2013

ISO 9001:2008 ISO 9001:2008
CRCC PETROBRÁS CRCC PETROBRÁS
CERTIFICAÇÕES ASME CERTIFICAÇÕES ASME -- “S”,”U” “S”,”U”
Gerando energia sustentável para o Brasil e o Mundo.
CERTIFICAÇÕES ASME CERTIFICAÇÕES ASME S , U S , U
E NATIONAL BOARD E NATIONAL BOARD --“R” “R”
CALDEI RAS A BAGAÇO CALDEI RAS A BAGAÇO –– 2006 x 2006 x CALDEI RAS A BAGAÇO CALDEI RAS A BAGAÇO –– 2006 x 2006 x CALDEI RAS A BAGAÇO CALDEI RAS A BAGAÇO 2006 x 2006 x
2013 2013 –– UMA EVOLUÇÃO FOCADA UMA EVOLUÇÃO FOCADA
NAS MUDANÇAS DO COMBUSTÍ VEL NAS MUDANÇAS DO COMBUSTÍ VEL
CALDEI RAS A BAGAÇO CALDEI RAS A BAGAÇO 2006 x 2006 x
2013 2013 –– UMA EVOLUÇÃO FOCADA UMA EVOLUÇÃO FOCADA
NAS MUDANÇAS DO COMBUSTÍ VEL NAS MUDANÇAS DO COMBUSTÍ VEL NAS MUDANÇAS DO COMBUSTÍ VEL NAS MUDANÇAS DO COMBUSTÍ VEL NAS MUDANÇAS DO COMBUSTÍ VEL NAS MUDANÇAS DO COMBUSTÍ VEL
Af r âni o Lopes – Ger ent e Engenhar i a de Apl i c aç ão Af r âni o Lopes – Ger ent e Engenhar i a de Apl i c aç ão
EMPRESA EMPRESA
Localização: ……………………………………………………Sertãozinho - São Paulo - Brasil Localização: ……………………………………………………Sertãozinho São Paulo Brasil
Área total:……………………………………………………….120.000 m²
Colaboradores:.....................................................................500
LI NHA DE LI NHA DE LI NHA DE LI NHA DE
EQUI PAMENTOS EQUI PAMENTOS
Caldeira AUP Caldeira AUP
Caldeira Monodrum® Caldeira Monodrum® Caldeira DP-D Caldeira DP-D
Hidrolisador Hidrolisador
Caldeira APU Caldeira APU
CALDEI RA AUP CALDEI RA AUP
CALDEI RA APU CALDEI RA APU
CALDEI RA AMD CALDEI RA AMD
TECNOLOGI AS DE TECNOLOGI AS DE
QUEI MA DE BI OMASSA QUEI MA DE BI OMASSA
QUEIMA EM SUSPENSÃO + GRELHA - QUEIMAEMSUSPENSÃO+GRELHA
PINHOLE– LIMPEZACONTÍNUA
- QUEIMAEMSUSPENSÃO+GRELHA
ROTATIVA
- LEITOFLUIDIZADOBORBULHANTE
MELHORI AS CONTÍ NUAS MELHORI AS CONTÍ NUAS
APRESENTAÇÃODOSCASOS
– melhoriasimplantadase
provadasemnossascaldeiras
SISTEMA SISTEMA
ALIMENTAÇÃODE ALIMENTAÇÃODE
BAGAÇO BAGAÇO
- Problema: aumento do desgaste das bicas do sistema de alimentação de bagaço, devido
à maior quantidade de impurezas vegetais (folhas e pontas) e minerais (terra, areia) no
bagaço; possível presença de contaminantes químicos – cloro, potássio.
Solução: alteração dos materiais de construção do sistema desde a esteira até entrada na -Solução: alteração dos materiais de construção do sistema, desde a esteira até entrada na
fornalha
ANTES ANTES
ATUAL ATUAL
CHAPAS AÇO CHAPAS AÇO
ANTES ANTES
CHAPASAÇO CHAPASAÇO
CARBONO ASTM A36 CARBONO ASTM A36

CHAPASAÇO CHAPASAÇO
INOXIDÁVELASTM INOXIDÁVELASTM
A240TP410D A240TP410D
(E 6 0 ) (E 6 0 )
CARBONOASTMA36 CARBONOASTMA36
(Espessura4,75mm) (Espessura4,75mm)
(Espessura6,0mm) (Espessura6,0mm)
Maior durabilidade
- Problema: aderência do bagaço/palha com fibras mais longas aos rotores dos
alimentadores; alimentadores;
- Solução: modificação no projetos dos alimentadores = novos alimentadores “shark
teeth”
SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO
ANTES ANTES
SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO
ANTES ANTES
SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO
ANTES ANTES
SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO
ATUAL ATUAL
SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO
ATUAL ATUAL
SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO SISTEMAALIMENTAÇÃODEBAGAÇO
ATUAL ATUAL
PROTEÇÃODOSTUBOS PROTEÇÃODOSTUBOS
DEVIDOAOAUMENTO DEVIDOAOAUMENTODAS DAS
IMPUREZASNOBAGAÇO IMPUREZASNOBAGAÇO
•Estudo de fluxo dos gases e particulados na caldeira – CFD =>
otimização do fluxo
•Instalação de chapas defletoras entre superaquecedores de vapor e •Instalação de chapas defletoras entre superaquecedores de vapor e
paredes da cavidade de convecção nos pontos críticos
ANTES ANTES
ATUAL ATUAL
PONTOSCRÍTICOSCOM PONTOSCRÍTICOSCOM
ABRASÃO ABRASÃO- - SERPENTINAS SERPENTINASDO DO
SUPERAQUECEDOR SUPERAQUECEDOR
OTIMIZAÇÃODOFLUXODEGASES OTIMIZAÇÃODOFLUXODEGASES
EINSTALAÇÃODECHAPAS EINSTALAÇÃODECHAPAS
DEFLETORASENTRE DEFLETORASENTRE SUPERAQUECEDOR SUPERAQUECEDOR
Areia direciona-se para as
SUPERAQUECEDORES SUPERAQUECEDORESEPAREDES EPAREDES
CAVIDADE CAVIDADE
Areia direciona-se para as
laterais da fornalha / cavidade;
Abrasão nos tubos de entrada e
As chapas defletoras evitam
caminho preferencial dos gases e
b saída das serpentinas dos
superaquecedores.
protegem os tubos.
CFD CFD ESTUDO DO FLUXO DE ESTUDO DO FLUXO DE CFD CFD– – ESTUDODOFLUXODE ESTUDODOFLUXODE
GASES GASES–– CALDEIRA300T/H CALDEIRA300T/H
CHAPADEFLETORA CHAPADEFLETORA
ATUAL ATUAL
AUMENTO AUMENTODAS DAS
IMPUREZASNO IMPUREZASNO
BAGAÇO BAGAÇO
- Alteração do sentido de giro do sistema de ar
secundário tangencial, resultado de estudos CFD secundário tangencial, resultado de estudos CFD
ANTES ANTES ATUAL ATUAL
TOTALIDADEDOSBICOS TOTALIDADEDOSBICOS
SENTIDOANTI SENTIDOANTI- -HORÁRIO HORÁRIO
(SistemaArSecundário (SistemaArSecundário-- Queima Queima
ANULAÇÃODO ANULAÇÃODO
DIRECIONAMENTODE DIRECIONAMENTODE
IMPUREZAS IMPUREZAS ((
emSuspensão) emSuspensão) (½Anti (½Anti- -Horárioe½Horário) Horárioe½Horário)
Areia direciona-se para as
paredes frontal e traseira fornalha
D d d d id d d
A inversão do sentido de giro
provoca a dispersão das impurezas
A i lh l Dependendo da quantidade de
impurezas no combustível, há
abrasão nos tubos
As impurezas espalham-se pelo
interior da fornalha e região
convectiva
NOVOSISTEMADEARSECUNDÁRIO/QUEIMAEMSUSPENSÃO NOVOSISTEMADEARSECUNDÁRIO/QUEIMAEMSUSPENSÃO
ATUAL ATUAL
AUMENTODAS AUMENTODAS
IMPUREZASNO IMPUREZASNO
BAGAÇO BAGAÇO
- Instalação de “ shield” (meia cana) de proteção nas
regiões sujeitas a abrasão regiões sujeitas a abrasão
ANTES ANTES ATUAL ATUAL
TUBOSDETROCATÉRMICA TUBOSDETROCATÉRMICA
SÃOFORNECIDOSSEM SÃOFORNECIDOSSEM
PROTEÇÃOCONTRAABRASÃO PROTEÇÃOCONTRAABRASÃO
INSTALAÇÃODESHIELD(MEIA INSTALAÇÃODESHIELD(MEIA
CANA)EMPARTESSUJEITASA CANA)EMPARTESSUJEITASA
ABRASÃO ABRASÃO ÇÇ
Areia direciona-se para as
paredes frontal e traseira fornalha
D d d d id d d
Impurezas minerais atacam por
abrasão as proteções tipo “shield”
(meia cana) e não os tubos de
Dependendo da quantidade de
impurezas no combustível, há
abrasão nos tubos
(meia cana) e não os tubos de
troca térmica
PROTEÇÃODOSTUBOSDEVIDOAOAUMENTODASIMPUREZASDOBAGAÇO PROTEÇÃODOSTUBOSDEVIDOAOAUMENTODASIMPUREZASDOBAGAÇO
ATUAL ATUAL
SISTEMADE SISTEMADE
CONTROLEDE CONTROLEDE
COMBUSTÃO COMBUSTÃO
Implementação do SET POINT REMOTO de controle de pressão do - Implementação do SET-POINT REMOTO de controle de pressão do
vapor, diminuindo assim oscilações de combustão devido alta umidade
do bagaço
ANTES ANTES
SET SET--POINT PERMANECE POINT PERMANECE
ATUAL ATUAL
SET SET--POINT REMOTO POINT REMOTO
SET SET POINTPERMANECE POINTPERMANECE
FIXOMESMOCOM FIXOMESMOCOM
QUEDADEPRESSÃO QUEDADEPRESSÃO
SET SET POINTREMOTO POINTREMOTO
MODULACOMQUEDADE MODULACOMQUEDADE
PRESSÃO PRESSÃO
Queda de pressão com alta
umidade do bagaço
Evita o acúmulo de bagaço na
fornalha e consequentes explosões
Rotação dos alimentadores de
bagaço vai a 100% para
recuperação de pressão
de fornalha
Realiza uma rampa de
recuperação de pressão em caso de
Explosões de fornalha devido
acúmulo de bagaço na fornalha
aumento brusco de vazão de vapor
SISTEMADECONTROLEDECOMBUSTÃO SISTEMADECONTROLEDECOMBUSTÃO
ANTES ANTES
SISTEMADECONTROLEDECOMBUSTÃO SISTEMADECONTROLEDECOMBUSTÃO
ATUAL ATUAL
MODIFICAÇÕES MODIFICAÇÕES ÇÇ
SISTEMADE SISTEMADE
COMBUSTÃO COMBUSTÃO
P t ã t l õ d id à fl t õ id d d b
ANTES ANTES
- Proteção contra explosões devido às flutuações na umidade do bagaço:
alteração da proporção do ar - queima em suspensão x queima sobre a grelha
ATUAL ATUAL
ANTES ANTES
40%ARPRIMÁRIO 40%ARPRIMÁRIO
50%AR SECUNDÁRIO 50%AR SECUNDÁRIO
ATUAL ATUAL
50%ARPRIMÁRIO 50%ARPRIMÁRIO
40%AR SECUNDÁRIO 40%AR SECUNDÁRIO
50%ARSECUNDÁRIO 50%ARSECUNDÁRIO
10%ARPNEUMÁTICO 10%ARPNEUMÁTICO
40%ARSECUNDÁRIO 40%ARSECUNDÁRIO
10%ARPNEUMÁTICO 10%ARPNEUMÁTICO
Com alta umidade do bagaço, a
queima em suspensão diminui
Com acúmulo de bagaço no grelhado, a
maior proporção de ar (50%) facilita a queima
com menores oscilações de combustão
Acúmulo de bagaço úmido no
grelhado
Neste momento há necessidade
com menores oscilações de combustão
No momento de estabilização da umidade
(≤52%), as folgas dos ventiladores
possibilitam a inversão da proporção de Ar
Neste momento, há necessidade
de maior proporção de ar para
queima no grelhado
possibilitam a inversão da proporção de Ar
Secundário-50%e Primário-40%
MODIFICAÇÕES MODIFICAÇÕES ÇÇ
SISTEMADE SISTEMADE
COMBUSTÃO COMBUSTÃO
- Aumento da superfície da grelha
- Aumento da temperatura do ar primário
ANTES ANTES ATUAL ATUAL
Caldeira projetada para alta
porcentagem de queima em
suspensão o que continua valendo
Caldeira projetada para ambas situações –
maior queima em suspensão com bagaço
i i i b lh
suspensão, o que continua valendo
para o bagaço “convencional”;
Instabilidade de combustão com
aumento/variações de umidade o
mais seco, e maior queima sobre a grelha,
com bagaço mais úmido;
Solução simples e econômica para resolver
bl d lid d d b
aumento/variações de umidade, o
que dificultava a queima em
suspensão
o problema da qualidade do bagaço, sem
recorrer a altos custos operacionais como
Leito Fluidizado
SISTEMA CAPTAÇÃO SISTEMA CAPTAÇÃO SISTEMACAPTAÇÃO SISTEMACAPTAÇÃO
DEFULIGEM DEFULIGEM
Instalação dispositivo para equalização do fluxo internamente e - Instalação dispositivo para equalização do fluxo internamente e
inundação dos cones com água para retirar particulados pesados
ANTES ANTES
ATUAL ATUAL
ANTES ANTES
CAPTADORDEFULIGEM CAPTADORDEFULIGEM
SEMEQUALIZADORDEFLUXOE SEMEQUALIZADORDEFLUXOE
SEM NÍVEL DE ÁGUA SEM NÍVEL DE ÁGUA
CAPTADORDEFULIGEM CAPTADORDEFULIGEM
COMEQUALIZADORDEFLUXOE COMEQUALIZADORDEFLUXOE
COM NÍVEL DE ÁGUA COM NÍVEL DE ÁGUA
SEMNÍVELDEÁGUA SEMNÍVELDEÁGUA
Não permite diminuir a temperatura
COMNÍVELDEÁGUA COMNÍVELDEÁGUA
Permite operar com temperatura dos
gases em 85ºC
de saída dos gases para 85ºC, devido
ao arraste de água
Os particulados mais pesados (areia)
Os particulados mais pesados (areia)
são capturados pelo sistema de
inundação dos cones p p ( )
não são capturados pelo sistema
Lavagem dos cones possibilita o
arraste de água para exaustores
ç
Atende com folga a legislação vigente
(CONAMA), MP=200 mg/Nm³
arraste de água para exaustores
Válvula Válvula
Manual Manual
Válvula Válvula
Equalizador Equalizador
deFluxo deFluxo
Válvula Válvula
ON ON- -OFF OFF
Overflow Overflow Overflow Overflow
Descarga Descarga
Fundo Fundo
Descarga Descarga
Contínua Contínua
Válvulade Válvulade
Controle Controle
Linhade Linhade
águapara águapara
turbulência turbulência
Entradade Entradade
gases gases
Saídade Saídade
gases gases
gases gases
Equalizarofluxo Equalizarofluxo
degases degases
Opçãoautomática Opçãoautomática
O sinal de temperatura
dos gases interage
diretamente no controle
de abertura da válvula de de abertura da válvula de
forma a manter a
temperatura desejada de
saída
Válvulade Válvulade
descarga descarga
PRÉ PRÉ AQUECEDOR AQUECEDOR PRÉ PRÉ--AQUECEDOR AQUECEDOR
DEAR DEAR
- Sistema de recirculação de ar aquecido na entrada dos
ventiladores para aumento da vida útil dos tubos do pré-ar
ANTES ANTES
SUCÇÃODOSVENTILADORES SUCÇÃODOSVENTILADORES
ATUAL ATUAL
SUCÇÃODOSVENTILADORES SUCÇÃODOSVENTILADORES
(ArAmbiente (ArAmbiente– – Tamb Tamb=25ºC) =25ºC) COMRECIRCULAÇÃOARQUENTE COMRECIRCULAÇÃOARQUENTE
(ArAmbiente+Araquecido=60ºC) (ArAmbiente+Araquecido=60ºC)
Com a caldeira operando em
cargas parciais (abaixo de 70%)
Tgás diminui
Sistema de recirculação de ar
aquecido opera em cargas parciais,
Condensação dos gases e
corrosão nas primeiras carreiras de
tubos pré-ar
mantendo a potência instalada
Mantendo Tar=60ºC na entrada
pré-ar não haverá condensação
tubos pré ar
Manutenção elevada para
substituição dos tubos
pré ar, não haverá condensação
dos gases
PRÉ PRÉ--AQUECEDORDEAR AQUECEDORDEAR
ANTES ANTES
PRÉ PRÉ--AQUECEDORDEAR AQUECEDORDEAR
ATUAL ATUAL
Recirculaçãodear
aquecido
SISTEMA SOPRAGEM SISTEMA SOPRAGEM SISTEMASOPRAGEM SISTEMASOPRAGEM
FULIGEM FULIGEM
- Alteração do ponto de tomada / admissão de vapor
ANTES ANTES ATUAL ATUAL
VAPOR SUPERAQUECIDO VAPOR SUPERAQUECIDO
VAPORSATURADO VAPORSATURADO
(Admissão (AdmissãoTubulão Tubulão deVapor deVapor
VAPORSUPERAQUECIDO VAPORSUPERAQUECIDO
(AdmissãoColetorIntermediário (AdmissãoColetorIntermediário
doSuperaquecedor) doSuperaquecedor)
Título (qualidade) do vapor
abaixo de 1,0
C d d id
Vapor superaquecido e seco não
provoca abrasão nos tubos de troca
térmica
Condensado contido no vapor
provoca abrasão dos tubos de troca
térmica
térmica
SISTEMA SOPRAGEM SISTEMA SOPRAGEM SISTEMASOPRAGEM SISTEMASOPRAGEM
FULIGEM FULIGEM
ÁÁ CÁLCULOQUALIDADEDOVAPOR CÁLCULOQUALIDADEDOVAPOR
ANTES ANTES
SISTEMASOPRAGEMFULIGEM SISTEMASOPRAGEMFULIGEM
ANTES ANTES
SISTEMA SOPRAGEM SISTEMA SOPRAGEM SISTEMASOPRAGEM SISTEMASOPRAGEM
FULIGEM FULIGEM
ÁÁ CÁLCULOQUALIDADEDOVAPOR CÁLCULOQUALIDADEDOVAPOR
ATUAL ATUAL
SISTEMA SOPRAGEM SISTEMA SOPRAGEM SISTEMASOPRAGEM SISTEMASOPRAGEM
FULIGEM FULIGEM
- Alteração do tipo, modelo e fabricante dos sopradores de
fuligem fuligem
ANTES ANTES
SOPRADORES FIXOS COM SOPRADORES FIXOS COM
ATUAL ATUAL
SOPRADORES RETRÁTEIS E SEMI SOPRADORES RETRÁTEIS E SEMI--
SOPRADORESFIXOSCOM SOPRADORESFIXOSCOM
LANÇAS LANÇASD.N. D.N. 2” 2”
SOPRADORESRETRÁTEISESEMI SOPRADORESRETRÁTEISESEMI--
RETRÁTEISCOMLANÇAS RETRÁTEISCOMLANÇASD.N. D.N. 3,5” 3,5”
Lanças com múltiplos bicos de
Retrátil - Lanças com 2 bicos de
D.N. 25 mm
Lanças com múltiplos bicos de
D.N. 8 mm
Pressão de sopragem limitada a
10 0 k f/ ²
Semi-Retrátil – Lanças com 6
bicos de D.N. 16 mm
Pressão de sopragem pode
10,0 kgf/cm²g
Raio de limpeza de 1,0 metro
Pressão de sopragem pode
chegar a 30,0 kgf/cm²g
Raio de limpeza de 2,0 metros
SISTEMASOPRAGEMFULIGEM SISTEMASOPRAGEMFULIGEM
ANTES ANTES
SISTEMASOPRAGEMFULIGEM SISTEMASOPRAGEMFULIGEM
ATUAL ATUAL
DUTOSSEMPINTURA DUTOSSEMPINTURAINTERNA INTERNA
ANTES ANTES
REGISTROVENEZIANAENTRADAVTI REGISTROVENEZIANAENTRADAVTI
ANTES ANTES
PINTURAINTERNADOS PINTURAINTERNADOSDUTOS/EXAUSTORES/CHAMINÉ DUTOS/EXAUSTORES/CHAMINÉ
ATUAL ATUAL
PINTURAINTERNADOSDUTOS/EXAUSTORES/CHAMINÉ PINTURAINTERNADOSDUTOS/EXAUSTORES/CHAMINÉ
ATUAL ATUAL
PARTE ÚMIDA EM PARTE ÚMIDA EM PARTEÚMIDAEM PARTEÚMIDAEM
AÇOINOX AÇOINOX
- Alternativa cada vez mais usada = dutos/rotores dos
exaustores, lavador de gases e chaminé em aço inox 410 D
ANTES ANTES
g ç
ATUAL ATUAL
CHAPAS CHAPAS AÇO AÇO CARBONO CARBONO
ASTM ASTM A A36 36 SEM SEM
REVESTIMENTO REVESTIMENTO INTERNO INTERNO
CHAPAS CHAPAS AÇO AÇO INOX INOX 410 410 DD
REVESTIMENTO REVESTIMENTO INTERNO INTERNO
Durabilidade maior
Não há preocupação com a
Corrosão devido ataque ácido
formado pela adição da água
aos gases de combustão
Não há preocupação com a
temperatura dos gases de combustão
Durabilidade menor
PLATAFORMAS PLATAFORMAS PLATAFORMAS PLATAFORMAS
CALDEIRA CALDEIRA
- Pisos e degraus construídos com a utilização de grades
galvanizados a fogo e fixados através de elementos apropriados,
sem soldagem
ANTES ANTES
PISOS PISOS EE DEGRAUS DEGRAUS
sem soldagem
ATUAL ATUAL
PISOS PISOS E E DEGRAUS DEGRAUS
CONSTRUÍDOS CONSTRUÍDOS DE DE
PISOS PISOS EE DEGRAUS DEGRAUS
CONSTRUÍDOS CONSTRUÍDOS EM EM
CHAPAS CHAPAS XADREZ XADREZ E E
METAL METAL EXPANDIDO EXPANDIDO
CONSTRUÍDOS CONSTRUÍDOS DE DE
GRADES GRADES GALVANIZADAS GALVANIZADAS
AA FOGO FOGO
Fixação através de soldagem
Usa elementos de fixação sem
soldagem
ç g
danificando a pintura
Acúmulo de bagaço e água
nos pisos por não ser vazados
g
Não há acúmulo de bagaço e
água nos pisos, por ser totalmente
vazado
nos pisos, por não ser vazados
Deformações na soldagem
Maior resistência mecânica e
segurança
PLATAFORMASCALDEIRA PLATAFORMASCALDEIRA
ANTES ANTES
PLATAFORMASCALDEIRA PLATAFORMASCALDEIRA
ANTES ANTES
PLATAFORMASCALDEIRA PLATAFORMASCALDEIRA
ANTES ANTES
PLATAFORMASCALDEIRA PLATAFORMASCALDEIRA
ATUAL ATUAL
PLATAFORMASCALDEIRA PLATAFORMASCALDEIRA
ATUAL ATUAL
PLATAFORMASCALDEIRA PLATAFORMASCALDEIRA
ATUAL ATUAL
SISTEMA DE SISTEMA DE SISTEMADE SISTEMADE
CONTROLEDENÍVEL CONTROLEDENÍVEL
- Instalação de 02 válvulas de controle de nível, sendo 01
válvula auxiliar com internos anti-cavitantes e 01 válvula
principal principal
ANTES ANTES
VÁLVULA VÁLVULA DE DE CONTROLE CONTROLE DE DE NÍVEL NÍVEL
ATUAL ATUAL
VÁLVULA VÁLVULA AUXILIAR AUXILIAR COM COM
INTERNOS INTERNOS ESPECIAIS ESPECIAIS ++
COM COM INTERNOS INTERNOS CONVENCIONAIS CONVENCIONAIS
INTERNOS INTERNOS ESPECIAIS ESPECIAIS
VÁLVULA VÁLVULA PRINCIPAL PRINCIPAL
Na partida da caldeira, a pressão da
linha está com 100,0 kgf/cm²g e a caldeira
está em rampa de aquecimento
Na partida da caldeira, utilização
somente da válvula auxiliar com
internos anti-cavitantes
es á e a pa de aquec e o
Cavitação dos internos e do corpo da
válvula devido alto diferencial de pressão
A válvula principal permanece
fechada até 20% da vazão nominal
Controle de nível não confiável, devido
baixa vazão para uma válvula com um CV
alto
Os internos da válvula auxiliar
estão preparados para alto
diferencial de pressão
SISTEMADECONTROLEDENÍVEL SISTEMADECONTROLEDENÍVEL
ANTES ANTES
SISTEMADECONTROLEDENÍVEL SISTEMADECONTROLEDENÍVEL
ATUAL ATUAL
SISTEMA SISTEMA DE LIMPEZA DE LIMPEZA SISTEMA SISTEMA DELIMPEZA DELIMPEZA
GRELHAPIN GRELHAPIN- -HOLE HOLE
I t l ã d ál l d t ífi d
ANTES ANTES
- Instalação de uma válvula redutora específica para sopragem do
grelhado, independente da linha de sopragem de fuligem
ATUAL ATUAL
ANTES ANTES
UMA UMA ÚNICA ÚNICA VÁLVULA VÁLVULA ATENDENDO ATENDENDO
LIMPEZA LIMPEZA DO DO GRELHADO GRELHADO E E
ATUAL ATUAL
VÁLVULA VÁLVULA ESPECÍFICA ESPECÍFICA PARA PARA
LIMPEZA LIMPEZA DO DO GRELHADO GRELHADO
OPERANDO OPERANDO COM COM 88 00 kgf kgf/cm²g /cm²g
SOPRAGEM SOPRAGEM DE DE FULIGEM FULIGEM
OPERANDO OPERANDO COM COM 88,,00 kgf kgf/cm²g /cm²g
Li h ífi li
Na sopragem de fuligem, a opção de
limpeza do grelhado fica desabilitada
Pressurização constante da linha de
Linha específica para limpeza
do grelhado
Não possibilita a utilização da
Pressurização constante da linha de
sopragem de fuligem e possibilidade de
abrasão nos tubos de troca térmica
P õ dif t d
p ç
pressão de 21,0 kgf/cm²g para o
grelhado
A linha de sopragem de fuligem
Pressões diferentes de sopragem
21,0 kgf/cm²g – Fuligem contra 8,0
kgf/cm²g - Grelhado
A linha de sopragem de fuligem
não permanece pressurizada
constantemente
SISTEMA SISTEMA DE LIMPEZA DE LIMPEZA SISTEMA SISTEMA DELIMPEZA DELIMPEZA
GRELHAPINHOLE GRELHAPINHOLE
- Alteração do ponto de tomada / admissão de vapor para
caldeiras com pressão acima de 67,0 kgf/cm²
ANTES ANTES
VAPORSATURADO VAPORSATURADO
ATUAL ATUAL
VAPORSUPERAQUECIDO VAPORSUPERAQUECIDO
(Admissão Coletor Intermediário (Admissão Coletor Intermediário
O S U O O S U O
(Admissão (AdmissãoTubulão Tubulão deVapor deVapor
(AdmissãoColetorIntermediário (AdmissãoColetorIntermediário
doSuperaquecedor) doSuperaquecedor)
Título do vapor abaixo de 1,0
Condensado contido no vapor
Vapor superaquecido e seco não
provoca abrasão nos elementos de
grelha
Condensado contido no vapor
provoca abrasão nos elementos de
grelha
C d id
g
Aumento da vida útil dos
componentes do grelhado
Compromete a sopragem devido
a danos dos flexíveis de
alimentação dos bicos
SISTEMALIMPEZADOGRELHADO SISTEMALIMPEZADOGRELHADO
ANTES ANTES
SISTEMALIMPEZADOGRELHADO SISTEMALIMPEZADOGRELHADO
ATUAL ATUAL
SISTEMA SISTEMA
ALIMENTAÇÃO ALIMENTAÇÃO
COMBUSTÍVEL COMBUSTÍVEL
P t ã d ld i f lt d b tí l t d d - Proteção da caldeira por falta de combustível e entrada de
ar falso
ANTES ANTES
ATUAL ATUAL
BICAS DE ALIMENTAÇÃO BICAS DE ALIMENTAÇÃO
BICASDEALIMENTAÇÃO BICASDEALIMENTAÇÃO
ENTREESTEIRAE ENTREESTEIRAE
ALIMENTADORESSEM ALIMENTADORESSEM
ÃÃ
BICASDEALIMENTAÇÃO BICASDEALIMENTAÇÃO
ENTREESTEIRAE ENTREESTEIRAE
ALIMENTADORESCOM ALIMENTADORESCOM
PROTEÇÃO PROTEÇÃO
PROTEÇÃO PROTEÇÃO
PROTEÇÃO PROTEÇÃO
(SensoresCapacitivos) (SensoresCapacitivos)
Em caso de falta de combustível
e/ou falha de alimentação, as bicas
de alimentação perdem a selagem
Em caso de falta de combustível
e/ou falha de alimentação, os
alimentadores serão desligados
Distúrbio muito grande na
combustão e resfriamento da
fornalha, devido entrada de ar falso
Selagem contra entrada de ar
falso
E i í i i ê di
fornalha, devido entrada de ar falso
Sobrecarga dos exaustores
Evita possíveis incêndios nas
esteiras e outros componentes da
caldeira
SISTEMAALIMENTAÇÃOCOMBUSTÍVEL SISTEMAALIMENTAÇÃOCOMBUSTÍVEL
ATUAL ATUAL
SISTEMA TIRAGEM DE SISTEMA TIRAGEM DE SISTEMATIRAGEMDE SISTEMATIRAGEMDE
GASES GASES
Modulação da operação dos ventiladores através de - Modulação da operação dos ventiladores através de
inversores de frequência + atuadores de dampers
ATUAL ATUAL
ANTES ANTES
VENTILADORES VENTILADORESMODULADOS MODULADOS
SOMENTE POR SOMENTE POR INVERSORES DE INVERSORES DE
ATUAL ATUAL
VENTILADORES VENTILADORESMODULADOS MODULADOS
PORINVERSORESEM PORINVERSORESEM
COMBINAÇÃO COM DAMPERS COMBINAÇÃO COM DAMPERS
SOMENTEPOR SOMENTEPORINVERSORESDE INVERSORESDE
FREQUÊNCIA FREQUÊNCIA
COMBINAÇÃOCOMDAMPERS COMBINAÇÃOCOMDAMPERS
Devido ao aumento do momento
de inércia dos ventiladores, há uma
grande oscilação de corrente
Diminuição das oscilações de
correntes elétricas e consumo de
tê i
elétrica;
Oscilações de combustão,
devido alterações de demanda de
potência;
Rápida resposta dos sistemas de
combustão e tiragem;
devido alterações de demanda de
vapor e umidade do combustível;
Demora na resposta do sistema.
Aproveitamento dos fatores de
serviço reais do motor e inversor.
SUPERAQUECEDOR SUPERAQUECEDOR SUPERAQUECEDOR SUPERAQUECEDOR
DEVAPOR DEVAPOR
Alteração do posicionamento forma constr ti a e - Alteração do posicionamento, forma construtiva e
característica do superaquecedor de vapor
ATUAL ATUAL
S Q C O CO C O S Q C O CO C O
ANTES ANTES
SUPERAQUECEDORRADIANTE SUPERAQUECEDORRADIANTE
POSICIONADO NA FORNALHA POSICIONADO NA FORNALHA
SUPERAQUECEDORCONVECTIVO SUPERAQUECEDORCONVECTIVO
POSICIONADONACAVIDADE POSICIONADONACAVIDADE
POSICIONADONAFORNALHA POSICIONADONAFORNALHA
Recebimento da chama de
Menor temperatura dos gases de combustão na
entrada do super; a radiação da fornalha é
despresível;
Recebimento da chama de
combustão da fornalha;
Não permite a drenagem por ser
Evita aderência de cinzas com baixo ponto de
fusão, que resultam da queima de bagaço com
porcentagens altas de potássio;
pendurado na fornalha;
Caso não seja adequadamente
ventilado ocorrência de
Evita ataques de novos contaminantes como
cloro;
Requer maior superfície de troca térmica;
ventilado, ocorrência de
superaquecimento e ruptura do
material.
Permite drenagem;
Menos suscetível a deformações por falhas na
partida .
ANTES ANTES
SUPERAQUECEDORDEVAPOR SUPERAQUECEDORDEVAPOR
ATUAL ATUAL
SUPERAQUECEDORDEVAPOR SUPERAQUECEDORDEVAPOR
Condensador Condensador
ATUAL ATUAL
SUPERAQUECEDORDEVAPOR SUPERAQUECEDORDEVAPOR
Screen Screen
Dessuperaquecedor Dessuperaquecedor
Screen Screen
Superaquecedor Superaquecedor
Secundário Secundário
Superaquecedor Superaquecedor
Primário Primário
SaídadeVapor SaídadeVapor
Evaporador Evaporador
CONTROLE CONTROLE CO O CO O
TEMPERATURADO TEMPERATURADO
VAPOR VAPOR
- Utilização de três sensores para controle da temperatura
do vapor com maior estabilidade
ANTES ANTES
CONTROLE DA TEMPERATURA CONTROLE DA TEMPERATURA
ATUAL ATUAL
CONTROLE DA TEMPERATURA CONTROLE DA TEMPERATURA CONTROLEDATEMPERATURA CONTROLEDATEMPERATURA
COMMEDIÇÃODA COMMEDIÇÃODA
TEMPERATURAFINAL TEMPERATURAFINAL
CONTROLEDATEMPERATURA CONTROLEDATEMPERATURA
COMMEDIÇÕESDE03 COMMEDIÇÕESDE03
TEMPERATURASDOVAPOR TEMPERATURASDOVAPOR
Apenas 01 sensor para medição
temperatura na saída do super
Utilização de 03 sensores de
medição da temperatura do vapor temperatura na saída do super
secundário
Não permite antecipação de
i j ã d á fi d it
medição da temperatura do vapor
Permite antecipação de injeção de
água no dessuper
injeção de água, a fim de evitar
oscilações da temperatura final
para turbina
Menor oscilação da temperatura
final para turbina
Tubo Venturi
Entradade
Condensado
Vazãodegases Vazãodegases
ANTES ANTES
Condensado
Superaquecedor
Secundário
Desuperaquecedor
Coletorde
saída
01TRANSMISSOR
TEMPERATURAPARA
CONTROLE CONTROLE
Superaquecedor Superaquecedor
Primário
Coletorde
entrada
Tubo Venturi
Entradade
Condensado
Vazãodegases Vazãodegases
ATUAL ATUAL
Condensado
Superaquecedor
Secundário
Desuperaquecedor
Coletorde
saída
03TRANSMISSORES
TEMPERATURAPARA
CONTROLE CONTROLE
Superaquecedor Superaquecedor
Primário
Coletorde
entrada
COMPARATI VO COMPARATI VO
BFB X PI N HOLE BFB X PI N HOLE
BFB Pin Hole
Flexibilidade de Combustíveis MAIOR MENOR
Emissões Gasosas MENOR MAIOR
Eficiência da Caldeira MAIOR MENOR
I ti t I i i l MAIOR MENOR Investimento Inicial MAIOR MENOR
Custo Operacional e de Manutenção MAIOR MENOR
FLEXI BI LI DADE DE FLEXI BI LI DADE DE
COMBUSTÍ VEI S COMBUSTÍ VEI S
Leito fluidizado borbulhante é muito indicado para combustíveis sólidos e úmidos
•Combustíveis comPCI abaixo de 1500kcal/kg
U id d i d 55% lt i ã d t ã •Umidade acima de 55%ou comalta variação durante a operação
•Limite de 65%para umidade
Combustíveis usuais para Leito Fluidizado Borbulhante (Adequando-se o sistema de alimentação,
combustão e materiais aplicados):
•Resíduos Florestais Resíduos Florestais
•Combustíveis derivados de pneus (emcombinação)
•Carvão (emcombinação)
Bi •Biomassa
•Bagaço e palha de cana-de-açúcar
•Vinhaça concentrada (emcombinação)
•Turfa
Resíduos Florestais Resíduos Florestais
ÕÕ EMI SSÕES GASOSAS EMI SSÕES GASOSAS
Caldeira BFB
•Possibilidade de uso de precipitador eletrostático ou filtro de mangas semciclones
NOx <150 ppm - Temperaturas mais baixas na saída da fornalha e recirculação de gás.
CO <100 ppm Maior estabilidade na combustão CO <100 ppm- Maior estabilidade na combustão.
Caldeira Pin Hole
•Obrigatório uso de ciclones antes do precipitador ou filtro de mangas
NOx <350 ppm
CO <200 ppm( CONAMApermite até 1300 ppm).
ÊÊ EFI CI ÊNCI A DA EFI CI ÊNCI A DA
CALDEI RA PI N HOLE CALDEI RA PI N HOLE
ÊÊ EFI CI ÊNCI A DA EFI CI ÊNCI A DA
CALDEI RA BFB CALDEI RA BFB
CUSTO DE CUSTO DE CUSTO DE CUSTO DE
OPERAÇÃO E OPERAÇÃO E
MANUTENÇÃO BFB MANUTENÇÃO BFB
Custo operacional da caldeira BFB é superior à Pin Hole devido ao:
•Consumo de energia elétrica
Exemplo: Caldeira de 300 t/h
P tê i i t l d Pi H l / BFB 5800 h / 7700 h A 30% Potência instalada: Pin Hole / BFB – 5800 hp / 7700 hp – Aprox. 30%
•Consumo de combustível auxiliar.
•Consumo de areia.
Custo de manutenção da caldeira BFB é superior à Pin Hole devido à:
•Cinta refratária no interior da fornalha
•Maior quantidade de equipamentos periféricos como filtro de mangas para recirculação do
á i d t l t l it i t t t i d gás, queimadores, termoelementos no leito e equipamentos para transporte e manuseio de
areia
PRI MEI RA CALDEI RA PRI MEI RA CALDEI RA PRI MEI RA CALDEI RA PRI MEI RA CALDEI RA
MONODRUM MONODRUM
Us. Us.Sta Sta Terezinha Terezinha–– Tapejara Tapejara -- 300t/h 300t/h– – 67 67
kgf kgf/cm² /cm²- - 480 480°°CC
CALDEI RA USI NA CALDEI RA USI NA CALDEI RA USI NA CALDEI RA USI NA
TROPI CAL TROPI CAL -- 2014 2014
300t/h 300t/h– – 67 67kgf kgf/cm² /cm²-- 520 520°°CC
Novo Novo
sistema de sistema de
Opçãode Opçãode
inoxou inoxou
pintura pintura
Recirculaçã Recirculaçã
odoar odoar
aquecido aquecido
Alteração Alteração
dosentido dosentido
degiro degiro–– ar ar
sistemade sistemade
alimentação alimentação
emaçoinox emaçoinox
pp
interna interna
especial especial
paradutos paradutos
Nova Nova
configuração configuração
pré pré--ar ar
gg
secundario secundario
Sopradores Sopradores
Retráteis Retráteis
degasese degasese
chaminé chaminé
pré pré--ar ar
economizador economizador
Retráteis Retráteis
Maiorárea Maiorárea
degrelha, degrelha,
ã d ã d
Maiorretirada Maiorretirada
de fuligem de fuligem
vazãodear vazãodear
e e
temperatura temperatura
defuligem defuligem
antesdo antesdo
lavador lavador
OBRIGADO!!!