 'ur=dica tem atribuição :ara a :r4tica
da@uele ato. < preciso saber3 em segundo lugar3 se o Br1ão da@uela Pessoa
'ur=dica @ue :raticou o ato< esta8a in8estido de atribuiç2es para tanto.
Finalmente3 E preciso .eri%icar se o a1ente :úblico @ue :raticou o ato< 5;-lo
no e7erc=cio das atribuiç2es do cargo. 9 problema da competIncia3
portanto3 resol.e@se nesses trIs aspectos.
• A competIncia admite D$1$GAZO9 $ A79CAZO9. $sses institutos
resultam da BierarHuia.
• .inalidade/ E o bem Gur,dico obGeti.ado pelo ato administrati.oC 3 8inculadoC
9 ato de.e alcançar a %inalidade e'pressa ou implicitamente pre.ista na norma
Hue atribui competIncia ao agente para a sua pr&tica. 9 Administrador não
pode %ugir da %inalidade Hue a lei imprimiu ao ato3 sob pena de nulidade do ato
pelo des.io de %inalidade espec,%ica. [a.endo HualHuer des.io3 o ato 3 nulo
por des.io de %inalidade3 mesmo Hue BaGa rele.8ncia social.
40
Resumão - Ética na Administração
Pública
• .orma/ E a maneira regrada 0escrita em lei5 de como o ato de.e ser praticadoC
3 8inculado- < o re.estimento e'terno do ato. $m princ,pio3 e'ige@se a %orma
escrita para a pr&tica do ato. $'cepcionalmente3 admitem@se as ordens atra.Es
de sinais ou de .o?3 como são %eitas no tr8nsito. $m alguns casos3 a %orma E
particulari?ada e e'ige@se um determinado tipo de %orma escrita.


• Moti8o/ E a situação de direito Hue autori?a ou e'ige a pr&tica do ato
administrati.oC pode estar pre.isto em lei 0a autoridade s! pode praticar o ato
caso ocorra a situação pre.ista T ato 8inculado T moti.ação obrigat!ria53 ou
não estar pre.isto em lei 0a autoridade tem a liberdade de escolBer o moti.o em
.ista do Hual editar& o ato T ato discricion4rio T moti.ação %acultati.a5C
A e%eti.a e'istIncia do moti.o E sempre um reHuisito para a .alidade do ato. -e
o Administrador in.oca determinados moti.os3 a .alidade do ato %ica
subordinada A e%eti.a e'istIncia desses moti.os in.ocados para a sua pr&tica.
< a teoria dos Moti8os eterminantes-
• Ob>eto - E o conteúdo do atoC E a pr!pria alteração na ordem Gur,dicaC E
aHuilo Hue o ato dispFe. Pode ser 8inculado ou discricion4rio.
=o cBamado ato 8inculado3 o obGeto G& est& predeterminado na lei 0$ % !:
aposentadoria do servidor5. =os cBamados atos discricion4rios3 B& uma
margem de liberdade do Administrador para preencBer o conteúdo do ato 02%!:
desapropriação 3 cabe ao Administrador escol7er o bem$ de acordo com os
interesses da Administração5.

Moti8o e Ob>eto3 nos cBamados atos discricion4rios3 caracteri?am o Hue se
denomina de MÉRITO AMI!ISTRATIFO.

MÉRITO AMI!ISTRATIFO  corresponde A es%era de discricionariedade
reser.ada ao Administrador e3 em princ,pio3 não pode o Poder +udici&rio
pretender substituir a discricionariedade do administrador pela discricionaridade
do +ui?. Pode3 no entanto3 e'aminar os moti.os in.ocados pelo Administrador
para .eri%icar se eles e%eti.amente e'istem e se por.entura est& caracteri?ado
um des.io de %inalidade.
Ato &e1al e Per5eito  E o ato administrati.o completo em seus reHuisitos e e%ica? em
produ?ir seus e%eitosC portanto3 3 o ato e5ica6 e e7e@]=8elC
Atributos e @ualidades do Ato Administrati8o  R P I A C
• Presunção de &e1itimidade/ todo ato administrati.o presume@se leg,timo3 isto
E3 .erdadeiro e con%orme o direitoC E presunção relati.a 0(uris tantum5. 2%!:
2%ecução de :ívida Ativa 3 cabe ao particular o ;nus de provar 1ue não deve
ou 1ue o valor está errado!
41
Resumão - Ética na Administração
Pública
• Im:erati8idade/ E a Hualidade pela Hual os atos dispFem de %orça e'ecut!ria e
se impFem aos particulares3 independentemente de sua concord8nciaC 2%!:
/ecretário de /a&de 1uando dita normas de 7igiene 3 decorre do e%ercício do
0oder de 0olícia 3 pode impor obrigação para o administrado! < o denominado
poder e'tro.erso da Administração.
• Auto-E7ecutoriedade/ E o atributo do ato administrati.o pelo Hual o Poder
Público pode obrigar o administrado a cumpr,@lo3 independentemente de ordem
GudicialC
Classi5icação dos Atos Administrati8os 
1. Yuanto aos Destinat&rios:
• 1erais  destinam@se a suGeitos indeterminados e todos aHueles Hue se .eGam
abrangidos pelos seus preceitosC 2%s!: 2dital de Concurso 0&blico$ 4nstruç-es$
<egulamentos;
• indi8iduais  os Hue se destinam a pessoas determinadas 0ou grupo de
pessoas5. 2%!: :ecreto de nomeação$ outorga de licença$ e%oneração$
demissão!
2. Yuanto ao seu Alcance:
• internos  os destinat&rios são os !rgãos e agentes da AdministraçãoC não se
dirigem a terceiros! 2%s!: 0ortarias$ 4nstruç-es$ Circulares!
• e7ternos  alcançam os administrados de modo geral 0s! entram em .igor
depois de publicados5. 2%s!: Admissão$ licença$ etc!
). Yuanto ao seu 9bGeto:
• Atos de Im:3rio  aHuele Hue a administração pratica no go?o de suas
prerrogati.asC em posição de supremacia perante o administradoC 2%s!:
4nterdição de atividades$ desapropriação$ re1uisição;
• Atos de 0estão  são os praticados pela Administração em situação de
igualdade com os particulares3 sem usar sua supremacia. 2%s!: a1uisição ou
alienação de bens$ certid-es$ etc!
• Atos de E7:ediente  aHueles praticados por agentes subalternosC atos de
rotina interna! 2%s!: protocolo$ remessa de documentos;
(. Yuanto ao seu *egramento:
• Atos Finculados  Huando não B&3 para o agente3 liberdade de escolBa3
de.endo se suGeitar As determinaçFes da 1ei. 2%s!: =icença$ pedido de
aposentadoria por tempo de serviço$ etc!
• Atos iscricion4rios  Huando B& liberdade de escolBa 0na lei5 para o
agente3 no Hue di? respeito ao mErito 0con.eniIncia e oportunidade5. 2%!:
autorização para porte de arma >precária(!
. Yuanto A Formação do Ato:
42
Resumão - Ética na Administração
Pública
• Ato Sim:les  produ?ido por um único !rgãoC podem ser simples singulares
ou simples colegiais. 2%!: despac7o de c7efe de seção$ decisão de um
Consel7o de Contribuintes;
• Ato Com:osto  produ?ido por um !rgão< mas dependente da rati%icação de
outro !rgão para se tornar e'eHU,.el. 2%!: dispensa de licitação 1ue dependerá
de 7omologação pela autoridade superior;
• Ato Com:le7o  resultam da soma de .ontade de 2 ou mais !rgãos. =ão
de.e ser con%undido com procedimento administrati.o 0ConcorrIncia Pública5.
2%!: escol7a em lista tríplice de nomes$ de candidato a ser nomeado para
determinado cargo p&blico!
Es:3cies de Atos Administrati8os 
• Atos !ormati8os  aHueles Hue contIm um comando geral do $'ecuti.oC
.isando a correta aplicação da leiC estabelecem regras gerais e abstratas3 pois
.isam a e'plicitar a norma legal. 2%s!: :ecretos$ <egulamentos$ <egimentos$
<esoluç-es$ :eliberaç-es$ etc!
• Atos OrdinatBrios  .isam disciplinar o %uncionamento da Administração e a
conduta %uncional de seus agentes. $manam do :oder (ier4r@uico da
Administração! 2%s!: 4nstruç-es$ Circulares$ Avisos$ 0ortarias$ ,rdens de
/erviço$ ,fícios$ :espac7os.
• Atos !e1ociais  aHueles Hue contIm uma declaração de .ontade do Poder
Público coincidente com a .ontade do particularC .isa a concreti?ar neg!cios
públicos ou atribuir certos direitos ou .antagens ao particular. 2%!: =icença;
Autorização; 0ermissão; Aprovação; Apreciação; ?isto; @omologação;
:ispensa; <en&ncia;
• Atos Enunciati8os  aHueles Hue se limitam a certi%icar ou atestar um %ato3
ou emitir opinião sobre determinado assuntoC não se .incula a seu enunciado.
2%!: Certid-es; Atestados; 0areceres.
• Atos Puniti8os  atos com Hue a Administração .isa a punir e reprimir as
in%raçFes administrati.as ou a conduta irregular dos administrados ou de
ser.idores. < a aplicação do Poder de Policia e Poder Disciplinar. 2%!: 9ulta;
4nterdição de atividades; :estruição de coisas; Afastamento de cargo ou
função!
E7tinção dos Atos Administrati8os 
• Cassação  embora leg,timo na sua origem e %ormação3 torna@se ilegal na
sua e'ecuçãoC Huando o destinat&rio descumpre condiçFes prE@estabelecidas!
2%!:: alguém obteve uma permissão para e%plorar o serviço p&blico$ porém
descumpriu uma das condiç-es para a prestação desse serviço! ?em o 0oder
0&blico e$ como penalidade$ procede a cassação da permissão!
• Re8o1ação  E a e7tinção de um ato administrati8o le1al e :er5eito3 por
ra?Fes de con.eniIncia e oportunidade3 pela Administração3 no e'erc,cio do
43
Resumão - Ética na Administração
Pública
poder discricion&rio. 9 ato re.ogado conser.a os e%eitos produ?idos durante o
tempo em Hue operou. A partir da data da re.ogação E Hue cessa a produção
de e%eitos do ato atE então per%eito e legal. -! pode ser praticado pela
Administração Pública por ra?Fes de oportunidade e con.eniIncia. A re.ogação
não pode atingir os direitos adHuiridos
)x*nunc + 0nunca mais5 @ sem e%eito retroati.o

• Anulação  E a su:ressão do ato administrati.o3 com e5eito retroati8o3 por
ra?Fes de ile1alidade e ile1itimidade. Pode ser e'aminado pelo Poder
+udici&rio 0ra?Fes de legalidade e legitimidade5 e pela Administração Pública
0aspectos legais e no mErito5.
)x*tunc + com e%eito retroati.o3 in.alida as conseHUIncias passadas3
presentes e %uturas.
• Caducidade  < a cessação dos e%eitos do ato em ra?ão de uma lei
super.eniente3 com a Hual esse ato E incompat,.el. A caracter,stica E a
incompatibilidade do ato com a norma subseHUente.
ATOS !U&OS E ATOS A!U&JFEIS 
Atos Ine7istentes/ são os Hue contIm um comando criminoso 02%!: alguém 1ue
mandasse torturar um preso5.
Atos !ulos/ são aHueles Hue atingem gra.emente a lei 0 2%!: prática de um ato por uma
pessoa jurídica incompetente5.
Ato Anul48el/ representa uma .iolação mais branda A norma 02%!: um ato 1ue era de
competncia do 9inistro e foi praticado por /ecretário 6eral! @ouve violação$ mas não
tão grave por1ue foi praticado dentro do mesmo 'rgão(!

CO!FA&IA"#O  < a pr&tica de um ato posterior Hue .ai conter todos os reHuisitos
de .alidade3 inclusi.e aHuele Hue não %oi obser.ado no ato anterior e determina a sua
retroati.idade A data de .igIncia do ato tido como anul&.el. 9s e%eitos passam a contar
da data do ato anterior T E editado um no.o ato.

CO!FERS#O  Apro.eita@se3 com um outro conteúdo3 o ato Hue inicialmente %oi
considerado nulo. 2%!: Aomeação de alguém para cargo p&blico sem aprovação em
concurso$ mas poderá 7aver a nomeação para cargo comissionado! A con.ersão d& ao
ato a conotação Hue de.eria ter tido no momento da sua criação. Produ? e%eito ex*tunc!
44
Resumão - Ética na Administração
Pública
H- OS CRIMES PRATICAOS POR .U!CIO!JRIOS
P$%&ICOS
&ei O-,I^< de *^),*),QQ+

Constitui crime 5uncional contra a ordem tribut4ria< alEm dos pre.istos no Decreto@1ei
nN 2.2(23 de ; de de?embro de 1"(0 @ C!digo Penal 0p&gina 0" deste resumo5:
# @ e7tra8iar li8ro o5icial< :rocesso 5iscal ou @ual@uer documento3 de
Hue tenBa a guarda em ra?ão da %unçãoC sone14-lo< ou inutili64-lo3
total ou parcialmente3 acarretando :a1amento inde8ido ou ine7ato
de tributo ou contribuição socialC
## @ e7i1ir< solicitar ou receber3 para si ou para outrem3 direta ou
indiretamente3 ainda Hue %ora da %unção ou antes de iniciar seu
e'erc,cio3 mas em ra?ão dela3 8anta1em inde8idaC ou aceitar
:romessa de tal 8anta1em< :ara dei7ar de lançar ou cobrar
tributo ou contribuição social3 ou cobr&@los parcialmente.
• Pena @ reclusão3 de ) 0trIs5 a 2 0oito5 anos3 e multa.
### @ :atrocinar3 direta ou indiretamente< interesse :ri8ado :erante a
administração 5a6end4ria3 .alendo@se da Hualidade de %uncion&rio
público.
• Pena @ reclusão3 de 1 0um5 a ( 0Huatro5 anos3 e multa.
^- IMPRO%IAE AMI!ISTRATIFA
&EI O-M*Q< de +*)+H),QQ*
 9s atos de im:robidade :raticados :or @ual@uer a1ente :úblico3 ser.idor ou
não3 contra a administração direta< indireta ou 5undacional de HualHuer dos Poderes
da /nião3 dos $stados3 do Distrito Federal3 dos Kunic,pios3 de :errit!rio3 ou de empresa
P\D1#CA3 serão punidos na %orma desta 1ei.
A1ente Público  todo aHuele Hue e'erce3 ainda Hue transitoriamente ou sem
remuneração3 por eleição3 nomeação3 designação3 contratação ou HualHuer outra %orma
de in.estidura ou .,nculo3 mandato3 cargo3 emprego ou %unção nas entidades
mencionadas no artigo anterior.
• As disposiçFes desta 1ei são aplic&.eis3 no Hue couber3 AHuele Hue3 mesmo
não sendo agente público3 indu?a ou concorra para a pr&tica do ato de
improbidade ou dele se bene%icie sob HualHuer %orma direta ou indireta.
• 9correndo lesão ao :atrim?nio :úblico por ação ou omissão3 dolosa ou
culposa3 do agente ou de terceiro3 dar-se-4 o inte1ral ressarcimento do dano.
• =o caso de enri@uecimento il=cito3 :erder4 o agente público ou terceiro
bene%ici&rio os bens ou 8alores acrescidos ao seu :atrim?nio.
45
Resumão - Ética na Administração
Pública
• 9 sucessor daHuele Hue causar lesão ao patrimJnio público ou se
enriHuecer ilicitamente est& suGeito As cominaçFes desta 1ei atE o limite
do .alor da Berança.
ATOS E IMPRO%IAE AMI!ISTRATIFA
 E!RI\UECIME!TO I&UCITO  Huando o a1ente :úblico au%erir HualHuer tipo de
.antagem patrimonial inde.ida em ra?ão do e'erc,cio de cargo3 mandato3 %unção3
emprego ou ati.idade nas entidades mencionadas acima3 e notadamente:
1@ receber3 para si ou para outrem3 din(eiro< bem mB8el ou imB8el< ou
@ual@uer outra 8anta1em econ?mica3 direta ou indireta< a t=tulo de
comissão< :ercenta1em< 1rati5icação ou :resente de Huem tenBa
interesse3 direto ou indireto3 Hue possa ser atingido ou amparado por ação
ou omissão decorrente das atribuiçFes do agente públicoC
2@ :erceber 8anta1em econ?mica3 direta ou indireta3 :ara 5acilitar a
a@uisição< :ermuta ou locação de bem mB8el ou imB8el3 ou a
contratação de ser.iços pelas entidades re%eridas acima por preço superior
ao .alor de mercado3 bem como a alienação de bem :úblico :or 8alor
in5erior a de mercado3
)@ utili6ar3 em obra ou ser.iço particular3 .e,culos3 m&Huinas3 eHuipamentos ou
material de HualHuer nature?a3 de propriedade ou A disposição de HualHuer
das entidades mencionadas acima3 bem como o trabal(o de ser8idores
:úblicos< em:re1ados ou terceiros contratados por essas entidadesC
(@ receber 8anta1em econ?mica de HualHuer nature?a3 direta ou indireta3
para tolerar a e'ploração ou a pr&tica de Gogos de a?ar3 de lenoc,nio3 de
narcotr&%ico3 de contrabando3 de usura ou de HualHuer outra ati.idade il,cita3
ou aceitar :romessa de tal 8anta1em9
@ receber 8anta1em econ?mica de HualHuer nature?a3 direta ou indireta3
para 5a6er declaração 5alsa sobre medição ou a8aliação em obras
:úblicas ou HualHuer outro ser.iço3 ou sobre Huantidade3 peso3 medida3
Hualidade ou caracter,stica de mercadorias ou bens %ornecidos a HualHuer
das entidades mencionadas acimaC
6@ ad@uirir3 para si ou para outrem3 no e'erc,cio de mandato3 cargo3 emprego
ou %unção pública3 bens de @ual@uer nature6a cu>o 8alor se>a
des:ro:orcional A e8olução do :atrim?nio ou A renda do a1ente
:úblicoC
;@ aceitar em:re1o< comissão ou e7ercer ati8idade de consultoria ou
assessoramento para pessoa %,sica ou Gur,dica Hue tenBa interesse
suscet,.el de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das
atribuiçFes do agente público3 durante a ati.idadeC
2@ :erceber 8anta1em econ?mica para intermediar a liberação ou
a:licação de .erba pública de HualHuer nature?aC
46
Resumão - Ética na Administração
Pública
"@ receber 8anta1em econ?mica de HualHuer nature?a3 direta ou
indiretamente3 para omitir ato de o5=cio< :ro8id;ncia ou declaração a @ue
este>a obri1adoC
10@usar ou incor:orar3 por HualHuer %orma3 ao seu :atrim?nio/ bens< rendas<
8erbas ou 8alores inte1rantes do acer8o :atrimonial das entidades
mencionadas acimaC
• PE!A  Inde:endentemente das sanç2es :enais< ci8is e administrati8as3
pre.istas na legislação espec,%ica3 est4 o res:ons48el pelo ato de improbidade
su>eito As se1uintes cominaç2es/
• perda dos bens ou .alores acrescidos ilicitamente ao patrimJnioC
• ressarcimento integral do dano3 Huando Bou.erC
• perda da %unção públicaC
• suspensão dos direitos pol,ticos de 2 0oito5 a 10 0de?5 anosC
• pagamento de multa ci.il de atE ) 0trIs5 .e?es o .alor do acrEscimo
patrimonialC
• proibição de contratar com o Poder Público ou receber bene%,cios ou
incenti.os %iscais ou credit,cios3 direta ou indiretamente3 ainda Hue por
intermEdio de pessoa Gur,dica da Hual seGa s!cio maGorit&rio3 pelo
pra?o de 10 0de?5 anosC
 CAUSAM PRE'UU_O AO ERJRIO  Constitui ato de improbidade administrati.a Hue
causa lesão ao er4rio HualHuer ação ou omissão< dolosa ou cul:osa< @ue ense>e
:erda :atrimonial< des8io< a:ro:riação< malbaratamento ou dila:idação dos bens ou
Ba.eres das entidades re%eridas 3 e notadamente:
1 @ 5acilitar ou concorrer por HualHuer %orma para a incorporação ao
patrimJnio particular3 de pessoa %,sica ou Gur,dica< de bens< rendas<
8erbas ou 8alores inte1rantes do acer8o :atrimonial das
entidades G& mencionadasC
2 @ :ermitir ou concorrer para Hue pessoa %,sica ou Gur,dica pri.ada
utili?e bens< rendas< 8erbas ou 8alores inte1rantes do acer8o
:atrimonial das entidades G& mencionadas3 sem a obser.8ncia das
%ormalidades legais ou regulamentaresC
) @ doar A pessoa %,sica3 Gur,dica3 bem como ao ente despersonali?ado3
ainda Hue de %ins educati.os ou assistenciais< bens< rendas< 8erbas
ou 8alores do :atrim?nio de HualHuer das entidades G&
mencionadas3 sem obser.8ncia das %ormalidades legais e
regulamentaresC
( @ :ermitir ou 5acilitar a alienação< :ermuta ou locação de bem
inte1rante do :atrim?nio de HualHuer das entidades G&
47
Resumão - Ética na Administração
Pública
mencionadas3 ou ainda a :restação de ser8iço :or :arte delas3 por
preço in%erior ao de mercadoC
@ :ermitir ou 5acilitar a a@uisição< :ermuta ou locação de bem ou
ser8iço por preço superior ao de mercadoC
6 @ reali6ar o:eração 5inanceira sem obser.8ncia das normas legais e
regulamentares ou aceitar 1arantia insu5iciente ou inid?neaC
; @ conceder bene5=cio administrati8o ou 5iscal sem a obser.8ncia das
%ormalidades legais ou regulamentaresC
2 @ 5rustrar a licitude de :rocesso licitatBrio ou dis:ens4-lo
inde8idamenteC
" @ ordenar ou :ermitir a reali?ação de des:esas não autori6adas em
lei ou regulamentoC
10 @ a1ir ne1li1entemente na arrecadação de tributo ou renda3 bem
como no Hue di? respeito A conser8ação do :atrim?nio :úblicoC
11 @ liberar 8erba :ública sem a estrita obser8Dncia das normas
pertinentes ou in5luir de @ual@uer 5orma :ara a sua a:licação
irre1ularC
12 @ :ermitir< 5acilitar ou concorrer para Hue terceiro se enri@ueça
ilicitamente9
1) @ :ermitir Hue se utili?e3 em obra ou ser.iço particular3 8e=culos<
m4@uinas< e@ui:amentos ou material de @ual@uer nature6a< de
propriedade ou A disposição de HualHuer das entidades G&
mencionadas3 bem como o trabal(o de ser8idor :úblico<
em:re1ados ou terceiros contratados por essas entidades.
• PE!A  Inde:endentemente das sanç2es :enais< ci8is e administrati8as3
pre.istas na legislação espec,%ica3 est4 o res:ons48el pelo ato de improbidade
su>eito As se1uintes cominaç2es/
• ressarcimento integral do danoC
• perda dos bens ou .alores acrescidos ilicitamente ao patrimJnio3 se
concorrer esta circunst8nciaC
• perda da %unção públicaC
• suspensão dos direitos pol,ticos de 0cinco5 a 2 0oito5 anosC
• pagamento de multa ci.il de atE 2 0duas5 .e?es o .alor do danoC
• proibição de contratar com o Poder Público ou receber bene%,cios ou
incenti.os %iscais ou credit,cios3 direta ou indiretamente3 ainda Hue por
intermEdio de pessoa Gur,dica da Hual seGa s!cio maGorit&rio3 pelo
pra?o de 0cinco5 anosC
48
Resumão - Ética na Administração
Pública
 ATE!TAM CO!TRA OS PRI!CUPIOS A AMI!ISTRA"#O P$%&ICA  HualHuer
ação ou omissão Hue 8iole os de8eres de (onestidade< im:arcialidade< le1alidade e
lealdade As instituiçFes3 e notadamente:
1 @ :raticar ato 8isando 5im :roibido em lei ou regulamento ou di8erso
da@uele :re8isto na re1ra de com:et;nciaC
2 @ retardar ou dei7ar de :raticar3 inde.idamente3 ato de o5=cioC
) @ re8elar 5ato ou circunstDncia de Hue tem ciIncia em ra?ão das
atribuiçFes e Hue de.a permanecer em segredoC
( @ ne1ar :ublicidade aos atos o5iciais9
@ 5rustrar a licitude de concurso :úblicoC
6 @ dei7ar de :restar contas Huando esteGa obrigado a %a?I@loC
; @ re8elar ou :ermitir Hue cBegue ao conBecimento de terceiro3 antes
da respecti.a di.ulgação o%icial3 teor de medida :ol=tica ou
econ?mica capa? de a%etar o preço de mercadoria3 bem ou ser.iço.
• PE!AS  Inde:endentemente das sanç2es :enais< ci8is e
administrati8as3 pre.istas na legislação espec,%ica3 est4 o res:ons48el pelo
ato de improbidade su>eito As se1uintes cominaç2es/
• ressarcimento integral do dano3 se Bou.erC
• perda da %unção públicaC
• suspensão dos direitos pol,ticos de ) 0trIs5 a 0cinco5 anosC
• pagamento de multa ci.il de atE 100 0cem5 .e?es o .alor da
remuneração percebida pelo agenteC
• proibição de contratar com o Poder Público ou receber bene%,cios
ou incenti.os %iscais ou credit,cios3 direta ou indiretamente3 ainda
Hue por intermEdio de pessoa Gur,dica da Hual seGa s!cio
maGorit&rio3 pelo pra?o de ) 0trIs5 anos.
A EC&ARA"#O E %E!S  A posse e o e'erc,cio de agente público %icam
condicionados A a:resentação de declaração dos bens e 8alores @ue com:2em o
seu :atrim?nio :ri8ado3 a %im de ser arHui.ada no -er.iço de Pessoal competente.
• A declaração de bens ser& anualmente atuali6ada e na data em Hue o agente
público dei7ar o e7erc=cio do mandato< car1o< em:re1o ou 5unção.
• -er& :unido com a :ena de demissão< a bem do ser8iço :úblico3 sem
preGu,?o de outras sançFes cab,.eis3 o agente público Hue se recusar a prestar
declaração dos bens3 dentro do pra?o determinado3 ou Hue a prestar %alsa.
49
Resumão - Ética na Administração
Pública
O PROCEIME!TO AMI!ISTRATIFO E O PROCESSO 'UICIA&  YualHuer
pessoa poder& representar A autoridade administrati.a competente para Hue seGa
instaurada in.estigação destina a apurar a pr&tica de ato de improbidade.
• A re:resentação3 Hue ser& escrita ou redu6ida a termo e assinada3 conter& a
Huali%icação do representante3 as in%ormaçFes sobre o %ato e sua autoria e a
indicação das pro.as de Hue tenBa conBecimento.
• A comissão :rocessante dar& con(ecimento ao Minist3rio Público e ao
Tribunal ou Consel(o de Contas da e'istIncia de procedimento administrati.o
para apurar a pr&tica de ato de improbidade.
• [a.endo %undados ind=cios de res:onsabilidade3 a comissão representar& ao
KinistErio Público ou A procuradoria do !rgão para Hue reHueira ao Gu,?o
competente a decretação do se@]estro dos bens do a1ente ou terceiro Hue
tenBa enriHuecido ilicitamente ou causado dano ao patrimJnio público.
• É 8edada a transação< acordo ou conciliação nas aç2es de @ue trata o
ca:ut-
• 9 Minist3rio Público3 se não inter.ier no processo como parte3 atuar&3
obri1atoriamente< como 5iscal da lei< sob :ena de nulidade-
AS ISPOSI"`ES PE!AIS  Constitui crime a representação por ato de improbidade
contra agente público ou terceiro bene%ici&rio @uando o autor da denúncia o sabe
inocente.
• Pena @ detenção de 6 0seis5 a 10 0de?5 meses e multa.
• AlEm da sanção :enal3 o denunciante est4 su>eito a indeni6ar o denunciado
pelos danos materiais3 morais ou A imagem Hue Bou.er pro.ocado.
• A autoridade Gudicial ou administrati.a competente poder& determinar o
a%astamento do agente público do e'erc,cio do cargo3 emprego ou %unção3 sem
preGu,?o da remuneração3 Huando a medida se %i?er necess&ria A instrução
processual.
A PRESCRI"#O  As açFes destinadas a le.ar a e%eito as sançFes pre.istas nesta 1ei
podem ser :ro:ostas:
# @ at3 G RcincoC anos a:Bs o t3rmino do e'erc,cio de mandato3 de
cargo em comissão ou de %unção de con%iançaC
## @ dentro do :ra6o :rescricional pre.isto em lei espec,%ica para %altas
disciplinares pun,.eis com demissão A bem do ser.iço público3 nos
casos de e'erc,cio de cargo e%eti.o ou emprego.
50
Resumão - Ética na Administração
Pública
O- CLI0O E ÉTICA PRO.ISSIO!A& O SERFIOR P$%&ICO
CIFI&
ecreto nP ,-,^,< de **)+H),QQM
as Re1ras e Princ=:ios Morais 
# @ A di1nidade< o decoro< o 6elo< a e5ic4cia e a consci;ncia dos :rinc=:ios morais
são primados maiores Hue de8em nortear o ser8idor :úblico3 seGa no e'erc,cio do
cargo ou %unção3 ou %ora deleC
## @ 9 ser8idor :úblico não :oder4 >amais des:re6ar o elemento 3tico de sua
conduta. Assim3 não ter& Hue decidir somente entre o legal e o ilegal3 o Gusto e o inGusto3
o con.eniente e o incon.eniente3 o oportuno e o inoportuno3 mas :rinci:almente entre o
(onesto e o desonesto
### @ A moralidade da Administração Pública não se limita A distinção entre o bem e o mal3
de.endo ser acrescida da idEia de Hue o %im E sempre o bem comum.
#7 @ A %unção pública de.e ser tida como e'erc,cio pro%issional e3 portanto3 se integra na
.ida particular de cada ser.idor público.
7 @ A publicidade de HualHuer ato administrati.o constitui reHuisito de e%ic&cia e
moralidade3 enseGando sua omissão comprometimento Etico contra o bem comum3
51
Resumão - Ética na Administração
Pública
imput&.el a Huem a negar3 sal.o os casos de segurança nacional e outros em processo
pre.iamente declarado sigiloso3 nos termos da lei3
7# @ :oda pessoa tem direito A .erdade. 9 ser.idor não pode omiti@la ou %alse&@la3 ainda
Hue contr&ria aos interesses da pr!pria pessoa interessada ou da Administração Pública.
7## @ A cortesia3 a boa .ontade3 o cuidado e o tempo dedicados ao ser.iço público
caracteri?am o es%orço pela disciplina.
7### @ Dei'ar o ser.idor público HualHuer pessoa A espera de solução Hue compete ao
setor em Hue e'erça suas %unçFes3 permitindo a %ormação de longas %ilas3 ou HualHuer
outra espEcie de atraso na prestação do ser.iço3 não caracteri?a apenas atitude contra a
Etica ou ato de desumanidade3 mas principalmente gra.e dano moral aos usu&rios dos
ser.iços públicos.
#L @ 0 ser.idor de.e prestar toda a sua atenção As ordens legais de seus superiores3
.elando atentamente por seu cumprimento3 e3 assim3 e.itando a conduta negligente
L @ :oda ausIncia inGusti%icada do ser.idor de seu local de trabalBo E %ator de
desmorali?ação do ser.iço público3 o Hue Huase sempre condu? A desordem nas
relaçFes Bumanas.
L#@ 0 ser.idor Hue trabalBa em Barmonia com a estrutura organi?acional3 respeitando
seus colegas e cada concidadão3 colabora e de todos pode receber colaboração3 pois
sua ati.idade pública E a grande oportunidade para o crescimento e o engrandecimento
da =ação.
os Princi:ais e8eres do Ser8idor Público 
L## @ -ão de8eres 5undamentais do ser8idor :úblico:
a5 desem:en(ar< a tem:o3 as atribuiçFes do cargo3 %unção ou emprego público de
Hue seGa titularC
b5 e7ercer suas atribuiç2es com ra:ide6< :er5eição e rendimentoC

c5 ser :robo< reto< leal e >usto3 escolBendo sempre3 Huando esti.er diante de duas
opçFes3 a melBor e a mais .antaGosa para o bem comumC
d5 >amais retardar @ual@uer :restação de contasC
e5 tratar cuidadosamente os usu4rios dos ser8iços3 aper%eiçoando o processo de
comunicação e contato com o públicoC
52
Resumão - Ética na Administração
Pública
%5 ter consci;ncia de Hue seu trabalBo E regido por :rinc=:ios 3ticos Hue se
materiali?am na adeHuada prestação dos ser.iços públicosC
g5 ser cort;s< ter urbanidade< dis:onibilidade e atenção3 sem HualHuer espEcie de
preconceito ou distinção de raça3 se'o3 nacionalidade3 cor3 idade3 religião3 cunBo
pol,tico e posição social3 abstendo@se3 dessa %orma3 de causar@lBes dano moralC
B5 ter res:eito A (ierar@uia9
i5 resistir a todas as :ress2es de superiores Bier&rHuicos3 de contratantes3
interessados e outros Hue .isem obter HuaisHuer %a.ores3 benesses ou .antagens
inde.idas em decorrIncia de açFes morais3 ilegais ou aEticas e denunci4-lasC
G5 6elar3 no e'erc,cio do direito de gre.e3 pelas e'igIncias espec,%icas da de%esa da
.ida e da segurança coleti.aC
l5 ser ass=duo e 5re@]ente ao ser8içoC
m5 comunicar imediatamente a seus superiores todo e @ual@uer ato ou 5ato
contr4rio ao interesse público3 e'igindo as pro.idIncias cab,.eisC
n5 manter-se atuali6ado com as instruç2es< as normas de ser8iço e a le1islação
:ertinentes ao Br1ão onde e7erce suas 5unç2esC
o5 cum:rir as tare%as de seu cargo ou %unção com critErio3 segurança e rapide?3
mantendo tudo sempre em boa ordem.
p5 5acilitar a 5iscali6ação de todos atos ou ser8iços :or @uem de direito9
H5 e7ercer as prerrogati.as %uncionais Hue lBe seGam atribu,das3 abstendo@se de %a?I@
lo contrariamente aos leg,timos interesses dos usu&rios do ser.iço público e dos
Gurisdicionados administrati.osC
r5 abster-se de e'ercer sua %unção3 poder ou autoridade com %inalidade estranBa ao
interesse públicoC
as Fedaç2es ao Ser8idor Público 
L### @ E 8edado ao ser8idor :úblico9
a5 o uso do car1o ou 5unção3 5acilidades< ami6ades< tem:o< :osição e
in5lu;ncias3 para obter @ual@uer 5a8orecimento< :ara si ou :ara outremC
b5 :re>udicar deliberadamente a reputação de outros ser.idores ou de cidadãos Hue
deles dependamC
53
Resumão - Ética na Administração
Pública
c5 usar de arti5=cios :ara :rocrastinar ou di5icultar o e7erc=cio re1ular de direito
por HualHuer pessoa3 causando@lBe dano moral ou materialC
d5 :ermitir Hue perseguiçFes3 simpatias3 antipatias3 capricBos3 pai'Fes ou interesses
de ordem pessoal inter%iram no trato com o público3 com os Gurisdicionados
administrati.os ou com colegas BierarHuicamente superiores ou in%erioresC
g5 :leitear3 solicitar< :ro8ocar< su1erir ou receber HualHuer tipo de a>uda
5inanceira< 1rati5icação< :r;mio< comissão< doação ou 8anta1em de @ual@uer
es:3cie3 para si3 %amiliares ou HualHuer pessoa3 para o cumprimento da sua
missão ou para in%luenciar outro ser.idor para o mesmo %imC
B5 alterar ou detur:ar o teor de documentos Hue de.a encaminBar para
pro.idInciasC
i5 iludir ou tentar iludir HualHuer pessoa Hue necessite do atendimento em ser.iços
públicosC
G5 des8iar ser8idor :úblico :ara atendimento a interesse :articularC
l5 retirar da re:artição :ública3 sem estar legalmente autori?ado3 HualHuer
documento< li8ro ou bem :ertencente ao :atrim?nio :úblicoC
m5 5a6er uso de in5ormaç2es :ri8ile1iadas obtidas no 8mbito interno de seu ser.iço3
em bene%,cio pr!prio3 de parentes3 de amigos ou de terceirosC
n5 a:resentar-se embria1ado no ser.iço ou %ora dele BabitualmenteC
o5 e7ercer ati8idade :ro5issional a3tica ou ligar o seu nome a em:reendimentos
de cun(o du8idoso-
as Comiss2es de Ética
 $m todos os !rgãos e entidades da Administração Pública Federal direta3 indireta
aut&rHuica e %undacional3 ou em HualHuer !rgão ou entidade Hue e'erça
atribuiçFes delegadas pelo poder público3 de8er4 ser criada uma Comissão de
Ética3 Hue ser4 encarre1ada de orientar e aconsel(ar sobre a 3tica
:ro5issional do ser8idor3 no tratamento com as pessoas e com o patrimJnio
público3 competindo*lhe conhecer concretamente de imputação ou de
procedimento suscept,vel de censura.
Com:osição/ ) ser.idores públicos e respecti.os suplentes.
54
Resumão - Ética na Administração
Pública
Com:et;ncias/
#. :oder4 instaurar3 de o%,cio3 P*9C$--9 -9D*$ A:93 FA:9 ou C9=D/:A
Hue considerar pass,vel de infring"ncia a princ,pio ou norma ético*
profissionalC
##. ser deposit&ria de consultas< denúncias ou re:resentaç2es %ormuladas
contra o ser.idor público3 a repartição ou o setor em Hue BaGa ocorrido a
%alta3C
###. A!A&ISAR e E&I%ERAR as consultas< denúncias ou re:resentaç2es para
atender ou resguardar o e'erc,cio do cargo ou %unção pública3 desde Hue
5ormuladas por autoridade< ser8idor< >urisdicionados administrati8os<
@ual@uer cidadão @ue se identi5i@ue ou @uais@uer entidades
associati8as re1ularmente constitu=das.
.unç2es/ A Comissão de Ética I!CUM%E .OR!ECER3 aos organismos
encarregados da e'ecução do Huadro de carreira dos ser.idores3 os
registros sobre sua conduta <tica3 para o efeito de instruir e
fundamentar promoç-es e para todos os demais :rocedimentos
:rB:rios da carreira do ser.idor público.
Procedimentos/ 9s procedimentos a serem adotados pela Comissão de Ética3
para a a:uração de 5ato ou ato Hue3 em princ,pio3 se
apresente contrário & ética3 em con%ormidade com este
C!digo3 :$*O9 9 *#:9 -/K]*#93 ou8idos a:enas o
@uei7oso e o ser8idor3 ou apenas este3 se a apuração
decorrer de conBecimento de o%,cio3 cabendo sem:re recurso
ao res:ecti8o Ministro de Estado-
• Dada a eventual gravidade da conduta do servidor ou
sua reincid;ncia3 poder& a Comissão de Ética
encaminBar a sua decisão e respecti.o e'pediente para a
Comissão Permanente de Processo isci:linar do
respecti.o !rgão3 se Bou.er3 e3 cumulati.amente3 se %or o
caso3 A entidade em @ue< :or e7erc=cio :ro5issional< o
ser8idor :úblico este>a inscrito3 para as pro.idIncias
disciplinares cab,.eis.
• 9 retardamento dos procedimentos aHui prescritos
implicar& comprometimento Etico da pr!pria Comissão3
cabendo A Comissão de Ética do !rgão BierarHuicamente
superior o seu conBecimento e pro.idIncias.
Penalidades/ A pena aplic&.el ao ser.idor público pela Comissão de Ética
E a PE!A E CE!SURA e sua %undamentação constar& do
55
Resumão - Ética na Administração
Pública
respecti.o parecer3 assinado por todos os seus integrantes3
com ciIncia do %altoso.
 A Comissão de Ética =O9 P9D$*] -$ $L#K#* de 5undamentar o >ul1amento
da %alta de Etica do ser.idor público ou do prestador de ser.iços contratado3
ale1ando a 5alta de :re8isão neste CBdi1o3 cabendo@lBe recorrer & analogia,
aos costumes e aos princ,pios éticos e morais conhecidos em outras
profiss-esC
Q- RESPO!SA%I&IAE P) ACESSO IMOTIFAO AOS SISTEMAS
I!.ORMATI_AOS
Portaria SR. ^O*< de *+)+H),QQ^
 9s dados3 in%ormaçFes e sistemas in%ormati?ados da -*F de8em ser :rote1idos
contra aç2es intencionais ou acidentais Hue impliHuem :erda< destruição<
inserção< cB:ia< acesso e alteração inde8idos3 em con%ormidade com os
:rinc=:ios da con5idencialidade< inte1ridade e dis:onibilidade- De.em3
portanto3 ser adotadas medidas de segurança proporcionais aos riscos e'istentes e
A magnitude dos danos potenciais.
 Acesso Imoti8ado @ E o acesso reali?ado aos sistemas in%ormati?ados da -*F
reali?ado para %ins estranBos As tare%as do ser.idor.
e5iniç2es 
I - Usu4rio/ pessoa %,sica cadastrada no -istema de $ntrada e [abilitação @
-$=[A e Babilitada nos sistemas para acesso a in%ormaçFesC
II - Cadastrador/ ser.idor público para este %im designado Hue utili?a o -$=[A
:ara cadastrar e (abilitar usu4rios9
III - e:osit4rio/ pessoa %,sica3 !rgão público3 entidade pública ou empresa
respons&.el pelo processamento e arma?enamento de dados e
in%ormaçFes3 bem como administração dos controles
especi%icados pelo gestor de cada sistemaC
IF - 0estor de Sistema/ ser8idor da SR. respons&.el pela de%inição e manutenção do
respecti.o sistemaC
F - Cadastramento/ procedimento de inclusão de sistema ou usu&rio no -$=[AC
FI - Kabilitação/ procedimento Hue permite ao usu&rio cadastrado acessar
sistemasC
56
Resumão - Ética na Administração
Pública
FII - Ambiente de
desen8ol8imento/ conGunto de recursos utili?ados para construir3 testar e manter
sistemasC
FIII - Ambiente de
(omolo1ação/ conGunto de recursos utili?ados para .eri%icar se o sistema
%unciona con%orme a especi%icaçãoC
IT - Ambiente de
treinamento/ conGunto de recursos utili?ados para capacitar usu&rios nas
%uncionalidades dos sistemasC
T - Ambiente de
:rodução/ conGunto de recursos onde são e'ecutados os sistemas com
dados reais e operaçFes .&lidas no 8mbito administrati.oC
TI - Per5il/ subconGunto de transaçFes de um sistema3 Hue de%ine a
abrangIncia de atuação de um cadastrador ou usu&rioC
TII - Transação/ um programa e'ecut&.el do sistemaC
TIII - ParDmetro de
normalidade/ .ari&.el Hue representa o padrão de%inido de operação de um
sistemaC
TIF - Acesso lB1ico/ operação de atuali?ação e consulta de dados e in%ormaçFes
em um sistemaC
TF - Con5idencialidade/ princ,pio de segurança Hue estabelece restriç2es ao acesso
e A utili?ação da in%ormaçãoC
TFI - Inte1ridade/ princ,pio de segurança Hue trata da con5iabilidade da
in5ormaçãoC
TFII - is:onibilidade/ princ,pio de segurança Hue trata da entre1a tem:esti8a da
in5ormação a usu&rios e processos autori?adosC
 9 cadastramento inicial .incular& o CP. do usu&rio a uma senBa secreta3 pessoal
e intrans%er,.el e se consubstanciar& com a assinatura do :ermo de
*esponsabilidade.
AS RESPO!SA%I&IAES I!STITUCIO!AIS E .U!CIO!AIS
 < responsabilidade de todos os ser.idores cuidar da inte1ridade<
con5idencialidade e dis:onibilidade dos dados3 in%ormaçFes e sistemas da SR.3
de.endo comunicar por escrito A cBe%ia imediata HuaisHuer irregularidades3 des.ios
ou %alBas identi%icadas.
57
Resumão - Ética na Administração
Pública
 É :roibida a e7:loração de 5al(as ou 8ulnerabilidades por.entura e'istentes nos
sistemas.
 O acesso A in5ormação não garante direito sobre a mesma nem con%ere
autoridade para liberar acesso a outras pessoas.
In5ração .uncional  o descum:rimento das dis:osiç2es desta Portaria
caracteri?arão in5ração 5uncional3 a ser apurada em
processo administrativo disciplinar3 sem preGu,?o da
responsabilidade penal e ci.il.
 .alta de _elo ou edicação  o acesso imoti8ado do ser.idor aos sistemas
in%ormati?ados da -*F e não :roceder com o de.ido cuidado na 1uarda e
utili6ação da sen(a ou em:rest4-la a outro ser.idor3 ainda Hue BabilitadoC
 \uebra de Si1ilo 5uncional  a di.ulgação de dados obtidos dos sistemas
in%ormati?ados para ser.idores da -*F Hue não esteGam en.ol.idos nos trabalBos
obGeto das consultas.
 Re8elação de Se1redo  *essal.adas as Bip!teses de reHuisiçFes legalmente
autori?adas3 constitui in%ração %uncional de re8elação de segredo do Hual se
apropriou em ra?ão do cargo3 e crime contra a administração :ública3 a
di8ul1ação< a @uem não se>a ser8idor da SR.< de in5ormaç2es dos sistemas
in5ormati6ados :rote1idas :elo si1ilo 5iscal< suGeitando o in%rator A
PE!A&IAE E EMISS#O.
.IM
58