ÓPTICA

Óptica fisiológica: Estuda os mecanismos
responsáveis pela visão.
Óptica física : Estuda a natureza da luz.
Óptica geométrica: Estuda os fenômenos
relacionados à trajetória de propagação
da luz.
As divisões da óptica
O que é a luz?
Forma de energia radiante capaz de sensibilizar
nossos órgãos visuais.
Velocidade da luz no vácuo : 3.10
8
m/s.
O que é ano- luz?
O ano- luz
Corresponde à distância percorrida pela luz em
1 ano, no vácuo.
Δs = 1,0 ano-luz
Δs = 1,0 ano-luz = 9,5·10¹² km
Como os objetos são vistos?
Fontes de luz
Fontes primárias ou Corpos luminosos
São todos os corpos dos quais podemos
receber luz.
Fontes secundárias ou Corpos iluminados
Fontes de luz
Fontes primárias ou Corpos luminosos
São fontes que emitem luz própria
Chama de uma vela Sol
Fontes de luz
Fontes secundárias ou Corpos iluminados
São fontes que refletem a luz
proveniente de uma fonte luz primária.
A Lua
Frutas Animais
Raios e feixes de luz
Raios de luz
São linhas imaginárias que representam a
direção e o sentido de propagação da luz.
Ao conjunto de raios denominamos feixes de luz.
Tipos de Feixe
Lupa
1) convergente
O conjunto de raios luminosos
que convergem para um ponto P.
P
Tipos de Feixe
Lanterna
2) divergente
O conjunto de raios
luminosos divergem a partir
de um ponto P.
P
Tipos de Feixe
Todos os raios de luz do
conjunto que são paralelos
entre si.
Feixe de laser
3) cônico
Meios de propagação
Meios transparentes
São meios em que a luz se propaga em
trajetórias regulares, permitindo enxergarmos
nitidamente através deles.
Meios de propagação
Meios transparentes
água
vidraça
Meios de propagação
Meios translúcidos
São meios em que a luz se propaga em
trajetórias irregulares, não permitindo
enxergarmos nitidamente através deles.
Meios de propagação
Meios translúcidos
plásticos
Papel vegetal
vidros
Meios de propagação
Meios opacos
São meios que não permitem a propagação da
luz, de maneira que não podemos ver através
deles.
Meios de propagação
Meios opacos
muro
Corpo de um animal
Fenômenos ópticos
S Meio 1
Meio 2
Fenômenos ópticos
1) Reflexão regular
2) Reflexão difusa ou difusão
3) Refração
4) Absorção
Fenômenos ópticos
1) Reflexão regular
S
Meio 1
Meio 2
Retorno da luz ao meio de incidência mantendo a
regularidade do feixe incidente.
OBS.:Esse tipo de reflexão é muito importante, pois
é responsável pela formação de imagens em
superfícies lisas e polidas.
Fenômenos ópticos
Se ligue!!!
O polimento deixa a lataria do carro mais regular
Fenômenos ópticos
1) Reflexão regular
Meio 1
Meio 2
Superfície irregular
Fenômenos ópticos
2) Reflexão difusa ou difusão
Retorno da luz ao meio de incidência de forma
irregular em relação ao feixe incidente.
É responsável pela visão dos objetos que nos rodeiam.
S Meio 1
Meio 2
Fenômenos ópticos
3) Refração
Mudança no meio de propagação da luz,
acompanhada de variação na sua velocidade.
S
Meio 1
Meio 2
Fenômenos ópticos
4) Absorção
Representa a parte da luz que foi transformada
em outra forma de energia.
1) Princípio da independência dos raios de luz
Princípios da propagação da luz
Quando raios de luz se cruzam, cada um
segue seu caminho, independentemente uns
dos outros.
2) Princípio da reversibilidade dos raios de luz
Princípios da propagação da luz
A trajetória de um raio de luz não se
modifica quando se inverte o sentido de
sua propagação
3) Princípio da propagação retilínea da luz
Nos meios homogêneos e transparentes
a luz se propaga em linha reta
Princípios da propagação da luz
Representação da propagação
da luz
Princípios da propagação da luz
Fonte pontual
Placa
Sombra
projetada
Exemplo : sombras.
1) Princípio da propagação retilínea da luz
Princípios da propagação da luz
Exemplo : sombras.
1) Princípio da propagação retilínea da luz
Fonte pontual de luz
Objeto opaco
Sombra projetada
Cone de sombra
1) Princípio da propagação retilínea da luz
Penumbra Penumbra Sombra
Sombra
Penumbra
Fonte extensa
Analise as afirmações verdadeiras e as
afirmações falsas.

1. A luz pode ser entendida como agente físico
provocador do estímulo visual.

2. A Óptica Geométrica estuda os fenômenos luminosos
que envolvem considerações a respeito da
natureza íntima da luz.

3. Podemos associar à luz um tipo de energia, dita
radiante.

4. A visualização de uma fonte secundária só é possível
se esta estiver em presença de ao menos
uma fonte primária.

5. Fonte de luz é todo corpo capaz de produzir luz.

6. Uma lâmpada é uma fonte primária.

7. O filamento em caracol de um acendedor elétrico
de cigarros (do tipo existente em um automóvel),
quando aquecido, é um exemplo de fonte de luz
primária incandescente.

8. Fontes de luz puntiformes são aquelas de pequenas
dimensões.

9. A luz necessita de um meio material para se propagar.

Eclipses
Eclipse solar
Eclipse lunar
Eclipse solar
Penumbra
Eclipse solar parcial
Sombra projetada
Eclipse solar total
Ocorre durante o dia na fase de lua nova
Eclipse solar total
Eclipse lunar
Cone de sombra da terra
O eclipse lunar ocorre à noite na fase de lua cheia
Câmara escura de orifício
Câmara escura de orifício
H
o

H
i

D
o
D
i

Assim :
O
i
o
i
o
i
D
D
H
H

Dispersão da luz branca
A cor de um corpo
A cor de um objeto é a parcela de luz refletida
difusamente por ele.
Cor dos Objetos = Interação entre a luz incidente e o
pigmento.
Luz
Branca
Luz
Vermelha
Luz
Vermelha
Luz
Vermelha
Luz
Verde
Luz
Vermelha
Luz
Vermelha
Observe!
Luz
branca
Sistemas ópticos
São superfícies que refletem ou refratam a luz
Espelhos
Sistemas ópticos
São superfícies que refletem ou refratam a luz
Lentes
Sistemas ópticos
Ponto objeto
Vértice de um feixe luminoso incidente
POR
POV
POI
SO1
SO2
SO3
Sistemas ópticos
Ponto imagem
Vértice de um feixe luminoso emergente
PIR
PIV
PII
SO2
SO1
SO3