Funções orgânicas

A principal diferença entre os compostos orgânicos e os compostos inorgânicos é que
aqueles apresentam átomos de carbono ligados diretamente a hidrogênio. Assim, o
metano (CH4) é um composto orgânico, mas o ácido carbônico (H2CO3), não.
Os compostos orgânicos podem ser classificados conforme os átomos constituintes,
radicais ligantes ou natureza das ligações. Assim, essas características agrupam os
compostos por semelhança que formam,então, as funções orgânicas:
Hidrocarbonetos
São compostos constituídos por, apenas, átomos de carbono e hidrogênio. Sendo essa
função composta por uma ampla gama de combustíveis (metano, propano, acetileno).
Alcoóis
Os alcoóis são constituídos por radicais de hidrocarbonetos ligados a uma ou mais
hidroxilas. Entretanto, nunca podem ser considerados bases de Arrhenius (pois não
liberam essa hidroxila em meio aquoso).
Fenóis
São cadeias aromáticas (hidrocarbonetos) ligados a uma ou mais hidroxilas. Diferindo-
se dos alcoóis, portanto, por apresentarem estrutura em anéis rodeados por grupos OH.
Éteres
São compostos por um átomo de oxigênio entre duas cadeias carbônicas. Sendo estas
cadeias também de hidrocarbonetos (radicais alquila ou arila).
Ésteres
São semelhantes aos éteres por possuírem átomos de oxigênio entre as cadeias
carbônicas (radicais). Porém, diferem-se destes por possuírem um grupo carbonilo (CO)
também entre os carbonos. Assim, a molécula é estruturada por: radical – carbonilo –
oxigênio – radical.
Aldeídos
São formados por um radical orgânico (alifático ou aromático) ligado a um ou mais
grupos formilo (HCO).
Cetonas
São compostas por dois radicais orgânicos (alifáticos ou aromáticos) ligados entre si
pelo grupo carbonilo (CO). É a essa função que pertence a acetona comercial
(propanona – CH3COCH3).
Ácidos carboxílicos
São radicais alquila, alquenila, arila ou hidrogênio ligados a pelo menos um grupo
carboxílico (COOH). E, geralmente, são ácidos fracos (liberam poucos íons H+ em
meio aquoso).
Aminas
São compostos nitrogenados onde até três radicais orgânicos (arila ou alquila) se ligam
a um átomo de nitrogêniopela substituição de átomos de hidrogênio da molécula de
amônia. De modo que um radical liga-se ao -NH2, dois radicais a -NH e três radicais a -
N.
Amidas
São bem parecidas com as aminas, exceto pela presença do grupo carbonilo. Assim, até
três radicais acila (RCO) se ligam a um átomo de nitrogênio pela substituição de átomos
de hidrogênio do amoníaco. Ou seja, as amidas possíveis são: RCONH2, (RCO)2NH, e
(RCO)3N.
Haletos orgânicos
São compostos formados por halogênios (com NOx -1) que substituem átomos de
hidrogênio pela reação dehalogenação. É nessa função orgânica que se encontram os
CFC (clorofluorcarbonetos).

RESUMO - Polímeros
Pode-se chamar de polímeros as macromoléculas em que há uma unidade que se repete,
chamada monômero. O nome vem do grego: poli = muitos + meros = partes, ou seja,
muitas partes. A reação que forma os polímeros é chamada de polimerização.
Classificação dos Polímeros
1) Quanto à ocorrência:

a) polímeros naturais (os que existem na natureza).
Ex.: proteína, celulose, amido, borracha.

b) polímeros artificiais (obtidos em laboratório).
Ex.: polietileno, isopor (poliestireno insuflado com ar quente).
2) Quanto ao método de obtenção:

a) polímeros de adição: obtidos pela adição de um único monômero.
b) copolímeros: obtidos pela adição de dois monômeros diferentes.
c) condensação: obtidos pela adição de dois monômeros diferentes com eliminação de
substância inorgânica (geralmente água ou gás amoníaco).
Outros polímeros
Polímeros naturais:
Borracha natural: polímero de adição do isopreno (metil-butadieno-1,3).
Amido: polímero de condensação da alfa-glicose (com eliminação de água).
Celulose: polímero de condensação da beta-glicose (com eliminação de água).
Proteina: polímero de condensação de alfa-aminoácidos (com eliminação de água).
Polímeros artificiais:
Plásticos:
Isopor (poliestireno): polímero de adição do estireno / vinil-benzeno (insuflado com ar).
Isolante térmico. Quando não expandido é utilizado na fabricação de pratos, copos.
PVC (cloreto de polivinila): polímero de adição do cloreto de vinila / cloro-eteno.
Isolante térmico e material usado em estofamentos.
Teflon: polímero de adição do tetraflúor-eteno. Material usado em revestimento de
utensílios domésticos.

Plásticos:
Poliisobutileno: polímero de adição do isobutileno (metil-propeno ou isobuteno).
Empregado na fabricação de câmaras de ar.
Buna-N: copolímero do acrilonitrila(o) e butadieno-1,3 (eritreno). Empregado na
fabricação de pneus.

Fibras:
Poliéster: copolímero de ácidos dicarboxílicos. Empregado na fabricação de tecidos.
Nylon: copolímero de diaminas com ácidos dicarboxílicos. Empregado na fabricação.
Dacron: polímero de condensação entre éster de ácido orgânico com poliálcool do tipo
glicol. Empregado na fabricação de velas de embarcações.
3. Quanto às aplicações industriais:
a) elastômeros: possuem propriedades elásticas.
Ex.: borrachas (naturais ou sintéticas).
b) plásticos: são sólidos mais ou menos rígidos.
Ex.: PVC, poliuretano, polietileno.
c) fibras: quando se prestam à fabricação de fios.
Ex.: nylon, poliéster.
OBS.: Os plásticos que sofrem fusão sem decomposição, são chamados de
termoplásticos, isto é, podem ser remoldados sucessivamente.
Ex.: poletileno.
Os plásticos que sofrem decomposição por aquecimento, antes que ocorra a fusão, são
chamados de termoestáveis (termofixos), isto é, não podem ser remoldados.
Ex.: epóxidos.