You are on page 1of 4

SAÚDE MENTAL

LOUCURA E NORMALIDADE

SOFRIMENTO PSÍQUICO
 Condição de todo ser humano
 Não implica patologia
 Grupos continentes ao sofrimento
 Psicólogo - Suporte e facilitação do processo, reorganização pessoal.
 O indivíduo avalia o seu mal-estar psíquico.

ADAPTAÇÃO
 Sofrimento não implica desadaptação.
 A desadaptação não implica sofrimento.
 Questiona-se o critério de adaptação social para a avaliação psicológica entre
normal e patológica.

DOENÇA MENTAL

 Enfoque Psicológico - Produto da interação das condições de vida social com a


trajetória pessoal do sujeito.
 Condições Externas serão consideradas como determinantes ou desencadeadoras
da doença mental ou de saúde mental.

LOUCURA

 M.Foucault (1926-1984) – Constituição histórica da loucura.


 Renascimento – Louco solto, errante e expulso da cidade, revelava verdades
secretas, ignorante, desvio moral.
 Loucura – Opõe-se à razão, esta é entendida como verdade e moralidade.
 Idade Média e Renascimento – Internações eram raras em hospitais e quando
ocorria era tratado como os demais doentes.
 Séc XVII e XVIII – Critérios não médicos definiam a loucura. A igreja, a justiça
e a família os definiam conforme as transgressões da lei e moralidade.
 Séc. XVII – O Hospital geral recebia a população em geral e os dividia em
doentes venéreos, feiticeiros-profanadores
libertinos e loucos.
Séc XVIII – Reflexões médicas e filosóficas sobre a loucura – esta ocorria dentro do
homem, perda da natureza própria do homem – alienado.
 Final do séc. XVIII e séc. XIX – 1. Instituição à reclusão dos loucos – Asilo.
 Os loucos incomodavam os demais presos.
 Métodos terapêuticos – Religião, medo, culpa, trabalho, vigilância e julgamento
– Médico passa a ser a autoridade máxima – Psiquiatria moral e social – Normatização
do louco – Capaz de recuperar-se.
 Medicalização – Cura da doença mental – estatuto de loucura - liberdade
vigiada e/ou isolamento. – PSIQUIATRIA.

PSIQUIATRIA CLÁSSICA

 Sintomas – Sinais de um distúrbio orgânico


 Doença mental = Doença orgânica.
 Endogenia – distúrbio fisiológico cerebral, química da loucura – Mapas
cerebrais.
 Tratada com medicamentos, eletrochoques, choques insulínicos e a internação
psiquiátrica.

PSICANÁLISE

 Diferença entre normal e patolótico é de grau e não de natureza.


 Todos temos estruturas de personalidade com conteúdos que se ativados mais ou
mesnos, geram distúrbios no indivíduo.
 Terminologia clássica do séc. XIX.

NEUROSE

 Implica em sintomas ( distúrbios do comportamento, idéias ou sentimentos).


 Os sintomas são considerados a expressão simbólica de um conflito psíquico que
tem suas raízes na história infantil do indivíduo.
 Associada a situações conflitivas infantis de ordem sexual.

NEUROSE OBSESSIVA

Neurose Obsessiva – Conflito psíquico leva a comportamentos compulsivos, idéias


repetidas e ocorre uma luta contra esses pensamentos e dúvidas quanto ao que se fez ou
não.

NEUROSE FÓBICA OU HISTÉRIA DE ANGÚSTIA

A angústia é fixada num objeto exterior, isto é o sintoma central é a fobia, o medo.

NEUROSE HISTÉRICA OU DE CONVERSÃO

O conflito psíquico é simbolizado nos sintomas corporais de modo ocasional – crises


– choro ou duradouro – paralisia de um membro, úlcera, etc..

NEUROSE TRAUMÁTICA
Sintomas aparecem após uma fato traumático, ligado a uma experiência com grande
emoção. Existiria a predisposição e a situação desencadeou a estrutura neurótica
preexistente.

PSICOSE

 Termo usado no séc XIX para designar a doença mental.


 Psicanálise – Pertubação intensa do indivíduo na relação com a realidade.
Ruptura entre o ego e a realidade, ficando o ego sob domínio do id. As vezes o ego
reconstrói a realidade de acordo com os desejos do ID.

PSICOSE

 Paranóia – Delírio mais ou menos sistematizado sobre um ou vários temas. Não


existe deterioração da capacidade intelectual – Delírios de perseguição e de grandeza.

 Esquizofrenia – Afastamento da realidade, o indivíduo entra num processo de


centramento em si mesmo, no seu mundo interior, ficando entregue às fantasias.
Desagregação do pensamento, das ações e da afetividade. Os delírios são acentuados e
mal sistematizados, leva a uma deterioração intelectual e afetiva.

 Mania e Melancolia ou Psicose maníaco-depressiva.

 Oscilação entre o estado de extrema euforia e estados depressivos.

ABORDAGEM PSICOLÓGICA

 Doença Mental – Desorganização da Personalidade.


 Alteração da estrutura ou de seu desenvolvimento.
 Grau de pertubação da personalidade – grau do desvio.
 Psicoses – Distúrbios da personalidade.
 Neuroses – Distúrbios de aspectos da personalidade.

NORMAL E PATOLÓGICO

 Padrões de normalidade – supõe uma normalidade.

O QUE É NORMAL?

Conceito extremamente relativo.

Loucura
 Conceito construído historicamente.
 Poder da ciência – destino do sujeito.
 Fins Políticos.
ANTIPSIQUIATRIA E PSIQUIATRIA SOCIAL

 Questiona o conceito de normalidade.


 Questiona a forma de tratamento.

“ A doença só tem realidade e valor de doença no interior de uma cultura que a


reconhece como tal” Foucault.

 “ Eu penso que a loucura, como todas as doenças, são expressões das


contradições do nosso corpo, e dizendo corpo, digo corpo orgânico e social. É nesse
sentido que direi que a doença, sendo uma contradição que se verifica no ambiente
social, não é um produto apenas da sociedade, mas uma interação dos níveis nos quais
nos compomos: biológico, sociológico, psicológico” Basaglia

CURA E PREVENÇÃO

 Medicametnos, hospitalização, psicoterapia.


 Prevenção – ações localizadas no meio social, condições de trabalho, pobreza,
na coisificação do outro.
 Desumanização

Saúde mental - Luta Antimanicomial

Cooper,D.
Laing, R.D.
Foucault, M.
Basaglia, F.