You are on page 1of 12

Introdução

:
Pode-se definir qualquer organização como um conjunto de duas ou mais
pessoas que realizam tarefas, seja em grupo, seja individualmente, mas de forma
coordenada e controlada, atuando num determinado contexto ou ambiente, com vista
a atingir um objetivo pré-determinado através de diversos meios e recursos
disponíveis, liderados ou não por alguém com as funções
de planear, organizar, liderar e controlar.
Segundo Maximiano (1992) "uma organização é uma combinação de esforços
individuais que tem por finalidade realizar propósitos coletivos. Por meio de uma
organização torna-se possível perseguir e alcançar objetivos que seriam inatingíveis
para uma pessoa. Uma grande empresa ou uma pequena oficina, um laboratório ou o
corpo de bombeiros, um hospital ou uma escola são todos exemplos de
organizações."
Segundo Robbins (1990), a organização é "uma entidade social
conscientemente coordenada (liderada), com uma fronteira relativamente
identificável, que funciona numa base relativamente contínua para alcançar um
objetivo e/ou objetivos comuns". Uma organização é constituída por pessoas – para
que ela mude, também as pessoas têm que mudar.
Estes conceitos podem se aplicar a qualquer tipo de organização, seja ela
empresarial ou não. A única diferença está nos objetivos a que cada uma se propõe.
- Organização empresarial: seu objetivo base é a maximização do seu
valor para os seus proprietários conseguida, através da satisfação de todos os seus
membros, principalmente os consumidores.
- Organização não empresarial: seus principais objetivos diferem
ligeiramente dos das empresariais, embora o fim último seja sempre a satisfação de
necessidades ou a defesa de interesses de um conjunto particular de pessoas ou da
necessidade em geral. Exemplo: hospitais, escolas, clubes desportivos, associações
sindicais, entre outros.

Evolução das organizações:

O século XX foi um período que trouxe muitas mudanças e transformações que
influenciaram fortemente as organizações, em seu comportamento e sua
administração.
A Revolução Industrial ocorrida na metade do século XX caracterizou-se como o
principal fato que impulsionou o surgimento das primeiras indústrias, através da
criação das primeiras máquinas. Nesse longo período, dentre o surgimento do
fenômeno da industrialização e dos países desenvolvidos ou industrializados, as
empresas passaram a utilizar o método burocrático referente ao modelo centralizador,
com ênfase na departamentalização funcional. Com o modelo centralizador no topo da
hierarquia, visava disciplinar e padronizar o comportamento.
A teoria Clássica da Administração e o modelo burocrático que surgiu na
medida exata para as organizações dessa época.
O modelo organizacional baseava-se em um desenho mecanístico típico de
lógica do sistema fechado. As pessoas eram comparadas com as máquinas,
consideradas como recursos de produção, surgindo também os primeiros
departamentos de pessoal e logo após o departamento de relações industriais.
Após a Segunda Guerra Mundial, na era da Industrialização Neoclássica, o
mundo começou a mudar mais rápido e intensamente. As transações comerciais
passaram a ser mais constante, acentuando a competição entre as empresas.
O método burocrático e centralizador, passaram a ser rigoroso demais para
acompanhar as mudanças e as transações do ambiente. As organizações optaram por
modelo incentivador e inovador ajustando às mudanças e transformações.
Surgem os departamentos de recursos humanos. A organização promoveu uma
melhora, mas não o suficiente, pois não conseguia remover a rigidez da velha estrutura
funcional e burocrática.
Na Era da Informação, onde ocorreu a integralização da tecnologia; televisão,
telefone, computador, transformando a economia internacional em economia mundial
e global, aumentando cada vez mais a competitividade entre as organizações. O capital
financeiro deixou de ser o recurso mais importante, cedendo lugar para o
conhecimento, do capital humano e do capital intelectual.
Percebe-se que o aumento do desemprego também ocorre por influência
dessas mudanças, através da ausência de qualificação das pessoas e essas tendências
estão afetando e continuarão a afetar a maneira pela qual as organizações utilizam as
pessoas.

Sistema aberto

Um sistema pode ser definido como um conjunto de elementos em interação,
isto é, que se influenciam mutuamente. Que componentes ou elementos integra
depende das fronteiras que se estabelecem e das relações com conjuntos mais vastos
ou mais específicos. Um sistema aberto pode ser influenciado por acontecimentos
exteriores às suas fronteiras que se verificam na sua envolvente e pode influenciar
esta. Teoricamente, um sistema fechado não é afetado pelas alterações da envolvente.
A organização é um sistema aberto em constante interação com o meio (ou
envolvente) do qual recebe informação, recursos materiais, financeiros, humanos, etc.,
transforma esses recursos ou converte-os em produtos ou serviços que são depois
exportados para o seu meio.
A organização é um sistema com objetivos ou funções múltiplas, constituído
por vários subsistemas que estão em interação dinâmica uns com os outros.
Por exemplo, uma câmara municipal pode ser considerada um sistema e uma
repartição municipal pode ser também vista como um sistema que, neste caso,
constituirá um subsistema por ser um componente do outro (câmara). As mudanças
ocorridas num dos subsistemas provavelmente vão afetar os outros.
As múltiplas ligações entre a organização e o seu meio tornam difícil clarificar
as fronteiras de qualquer organização.

Organização Formal e Informal

Enquanto a Teoria clássica caracteriza o homem econômico e a Teoria das
Relações Humanas, o homem social, a teoria estruturalista focaliza o homem
organizacional, ou seja, o homem que desempenha papeis em diferentes organizações.
Na sociedade de organizações, moderna e industrializada, avulta a figura do homem
organizacional que participa simultaneamente de varias organizações.
- Organização Formal: Refere-se geralmente ao padrão de organização
determinado pela administração como o esquema de divisão de trabalho e poder de
controle, regras e regulamentos de salários e controle de qualidade.
Exemplo: Empresas tradicionais com longo tempo no mercado, que tem como
algumas características prêmios e punições.
- Organização Informal: Refere-se ao relacionamento interpessoal, ou seja, as
relações sociais que se desenvolvem espontaneamente entre o pessoal ou os
trabalhadores, acima e além da formal (trabalham em equipe e são amigos).
Exemplo: Empresas que estimulam a criatividade e o relacionamento entre as
pessoas que fazem parte de toda a estrutura dando ênfase à motivação, podemos
utilizar como exemplo empresas jornalísticas e de publicidade que utiliza métodos
modernos de administração.

Hierarquia organizacional
É preciso considerar a necessidade de se estabelecer metas para cada nível
hierárquico da organização, uma vez que os níveis de responsabilidade são diferentes
para cada uma das escalas da hierarquia. Os principais níveis hierárquicos de uma
organização são definidos da seguinte forma:
Operacional – é o nível que representaria a base da pirâmide hierárquica.
Tático – representa o nível intermediário da pirâmide.
Estratégico – representa o ápice da pirâmide.



Tipos de organização:

Cada organização tem uma estrutura organizacional em função dos seus
objetivos, do seu tamanho, da conjuntura que atravessa e da natureza dos produtos
que fabrica ou dos serviços que presta. Apesar de todas as diferenças, os autores
clássicos e Neoclássicos definiram três tipos tradicionais de organização, sejam elas:
organização linear, organização funcional, e a organização linha-staff.

- Organização Linear:
A organização do tipo linear constitui a forma estrutural mais simples e antiga,
pois tem sua origem na organização dos antigos exércitos, e na organização
eclesiástica dos tempos medievais. Também chamado princípio escalar da autoridade.
O nome organização linear significa que existem linhas diretas e únicas de
autoridade e responsabilidade entre os superiores e subordinados. Daí seu formato
piramidal. Cada gerente recebe e transmite tudo o que se passa na sua área de
competência, pois as linhas de comunicação são rigidamente estabelecidas. É uma
forma de organização típica de pequenas empresas ou de estágios iniciais de
organizações.
Estratégico
Tático
Operacional
Empresário - Presidentes,
sócios, diretores;
Administrador –
Gerente, Coordenador;
Técnico -
Executor


Características principais:
- Autoridade linear ou única;
- Linhas formais de comunicação;
- Centralização das decisões;
- Aspecto piramidal;

Vantagens: Desvantagens:
- Estrutura simples e de fácil
compreensão;
- Estabilidade das relações formais;

-Clara delimitação das responsabilidades; - A autoridade linear baseada no
comando único e direto;
- Facilidade de implantação; - Exagera a função de chefia e de
comando;
- É bastante estável; - Chefe generalista;
- É o tipo de organização indicado para
pequenas empresas;
- Congestionamento das linhas formais;
- Comunicações demoradas;

- Organização Funcional:
A organização funcional é o tipo de estrutura organizacional que aplica o
princípio funcional ou o princípio da especialização das funções. Muitas organizações
da antiguidade utilizavam o princípio funcional para diferenciações de atividades ou
funções. O princípio funcional separa, distingue e especializa: é o germe do staff.
Esse tipo de estruturação tem sido padrão nas empresas. O agrupamento
funcional dos grupos de trabalho, porém tem sido questionado a partir de iniciativas
competitivas como: qualidade total, redução do tempo de ciclo e aplicação da
tecnologia da informação, que tem conduzido a organização funcional a mudanças
fundamentais.



Características principais:
- Autoridade funcional ou dividida;
- Linhas diretas de comunicação;
- Descentralização das decisões;
- Ênfase na especialização;

Vantagens: Desvantagens:
- Máximo de especialização; - Diluição e perda de autoridade de
comando;
- Melhor supervisão; - Subordinação múltipla;
- Comunicações sem intermediação; - Tendência a concorrência entre os
especialistas;
- Separa as funções de planejamento e de
controle das funções de execução;
- Tendência de tensão e conflitos dentro
da organização;

- Organização Linha-Staff:
O tipo de organização linha-staff é o resultado da combinação dos tipos de
organização linear e funcional, buscando-se incrementar as vantagens desses dois
tipos de organização e reduzir as suas desvantagens. Alguns autores o denominam organização do
tipo hierárquico consultivo.
Na organização linha-staff há características do tipo linear e do tipo funcional, reunidas
proporcionam um tipo organizacional mais completo e complexo. Na organização linha-staff
coexistem órgãos de linha (órgãos de execução), e de assessoria (órgãos de apoio e de consultoria)
mantendo relações entre si. Os órgãos de linha caracterizam-se pela autoridade linear e pelo princípio
escalar, enquanto os órgãos de staff prestam assessoria e serviços especializados.

















Características principais:
- Fusão da estrutura linear com a estrutura funcional;
- Coexistência entre as linhas formais de comunicação com as linhas diretas de comunicação;
- Separação entre órgãos operacionais e órgãos de apoio e suporte;
- Hierarquia versus especialização;

Vantagens: Desvantagens:
- Assegura assessoria especializada e inovadora
mantendo o princípio de autoridade única;

- Existência de conflitos entre órgãos de
linha e staff;

- Atividade conjunta e coordenada dos
órgãos de linha e órgãos de staff;

- Dificuldade na obtenção e manutenção
do equilíbrio entre linhas e staff;


O Processo de Organização

O processo administrativo da “organização” tem como resultado o
ordenamento das partes de um todo, ou a divisão de um todo em partes ordenadas,
segundo algum critério ou princípio de classificação. Um conjunto organizado segundo
algum tipo de critério é uma estrutura.
Sendo assim, dizemos que uma empresa é “organizada” quando a mesma
possui uma estrutura organizacional que identifique basicamente três elementos: as
responsabilidades, a autoridade e a comunicação entre as pessoas que nela trabalham.
O processo de organização é um processo de tomada de decisões sobre como dispor
responsabilidade, autoridade e linhas de comunicação.
É representada por um gráfico denominado organograma. Observa-se em
qualquer organograma os seguintes aspectos:

 Divisão do trabalho: os retângulos representam unidades de trabalho
(departamentos) e indicam como as responsabilidades estão divididas dentro
da organização.
 Autoridade e Hierarquia: a quantidade de níveis verticais em que os retângulos
estão agrupados mostra como a autoridade está distribuída, do gerente que
tem mais autoridade, no topo da estrutura, até o que tem menos autoridade,
na base da estrutura.
 Comunicação: as linhas que ligam os retângulos mostram a interdependência
das unidades de trabalho. As linhas de comunicação nascem das decisões sobre
divisão do trabalho e autoridade e hierarquia.

Departamentalização
A forma de dividir as tarefas entre os departamentos depende de princípios
chamados critérios de departamentalização. Por exemplo, pode-se atribuir a cada
departamento a tarefa de atender a um tipo específico de cliente, ou de produzir um
tipo específico de produto, ou de cuidar de determinada área geográfica.
Esses e outros critérios de departamentalização definem as responsabilidades
especializadas das unidades da estrutura organizacional.
De modo geral, as organizações utilizam uma combinação de critérios de
departamentalização. Os mais importantes critérios de departamentalização são
apresentados:
a) Departamentalização funcional
As funções organizacionais são conjuntos de tarefas interdependentes,
orientadas para um objetivo singular. Cada uma das funções contribui para a
realização da missão, propósito ou tarefa total de uma organização. Todas as
organizações de um mesmo ramo de atividades têm aproximadamente as mesmas
funções.

b) Departamentalização territorial ou geográfica
Quando se usa o critério geográfico de departamentalização, cada unidade de
trabalho corresponde a um território ou região. O critério geográfico ou territorial
pode ser utilizado quando a organização opera numa área grande, ou em locais
diferentes, e em cada local é necessário disponibilizar certo volume de recursos ou
certa autonomia. Desde que seja possível promover algum tipo de agregação dentro
dos territórios, o critério geográfico torna-se a base da divisão do trabalho.


c) Departamentalização por produto
Quando a empresa trabalha com vários produtos ou serviços que apresentam
diferenças importantes entre si, pode ser melhor administrar cada um
individualmente. Essa escolha resulta em uma estrutura organizacional em que a
responsabilidade é dividida, usando o produto ou serviços como critério. Cada unidade
de trabalho tem responsabilidade e autoridade sobre um grupo de operações ou sobre
a totalidade das operações relativas a um produto ou serviço.




d) Departamentalização por cliente
O critério do cliente é apropriado quando a organização atende a diferentes
tipos de cliente, com necessidades muitos distintas ou quando os clientes são iguais,
mas têm necessidades diferentes. Esse tipo de departamentalização é uma forma
segura de garantir a satisfação dos clientes. São usuários tradicionais do critério de
departamentalização por cliente: as lojas de departamentos e as agências de
propaganda.








e) Organização por projetos – Estrutura Matricial
As atividades temporárias, chamadas projetos, são realizadas por estruturas
organizacionais temporárias. São exemplos de projetos: projetar e construir
instalações, como aeroportos e rodovias, organizar eventos e fornecer serviços, como
congressos e competições. Uma organização de projeto é uma estrutura temporária,
alocada dentro da organização funcional. Para cada projeto é necessário criar uma
organização temporária, que usa os recursos das unidades funcionais.


Na prática as organizações assumem uma estrutura combinando dois ou mais
critérios. A estrutura organizacional deve também apresentar flexibilidade necessária
para ser modificada sempre que as condições externas à empresa, ou seja, as variáveis
ambientais sofram grandes mudanças, impactando no desempenho da organização.

Organizações Híbridas

- Adotam diferentes tipos de departamentalização.
- Tem em vista a afetividade, grandes organizações quase sempre apresentam
estruturas hibridas com um ou mais tipos de estrutura no nível institucional, outros no
nível intermediário e outros ainda no nível operacional.

Organizações Virtuais

Dispensam escritórios convencionais, prédios, instalações físicas, por isto são
chamadas de não territoriais. É extremamente simples, flexível e ágil e totalmente
assentada na tecnologia da informação.
Não tem fronteiras definidas, e seu campo de atuação pode ser alterado rápida
e facilmente. Trata-se de uma rede virtual de comunicações.
As pessoas trabalham em suas casas, interagindo diretamente com o sistema
de informação da organização através de micro computadores dotados de modem,
faz, etc.

Conclusão:

O ser humano é único e, como tal, cria o seu próprio pensamento individual,
quer por antecipação, quer por reação. A forma como estes pensamentos e
correspondentes ações se reflete no contexto organizacional poderá ganhar uma
dimensão tal, que torna a reação do sistema imprevisível.



Bibliografia:
http://www.trabalhosfeitos.com/ensaios/Organiza%C3%A7%C3%A3o-Formal-
e-Informal/27076.html
http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/a-evolucao-das-
organizacoes/29258/
http://pt.scribd.com/doc/54014484/2/O-Processo-de-Organizacao