MICROPUNTURA, DIMINUIÇÃO DAS RUGAS OU O INÍCIO DE SEUS PROBLEMAS.

Os resultados alcançados com a micropuntura, também conhecida como técnica de indução percutânea
de colágeno geram melhoras estéticas muito próximas a procedimentos de caráter médico por um preço
mais acessível.
Estes fatores desencadearam uma popularização do procedimento e uma imersão de profissionais
despreparados ofertando este tratamento com a promessa de resolver todas as marcas de expressões.
Vale lembrar que a técnica leva uma lesão na pele, gerando um quadro inflamatório que se não for bem
mediado pode levar a situações prejudiciais como deformações, infecções e necroses teciduais.
Um dos erros mais comuns é não respeitar o intervalo mínimo entre as sessões de micropunturação, a
lesão tecidual desenvolve sinalização química no organismo com função de degradar o tecido antigo
degradado enquanto produz um novas fibras em seu lugar, este processo tem pico de produção de colágeno
e elastina entro os 15º e 21º dia após o procedimento, decaindo lentamente por mais cerca de 10 dias,
alguns estudos mostram que esta regeneração celular pode levar até 3 meses para fechar seu ciclo
completo.
Com intervalos curtos a agressão vai superar o processo de regeneração tecidual, aumentando o nível
inflamatório gerando um estresse oxidativo no tecido, isto pode transformar um procedimento estético em
um transtorno de saúde, pois a cicatrização pode ficar descompensada, levando a casos de cicatrizes
hipertróficas, atróficas ou mesmo necrose tecidual por agressão continuada.
A proposta da técnica e a indução percutânea de colágeno, as fibras serão formadas de maneira a
preencher a ferida aberta por ação perfurocortante da agulha, a angulação irregular ou vários
posicionamentos de perfuração ao longo do procedimento podem induzir um posicionamento irregular das
fibras, com fibroses nodulares e organizações irregulares, comprometendo a harmonia estética do cliente.
Alguns relatam baixos resultados para o procedimento, a principal causa é a indicação de ativos pós-
técnica, muitos indicam ativos com atividade anti-inflamatória, o que diminui a resposta fisiológica para
cicatrização, devem ser indicados ativos antioxidantes, para prevenir o estresse oxidativo e emoliente, para
reestabelecer a função barreira da pele.
Aparentemente a micropunturação parece ser simples, mas a técnica demanda de certas sutilezas,
manobras e pontos específicos para garantir seus resultados e evitar reações adversas. Venha conhecer
mais sobre os detalhes desta técnica e em como transformá-la em um sucesso evitando dores de cabeça.
No 1° Congresso Cientifico Internacional de Micropigmentação (CCIM) pela primeira vez a técnica
resultante de 1 ano de estudos laboratoriais será apresentada com nova linguagem e nomenclatura.

“Rafael Ferreira”
cosmétólogo
“A micropuntura é uma técnica que promove lesão a nível dérmico, esta lesão
força um quadro inflamatório na pele que desencadeia uma cicatrização tecidual,
este novo tecido formado redensifica a matriz dérmica, aumentando a sua
espessura e preenchendo a ruga”.