1

Conhecimentos básicos de administração
(conceitos, funções básicas da administração, natureza e finalidade);
1. Conceitos
2. Histrico
!. "unções
#. $atureza
%. "inalidade
&. 'eoria (eral da )dministração
Conceito é a ci*ncia social que estuda e sistematiza as práticas usadas para administrar.
Administração  latim ad = direção, tendência. Ministratione = subordinação, obediência.
Ato de administrar ou gerenciar ne+cios, ,essoas ou recursos, com o objetivo de alcançar metas definidas.
Administração é o processo de - lane.ar , / r+anizar , 0 iri+ir e C ontrolar o uso dos recursos a fim de
alcançar os objetivos. -/0C
uma atividade !"#$.
A tarefa da administração é a de fazer as coisas, por meio das pessoas, de maneira eficiente e eficaz.
1feti2o /bj % 3ec.
1ficaz &ealização de /bjetivo.
1ficiente  !ais produtivo usando menos 3ecursos.
Histrico
A necessidade de organizar os estabelecimentos nascidos com a &evolução #ndustrial, ocorrida na #nglaterra
em meados do 'éculo (#(, levou profissionais de outras áreas mais antigas, a e)emplo da "ngen*aria, a buscar
soluç+es espec,ficas para problemas que não e)istiam antes. Assim, a aplicação de métodos de ciências diversas,
para administrar estes empreendimentos, deu origem aos rudimentos da -iência da Administração.
'éculo (.### / engen*eiros.
0enri 1a2ol foi o primeiro a definir as funç+es básicas do Administrador3 prever, organizar, coordenar,
comandar e controlar 45$---6.
Além de 1a2ol, 1rederic7 8a2lor, 0enr2 1ord 41ordismo6 e !a) 9eber 4teoria da :urocracia6 contribu,ram,
com teorias, nos prim;rdios da Administração.
'a4lor 4focado na organização das tarefas dos operários6 = 8eoria adm -ient,fica. 'a2lor = 'arefa
"a4ol 4focado na estrutura organizacional6 = 8eoria da Adm -lássica. "a2ol = 1strutura.
Cientifica = estudo tempo movimento.
Clássica
Antes = planejar, organizar, comandar, coordenar<dirigir e controlar. 5$---.
0oje = planejar, organizar, dirigir<e)ecutar e controlar. =niram comandar e coordenar pois as duas funç+es
tem o mesmo objetivo.
Atualmente, sobretudo, com as contribuiç+es da )borda+em $eoclássica da )dministração, em que um dos
maiores nomes é -eter 0ruc5er, os princ,pios foram retrabal*ados e são con*ecidos como 5lanejar, $rganizar,
>irigir e -ontrolar 4-/0C6.
0á autores que consideram a Administração uma área interdisciplinar do con*ecimento, uma vez que se
utilizaria de métodos e saberes de diversas ciências, como -ontabilidade, >ireito, "conomia, 1ilosofia,
5sicologia, 'ociologia, etc.
2
-eter 0ruc5er ? 8eoria @eoclássica 4 Administração por $bjetivos6
1arnest )cher ? 8eoria da !otivação #ntr,nseca 4engloba as teorias da *ierarquia das necessidades de
!asloA e da motivação?*igiene de 0erzberg6
Herbert Simon - Conceito de racionalidade em seis tipos (objetiva, subjetiva, consciente, deliberada,
organizada, pessoal)
6ose,h $e7man ? 8eoria @eoclássica 4 Algumas -aracter,sticas... 'er racional e social voltado para o
alcance de objetivos individuais e organizacionais, ecletismo de conceitos, ênfase na departamentalização6
"rederic5 'a4lor ? 8eoria -lássica 4Administração -ient,fica? ênfase nas tarefas6
"unções
"unções )dministrati2as8
♠ 1i)ar objetivos 4planejar6B
♠ Analisar3 con*ecer os problemasB
♠ 'olucionar problemasB
♠ $rganizar e alocar recursos 4recursos financeiros e tecnol;gicos e as pessoas6B
♠ -omunicar, dirigir e motivar as pessoas 4liderar6B
♠ @egociarB
♠ 8omar as decis+es 4rápidas e precisas6B
♠ !ensurar e avaliar 4controlar6.
"unções do )dministrador8
-/0C
-lanejar  adm pensa antecipadamente nas aç+es, objetivos e metas.
/rganizar  arrumar e alocar o trabal*o, recursos e autoridades. 5ara alcançar diferentes objetivos com
eficiência.
0irecionar ou -oordenar  preenc*imentos dos cargos, comunicação, liderança e motivação do pessoal.
>irecionar para um objetivo.
Controlar  >efinição de padr+es para medir desempen*o, corrigir desvio ou discrepCncia e garantir que o
planejamento seja alcaçado.
! 'i,os de -lane.amento 3
5lanejamento 1strat9+ico  &umo da organização e de seus componentes. Analisar os bons !ercados de
atuação e os ruins.
5lanejamento 'ático  analisa alternativas D realização da missãoB os resultados normalmente são alvos de
oportunidade dentro da indEstria ou do mercado.
5lanejamento /,eracional  planejamento do dia?a?dia, direciona cronogramas espec,ficos e alvos
mensuráveis.
0ireção3
Flobal  abrange toda a organização.
>epartamental  a unidade da empresa.
$peracional  abrange as pessoas e suas tarefas.
3
"lementos do Controle3
G. "stabelecer padr+es do desenvolvimento.
H. !edir o desempen*o atual.
I. -omparar o desempen*o atual com os padr+es estabelecidos.
J. -aso de desvio e)ecutar aç+es corretivas.

:issão8 é uma orientação atemporal. a razão de ser, o porquê de a organização e)istir. "mbora seja uma
orientação atemporal, algumas organizaç+es precisam rever a sua missão com o passar do tempo, pois as
organizaç+es precisam alin*ar sua razão de e)istir Ds mudanças globaisB
;isão3 é uma orientação temporal. onde a organização quer c*egar, denota um modelo mental 4não é
concreto6 de um estado ou situação desejável.
.isão e missão devem estar em consonCncia. Ambas são abstratas.
C<='<3) (;alores)
-onjunto princ,pios, ou crenças, que servem de guia, ou critério, para os comportamentos, atitudes e decis+es de
todas e quaisquer pessoas, que no e)erc,cio das suas responsabilidades, e na busca dos seus objetivos, estejam
e)ecutando a !issão da organização.
:>??@/ (-resente)
-onsiste na declaração da razão de ser da instituição, e)plicitando o que faz e para que faz.
;>?@/ ("uturo)
5erfil daquilo que a empresa pretende se tornar quando intenç+es, esforços, recursos e projetos se tornarem
realidade, por construção conjunta.
)) :1')8 são desdobramentos dos objetivos.
A) $1(BC>/8 o ramo de atuação da organização, delimita o campo em que ela estará desenvolvendo suas
atividades. "stá muito ligado ao tipo de produto ou serviço que a organização oferece.
C) ;>?@/ 01 "<'<3/3 &epresenta onde a organização quer c*egar, transmitindo uma noção de direção.
")emplos de visão3
&eceita 1ederal3 K'er uma instituição de e)celência em administração tributária e aduaneira, referência nacional
e internacionalL.
8-=3 K'er instituição de e)celência no controle e contribuir para o aperfeiçoamento da administração pEblicaL.
0) /A61'>;/8 são resultados fi)ados para que a organização possa atingir em um determinado prazo
1) :>??@/8 M uma declaração de prop;sito ampla e duradoura que individualiza e distingue o neg;cio e a
razão de ser da organização em relação a outras do mesmo tipoM. ")emplos3
&eceita 1ederal do :rasil3 K")ercer a administração tributária e o controle aduaneiro, com justiça fiscal e respeito
ao cidadão, em benef,cio da sociedadeL.
8-= / KAssegurar a efetiva e regular gestão dos recursos pEblicos, em benef,cio da sociedadeL.
4
$atureza
5odemos dizer que os princ,pios clássicos que regem a administração pEblica / im,essoalidade, hierarCuia,
re+ras estabelecidas etc./ apresentam?se de forma distinta em cada ambiente cultural tratado3
1.(o2ernamentais  têm o objetivo de atender as necessidades pEblicas e de gerir o funcionamento do
"stado. -omo necessidades e prioridades são definidas a partir do jogo pol,tico de forças da sociedade.
2.-ri2adas com fins de lucro  "mpresas privadas são caracterizadas por atender as necessidades de grupos
de consumidores, estando inseridas num conte)to maior ou menor de competição em mercados. #sto faz com que
ten*am que estar organizadas a partir da idéia de conquistar um lugar no mercado em meio a outras empresas que
oferecem produtos ou serviços, de certa forma, semel*antes. Nuanto maior a competitividade do setor, mais
precisam estabelecer estratégias de diferenciação perante os consumidores, responder Ds iniciativas da
concorrência e antecipar?se, captando tendências de futuro. $ plano cultural irá caracterizar tanto sua atuação no
mercado quanto sua relação com a sociedade em geral, especialmente nas relaç+es de trabal*o e na influência
que e)ercem junto a pol,ticas de caráter pEblico.
!.-ri2adas sem fins lucrati2os  Cmbito da sociedade civil, onde o aspecto pol,tico tem papel de destaque.
'ão pautadas por interesses que podem variar desde um conjunto de membros 4um sindicato, por e)emplo6 até
propostas mais amplas de transformação social 4o caso das ongs6, passando pelas propostas de assistência aos
carentes 4entidades beneficentes6. 'ua atuação diz respeito a atingir fins pEblicos, a partir da utilização de
recursos privados e pEblicos. $ ambiente cultural irá condicionar seus objetivos e as estratégias para realizá?los.
"inalidade
@ão se deve confundir a gerência de uma casa ou da vida pessoal, que tem sua arte pr;pria, porém emp,rica,
com a administração de uma instituição. A gerência corporativa requer con*ecimento e aplicação de diversos
modelos e técnicas administrativas, ao passo que a gerência pessoal pode ser feita por pessoas sem qualificaç+es
adicionais.
-omo e)emplo de dependência da -iência da Administração, para funcionar de forma empresarial, estão as
#nstituiç+es de 0ireito -Dblico ou >nstituições de 0ireito -ri2ado, criadas, respectivamente, para finalidades
sociais ou fins lucrati2os.
'eoria (eral da )dministração E 'C)
8FA = é o conjunto de con*ecimentos a respeito das organizaç+es e do processo de administrá?las, sendo
composta por princ,pios, proposiç+es e técnicas em permanente elaboração.
A 8eoria Feral da Administração começou com a Mênfase nas tarefasM, na )dministração CientFfica de
8a2lor.
A seguir, a preocupação básica passou para a Mênfase na 1?'3<'<3)M com a 'eoria Clássica de 1a2ol, e
com outros princ,pios como o "ordismo de 0enr2 1ord e a 'eoria Aurocrática de !a) 9eber, seguindo?se
mais tarde a 8eoria "struturalista.
A &eação 0uman,stica surgiu com a Mênfase nas -1??/)?M, por meio da 'eoria Com,ortamental e pela
'eoria do 0esen2ol2imento /r+anizacional 4>$6.
A Mênfase no ):A>1$'1M surgiu com a 8eoria dos 'istemas, sendo completada pela 'eoria da
Contin+*ncia. "sta, posteriormente, desenvolveu a Mênfase na '1C$/=/(>)M.
-ada uma dessas cinco variáveis ? 8A&"1A', "'8&=8=&A, 5"''$A', A!:#"@8" e 8"-@$O$F#A ?
provocou a seu tempo uma diferente teoria administrativa, marcando um gradativo passo no desenvolvimento da
8FA.
5
-ada teoria procurou privilegiar ou enfatizar uma dessas cinco variáveis, omitindo ou relegando a um plano
secundário todas as demais.
8eoria -ientifica 
8eoria -lássica 