You are on page 1of 20

1

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012
Capítulo XVII - Sociedades Cooperativas 2013
Natureza e Requisitos

001 O que são sociedades cooperativas?
As sociedades cooperativas em geral estão reguladas pela Lei n !"#$%& de 1'#1 (ue de)iniu a
*olítica +acional de Cooperativismo e instituiu o regime ,urídico das cooperativas"
São sociedades de pessoas de nature-a civil& com )orma ,urídica pr.pria& constituídas para prestar
servi/os aos associados e (ue se distinguem das demais sociedades pelas seguintes características0
a1 adesão volunt2ria& com n3mero ilimitado de associados& salvo impossi4ilidade t5cnica de
presta/ão de servi/os6
41 varia4ilidade do capital social& representado por cotas-partes6
c1 limita/ão do n3mero de cotas-partes para cada associado& )acultado& por5m& o esta4elecimento
de crit5rios de proporcionalidade6
d1 inacessi4ilidade das (uotas partes do capital 7 terceiros& estran8os 7 sociedade6
e1 retorno das so4ras li(uidas do e9ercício& proporcionalmente 7s opera/:es reali-adas pelo
associado& salvo deli4era/ão em contr2rio da assem4l5ia geral6
)1 (uorum para o )uncionamento e deli4era/ão da assem4l5ia geral 4aseado no n3mero de
associados e não no capital6
g1 indivisi4ilidade do )undos de reserva e de assist;ncia t5cnica educacional e social6
81 neutralidade política e indiscrimina/ão religiosa& racial e social6
i1 presta/ão de assist;ncia aos associados& e& (uando previsto nos estatutos& ao empregados da
cooperativa6
,1 2rea de admissão de associados limitada 7s possi4ilidades de reunião& controle& opera/:es e
presta/ão de servi/os"

2
Alerte-se (ue os arts" 1"0'% e 10'! da Lei n 10"%0$& de 10 de ,aneiro de 2002& C.digo Civil&
disp:em tam45m so4re características das sociedades cooperativas"
A Lei Complementar n 130& de 1# de a4ril de 200'& veio dispor so4re o Sistema +acional de
Cr5dito Cooperativo"
A LC 130& de 200' esta4elece (ue as institui/:es )inanceiras constituídas so4 a )orma de
cooperativas de cr5dito6
a1 su4metem-se07 re)erida Lei Complementar& 4em como 7 legisla/ão do Sistema <inanceiro
+acional - S<+ e das sociedades cooperativas6 e
41 as compet;ncias legais do Consel8o =onet2rio +acional - C=+ e do >anco Central do
>rasil em rela/ão 7s institui/:es )inanceiras aplicam-se 7s cooperativas de cr5dito"
As cooperativas de cr5dito destinam-se& precipuamente& a prover& por meio da mutualidade& a
presta/ão de servi/os )inanceiros a seus associados& sendo-l8es assegurado o acesso aos
instrumentos do mercado )inanceiro.
As cooperativas de cr5dito podem atuar em nome e por conta de outras institui/:es& com
vistas 7 presta/ão de servi/os )inanceiros e a)ins a associados e a não associados"
? (uadro social das cooperativas de cr5dito& composto de pessoas )ísicas e ,urídicas& 5
de)inido pela assem4l5ia geral& com previsão no estatuto social"
? mandato dos mem4ros do consel8o )iscal das cooperativas de cr5dito ter2 dura/ão de at5 3
@tr;s1 anos& o4servada a renova/ão de& ao menos& 2 @dois1 mem4ros a cada elei/ão& sendo 1 @um1
e)etivo e 1 @um1 suplente"
A vedado distri4uir (ual(uer esp5cie de 4ene)ício 7s (uotas-parte do capital& e9cetuando-se
remunera/ão anual limitada ao valor da ta9a re)erencial do Sistema Bspecial de Li(uida/ão e de
Cust.dia - Selic para títulos )ederais"
A LC 130& de 200'& revogou os arts" %0 e %1 da Lei no %"!'!& de 31 de de-em4ro de 1'$%& e o C
3 do art" 10& o C 10 do art" 1D& o par2gra)o 3nico do art" D$ e o art" D% da Lei no !"#$%& de 1$ de
de-em4ro de 1'#1.
A Lei n 12"$'0& de 1' de ,ul8o de 2012& veio dispor so4re a organi-a/ão e o )uncionamento
das Cooperativas de Era4al8o6 institui o *rograma +acional de <omento 7s Cooperativas de
Era4al8o - *F?+AC??*6 e revoga o par2gra)o 3nico do art" %%2 da Consolida/ão das Leis do
Era4al8o - CLE& aprovada pelo Gecreto-Lei no !"%!2& de 1o de maio de 1'%3"

3
? art" 1 esta4elece (ue a Cooperativa de Era4al8o 5 regulada por esta Lei e& no (ue com ela
não colidir& pelas Leis nos !"#$%& de 1$ de de-em4ro de 1'#1& e 10"%0$& de 10 de ,aneiro de 2002 -
C.digo Civil"
? *ar2gra)o 3nico" e9cluiu da Lei0
I - as cooperativas de assist;ncia 7 sa3de na )orma da legisla/ão de sa3de suplementar6
II - as cooperativas (ue atuam no setor de transporte regulamentado pelo poder p34lico e
(ue deten8am& por si ou por seus s.cios& a (ual(uer título& os meios de tra4al8o6
III - as cooperativas de pro)issionais li4erais cu,os s.cios e9er/am as atividades em seus
pr.prios esta4elecimentos6 e
IV - as cooperativas de m5dicos cu,os 8onor2rios se,am pagos por procedimento"
? Art" $ disp:e& di)erentemente da Lei Heral (ue a Cooperativa de Era4al8o poder2 ser
constituída com n3mero mínimo de # @sete1 s.cios"
? rt" 2# esta4elece (ue a Cooperativa de Era4al8o constituída antes da vig;ncia desta Lei ter2
pra-o de 12 @do-e1 meses& contado de sua pu4lica/ão& para ade(uar seus estatutos 7s disposi/:es
nela previstas"
Notas:
A sociedade cooperativa dever2 tam45m @*rincípios Cooperativos10
a1 ser constituída pelo n3mero mínimo de associados& con)orme previsto
no art" $ da Lei n !"#$%& de 1'#1& ressaltando-se (ue as cooperativas
singulares não podem ser constituídas e9clusivamente por pessoas
,urídicas& nem& tampouco& por pessoa ,urídica com )ins lucrativos ou com
o4,eto diverso das atividades econImicas da pessoa )ísica6
41 não distri4uir (ual(uer esp5cie de 4ene)ício 7s (uotas-partes do capital
ou esta4elecer outras vantagens ou privil5gios& )inanceiros ou não& em
)avor de (uais(uer associados ou terceiros& e9cetuados os ,uros at5 o
m29imo de do-e por cento ao ano atri4uídos ao capital integrali-ado& e
no caso das cooperativas de cr5dito& a remunera/ão anual limitada ao
valor da ta9a re)erencial do Sistema Bspecial de Li(uida/ão e de Cust.dia
- Selic para títulos )ederais @Lei n !"#$%& de 1'#1& art" 2%& C 3& RIR/1999&
art" 1D2& C 16 e art" # da LC n 130& de 200'1
c1 permitir o livre ingresso a todos os (ue dese,arem utili-ar os servi/os
prestados pela sociedade& e9ceto aos comerciantes e empres2rios (ue
operam no mesmo campo econImico da sociedade& cu,o ingresso 5
vedado @Lei n !"#$%& de 1'#1& art" 2' e CC16
d1 permitir a cada associado& nas assem4l5ias gerais& o direito a um voto&
(ual(uer (ue se,a o n3mero de suas (uotas-partes

%
@Lei n !"#$%& de 1'#1& art" %21"

Veja ainda: Classiica!ão das cooperativas:
*ergunta 002 deste capítulo"
Nor"ativo: Lei n !"#$%& de 1'#1 arts" % e $& art" 2%& C 3& arts" 2' e %26
RIR/1999& art" 1D2& C 1" e art" # da LC n 130& de 200'"
Lei n 12"$'0& de 1' de ,ul8o de 2012"

00# Co"o se classiica" as sociedades cooperativas?
+os termos do art" $ da Lei n !"#$%& de 1'#1& as sociedades cooperativas são consideradas0
11 singulares& as constituídas pelo n3mero mínimo de 20 @vinte1 pessoas )ísicas& sendo
e9cepcionalmente permitida a admissão de pessoas ,urídicas (ue ten8am por o4,eto as mesmas
ou correlatas atividades econImicas das pessoas )ísicas ou& ainda& a(uelas sem )ins lucrativos6
21 cooperativas centrais ou )edera/:es de cooperativas& as constituídas de& no mínimo& 3 @tr;s1
singulares& podendo& e9cepcionalmente& admitir associados individuais6
31 con)edera/:es de cooperativas& as constituídas& pelo menos& de 3 @tr;s1 )edera/:es de
cooperativas ou cooperativas centrais& da mesma ou de di)erentes modalidades"
Notas:
As cooperativas singulares se caracteri-am pela presta/ão direta de
servi/os aos associados"

Nor"ativo: Lei n !"#$%& de 1'#1& arts" $ e #"

!

00$ %uais os o&jetivos sociais de u"a sociedade cooperativa?
Bstas sociedades poderão& com o )im de via4ili-ar a atividade de seus associados& adotar (ual(uer
o4,eto& respeitadas as limita/:es legais no sentido de não e9ercerem atividades ilícitas ou proi4idas
em lei"
?s o4,etivos sociais mais utili-ados em sociedades cooperativas são0 cooperativas de produtores6
cooperativas de consumo6 cooperativas de cr5dito6 cooperativas de tra4al8o6 cooperativas
8a4itacionais6 cooperativas sociais"
00'
%ualquer pessoa jur(dica poder) in*ressar nas sociedades
cooperativas?
+ão" Somente e9cepcionalmente 5 permitida a admissão de pessoas ,urídicas como associadas de
cooperativas"
*ara ingressar em uma cooperativa& a pessoa ,urídica dever2 ter por o4,eto as mesmas atividades
econImicas (ue os demais associados pessoas )ísicas @ou atividades correlatas1"
São tam45m admitidas nas cooperativas as pessoas ,urídicas sem )ins lucrativos"
Felativamente 7s cooperativas de cr5dito& o (uadro social poder2 ser composto de pessoas )ísicas e
,urídicas& desde (ue de)inido pela assem4l5ia geral& com previsão no estatuto social& e não são
admitidas pessoas ,urídicas (ue possam e9ercer concorr;ncia com a pr.pria sociedade cooperativa&
nem a união& os Bstados e os =unicípios& 4em como& suas respectivas autar(uias& )unda/:es e
empresas estatais dependentes"
Nor"ativo:
Lei n !"#$%& de 1'#1& art" $" e art % e par2gra)o 3nico da LC n
130& de 200'1


$
00+
%uais as pessoas jur(dicas que t," seu in*resso per"itido
nas sociedades cooperativas?
Bm situa/:es especí)icas 5 possível o ingresso de pessoa ,urídica nas sociedades cooperativas de
pescas e nas cooperativas constituídas por produtores rurais ou e9trativistas (ue prati(uem as
mesmas atividades econImicas das pessoas )ísicas associadas"
-.e"plo:
As microempresas rurais& os clu4es de ,ovens rurais e os cons.rcios e condomínios agropecu2rios
(ue praticarem agricultura& pecu2ria ou e9tra/ão& desde (ue não operem no mesmo campo
econImico das cooperativas"
Fessalte-se (ue nas cooperativas de eletri)ica/ão& irriga/ão e telecomunica/:es& poderão ingressar as
pessoas ,urídicas (ue se locali-em na respectiva 2rea de opera/:es"
Ve,a ainda a *ergunta 00% deste capítulo em rela/ão 7s sociedades cooperativas de cr5dito"
Nor"ativo: Lei n !"#$%& de 1'#1& art" 2'& CC 2 e 3"

00/ %uais as or"alidades e.i*idas para se constituir u"a
sociedade cooperativa?
As )ormalidades de constitui/ão não di)erem& (uanto aos procedimentos& da(ueles (ue se adotam
para outros tipos de pessoas ,urídicas"
A constitui/ão ser2 deli4erada por assem4l5ia geral dos )undadores& (ue se instrumentali-ar2 por
interm5dio de uma ata @instrumento particular1 ou por escritura p34lica& neste caso lavrada em
Cart.rio de +otas ou Gocumentos"
+a pr2tica& as sociedades cooperativas são constituídas por ata da assem4l5ia geral de constitui/ão&
transcritas no Jlivro de atasK (ue& depois da ata de )unda/ão& servir2 como livro de atas das demais
assem4l5ias gerais convocadas pela sociedade"
Nor"ativo: Lei n !"#$%& de 1'#1& arts" 1% e 1!"

#

000 1s sociedades cooperativas depende" de autoriza!ão para
unciona"ento?
+ão" Gisp:e o art" !& inciso XVII& da Constitui/ão <ederal& (ue a cria/ão de associa/:es e& na )orma
da lei& a de cooperativas independem de autori-a/ão& sendo vedada a inter)er;ncia estatal em seu
)uncionamento"
Felativamente as sociedades cooperativas de cr5dito o art" 12 da LC 130& de 200'& disp:e (ue
o C=+& no e9ercício da compet;ncia (ue l8e são atri4uídas pela legisla/ão (ue rege o S<+& poder2
dispor& inclusive& so4re as seguintes mat5rias0
a1 re(uisitos a serem atendidos previamente 7 constitui/ão ou trans)orma/ão das
cooperativas de cr5dito& com vistas ao respectivo processo de autori-a/ão a cargo do >anco Central
do >rasil6
41 condi/:es a serem o4servadas na )orma/ão do (uadro de associados e na cele4ra/ão de
contratos com outras institui/:es6
c1 tipos de atividades a serem desenvolvidas e de instrumentos )inanceiros passíveis de
utili-a/ão6
d1 )undos garantidores& inclusive a vincula/ão de cooperativas de cr5dito a tais )undos6
e1 atividades reali-adas por entidades de (ual(uer nature-a& (ue ten8am por o4,eto e9ercer&
com rela/ão a um grupo de cooperativas de cr5dito& supervisão& controle& auditoria& gestão ou
e9ecu/ão em maior escala de suas )un/:es operacionais6
)1 vincula/ão a entidades (ue e9er/am& na )orma da regulamenta/ão& atividades de
supervisão& controle e auditoria de cooperativas de cr5dito6
g1 condi/:es de participa/ão societ2ria em outras entidades& inclusive de nature-a não
cooperativa& com vistas ao atendimento de prop.sitos complementares& no interesse do (uadro
social6
81 re(uisitos adicionais ao e9ercício da )aculdade de (ue trata o art" 'o da Lei Complementar
no 130& de 200'"

Nor"ativo:
Constitui/ão <ederal& art" !& inciso XVII e art" 12 da LC n

D
130& de 200'

002 %uais são os livros co"erciais e iscais e.i*idos das
3ociedades Cooperativas?
Bstando as sociedades cooperativas su,eitas 7 tri4uta/ão pelo IF*L (uando au)erirem resultados
positivos em atos não cooperativos e& devendo destacar em sua escritura/ão cont24il as receitas& os
custos& despesas e encargos relativos a esses atos - opera/:es reali-adas com não associados&
conclui-se (ue& nestes casos& as cooperativas deverão possuir todos os livros cont24eis e )iscais
e9igidos das outras pessoas ,urídicas"
Al5m disso& a sociedade cooperativa tam45m dever2 possuir os seguintes livros0 a1 =atrícula6 41
Atas das Assem4l5ias Herais6 c1 Atas dos Mrgãos de Administra/ão6 d1 Atas do Consel8o <iscal6 e1
*resen/a do Associados nas Assem4l5ias Herais"
Nor"ativo: Lei n !"#$%& de 1'#1& art" 226
RIR/1999& art" 1D2"

009
Co"o ser) or"ado o capital social da sociedade
cooperativa?
? capital social ser2 su4dividido em (uotas-partes e su4scri/ão pode ser proporcional ao
movimento de cada s.cio"
*ara a )orma/ão do capital social poder-se-2 estipular (ue o pagamento das (uotas-partes se,a
reali-ado mediante presta/:es peri.dicas& independentemente de c8amada& em moeda corrente
nacional ou 4ens"
A legisla/ão cooperativista prev; (ue a integrali-a/ão das (uotas-partes e o aumento do capital
social poderão ser )eitos com 4ens avaliados previamente e ap.s 8omologa/ão em Assem4l5ia
Heral ou mediante reten/ão de determinado porcentagem do valor do movimento )inanceiro de
cada s.cio"

'
*or outro lado& o art" 1"0'% do C4di*o Civil esta4elece (ue capital social& ser2 vari2vel& a medida do
ingresso e da retirada dos s.cios& independentemente de (ual(uer )ormalidade 8omologat.ria& ou
se,a& 4asta (ue o interessado em associar-se se apresente& comprove sua a)inidade ao escopo da
sociedade cooperativa e comprometa-se a pagar o valor das (uotas-partes (ue su4screver& nas
condi/:es (ue l8e )orem o)erecidas"
+a saída& 5 su)iciente (ue se apresente como retirante e rece4a o valor de suas (uotas e o (ue mais
tiver de direito& consoante 7s regras vigentes na entidade"
? C4di*o Civil tra- como novidade a dispensa da sociedade cooperativa de )ormar o capital social
inicial com (uotas-partes dos s.cios& ou se,a& o início da atividade econImica da sociedade poder2
ocorrer sem l8e se,a o)erecido (ual(uer recurso inicial"
Nor"ativo: Lei n !"#$%& de 1'#1& art" 2%6
C4di*o Civil 5 Lei n 10"%0$& de 2002& art" 1"0'%"

010 1s quotas5partes su&scritas e inte*ralizadas na sociedade
cooperativa são transer(veis?
? C4di*o Civil determina& inovando& (ue as (uotas são intrans)eríveis a terceiros estran8os 7
sociedade cooperativa& ainda (ue por 8eran/a"
A trans)er;ncia 5 possível ao 8erdeiro se este )or tam45m associado& visto (ue a opera/ão de
trans)er;ncia entre associados 5 permitida"
Nor"ativo: C4di*o Civil 5 Lei n 10"%0$& de 2002& art" 1"0'%& IV"

011 O que são atos cooperativos?
Genominam-se atos cooperativos a(ueles praticados entre a cooperativa e seus associados& entre
estes e a(uelas e pelas cooperativas entre si (uando associados& para consecu/ão dos o4,etivos
sociais"

10
? ato cooperativo não implica opera/ão de mercado& nem contrato de compra e venda de produto
ou mercadoria"
Assim& podemos citar como e9emplos de atos cooperativos& dentre outros& os seguintes0
11 a entrega de produtos dos associados 7 cooperativa& para comerciali-a/ão& 4em como os
repasses e)etuados pela cooperativa a eles& decorrentes dessa comerciali-a/ão& nas cooperativas
de produ/ão agropecu2rias6
21 o )ornecimento de 4ens e mercadorias a associados& desde (ue vinculadas 7 atividade
econImica do associado e (ue se,am o4,eto da cooperativa nas cooperativas de produ/ão
agropecu2rias6
31 as opera/:es de 4ene)iciamento& arma-enamento e industriali-a/ão de produto do associado
nas cooperativas de produ/ão agropecu2rias6
%1 atos de cessão ou usos de casas& nas cooperativas de 8a4ita/ão6
!1 prover& por meio da mutualidade& a presta/ão de servi/os )inanceiros a seus associados& sendo-
l8es assegurado o acesso aos instrumentos do mercado )inanceiro& no caso das sociedades
cooperativas de cr5dito"
$1 nas cooperativa de tra4al8o& inclusive cooperativas m5dicas& considera-se atos cooperados os
servi/os prestados pelas cooperativas diretamente aos associados na organi-a/ão e
administra/ão dos interesses comuns ligados 7 atividade pro)issional& tais como os (ue 4uscam
a capta/ão de clientela6 a o)erta p34lica ou particular dos servi/os dos associados6 a co4ran/a e
rece4imento de 8onor2rios6 o registro& controle e distri4ui/ão peri.dica dos 8onor2rios
rece4idos6 a apura/ão e co4ran/a das despesas da sociedade& mediante rateio na propor/ão
direta da )rui/ão dos servi/os pelos associados6 co4ertura de eventuais pre,uí-os com recursos
provenientes do <undo de Feserva @art" 2D & I1 e& supletivamente& mediante rateio& entre os
associados& na ra-ão direta dos servi/os usu)ruídos @art" D' 1
Notas:

11
? Superior Eri4unal de Lusti/a - SEL& no Fecurso Bspecial n
1"0D1"#%# - *F @200DN01#'#0#-#1& tendo como recorrente a
*rocuradoria Heral da <a-enda +acional e recorrido a Onimed
Huarapuava Cooperativa de Era4al8o =5dico& tendo como
Felatora a B9ma" =inistra Bliana Calmon& assim concluiu :
11 e(uivocados a doutrina e os precedentes do SEL (ue entendem
como ato cooperativo& indistintamente& todo a(uele (ue atende 7s
)inalidades institucionais da cooperativa6
21 constitui-se ato cooperativo típico ou pr.prio& nos termos do
art" #' da Lei !"#$%N#1& o servi/o prestado pela cooperativa
diretamente ao cooperado& (uando0
a1 a cooperativa esta4elece& em nome e no interesse dos
associados& rela/ão ,urídica com terceiros @não-cooperados1 para
via4ili-ar o )uncionamento da pr.pria cooperativa @com a loca/ão
ou a a(uisi/ão de m2(uinas e e(uipamentos& contrata/ão de
empregados para atuarem na 2rea-meio& por e9emplo1 visando 7
concreti-a/ão do o4,etivo social da cooperativa6 e
41 a cooperativa rece4e valores de terceiros @não-cooperados1 em
ra-ão da comerciali-a/ão de produtos e mercadorias ou da
presta/ão de servi/os por seus associados e a eles repassa"
31 estão e9cluídos do conceito de atos cooperativos a presta/ão de
servi/os por não-associado @pessoa )ísica ou ,urídica1 atrav5s da
cooperativa a terceiros& ainda (ue necess2rios ao 4om
desempen8o da atividade-)im ou& ainda& a presta/ão de servi/os
estran8os ao seu o4,eto social6 e
%1 os atos cooperativos denominados Pau9iliaresP& (uando a
cooperativa necessita reali-ar gastos com terceiros& como
8ospitais& la4orat.rios e outros - mesmo (ue decorrentes do
atendimento m5dico cooperado& não se inserem no conceito de ato
cooperativo típico ou pr.prio

Nor"ativo:
Lei n !"#$%& de 1'#1& art" #' e art"2 da LC n 130& de 200'6 *arecer
+ormativo CSE n 3D de 01"11"1'D0& item 3"1"


12
01# O que são atos não cooperativos?
?s atos não-cooperativos são a(ueles (ue importam em opera/ão com terceiros não associados" São
e9emplos& dentre outros& os seguintes0
11 a comerciali-a/ão ou industriali-a/ão& pelas cooperativas agropecu2rias ou de pesca& de
produtos ad(uiridos de não associados& agricultores& pecuaristas ou pescadores& para completar
lotes destinados ao cumprimento de contratos ou para suprir capacidade ociosa de suas
instala/:es industriais6
21 de )ornecimento de 4ens ou servi/os a não associados& para atender aos o4,etivos sociais6
31 de participa/ão em sociedades não cooperativas& p34licas ou privadas& para atendimento de
o4,etivos acess.rios ou complementares6
%1 as aplica/:es )inanceiras6
!1 a contrata/ão de 4ens e servi/os de terceiros não associados"
Nor"ativo: Lei n !"#$%& de 1'#1& arts" D!& D$ e DD"

01$
Co"o deverão ser conta&ilizadas as opera!6es realizadas
co" não associados?
As sociedades cooperativas devem conta4ili-ar em separado os resultados das opera/:es com não
associados& de )orma a permitir o c2lculo de tri4utos"
?utrossim& a =* n 2"1!D-3!& de 2001& em seu art" 1!& C 2& disp:e (ue os valores e9cluídos da 4ase
de c2lculo do *IS e da C?<I+S& relativos 7s opera/:es com os associados& deverão ser
conta4ili-ados destacadamente& pela cooperativa& devendo tais opera/:es ser comprovadas
mediante documenta/ão 824il e idInea& com identi)ica/ão do ad(uirente& de seu valor& da esp5cie
de 4em ou mercadoria e das (uantidades vendidas"

13
Nor"ativo: Lei n !"#$%& de 1'#1& art" D#6
=* n 2"1!D-3!& de 2001& art" 1!& C 2
6
*+ CSE n #3& de 1'#!6 e
*+ CSE n 3D& de 1'D0"


IR78 das 3ociedades Cooperativas
01'
9) incid,ncia do i"posto de renda nas atividades
desenvolvidas pelas sociedades cooperativas?
Sim" As cooperativas pagarão o imposto de renda so4re o resultado positivo das opera/:es e das
atividades estran8as a sua )inalidade @ato não cooperativo1& isto 5& serão considerados como renda
tri4ut2vel os resultados positivos o4tidos pelas cooperativas nas opera/:es de (ue tratam os
arts" D!& D$ e DD da Lei n !"#$1& de 1'#1"
?s resultados das opera/:es com não associados serão levados 7 conta do <undo de Assist;ncia
E5cnica& Bducacional e Social e serão conta4ili-ados em separado& de modo a permitir c2lculo para
incid;ncia de tri4utos"
Al5m disso& as sociedades cooperativas de consumo& (ue ten8am por o4,eto a compra e
)ornecimento de 4ens aos consumidores& su,eitam-se 7s mesmas normas de incid;ncia dos impostos
e contri4ui/:es de compet;ncia da Onião& aplic2veis 7s demais pessoas ,urídicas"
*or outro lado& as sociedades cooperativas (ue o4edecerem ao disposto na legisla/ão especí)ica não
terão incid;ncia do imposto de renda so4re suas atividades econImicas& de proveito comum& sem
o4,etivo de lucro"
Nor"ativo: Lei n !"#$%& de 1'#1& arts" D! a DD e art" 1116
Lei n '"%30& de 1''$& arts" 1 e 26
Lei n '"!32& de 1''#& art" $'6 e
RIR/1999& arts" 1D2 a 1D%"


1%
01+

Nas sociedades cooperativas: os resultados aueridos e"
aplica!6es inanceiras ta"&;" estão ora do ca"po de
incid,ncia do i"posto so&re a renda?
+ão" ? resultado das aplica/:es )inanceiras& em (ual(uer de suas modalidades& e)etuadas por
sociedades cooperativas& inclusive as de cr5dito e as (ue manten8am se/ão de cr5dito& não est2
a4rangido pela não incid;ncia de (ue go-am tais sociedades& )icando su,eito 7 reten/ão& 4em como 7
regra geral (ue rege o imposto de renda das pessoas ,urídicas"
? art" $! da Lei n D"'D1& de 1''!& e o art" 3! da Lei n '"!32& de 1''#& esta4elecem regras de
incid;ncia do imposto so4re o rendimento produ-ido por aplica/ão de renda )i9a& au)erido por
(ual(uer 4ene)ici2rio& inclusive pessoa ,urídica imune ou isenta"

Notas:

A 1Q Se/ão do Superior Eri4unal de Lusti/a @SEL1 aprovou& em 2!N0%N2002&
por unanimidade& a edi/ão da S3mula n 2$2& com o seguinte teor0
JIncide o imposto de renda so4re o resultado
das aplica/:es )inanceiras reali-adas pelas cooperativasK"

Nor"ativo: Lei n D"'D1& de 1''!& art" $!6
Lei n '"!32& de 1''#& art" 3!6
*+ CSE n %& de 1'D$"

01/ %ual o alcance da e.pressão <que o&edecere" ao disposto
na le*isla!ão espec(ica=: inserida no art> 12# do RIR/1999?
As sociedades cooperativas devem se constituir con)orme as disposi/:es da Lei n !"#$%& de 1'#1&
especialmente seu art" 3

& o4servado ainda o disposto nos arts" 1"0'3 a 1"0'$ do C4di*o Civil"
A vedada a distri4ui/ão de (ual(uer esp5cie de 4ene)ício 7s (uotas-partes do capital ou esta4elecer
outras vantagens ou privil5gios& )inanceiros ou não& em )avor de (uais(uer associados ou terceiros"

1!
B9ce/ão 5 admitida em rela/ão a ,uros& at5 o m29imo de do-e por cento ao ano& atri4uídos ao capital
integrali-ado"
A ino4servRncia da veda/ão 7 distri4ui/ão de 4ene)ícios& vantagens ou privil5gios a associados ou
não& importar2 na tri4uta/ão dos resultados"
Nor"ativo: Lei n !"#$%& de 1'#1& arts" 3 e art" 2%& C 36
C4di*o Civil 5 Lei n 10"%0$& de 2002& arts 1"0'3 a 1"0'$6
RIR/1999& art" 1D2"

010
%ual o re*i"e de tri&uta!ão a que estão sujeitas as
sociedades cooperativas?
As sociedades cooperativas& desde (ue não se en(uadrem nas condi/:es de o4rigatoriedade de
apura/ão do lucro real& tam45m poderão optar pela tri4uta/ão com 4ase no lucro presumido"
A op/ão por esse regime de tri4uta/ão dever2 ser mani)estada com o pagamento da primeira ou
3nica (uota do imposto devido& correspondente ao primeiro período de apura/ão de cada ano-
calend2rio& e ser2 de)initiva em rela/ão a todo o ano-calend2rio"

Notas:
As sociedades cooperativas não poderão optar pelo Sistema Integrado de
*agamento de Imposto e Contri4ui/:es das =icroempresas e Bmpresas
de *e(ueno *orte @Simples1& por(ue são regidas por lei pr.pria (ue
esta4elece tratamento especial perante a legisla/ão do imposto de renda"
As sociedades cooperativas @e9ceto as de consumo1 não poderão aderir ao
Simples +acional.

Veja ainda: -.erc(cio da op!ão por re*i"e de apura!ão do IR78:
*erguntas 003 a 00$ do capítulo XIII6 e
*erguntas 00D a 011 do capítulo XIV"
Nor"ativo: Lei n '"%30& de 1''$& art" 2$& C 1 6
Lei n '"#1D& de 1''D& arts" 13& C 1 e 1%"

1$
Lei n '"#1D& de 1''D& arts" 13& C 1 e 1%"
LC 123N200$& art" 3& C %& inc" VI

012 Co"o ser) deter"inada a &ase de c)lculo do i"posto de
renda pessoa jur(dica das sociedades cooperativas co"
re*i"e de tri&uta!ão pelo lucro real?
A 4ase de c2lculo ser2 determinada segundo a escritura/ão (ue apresente desta(ue das receitas
tri4ut2veis e dos correspondentes custos& despesas e encargos"
+a )alta de escritura/ão ade(uada& o lucro ser2 ar4itrado con)orme regras aplic2veis 7s demais
pessoas ,urídicas"
+o c2lculo do Lucro Feal deverão ser adotados os seguintes procedimentos0
a1 apuram-se as receitas das atividades das cooperativas e as receitas derivadas das opera/:es
com não-associados& separadamente6
41 apuram-se& tam45m separadamente& os custos diretos e imputam-se esses custos 7s receitas
com as (uais ten8am correla/ão6
c1 apropriam-se os custos indiretos e as despesas e encargos comuns 7s duas esp5cies de
receitas& proporcionalmente ao valor de cada uma& desde (ue se,a impossível separar
o4,etivamente& o (ue pertence a cada esp5cie de receita"

1#
-.e"plo:
Feceitas0
*rovenientes de atos cooperativos""""""""""""""""""""""""
*rovenientes de opera/:es com não associados""
Eotal""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""

FSD"$00"000&00
FS!"%00"000&00
FS1%"000"000&00
Custos diretos0
Gas receitas de atos cooperativos""""""""""""""""""""""""""
Gas receitas de opera/:es com não associados""""
Eotal"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""

FS%"200"000&00
FS2"200"000&00
FS$"%00"000&00
Custos indiretos& despesas e encargos comuns""""" FS%"%00"000&00

*artindo desses dados& temos0
11 Fateio proporcional dos custos indiretos&
despesas e encargos comuns 7s duas esp5cies de receita0
parcela proporcional 7s receitas de atos cooperativos0
@FS%"%00"000&00 9 FS!"%00"000&001 N FS1%"000"000&00 T FS1"$'#"1%2&D$
parcela proporcional 7s receitas de opera/:es com não associados0
@FS%"%00"000&00 9 FSD"$00"000&001 N FS1%"000"000&00 T FS2"#02"D!#&1%
21 Apura/ão do resultado operacional
correspondente aos atos cooperativos0
Feceitas de atos cooperativos""""""""""""""""""""""""""""""""
@-1 Custos diretos das
receitas de atos cooperativos"""""""""""""""""""""""""""""""""
@-1 Custos indiretos& despesas e encargos comuns
FSD"$00"000&00

@FS%"200"000&001
@FS2"#02"D!#&1%1
T Lucro operacional @atos cooperativos1""""""""""""""""" FS1"$'#"1%2&D$


1D
31 Apura/ão do resultado operacional
correspondente 7s opera/:es com não associados0
Feceitas de opera/:es com não associados""""""""""
@-1 Custos diretos dessas receitas"""""""""""""""""""""""""""
@-1 Custos indiretos& despesas e encargos comuns
FS!"%00"000&00
@FS2"200"000&001
@FS1"$'#"1%2&D$1
T Lucro operacional @não associados1"""""""""""""""""""" FS1"!02"D!#&1%

Nor"ativo: RIR/1999& art" !2' e segs6
*+ CSE n #3& de 1'#!"

019
%ual a dieren!a entre so&ras l(quidas e resultado do
e.erc(cio apurados pelas sociedades cooperativas?
+a linguagem cooperativa& o termo so4ras lí(uidas designa o pr.prio lucro lí(uido& ou lucro
apurado em 4alan/o& (ue deve ser distri4uído so4 a ru4rica de retorno ou como 4oni)ica/ão aos
associados& não em ra-ão das (uotas-parte de capital& mas em conse(U;ncia das opera/:es ou
neg.cios por eles reali-ados na cooperativa"
+a linguagem comercial& o resultado positivo do e9ercício 5 o lucro& o provento ou o gan8o o4tido
em um neg.cio" A& assim& o (ue proveio das opera/:es mercantis ou das atividades comerciais"
*or resultado& em sentido propriamente cont24il& entende-se a conclusão a (ue se c8egou na
veri)ica/ão de uma conta ou no levantamento de um 4alan/o @lucro ou pre,uí-o1" Bm rela/ão 7s
contas& re)ere-se ao saldo da Gemonstra/ão do Fesultado do B9ercício& (ue tanto pode ser credor
como devedor"
? )ato de a lei do cooperativismo denominar a mais valia de Jso4raK não tem o intuito de e9cluí-la
do conceito de lucro& mas permitir um disciplinamento especí)ico da destina/ão desses resultados
@so4ras1& cu,o parRmetro 5 o volume de opera/:es de cada associado& en(uanto o lucro deve
guardar rela/ão com a contri4ui/ão do capital"

1'
Nor"ativo: Lei n $"%0%& de 1'#$& art" 1D#"

0#0 9) incid,ncia da C3?? nas atividades desenvolvidas pelas
sociedades cooperativas?
A partir de 1

de ,aneiro de 200!& as sociedades cooperativas (ue o4edecerem ao disposto na
legisla/ão especí)ica& relativamente aos atos cooperativos& )icaram isentas da Contri4ui/ão Social
so4re o Lucro Lí(uido V CSLL"
Eal isen/ão não se aplica& por5m& 7s cooperativas de consumo de (ue trata o art" $' da Lei n '"!32&
de 10 de de-em4ro de 1''#
Nor"ativo: Lei n 10"D$!& de 200%& arts" 3' e %D"

@NAIC- R-BI33IVO C17@CD?O EVII

Sociedades Cooperativas @Capítulo XVII1
C3?? das Cooperativas
Incid;ncia W*ergunta 020X& 1'
IR78 das Cooperativas
>ase de C2lculo
Lucro Feal W*ergunta 01DX& 1$
Incid;ncia
Aplica/:es <inanceiras W*ergunta 01!X& 1%
*erda da Isen/ão& Ino4servRncia da Legisla/ão Bspecí)ica W*ergunta 01$X& 1%
So4re o Fesultado& Atividades Bstran8as 7 <inalidade W*ergunta 01%X& 13
Fegimes de Eri4uta/ão
?p/ão W*ergunta 01#X& 1!
Simples W+otas 7 *ergunta 01#X& 1!

20
So4ras Lí(uidas @Lucros Lí(uidos1& Fesultado
Gistin/ão& Eratamento W*ergunta 01'X& 1D
Natureza e Requisitos
Autori-a/ão *ara <uncionar
Gispensa W*ergunta 00#X& #
Capital Social
<orma/ão W*ergunta 00'X& D
Erans)er;ncia de Yuotas-*arte& Eerceiros Bstran8os @Veda/ão1 W*ergunta 010X& '
Classi)ica/ão
Eipos de Cooperativas& Singulares etc" W*ergunta 002X& %
Conceitos
Atos Cooperativos W*ergunta 011X& '
Atos +ão-Cooperativos W*ergunta 012X& 12
Sociedades Cooperativas W*ergunta 001X& 1
Constitui/ão
<ormalidades W*ergunta 00$X& $
?4,etivos Sociais W*ergunta 003X& !
*essoa Lurídica& Associada *L @Condi/:es *ara Ingresso1 W*erguntas 00% e 00!X& !& $
Bscritura/ão
Atos com +ão-Associados& Conta4ili-a/ão em Separado W*ergunta 0136 V" Ainda0 *ergunta
01%X& 12
Cont24il e <iscal @Livros1& ?4rigatoriedade W*ergunta 00DX& D