ANHANGUERA EDUCACIONAL – UNIDERP

UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP POLO 7109

ADMINISTRAÇÃO
ANALISE DE INVESTIMENTO
Aline Oliveira RA 351259
Ana Paula M. RA 402178
Mateus Oliveira RA 351949
Taylor Steven RA 402179

ATPS – ANALISE DE INVESTIMENTO







Goiânia, 31 de Março de 2014.
2


ANHANGUERA EDUCACIONAL – UNIDERP
UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP POLO 7109

Aline Oliveira RA 351259
Ana Paula M. RA 402178
Mateus Oliveira RA 351949
Taylor Steven RA 402179



ATPS – ANALISE DE INVESTIMENTO






Goiânia, 31 de Março de 2014.
3


ANHANGUERA EDUCACIONAL – UNIDERP
UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP POLO 7109

ADMINISTRAÇÃO
ANALISE DE INVESTIMENTO

Aline Oliveira RA 351259
Ana Paula M. RA 402178
Mateus Oliveira RA 351949
Taylor Steven RA 402179

ANALISE DE INVESTIMENTO

Trabalho de conclusão de curso apresentado à
banca examinadora da Faculdade de
Administração da Anhanguera Educacional,
como requisito parcial à obtenção do grau de
Bacharel em Administração sob a orientação
da professora Mestre Kátia Soares.

Goiânia, 31 de Março de 2014.
4

Aline Oliveira RA 351259
Ana Paula M. RA 402178
Mateus Oliveira RA 351949
Taylor Steven RA 402179


ANALISE DE INVESTIMENTO
Trabalho de conclusão de curso apresentado à
banca examinadora da Faculdade de
Administração da Anhanguera Educacional,
como requisito parcial à obtenção do grau de
Bacharel em Administração sob a orientação
da professora Mestre Kátia Soares.

Aprovado em ___ de ____________________de _______.

BANCA EXAMINADORA
________________________________________
Prof. Dr. Anhanguera Educacional Ltda.
________________________________________
Prof.ª MS. Universidade Federal de São Carlos
_________________________________________
Prof.ª Esp. Universidade de São Paulo


5

SUMÁRIO
CAPITULO 1: DESCRIÇÃO DO INVESTIMENTO
Tipos de investimento ............................................................................................................................................ 6
Oportunidades de negócios ................................................................................................................................... 6
Apresentação do negocio ....................................................................................................................................... 6
Lótus fitness ........................................................................................................................................................ 6,7
CAPITULO 2: ELABORAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA RELEVANTE
Fluxo de caixa relevante ..................................................................................................................................... 7,8
Receitas .................................................................................................................................................................. 9
Mão de obra ......................................................................................................................................................... 10
Investimento inicial ............................................................................................................................................ 11
Diagrama .............................................................................................................................................................. 12
CAPITULO 3: MÉTODOS PARA AVALIAÇÃO DO INVESTIMENTO
Taxa Selic ............................................................................................................................................................. 12
Técnicas de investimento .................................................................................................................................... 13
TIR ................................................................................................................................................................... 13,14
VPL ....................................................................................................................................................................... 14
Payback ................................................................................................................................................................ 14
Cálculos: TIR, VPL, e Payback ................................................................................................................ 14,15,16
CAPITULO 4: O EFEITO DA INFLAÇÃO NA ANALISE DE INVESTIMENTO
O efeito da inflação na analise de investimento ................................................................................................ 16
O imposto de renda e a depreciação .................................................................................................................. 16
Imposto de renda ................................................................................................................................................. 17
Depreciação .......................................................................................................................................................... 17
Avaliação dos efeitos da inflação ........................................................................................................................ 18
CAPITULO 5: O IMPOSTO DE RENDA E A DEPRECIAÇÃO
Avaliação do imposto de renda e a depreciação............................................................................................... 18
Analise de risco do projeto .................................................................................................................................. 19
Analise de sensibilidade ...................................................................................................................................... 19
Variação da TMA que mantem o projeto viável ............................................................................................... 19
6

TIPOS DE INVESTIMENTO
Os investimentos basicamente dividem-se em três grandes categorias, quando definidos em
relação a sua origem:
 Investimentos públicos: são recursos disponibilizados pelos governos ou entidades
publicas a fim de gerar bem-estar social. Os investimentos públicos, em geral, não têm
por objetivo gerar retornos monetários, mas sim retornos sociais. Alguns exemplos de
investimentos públicos são os hospitais.
 Investimentos privados: são recursos disponibilizados por pessoas jurídicas ou físicas
de direito privado, a fim de gerar retorno monetário aos investidores. Alguns exemplos
de investimentos privados são fabricas particulares, empresas de prestação de serviços,
lojas, shoppings centers, dentre outros.
 Investimentos mistos: são recursos disponibilizados em parte pelos governos ou
entidades publicas e, em parte, por pessoas físicas ou jurídicas de direito privado.
Alguns exemplos de investimento misto são a Petrobras e o Banco do Brasil.

OPORTUNIDADES DE NEGOCIOS
Abrir um negócio sempre é um desafio, devemos sempre analisar as necessidades da
população o que esta em alta no comercio, o oque esta em falta na região dentre outros
aspectos que devem ser levados em consideração na hora de pensar em um novo negócio.
Mas antes de abrirmos o “negocio dos sonhos” devemos considerar primeiro todos os riscos
que podem ocorrer como, por exemplo: se será possível manter a empresa, para que esta
caminhe de forma positiva ou não. Muito mais do que ter ideias, é ter grandes ideias
inovadoras que satisfaçam os desejos e as necessidades do mercado.

APRESENTAÇAO DO NEGOCIO
Lotus Fitness
Atualmente as pessoas estão mais conscientes de que a atividade física não está ligada a
estética e sim a qualidade de vida, e elas investem com prazer nisso.
7

Assim, estão procurando lugares que tenham uma estrutura diferenciada, qualidade,
profissionais de ponta e tecnologia de última geração.
O mercado de atividade física no Brasil está em amplo crescimento, principalmente nas
classes sociais A e B, além do aquecimento em outras classes sociais decorrentes do processo
de expansão da economia. Somente 13% da população brasileira pratica alguma atividade
física. Mesmo assim, somos o segundo maior país com número de academias em todo o
mundo.
Este ramo de negocio triplicou em dez anos no Brasil, e continua em forte crescimento.
A empresa a ser montada chama-se Lotus Fitness, o foco da empresa é atender a todas as
expectativas de quem procura uma academia, desde a ergonomia a musculação. Na qual seu
ramo de atividade é especialmente voltado para o ramo fitness, sendo nossos serviços
oferecidos de excelentíssima qualidade atendendo a demanda. Seu corpo societário integrado
por quatro sócios acionistas são: Aline Oliveira, Ana Paula Medeiros, Mateus Oliveira e
Taylor Steven.
Os serviços a serem oferecidos são ergonomia e musculação. Com um capital inicial de R$
100.000 e previsão de faturamento no primeiro mês de aproximadamente R$ 20.000.
O seu público alvo são todas as pessoas que necessitam de algum de nossos serviços. O
investimento foi escolhido com base em pesquisas de mercado nos grandes centros, além
da pesquisa na internet, assim ficou explícito que hoje o mercado cresce a cada dia mais no
ramo fitness. Oferecemos aos nossos clientes excelentes condições de pagamento, com
pacotes trimestrais e semestrais, além de constantes promoções para capturarmos novos
clientes. Todos os nossos serviços são realizados com profissionais altamente qualificados.

FLUXO DE CAIXA RELEVANTE
Os fluxos de caixa relevantes, ou seja, aqueles que serão projetados e utilizados para analisar
os investimentos das organizações, apesar de, a principio, poderem ter quaisquer valores, dada
a lógica dos negócios e empreendimentos, acabam por apresentar, em geral, em formato
padrão.
Esse formato é composto, basicamente, por três partes:
 Investimento inicial ou nos períodos iniciais: esses investimentos podem ser tanto na
forma de bens físicos (prédios, equipamentos, ferramentas), quanto na forma de
8

investimento em capital de giro para suportar o projeto. São saídas de caixa, e,
portanto, devem ter o sinal negativo no fluxo de caixa.
 Retornos de caixa do investimento: normalmente, após alguns períodos, o projeto se
torna rentável, gerando fluxos de caixa positivos para a empresa/investidor.
 Valores Residuais: esses fluxos de caixa normalmente são positivos e ocorrem no final
do investimento, seja pela venda de algum ativo após sua utilização ou por alguma
vantagem tributaria adquirida. Podem eventualmente, ser negativos.

ESTIMATIVAS
Elaborar os cálculos e estimativas a seguir:
a) Estimar o preço unitário de venda e a quantidade mensal a ser comercializada.
O preço da mensalidade de musculação/ ergonomia será de R$ 50,00 com uma previsão de
133 clientes por mês, 66 clientes trimestrais e 42 clientes semestrais.
b) Calcular o faturamento anual, multiplicando o valor mensal por 12.
O faturamento bruto no ano 1 será de 350.000, no ano 2 385.000, no ano 3 423.500, no ano 4
465.850 e no ano 5 512.435.
c) Estimar o faturamento da empresa para os próximos cinco anos, repetindo os valores
anuais obtidos no item anterior.
No ano 2será 385.000, no ano 3 423.500, no ano 4 465.850 e no ano 5 512.435.
d) Estimar os custos e despesas mensais, com base na quantidade definida no item a.
O custo total no ano 1 será de R$ 144.150.
e) Estimar os custos e despesas anuais, multiplicando por 12 o valor obtido no item
anterior.
No ano 2 será de R$ 186.350, no ano 3 R$ 192.450, no ano 4 R$ 203.850 e no ano 5 R$
197.850.








9

ESTIMATIVA DE RECEITAS (ANUAL)
PROGRAMADE PRODUÇÃO - ESTIMATIVA DE RECEITAS (EM R$)
DISCRIMIN
AÇÃO
Unid
ade
Preço
s Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5
Unitá
rios
R$
Qua
nt.
Valo
r
Qua
nt.
Valo
r
Qua
nt.
Valo
r
Qua
nt.
Valo
r
Qua
nt.
Valo
r
Produtos/Ser
vicos:
Clientes
Mensais UN 50,00
1.60
0
80.0
00
1.68
0
88.0
00
1.76
4
96.8
00
1.85
2
106.
480
1.94
5
117.
128
Clientes
Trimestrais UN
150,0
0 800
120.
000 840
132.
000 882
145.
200 926
159.
720 972
175.
692
Clientes
Semestrais UN
300,0
0 500
150.
000 525
165.
000 551
181.
500 579
199.
650 608
219.
615
TOTAL
GERAL
2.90
0
350.
000
3.04
5
385.
000
3.19
7
423.
500
3.35
7
465.
850
3.52
5
512.
435
















10

ESTIMATIVA DE CUSTOS COM MÃO DE OBRA (ANUAL)
DISCRIMINA
ÇÃO
Salár
io
médi
o Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5
mens
al
(R$)
Qua
nt
Custo
anual
Qua
nt
Custo
anual
Qua
nt
Custo
anual
Qua
nt
Custo
anual
Qua
nt
Custo
anual
MAO-DE-
OBRA FIXA
Diretoria
2.00
0
4
96.00
0 4
96.00
0 4
96.00
0 4
96.00
0 4
96.00
0
Gerencia
1.50
0
1
18.00
0 1
18.00
0 1
18.00
0 1
18.00
0 1
18.00
0
PersonalTraine
r
1.10
0 2
26.40
0 2
26.40
0 3
39.60
0 3
39.60
0 3
39.60
0
Recepção
900 1
10.80
0 1
10.80
0 1
10.80
0 2
21.60
0 2
21.60
0
TOTALMÃO-
DE-OBRA
FIXA ---
151.2
00
151.2
00
164.4
00
175.2
00
175.2
00
T O T A LG E
R A L ---
151.2
00
151.2
00
164.4
00
175.2
00
175.2
00

ESTIMATIVA DE CUSTOS TOTAIS (ANUAL)
DISCRIMINAÇÃO Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5
Mão-de-obra Fixa 116.400 116.400 127.800 137.400 137.400
Manutenção 2.000 45.000 37.000 41.000 35.000
Diversos 2.300 1.500 4.200 2.000 2.000
CUSTOS FIXOS TOTAIS 120.700 162.900 169.000 180.400 174.400
Depreciação 23.450 23.450 23.450 23.450 23.450
CUSTOS TOTAIS 144.150 186.350 192.450 203.850 197.850

11

INVESTIMENTO INICIAL
DISCRIMINAÇÃO
ORÇAMENTO
Qt $ Unit $ Total
Obras


Reforma do galpão 1 16.500 16.500,00



Maquinas e
equipamentos



Equipamentos diversos 39 4.000 156.000,00


Instalações
Instalações 1 2.500 2.500,00



Montagens / Fretes


Montagem dos
equipamentos 1 6.000
6.000,00



Moveis e utensílios


Moveis escritorio e
recepção 1 4.000
4.000,00



Capital de giro


Capital de giro 1 100.000 100.000,00



Eventuais (até 5% do
total)



Diversos 1 15.000 15.000,00
TOTAL 300.000,00





12

DIAGRAMA FLUXO DE CAIXA RELEVANTE

(Valor residual = 0)
314.585
231.050 262.000
205.850 198.650


1 2 3 4 5 (Tempo em anos)
0
300.000(Investimento Inicial)

TAXA SELIC – Sistema Especial de Liquidação e de Custódia
A Taxa SELIC é a taxa básica de juros da economia brasileira. Esta taxa básica é utilizada
como referência para o cálculo das demais taxas de juros cobradas pelo mercado e para
definição da política monetária praticada pelo Governo Federal do Brasil. Criado em 1979, o
Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (SELIC) é um sistema informatizado destinado
ao registro, custódia e liquidação de títulos públicos federais.
Somente as instituições credenciadas no mercado financeiro têm acesso ao SELIC. Este
sistema opera basicamente com títulos emitidos pelo Banco Central e pelo Tesouro Nacional,
tais como: Letra do Tesouro Nacional e Nota do Tesouro Nacional. Esta taxa é usada para
operações de curtíssimo prazo entre os bancos, que, quando querem tomar recursos
emprestados de outros bancos por um dia, oferecem títulos públicos como lastro (garantia),
visando reduzir o risco, e, consequentemente, a remuneração da transação (juros). A taxa é
expressa na forma anual para 252 dias úteis. Esta taxa não é fixa e varia praticamente todos os
dias, mas dentro de um intervalo muito pequeno, já que, na grande maioria das vezes, ela
tende a se aproximar da meta da SELIC, que é determinada oito vezes por ano.


13

Taxa Anualizada
O Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil (COPOM) fixa periodicamente a
meta para a Taxa SELIC para fins de Política Monetária. Nas tabelas abaixo você encontrará
as taxas definidas pelo COPOM para um determinado período, compreendidas entre as datas
especificadas. A partir de 01 de Janeiro de 1998 as taxas de juros passaram a ser fixadas de
forma anualizada (365 dias com a taxa de juros correndo dia a dia). Cabe salientar também
que o BCB informa o fator mensal e não a taxa de juros mensal.
Meta da Taxa SELIC Atual (Taxa Selic 2014)
Mês Mensalidade Anual
Real
Acumulado
no Ano
Acumulado
em 12
meses
Anual
Oficial
Fator
Diário
Jan 0,8328 10,26 0,83 8,54 9,90 1,00037468
Fev. 0,7701 10,52 1,61 8,79 10,40 1,00039270
Mar 0,8710 10,75 2,49 9,09 10,65 1,00040168


TÉCNICAS DE INVESTIMENTOS
A análise de investimento reside no emprego de técnicas especificas oriundas dos princípios
financeiros com o objetivo de identificar a melhor opção entre diferentes possibilidades de
investimento. Tecnicamente a análise se fundamenta em equações que tenham como objetivo
específico identificar e mensurar se existe ou não viabilidade em um determinado
investimento, ou seja, se existe ou não rentabilidade e, caso exista, quão rentável o é.
Existem várias técnicas de análise de investimento, porém as três que mais de destacam são:
Playback, VPL (valor presente liquido) e a TIR (taxa interna de retorno).
TIR
E um método similar ao VPL, onde é utilizada a mesma lógica de cálculo, entretanto, os
resultados são apresentados em porcentagem, e não em valores monetários para utilizá-la, é
necessário construir o fluxo de caixa do projeto, sendo seus princípios componentes –
investimentos iniciais e adicionais; fluxo de caixa positivo ou negativo de retorno e o valor
residual do investimento se houvesse.
14

VPL
E um método alternativo ao método playback, que utiliza os princípios de matemática
financeira, calculando o valor presente do fluxo de caia do investimento, esse método é
chamado de liquido, pois considera o fluxo total com as saídas (investimentos) e entradas
(retornos) descontadas a uma taxa de atratividade.
Essa taxa de atratividade é utilizada, juntamente com a montagem do fluxo de caixa para
trazer o fluxo de caixa a valor presente.
Essa taxa deve representar o retorno mínimo exigido, em percentual para que o investidor
concorde em realizar o projeto.
Payback
Tem como objetivo avaliar o tempo do projeto demoraria a retornar o total do investimento
inicial, quanto menor o tempo para o retorno do investimento melhor e mais interessante será
o investimento.



CALCULOS: TIR, VPL E PAYBACK
Valor Presente Líquido (VPL) Taxa Interna de Retorno (TIR)





Ano
Fluxo de Caixa
Ano
Fluxo de Caixa
Líquido (R$) Líquido (R$)
0 -300.000 0 -300.000
1 205.850 1 205.850
2 198.650 2 198.650
3 231.050 3 231.050
4 262.000 4 262.000
5 314.585 5 314.585
VPL = 583.281,26 TIR = 67,50%

15

PAYBACK

PROJETO LOTUS
FITNESS
ACUMULADO
INVEST.
INICIAL
-300.000 -300.000
ANO ENTRAD. DE CX ACUMULADO
1 205.850 -94.150
2 198.650 104.500
3 231.050 335.550
4 262.000 597.550
5 314.585 912.135
Payback Descontado



Fluxo de Caixa Valor Saldo a
Ano Líquido (R$) Presente Retornar
0 -300.000,00 -300.000,00 -300.000,00
1 205.850,00 186.037,05 -113.962,95
2 198.650,00 162.250,38 48.287,44
3 231.050,00 170.550,00 218.837,44
4 262.000,00 174.781,56 393.619,00
5 314.585,00 189.662,26 583.281,26



TMA
= 10,65%

Resultado: 4 anos


Conclusão Valor Obtido Conclusão Parcial
Taxa Mínima de Atratividade 10,65%
Valor Presente Líquido 583.281,26 PROJETO ACEITO
Taxa Interna de Retorno 67,50% PROJETO ACEITO
Payback Resultado: 3 anos PROJETO ACEITO
Conclusão Geral: O Projeto é viável
16

O EFEITO DA INFLAÇÃO NA ANÁLISE DE INVESTIMENTOS
A inflação consiste na variação nominal e sustentada dos preços de bens e serviços.
São comuns os estudos de viabilidade econômica ser elaborados a preços constantes, com o
pressuposto de que a inflação afeta de igual modo todos os preços e custos.
Apesar dos preços evoluírem de modo diferenciado por produtos, aspecto que deveria ser tido
em consideração quando se estimam os fluxos financeiros a preços correntes - isto é quando
se considera o impacto da inflação no processo de estimação -, é comum assumir-se, por
comodismo ou por falta de informação detalhada, uma taxa indiferenciada de inflação para
todos os custos e proveitos de um determinado período.
A inflação, constituindo num aumento geral dos preços, tem um impacto nos cash flows dos
projetos de investimento a três níveis:
 Nos rendimentos nominais, que aumentam;
 Nas despesas nominais, que aumentam também;
 Nos juros e encargos ligados ao endividamento, que também aumentam.
A análise de investimentos em contexto inflacionário pode ser efetuada em termos nominais
ou em termos reais. Assim, os cash flows nominais devem ser atualizados a taxas nominais e
os cash flows reais devem ser atualizados a taxas reais.

O IMPOSTO DE RENDA E A DEPRECIAÇÃO
A depreciação e o imposto de renda têm um efeito positivo ou negativo em algum
investimento. Imposto de Renda é um tributo cobrado em quase todos os países do mundo.
Com esse tributo temos como base o cálculo do lucro contábil (a diferença entre receitas ou
lucros/despesas). Quando fazemos a análise de investimentos, não nos preocupamos com o
lucro contábil e sim com o fluxo de caixa gerado pelo projeto do investimento.
Depreciação é uma despesa contábil que percebe quando um ativo perde valor ao longo do
tempo. Com essa perda gera uma despesa, que abate no lucro operacional, portanto, diminuiu
a base de cálculo do imposto de renda. Essa é uma despesa “não caixa”, que não há fluxo de
caixa negativo (saída de dinheiro do caixa).
Depois dessas definições, vamos explicar como funciona cada um deles, começando com a
Depreciação.

17

DEPRECIAÇÃO
A depreciação demonstra a vida útil de algum equipamento. O cálculo é feito de forma linear,
ou seja, uma taxa fixa por ano acima do valor inicial do ativo. Exemplo:
 Computadores / Equipamentos de informática: três anos – depreciação de 33,3% ao
ano.
 Veículos / Automóveis e Caminhões: cinco anos – depreciação de 20% ao ano.
 Máquinas e Equipamentos: dez anos – depreciação de 10% ao ano.
 Prédios / Instalações: vinte e cinco anos – depreciação de 4% ao ano.
Esses valores descritos acima são determinados pela legislação tributária. Com isso, a
depreciação pode ser maior ou menor que o valor para fins de legislação fiscal. As empresas
são obrigadas a seguir essa legislação e depreciação.
IMPOSTO DE RENDA
O Imposto de Renda é quando as pessoas declaram seus gastos como pessoas físicas (IRPF) e
pessoas jurídicas (IRPJ). O fator gerador é a disponibilidade econômica ou jurídica de renda
ou proventos de qualquer natureza. Para complementar o Imposto de Renda é a Contribuição
Social Lucro Líquido (CSLL).
Existem duas formas de tributação de IRPJ:
 IRPJ e CSLL sobre lucro real.
 IRPJ e CSLL sobre lucro presumido.
O Simples Nacional é uma terceira forma de cobrança de IR. Similar ao lucro presumido, que
engloba mais tributos como: PIS, ICMS, ISS e INSS na mesma alíquota.
IRPJ e CSLL sobre lucro Real: é a mais utilizada pelo mundo. Consiste em tributar o lucro e
não a receita, que permite a empresa abater os custos e despesas antes de pagar o IR e CSLL.
Com isso, precisamos apurar toda a DRE para achar esse dois tributos. O IR e CSLL incidem
sobre o LAIR (Lucro antes do IR).
IRPJ e CSLL sobre lucro presumido: é uma forma simplificada de IR e CSLL. Tributa-se a
receita bruta, da mesma forma que o PIS e Confins. Cada setor de atividade tem a sua
alíquota. Com isso, o setor fiscal deve simular o IR da empresa como lucro real ou lucro
presumido, e verificar qual é a viável.
As Leis nº 11.638, de 2007, e 11.941 de 2009 introduziram sensíveis mudanças na
quantificação de receitas e despesas do lucro líquido.


18

AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DA INFLAÇÃO
Os resultados encontrados sobre o projeto do nosso grupo sugerem que não há impacto da
inflação sobre a dívida ou o endividamento, no aspecto setorial, indicando uma possível
anulação entre os dois, efeitos positivos e o efeito negativo, ou seja, uma compensação entre o
aumento nos rendimentos de títulos de dívida e a redução no ganho líquido de capital com a
redução da razão depreciação e ativo. Porém, a não influência de tal variável pode não ter sido
captada neste estudo por outros fatores tais como: limitação do modelo, falha na escolha das
variáveis, entre outros. Concluindo-se finalmente que, no contexto geral, o efeito agregado da
inflação sobre a dívida e sobre o endividamento nos setores.


IMPOSTO DE RENDA E DEPRECIAÇÃO
AVALIAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA E DEPRECIAÇÃO

Neste começo iremos falar sobre o que é imposto de renda e depreciação, depois
abrangeremos dados sobre o nosso projeto e por fim os seus efeitos sobre o projeto.
O Imposto de Renda é um imposto existente em vários países, onde pessoas ou empresas são
obrigadas a deduzir certa percentagem de sua renda média anual para o governo. Esta
percentagem pode variar de acordo com a renda média anual, ou pode ser fixa em uma dada
percentagem.
Do ponto de vista de um indivíduo ou de uma empresa, o que realmente importa, quando de
uma Análise de investimentos, é o que se ganha após os impostos.
A carga tributária representa um ônus real, cujo efeito é o de reduzir o valor dos fluxos
monetários resultantes de um dado investimento. Isto ocasiona, muitas vezes, a transformação
de projetos rentáveis antes da consideração de sua incidência em antieconômicos quando o
imposto de renda for levado em conta. Portanto, torna-se importante a inclusão do imposto de
renda na análise econômica de projetos.
A depreciação (ou subtrações do Imobilizado) dos Bens materiais do Ativo Imobilizado (uma
vez que o Ativo Permanente divide-se em Investimentos, Imobilizado e Diferido) representa a
diminuição do valor dos itens ali classificáveis, resultante do desgaste pelo uso, ação da
natureza ou obsolescência normal.
Para efeito de imposto de renda, a Depreciação não é obrigatória, entretanto é interessante que
a empresa a faça para apuração do Lucro Real do exercício (para pagar menos imposto de
renda), apresentando um lucro mais próximo da realidade. Contudo, se o contribuinte deixar
de depreciar num exercício, não poderá, no exercício seguinte, faze-lo acumuladamente, em
virtude do principio legal da independência dos exercícios, ou competência dos exercícios. A
depreciação efetuada fora do exercício em que ocorreu a utilização dos bens do ativo, bem
como a depreciação calculada a maior que as taxas permitidas, não são dedutíveis como
custos, ou encargos, para fins do imposto de renda.
Os bens depreciáveis são todos os bens físicos, do ativo imobilizado, sujeitos a desgaste pelo
uso ou por causas naturais ou obsolescência normal.
A Lótus Fitness é um segmento muito abrangente e composto por uma infinidade de detalhes
e as empresas procuram só contratar os já formados. Porém, como a fase é de expansão para o
setor e faltam funcionários especializados, treinam sua mão-de-obra, das mais diversas
funções. Atualmente, a palavra de ordem é contratar funcionários "polivalentes", ou seja,
versáteis, com habilidades para exercerem trabalhos variados.

19


O setor de academias corre contra o tempo para conseguir atender as demandas que virão por
aí em 2014 e 2016, com lançamentos de promoções a demanda ira aumentar bastante
queremos induzir ainda o comprometimento ambiental do setor ao oferecer condições mais
favoráveis aos projetos que levem em conta a preocupação com a eficiência energética e a
sustentabilidade ambiental.
A conclusão sobre o nosso projeto é positiva, pois por ser uma empresa nova não iremos
pagar o imposto de renda no primeiro ano, apenas no ano subsequente, e mesmo nos
próximos anos teremos muitas novidades no mercado. O lucro será menor pensando no final
de cada ano com o pagamento do imposto de renda, mas nada que vá atrapalhar o nosso
projeto.


ANÁLISE DE RISCO DO PROJETO
“ANÁLISE DE SENSIBILIDADE”
Variação da TMA
Fluxo de
Caixa TMA VPL
-300.000 10,65% 583.281
205.850 11,65% 559.659
198.650 ... ...
231.050 65,65% 7.512
262.000 66,65% 3.416
314.585 67,65% -584

INTERPRETAÇÃO
Como podemos observar o projeto somente será inviável quando a TMA for 67,65% pois
antes disso o VPL ainda é positivo, viabilizando o projeto.











20

REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS:

http://arquivos.unama.br/nead/gol/gol_mkt_6mod/adm_financeira_orcamentaria/pdf/aula08.p
df

ROSS, Stephen A; WESTERFIELD, Rondolph W; JAFFE, Jeffrey F. Princípios de
administração financeira. São Paulo: Atlas, 1998.

http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI114174-17152,00-FITNESS.html
http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI149404-17192,00-
IDEIAS+DE+NEGOCIOS.html

http://www.receita.fazenda.gov.br/Aliquotas/ImpCreSegCamb.htm

PLT – ANALISE DE INVESTIMENTOS