You are on page 1of 34

IFCE – Campus Maracanaú

Área de Indústria
Curso Tecnólogo em Manutenção Industrial
Manutenção Elétrica Industrial
Celso Rogério Scmidlin !únior
Manutenção Elétrica Industrial Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
Manutenção Elétrica Industrial
$# Medição de Resist%ncias de Isolamento
$#& Meg'metro
( Conectando o Meg'metro
( Correntes de Fuga
$#) *eterminação do Método de Teste
( Teste de Instalação
( Testes de Manutenção e +redição
( Testes em ,eradores" Trans-ormadores" Motores e Fios
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#& Meg'metro
. -unção do isolamento é impedir a passagem da corrente elétrica atra/és dele#
+ortanto" se o imaginarmos como um elemento de circuito" trata(se de uma resist%ncia
0astante ele/ada" 1uase um circuito a0erto#
2u se3a" 1uanto maior o /alor da sua resist%ncia" melor o isolamento#
*esta -orma" para se medir resist%ncia de isolamento não é con/eniente usar um
mult4metro 5multiteste6" pois a sua tensão interna é muito 0ai7a e não produ8 resultados
satis-atórios na medida" podendo mesmo condu8ir a erros muito grosseiros#
+ara a medição ade1uada da resist%ncia de isolamento" utili8a(se o 9Meg'metro: 5em
portugu%s6 ou 9Megger: 5em ingl%s6" 1ue é assim camado por1ue mede resist%ncias
elétricas da ordem de mega oms 5mil;es de oms6#
.ssim" meg'metros podem ser usados para determinar a integridade de circuitos e ca0os
em motores" trans-ormadores" ca/es de distri0uição e instalaç;es elétricas#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#& Meg'metro
6.1.1 Conectando o Megômetro
2 meg'metro possui tr%s 0ornes em 1ue são conectados os ca0os de mesma cor com
as seguintes caracter4sticas<

=orne de lina 5>I?E6" /ermelo" cu3a -unção é en/iar tensão ao e1uipamento so0
ensaio@

=orne de terra 5E.RTA6" negati/o ou retorno" da cor preta" com a -unção de retornar ao
instrumento a corrente /inda do e1uipamento so0 ensaio@

=orne de guarda 5,B.R*6" /erde" 1ue permite eliminar correntes indese3C/eis D leitura"
como correntes parasitas e induti/as 1ue inter-erem nas mediç;es#
. Figura $#& mostra a cone7ão das ponteiras do meg'metro para a medição da
resist%ncia de isolação entre dois condutores eEou entre um condutor e a terra#
!C na Figura $#) estC testando um motor" medindo as resist%ncias de isolamento entre
duas 0o0inas e entre 0o0ina e terra 5carcaça6#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#& Meg'metro
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#& Meg'metro
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#& Meg'metro
Obtendo Medições Precisas
. -im de o0ter mediç;es de resist%ncia de isolação signi-icantes" o eletricista de/e
e7aminar cuidadosamente o sistema so0 teste#
2s melores resultados são alcançados 1uando<
&# 2 sistema ou e1uipamento é desligado e desconectado de todos outros circuitos"
ca/es" capacitores" esco/as" pCra(raios e interruptores de circuito#
Certi-i1ue(se de 1ue as mediç;es não são a-etadas por corrente de -uga atra/és de
ca/es e aparelos de proteção de so0recorrente#
)# . temperatura da isolação estC acima do ponto de condensação do ar am0iente#
Fuando este não -or o caso" uma camada de umidade se -ormarC na super-4cie de
isolação e em alguns casos" serC a0sor/ida pelo material#
G# . super-4cie da isolação estC li/re de car0ono e outras matérias estranas 1ue podem
tornar(se condutoras em condiç;es de umidade#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#& Meg'metro
H# . tensão adotada não é muito alta" pois 1uando se testa sistemas de 0ai7a tensão" o
e7cesso de tensão pode estressar ou dani-icar a isolação#
I# 2 sistema so0 teste -oi completamente descarregado na terra" sendo 1ue o tempo de
descarga na terra de/e ser apro7imadamente cinco /e8es o tempo de carga de teste#
$# 2 e-eito de temperatura é considerado" uma /e8 1ue resist%ncia de isolação é
in/ersamente proporcional D temperatura de isolação 5a resist%ncia decresce D medida
1ue a temperatura aumenta6 e assim" as leituras registradas são alteradas por
mudanças na temperatura do material de isolação#
J recomendC/el 1ue os testes se3am e7ecutados D temperatura de condutor padrão
)K
o
C# Como regra 0Csica" ao comparar leituras D temperatura de 0ase de )K
o
C" do0re a
resist%ncia para cada &K
o
C acima de )K
o
C ou di/ida a resist%ncia por dois para cada
&K
o
C a0ai7o de )K
o
C em temperatura#
+or e7emplo" uma resist%ncia de & Mega(2m a HK
o
C passarC a ser H Mega(2ms D
temperatura de )K
o
C#
+ara medir a temperatura do condutor" use um term'metro in-ra/ermelo sem contato#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#& Meg'metro
Efetuando Medições com Segurança
.lém de seguir as orientaç;es tratadas no Cap4tulo G" ao medir a resist%ncia de isolação<
&# ?unca conecte o testador de isolação a condutores ou e1uipamentos energi8ados e
sempre siga as recomendaç;es do -a0ricante#
)# *esligue o e1uipamento so0 teste a0rindo -us4/eis" ca/es e interruptores de circuito#
G# *esconecte os condutores 5de circuito e terra6 e todos os outros e1uipamentos da
unidade so0 teste#
H# *escarregue a capacitLncia do condutor" tanto antes 1uanto depois do teste# .lguns
instrumentos podem ter -unç;es de descarga automCtica#
I# Meri1ue 1uais1uer correntes de -uga atra/és de -us4/eis" ca/es e interruptores em
circuitos não energi8ados" pois estas podem gerar leituras incorretas e inconsistentes#
$# ?ão use um testador de isolação em atmos-era perigosa ou e7plosi/a" uma /e8 1ue o
instrumento pode gerar arcos em isolaç;es dani-icadas#
N# Bse lu/as isoladas de 0orraca 1uando esti/er conectando pontas de teste#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#& Meg'metro
6.1.2 Correntes de Fuga
*urante o procedimento de teste" a alta tensão CC gerada ao apertar o 0otão de teste
causarC uma pe1uena corrente 5μ.6 atra/és do condutor e da isolação" a 1ual depende da
tensão aplicada" da resist%ncia da isolação 5Figura $#G 5a66 da capacitLncia do sistema
5Figura $#G 5066" da resist%ncia total e da temperatura do material#
+ara uma tensão -i7a 5E6" 1uanto maior a corrente 5I6" menor a resist%ncia 5R O E E I6#
. resist%ncia total é
a soma da resist%ncia
interna do condutor
5/alor pe1ueno6 mais
a resist%ncia da isola(
ção em MΩ#
#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#& Meg'metro
2 /alor da resist%ncia de isolação lido no medidor serC -unção das tr%s seguintes su0(
correntes independentes 5Figura $#H6<
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#& Meg'metro
Corrente de fuga condutiva I
L
!" trata(se de uma pe1uena corrente 5μ.6 1ue normalmen(
te -lui atra/és da isolação entre condutores ou de um condutor D terra# Ela aumenta D me(
dida 1ue a isolação deteriora(se e torna(se predominante depois 1ue a corrente de a0sor(
ção some 5/er Figura $#H6# +or ser 0astante estC/el e dependente do tempo" é a mais im(
portante para medir resist%ncia de isolação#
Corrente de fuga de carga ca#acitiva I
C
!" 1uando dois ou mais condutores passam em
paralelo num conduto" eles se comportam como um capacitor# .ssim" uma corrente de
-uga -lui atra/és da isolação do condutor# Esta corrente dura somente alguns poucos
segundos" assim 1ue a tensão CC é aplicada" e some depois 1ue a isolação -oi carregada
D sua tensão de teste completa#
Em e1uipamentos de 0ai7a capacitLncia" I
C
P I
L
" mas geralmente desaparece até o mo(
mento em 1ue se começa a registrar os dados# .ssim" é importante dei7ar a leitura se -i(
7ar antes de registrC(la# +orém" ao testar e1uipamentos de alta capacitLncia" I
C
dura muito
tempo antes da leitura -i7ar(se#
Corrente de fuga de absorç$o de #o%ari&aç$o I
A
!" de/e(se D polari8ação de moléculas
dentro do material dielétrico# Em e1uipamentos de 0ai7a capacitLncia" a corrente é alta
nos primeiros poucos segundos e decresce /agarosamente a 1uase 8ero# !C ao lidar com
e1uipamentos de alta capacitLncia ou isolação molada e contaminada" não a/erC
decréscimo em I
A
por um longo per4odo#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
.o testar ca0eamento elétrico ou ca/e de distri0uição 5e1uipamentos de 0ai7a
capacitLncia6" as correntes de -uga capaciti/a e de a0sorção 5dependentes do tempo6
tornam(se insigni-icantes e decrescem a 8ero 1uase instantaneamente#
Bm -lu7o de corrente de -uga conduti/a estC/el é alcançado 1uase instantaneamente 5um
minuto ou menos6" -ornecendo condiç;es per-eitas para a %eitura de #onto'teste de
resist(ncia de curta duraç$o#
+or outro lado" 1uando o e1uipamento a ser testado é uma grande e7tensão de ca0o" um
grande motor ou gerador 5e1uipamentos de alta capacitLncia6 as correntes dependentes
de tempo irão durar oras" le/ando as leituras do medidor a mudar constantemente"
tornando imposs4/el a o0tenção de uma leitura estC/el e apurada#
Esta condição pode ser superada atra/és de um teste 1ue esta0eleça uma tend%ncia
entre as leituras" como teste de tens$o #rogressiva ou de absorç$o die%)trica#
Estes testes não dependem de uma leitura única mas de um con3unto de leituras relati/as#
Seria uma perda de tempo e7ecutar tais testes em e1uipamentos de 0ai7a capacitLncia
uma /e8 1ue correntes dependentes do tempo diminuem rapidamente" resultando em
todas as mediç;es iguais#
.ssim" o método de teste é determinado pelo ti#o de e*ui#amento sob teste e pela
ra&$o do teste#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
+,-.ES /O 0ES0E /E 1SO2,34O
. mais importante ra8ão para o teste de isolação é garantir a segurança pú0lica e pesso(
al" pois" ao e7ecutar este teste entre condutores não energi8ados" na terra e condutores(
terra" pode(se eliminar a possi0ilidade de curtos circuitos ou curtos D terra ameaçadores#
Como este teste geralmente é e7ecutado depois da instalação inicial do e1uipamento" é
camado de 0este de 1nsta%aç$o" sendo 1ue este processo protegerC o sistema contra
e1uipamentos de-eituosos e mal conectados por -ios e irC garantir uma instalação de alta
1ualidade" a satis-ação do cliente e proteção contra inc%ndio ou co1ue#
. segunda ra8ão mais importante para o teste de isolação é proteger e prolongar a /ida
de sistemas elétricos e motores" pois" ao longo dos anos" sistemas elétricos são e7postos
a -atores am0ientais como su3eira" gra7a" temperatura" estresse e /i0ração< condiç;es 1ue
podem le/ar a -alas de isolação" resultando em perda de produção ou mesmo inc%ndios#
.ssim" 0estes de Manutenç$o periódica podem -ornecer in-ormaç;es /aliosas so0re o
estado de deterioração e a3udarão a predi8er poss4/eis -alas do sistema#
. correção de pro0lemas não somente e/itarC surpresas e a0orrecimentos mas tam0ém
e7tenderC a /ida útil de operação para uma /ariedade de e1uipamentos#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
6.2.1 0este de 1nsta%aç$o
Eletricistas e engeneiros e7ecutam este teste 5tam0ém camado teste de pro/a6 para
garantir a instalação apropriada e a integridade dos condutores#
J um teste rCpido e simples usado para indicar a condição instantLnea da isolação#
Ele não -ornece dados de diagnóstico e as tens;es de teste usadas são muito maiores do
1ue as usadas em testes de manutenção#
J Ds /e8es camado de teste ,2E?2 ,2 5+.SS.E?Q2 +.SS.6" pois testa para erros de
manutenção" instalação incorreta" degradação a/ançada ou contaminação#
. instalação é declarada aceitC/el se nenum colapso ocorrer durante o teste#
Bm teste de pro/a pode ser e7ecutado em e1uipamentos de 1ual1uer capacitLncia#
Esco%5endo a tens$o de teste
2 teste de pro/a é -eito com tensão única" geralmente entre IKK e IKKKM" por cerca de
um minuto#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
J comum estressar a isolação acima de tens;es de tra0alo normais a -im de detectar
-alas sutis na isolação#
+ara no/os e1uipamentos" o teste de/e ser -eito entre $K e RKS da tensão de teste de
-C0rica 5maior do 1ue a tensão 1uotada" determinada pelo -a0ricante6#
6O0," . tensão 1uotada é a 1uantidade mC7ima de tensão D 1ual o condutor pode ser
e7posto por um longo per4odo de tempo" geralmente impresso no condutor# >em0rando
1ue" para sistemas mono-Csicos" 0i-Csicos ou tri-Csicos" o ca0o é classi-icado -ase a -ase#
Se não se sou0er a tensão de teste de -C0rica" testar usando uma tensão de cerca do
do0ro da 1uotada para o ca0o mais &KKK /olts#
Este método somente de/e ser usado para testar aparelos pe1uenos e no/os" de/ido D
capacidade destes de suportar tens;es de maior estresse#
+ara e1uipamentos e -ios maiores e mais antigos" utili8ar as tens;es de teste CC dadas
na Ta0ela $#&#
Tens;es CC de testes de pro/a comuns 5não as tens;es de teste do -a0ricante6 usadas
para testar e1uipamentos rotati/os são mostradas na Ta0ela $#)#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
Procedimento de 0este de Prova
+ara condu8ir um teste de pro/a de instalação" use o seguinte procedimento<
&# Certi-icar(se de 1ue não C energia aplicada ao circuito testado 5medição de tensão6#
)# Selecione o n4/el de tensão apropriado#
G# +lugue uma terminação da ponta de teste preta no terminal comum do medidor e to1ue
a sonda de teste na terra ou outro condutor 5Figura $#&6# Ás /e8es é útil conectar D terra
todos os condutores 1ue não são parte do teste# ,arras 3acaré podem -a8er mediç;es
mais -acil e precisamente#
H# +lugue uma terminação da ponta de teste /ermela no terminal de /oltEom do medidor
e conecte a sonda de teste ao condutor a ser testado#
I# +ressione o 0otão de teste para aplicar a tensão dese3ada e ler a resist%ncia mostrada
no medidor# +ode le/ar alguns segundos até a leitura se esta0ili8ar# Fuanto maior a
resist%ncia melor#
$# Teste cada condutor contra a terra e contra todos outros condutores presentes no canal
condutor# Mantena em local seguro um registro datado dos /alores medidos#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
N# Se algum condutor -alar no teste" identi-i1ue o pro0lema ou retire os condutores#
Bmidade" Cgua ou su3eira podem gerar leituras de 0ai7a resist%ncia#
6.2.2 0estes de Manutenç$o e Prediç$o
Testes de manutenção podem o-erecer in-ormaç;es importantes so0re o estado presente
e -uturo de condutores" geradores" trans-ormadores e motores#
. ca/e para um teste de manutenção e-eti/o é a 0oa coleção de dados#
E7aminar os dados coletados a3udarC no diagnóstico e no tra0alo de reparo" 1ue irC
redu8ir o tempo ocioso em -unção de -alas inesperadas#
.s tens;es de teste CC mais comumente aplicadas e testes de manutenção e7ecutados
são apresentados na Ta0ela $#G<
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
2E107+, PO607,2 ' 0ES0E /E +ES1S086C1, /E C7+0, /7+,34O
*urante o teste de curta duração" o meg'metro é conectado diretamente ao e1uipamen(
to sendo testado e a tensão de teste é aplicada por cerca de $K segundos 5Figura $#I6#
. -im de alcançar uma leitura de isolação estC/el em cerca de um minuto" o teste de/e ser
e7ecutado somente em e1uipamentos de 0ai7a capacitLncia#
2 procedimento de cone7ão é o mesmo do teste de pro/a e a tensão aplicada é calculada
a partir das -órmulas de tensão de teste CC#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
.o testar 0ons e1uipamentos" nota(se um aumento estC/el na resist%ncia de isolação
de/ido ao decréscimo de I
C
e I
A
#
*e/ido a temperatura e a umidade poderem a-etar as leituras" é pre-er4/el 1ue as medi(
ç;es se3am -eitas acima do ponto de condensação" em temperatura padrão 5≈ )K
o
C6#
+ara e1uipamentos com tensão nominal T &KKK M" a leitura de isolação de/e ser ≥ & MΩ#
!C para e1uipamentos acima de &KKK M" a resist%ncia esperada de/e crescer & MΩ por
cada &KKK M aplicados#
,eralmente" a resist%ncia de isolação medida serC um pouco menor 1ue os /alores regis(
trados pre/iamente" resultando numa tend%ncia decrescente como mostra a Figura $#$#
. inclinação descrescente é um sinal normal do en/elecimento da isolação#
Bma cur/a decrescente aguda indica uma -ala de isolação ou um alerta de -uturos
pro0lemas#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
0ES0E /E 0E6S4O EM P,SSOS
?este teste" aplica(se cada tensão de teste para o mesmo per4odo de tempo 5geralmente
$K segundos6" representando em grC-ico a resist%ncia de isolação registrada 5Figura $#N6#
.plicando tens;es crescentes em passos"
a isolação é e7posta a estresses elétricos
crescentes 1ue podem re/elar in-orma(
ç;es so0re -alas na isolação como -uros"
danos -4sicos ou -ragilidade#
Bma 0oa isolação de/e suportar aumentos
de estress de so0retensão e sua resist%n(
cia de/e permanecer apro7imadamente a
mesma durante o teste com di-erentes n4(
/eis de tensão#
+or outro lado" especialmente em n4/eis de
tens;es mais altos" isolaç;es contaminadas"
deterioradas e 1ue0radas irão e7perimentar
um -lu7o de corrente aumentado" resultando
num decréscimo da resist%ncia de isolação#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
. Figura $#R mostra cur/as de teste de ten(
são em passos 0oa e ruim#
Este teste é independente do material de
isolação" da capacitLncia do e1uipamento e
do e-eito de temperatura" podendo ser e7e(
cutado logo após um teste de ponto de iso(
lamento" uma /e8 1ue não toma muito
tempo#
En1uanto o teste de ponto lida com mudan(
ça de resist%ncia a0soluta 5leitura única6
com relação ao tempo" o teste de tensão em
passos 0usca cur/as de resist%ncia com re(
lação a tens;es de teste /ariantes#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
,9SO+34O /1E2:0+1C, ' 0ES0E /E 0EMPO;+ES1S086C1,
J independente do tamano do e1uipamento e da temperatura#
Ele compara as caracter4sticas de a0sorção de isolaç;es contaminadas com as
caracter4sticas de a0sorção de 0oas isolaç;es#
. tensão de teste é aplicada além de um per4odo de &K minutos" com os dados
registrados a cada &K segundos do primeiro ao último minuto#
. interpretação da cur/a do grC-ico es0oçado 5Figura $#U6 irC determinar a condição da
isolação< um crescimento cont4nuo na resist%ncia representada indica 0oa isolação" 3C
uma cur/a uni-orme ou decrescente indica isolação dani-icada#
2utro método de determinar a 1ualidade de isolação é usar o teste de 4ndice de
polari8ação 5IP6#
Ele é particularmente /alioso no desco0rimento de umidade e entrada de óleo 1ue
possuem um e-eito de acatamento na cur/a do IP" gerando corrente de -uga e
e/entualmente circuitos em curto#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
2 IP é a proporção de duas leituras de temporesist%ncia< uma tomada depois de & minuto
e outra depois de &K minutos#
Com 0oa isolação" a resist%ncia de isolação começa 0ai7a e cresce D medida 1ue a
corrente de -uga capaciti/a diminui#
Resultados são o0tidos di/idindo(se o /alor de teste de &K minutos pelo /alor de teste de
& minuto# Bm IP 0ai7o indica pro0lemas com a isolação#
Fuando o tempo de teste é restrito" um atalo para o teste de 4ndice de polari8ação é o
teste de segundos 5$KEGK6 da proporção de a0sorção dielétrica 5Ta0ela $#H6#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
+ES7MO
. Ta0ela $#I tra8 um resumo dos testes mencionados anteriormente#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
6.2.< 0estando Cone=ões em >eradores? 0ransformadores? Motores e Fios
+ara testar a resist%ncia de isolação em geradores" trans-ormadores" motores e
instalaç;es de -ios" pode(se empregar 1ual1uer um dos testes de manutenção e predição
mencionados anteriormente#
Escoler testes de leitura de ponto" de tensão em passos ou tempo(resist%ncia depende
da ra8ão do teste e da /alidade dos dados o0tidos#
Male ressaltar 1ue cada -ase de/e ser testada em se1u%ncia e separadamente en1uanto
todas as outras -ases estão aterradas#
*este modo" a isolação entre as -ases tam0ém é testada#
Correç$o de tem#eratura #ara testes de m@*uinas rotativas
+ara testar armaç;es e resist%ncia de isolação de cur/as em campo a temperaturas
/ariadas" o IEEE recomenda a seguinte -órmula de resist%ncia de isolação<
R
m
O K
t
#5kV V &6
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
onde R
m
é resist%ncia de isolação m4nima
corrigida para HK
o
C em MΩ" K
t
é o coe-i(
ciente de temperatura da resist%ncia de
isolação D temperatura de cur/a" o0tido a
partir da Figura $#&K e kV é a tensão de
terminal a terminal nominal da mC1uina
em WM#
+ara um sistema tri-Csico testado com as
outras duas -ases aterradas" a resist%ncia
registrada para cada -ase de/e ser di/idi(
da por dois#
Então" o /alor resultante pode ser compa(
rado com a resist%ncia de isolação m4ni(
ma recomendada 5R
m
6#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
0estando >eradores e Motores
.o testar resist%ncia de 0o0inas de estator" certi-i1ue(se de 1ue as -ases e circuitos do
estator estão desconectadas#
Meça a resist%ncia de isolação entre circuitos e entre os circuitos e a terra#
Fuando geradores CC ou motores estão sendo testados" as esco/as de/em ser le/anta(
das de -orma 1ue as 0o0inas possam ser testadas separadamente da armação#
. Ta0ela $#$ dC as resist%ncias m4nimas recomendadas para motores de /ariadas tens;es
nominais#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
0estando 0ransformadores
.o testar trans-ormadores mono-Csicos" teste circuito a circuito" circuito a terra ou um
circuito de cada /e8 com todos os outros aterrados#
+ara determinar a resist%ncia de isolação m4nima" use uma das seguintes -órmulas da Ta(
0ela $#N" onde R é a resist%ncia de isolação m4nima de IKK /olts CC de um minuto em
MΩ@ C é a constante para mediç;es de )K
o
C 5igual a &"I para trans-ormador com preen(
cimento de óleo e GK para trans-ormador sem preencimento de óleoEsecoEpreencimen(
to composto6@ E é a tensão nominal@ e kVA é a pot%ncia nominal do circuito so0 teste#
+ara trans-ormadores tri-Csicos" su0stitua E por E
f-f
5para trans-ormadores delta6 ou E
f-n

5para trans-ormadores em X6 e a pot%ncia do circuito so0 teste de kVA para kVA

#
+ara unidades
tri-Csicas<
kVA

O G#5kVA

6
&E)#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
0estando 1nsta%ações de Fios e Cabos
.o testar -ios e ca0os" eles de/em estar desconectados de mC1uinas e painéis para
mant%(los isolados" sendo testados uns contra os outros e contra a terra#
. Insulated Power Cable Engineers Association 5I+CE.6 -ornece a seguinte -órmula 1ue
sugere /alores m4nimos de resist%ncia de isolação<
R O K#>og&K5Ed6
onde<

R é a resist%ncia em MΩ por GKK metros de ca0o 50aseado no potencial de teste de IKK
M" aplicado por um minuto a &I"$
o
C6@

K é a constante de material de isolação# +or e7emplo< papel impregnado – )#$HK" cam(
0raia en/erni8ada – )#H$K" polietileno termoplCstico – IK#KKK" polietileno composto –
GK#KKK@

é o diLmetro e7terno de isolação de condutor para -ios e ca0os condutores únicos#
O d V )c V )b diLmetro de ca0o condutor único" onde d é o diLmetro de condutor" c é a
espessura de isolação de condutor e b é a espessura de isolação de capa#
Manutenção Elétrica Industrial

Scmidlin !únior" Celso R# IFCE – Campus Maracanaú
$#) *eterminação do Método de Teste
+or e7emplo" um condutor número $ .#Y#,# de GKK metros com 0orraca natural
resistente ao calor e espessura de isolação de K"&)I polegadas terC KO&K#I$K e
>og&K5Ed6 O K"GNG#
*e acordo com a e1uação anterior" R O &K#I$K 7 K"GNG O G"UGU MΩ por GKK metros#
.ssim" a resist%ncia de isolação m4nima esperada para um único condutor por GKK metros
D temperatura de &I"I
o
C serC G"UGU MΩ.
Manutenção Elétrica Industrial