You are on page 1of 8

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAS
CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO
MÉTODOS E TECNICAS DE PESQUISA







PROJETO DE PESQUISA

SALAS CHEIAS, MENTES VAZIAS:
OS AFASTAMENTOS DOS PROFESSORES NA REDE PÚBLICA






Maíra Vitória dos Santos Almeida
Professor: Gustavo Antônio das Neves Bezerra


Volta Redonda
2013


SUMÁRIO

1. Resumo............................................................................................................. 3
2. Introdução e Justificativa.................................................................................. 4
3. Objetivos........................................................................................................... 4
4. Discussão bibliográfica..................................................................................... 5
5. Métodos e foras de analise dos resultados....................................................... 7
6. Cronograma...................................................................................................... 7
7. Referências bibliográficas................................................................................. 8







3

1. RESUMO
O estudo relacionado aos professores e os afastamentos das escolas é um estudo com
finalidade para que haja melhorias tanto na qualidade de vida do profissional, como melhorias
na educação em geral. A princípio percebe-se que a maioria dos afastamentos são
relacionados a doenças, tais como, problemas psíquicos, depressão, problemas com a voz,
entre outros. Mas ao aprofundarmos o estudo é perceptível que as condições de trabalho e a
falta de interesse com a educação por parte do governo, também são motivos que causam o
desânimo. Salas lotadas, falta de materiais, baixa remuneração e condições precárias na rede
de ensino não colaboram para que o papel do professor seja algo prazeroso. O abandono das
salas de aula não é uma tarefa fácil, menos ainda, uma decisão rápida. É vista como última
opção, devido ao esgotamento. Pode-se concluir que ao compreender os motivos dos
afastamentos daremos o primeiro passo para mudar o cenário da educação no Brasil. Ao
melhorarmos a qualidade de vida dos professores, que fazem muito além de passar matéria,
constroem opiniões e formam cidadãos, começaremos também a melhorar a educação.

Palavras-Chaves: Professores, Afastamentos, Motivos, Melhorias.













4

2. INTRODUÇÃO E JUSTIFICATIVA
Os afastamentos dos professores tem sido um problema crescente no Brasil. A
falta de materiais básicos, como lousa, giz e carteiras, a falta de qualidade no material
didático e tecnológico, juntamente com as péssimas condições do patrimônio escolar
afetam diretamente o professor, causando desanimo e falta de interesse dos
profissionais que convivem com essa realidade diariamente.
O desinteresse por partes dos alunos, que, muitas vezes, partem para agressão
física e verbal, a falta de colaboração dos pais, o baixo salário, que acaba
desvalorizando a profissão, e a ausência que apoio governamental são também causas,
que fazem com que os professores de escola publica vivam em condições continuas de
estresse, podendo levar desde problemas físicos, como ataques cardíacos, a
psicológicos, como depressão.
Em suma, entender os mkkkkkotivos que levam aos afastamentos dos
professores é importante porque junto com a melhoria da qualidade de vida do
professor, o estudo fará também com que possamos enxergar as deficiências nas
escolas públicas e agir de forma especifica para melhoria da educação brasileira.

3. OBJETIVOS
O objetivo de estudar o afastamento dos professores é importante para
melhoria de saúde e de qualidade de vida dos professores, e também é para
descobrirmos as melhorias que precisam ser realizadas nas escolas mediante o olhar
mais crítico dentro dela: o do professor.







5

4. DISCUSSÃO BIBLIOGRÁFICA
É notável que há mais de um artigo e estudo publicado que esteja relacionado
com os afastamentos dos professore e suas possíveis causas. Essas causas são
diversificadas, embora transtornos psíquicos fiquem em primeiro lugar entre os
diagnósticos que provocam o afastamento, segundo o artigo: O professor, as condições
de trabalho e os efeitos sobre sua saúde, por Sandra M. Gasparini, Sandhi M. Barreto e
Ada A. Assunção.
O professor é peça importante para a formação do cidadão. Nos dias de hoje
sua missão é além da sala de aula, é necessária uma dedicação ampla à qual se estende
às famílias e à comunidade. Entretanto, não é fornecido os meios pedagógicos
necessários para as realizações das tarefas, pela administração escolar. O que faz com
que o professor de esforce mais, tendo ele mesmo que buscarem seus próprios meios.
E, na maioria das vezes, esses profissionais não são devidamente reconhecidos e
remunerados.
As circunstâncias sob as quais os professores trabalham podem gerar sobre-
esforço ou hipersolicitação de suas funções psicofisiológicas. Se não há tempo para a
recuperação, são desencadeados os sintomas que explicariam os índices de
afastamento do trabalho por transtornos mentais.
Embora os dados acerca de afastamentos por licenças médicas não indiquem a real
dimensão do problema de saúde de uma categoria de trabalhadores, os indicadores
podem ser tomados como pistas sobre situações que merecem maior
aprofundamento e análise. No caso estudado, os dados da literatura são coerentes
com os registros na Gerência de Saúde do Servidor e Perícia Médica, em Belo
Horizonte, apresentados anteriormente, os quais colocam em evidência a prevalência
de afastamentos dos professores, sendo os transtornos psíquicos responsáveis pelo
maior número de casos. (GASPARINI , Sandra M.; BARRETO, Sandhi M. e
ASSUNÇÃO, Ada A, 2004)

É comprovado que o abandono da sala de aula por parte do professor não é um
acontecimento repentino, há várias etapas (difíceis e conflituosas) até que ele tome
essa decisão. Pode ser visto na mídia que a cada ano cresce o número que professores
que deixam a escola pública. A renúncia não é fácil, essa ação é capaz de provocar
frustração e sentimento de fracasso, comprometendo ainda mais na saúde mental do
professor. Além que tudo conquistado será perdido e a idealização de ser professor é
desfeita por culpa das dificuldades e insatisfações.
6

As análises evidenciam que, além dos baixos salários, as precárias situações, a
insatisfação no trabalho e o desprestígio profissional estão entre os fatores que mais
contribuem para que os professores deixem a profissão docente. Mostram também
que esse processo acontece lentamente, por meio de uma série de mecanismos
pessoais e institucionais de que os docentes fazem uso, até que ocorra o abandono
definitivo. (LAPO, Flavines R. e BUENO, Belmira O., 2002)

O estudo realizado pela APEOESP é ainda mais específico em relação aos
motivos apontados pelos professores em relação ao afastamento. É comprovado que o
estresse tem maior frequência (48,5%), seguido de problemas de voz (36,0%), comum
entre os professores, depressão (26%), entre outros. A síndrome de Burnout também é
comum (acima de 40%) e pode ser definida como "exaustão emocional". Outros dado
relatados na pesquisa são a superlotação e as condições ruins das salas de aula
também interferem no desempenho do professor, além de cerca de 45% dos
professores precisam de outras atividades fora da rede estadual de ensino para
complementar a renda (jornada superior a 36 horas semanais). A violência nas escolas
a indisciplina dos alunos e a falta de segurança são mais fatores que atuam
diretamente sobre a saúde do professor

O tema saúde dos trabalhadores e educação é questão central na pauta sindical há
anos e, em especial, quando das intensificações políticas neoliberais dos anos de
1990 que acentuaram o adoecimento dos trabalhadores. Nas instâncias de
representação sindical, o tema foi objeto de seminário realizado pela confederação
nacional dos trabalhadores em educação (CNTE) entre os dias 17 e 19 de novembro
de 2009, em Brasília, e cujos resultados foram publicados na série Cadernos de
Educação. (APEOESP, 2010)







7

5. METODOLOGIA E FORMA DE ANALISE DOS RESULTADOS
O estudo será realizado por meio da Pesquisa Quantitativa, gerando medidas
confiáveis que permitam uma analise estatística.
Método indutivo. Este método permite que possamos analisar nosso objeto para
tirarmos conclusões gerais ou universais. Assim, a partir, por exemplo, da
observação de um ou alguns fenômenos particulares, uma proposição mais geral é
estabelecida para, por sua vez, ser aplicada a outros fenômenos. É, por tanto, um
procedimento generalizador. (MEZZAROBA, 2009, p. 62)


6. CRONOGRAMA





8

7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
LAPO, Flavines R. e BUENO, Belmira O. . Professores, desencanto com a profissão e o
abandono do magistério – 2002. Disponível em: <
http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n2/a03v31n2.pdf> Acessado em: 05 ago. 2013.
GASPARINI , Sandra M.; BARRETO, Sandhi M. e ASSUNÇÃO, Ada A. O professor, as
condições de trabalho e os efeitos sobre a saúde - 2004. Disponível em: <
http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n2/a03v31n2.pdf> Acessado em: 05 ago.2013
APEOESP. Saúde dos professores e a qualidade do ensino – 2010. Disponível em:
<http://www.apeoesp.org.br/publicacoes/saude-dos-professores/saude-dos-professores-e-a-
qualidade-do-ensino/> Acesso em: 05 ago. 2013.
VEJA, São Paulo, 12/07/2010. Cresce o número de professores afastados por transtornos
mentais. Disponível em: <http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/cresce-o-numero-de-
professores-afastados-por-transtornos-mentais> Acesso em: 25 jun.2013
CALIXTO, Tatiane. Pesquisa aponta que depressão é maior causa de afastamento de
professores. A Tribuna, Santos, 12 set. 2012. Disponível em:
<http://www.apeoesp.org.br/noticias/noticias/pesquisa-aponta-que-depressao-e-maior-causa-
de-afastamento-de-professores/> Acessado em: 25 jun. 2013
APEOESP, São Paulo. Disponível em: <http://www.apeoesp.org.br/publicacoes/observatorio-
da-violencia/pesquisa-aponta-que-44-dos-professores-foram-agredidos-em-sala/>Acesso em :
25 jun. 2013.
APEOESP. Saúde dos professores e a qualidade do ensino – 2010. Disponível em:
<http://www.apeoesp.org.br/publicacoes/saude-dos-professores/saude-dos-professores-e-a-
qualidade-do-ensino/> Acesso em: 25 jun. 2013.
MIRANDA, Dely Bezerra de. Normatização de Trabalhos Acadêmicos - 2003. Disponível
em: <http://www.biblioteca.ufrrj.br/07-referencias.html >. Acesso em: 04 jul. 2013.
MEZZAROBA, Orides; MONTEIRO, Cláudia Servilha. Manual de Metodologia da
Pequisa no Direito. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.