You are on page 1of 5

Ciência e Senso Comum

O senso comum e a ciência são duas teorias ou dois conceitos que em certos
momentos confundem-se já que ambos acabam se tornando fonte de
conhecimento social.

Desde os primórdios a humanidade foi desenvolvendo técnicas, seja as armas


para caça, o adubo na agricultura, e ate mesmo a criação da roda, que de certo
modo se sabia como funcionavam ou estes não sabiam explicar como que
aqueles fenômenos ocorriam até o surgimento da ciência.

Quando o senso comum tenta explicar tais fenômenos este fica carente de
testes relevantes que expliquem determinados fatos, sendo este baseado em
crenças quotidianas que atravessam os séculos. Estas crenças não sofrem
nenhum tipo de organização experimental, a ponto de o senso comum saber que
há um congelamento da água quando esta é colocada a ponto de arrefecimento
mesmo sabendo que a água do oceano não congela.

Apesar de o homem ter solucionado seus problemas com algumas invenções


simples como a roda mesmo sem conhecer o seu funcionamento, alguns
problemas levaram o homem a buscar explicações sobre o funcionamento não
só de fenômenos naturais, mas também dos acontecimentos práticos.

Para isso a ciência epistemológica busca separar e classificar estes problemas a


fim de solucioná-los.

Através da observação, se desprendendo de valores esmiuçando problemas


para numa segunda etapa do processo reconstruir o objeto estudado ou
construir este determinando todos os seus porquês gerando assim uma
constatação cientifica a respeito daquele determinado assunto ou objeto.
Com isso ciência busca reduzir as indeterminações formulando explicações
sistemáticas.

Por exemplo, a química não se satisfaz com o simples fato que a água se
solidifica ao ser suficientemente arrefecido, ou seja, esta ciência busca explicar
o porquê de a água congelar a temperatura diferente de outros líquidos, assim
como a água do oceano.

Ate mesmo as ciências epistemológicas apesar de suas experiências empíricas


e experimentais não constrói leis determinantes e inabaláveis.

Apesar de suas técnicas de pesquisa e experimental a ciência esta sujeita a


descobrir que esta está errada e pode ser corrigida pela própria ciência. Uma
teoria pode sofrer confrontos com varias outra teoria formulada através de
observações rigorosas ate se obtiver um critério para estas observações e seus
dados experimentais.

Assim como as ciências epistemológicas o design busca a solução de


problemas que através de suas observações e experimentações cientificas
formula teorias e constatações a respeito do tema a ser estudado. O
desprendimento e o rompimento de paradiguimas são fundamentais para se
fazer um estudo livre de interferências, no caso, do senso comum.

Isto se aplica a qualquer estudo na área do design seja ele na formulação de um


projeto gráfico ou na projetação de algum produto especifico.

É preciso separar problemas avalizá-los, descobrir os porquês dos problemas a


serem solucionados para depois então começar a se fazer uma reconstrução de
todo o processo sendo feita assim a projetação do objeto de estudo. Ao contrario
do que muitos pensam o design não é pura invenção mas sim é uma
constatação do problema e o que pode ser realizado para que aquele problema
seja resolvido.

É a organização, priorização e classificação, ou seja, todos estes procedimentos


mencionados são aplicados por vários braços da ciência seja ela na química,
física ou ate mesmo nas próprias ciências sociais.

Apesar de todo esse objetivismo das ciências o senso comum tem seu papel
importante no processo de estudo pois é no caso a primeira observação
realizada a respeito de tal assunto o leva aos questionamentos que a ciência os
impõe sendo assim criando e gerando conhecimento cientifico para a sociedade.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS
FACULDADE DE TECNOLOGIA
DEPARTAMENTO DE DESIGN E EXPRESSÃO GRÁFICA

Epistemologia das Ciências Sociais


Ciência e Senso Comum

Profa. Priscilla Freyre


Deny Monteiro da Silva - 20110290