You are on page 1of 6

Resumo do Livro Que é a filosofia antiga

Por PIERRE HADOT
A filosofia antes da filosofia,a filosofia surgiu apenas no século
V a.C., e o termo só foi definido filosoficamente no século IV a.C.
por Platão,contudo,Aristóteles e, com ele,toda a tradição da
historia da filosofia consideram os primeiros filósofos gregos que
apareceram no século VI,na periferia da zona de influência
grega,nas colônias da Ásia Menor,exatamente na cidade de
Mileto:Tales,depois Anaximandro e
Anaxímenes,Pitágoras,Parmênides e Empédocles.
Todos esses pensadores propõem uma explicação racional do
mundo, e isso e uma reviravolta decisiva na historia do
pensamento. Já existiam cosmogonias antes deles,no Oriente
Médio e na Grécia Arcaica.Eles propõem uma teoria da origem
do mundo,do homem e da cidade.Essa teoria é racional porque
procura explicar o mundo não por uma luta entre elementos,mas
por uma luta entre realidades ‘’físicas’’ e a predominância de
uma sobre as outras.
A Paidéia
Pode-se falar também filosofia antes da filosofia a propósito
de outra corrente do pensamento grego pré-socrático: referi-me
às práticas e teorias que se reportam a uma exigência
fundamental da mentalidade grega,o desejo de formar e educar,
o daquilo que os gregos denominavam Paidéia.
Os Sofistas Século V
Com o desenvolvimento da democracia ateniense no século
V,toda atividade intelectual que se disseminara nas colônias
gregas da Jônia,da Ásia menor e do sul da Itália fixa-se em
Atenas. Pensadores,Sábios e Professores afluem para essa
cidade.Os famosos ‘’sofista’’ do século V são muitas vezes
estrangeiros.
O surgimento da noção filosófica
A partir do momento em que o homem passou a questionar o
por quê de sua existência e do mundo, este já estava
caminhando para o filosofar, no entanto, o mérito do surgimento
e nascimento da filosofia deve-se aos gregos; pois estes foram os
precursores nas investigações cientificas que antes eram
explicadas por antigas construções mitológicas.
Há a incerteza com relação ao caráter do surgimento da filosofia.
Visto que há historiadores que defender o seu surgimento por
parte do orientalismo, todavia, o ocidentalismo é bem mais
aceito em nossa sociedade, pois foram estes que importaram um
plano sistemático e mais detalhado sobre as investigações
filosóficas.
Os poemas exerceram grande influência no pensar dos gregos,
através destas obras eram transmitidos, juntamente com a
mitologia, os fatos históricos e os modos de pensar da sociedade
exigente. Um exemplo disto está nos relatos de Homero, nos
escritos de Ilíada e Odisséia, que narram conflitos que
transformaram a vida do homem grego. O período homérico, ou
a epopéia homérica foram de grande valia para proporcionar
uma visão panorâmica da Grécia. O que permitiu compreender
em partes alguns dos fatores que levaram ao surgimento de
filosofia. As primeiras noções filosóficas são vistas nas obras
deste grande escritor.
Noções da areté eram apresentadas já nestes escritos, mas com
uma visão não tão estritamente de cunho exclusivamente
filosófico (a noção de virtude que era usado mais com o intuito
de um caráter cavalheiresco por parte dos indivíduos na
sociedade).
Outro fator essencial para a compreensão da origem filosófica é
o valor atribuído aos mitos para explicar a realidade bem como
os arquétipos de humanos existentes na Antigüidade.
Esta preponderância permitiu que do mito pudesse surgir a
filosofia, que através primeiramente das epopéias (Homero, por
exemplo) se propagassem um modo de pensar crítico e racional.
Posteriormente, a filosofia adquiriu muitos adeptos os quais a
adequaram e fizeram explanações sobre seus conceitos.
Todavia, a partir do instante em que a reflexão, o pensamento
crítico e as noções primordiais são levados a um novo conflito de
idéias, será sempre possível um “ressurgimento da filosofia”. Isto
foi comprovado e ainda será no decorrer de toda a história da
filosofia, pois os maiores pensadores de todas as épocas
querendo ou não utilizaram destes meios para atingir e sustentar
uma tese sobre seu ponto de vista e a sua concepção para com
as noções básicas de todos os arquétipos.
Um exemplo claro desta noção, é o caráter extremamente
filosófico e o valor concedido aos primeiros pensadores, como
Tales de Mileto, Parmênides e Heráclito. Os quais serão sempre
levados em conta nas explanações de vários filósofos. Já os
pensadores clássicos como Sócrates, Platão e Aristóteles têm um
valor “metafísico” (como algo que não há palavras para
interpretar e demonstrar a importâncias destes pilares da
filosofia) que ultrapassa todos os limites de nossa existência.
A figura de Sócrates
sua vida continua a ser um enigma, o que não o impede de ser
considerado o símbolo por excelência do filósofo. Sócrates
nasceu em Atenas, filho de Sofronisco, escultor e de Fenáreta
(Fenarete), de ofício parteira. Terá recebido uma educação
tradicional, isto é, ginástica e música.Parece que exerceu por
algum tempo o ofício de seu pai, no princípio interessou-se pelas
doutrinas físicas dos filósofos jónios. Parece certo que terá
participado nas guerras do Peloponeso (431-404), como soldado
hoplita (guerreiro a pé), o que correspondia a um cidadão de
nível médio. Salvou Alcibíades ferido durante o cerco de Potidea
(429), participou na batalha de Delion (424), na Boécia, e já com
cerca de 50 anos, na de Anfipolis (421), na Trácia. Fez parte do
Senado dos quinhetos, opondo-se sempre às medidas que
considerava injustas. Enfrentou a morte desobedecendo a uma
ordem dada pelo governo dos Trinta Tiranos (404).

Algures num momento da sua vida terá começado a interessar-
se sobre o conhecimento de si e do homem em geral. Á sua volta
começam a formar-se um grupo de discípulos e amigos, entre os
quais se destacam Platão, Alcibíades, Xenofonte, Antístenes,
Critias, Aristipo, Euclides de Megara e Fédon. Depois de uma vida
inteira dedicada a interrogar os seus concidadãos, em obediência
a uma voz interior (daimon) é acusado de corromper os jovens
contra a religião e as leis da cidade. A acusação é feita por Anito,
em nome dos artesãos e políticos, por Meleto, em nome dos
poetas, e por Licón pelos oradores. Condenado por um tribunal
popular a beber cicuta, e após ter recusado os planos de fuga de
Critón, morre numa prisão em Atenas, rodeado de amigos e
discípulos.

Sócrates rapidamente se torna na figura emblemática do
filósofo, imortalizado em inúmeras obras. Platão, discipulo de
Sócrates desde os vinte anos, transforma-o na personagem
central dos seus diálogos, em particular na Apologia de Sócrates,
Fedón e Critón. Nesta obras é ressaltada sobretudo a sua
dimensão moral. Aristófanes, comediógrafo e critico do seu
tempo, na comédia As Núvens, apresenta-nos um Sócrates
sofista apenas interessado no que cobrava pelas aulas de
retórica e oratória, misturando discursos sobre a natureza e a
moral. Xenofonte, militar e historiador, foi o autor de uma série
de obras biográficas onde exalta a figura moral de Sócrates:
Memoráveis, Recordações Socráticas, O Banquete e Apologia de
Sócrates. Estas obras foram escritas depois de regressar da
expedição à mesopotâmia dos dez mil mercenários gregos, e de
ter conhecimento da morte de Sócrates. Embora Aristóteles não
o tenha conhecido directamente, não deixa de o referir nas suas
obras cerca de 40 vezes.










Trabalho de filosofia
Resumo do livro
Que é a filosofia antiga
Por PIERRE HADOT
Adson Magno
Primeiro Período