EXMO (A) SR (A) DR (A) JUIZ (A) FEDERAL DA VARA DO JUIZADO

ESPECIAL CIVEL E PREVIDENCIÁRIO DA SUBSEÇÃO DE BLUMENAU -
SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DE SANTA CATARINA.
RUDIBERT KLUG, brasileiro, casado, aposentado,
inscrito no CPF sob nº 121.966.149-04, residente e domiciliado na rua Ribeirão
c!elter, nº 204", bairro #esto alto, munic$pio de %lumenau&C, 'em, com o de'ido
acatamento, ( presen)a de *ossa +,cel-ncia, por seu ad'o.ado si.nat/rio, com
escrit0rio pro1issional situado na rua Felipe c!midt, nº 202, bairro Centro, munic$pio
de %rus3ue&C, onde recebe intima)4es e a'isos, propor a presente AÇÃO DE
COBRANÇA em 1ace da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, pessoa 5ur$dica de
6ireito Pri'ado, com a.-ncia estabelecida na Rua 2 de etembro, nº 1714, bairro
Centro, %lumenau 8C9, pelos moti'os de 1ato e de direito 3ue a se.uir passa a e,por:
; Re3uerente possu$a 5unto ( institui)ão 1inanceira
acima, caderneta de poupan)a 8documenta)ão ane,a9, tendo so1rido pre5u$<o em suas
aplica)4es 1inanceiras, durante a ocorr-ncia dos Planos +con=micos a se.uir descritos.
DOS PLANOS ECONÔMICOS DOS PLANOS ECONÔMICOS
> instabilidade econ=mica pro'ocou .randes
transtornos com a cria)ão de sucessi'os e maus sucedidos planos econ=micos de ori.em
tecnocr/tica, a come)ar pelo P?>@; CRAB>6; 819C69, se.uido do P?>@;
%R++R 85un!o de 19C29, P?>@; *+RD; 85aneiro de 19C99, C;??;R E 8mar)o de
19909 e, C;??;R EE 819919.

PLANO BRESSER PLANO BRESSER
ur.iu em 12 de 5un!o de 19C2, atra'Fs do 6ecreto-
?ei nº 2.77", pro'ocando o con.elamento de todos os pre)os pelo pra<o m/,imo de 90
8no'enta dias9,con1orme norma institu$da no arti.o 1º do re1erido diploma. Com este
decreto-lei as normas relati'as ( atuali<a)ão dos saldos da caderneta de poupan)a 1oram
alteradas,pro'ocando a supressão do percentual de 26,06G 8'inte e seis '$r.ula <ero seis
por cento9 re1erente ao EPC de 5un!o de 19C2, 1ato este ile.al, 3ue 1eriu o princ$pio do
direito ad3uirido pre'isto no art. "º, inciso HHH*E da Constitui)ão Federal, pois a lei
não pode retroa.ir para alcan)ar situa)4es 5/ consolidadas.
>ntes do re1erido decreto, os saldos das cadernetas
de poupan)as eram corri.idos pelos rendimentos das ?%C 8?etras do %anco Central9 ou
por outro $ndice estabelecido pelo CI@ 8Consel!o Ionet/rio @acional9. +m 26.02.C2,
o %anco Central determinou a corre)ão pelas ;#@ 8;bri.a)4es do #esouro @acional9,
cu5a atuali<a)ão ocorria pela 'aria)ão do EPC ou ?%C, adotando-se sempre o maior
$ndice.
Com isto, adotou-se a corre)ão pela 'aria)ão da
;#@Js, ou, se maior, pelo rendimento das ?%CJs 3ue e,cedessem o percentual 1i,o de
0,"G relati'o aos 5uros.
>contece 3ue a in1la)ão medida no m-s de
5un!o&19C2, para crFdito nas contas de poupan)a no m-s de 5ul!o&19C2, 1oi de 26,06G
8EPC9, sendo creditado apenas 1C,02G, ou se5a, 1altando ( di1eren)a entre a in1la)ão
medida pelo EPC e a medida pelo ?%C.
#al pro'id-ncia trans.rediu princ$pios
constitucionais prote.idos, 3uais se5am, do direito ad3uirido, do ato 5ur$dico per1eito e
da irretroati'idade das leis, 5/ 3ue a Resolu)ão não poderia abran.er as contas de
poupan)a com ani'ers/rio atF o dia 1" 83uin<e9, pois 5/ se encontra'am com o trint$dio
iniciado ou reno'ado para receberem inte.ralmente a corre)ão monet/ria do m-s de
5un!o de 19C2, para crFdito no m-s de 5ul!o de 19C2.
6esse modo, o RFu causou o pre5u$<o de C,04G 8oito
'$r.ula 3uatro por cento9, 3ue de'eriam ter sido creditados na conta poupan)a do8a9
Re3uerente em 5ul!o&19C2, di1eren)a esta entre o percentual de 26,06G 8'inte e seis
'$r.ula seis por cento9, mais 5uros remunerat0rios de 0,"G 8<ero '$r.ula cinco por
cento9 ao m-s e o percentual e1eti'amente pa.o de 1C,02G.
+sse entendimento t-m sido adotado de 1orma
reiterada pelas decis4es do +.rF.io #ribunal de Kusti)a de anta Catarina e do uperior
#ribunal de Kusti)a, com intuito de .arantir direitos constitucionais m/,imos, neste
caso, o direito dos poupadores em ter seus saldos das cadernetas de poupan)a corri.idos
pelo $ndice do EPC&E%L+ nos meses em 3ue !ou'e e,pur.o da in1la)ão pelo 1alido
plano econ=mico da Fpoca.
ADMINISTRATIVO. CADERNETA DE
POUPANÇA – ALTERAÇÃO DO CRITÉRIO DE
ATUALIZAÇÃO – JUNHO/87 – DIREITO
ADQUIRIDO – AGRAVO DESPROVIDO.
Inii!"! #$ %&n#'!"! !"&%n&(! "& )#$)!n*!+
n#%,! )#-(&%i#% .$& !/(&%& # 0n"i& "& #%%&*1#
ini"&n(& -#2%& (!/ ,#"!/i"!"& "& in'&-(i,&n(# n1#
)#"& %&(%#!3i% )!%! !/!n*45/!. T&n"# ini"6ni!
i,&"i!(! & "i-)#n"# )!%! # 7$($%#+ n1# !7&(! !-
-i($!*8&- 9$%0"i!- #n-(i($0"!-. :A3. R3. n# A3 n+
;7.<785= – CE. R&/. Min. S4/'i# "& >i3$&i%&"#.
Q$!%(! ($%,!. Un?ni,&+ DJ @A.B;.@<<=C.
>inda:
CIVIL/PROCESSUAL. PLANO DRESSER.
CADERNETA DE POUPANÇA. SEGURO
IN>LAÇÃO.
A- n#'!- %&3%!- %&/!(i'!- !# %E"i(# "# -&3$%#
in7/!*1# )!%! #%%i3i% #- -!/"#- "& !"&%n&(! "&
)#$)!n*! &F)%&--!,&n(& -& %&7&%&, !# ,6- "& 9$/G#
"& @<87+ "& -#%(& ! )%&-&%'!% # "i%&i(# "#-
"&)#-i(!n(&- "& (&%&, %&"i(!"#- #- '!/#%&-
%&/!(i'#- !# IPC )!%! #%%i3i% #- -!/"#- "& #n(!-
#, "!(!- "# ,6- "& 9$nG#+ )#% ,!i- &/&'!"#- "#
.$& #- "! '!%i!*1# "! LDC.H:R&'i-(! "# STJ n.I JA+
)43-. =<@/<;C.
Conse3Mentemente, não restam dN'idas acerca do
direito da Re3uerente, de'endo ser recon!ecido como de'ido o rea5ustamento dos
saldos de sua conta poupan)a pela 'aria)ão do EPC de 5un!o de 19C2, no dia 1.º de 5ul!o
do mesmo ano, cabendo ao Re3uerido pa.ar as di1eren)as ainda de'idas.
PLANO VERÃO PLANO VERÃO
Enstitu$do pela Iedida Pro'is0ria nº 72&C9,
publicada no dia 1"&01&19C9, trans1ormada depois na lei 2.270, de 71.01.C9, trou,e
mudan)as nos critFrios de aplica)ão da corre)ão monet/ria, e,tin.uindo a ;#@ e
passando a corre)ão ser reali<ada com base nas ?#FJs, causando pre5u$<os, pois seu
e1eito retroati'o estabelecido atin.iu o direito ad3uirido do poupador e o ato 5ur$dico
per1eito. + F com base nestes princ$pios, somados ao princ$pio da irretroati'idade das
leis, 3ue a Iedida Pro'is0ria acima não poderia incidir sobre as contas de poupan)a
com ani'ers/rio atF o dia 1" 83uin<e9, pois estas 5/ se encontra'am com o no'o trint$dio
iniciado ou reno'ado para receberem inte.ralmente a corre)ão monet/ria re1erente ao
m-s de 5aneiro&C9, para crFdito no m-s de 1e'ereiro&C9.
En1rin.iu o Re3uerido preceito constitucional,
en3uanto os 'alores pertencentes a Re3uerente permaneciam depositados na institui)ão
1inanceira Re3uerida, rendendo di'idendos muito superiores aos 3ue realmente l!e
1oram pa.os.
#al 1ato consubstancia o direito dos poupadores (
condena)ão das aludidas institui)4es 1inanceiras a pa.ar a di1eren)a no percentual de
42,22G 83uarenta e dois reais '$r.ula setenta e dois por cento9, re1erente ( corre)ão
monet/ria correspondente ao EPC do m-s de 5aneiro de 19C9, ao in'Fs do percentual de
22,920CG e1eti'amente creditado.
O cristalina a ocorr-ncia do direito do8a9 Re3uerente
( atuali<a)ão monet/ria de seus in'estimentos em cru<ados no'os se.undo a 'aria)ão da
;#@, acrescidos de 5uros le.ais no percentual de 6G ao ano. > Iedida Pro'is0ria nº
72&C9, buscando e1eitos retroati'os, a.iu mani1estamente contr/ria ao direito,
modi1icando uma situa)ão 3ue 5/ se encontra'a acobertada pelo direito ad3uirido e pelo
ato 5ur$dico per1eito, uma 'e< 3ue promul.ada em 5aneiro de 19C9, e depois
trans1ormada na ?ei nº 2.270&C9.
> Constitui)ão Federal em seu arti.o "º, HHH*E,
disp4e:
KA%(. A.I :...C
LLLVI – ! /&i n1# )%&9$"i!%4 # "i%&i(# !".$i%i"#+ #
!(# 9$%0"i# )&%7&i(# & ! #i-! 9$/3!"!MH
> 5urisprud-ncia con1irma o a3ui esposado nos
se.uintes termos:
CIVIL – CADERNETA DE POUPANÇA –
ALTERAÇÃO DO CRITÉRIO DE ATUALIZAÇÃO –
DIREITO ADQUIRIDO – NORMA DE ORDEM
PNDLICA – INTERESSE COLETIVO – SNMULA
8= DO STJ.
I – Inii!"! #$ %&n#'!"! !"&%n&(! "& )#$)!n*!+
n#%,! )#-(&%i#% .$& !/(&%& # 0n"i& "& #%%&*1#
ini"&n(& -#2%& (!/ ,#"!/i"!"& "& in'&-(i,&n(# n1#
)#"& %&(%#!3i% )!%! !/!n*45/!. T&n"# ini"6ni!
i,&"i!(! & "i-)#n"# )!%! # 7$($%#+ n1# !7&(i'! !-
-i($!*8&- 9$%0"i!- 94 #n-(i($0"!-.
II – O %i(E%i# "& !($!/iO!*1# &-(!2&/&&n"# .$!n"#
"! !2&%($%! #$ %&n#'!*1# !$(#,4(i!+ "!-
!"&%n&(!- "& )#$)!n*!+ )!%! 'i3#%!% "$%!n(& #
)&%0#"# ,&n-!/ -&3$in(&+ )!--! ! -&%+ ! )!%(i% "&
&n(1# "i%&i(# !".$i%i"# "# )#$)!"#%.H :RE-). n.I
J@J7;5A5SP+ Min. S4/'i# "& >i3$&i%&"#. J.P T.
$n?ni,&. DJ ;A.BJ.<JC.
CIVIL – CADERNETA DE POUPANÇA –
CORREÇÃO MONETQRIA.
I – A %&/!*1# 9$%0"i! "&#%%&n(& "# #n(%!(# "&
"&)R-i(# &, !"&%n&(! "& )#$)!n*! &-(!2&/&&5-&
&n(%& # )#$)!"#% & # !3&n(& 7in!n&i%#+ -&n"# ! &/!
&-(%!nG#- &n(%& 7&"&%!i- &n!%%&3!"#- "!
n#%,!(iO!*1# "# -&(#%. L&3i(i,i"!"& "& )!%(&
)!--i'! !" !$-!,+ )#% #n-&3$in(&+ "! in-(i($i*1#
7in!n&i%!.
II – S- !"&%n&(!- "& )#$)!n*! inii!"!- #$
%&n#'!"!- n# )&%0#"# #,)%&&n"i"# &n(%& @.I & @A
"& 9!n&i%# "& @<8< n1# -& !)/i! # "i-)#-(# n# !%(.
@7+ I "! L&i n.I 7.7=B/8<. P%&&"&n(&- "# STJ.H
A3%!'# i,)%#'i"#. :A3. R3. n# A3. N.I ;8.8<;5< –
CE. R&7. Min. D!%%#- M#n(&i%#. Q$!%(! T$%,!.
Un?ni,&. DJ BA.BJ.<=.
Con'Fm ainda esclarecer, con1orme entendimento
mais correto da 5urisprud-ncia e se.uindo orienta)ão econ=mica, o $ndice a ser
considerado não de'e ser o de 20,2CG, pois com a altera)ão da metodolo.ia de c/lculo
da 'aria)ão do EPC pelo arti.o 9º da ?ei nº 2.270&C9, o E%L+ c!e.ou ao percentual de
20,2CG. @o entanto, da mesma 1orma 3ue a lei não poderia retroa.ir para alterar o
direito ad3uirido atinente ao ani'ers/rio das contas, tambFm seria de1eso alterar a
metodolo.ia de c/lculo do EPC para per$odo pretFrito, notadamente como o 1e<.
; per$odo considerado de 'aria)ão 1oi o de
70&11&19CC e 1"&01&19C9, contando-se duplamente a oscila)ão e,istente no lapso de
70&11&CC e 1"&12&CC, 3ue 5/ !a'iam composto o $ndice do m-s de de<embro de 19CC,
mais o per$odo de 1" a 20 de 5aneiro de 19C9.
endo assim, o percentual 3ue dei,ou de ser
creditado a8o9 Re3uerente 1oi o e3ui'alente a 42,22G, resultante da di'isão do $ndice de
20,2CG pelos "1 dias computados para e1eito da compara)ão, multiplicando-se o
resultado por 71.
6e maneira 3ue, o Re3uerido de'e creditar ao saldo
da conta-poupan)a do8a9 Re3uerente, recomposto ( Fpoca dos 1atos, o percentual de
42,22G.
Considerando o acima e,planado, de'e-se a1astar
3ual3uer interpreta)ão 3ue le'e ( conclusão di'ersa da pretensão do8a9 Re3uerente, por
ser incompat$'el com os princ$pios constitucionais 3ue prote.em o direito ad3uirido e o
ato 5ur$dico per1eito, <elando assim pela se.uran)a das rela)4es 5ur$dicas.
PLANO COLLOR I PLANO COLLOR I
> Iedida pro'is0ria nº 16C, de 1"&07&1990,
con'ertida na ?ei nº C.024&90, instituiu no'o Plano de +stabili<a)ão +con=mica,
con!ecido como Plano Collor E, re-denominou a moeda nacional de cru<ado no'o para
cru<eiro, com o indis1ar)/'el prop0sito de en,u.ar a economia, tornando indispon$'eis,
para seus titulares, C0G 8oitenta por cento9 dos ati'os 1inanceiros em .eral depositados
ou aplicados 5unto (s institui)4es 1inanceiras.

@este per$odo, a incid-ncia deste plano econ=mico,
1e< com 3ue parte do dep0sito 1osse mantido na conta poupan)a 5unto ( institui)ão
1inanceira dispon$'el e atuali</'el pelo EPC. ;utra parte P e,cedente a @CBQ "0.000,00
P as poupan)as blo3ueadas 3ue permaneceram 5unto ao %>C+@, de'eriam ser
atuali<adas pelo %#@ 1iscal, a1erido entre mar)o&abril&90, nas respecti'as datas de
ani'ers/rio, como determinado pelo R 2º do art. 6º da IP 16C&90.
>s cadernetas de poupan)a ani'ersariantes nos
primeiros dias do m-s de abril de 1990 1oram corri.idas pelo $ndice dado pelo
EPC&E%L+ de mar)o&90, percentual de C4,72G. +, as cadernetas de poupan)a com
ani'ers/rio ap0s 17&04&1990 P parcela de cru<ados no'os blo3ueados 5unto ao %>C+@
P 1oram remuneradas pela 'aria)ão do %#@F.
Portanto, com o ad'ento da ?ei C.024&90, os saldos
em cadernetas de poupan)a com ani'ers/rio atF 1"&07&1990 de'em ser rea5ustados pelo
Sndice de Pre)os ao Consumidor 8EPC&E%L+9, de C4,72G, apurado de 1" de 1e'ereiro a
1" de mar)o de 1990. Pois, se trata de direito ad3uirido, lembrando 3ue seus contratos
de poupan)a com as institui)4es 1inanceiras 1oram 1irmados sob as re.ras da lei
2.270&C9, entendendo 3ue, o %#@F como 1ator de corre)ão, introdu<ido pelo Plano
Collor, s0 'aleria para os contratos posteriores a 1" de mar)o de 1990.
6esta 1orma, com base no princ$pio do direito
ad3uirido, do ato 5ur$dico per1eito e da irretroati'idade das leis, o Plano Collor E não
poderia abran.er as contas de poupan)as 3ue 5/ !a'iam iniciado ou reno'ado seu
trint$dio, de'endo receber inte.ralmente a corre)ão monet/ria pre'ista na lei 2.270&C9.
>ssim, o re3uerido de'e pa.ar a di1eren)a entre o
percentual de C4,72G mais 5uros le.ais de 0,"G, e 3ue de'eria ter sido creditado nas
contas de poupan)a de mar)o de 1990 ao in'Fs do percentual de 24,00G e1eti'amente
creditado, tendo causado pre5u$<o de 10,72G.
> se.ura 5urisprud-ncia do #ribunal de Kusti)a de
anta Catarina in1orma, in '&%2i-:
PLANO VERÃO :MP NI =;/8< & LEI NI 7.7=B/8<C.
PLANO COLLOR I :MP NI @T8/<B & LEI NI
8.B;J/<BC. UNDICES DE CORREÇÃO
MONETQRIA.
O- 0n"i&- "& #%%&*1# ,#n&(4%i! !)/i4'&i- !#-
"&)R-i(#- "!- !"&%n&(!- "& )#$)!n*! n# !"'&n(#
"# P/!n# V&%1# & "# P/!n# C#//#% I -1#+
%&-)&(i'!,&n(&+ "& J;+7;V :9!n&i%#/8<C+ 8J+=;V
:,!%*#/<BC & JJ+8BV :!2%i//<BC. :A). C0'&/
@<<8.BB88=A5T+ "& S1# D&n(# "# S$/+ D&-. R&/.W
N&X(#n J!nY&. DJ. ;@/B=/B;C.
AÇÃO DE CODRANÇA. CADERNETA DE
POUPANÇA. PLANO VERÃO E PLANO COLLOR.
DI>ERENÇA DE CORREÇÃO MONETQRIA.
LEGITIMIDADE PASSIVA. AD CAUSAM DA
INSTITUIÇÃO >INANCEIRA DEPOSITQRIA.
PRECEDENTES DO STJ. APLICAÇÃO DO IPC
PARA AS CONTAS COM PERUODO AQUISITIVO
INICIADO ATÉ @A DE JANEIRO/8< E @A DE
MARÇO/<B. SUCUMDZNCIA RECUPROCA 5
RECURSO DE APELAÇÃO PROVIDO EM PARTE.
:A). C0'. n. @<<7.BB7;<@5B+ "& S1# L#$%&n*# "#
O&-(&+ R&/. D&-!. M!%i! "# R#i# L$O S!n(! Ri((!C.

APELAÇÃO CIVIL. CADERNETA DE
POUPANÇA. PLANO COLLOR. CORREÇÃO
MONETQRIA. LIQUIDAÇÃO ELTRAJUDICIAL.
SUSPENSÃO DO PROCESSO.
DESNECESSIDADE. LEGITIMIDADE DO DANCO
DEPOSITQRIO. UNDICE DE 8J+=;V MEDIDO
PELO IPC PARA O MZS MARÇO/<B. LEI NI
8.B;J/<B. IRRETROATIVIDADE. DIREITO
ADQUIRIDO DO DEPOSITANTE. SENTENÇA
CON>IRMADA. APELO DESPROVIDO.
5 O 7!(# "& ! /i.$i"!*1# &F(%!9$"ii!/ "# 2!n#
%&.$&%i"# (&% -i"# "&%&(!"! "$%!n(& # (%?,i(& "#
)%#&--# n1# &-(!'! ! i,)&"i% # )%#--&3$i,&n(#
"&-(&+ )#-(# .$& # !%(i3# !%(. @8+ /&(%! !+ "! L&i
T.B;J/7J+ "&'& -&% !n!/i-!"# #, ,#"&%!*1#+
)%ini)!/,&n(& n#- !-#- &, .$& ! !*1# !9$iO!"!
-#,&n(& 2$-! # %&#nG&i,&n(# "& "&(&%,in!"#-
"i%&i(#-.
5 O 2!n# "&)#-i(4%i# n1# E # D!n# C&n(%!/+ E
)!%(& /&30(i,! )!%! %&-)#n"&% )&/# %&"i(!,&n(#
"!- "i7&%&n*!- "& %&,$n&%!*1# "!- !"&%n&(!- "&
)#$)!n*!+ n! ,&"i"! &, .$& in(&3%! ! %&/!*1#
9$%0"i! #n(%!($!/+ 9$n(!,&n(& #, # )#$)!"#%.
5 O- 0n"i&- "& !($!/iO!*1# ,#n&(4%i! ,&"i"#- )&/#
IPC -1# %&-)&(i'!,&n(& )!%! # ,6- "& 9!n&i%# "&
@.<8<+ J;+7;V+ )!%! #- ,&-&- "& ,!%*#+ !2%i/ &
,!i# "& @<<B+ 8J+=;V+ JJ+8BV & 7+87V & )!%! #
,6- "& 7&'&%&i%# "& @<<@+ ;@+87V :...C :A). Ci'. nI
<T.BBJ=775;+ "& C%ii[,!+ R&/. D&-. N&/-#n
SG!&7&% M!%(in-C :A). C0'. n. <<.B@<=@B5@+ "&
I2i%!,!+ R&/. D&-. SE%3i# R#2&%(# D!!-G L$OC.
#odas as cadernetas de poupan)a atF a primeira
3uin<ena de mar)o 1990 1oram, antes de serem con'ertidas em cru<eiros, inte.ralmente
corri.idas pelo EPC de C4,72G. >ssim, depois de terem tido todos os seus 'alores
corri.idos, os 'alores atF @C<Q "0.000,00 1oram con'ertidos em cru<eiros,
permanecendo nas respecti'as institui)4es 1inanceiras e disponibili<ados aos seus
titulares. ;s 'alores e,cedentes 1oram trans1eridos para o %anco Central, e se tomaram
indispon$'eis.
Conse3Mentemente, não restam dN'idas acerca do
direito da Re3uerente, de'endo ser recon!ecido como de'ido o rea5ustamento dos
saldos de sua conta poupan)a pela 'aria)ão do EPC de mar)o de 1990, no percentual de
C4,72G, de'endo o re3uerido creditar ao saldo da conta-poupan)a do8a9 Re3uerente,
recomposto ( Fpoca dos 1atos, o percentual de 10,72G, ainda de'ido.
PLANO COLLOR II PLANO COLLOR II
6iante da 1racassada tentati'a de 1rear o processo
in1lacion/rio atra'Fs de medidas pro'is0rias anteriores, o Lo'erno Federal tomou a
iniciati'a de estabelecer no'o plano econ=mico, denominado P?>@; C;??;R EE,
atra'Fs da Iedida Pro'is0ria nº 294&91, de 01&02&1991, trans1ormada na ?ei C.122, de
1º de mar)o de 1991, publicada no 6i/rio ;1icial da Anião em 4 de mar)o do mesmo
ano.
+sta lei e,tin.uiu o %#@F, 3ue atF então era o $ndice
utili<ado para a atuali<a)ão das contas de poupan)a, criando um no'o inde,ador,
denominado de #a,a Re1erencial 6i/ria P #R6, a 3ual de'eria ser utili<ada, entre
outras, e se.undo o acima e,planado, a corre)ão dos saldos das cadernetas de poupan)a,
de'er/ ser e1etuado se.undo os termos do arti.o 12:
A%(. @; – E, !"! )&%0#"# "& %&n"i,&n(#+ #-
"&)R-i(#- "& )#$)!n*! -&%1# %&,$n&%!"#-W #, !
%&,$n&%!*1# 24-i!+ )#% (!F! #%%&-)#n"&n(& \
!$,$/!*1# "!- TRD+ n# )&%0#"# (%!n-#%%i"#
&n(%& # "i! "# [/(i,# %E"i(# "& %&n"i,&n(#+
in/$-i'&+ & # "i! "# %E"i(# "& %&n"i,&n(#+
&F/$-i'&M
:...C
II 5 #, # !"ii#n!/+ )#% 9$%#- "& ,&i# )#% &n(# !#
,6-.
>ssim, a partir do m-s de 1e'ereiro de 1991, o saldo
das cadernetas de poupan)a passaram a ser corri.idos com base na 'aria)ão da #R6.
6e acordo com o disposto no R 7º, do arti.o 1º, da
?ei nº C.122 1icou a critFrio do %>C+@ 1i,a)ão da #R, '&%2i-W
En.$!n(# n1# !)%#'!"! ! ,&(#"#/#3i! "& 4/$/#
"& .$& (%!(! &-(& !%(i3#+ # D!n# C&n(%!/ 7iF!%4 !
TR.
*alendo-se da discricionariedade 3ue l!e outor.ou
a lei, o %anco Central 1e< com 3ue a #R6, no m-s de 1e'ereiro, 'ariasse entre 2G e 9G.
Fla.rante a 1alta de critFrio ob5eti'o e o
descompasso com a realidade, pois no per$odo, o EPC 8Nltimo m-s em 3ue 1oi calculado
pelo E%L+9 apontou uma 'aria)ão de 21,C2G.
+mbora nesse caso não ten!a ocorrido a
retroati'idade da norma em e,ame, como nos Planos %resser e *erão, cumpre ressaltar
a ile.alidade de tal procedimento, mas por aspecto di'erso. ;corre 3ue a #R6,
institu$da pela IP 294&91, não se presta como $ndice de atuali<a)ão monet/ria, pois não
F calculada com base na 'aria)ão dos pre)os, mas na 1ai,a mFdia de remunera)ão de
aplica)4es 1inanceiras. #rata-se em 'erdade, de ta,a de 5uros, como 1oi e,pressamente
recon!ecido pela IP nº 29C&91, ao tratar de tributos 1ederais 3ue disp=s sobre os
dFbitos para com a Fa<enda incidiram 5uros de mora e3ui'alentes a #a,a Re1erencial
6i/ria 8#R69 8art. 7º, inciso E9.
;ra, não obstante a inaplicabilidade da #R6, por sua
nature<a de ta,a de 5uros, não podem as contas de poupan)a dei,ar de so1rer atuali<a)ão
no per$odo em 3uestão. >ssim sendo, a atuali<a)ão, no m-s de 1e'ereiro de 1991, com
incid-ncia em mar)o do mesmo ano, de'eria ocorrer por $ndice 3ue re1letisse a in1la)ão
do per$odo, no caso o EPC&E%L+, 3ue atF então 'in!a sendo usado para corri.ir as
cadernetas de poupan)as.
Por essas ra<4es !/ 3ue se recon!ecer em 1a'or
do8a9 Re3uerente, o direito de 'er aplicado sobre o saldo de 1e'ereiro de 1991, o $ndice
correspondente ao EPC de 1e'ereiro de 1991, posto ser o correto para apontar a real e
5usta corre)ão de 'alores.
6iante disto, em mar)o de 1991, as contas de
poupan)a do8a9 Re3uerente 1oram atuali<adas em percentuais 3ue 'aria'am entre 2G e
9G, dependendo da data-base sobre os 'alores e,istentes em 1e'ereiro de 1991.
+ntretanto, a corre)ão de'ida não era in1erior a
22,4CG 8'inte e dois '$r.ula 3uarenta e dois por cento9, se.undo re.ras então 'i.entes,
considerando-se o EPC de 1e'ereiro&1991, de 21,C2G 8'inte e um '$r.ula oitenta e sete
por cento9, acrescido de 0,"G 8meio por cento9 a t$tulo de 5uros.
> prop0sito, #ribunal de Kusti)a de anta Catarina
5/ decidiu:
:...C O- 0n"i&- "& !($!/iO!*1# ,#n&(4%i! ,&"i"#-
)&/# IPC -1# %&-)&(i'!,&n(& )!%! # ,6- "& 9!n&i%#
"& @<8<+ J;+7;VM )!%! #- ,&-&- "& ,!%*#+ !2%i/ &
,!i# "& @<<B+ 8J+=;V+ JJ+8BV+ & 7+87V & )!%! #-
,6- "& 7&'&%&i%# "& @<<@+ ;@+87V :...C. :ACV n.
<T.BBJ=775;M R&/. D&-. N&/-#n SG!&7&% M!%(in-C.
Conse3Mentemente, não restam dN'idas acerca do
direito da Re3uerente, de'endo ser recon!ecido como de'ido o rea5ustamento do saldo
de sua conta poupan)a pela 'aria)ão do EPC de 1e'ereiro de 1991, cabendo ao
Re3uerido pa.ar as di1eren)as de'idas.
DO DIREITO ADUIRIDO E DO ATO DO DIREITO ADUIRIDO E DO ATO
JUR!DICO PERFEITO" JUR!DICO PERFEITO"
; art. "º, inciso HHH*E da Carta Ia.na, consa.ra o
direito ad3uirido, cabendo ao le.islador respeitar as normas atF então e,istentes.
Tuando esse direito constitucional F desrespeitado, a busca da tutela 5urisdicional se 1a<
necess/ria, pois, o direito do autor de'er/ ser respeitado com a correta de'olu)ão dos
'alores de'idos.
>s aplica)4es em Cadernetas de Poupan)a são
'erdadeiros contratos entre a institui)ão 1inanceira e os depositantes consumidores,
onde estes aderem (s re.ras preestabelecidas e com pra<o de1inido a ser cumprido, não
podendo 1icar ao al'itre de uma das partes a 1aculdade de modi1ic/-las 3uando l!e 1or
con'eniente, respeitando o princ$pio UPacta sunt ser'andaV.
> edi)ão de no'as normas ap0s o in$cio do ciclo
mensal o1endeu o princ$pio constitucional 3ue preser'a o direito ad3uirido nos $ndices
pactuados, bem como do ato 5ur$dico per1eito, sendo incab$'el a inter'en)ão de lei ou
resolu)ão no'a sobre o acordado entre as partes ou sobre o 3ue esta'a 'i.orando atF
então. > mudan)a das re.ras no decurso do contrato, não pode ser admitida se.undo o
art. "º, inciso HHH*E, da Constitui)ão Federal e a 5urisprud-ncia 1a'or/'el e,istente.
; ato 5ur$dico per1eito ocorreu no momento da
abertura da conta de poupan)a, dentro da le.isla)ão, incondicionada de atos das partes
contratantes ou de 3ual3uer outro ente al!eio ao contrato de abertura da conta 1irmado
entre os poupadores e a institui)ão banc/ria.
> 5urisprud-ncia con1irma esse entendimento:
CIVIL – CADERNETA DE POUPANÇA –
ALTERAÇÃO DO CRITÉRIO DE ATUALIZAÇÃO –
DIREITO ADQUIRIDO – NORMA DE ORDEM
PNDLICA – INTERESSE COLETIVO – SNMULA
8= DO STJ.
I – Inii!"! #$ %&n#'!"! !"&%n&(! "& )#$)!n*!+
n#%,! )#-(&%i#% .$& !/(&%& # 0n"i& "& #%%&*1#
ini"&n(& -#2%& (!/ ,#"!/i"!"& "& in'&-(i,&n(# n1#
)#"& %&(%#!3i% )!%! !/!n*45/!. T&n"# ini"6ni!
i,&"i!(! & "i-)#n"# )!%! # 7$($%#+ n1# !7&(i'! !-
-i($!*8&- 9$%0"i!- 94 #n-(i($0"!-.
II – O %i(E%i# "& !($!/iO!*1# &-(!2&/&&n"# .$!n"#
"! !2&%($%! #$ %&n#'!*1# !$(#,4(i!+ "!-
!"&%n&(!- "& )#$)!n*!+ )!%! 'i3#%!% "$%!n(& #
)&%0#"# ,&n-!/ -&3$in(&+ )!--! ! -&%+ ! )!%(i% "&
&n(1# "i%&i(# !".$i%i"# "# )#$)!"#%.H :RE-). nI
J@J7;5A5SPM Min. S4/'i# "& >i3$&i%&"#M JP T.
$n?ni,&M DJ ;A/BJ/@<<JC.

DA DA CORREÇÃO CORREÇÃO MONETÁRIA MONETÁRIA

> di1eren)a entre os percentuais pa.os e os 3ue
de'eriam ter sido pa.os pelo re3uerido mais 5uros remunerat0rios le.ais de 0,"G,
de'er/ ser corri.ido monetariamente pelos $ndices o1iciais de in1la)ão remunerat0rios
da caderneta de poupan)a com inclusão dos $ndices do EPC e,pur.ados, re1erente aos
meses de 5aneiro&C9 842,22G9, mar)o&90 8C4,72G9, abril&90 844,C0G9, maio&90 82,C2G9
e 1e'ereiro&91 821,C2G9, con1orme entendimento paci1icado do uperior #ribunal de
Kusti)a e do #ribunal de Kusti)a Catarinense, obedecendo ainda o princ$pio paci1icado
pelos #ribunais de 3ue corre)ão monet/ria não F um UplusV, mas mero instrumento de
atuali<a)ão da moeda des'alori<ada pela in1la)ão:
Li.$i"!*1# "& -&n(&n*!. R&)%&-&n(!*1#
C#,&%i!/. In"&niO!*1#. C4/$/# "# )&%i(#.
H#,#/#3!*1#. C#i-! 9$/3!"! & &%%# ,!(&%i!/.
C#%%&*1# ,#n&(4%i!. M!%! inii!/ & in/$-1#.
Un"i&- &F)$%3!"#-. T!F! R&7&%&ni!/ & INPC.
:...C
E-(4 )!i7i!"! ! 9$%i-)%$"6ni! "# STJ n# -&n(i"#
"& .$& E #%%&(! ! in/$-1#+ n#- 4/$/#- "&
/i.$i"!*1#+ "#- 0n"i&- #%%&-)#n"&n(&- \- in7/!*8&-
##%%i"!- n#- ,&-&- "& 9!n&i%#/8<+ ,!%*#+ !2%i/ &
,!i#/<B & 7&'&%&i%# /<@+ (&n"# &, 'i-(! # )%0ni)i#
"! 9$-(! in"&niO!*1#+ in-$/)i"# n! C!%(! M!3n!.
:A)&/!*1# C0'&/ JT.=J<+ "& J!%!3$4 "# S$/.R&/.
D&-. >%!ni-# D#%3&-5 &, ;@.@;.<C J$%i-)%$"6ni!
C!(!%in&n-&C.
S[,$/! =7/TR> J. R&3i1# –"E2i(# J$"ii!/5In/$-1#
"#- 0n"i&- %&/!(i'#- !# IPC "& ,!%*#/<B5!2%i//<B5
,!i#/<B57&'&%&i%# /<@. N! /i.$i"!*1# "& "E2i(#
%&-$/(!n(& "& "&i-1# 9$"ii!/+ in/$&,5-& #- 0n"i&-
%&/!(i'#- !# IPC "& ,!%*#+ !2%i/ & ,!i# "& @<<B &
7&'&%&i%# "& @<<@:DJU II @J.B=.<T+ )43.@A=88C.
DOS REUERIMENTOS DOS REUERIMENTOS
+m 1ace ao e,posto, re3uer-se a cita)ão do
Re3uerido, na pessoa de seu representante le.al, no endere)o declinado na inicial para,
3uerendo, contestar o presente 1eito no pra<o le.al sob pena de re'elia. >o 1inal, re3uer-
se ainda, a proced-ncia da presente a)ão com a conse3Mente condena)ão do Re3uerido
a8o9:
19 pa.amento das 3uantias de'idas, a se.uir
descritas, acrescidas de 5uros morat0rios le.ais de 0,"G 3ue de'er/ ser corri.ido pelos
$ndices o1iciais de in1la)ão remunerat0rios da caderneta de poupan)a com inclusão dos
$ndices do EPC e,pur.ados, re1erentes aos meses de 5un!o&C2 826,06G9, 5aneiro&C9
842,22G9, mar)o&90 8C4,72G9, abril&90 844,C0G9, maio&90 82,C2G9W
1.19 correspondente ( di1eren)a entre o percentual
3ue 1oi creditado 81C,02G9 e o 3ue de'eria ter sido pa.o 826,06G9, atinente ao EPC do
m-s de 5un!o&C2, a incidir sobre os saldos e,istentes na conta do8a9 Re3uerente, bem
como a atuali<a)ão monet/ria dos saldos da caderneta de poupan)a descrita na inicial
8P?>@; %R++R9W
1.29 correspondente ( di1eren)a entre o percentual
3ue 1oi creditado 822,920CG9 e o 3ue e1eti'amente de'eria ter sido pa.o 842,22G9,
relacionado ao EPC do m-s de 5aneiro&C9, sobre os saldos e,istentes na conta poupan)a
do Re3uerente 8P?>@; *+RD;9W
1.79 correspondente ( di1eren)a entre o percentual
3ue 1oi creditado 824,00G9 e o 3ue e1eti'amente de'eria ter sido pa.o 8C4,72G9,
relacionado ao EPC do m-s de mar)o&90, sobre os saldos e,istentes na conta poupan)a
do Re3uerente 8P?>@; C;??;R E9W
1.49 correspondente ( di1eren)a entre o percentual
3ue 1oi creditado e o 3ue e1eti'amente de'eria ter sido pa.o 844,C0G9, relacionado ao
EPC do m-s de abril&90, sobre os saldos e,istentes na conta poupan)a do Re3uerenteW
1."9 correspondente ( di1eren)a entre o percentual
3ue 1oi creditado e o 3ue e1eti'amente de'eria ter sido pa.o 82,C2G9, relacionado ao
EPC do m-s de maio&90, sobre os saldos e,istentes na conta poupan)a do Re3uerenteW
29 3ue as di1eren)as se5am calculadas m-s a m-s,
desde a data em 3ue de'eria ter !a'ido o crFdito em conta, de'endo ser monetariamente
corri.idas, calculando-se ainda os 5uros e 5uros de mora tambFm ( ra<ão de 1G ao m-s,
a contar da cita)ão, tudo atF a data do e1eti'o pa.amento. > corre)ão monet/ria a ser
aplicada de'er/ ser com base nos $ndices o1iciais de in1la)ão remunerat0rios da
caderneta de poupan)a, inclu$dos tambFm, os $ndices e,pur.ados do EPC dos meses de
5un!o&C2 826,06G9, 5aneiro&C9 842,22G9, mar)o&90 8C4,72G9, abril&90 844,C0G9,
maio&90 82,C2G9, com crFditos nos meses subse3MentesW
79 o pa.amento de custas processuais e !onor/rios
ad'ocat$cios na base de 20G 8'inte por cento9, a incidir sobre os 'alores apurados em
li3uida)ão de senten)aW
49 considerando a 3uestão de mFrito unicamente de
direito, re3uer-se o 5ul.amento antecipado da lide, nos termos do art. 770, E do CPC.
endo outro o entendimento de *ossa +,cel-ncia, re3uer-se a produ)ão de todos os
meios de pro'a em direito admitidos, em especial a pericial e documentalW
"9 re3uer-se ainda, por não dispor o8a9 Re3uerente
de recursos su1icientes para arcar com despesas processuais e !onor/rios ad'ocat$cios
sem pre5u$<o de seu sustento e de sua 1am$lia, di.ne-se *ossa +,cel-ncia, conceder
ao8(9 mesmo8a9, o bene1$cio da KA#EX> LR>#AS#>, nos termos do arti.o 4º, da ?ei
1.060&"0, com a reda)ão imposta pela ?ei 2."10&C6.
6/-se ( causa o 'alor de RQ 1.000,00 8mil reais9,
para e1eitos meramente 1iscais.
@estes #ermos,
Pede 6e1erimento.
%lumenau&C, 22 de maio de 2002.
#ORST $IRT#
OAB%SC &'&(