INSTITUTO TEOLÓGICO SUPERIOR DE MISSÕES – ITESMI

ALUNO:

Josemar José de Moraes

CURSO: Bacharel em Teologia


TURNO: Noturno


DISCIPLINA: Métodos de Estudos Bíblicos


PROFESSOR: Joseilton da Silva Messias


Resumo do texto:
A mensagem que veio do céu



Campina Grande, 09 de Abril de 2014.


A mensagem que veio do Céu
A Bíblia é revelação de Deus a humanidade. Deus é o autor, o Espírito
Santo seu intérprete e o Senhor Jesus, o seu assunto central. Ela expressa a
vontade de Deus para a salvação.
Sondas especiais estão sendo enviadas ao espaço [...] acredita-se que
muitos mistérios e enigmas da história poderão ser desvendados. De onde
viemos? Quem somos? Para onde estamos indo?

Os Profetas do Antigo Testamento
Eles alegam ter recebido revelações de Deus.
A fórmula Assim diz o Senhor, que introduz no Antigo Testamento
oráculos Proféticos [...] serve de testemunha da realidade da revelação. Os
profetas estavam tão cônscios da responsabilidade de entregar a mensagem
que muitas vezes pediam a Deus que os poupasse desse peso.

Os Escritores do Novo Testamento
Estes são unanimes em reconhecer a revelação do Velho Testamento
originário da inspiração divina. O autor da carta aos Hebreus, por exemplo,
enfatiza a realidade das revelações. “ Havendo Deus, outrora falado[...] aos
pais pelos profetas[...] nos falou pelo Filho...” Hb 1.1. O que registravam era a
Palavra de Deus. O Deus que soprou o fôlego de vida nos seres humanos é o
mesmo que soprou sua palavra nas consciências dos seus profetas. A exemplo
da traição de Judas que fora predita. “Irmãos convinha que se cumprisse a
Escritura que o Espírito Santo proferiu anteriormente pela boca de Davi”. At
1.16
Mais Evidências
Se o próprio Espírito Santo supervisionou a entrega da revelação,
garantiu que isto seria feito sem erros. De imediato, as pessoas dizem que a
Bíblia é livro de homens. Em outras palavras “falha e imperfeita”. Os milagres,
por exemplo, são vistos como lendas da antiguidades, tão verdadeiros e
históricos quanto Branca de Neve. Destacamos as “chamadas discrepâncias
da Bíblia”, que muitas vezes perdemos de vista fatos relacionados com ela tão
fantásticos que somente poderiam ser explicados por sua origem Divina.

Unidade da Bíblia
A Bíblia não é um livro, mas uma coleção de livros. Alguns deles tem
autoria comum. Lucas e Atos foram escritos por Lucas que leva o nome de seu
evangelho. Mas na sua maioria, foram escritos por pessoas distintas, em
épocas e locais diferentes. Entre seus escritores, figuram um erudito, como
Isaías, um caipira como Amós, um rabi e um médico. Apesar dessa
diversidade, o que chama a atenção do leitor da Bíblia á a sua espantosa
unidade, parece uma só historia, do Gênesis ao Apocalipse, Deus figura como
protagonista. As promessas do Antigo Testamento são cumpridas no Novo.
Como explicar esta unidade?

A Mensagem Singular da Bíblia
Mais um fato interessante é o conteúdo da mensagem bíblica. Entre a
Bíblia e os outros escritos religiosos e filosóficos existe um abismo
intransponível. Certamente valores como a verdade, a honestidade, justiça e o
altruísmo são comum. Nisso a Bíblia se identifica com todos os outros. Mas o
que dizer do Deus apresentado pela Bíblia? Contraste com a energia
impessoal do Hinduísmo ou com os frágeis e grotescos deuses panteões. Deus
se apresenta em toda a Sua majestade e grandeza: onipotente e onisciente,
imutável. O homem, na Bíblia, é retrato no seu melhor e no seu pior estado, ele
é criado por Deus com dignidade e sentido na história. Na filosofia o homem é
deificado como o senhor do seu próprio destino, na Bíblia o homem é criatura
de Deus, pecador e dependente. O caminho bíblico para a salvação vai de
encontro à ideia arraigada, no espírito humano que cada um deve promover a
sua própria salvação. Na Bíblia, a salvação é um presente que não pode ser
comprado, mas recebido, o perdão dos pecados é mediante a morte do Filho
de Deus e o destino final, não é a aniquilação da personalidade nem um
paraíso de prazeres carnais, mas a comunhão com Deus por toda a
eternidade.
O Poder Transformador da Bíblia
Outro fato impressionante em relação à Bíblia é o poder dela para
transformar vidas. A sua simples leitura tem libertado viciados, regenerado
criminosos e mais. O poder deste livro sagrado produz amor onde existe ódio.
Alguns céticos eruditos se aproximaram dela para ridicularizá-la e não
conseguem resisti-la.
Apesar de muitas vezes queimada e banida, a Bíblia continuou exercendo
sua influencia benéfica na raça humana. Que outro livro tem trazido tantas
influências positivas na vida de pessoas?

O cumprimento das profecias
A Bíblia também demonstra sua origem divina pela precisão com que
suas profecias são cumpridas. Nostradamus impressiona por suas afirmações
nebulosas e obscuras, sujeitas a diferentes interpretações. Porém as profecias
bíblicas são cristalinamente específicas, por exemplo, os profetas predisseram
de que tribo seria Jesus, onde nasceria. Tais fatos foram exatos. Um dos fatos
históricos mais marcantes foi o restabelecimento do Estado de Israel.
Deus, Senhor da História, com exímia precisão.

Juiz Supremo
É uma afirmação fantástica conferir à Bíblia a autoridade do próprio Deus.
Os cristãos têm afirmado, através dos séculos que acreditam num milagre,
aliás, numa série de milagres ocorridos no espaço e no tempo. Homens
limitados e falhos receberam revelações do próprio Deus, as quais deveriam
ser publicadas a todos os homens. Esta fé não é um salto no escuro, mas uma
firme convicção na veracidade e no poder de Deus.
A partir do instante em que aceitamos a autoridade da Bíblia, somos
chamados pela força da Palavra a nos submetermos à autoridade de Deus.
Deus tem o direito de exigir plena obediência às suas ordens e fazer valer sua
autoridade através de justo julgamento.
Devido ao atual clima de relativismo, a opinião parece ser o único
referencial do que se deve crer ou praticar. Entretanto para os evangélicos que
aceitam a Bíblia como a Palavra de Deus, pesa a responsabilidade de levar
essa convicção a sério. Assumir a autoridade da Bíblia implica enfatizar aquilo
que ela enfatiza recebê-la como a sabedoria de Deus na solução dos
problemas humanos, fazer de seus princípios referencias absolutas de ética.
Se afirmarmos ser a Bíblia a Palavra do próprio Deus, somos responsáveis de
acatar as ordens do Rei.