You are on page 1of 16

Prof.

J oão Pombo 1 MM2 – Métodos Energéticos
Mecânica dos Materiais 2
Prof. J oão Pombo
Métodos Energéticos
Prof. J oão Pombo 2 MM2 – Métodos Energéticos
Programa da Disciplina
Prof. J oão Pombo 3 MM2 – Métodos Energéticos
Programa da Disciplina
1) Estados Gerais de Tensão/Deformação e Princípios
Energéticos
2) Elementos da Teoria de Placas Rectangulares
3) Flexão e Torção de Perfis Não Simétricos
4) Esforços Combinados
Prof. J oão Pombo 4 MM2 – Métodos Energéticos
Método de Avaliação da Disciplina
Prof. J oão Pombo 5 MM2 – Métodos Energéticos
Método de Avaliação
A Avaliação da Disciplina funciona da seguinte forma:
2 Trabalhos Computacionais: 40%
 Métodos Energéticos
 Placas Rectangulares
1 Prova Escrita Global: 60%
 A realizar em qualquer data de exame
Não há nota mínima em nenhum das componentes de
avaliação
Data de Entrega dos Trabalhos: Último Dia de Aulas
Password Moodle: MMII_12_13_SV
Prof. J oão Pombo 6 MM2 – Métodos Energéticos
Diagramas de Esforços
Prof. J oão Pombo 7 MM2 – Métodos Energéticos
Metodologia Resolução de Exercícios
1) Determinar as recções nos apoios através das
equações de equilíbrio estático do sistema.
 Considerar a estrutura como um único corpo.
 Considerar apenas as reações e os carregamentos
exteriores.
2) Utilizar o método das secções e fazer o somatório de
forças e momentos à esquerda ou à direita:
 Aplicar um corte sempre que há variação de
carregamento, incluindo reações, ou da geometria
da estrutura.
3) Determinar as equações dos esforços e momentos ao
longo da estrutura.
4) Desenhar os diagramas de esforços indicando os
pontos notáveis.
Prof. J oão Pombo 8 MM2 – Métodos Energéticos
Reações nos Apoios
Prof. J oão Pombo 9 MM2 – Métodos Energéticos
Tipos Ligações ao Exterior – Apoios
Apoio Simples ou Móvel
R
V
R
V
Condiciona um Grau de Liberdade
 O deslocamento vertical
Origina uma reacção
 Na direcção vertical
Prof. J oão Pombo 10 MM2 – Métodos Energéticos
Tipos Ligações ao Exterior – Apoios
Apoio Duplo ou Fixo
Condiciona dois Graus de Liberdade
 Os deslocamentos vertical e horizontal
Origina duas reacções
 Nas direcções vertical e horizontal
R
V
R
H
R
V
R
H
Prof. J oão Pombo 11 MM2 – Métodos Energéticos
Tipos Ligações ao Exterior – Apoios
Encastramento
R
V
R
H
M
R
Condiciona três Graus de Liberdade
 Os deslocamentos vertical e horizontal
 A rotação em torno do ponto de encastramento
Origina três reacções
 Nas direcções vertical e horizontal
 Um momento
Prof. J oão Pombo 12 MM2 – Métodos Energéticos
Método das Secções
Convenção Sinais Positivos
Prof. J oão Pombo 13 MM2 – Métodos Energéticos
Convenção de Sinais Positivos
V
M
N T
V M
N T
Prof. J oão Pombo 14 MM2 – Métodos Energéticos
Convenção de Sinais Positivos
V
M
N
T
V
M
N
T
Prof. J oão Pombo 15 MM2 – Métodos Energéticos
Esforço Transverso e
Momento Fletor
Prof. J oão Pombo 16 MM2 – Métodos Energéticos
Carreg., Esf. Transverso, Mom. Fletor
Momento Fletor Esforço Transverso
÷
d V
= p
d z
d M
= V
d z
Se o Carregamento p é Pontual
 O Esforço Transverso V é Constante (grau 0)
 O Momento Fletor M é Linear (grau 1)
Se o Carregamento p é Constante (grau 0)
 O Esforço Transverso V é Linear (grau 1)
 O Momento Fletor M é Parabólico (grau 2)
Se o Carregamento p é Linear (grau 1)
 O Esforço Transverso V é Parabólico (grau 2)
 O Momento Fletor M é Cúbico (grau 3)
Prof. J oão Pombo 17 MM2 – Métodos Energéticos
Carreg., Esf. Transverso, Mom. Fletor
Descontinuidade no diagrama de Esforço Transverso:
 Reações nos Apoios
 Cargas Pontuais aplicadas
Descontinuidade no diagrama de Momento Fletor:
 Momentos de Reação nos Encastramentos
 Momentos Pontuais aplicados
Prof. J oão Pombo 18 MM2 – Métodos Energéticos
Projecto Estático à Cedência
Prof. J oão Pombo 19 MM2 – Métodos Energéticos
Condição de Projecto Utilizando Critério de Tresca
Projecto Estático à Cedência
Condição de Projecto Utilizando Critério Von Mises
Tresca Ced
ADM eq
σ
σ = σ
CS
>
1 2
CS = n . n
VM Ced
ADM eq
σ
σ = σ
CS
>
Coeficiente de Segurança:
 Um CS baixo pode originar a ocorrência de uma
falha em serviço
 Um CS muito elevado origina projectos caros e
pouco funcionais
Prof. J oão Pombo 20 MM2 – Métodos Energéticos
n
1
– Coeficiente de Segurança relativo ao Material
 Materiais com comportamento dúctil de estrutura
uniforme (exp. Aço) ÷1.5 ~ 2
 Materiais cc frágil (exp. Ferro Fundido) ÷2 ~ 3
 Madeira ÷3 ~ 4
Cálculo do Coeficiente de Segurança
Coeficiente de Segurança – CS
1 2
CS = n . n
n
2
– Coeficiente de Segurança relativo ao Carregamento
 Carga gradualmente aplicada ÷1
 Carga subitamente aplicada ÷2
 Choques ÷3 ~ 5
Prof. J oão Pombo 21 MM2 – Métodos Energéticos
Métodos Energéticos
Prof. J oão Pombo 22 MM2 – Métodos Energéticos
Determinar a distribuição de tensões e deslocamentos
resultantes da aplicação de cargas, variações de
temperatura e/ou constrangimentos em condições
estáticas e/ou dinâmicas.
Métodos Energéticos
Objectivos
Prof. J oão Pombo 23 MM2 – Métodos Energéticos
 Distribuição de tensões
 Deslocamentos
 Concentração de tensões
 Estabilidade
 Plasticidade
 Termo-elasticidade
 Fractura e Fadiga
 Dinâmica
 Aeroelasticidade
 Optimização
Métodos Energéticos
Aplicações
Prof. J oão Pombo 24 MM2 – Métodos Energéticos
 Deslocamento: O movimento total de um ponto em
relação a um sistema de coordenadas (referencial) fixo.
 Deformação: Movimento relativo de um ponto em
relação a um outro ponto no mesmo corpo.
 Extensão Lagrangeana: É calculada a partir da
deformação utilizando a geometria original indeformada
como geometria de referência.
 Extensão Euleriana: É calculada a partir da deformação
utilizando a geometria deformada como geometria de
referência.
Estado de Deformações
Definições
Prof. J oão Pombo 25 MM2 – Métodos Energéticos
Tensor das Extensões – Extensões Normais
Estado de Deformações
Prof. J oão Pombo 26 MM2 – Métodos Energéticos
Distorções: ¸
xy
= ¸
yx
Estado de Deformações
Prof. J oão Pombo 27 MM2 – Métodos Energéticos
Distorções: ¸
yz
= ¸
zy
Estado de Deformações
Prof. J oão Pombo 28 MM2 – Métodos Energéticos
Distorções: ¸
zx
= ¸
xz
Estado de Deformações
Prof. J oão Pombo 29 MM2 – Métodos Energéticos
Estado Multiaxial de Extensão
O Tensor de Extensões é definido por 2 Índices
 1º Índice – Representa o eixo perpendicular à
secção onde a tensão é aplicada
 2º Índice – Representa a direcção segundo a qual a
tensão é aplicada
Índices Iguais – Extensões: c
Índices Diferentes – Distorções: ¸
x
z
y
c
zz
¸
zx
¸
zy
xx xy xz
yx yy yz
zx zy zz
( c ¸ ¸
(
c ¸ c ¸
(
( ¸ ¸ c
¸ ¸
=
Prof. J oão Pombo 30 MM2 – Métodos Energéticos
Tensor das Extensões
Estado Triaxial de Tensões
xx xy xz
yx yy yz
zx zy zz
( c ¸ ¸
(
c ¸ c ¸
(
( ¸ ¸ c
¸ ¸
=
Estado Triaxial de Extensões
xx xy xz
yx yy yz
zx zy zz
( o t t
(
o t o t
(
( t t o
¸ ¸
=
t
xy
=t
yx
t
xz
=t
zx
t
yz
=t
zy
¸
xy

yx
¸
xz

zx
¸
yz

zy
Prof. J oão Pombo 31 MM2 – Métodos Energéticos
Tensor das Extensões
Estado de Tensão Plana
xx xy
yx yy
0
0
0 0 0
c ¸ (
(
c ¸ c
(
(
¸ ¸
=
Estado de Extensão Plana
xx xy
yx yy
0
0
0 0 0
o t (
(
o t o
(
(
¸ ¸
=
c
xx
¸
xy
c
yy
¸
yx
c
xx
¸
xy
c
yy
¸
yx
o
xx
t
xy
o
yy
t
yx
o
xx
t
xy
o
yy
t
yx
Prof. J oão Pombo 32 MM2 – Métodos Energéticos
Deformação Uniaxial
Estado de Deformações
Tensões normais aplicadas apenas numa das faces do
cubo elementar
Tensor de
Tensões
xx
0 0
0 0 0
0 0 0
o (
(
o
(
(
¸ ¸
=
o
x
o
x
Tensor de
Extensões
xx
0 0
0 0 0
0 0 0
(
(
(
(
¸ ¸
ε
ε =
Prof. J oão Pombo 33 MM2 – Métodos Energéticos
Lei de Hooke Generalizada
Prof. J oão Pombo 34 MM2 – Métodos Energéticos
Lei de Hooke Generalizada
 Se um dado volume material com comportamento
linear elástico for submetido a um estado triaxial de
tensões, originam-se deformações normais.
 As deformações são relacionadas através do
coeficiente de Poisson
;
x y x z
c v c c v c = ÷ = ÷
y
transversal z
axial x x
c
c c
v
c c c
= = ÷ = ÷
Prof. J oão Pombo 35 MM2 – Métodos Energéticos
Lei de Hooke Generalizada
 Mas a aplicação da tensão o
yy
provoca uma contração
na direção x
 Também a aplicação da tensão o
zz
provoca uma
contração na direção x
Prof. J oão Pombo 36 MM2 – Métodos Energéticos
Carregamento Multiaxial
As componentes de extensão resultantes
das componentes de tensão axial podem
ser determinadas pelo princípio da
sobreposição. Para isso, é necessário:
1) A extensão seja linearmente
relacionada com a tensão
2) As deformações sejam pequenas






y x z
x
y x z
y
y x z
z
E E E
E E E
E E E
¦
= + ÷ ÷
¦
¦
¦
= ÷ + ÷
´
¦
¦
= ÷ ÷ +
¦
¹
v o o v o
c
o v o v o
c
v o v o o
c
Prof. J oão Pombo 37 MM2 – Métodos Energéticos
Coeficiente Poisson para carregamento
multiaxial
Variação do volume em todas as direções
Para materiais homogéneos e Isotrópicos
( )
( )
( )
1

1

1

xx xx yy zz
yy yy zz xx
zz zz xx yy
E
E
E
¦
( = ÷ +
¦ ¸ ¸
¦
¦
( = ÷ +
´
¸ ¸
¦
¦
( = ÷ +
¦ ¸ ¸
¹
c o v o o
c o v o o
c o v o o
Carregamento Multiaxial
Prof. J oão Pombo 38 MM2 – Métodos Energéticos
Distorção – Extensões de Corte
Um elemento cúbico sujeito a tensões de
corte vai-se deformar num rombóide.
As extensões de corte correspondentes
são quantificadas em termos da variação
angular entre lados.
( )
xy xy
f = t ¸
Prof. J oão Pombo 39 MM2 – Métodos Energéticos
Distorção – Extensões de Corte
Um gráfico de tensão de corte vs. extensão
de corte é semelhante a um gráfico de
tensão normal vs. extensão normal, sendo
que a diferença está em que os valores de
rigidez são aproximadamente metade.
Para pequenas extensões tem-se:
G : Módulo de elasticidade transversal
(modulus of rigidity / shear modulus)

xy xy yz yz zx zx
G G G = = = t ¸ t ¸ t ¸
Prof. J oão Pombo 40 MM2 – Métodos Energéticos
Relação entre E, G e v
Uma barra carregada axialmente
vai alongar na direção axial e
contrair nas direções
transversais.
Um elemento cúbico inicial
orientado como na figura vai
deformar-se num paralelepípedo
retangular.
O carregamento axial produz uma
extensão normal.
Prof. J oão Pombo 41 MM2 – Métodos Energéticos
Relação entre E, G e v
Se o elemento cúbico estiver
orientado como na segunda
figura, vai-se deformar num
rombóide.
O carregamento axial também
resulta em extensões de corte.
As componente s das extensões
normais e de corte são
relacionadas pela expressão:
( ) 1
2
E
G
= +v
Prof. J oão Pombo 42 MM2 – Métodos Energéticos
Lei de Hooke para Tensões de Corte

xy
xy
G
=
t
¸
yz
yz
G
=
t
¸
zx
zx
G
=
t
¸
( )
| | Pa
E
G =
2 1+ ν
G : Módulo Elasticidade Transversal
(Modulus of Rigidity / Shear Modulus)
Prof. J oão Pombo 43 MM2 – Métodos Energéticos
Lei de Hooke Generalizada
 As equações anteriores podem ser
colocadas na seguinte forma matricial
Prof. J oão Pombo 44 MM2 – Métodos Energéticos
Energia Elástica de Deformação
Prof. J oão Pombo 45 MM2 – Métodos Energéticos
Definições
Energia Elástica de Deformação
A Energia é definida como a capacidade de realizar
Trabalho
Trabalho = Força x Deslocamento
Trabalho Interno = Tensão x Área x Deformação
Energia Elástica de Deformação:
 Representa o Trabalho Interno armazenado nos
Corpos Elásticos
 Representa a capacidade do Material Absorver ou
Armazenar Energia sem entrar em Deformação
Permanente
Prof. J oão Pombo 46 MM2 – Métodos Energéticos
Principio da Conservação de Energia
Energia Elástica de Deformação
Numa estrutura, a Energia Elástica da Deformação (U) é
igual ao Trabalho (W) realizado pelas Solicitações
Externas Aplicadas (P)
e
U = W
Trabalho Realizado pelas Solicitações Externas

P
0
dP A
} e
W =
Prof. J oão Pombo 47 MM2 – Métodos Energéticos
Trabalho devido à Aplicação de uma Carga Única P
Energia Elástica de Deformação
1
2
P.x
e
W =
Trabalho devido à Aplicação de um Momento Flector M
1
2
M.u
e
W =
Trabalho devido à Aplicação de um Momento Torsor T
1
2
T.¢
e
W =
Prof. J oão Pombo 48 MM2 – Métodos Energéticos
Energia Elástica de Deformação

V
dV +
}}} 0 σ τ
U = U = U U

V
dV +
}}}
2
τ T V
τ
U = U U =
2G
Energia devido a Tensões de Corte
Energia Elástica da Deformação

V
dV +
}}}
2
σ N M
σ
U = U U =
2E
Energia devido a Tensões Normais
Prof. J oão Pombo 49 MM2 – Métodos Energéticos
Energia Elástica de Deformação
Energia Elástica por Unidade de Volume

V
dV
}}} 0
U = U
( )
2 2 2
1 2 3 1 2 2 3 3 1
1
2
2 E
( o + o + o ÷ v o o + o o + o o
¸ ¸
0
U =
( )
xx xx yy yy zz zz xy xy yz yz zx zx
1

2
o c + o c + o c + t ¸ + t ¸ + t ¸
0
U =
ij ij
1

2
o c
0
U =
Prof. J oão Pombo 50 MM2 – Métodos Energéticos
Densidade de Energia de Deformação

0
d
c
c
} x
u = σ
A Densidade de Energia de Deformação é dada pela
área por baixo da curva do gráfico (o,c)
Apenas a Energia Elástica de Deformação é recuperada
A energia gasta na deformação plástica do material é
dissipada por calor
o
Ced
o
c
Energia
Dissipada
(Calor)
Energia
Recuperada
(Elástica)
Prof. J oão Pombo 51 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 1
a) Utilizando os métodos energéticos e o principio de
conservação de energia, determine o deslocamento de
uma barra elástica de secção constante A sujeita à acção
de uma força axial N
b) Compare o resultado com o valor obtido através da lei
de Hooke
z
N
N
Prof. J oão Pombo 52 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 1 – Resolução
a) Métodos energéticos
1
2
P.o
e
W =
;
V
dV = =
}
2 2 2
N σ σ A.L P L
σ = U =
A 2E 2E 2EA

;

=
e
P L
U = W δ
E A
b) Lei Hooke
. ; ;
N
σ = E ε = ε = ε =
A L E
o o

L P L
= =
E E A
o
o
Prof. J oão Pombo 53 MM2 – Métodos Energéticos
Componentes da Energia Elástica
Esforço Axial


L
0
dz
}
2
N
N
U =
2 E A
z
N
N
z
N
N
. ±
N
σ = E ε =
A
Prof. J oão Pombo 54 MM2 – Métodos Energéticos
Momento Torsor


L
0
dz
}
2
T
T
U =
2 G J
x
z y
T
T
Componentes da Energia Elástica
Momento Polar de Inércia – J [m
4
]
4 4
π π
J = r = d
2 32
( )
÷
4 4
Ext Int
π
J = r r
2
T . r
τ =
J
Prof. J oão Pombo 55 MM2 – Métodos Energéticos
Momento Flector

L
0
dz
}
2
M
M
U =
2 E I
Componentes da Energia Elástica
x
z y
M
M
x
z
y
M
x
x
xx
M . y
σ =
I
Prof. J oão Pombo 56 MM2 – Métodos Energéticos
Esforço Transverso

dz
o
}
2
L
V
0
V
U =
2 G A
Componentes da Energia Elástica
x
z y
V
V

A
dA o
}}
2
2 2
A Q
=
I b
Coeficiente de Forma de Corte
' ' Q = y A
1º Momento Área (m
3
)
V Q
τ =
I t
Prof. J oão Pombo 57 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 2
Considerando apenas as tensões normais devido à
flexão, determine a energia de deformação da viga
Prof. J oão Pombo 58 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 2 – Resolução
 a) Determinar as reacções nos apoios
 b) Calcular o diagrama de esforços
y y
P.b P.a
A ; B
L L
= =
c) Integrar no volume para obter a energia deformação U
( )
I II II´
P.b P.b P.a
M x ; M x P x a ; M x´
L L L
÷ ÷ = = =
2 2 2

6
a b
´
0 0
P .a .b
dx dx
E I L
' + =
} }
2 2
I II
M
M M
U = U =
2 E I 2 E I
Prof. J oão Pombo 59 MM2 – Métodos Energéticos
Solicitações por Impacto
Prof. J oão Pombo 60 MM2 – Métodos Energéticos
Solicitações por Impacto
Considere uma
estrutura que é sujeita
ao impacto de um
corpo de massa m que
se desloca com
velocidade V
0
A estrutura deforma-
se devido ao impacto
As temões atingem um
valor máximo o
max
e
depois desaparecem
Prof. J oão Pombo 61 MM2 – Métodos Energéticos
Solicitações por Impacto
1) Assume-se que existe conservação de energia e que a
estrutura não entra em deformação plástica, logo,
considera-se que toda a Energia Cinética U
C
e Potencial
U
P
é transferida para a estrutura
Determinar Tensões Máximas resultantes do Impacto
2
C
1
U = m v
2 P
U = m g h
Int Ext
U = U
2) Através do principio de conservação de energia,
calcular as tensões internas resultantes do impacto
+
Ext C P
U = U U
+
Int σ τ
U = U U
Prof. J oão Pombo 62 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 3
Determine a tensão normal máxima na barra quando esta
é sujeita ao impacto de um corpo de massa m que se
desloca com velocidade V
0
Prof. J oão Pombo 63 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 3 – Resolução
Calcular a Energia Cinética U
C
e Potencial U
P
que é
transferida para a estrutura
Por conservação de energia, calcular a carga P que
produz a mesma energia elástica de deformação que o
impacto do corpo
+
2 2
Ext C P
1 1
U = U U = m v + 0 = m v
2 2
Int Ext
U = U
+ =
Int σ τ N
U = U U U



L
0
dx
}
2 2 2 2
N
N N L 2 N L 2 5 N L
U = = + =
2 E A 2 E A 2 E 4A 16 E A
2
0
m V E 8
5 A L
Max CD
N
σ = σ = =
A
Prof. J oão Pombo 64 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 4
Determine a tensão normal máxima na barra quando esta
é sujeita ao impacto de um corpo de peso W que é
largado de uma altura h
Prof. J oão Pombo 65 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 4 – Resolução
Energia Cinética e Potencial transferida para a estrutura
Por conservação de energia, calcular a carga P que
produz a mesma energia elástica de deformação
Ext C P
U = U + U = 0 + W h = W h
Int Ext
¬ =
3
6 E I W h
U = U P
L
+ =
Int σ τ M
U = U U U
÷ ¬
2
B
Max B Max
M . y 6 E W h y
M = M = P L σ = =
I I L


L
0
dx ÷ ¬
}
2 2 3
M
M P L
M = P x U = =
2 E I 6 E I
Prof. J oão Pombo 66 MM2 – Métodos Energéticos
Teoremas de Castigliano
Prof. J oão Pombo 67 MM2 – Métodos Energéticos
1º Teorema de Castigliano
A Energia Potencial Total H de um sistema é dada por:
H + O = U
Onde:
U: Energia Elástica da Deformação
O: Potencial de Forças do Sistema
No Equilíbrio, a Energia Potencial do Sistema é
Estacionária e dada por:
( ) δ Π = δ U + Ω = 0
Traduzindo-se no Principio da Energia Potencial Mínima
É válido apenas para sistemas lineares elásticos e
conservativos
1

N
i i
i=
÷ ¿ Ω = P Δ
Prof. J oão Pombo 68 MM2 – Métodos Energéticos
1º Teorema de Castigliano
Para que exista equilíbrio, a 1ª variação da energia
potencial total tem de ser nula, ou seja:
Então obtém-se o 1º Teorema de Castigliano:
c
c
i
i
U
= P
Δ
Permite calcular as cargas aplicadas na estrutura a partir
da energia elástica e da deformação existente
δ Π = 0
Prof. J oão Pombo 69 MM2 – Métodos Energéticos
2º Teorema de Castigliano
O 2º Teorema de Castigliano só é válido para estruturas
lineares elásticas e demonstra-se que:
c
c
i
i
U
= Δ
P
Permite calcular as deformações (deslocamentos ou
rotações) na estrutura a partir da energia elástica e das
cargas aplicadas (forças ou momentos)
Prof. J oão Pombo 70 MM2 – Métodos Energéticos
2º Teorema de Castigliano
c
c
i
i
U
= Δ
P
Só se podem calcular deformações A nos pontos i da
estrutura onde existem cargas pontuais P aplicadas
Caso não existam cargas pontuais no ponto a estudar:
 a) Coloca-se uma carga fictícia P
0
nesse ponto
 b) Calcula-se a energia elástica total U da estrutura
considerando também a carga fictícia P
0
 c) Faz-se a derivada de U em ordem à carga fictícia P
0
 d) Iguala-se a carga fictícia a zero (P
0
=0) para obter a
deformação no ponto que se pretende estudar
MUITO IMPORTANTE
Prof. J oão Pombo 71 MM2 – Métodos Energéticos
Revisão de Derivadas
( )

' n n-1
a u = n a u
Polinómios
c c c
c c c
u u y
=
x y x
Regra da Cadeia
Prof. J oão Pombo 72 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 5
Calcular o deslocamento máximo da viga
A
B
P
L
Prof. J oão Pombo 73 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 5 – Resolução
Cálculo da Energia Elástica da Deformação:


L
0
dx ÷ ¬
}
2 2 3
M P L
M = P x U = =
2 E I 6 E I
+ =
σ τ M
U = U U U
Aplicando o 2º Teorema de Castigliano, obtém-se:
c
c
3
A
A
U P L
Δ = =
P 3 E I
Prof. J oão Pombo 74 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 6
Calcular o deslocamento máximo da viga
A
B
L
q
Prof. J oão Pombo 75 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 6 – Resolução (1/2)
1) Aplicar uma carga fictícia P
0
no ponto A
A
B
P
0
L
q
2) Calcular a Energia Elástica da Deformação:

L
0
dx ÷ ÷ ¬
}
2 2
0
x M
M = P x q U =
2 2 E I
+ =
σ τ M
U = U U U
Prof. J oão Pombo 76 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 6 – Resolução (2/2)

L
0
dx
c c c c
c c c c
} A
0 0 0
U U M M M
Δ = = =
P M P E I P
3) Aplicar o 2º Teorema de Castigliano com Regra da
Cadeia
( )
L
0
dx
| |
÷ ÷ ÷
|
\ .
}
2
A 0
1 x
Δ = P x q x
E I 2
4) Igualar a carga fictícia a zero (P
0
=0) e obter a
deformação no ponto A


L L
0 0
dx dx
| |
|
\ .
} }
3 4
3
A
1 x q q L
Δ = q = x =
E I 2 2E I 8E I
Prof. J oão Pombo 77 MM2 – Métodos Energéticos
2º Teorema de Castigliano – Resumo
Energia Elástica de Deformação
1
L L L L m
i
j 0 0 0 0
i i i i i
dx dx dx dx
=
| | c c c o c c
+ + +
|
c c c c c
\ .
¿ } } } }
U N N M M V V T T
Δ = =
P EA P EI P GA P GJ P
+ + + +
σ τ N M V T
U = U U = U U U U
Cálculo de Deslocamentos
Onde:
m: Número de Elementos e/ou Troços da Estrutura
Prof. J oão Pombo 78 MM2 – Métodos Energéticos
2º Teorema de Castigliano – Resumo
Cálculo de Rotações (Flexão)
1
L L L L m
i
j 0 0 0 0
i i i i i
dx dx dx dx
=
| | c c c o c c
+ + +
|
c c c c c
\ .
¿ } } } }
U N N M M V V T T
= =
T EA T EI T GA T GJ T
|
Cálculo de Rotações (Torção)
1
L L L L m
i
j 0 0 0 0
i i i i i
dx dx dx dx
=
| | c c c o c c
= = + + +
|
c c c c c
\ .
¿ } } } }
U N N M M V V T T
θ
M EA M EI M GA M GJ M
Onde:
m: Número de Elementos e/ou Troços da Estrutura
Prof. J oão Pombo 79 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 7
Considere a treliça representada na figura (E = 73 GPa)
Determine a deflexão vertical da rótula C provocada pela
acção da carga P
Prof. J oão Pombo 80 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 7 – Resolução (1/3)
Numa Treliça, como os elementos estão ligados por
rótulas, as barras só se encontram sujeitos a esforços
normais (tracção ou compressão)
1) Aplicar uma carga fictícia Q na rótula C
2) Calcular as reacções nos apoios
3
3
3
0 075 105 10
0 40 10
0 075 105 10
x x
y y
A x
F A . Q
F A Q
M B . Q
¦ = = ÷ ÷ × ¦
¦ ¦
= · = + ×
´ ´
¦ ¦
= = + ×
¹
¹
¿
¿
¿
Prof. J oão Pombo 81 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 7 – Resolução (2/3)
3) Aplicar o método dos nós para calcular os esforços
normais em cada barra
4) Aplicar o 2º Teorema de Castigliano
( )
7
1
L
C
j 0
dx
=
c c | |
=
|
c c
\ .
¿ }
U N N 1
y = = 4306P +4263Q
Q EA Q E
Prof. J oão Pombo 82 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 7 – Resolução (3/3)
5) Igualar a carga fictícia a zero (Q = 0) e obter a
deformação no ponto C
236
C
. mm y =
Prof. J oão Pombo 83 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 8
Considere a viga representada na figura
Determine as reacções nos apoios utilizando o 2º
teorema de Castigliano
Considere apenas a contribuição das tensões normais
A C
L
q
L/2
B
Prof. J oão Pombo 84 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 8 – Resolução (1/3)
Trata-se de um problema hiperestático (grau 1)
Assim, para se aplicar o 2º Teorema de Castigliano,
considera-se uma das reacções como fictícia e elimina-se
esse apoio
Neste caso escolhemos, por exemplo, a reacção By como
fictícia
Portanto, a equação adicional para calcular as reacções
nos apoios é dada pela condição fronteira:
0
c
c
B
y
U
y = =
B
+
σ N M
U = U = U U
Considerando apenas a contribuição das tensões
normais
Prof. J oão Pombo 85 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 8 – Resolução (2/3)
1) Considerar a reacção By como fictícia
2) Calcular as reacções nos apoios
0
0
3 1
0
4 3
0
3 2
4 3
x
x
y y y
A
y y
C
F
F A qL B
M
C qL B
¦
¦ =
= ¦
¦
¦ ¦
= · = ÷
´ ´
¦ ¦
=
¹
¦
= ÷
¦
¹
¿
¿
¿
3) Calcular os diagramas de esforços normais e de
momentos flectores
2 2
0 0
;
3 1 3 2
4 3 2 4 3 2
A B C B
A B y C B y
N N
A B C B
qx qx
M qL B x M qL B x
÷ ÷
÷ ÷
= = ¦ ¦
¦ ¦
÷ ÷ ' ´ ´ | | | |
' = ÷ ÷ = ÷ ÷
| | ¦ ¦
\ . \ . ¹ ¹
Prof. J oão Pombo 86 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 8 – Resolução (3/3)
4) Aplicar o 2º Teorema de Castigliano
2
1
L L
j 0 0
dx dx
=
| |
c c c
+
|
|
c c c
\ .
¿ } } B
y y y
U N N M M
y = =
B EA B EI B
3
4
11 1
192 18
y
B L
qL
EI EI
÷ +
B
y =
5) Calcular a reacção no apoio B pela condição fronteira
33
0
32
y
B qL ¬ =
B
y =
6) Calcular as restantes reacções
13 1
;
32 16
y y
A qL C qL = =
Prof. J oão Pombo 87 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 9
Um bloco de massa 80 kg é largado do repouso a uma
altura h = 40 mm até embater no centro C da viga (E = 70
GPa) de secção (40x40) mm e L = 1 m. Considerando
apenas a contribuição das tensões normais, determine:
a) A deformada máxima no ponto C
b) A tensão máxima na viga
A B
L
h
C
Prof. J oão Pombo 88 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 9 – Resolução (1/5)
Por conservação de energia, a energia externa é
transferida para a viga (Energia interna)
Pretende-se então calcular carga P que produz a mesma
energia elástica de deformação que o impacto do corpo

+ ¦
¬
´
¹
Int σ τ
Int Ext
Ext C P
U = U U
U = U
U = U + U
A B
P
C
Prof. J oão Pombo 89 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 9 – Resolução (2/5)
1) Considerar a carga P aplicada no ponto C
2) Calcular as reacções nos apoios
0
0
0
2
0
2
x
x
y y
A
y
A
F
P
F A
M
P
B
¦
¦ =
= ¦
¦
¦ ¦
= · =
´ ´
¦ ¦
=
¹
¦
=
¦
¹
¿
¿
¿
3) Calcular os diagramas de esforços normais e de
momentos flectores
0 0
;
2 2
A C B C
A C B C
N N
A C B C
P P
M x M x
÷ ÷
÷ ÷
= = ¦ ¦
¦ ¦
÷ ÷
´ ´
' = =
¦ ¦
¹ ¹
Prof. J oão Pombo 90 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 9 – Resolução (3/5)
4) Calcular a Energia Elástica de Deformação (Interna)
2 2 2 2


L L L L
0 0 0 0
dx dx dx dx ' ' + + +
} } } }
2 2 2 2
Int
N M N M
U =
2 E A 2 E I 2 E A 2 E I
2
2 2



L L
A C B C
0 0
dx dx
÷ ÷
' + =
} }
2 2 3
Int
M M 1 P L
U =
2 E I 2 E I 96 E I
5) Calcular a Energia Externa
( )
Ext C
U = m g h + y
6) Aplicar o Principio de Conservação de Energia
( ) | |
2

1

¬ =
3
Int Ext C
1 P L
U = U m g h + y
96 E I
Prof. J oão Pombo 91 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 9 – Resolução (4/5)
7) Necessitamos de uma equação adicional, portanto
vamos aplicar o 2º Teorema de Castigliano
2 2

L L
A C A C B C B C
0 0
dx dx
÷ ÷ ÷ ÷
c c c
' +
c c c
} } C
M M M M U
y = =
P EI P EI P
| | 2
3
C
P L
y =
48 E I
8) Conjugando as equações [1] e [2], obtém-se:

¦
´
¹
B
y = 0.0105 m
P = 7539 N
Prof. J oão Pombo 92 MM2 – Métodos Energéticos
Exercício 9 – Resolução (5/5)
b) Calculo da tensão máxima na viga
z
x y
M
M
z
xx
zz
M . y
σ =
I
Max
σ = 176.7 MPa
3
4
20
1
12
Max
Max
PL
M
y mm
I bh
¦
=
¦
¦
=
´
¦
= ¦
¹
Prof. J oão Pombo 93 MM2 – Métodos Energéticos
Exercícios