You are on page 1of 2

32º Semana do Tempo Comum - Terça-feira

Segunda leitura
Início da Homilia de um Autor do século segundo
(Cap. 8,1-9,11: Funk 1,153-157)

(Séc. II)
A penitência de um coração sincero
Enquanto estamos aqui na terra, façamos penitência. Com
efeito, somos argila na mão do artífice. Se o oleiro, tendo feito
um vaso, e, em suas mãos, este se entorta ou quebra, de novo
torna a fazê-lo. Se, porém, se decidiu a pô-lo no forno, nada
mais há que fazer. Assim também nós, enquanto estamos no
mundo e temos tempo, façamos, de coração, penitência pelos
pecados cometidos, para sermos salvos pelo Senhor.
Porque depois de sairmos do mundo já não mais poderemos
reconhecer os nossos pecados nem fazer penitência. Por este
motivo, irmãos, se fizermos a vontade do Pai, mantivermos
casto nosso corpo e guardarmos os preceitos do Senhor,
alcançaremos a vida eterna. O Senhor disse no evangelho: Se
não fordes fiéis no pouco, quem vos confiará o muito? Pois eu
vos digo: quem é fiel no pouco também será fiel no muito (cf.
Lc 16,10-11). Quis dizer: Guardai casto o corpo e imaculado o
caráter, para que sejamos dignos de receber a vida.
E ninguém venha dizer que a carne não será julgada nem
ressurgirá. Confessai: em que fostes salvos, em que recobrastes
a vista, se não foi vivendo ainda nesta carne? Convém-nos,
portanto, proteger a carne como templo de Deus. Tal qual
fostes chamados no corpo, assim no corpo ireis. Cristo Senhor,
que nos salvou, era antes só espírito e fez-se carne e assim nos
chamou. Do mesmo modo também nós receberemos a
recompensa neste corpo.
Amemo-nos, pois, uns aos outros, para entrarmos todos no
reino de Deus. Enquanto temos tempo de ser curados,
entreguemo-nos a Deus médico, dando-lhe a paga. Que paga?
32º Semana do Tempo Comum - Terça-feira

A penitência brotada de um coração sincero. Com efeito, ele


prevê todas as coisas e conhece o que se passa em nosso
íntimo. Louvemo-lo, pois, não só de boca, mas de coração,
para que nos receba como filhos. De fato o Senhor disse: Meus
irmãos são aqueles que fazem a vontade de meu Pai (cf. Lc
8,21s).

Responsório Ez 18,31a-32; 2Pd 3,9b


R. Lançai para bem longe toda a vossa iniquidade! Criai em
vós um novo espírito e um novo coração!
* Eu não tenho prazer na morte de ninguém; convertei-vos e
vivei!
V. Com paciência o Senhor age conosco, pois não deseja que
alguém venha a perder-se, mas quer que todos se convertam e
retornem.
* Eu não tenho prazer na morte de ninguém; convertei-vos e
vivei!

Oração
Deus de poder e misericórdia, afastai de nós todo obstáculo
para que, inteiramente disponíveis, nos dediquemos ao vosso
serviço. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade
do Espírito Santo.