You are on page 1of 2

A Península Ibérica era um dos territórios potencialmente mais ricos do Mediterrâneo, pois

além de óptimas terras para a agricultura, possuía minas de prata e de ouro, além de uma grande
reserva de guerreiros, ideais para servirem nas fileiras do exército cartaginês.

Preocupada com a impressionante recuperação da antiga inimiga, Roma pressionou por um
tratado, conseguindo que os cartagineses concordassem em conter a sua expansão na região na
linha do rio Ebro.

Após o tratado, morreu o General Amílcar Barca, segundo vários historiadores, envenenado
pelos romanos. Com isto, o comando das tropas passou para um seu cunhado e, pouco depois,
com a morte deste último, para seu filho Aníbal Barca.

Este, logo que assumiu o comando do exército cartaginês, sitiou barbaramente a cidade de
Sagunto, que ficava ao sul do Rio Ebro e que era aliada de Roma. Considerando o ataque um
insulto, Roma pediu que Aníbal Barca fosse preso e entregue para julgamento no Senado
Romano. O Senado cartaginês recusou-se e começou, assim, a Segunda Guerra Púnica.

Tendo como motivo a perseguição ao general cartaginês, refugiado na Península Ibérica, os
Romanos vão aproveitar para iniciarem a conquista da Península Ibérica.

O povo Lusitano era um povo de costumes e tradições ancestrais…adoravam os seus deuses e
tinham locais sagrados na suas florestas.

Aos seus deuses faziam sacrifícios (animais e humanos), antes de uma batalha sacrificavam um
cavalo negro ou um bode aos deuses da guerra (cossue ou ataegina) …

Depois de uma batalha sacrificavam os prisioneiros á sua deusa maior (Trebaruna). Guardavam
as suas entranhas e penduravam-nas á porta de casa para se protegerem e as suas cabeças eram
expostas para que não mais tivessem medo do inimigo.

Primeiro apresentarei o chefe que liderou o povo Lusitano á guerra e adiante se falará da
história.

Consta que Viriato (chefe dos Lusitanos) nasceu na Lobriga em 180 a.c, mais tarde chamada
Lorica pelos Romanos, no monte Hermínius, actual Serra da Estrela.

Viriato foi descrito como um homem justo e honesto sempre cumpridor da sua palavra e das
alianças feitas com tribos vizinhas…diz-se que foi o chefe mais amado pelo povo Lusitano e
muito respeitado pelos seus aliados. Viriato pertencia à classe dos guerreiros, a ocupação da
elite, a minoria governante. Ele era conhecido entre os romanos como o chefe do exército
Lusitano, como protector, da Hispânia e como Chefe de toda a confederação das tribos
Lusitanas e Celtibéricas. Ao contrário do que se pensa Viriato não era um pastor, como diz em
muitos textos antigos.
Em 154 a.c dá-se a primeira batalha entre os Lusitanos e os Romanos…os Lusitanos nesta
época liderados por Púnico infligem pesada derrota nos Romanos, mais tarde e desta vez
comandados por Césaro os Lusitanos derrotam de forma grandiosa os Romanos matando nove
mil legionários.

Depois de várias derrotas consecutivas, em 151 a.c Sérvio Sulpício Galba oferece a paz e
terras a milhares dos melhores guerreiros Lusitanos convencendo-os a entregar as suas armas
massacrando-os de forma cobarde de seguida, os que não são mortos são enviados para a Gália
como escravos, no entanto alguns conseguem fugir durante a noite, entre eles está Viriato.

Quando o exército Lusitano se recompôs (147 a.c) Viriato é eleito chefe pelos seus compatriotas
e de volta á batalha derrotam milhares de legionários entre os quais o seu comandante, o Pretor
Caio Vetílio.

Em 146 a.c é enviado um exército pretoriano (guerreiros de elite do Império Romano) que é
derrotado pelos Lusitanos. No mesmo ano o Pretor Cláudio Unímano perde todo o seu
grandioso exército.

Em 140 a.c milhares de legionários são encurralados nas montanhas sem qualquer forma de
poder escapar e Viriato num acto de bondade tenta negociar com os Romanos, e propõe um
tratado de paz que sem outra alternativa é aceite pelo pretor Romano. Viriato é considerado
aliado de Roma e os mesmos prometem deixar os Lusitanos viver nas suas terras em paz, mas
de forma vergonhosa os romanos voltam a atacar as terras Lusitanas mas desta vez sem
exército…dois Lusitanos foram subornados por ouro oferecido pelo comandante Romano para
matar o seu chefe…e durante a noite enquanto dormia, Viriato foi apunhalado pelos seus
compatriotas…textos dizem que quando os traidores foram receber a sua recompensa o Pretor
Romano negou e ordenou que fossem enforcados.

Roma, potência da época decidiu terminar assim de forma cobarde vergonhosa e desonrosa com
a resistência Lusitana, no entanto essa resistência continuou bastante activa embora com menos
baixas Romanas até meados do século seguinte