You are on page 1of 4

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ

ADMINISTRAÇÃO II – MÁRCIO GOEBEL
ACADÊMICAS: Adriane Fátima da Silva, Aline Karin da Silva, Cristiane Tatiane
Anzanello, Marcos Ricardo Marzagão e Niqueli Ortolan.

CAPITAL DE GIRO

A natureza e o significado do capital de giro

As aplicações em que a firma comprometerá os fundos, Isto é,os ativos que ela obterá,
são tão variadas quanto a sua própria natureza. O ativo pode incluir imóveis (terrenos e
prédios), equipamentos, instalações, estoques, reivindicações contras outras formas e/ou
indivíduos (contas a receber, itens antecipados), caixa, títulos ,intangíveis (como ,por
exemplo, copyrights, patentes,fundos de comércio) etc.
Qualquer que seja a forma que o ativo tomar, a finalidade do compromisso de fundos é
a mesma; aumentar o valor de mercado da firma.
Tanto a teoria econômica como a pratica contábil reconhecem esta diferença,
classificando o ativo_ e o compromisso de recursos que ele representa- como “corrente” (a
curto prazo) ou “fixo” ( alongo prazo), refletindo essencialmente o período de “empate” dos
recursos financeiros no ativo.
Uma das funções centrais da administração financeira dentro da firma é a distribuição
eficiente de fundos pelas aplicações concorrentes.

O significado de capital de Giro

O termo “ capital de giro “ em finanças, denota os ativos que normalmente devem
circular e ser substituídos pelo menos em parte, durante o ciclo operacional corrente da firma.
Assim, o capital de giro corresponde aos ativos correntes e inclui:
1. Caixa, exceto o restrito para outras operações que não sejam correntes.
2. Títulos negociáveis , representando emprego temporário de caixa disponível para operações
correntes.
3. Contas a receber.
4. Estoques.
5. Despesas.
Devemos observar com cuidado o fato de que o conceito de capital de giro difere
significantemente daquele que o termo tem na maioria dos textos contábeis. Em
contabilidade, “capital de giro” normalmente significa a diferença entre ativo e passivo
correntes. Assim, ‘capital de giro “ para o contador (ativo corrente – passivo corrente)é
essencialmente uma medida de liquidez e as mutações no capital de giro dão uma base
aproximada da capacidade da firma de pagar seus débitos à medida que vencerem. Em
finanças, interessamo-nos pelas aplicações em que os recursos financeiros foram
comprometidos.
Embora o conceito de capital de giro se difere entre ambas as disciplinas (financeira e
contábil). Iremos nos referir á essa quantidade diferença (entre ativo e passivo corrente) como
capital de giro liquido.
O conceito de capital de giro como ativo corrente visa diretamente ao ciclo recorrente
da caixa ao estoque, do estoque ás contas a receber e de volta ao caixa, chamado “ciclo
operacional corrente” da firma.
O fator fundamental que determina a importância das aplicações de fundos do
capitalde giro é a natureza das operações da firma. Porexemplo; uma firma que vende um
serviço, em vez de um produto, tem pouca necessidade de estoque.

Análise do Capital de Giro

A Necessidade de Capital de Giro (NCG) é a chave para a administração
financeira de uma empresa, pois é ela que auxilia nas estratégias de financiamento,
crescimento e lucratividade da empresa.
Para a determinação da NCG, é necessário saber o Ativo Circulante Operacional
(ACO) e o Passivo Circulante Operacional (PCO). Os resultados podem ser os seguintes:
ACO > PCO – Há uma NCG para a qual a empresa deve encontrar fontes
adequadas de financiamento.
ACO = PCO – Neste caso a NCG é igual a zero e, portanto a empresa não tem
necessidade de financiamento para o giro.
ACO < PCO – A empresa tem mais financiamentos operacionais do que
investimentos operacionais. Sobram recursos das atividades operacionais, os quais poderão
ser usados para aplicação no mercado financeiro ou para expansão da planta fixa.
Para financiar as necessidades de capital de giro, a empresa pode contar
normalmente com três tipos de financiamentos: capital de giro próprio; empréstimos e
financiamentos bancários a longo prazo e empréstimos bancários de curto prazo.

Capital de Giro Variável vs. Capital de Giro Permanente.

A característica distinta do capital de giro ou aplicação de fundos.
Um conceito muito importante é o da diferença entre capital de giro ‘permanente” e
“variável”. O capital de giro permanente é o montante de ativos correntes que sempre será
exigido pela firma, enquanto ela continuar em funcionamento, ao passo que o capital de giro
variável se refere ás flutuações temporárias , acima deste mínimo, que ocorrem durante um
ano. Do ponto de vista financeiro, a importância desta distinção está no ‘conceito de
correspondência cronológica”, que declara que o prazo da origem deve corresponder ao prazo
da aplicação. Tendo em vista este conceito , o capital de giro permanente é ,na realidade ,uma
exigência de capital “fixo”, da mesma maneira que o são os imóveis. Somente a parte variável
do capital de giro deve ser financiada com fundos a curto prazo.
É o gerente financeiro o responsável pela previsão das necessidades de fundos de
capital de giro e pela execução de planos para satisfazer a essas necessidades.
Consequentemente, ele deve compreender as origens fundamentais de variação no nível das
necessidades do capital de giro.

RISCOS FINANCEIROS

Empréstimos

Empréstimo é um contrato entre o cliente e a instituição financeira pelo qual ele recebe
uma quantia que deverá ser devolvida ao banco em prazo determinado, acrescida dos juros
acertados.
O empresário deve estar preparado e organizado para obter o empréstimo. É
necessário estar em dia com as obrigações fiscais (INSS, FGTS) municipais, estaduais e
federais. É importante também saber exatamente de quanto dinheiro necessita, por que
necessita e como fará para saldar o débito.
Para Flavio do Nascimento, o momento ideal de investir na empresa é quando as
vendas melhoram ou quando o mercado está favorável a isso. Sendo que para novos negócios
poderá ser considerado sua própria poupança, amigos e parentes, bancos entre outras
possibilidades. No estágio inicial de desenvolvimento de seu negócio, a assistência de amigos
e parentes é a forma mais comum de empréstimo. As instituições de crédito tradicionais,
como bancos, tendem a considerar arriscado emprestar dinheiro para novos negócios. Em
geral, essas instituições requerem que o empréstimo seja totalmente garantido e que o
tomador do empréstimo empenhe capital suficiente.
A melhor forma de elevar as chances de obter um empréstimo é preparar uma proposta
de financiamento cuidadosa e profissional. A decisão de emprestar dinheiro para seu negócio
provavelmente terá como base definições sobre, se possui um sólido histórico de crédito; se
você dispõe de experiência e treinamento para operar seu negócio com sucesso; se você
preparou uma proposta de empréstimo e um plano de negócio que demonstrem sua
familiaridade com o ramo e seu comprometimento com o sucesso do empreendimento; sua
capacidade de pagamento; sua capacidade de garantir o empréstimo.
É importante avaliar a necessidade real do empréstimo, assim como os seus impactos.
O empresário deve examinar a situação da empresa para ver se seus problemas não são de
gestão. A decisão de utilizar-se de recursos de terceiros deve ser sempre tomada de forma
consciente, precedida de análise sobre a real conveniência e os impactos que trarão à saúde
financeira da empresa.

Alavancagem Financeira

No mundo dos negócios, alavancagem é o método que utiliza recursos de terceiros
com o fim de aumentar a taxa de lucros sobre o capital próprio.

A alavancagem financeira é positiva quando capitais de longo prazo de terceiros
produzem efeitos positivos sobre o patrimônio líquido. E os capitais de terceiros de longo
prazo só são vantajosos para uma empresa, quando o retorno sobre o ativo for superior ao
retorno sobre o patrimônio líquido.

De nada adiantaria a uma empresa captar recursos a longo prazo, se estes fizessem
com que o retorno sobre o patrimônio líquido recuasse à sua posição anterior à da captação.
Alavancagem financeira é isso: a “alavanca” que esta captação produz ou não no retorno aos
acionistas.

ALAVANCAGEM OPERACIONAL

Os custos operacionais das empresas permanecem inalterados em determinados
intervalos de produção e venda, representando que quanto maior a produção menos e seu peso
relativo e vice versa; quando menos se produz mais se sente o peso dos custos fixos. Quando
as empresas elaboram projetos pra captar financiamentos, visando aumentar a produção sem
aumentar os custos fixos ou aumentando menor do que o crescimento do lucro Antes das
Despesas Financeiras e do Imposto de Rendas, elas buscam obter Alavancagem Operacional.

Alavancagem Combinada

O estudo da alavancagem empresarial parte do princípio de que todos os negócios têm
condição de impulsionar suas produções e venda, com a utilização de capital de terceiros. Se
por um lado, o uso de recursos externos à empresa tem sido o modus operandi por excelência
do sistema capitalista, por outro todas as organizações possuem custos operacionais fixos. Daí
porque todas apresentam condições idéias para uma ação combinadas de alavancagem
operacional e alavancagem financeira, efeito que se conhece por Alavancagem Total ou
Alavancagem Combinada.