Gestão em

Saúde
Gestão em Saúde
2 Gestão Financeira I
Muitos profssionais da área de saúde, ao criarem seus negócios próprios, por não terem conhecimentos ou
experiência no campo da gestão fnanceira, investem na estrutura física de seu consultório ou clínica mas
encontram difculdades na hora de precifcar sua atividade.
Existem várias formas de defnição de um preço de um produto ou serviço, mas a mais comum é aquela
baseada nos custos para a prestação do serviço, ou seja, os gastos que envolvem toda a atividade prestada.
Alguns destes gastos não são computados pelo empreendedor acreditando não ser necessário, porém todos
os gastos aqueles mais tangíveis ou intangíveis devem ser relacionados, permitindo uma avaliação mais real
da situação do negócio.
Algumas empresas quebram por perdas fnanceiras pequenas e constantes por não listarem tais despesas ou
como acontece muito nos casos de desgastes de equipamentos (depreciação) que também não são levantados.
Nesta Unidade serão apresentadas as defnições e aplicações práticas destes custos para facilitar a precifcação
e análise do impacto dos custos no preço fnal do serviço.
Introdução
● Conhecer as defnições a aplicação prática sobre investimentos fnanceiros e físicos para empreender
em um negócio, além do conhecimento sobre a importância de conhecer os custos fxos e variáveis
para prestar um serviço, que possibilite a defnição de um preço adequado para o consumidor, gerando
margem de lucro e cobertura das despesas do seu negócio de saúde.
Objetivo
● Investimentos Físicos e Financeiros
● Levantamento de Custos Fixos (Depreciação; Obsolescência) e Variáveis (Recolhimento de Impostos)
Tópicos Abordados
Gestão em Saúde
3 Gestão Financeira I
Investimento
Para desenvolver o próprio negócio é necessário que o empreendedor invista em máquinas,
equipamentos, instalações, locação ou aquisição de imóvel entre outros itens. Este valor inicial de
investimento encontra-se previsto no Plano de Negócios da Empresa. Para facilitar o entendimento da
gestão fnanceira do negócio é importante conhecer as defnições, apresentadas a seguir:
Investimentos Físicos:
São aqueles destinados à compra de bens físicos como
máquinas, equipamentos, instalações , móveis e utensílios,
veículos, equipamentos de informática, obras etc. Estes
compõem o Ativo Imobilizado do negócio e fazem parte do
Patrimônio da Empresa.
Investimentos Financeiros
São aqueles destinados à formação do Capital de Giro da empresa, que signifca o montante de dinheiro
necessário ao funcionamento normal da empresa: compra de materiais de uso, pagamento de salários,
compra de matéria-prima, impostos e demais despesas fxas. É necessário incluir também os salários,
encargos sociais, aluguéis, taxas de água, luz, gás e impostos.
A previsão de investimentos deve ser realizada para um período de, no mínimo, 30 dias e deve conter
todos os possíveis gastos, dos mais simples aos mais complexos, para o “giro” do negócio.No início, os
investimentos devem ser listados por previsão, já que só é possível uma previsão mais real deste valor
após o funcionamento dos primeiros meses.
Alguns especialistas orientam os empreendedores a fazerem um estoque inicial de matéria-prima ou
mercadorias necessárias para os dois primeiros meses de funcionamento.
Gestão em Saúde
4 Gestão Financeira I
Levantamento de Custos
Os custos correspondem aos gastos necessários para prestar o serviço de saúde, ou seja quanto gasta
com o profssional, materiais usados, energia gasta e qualquer outros gastos, para que se tenha a
possibilidade de verifcar se a partir da venda do serviço, houve perda ou ganho. Os custos representam
informações operacionais, gerenciais e administrativas da empresa e organizam-se em:
Custos Fixos:
São aqueles cuja variação não é afetada pelo volume total de vendas
da empresa e, portanto, tendem a se manter constantes. Isto quer dizer
que independente da empresa vender mais ou menos, os custos fxos
permanecem os mesmos.
Ex.: Um dentista paga R$1.000,00 de aluguel pelo consultório e
independente dele atender 10 ou 100 pacientes no mês, este preço não
será alterado. Portanto, corresponde a um custo fxo .
Dentro dos custos fxos existe um fator que deve ser observado chamado de Depreciação.
O desgaste natural de um equipamento, por exemplo. O profssional faz um investimento inicial em
equipamentos para seu uso em consultório, porém conforme seu uso, este vai se depreciando, ou sofrendo
um desgaste e em algum momento deverá ser feita sua manutenção ou sua substituição.
Custos Variáveis:
Para que o empreendedor não fque desprevenido com esse gasto, é possível fazer um cálculo deste
processo de depreciação para que seja incluído como custo e que, consequentemente, será incluído no
preço de seus serviços. Existem dois principais motivos para a depreciação:
● Envelhecimento dos Bens – todo equipamento ou bem, ao ser utilizado, sofre um desgaste natural.
Por exemplo, um carro sofre uma perda de valor assim que sai da concessionária. Também os
equipamentos novos ao serem instalados já perdem valor.
● Obsolescência - Relacionado a evolução das tecnologias, ou seja com o tempo novos equipamentos
mais modernos vão sendo criados e a troca do equipamento em algum momento será devida.
Para evitar perdas com a depreciação, deve ser criado um fundo, uma reserva guardada mensalmente
para compensar esta perda, mantendo o capital investido, protegido.
Gestão em Saúde
5 Gestão Financeira I
EXEMPLO:
Um equipamento custa R$10.000,00 e possui uma vida útil de 10 anos. O valor total do bem dividido pela
vida útil resulta na depreciação anual.
R$10.000,00 : 10 = R$1.000,00
Assim, o empreendedor deve reservar R$ 1000,00/ano para assegurar recursos sufcientes para adquirir
outro equipamento ao fnal de 10 anos. Mesmo que seja necessário acrescentar mais algum valor, a perda
será mais controlada.
Para efeitos de cálculo da Depreciação mensal, o valor total deve ser dividido pelo número de meses
previsto para a vida útil da máquina.
Total de meses/ano - 12 x 10 anos = 120 meses
R$10.000,00 : 120 meses=R$ 83,34 por mês
ou
R$ 1.000,00: 12 meses= R$ 83,34 por mês
Outras despesas relacionadas ao uso são:
Manutenção: é necessário um investimento
em reparos e revisões anuais ou mensais,
o que gera a necessidade de um fundo
para manutenção.
Seguro: quando existe risco de algum tipo
de acidente ou roubo, torna-se necessário
um investimento em seguro que baseia-se
também pelo valor total do equipamento e
taxas administrativas das seguradoras.
Gestão em Saúde
6 Gestão Financeira I
Variáveis (Recolhimento de Impostos)
Estes custos variam com a venda ou prestação de serviço. São exemplos: mão-de-obra direta na
prestação do serviço; matéria-prima; embalagens; tributos (ICMS, ISS), material de higiene e limpeza,
material de escritório.
Alguns custos podem ser variáveis ou fxos dependendo do tipo de negócio.
Os Impostos também incidem nas receitas e devem ser observados da seguinte maneira:
Recolhimento através da análise do Lucro Real: Apuram-se todas as receitas e despesas da empresa e
calcula-se o lucro no fnal do período anual. Aplica-se a alíquota referente e recolhe-se os tributos. Esta
operação é mensal.
Recolhimento através da análise do Lucro Presumido: é feita uma previsão de lucratividade média sobre
operações e atribui alíquota tributável.
SIMPLES: Esse sistema unifca vários impostos e contribuições sobre a mesma base, com a mesma
data de recolhimento mensal. Utilizada em pequenas empresas.
O gasto de água para um consultório dentário é variável pois é o consumo depende do
volume e dias de prestação do serviço. Se considerarmos a área administrativa de um
Hospital, por exemplo, este custo é fxo pois independente do número de atendimentos o
consumo é o mesmo.
Exemplo
Gestão em Saúde
7 Gestão Financeira I
EXEMPLO:
Você decidiu abrir uma Clínica de Estética e deseja calcular o preço de um tratamento a laser, que inclui
as seguintes variáveis, levando-se em conta uma média 10 aplicações por dia:
Aluguel da sala R$ 500,00 por mês : 30 = R$16,67 por dia
Depreciação do equipamento a laser que custa R$60.000,00 e tem vida útil de 10 anos. Cálculo:
R$ 50.000,00 : 10 anos = R$5.000,00 : 12 meses= R$ 416,67 : 30 dias = R$13,89
Gastos com algodão, medicação, soro e outros: R$ 15,00
Pagamento da Esteticista: R$ 100,00 por aplicação
Despesas com água, energia, tributos e telefone/mês: R$ 180,00
Retirada para pró-labore: R$ 2000,00 Mês
Qual seria o custo total deste tratamento?
Custos Operacionais:
Custo Variável Unitário
● Gastos com algodão, medicação, soro e outros : R$ 15,00
● Esteticista: R$ 100,00
● Total dos custos variáveis: 115,00
Custos Fixos
● Aluguel: R$ 500,00 mês : 30 dias = 16,67
● Depreciação: R$13,89
● Despesas com água, energia, tributos e telefone: R$ 180,00: 30 dias= R$ 6,00
● Retirada para pró-labore: R$ 2000,00 Mês : 30 dias= R$ 66,67
● Total dos custos fxos: R$ 103,23
Divida o total dos custos fxos pelo total de atendimentos diários: R$ 115,00 : 10 = R$ 11,50
Some o valor unitário dos custos variáveis com o valor unitário dos custos fxos R$ 115,00 + R$ 103,23 =
218,23
Portanto o custo por aplicação do tratamento é de R$ 218,23
Gestão em Saúde
8 Gestão Financeira I
Como o valor de depreciação da máquina é alta, é interessante fazer mais atendimentos por dia, para
reduzir os custos fxos e aumentar a rentabilidade. O preço a ser cobrado pelo serviço pode ser uma
margem de 10% que seria R$ 21,83 dando um total de R$ 240,06 arredondando para um valor comercial
poderia ser cobrado, R$ 240,00 cada aplicação, garantindo pagamento dos custos, margem de lucro e
margem de segurança. Agora você já pode calcular o preço de seu serviço, porém não se esqueça de
consultar a tabela de serviços referentes ao seu Conselho Regional, Sindicatos ou outros órgãos que
regulam preços de serviços de saúde.
Gestão em Saúde
9 Gestão Financeira I
Avaliação a Distância
Respostas: 1 - C e 2 - B
1. O Capital de Giro é aquele?
2. A Obsolescência refere-se?
A - Composto por bens físicos como máquinas, equipamentos e instalações;
A - ao desgaste natural sofrido por máquinas e equipamentos;
B - Composto pelos Ativos da Empresa;
B - a perda por defasagem tecnológica;
C - Composto pelo valor necessário para o funcionamento da empresa para um período.
C - o investimento necessário para manutenção de máquinas;
D - Composto por despesas da empresa.
D - ao investimento necessário para despesas com seguros de máquinas
Gestão em Saúde
10 Gestão Financeira I
Respostas: 3 - D e 4 - D.
3. Tudo a seguir se refere aos Custos Fixos, com exceção?
4. O levantamento dos Custos é importante para? Com exceção.
A - São os custos que não variam conforme as operações ou serviços;
A - ter uma base de referência para defnir o preço fnal ao consumidor;
B - São os custos compostos por aluguéis, salários administrativos, depreciação;
B - ter a noção da interferência de cada custo no preço fnal do produto;
C - São custos mantidos constantes independentemente da produtividade;
C - permitir a tomada de decisão sobre as possíveis reduções dos custos;
D - Referem-se aos gastos diretos na execução dos serviços.
D - saber exatamente quanto a empresa tem em seus Ativos.
Gestão em Saúde
11 Gestão Financeira I
Atividade Complementar
Você pode se aprofundar mais nesta área consultando a bibliografa indicada.
Gestão em Saúde
12 Gestão Financeira I
Síntese
Nesta unidade de aprendizagem você pôde ver os conceitos e fórmulas práticas para levantar os custos
fxos e variáveis de um serviço prestado, para defnir um preço a ser cobrado ao consumidor com base
em seus gastos, evitando perdas fnanceiras, porém sendo este segmento regulamentado por órgãos
responsáveis, os profssionais de saúde, devem levar em conta as tabelas de referências de preços.
● SANTOS, José Odálio dos. Avaliação de empresas: cálculo e interpretação do valor das empresas
- um guia prático. São Paulo: Saraiva, 2005.
● SANVICENTE, Antônio Zoratto. Administração Financeira. 3 ed. São Paulo: Atlas, 1987.
● SEBRAE. Guia do Empreendedor. Rio de Janeiro: SEBRAE, 2008.
● ______. Iniciando um pequeno grande negócio. Rio de Janeiro: SEBRAE, (s/d).
Bibliografia Recomendada