You are on page 1of 7

Centro de Aprendizagem e Integração de Cursos

Tecnico em Analises Clínicas





José Flávio Passos
Rone Oliveira Couto



Orientadora da disciplina de Microbilogia: Professora Maiana Coy





















Salvador-Ba
Maio de 2014
Relatórios das aulas práticas em laboratório

TÍTULO DA AULA 1 : Como observar células humanas da bochecha
OBJETIVO:
Analisar a saliva humana,sendo que o processo foi realizado em cada um da sala,para
que os mesmos pudessem verificar e analisar os possiveis parasitar que há no na região
da mucosa.
MATERIAS UTILIZADOS PARA A EXPERIÊNCIA:
 Palito de picolé
 Lâmina
 Lamínula
 Água
 Iodo
 Pipeta descártavel
PROCEDIMENTO:
Com o palito de picolé em mãos, o mesmo foi passado na região da mucosa da boca
para que possa levar junto saliva com microorganismo. Com uma gota de água e uma
gota de iodo na lâmina o palito é imerso no liquido que esta na lâmina que foi medido
com a pipeta,assim coloca-se a laminula e levar ao microscopio para analise com a
objetiva 10X.






CONCLUSÃO:
Que o nosso corpo é um campo onde há microorganismo mesmo que realize a higiene
necessaria ,sempre haverá microorganismo em nosso corpo devido ao ambiente.
TÍTULO DA AULA 2: Cultivando bactérias e fungos
PRÁTICA 1: Cultivando bacteria
OBJETIVO:
Mostrar a existência de microorganismos e como eles contaminam o meio de cultura.
MATERIAL (PARA O MEIO DE CULTURA):
 1 Pacote de gelatina incolor
 1 xícara de caldo de carne
 1 copo de água
PROCEDIMENTO
Dissolvido a gelatina incolor na água, conforme instruções do pacote para a preparação.
Misturar ao caldo de carne.
Materias utilizados para a experiência
 Placa de Petri
 Cotonetes
 Filme Plástico
 Etiqueta adesiva
 Caneta
 Luvas
 Microscopio
PROCEDIMENTO:
Tivemos uma pessoa da sala que foi escolhida para passam o cotonete entre os dedos.
O cotonete é estriado em meio de cultura para contaminá-lo. Tampou-se a placa de Petri
com filme plástico marcado na etiqueta adesiva que tipo de contaminação foi feita.
Depois de três dias, observe as alterações.






PRÁTICA 2: Cultivando fungos
OBJETIVO:
Perceber a necessidade de guardar bem os alimentos para que eles não se contaminem.

MATERIAS UTILIZADOS PARA A EXPERIÊNCIA:
 5(cinco) copos descataveis numerados;
 Filme plástico;
 Colheres de amido de milho;
 2 (duas) colheres de óleo;
 1( uma)colher de sopa para as medida;
 panela pequena;
 2(duas)colher de vinagre;
 Água
PROCEDIMENTO:
Prepara o mingau com o amido de milho e um copo de água. Misture bem e leve ao
fogo até engrossar. Colocou-se duas colheres de mingau ainda quente nos copos
descartaveis. Deixando o copo 1 aberto, em cima da pia do laboratório. Coberto o
número 2 com o filme plástico, vede-o, e deixe-o também sobre a pia. O 3° é
completado com duas colheres óleo e o 4º, com duas colheres de vinagre. O 5 é
colocado na geladeira, sem cobertura
CONCLUSÕES
PRÁTICA 1:
Como a gelatina ficou muito liquida não havendo endurecimento, não tivemos o
resultado esperado que foi a cultura de bacteria feito com a estrigagem. Ao encontrar
um ambiente capaz de fornecer nutrientes e condições para o desenvolvimento, os
microorganismos se instalam e aparecem.

PRÁTICA 2





1. É o que apresenta mais alteração, pois ficou na temperatura ambiente e sem
proteção,exposto aos organismos.
2. Está menos estragado que o primeiro, porque o filme plástico impede que os
micróbios se depositem sobre ele.
3. O óleo funciona como cobertura ou embalagem, impedindo qualquer contato com o
ar e, por conseqüência, com os micróbios.
4. A acidez do vinagre impede o aparecimento de organismos (é o princípio de
preparação de algumas conservas).
5. As baixas temperaturas são as que mais retardam o aparecimento de fungos, por isso
a geladeira é o melhor lugar para conservar alimentos.

TÍTULO DA PRÁTICA 3: Analises do material coletado na região de esgoto
PRÁTICA C: Procedimento para exame direto a fresco
OBJETIVO:
Observação dos movimentos do trofozoito.

MATERIAL UTILIZADO:
 Lâmina;
 Laminula(facultativo);
 Soro fisiologico de cloreto de sódio 0,9%;
 Palito ;
 Lama materia sólido;
 Pipeta.
PROCEDIMETO:
Com a ponta do palito tocar o material e levar até a lâmina que estará com 2 gotas de
soro fisiologico de cloreto de sódio 0,9% medido na pipeta e tocar em varias regiões na
lâmina para haver uma melhor porção de analise.

PRÁTICA D: Método de Lutz ou de Hoffmann,Pons e Janer (sedimentação
espontânea)
OBJETIVO:
Este método permite o encontro de ovos e larvas de helmintos e cistos de protozoários.

Materias para o experimento:
 Gazes cortadas em quatro
 245 ml de água
 Copo descartável
 Colher
 Funil
 Pipeta
 Palito
 Lugol
 Lâmina e laminula(facultativo)
 Balança digital
PROCEDIMENTO:
1. Colocar aproximadamente 2g de lama(parte solida) em um copo plástico
descartável, com cerca de 5 ml de água e dissolver bem com auxílio de um palito;
2. Acrescentar mais 20 ml de água;
3. Coar a suspensão (para isto, usa-se gaze cirúrgica umedecida, dobrada em quatro, e
colocada em um funil) num cálice cônico de 200 ml de capacidade. Os detritos
retidos na gaze são lavados com mais 20 ml de água;
4. Completar o volume do cálice com água e deixar em repouso por 24 horas;
5. Desprezado o liquido,homogeniezar o sedimento coletar a porção do mesmo;
6. Colocar a parte do sedimento na lâmina,corar com Lugo e cobrir com a
lamínula(facultativo)
PRÁTICA E: Procedimento para o método de Willis
OBJETIVO:
Indicado para pesquisa de ovos leves (ancilostomídeos).

MATERIAS
 10g de lama( sólida)
 Sal (NaCl)
 Becker pequeno
 Palito
 Lâmina
 Laminula
 Lugol
 Balança digital
PROCEDIMENTO
1. Pesar 10g de lama na balança digital
2. Homogeniezar com um pouco de solução saturada de sal( NaCl) no Becker
pequeno onde esta a lama;
3. Completar o volume até a borda do Becker com soro fisiologico;
4. Colocar na boca do frasco uma lâmina, que deverá estar em contato com o líquido;
5. Deixar em repouso por 5 minutos;
6. Retirar rapidamente a lâmina, deixando a parte molhada voltada para cima;
7. Cobrir com lamínula, corar com Lugol e examinar com objetiva 10x.

VISUALIZAÇÃO MICROSCOPICA:
PRÁTICA C PRÁTICA D PRÁTICA E







CONCLUSÃO FINAL DAS PRÁTICAS DE LABORATÓRIO
Diante dos empecilhos encontrados na instituição tanto para reserva do
laboratório, material especifico para analise e até mesmo de energia. Tivemos o grande
esforço da professora Mayana Coy em ministrar as aulas de laboratório com total
segurança e aplicações de simulação bem próxima do que seria se tivesse os
instrumentos.