You are on page 1of 15

AUTORIDADE, VERIFICABILIDADE E ATUALIDADE DOS ARTIGOS SOBRE

GRIPE SUÍNA NA WIKIPÉDIA EM PORTUGUÊS

Bernardo Esteves – bernardo@cienciahoje.org.br, (21) 2109-8999
Jornalista. Instituto Ciência Hoje (Rio de Janeiro/RJ, Brasil).

Carlos Frederico d’Andréa – carlosdand@gmail.com, (31) 3899-1812
Jornalista e professor. Universidade Federal de Minas Gerais (Belo Horizonte/MG,
Brasil) / Universidade Federal de Viçosa (Viçosa/MG, Brasil).

Artigo apresentado ao X Congresso Brasileiro de Jornalismo científico (Belo
Horizonte, 14-16 de outubro de 2009).
Subgrupo temático: Pesquisa em jornalismo científico

Resumo:
Este trabalho analisa a dinâmica de edição de dois artigos da Wikipédia em
português sobre a gripe suína, tema ligado à ciência que atraiu a atenção pública em
2009. Monitoramos as edições feitas nos dois artigos ao longo de um mês após a
criação de ambos, em 25 de abril. Analisamos seu conteúdo em função de três
critérios: autoridade, verificabilidade e atualidade. Constatamos que pelo menos
22% das edições foram feitas por usuários que têm formação em ciências ou
envolvimento com essa área; que a maioria das informações incluída nos artigos se
apoiava em fontes verificáveis (textos jornalísticos em mais de 60% dos casos); e
que a imprensa pautou a atualização dos artigos.

Palavras-chave: internet, Wikipédia, gripe suína, colaboração, jornalismo científico

A Wikipédia é o sexto site mais acessado na internet, com uma média
mensal de 65 milhões de visitantes em 2009. No Brasil, sua popularidade é menor,
mas ela aparece ainda assim como 14º endereço mais visitado.1 Ela é amplamente
consultada para a realização de trabalhos escolares e mesmo como fonte de
informações para a imprensa, como indica o episódio recente em que uma
declaração falsamente atribuída ao músico francês Maurice Jarre em seu verbete na

1
Fonte: http://www.alexa.com/topsites, http://en.wikipedia.org/wiki/Wikipedia:About e
http://meta.wikimedia.org/wiki/Wikipedia.org_is_more_popular_than.... Acesso em 16 set.
2009.
Wikipédia acabou reproduzida no obituário publicado pelo Guardian e por outros
jornais (GILMOR, 2009).
Essa publicação é alvo frequente de críticas (McHENRY, 2004; KEEN, 2009;
entre outros) direcionadas à qualidade de seu conteúdo em função de seu modo de
funcionamento: trata-se de uma enciclopédia colaborativa em que cada verbete
pode ser editado por qualquer usuário. Os critérios de autoridade que vigoram nos
meios acadêmico e editorial não são válidos ali: a voz de um pós-doutor em
bioquímica tem, a princípio, o mesmo peso da de um estudante secundarista. A
única hierarquia existente é baseada no envolvimento dos participantes: usuários
com um número grande o bastante de edições podem participar de decisões
internas e se tornar elegíveis para o cargo de administrador, o que lhes dá a
prerrogativa técnica para bloquear artigos para edição ou banir usuários, entre
outras ações.
No campo da ciência, a hierarquia da Wikipédia rompe com um modelo de
autoridade baseado em critérios como titulação, especialização ou vínculo
institucional. Estudos feitos a fim de avaliar a qualidade do conteúdo de verbetes
relacionados a ciência não nos permitem ter uma visão conclusiva sobre o impacto
da escrita colaborativa da Wikipédia sobre a correção científica ou a atualidade dos
artigos. Uma comparação promovida pelo periódico Nature (GILES, 2005) mostrou
que os verbetes sobre ciência da Wikipédia em inglês têm grau de precisão e
número de erros comparáveis aos dos artigos equivalentes publicados na
Encyclopaedia Britannica, escrita por especialistas — os editores dessa publicação
refutaram as conclusões do estudo (ENCYCLOPAEDIA BRITANNICA, 2006). Um
levantamento mais recente sobre a correção de artigos sobre medicamentos na
Wikipédia anglófona concluiu que ela é menos completa e tem mais erros que um
banco de dados farmacológico editado por especialistas, e que deveria ser usada
pelo público apenas como fonte complementar de informações sobre drogas
(CLAUSON et al., 2008).
A Wikipédia em português é objeto de um número crescente de pesquisas
acadêmicas (D’ANDRÉA, 2008; CAMPOS, 2009; JOHNSON, 2009; entre outros).
Desconhecemos iniciativas que tenham investigado especificamente verbetes
relacionados à ciência na Wikipédia lusófona. Propusemo-nos neste trabalho
analisar dois desses artigos, a fim de entender como o processo de escrita
colaborativa afeta aspectos variados de seu conteúdo.
Os artigos que analisamos têm por objeto a pandemia de gripe A (H1N1) que
ficou conhecida como “gripe suína”. A partir de 24 de abril, quando o anúncio dos
primeiros casos pelas autoridades mexicanas foi noticiado com alarde pela imprensa
brasileira, o tema ganhou grande visibilidade na esfera pública — em um único dia
(28 de abril), o portal de notícias G1 chegou a publicar 293 notícias com a expressão
“gripe suína”. Essa visibilidade se refletiu na Wikipédia: na versão anglófona, a
busca por artigos com os termos flu ou influenza cresceu 180 vezes entre 23 e 30 de
abril (ZACHTE, 2009). Na Wikipédia lusófona, dois artigos complementares sobre a
doença foram criadas em 25 de abril, com uma hora de diferença. Um deles, “Gripe
suína”2, trata da enfermidade propriamente dita; o segundo, "Surto de gripe suína na
América do Norte em 2009"3, tinha por objetivo acompanhar a progressão do surto
em curso.
Monitoramos todas as edições feitas nos dois artigos ao longo de um mês,
até 24 de maio. Nesse período, o artigo “Gripe suína” foi editado 500 vezes, e o
artigo “Surto de gripe A (H1N1)” (como se chamava ao final do período analisado),
515 vezes. Neste trabalho, analisamos a dinâmica das edições em função de três
características que ajudam a qualificar o conteúdo dos dois artigos. Primeiramente,
buscamos identificar os principais usuários envolvidos com a edição dos artigos,
caracterizar suas contribuições na Wikipédia e identificar um eventual envolvimento
com o universo da ciência. Em seguida, analisamos as referências citadas nos
artigos para avaliar a verificabilidade das informações publicadas — um dos pilares
editoriais da Wikipédia. Por fim, avaliamos a atualidade dos artigos ao comparar
suas atualizações com as principais notícias sobre a doença na imprensa. Em um
trabalho paralelo a este (D'ANDRÉA e ESTEVES, 2009), caracterizamos a rotina de
edição dos dois artigos, detalhando padrões de edição dos usuários mais ativos e
episódios de disputas, vandalismos e reversões protagonizados pelos editores.

Autoridade

Buscamos identificar se os usuários mais ativos na edição dos artigos tinham
alguma formação ou envolvimento de outra natureza com alguma área científica4. O
objetivo era entender em que medida estava presente na Wikipédia o discurso sobre
a ciência tido como autorizado em narrativas convencionais da divulgação científica
— referendado por professores, pesquisadores e instituições. Optamos por trabalhar
com os 12 usuários mais ativos em cada artigo. Esses autores foram responsáveis
2
http://pt.wikipedia.org/wiki/Gripe_su%C3%ADna
3
http://pt.wikipedia.org/wiki/Surto_de_gripe_su%C3%ADna_na_Am%C3%A9rica_do_Norte_
em_2009
4
A verificação baseia-se apenas em dados fornecidos pelos editores, em geral em suas
páginas de usuário na Wikipédia. Como nem sempre essas informações são verificáveis, é
prudente relativizá-las — vide o caso Essjay, usuário da Wikipédia anglófona que forjou a
identidade de expert em teologia para conquistar respeito junto à comunidade (LIH, 2009).
por 68% das edições do artigo “Surto de gripe A (H1N1) de 2009” e por 37% das
edições do verbete “Gripe suína” no período considerado.5
O usuário mais ativo nos dois artigos, identificado como Fonadier07, parece
ter familiaridade com o universo das ciências. A lista dos artigos mais editados por
ele é tomada por verbetes sobre unidades de volume, massa, comprimento e
longitude. Ele fez 97 intervenções no artigo “Surto de gripe A (H1N1) de 2009”, o
equivalente a 19% de todas as edições do verbete no período considerado.
Outro wikipedista muito ativo nos dois artigos, identificado como Darwinius6,
afirma ter ligação formal com a ciência — ele se apresenta como biólogo e manifesta
seu interesse por genética e botânica. Ele foi o principal editor do artigo "Gripe
suína", com 41 edições, e o terceiro mais ativo no verbete "Surto de gripe A (H1N1)
de 2009", com 51 intervenções. Os outros artigos mais editados por ele incluíam
outros tópicos de ciência ("Darwinius masiliae"), mas também assuntos da
atualidade ("Voo Air France 447") e históricos ("Maria Pia de Saxe-Coburgo e
Bragança"). Darwinius é um rollbacker — wikipedista que, apesar de não ser um
administrador, possui privilégios técnicos na reversão de edições feitas por outros
usuários. Embora sua primeira participação na Wikipédia date de 7 de fevereiro de
2009, ele já havia feito cerca de 21 mil edições em quase 9 mil artigos no momento
da coleta de dados. Darwinius se envolveu bastante com a edição dos verbetes
sobre gripe suína. Além de intervenções de natureza variada, sua preocupação com
os artigos se manifestou na participação ativa na página de discussão, no
envolvimento em disputas conceituais com outros usuários (nas quais seu ponto de
vista prevalecia de maneira geral).
Um terceiro wikipedista envolvido com o universo das ciências é André
Teixeira Lima. Esse usuário ilustra sua página pessoal7 com a cobra enrolada na
taça que simboliza a farmácia e aponta um link para o portal dedicado ao tema na
Wikipédia. Em sua página no Twitter,8 ele se define como farmacêutico e
bioquímico. Essa formação alegada se reflete nos artigos mais editados por ele, que
incluem "Farmacêutico", "Bioquímico", "Rimonabanto" e "Oseltamivir". Até o limite do
período considerado, esse usuário há havia criado 575 verbetes, muitos dos quais
tinham relação com as ciências biomédicas.9 Lima contribui com a Wikipédia desde

5
Dados sobre a edição dos artigos e participação dos usuários foram obtidos com as
ferramentas http://vs.aka-online.de/cgi-bin/wppagehiststat.pl e
http://toolserver.org/~soxred93/ec
6
http://pt.wikipedia.org/wiki/Usu%C3%A1rio:Darwinius
7
http://pt.wikipedia.org/wiki/Usu%C3%A1rio:Andr%C3%A9_Teixeira_Lima
8
http://twitter.com/andretxlima
9
http://toolserver.org/~escaladix/larticles/larticles.php?user=Andr%C3%A9+Teixeira+Lima&
lang=pt
2006 e já havia feito mais de 16 mil edições no período considerado. É um
administrador da Wikipédia — o único identificado entre os editores mais ativos. Ele
foi o criador do verbete “Gripe suína”, do qual foi o segundo principal contribuidor,
com 49 edições. Sua atuação foi a de um verdadeiro “xerife” do artigo: deixou
orientações para os editores (“Cópia de texto de outras fontes não é permitida”,
“Evitar nome comercial nos artigos”), reverteu vandalismos e chegou a bloquear a
edição do artigo para usuários não cadastrados.
Outro usuário com provável formação científica é Gustavo Loureiro10, que se
identifica como médico e participante do Projeto Medicina da Wikipédia. Sua lista de
artigos mais editados traz apenas verbetes de natureza médica, como "Leucemia
linfoide aguda", "Anemia" ou "Hematologia". Com nove edições, Loureiro foi o sétimo
usuário mais ativo no verbete “Gripe suína”, junto com outros dois wikipedistas. Ele
foi o responsável por intervenções importantes, como a formulação da abertura do
artigo que acabou prevalecendo até a versão considerada neste estudo.
Não identificamos sinais de qualquer envolvimento com o universo com a
ciência em outros usuários com participação ativa em ambos os artigos, como
Luismanuelaraujo (segundo mais ativo em "Surto de gripe A (H1N1) de 2009", com
67 edições, e sétimo mais ativo em "Gripe suína", com 9 participações). Um usuário
com participação destacada em ambos os verbetes tem conhecimentos científicos
de nível secundário: Heitor Carvalho Jorge se identifica um como estudante do 3º
ano do ensino médio de 18 anos.11 Ele foi o quarto usuário mais ativo no verbete
"Surto de gripe A (H1N1) de 2009", com 26 edições, e quinto no verbete "Gripe
suína", com 12 intervenções. No artigo sobre o surto de gripe, Heitor teve uma
participação ativa que se refletiu no seu envolvimento em discussões com outros
usuários ou na reversão de vandalismos.
Identificamos, portanto, pelo menos quatro usuários entre os 12 mais ativos
de cada artigo que aparentavam ter formação científica ou interesse pronunciado
pelo tema. Com 148 edições no verbete “Surto de gripe A (H1N1) de 2009” e 79 em
“Gripe suína”, eles respondem por 22% das 1.015 edições feitas nos dois artigos. De
forma geral, suas intervenções foram importantes para determinar o rumo dos
artigos e traduzem uma preocupação aparente com a organização e a correção dos
artigos. A especialização determina o interesse desses usuários pelos temas
científicos, mas não qualifica ou legitima o seu discurso no ambiente da Wikipédia.
Em suas intervenções e nas discussões durante a edição do artigo, eles não fizeram
qualquer menção à sua formação ou especialidade.

10
http://pt.wikipedia.org/wiki/Usu%C3%A1rio:Gusloureiro
11
http://pt.wikipedia.org/wiki/Usu%C3%A1rio:Heitor_C._Jorge
Verificabilidade

O “princípio de verificabilidade” é um dos pilares que orientam a linha editorial
na Wikipédia, junto com os princípios de imparcialidade e de não-publicação de
pesquisas inéditas. Ele determina que os artigos tenham apenas informações
publicadas antes em fontes reputadas. O usuário que inserir um dado é obrigado a
citar uma fonte confiável para referendá-lo. Os atributos que tornam uma fonte
confiável são assim definidos:

Os artigos da Wikipédia devem ser baseados em fontes credíveis e independentes.
Tais fontes devem ter reputação em termos da própria aferição e exatidão dos fatos.
No que diz respeito a assuntos acadêmicos, as fontes deverão preferencialmente
estar sujeitas a revisão pelos pares. As fontes deverão também ser niveladas em
função das asserções efetuadas, isto é, afirmações extraordinárias deverão ser
baseadas em fontes suficientemente robustas (WIKIPÉDIA, 2009a).

Em oposição a elas estão as "fontes de fiabilidade duvidosa", caracterizadas
pela "fraca reputação em termos de verificação factual e revisão editorial".
Tabloides, livros de edição própria, sites pessoais e blogues são citados como
exemplos de fontes impróprias e seu uso não é recomendado.
A Wikipédia distingue três tipos de fontes. Uma fonte primária é uma
evidência direta de um fato, como um relatório oficial ou um documento original. Já a
fonte secundária "sumariza uma ou várias fontes primárias ou secundárias". A maior
parte dos relatos jornalísticos sobre a gripe suína se enquadra nessa categoria, por
se basear em relatos oficiais e na entrevista de médicos, autoridades e outros
personagens envolvidos na produção de fontes primárias. A fonte terciária, por fim,
"sumariza fontes secundárias", como fazem as enciclopédias (WIKIPÉDIA, 2009b).
O uso das fontes primárias, segundo a Wikipédia, deve ser feito com cautela,
pois sua interpretação correta requer treino. A determinação é que sejam usadas
sobretudo fontes secundárias confiáveis e baseadas na análise cuidadosa de fontes
primárias. A busca de múltiplas fontes independentes para um mesmo fato também
é recomendada.
Buscamos entender de que forma o princípio da verificabilidade foi respeitado
nos dois artigos sobre gripe suína. Para isso, tentamos rastrear a inserção de fontes
referenciadas para cada informação acrescentada. Paralelamente, categorizamos a
natureza das fontes citadas em cada artigo na última versão disponível de cada um
ao final do período considerado nesta análise.12
Constatamos uma diferença substancial entre os dois artigos quanto ao
número de referências citadas. Ao final do período contemplado nesta análise, o
artigo "Gripe suína" tinha apenas 21 referências — valor 12 vezes inferior às 257
referências listadas no artigo "Surto de gripe A (H1N1) de 2009". Essa discrepância
talvez se explique pelo caráter diferenciado dos dois artigos. O artigo sobre o surto
cobre um acontecimento atual com desdobramentos diários, com o aumento
constante do número de casos e de países atingidos pela doença, daí o recurso a
uma maior variedade de fontes. Essa discrepância é um aspecto característico da
dinâmica diferenciada de edição que constatamos nos dois artigos (D'ANDRÉA e
ESTEVES, 2009).
Não há, porém, grande diferença entre os dois artigos quanto à natureza das
fontes citadas nas referências. Em ambos os casos, a maior parte das referências
consiste em textos noticiosos publicados pela imprensa generalista — fontes
secundárias, portanto. Essa categoria responde por 63,0% das referências no artigo
"Surto de gripe A (H1N1) de 2009" e por 61,9% no artigo "Gripe suína".
Identificamos menções esporádicas a publicações das áreas de informática (Info
Online), educação (Nova Escola) e militar (InfoDefensa), mas não houve qualquer
referência a revistas ou sites especializados em ciências.
No artigo “Gripe suína”, os textos jornalísticos citados são todos em
português, publicados tanto por veículos que existem apenas na internet (G1,
Notícias Terra), quanto pelo serviço on-line de veículos consagrados no meio
impresso (Estadão, O Globo). É de se notar a presença, entre as fontes, de dois
veículos jornalísticos de pequena projeção ou de alcance regional, como Mídia Mais
e Opera Mundi.13
Já no artigo "Surto de gripe A (H1N1) de 2009", as fontes jornalísticas em
outras línguas predominam, com 82% do total de referências a textos noticiosos. A
gama de fontes citadas nesse universo foi bem variada tanto na procedência (China,
Índia, Austrália, Israel etc.) quanto na natureza — agências de notícias (AFP,
Reuters), jornais e revistas (Der Spiegel, Clarín) e informativos online (XinhuaNet,
Cooperativa.cl).

12
http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Gripe_su%C3%ADna&oldid=15425986 e
http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Pandemia_de_gripe_A_de_2009&oldid=15431629
13
Disponíveis, respectivamente, nos endereços http://www.midiamais.jor.br/ e
http://www.operamundi.net/
As informações de caráter institucional — fontes primárias — aparecem em
segundo lugar em ambos os artigos, em proporção parecida: elas respondem por
28,6% das referências no artigo "Gripe suína" e 23,3% no artigo "Surto de gripe A
(H1N1) de 2009". Enquadram-se nessa categoria relatórios da Organização Mundial
da Saúde, de organismos governamentais para o controle de doenças (CDC, nos
Estados Unidos, ou ECDC, na Europa), de ministérios da saúde ou das autoridades
sanitárias de países variados. No conjunto das fontes primárias, identificamos uma
única referência a um periódico especializado (Eurosurveillance), citada no artigo
“Gripe suína”.
A inclusão de fontes foi uma preocupação desde a criação dos dois artigos.
No artigo “Gripe suína”, a citação de duas notícias do G1 aparece na segunda
versão do verbete, publicada três minutos após sua criação. Nesse mesmo artigo,
notamos certo cuidado dos usuários em relação à questão das referências.
Tentativas de inserção de fontes que não se enquadram no perfil daquelas
recomendadas pela Wikipédia — como o blogue gripesuina.blogspot.com ou os sites
sorenlorensen.com, gripesuina.net e gripesuina.org — foram rejeitadas em várias
ocasiões por editores alinhados com as regras do projeto.
No artigo “Surto de gripe A (H1N1) de 2009”, atualizado em função da
evolução do número de casos e mortes e de países afetados pela doença, a
inclusão de informações foi, de maneira geral, acompanhada por referências. As
fontes externas estiveram presentes desde a criação do artigo, que já trazia três
referências, todas de notícias publicadas pelo G1. Depois disso, novos fatos na
evolução do surto foram referenciados com fontes noticiosas. Os primeiros casos
brasileiros da doença, registrados em 7 de maio, foram anunciados na Wikipédia
com remissão a textos jornalísticos. A mesma agilidade, porém, não foi verificada no
registro dos novos casos brasileiros reportados em 8 e 11 de maio. As notificações
foram contabilizadas na Wikipédia, mas as fontes para sua verificação só seriam
citadas em atualização feita no dia 15.
Concluímos, portanto, que a comunidade de wikipedistas envolvidos com a
edição dos verbetes “Gripe suína” e “Surto de gripe A (H1N1) de 2009” se esforçou
para obedecer ao princípio de verificabilidade determinado na política editorial da
enciclopédia. A natureza das fontes citadas nos dois artigos obedece à
recomendação de priorizar as fontes secundárias em relação às fontes primárias.
Deve-se ressaltar, no entanto, que raramente a citação de múltiplas fontes para um
mesmo evento ou a busca de fontes referendadas pelo sistema acadêmico de
revisão por pares — dois procedimentos recomendados pela Wikipédia — foram
observadas na edição dos dois artigos.
Atualidade

Buscamos ainda entender em que medida a atualização dos verbetes sobre
gripe suína na Wikipédia foi determinada pelo noticiário sobre o tema. A comparação
do ritmo e natureza das atualizações de uma enciclopédia e de um veículo
jornalístico se justifica se considerarmos as especificidades da edição da Wikipédia.
Ainda que proíba a inclusão de informações inéditas, acreditamos que, ao permitir
que a edição dos verbetes aconteça no ritmo de acontecimentos factuais, a
enciclopédia colaborativa assume um caráter jornalístico (COHEN, 2008) que a
aproxima de sites noticiosos, especialmente em um contexto marcado por um fluxo
contínuo de informações e por uma simplificação das rotinas editoriais (D'ANDRÉA,
2009). Essa possibilidade se evidencia ainda mais na seção “Eventos recentes” da
Wikipédia, que trata de acontecimentos atuais — o artigo “Surto de gripe A (H1N1)
de 2009” foi incluído pelos editores nessa categoria.
Adotamos as notícias publicadas sobre o assunto no portal G1 como
parâmetro da cobertura da imprensa brasileira14. Fizemos uma busca por notícias
com a expressão “gripe suína” entre aspas feita no mecanismo de busca desse
portal. Entre 24 de abril e 25 de maio de 2009, o G1 publicou 1.959 matérias com
essa expressão — uma média de 61,2 páginas por dia. Inicialmente, buscamos
avaliar se a evolução do número artigos publicados durante o período considerado
se refletiu de alguma forma no volume de edições nos dois verbetes da Wikipédia
sobre o tema (Gráfico 1).
A impressão inicial ao se comparar as três curvas é de que elas seguem um
mesmo padrão. O número de notícias sobre gripe suína atinge seu pico de 27 a 29
de maio. Esse intervalo corresponde a um período de alta no número de edições nos
dois verbetes da Wikipédia. O artigo “Gripe suína” teve seu maior número de
edições exatamente entre 28 e 30 de abril, e o verbete “Surto de gripe A (H1N1) de
2009” teve alta participação nesse período. O declínio observado no número de
notícias sobre gripe suína no início de maio se reflete, de maneira geral, no número
de edições nos dois artigos nesse período.

14
A escolha do G1 se explica pela abrangência do portal: ele é atualizado com conteúdo
gerado nas diversas empresas jornalísticas das Organizações Globo, além de contar com
redação própria em três cidades brasileiras e receber despachos de agências noticiosas
brasileiras e estrangeiras e reproduzir conteúdo de publicações como o New York Times.
Gráfico 1. Evolução do número de notícias sobre gripe suína no G1 e do número de
atualizações dos verbetes sobre o tema na Wikipédia lusófona

Um pico no número de edições no artigo “Gripe suína” em 5 de maio não
parece estar vinculado ao noticiário; ele reflete, na verdade, uma dinâmica de
vandalismos e reversões travados nesse dia. O episódio motivou a proteção do
artigo por usuários não cadastrados a partir dessa data, o que explica a diminuição
no número de intervenções nesse verbete até o dia 8, quando o acesso foi liberado.
Outras proteções das edições desse artigo — de 1º a 4 de maio e a partir do dia 11
de maio — também parece ter inibido bastante o número de intervenções.
Já no verbete “Surto de gripe A (H1N1) de 2009”, a proteção do artigo para
edição por usuários não cadastrados que vigorou entre 7 e 21 de maio não parece
ter inibido a participação dos wikipedistas. Foi exatamente nesse período que se
verificou o maior número de edições nesse verbete, em 9 de maio.
Esse pico reflete o aumento do número de notícias sobre gripe suína
publicadas na imprensa na véspera. O anúncio dos primeiros quatro casos
brasileiros de gripe suína, em 8 de maio, voltou a dar visibilidade à doença na
imprensa, com reflexos na atenção dos wikipedistas aos verbetes sobre o tema. Dali
em diante, o declínio do tema no noticiário se traduziu numa diminuição na
participação dos usuários na atualização dos dois verbetes.
Em um segundo momento da análise, selecionamos alguns fatos marcantes
do noticiário sobre a gripe suína para avaliar com que velocidade eles eram
atualizados no verbete da Wikipédia. Elegemos as duas ocasiões em que a
Organização Mundial da Saúde (OMS) elevou o alerta da nova gripe em sua escala
de risco, para os níveis 4 e 5, em 27 e 29 de abril; a decisão da OMS de chamar a
doença de gripe A (H1N1), em 30 de abril; os quatro primeiros casos brasileiros,
anunciados em 7 de maio; e a notificação de novos casos no país, em 8, 10 e 21 de
maio.
A maior parte desses marcos foi incorporada com rapidez aos artigos. As
duas mudanças do nível de alerta para a OMS foram registradas nos artigos no
mesmo dia; o artigo "Gripe suína" chegou a publicar uma suposta elevação do alerta
para o nível 6 em 1º de maio (que só aconteceria em 11 de junho), revertida uma
hora depois. Quando o alerta foi elevado para o nível 5, em 29 de abril, a informação
foi inclusive registrada no artigo “Surto de gripe suína de 2009” uma hora antes de
seu registro pelo G1, com remissão a um texto do site Último Segundo.
A mudança no nome da gripe recomendada pela OMS também foi
incorporada aos verbetes da Wikipédia na mesma data em que foi anunciada. O
artigo "Gripe suína" teve, aliás, seu nome mudado para "Influenza A (H1N1)" no dia
seguinte à recomendação da OMS, alteração que só seria revertida oito dias depois.
No dia seguinte, foi o artigo sobre o surto que teve seu nome mudado.
O anúncio dos primeiros casos brasileiros de gripe suína também foi
incorporado com rapidez aos dois artigos. Ambos registraram no mesmo dia as
notificações feitas em 7 e 8 de maio. Os dois novos casos relatados no dia 10,
porém, só apareceram no dia seguinte nos dois verbetes analisados. O relato do
nono caso brasileiro, no dia 21, não foi mencionado nos dois artigos considerados
até a data definida para análise.
Notamos assim que, de maneira geral, as atualizações dos artigos refletiram
com bastante agilidade as novidades do noticiário, embora informações relevantes
tenham demorado mais para ser registradas na Wikipédia. Podemos afirmar que a
imprensa determinou e alimentou as edições dos verbetes sobre gripe suína na
Wikipédia lusófona. No final do período contemplado, quando diminuiu o número de
notícias sobre o tema e a sua visibilidade na esfera pública, a agilidade das
atualizações já não era a mesma. Essa constatação reflete um menor envolvimento
dos wikipedistas com a edição dos artigos naquele momento.

Discussão

A análise das três características avaliadas nos dois artigos nos permite
sintetizar os dados e fazer algumas considerações. Por um lado, vimos que quase
um quarto das edições nos dois artigos foi protagonizado por usuários com formação
ou familiaridade com o universo das ciências, e que alguns desses usuários zelaram
pela qualidade do artigo em várias instâncias. Constatamos, ainda, que houve a
preocupação dos usuários de respeitar o princípio da verificabilidade da Wikipédia e
de citar referências para amparar a inserção de novas informações; as fontes
citadas eram, na maioria, artigos da imprensa generalista. Observamos, por fim, que
a atualização dos artigos refletiu a publicação de novas informações sobre a doença
na imprensa, e que as novidades foram incorporadas a eles com agilidade.
Os verbetes sobre gripe suína na Wikipédia lusófona praticamente não foram
alimentados por fontes de primeira mão. Em quase dois terços das referências
citadas, as informações se basearam em relatos jornalísticos que já haviam
processado a informação científica primária. Isso indica que os verbetes da
Wikipédia podem ter contraído, ainda que indiretamente, alguns dos vícios dos quais
alguns relatos jornalísticos sobre ciência são comumente acusados. Na compilação
que fez dessas críticas, STOCKING (2005) elenca, entre outros pecados que os
cientistas enxergam nos jornalistas, a transformação de resultados não
comprovados em certezas, a minimização de incertezas e omissão de limites, o
recurso a uma só fonte e a negligência do contexto histórico da ciência.
Um aspecto que pode ter contribuído para aprimorar a qualidade do conteúdo
dos dois artigos é o alto número de edições sofridas por eles. Apenas no mês
considerado, ambos foram editados pelo menos 500 vezes, índice 25 vezes maior
do que o número médio de edições por artigo da Wikipédia lusófona no mesmo
período (21,4 em abril e 21,6 em maio)15. WILKINSON e HUBERMAN (2007)
apontaram uma correlação entre a qualidade de um artigo e o número de
intervenções e de colaboradores envolvidos com a sua edição na Wikipédia
anglófona. A grande visibilidade e o interesse público suscitado pela gripe suína
atraíram muitos colaboradores para esses artigos, o que pode ter contribuído para
reforçar o rigor no tratamento das informações publicadas.
A natureza da nossa análise não nos permite avançar considerações sobre a
correção dos artigos. Verificamos que eles foram editados por um grande número de
usuários, foram alimentados com fontes verificáveis e se mantiveram atualizados
durante esse período. Por essas características, os verbetes poderiam servir de
fonte de informação de apoio para cidadãos ou jornalistas em busca de dados sobre
a doença, desde que tomados com cautela. Porém, a incerteza quanto à correção
do conteúdo compromete seu uso como fonte única ou primeira de informações
sobre o tema. Essas conclusões não substituem, no entanto, uma análise cuidadosa
do conteúdo — que não nos propusemos realizar aqui.

15
http://stats.wikimedia.org/EN/TablesArticlesEditsPerArticle.htm
É preciso apontar ainda outras limitações deste trabalho. Os artigos
analisados estão longe de constituir uma amostra significativa da Wikipédia em
português. Eles representam uma fração ínfima em um conjunto de mais de 500 mil
verbetes e fazem parte de um conjunto atípico de artigos sobre eventos recentes.
Por isso, é arriscado extrapolar as conclusões a que chegamos para qualquer outra
esfera.
Além disso, o alcance das nossas conclusões é limitado em função do
recorte temporal adotado. Ao final do período definido para a análise dos artigos, a
visibilidade da gripe suína declinava na esfera pública. Nos últimos dias desse
período, o portal G1 já publicava apenas uma ou duas notícias por dia sobre o tema.
Como se sabe, o assunto voltaria a ter grande visibilidade na imprensa a partir de 28
de junho, com a confirmação da primeira morte causada pela doença no Brasil, e
permaneceria em evidência desde então — em agosto, o artigo “Gripe suína” foi o
verbete individual mais acessado da Wikipédia lusófona.16
Ainda que seja limitado o alcance de nossas conclusões, acreditamos que
este trabalho seja importante na medida em que ajuda a entender alguns padrões de
edição e mecanismos da construção de consenso no ambiente de escrita
colaborativa da Wikipédia lusófona, ainda pouco estudada em âmbito acadêmico.
Esperamos que este artigo abra as portas para novos trabalhos que levem adiante
as reflexões aqui lançadas e que permitam entender, em especial, como a ciência
vem sendo tratada na Wikipédia e de que forma seu discurso se relaciona com o
jornalismo e outras narrativas convencionais da divulgação científica.

Referências

CAMPOS, Aline de. Conflitos na colaboração: um estudo das tensões em processos
de escrita coletiva na web 2.0. 2009. 191 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação
e Informação) – UFRGS, Porto Alegre, 2009.

CLAUSON, K.A. et al. Scope, completeness, and accuracy of drug information in
Wikipedia. The Annals of Farmacotherapy, Cincinnati, v. 42, 2008. Disponível em
<http://www.theannals.com/cgi/content/abstract/aph.1L474v1>. Acesso em 14 set.
2009.

16
http://wikistics.falsikon.de/latest/wikipedia/pt/
COHEN, Noan. Updating a Reference Site on the Fly. The New York Times.
Publicado em 09 nov. 2008. Disponível em <www.nytimes.com/2008/11/10/
technology/internet/10link.htm >. Acesso em 13 abr. 2009.

D’ANDRÉA, Carlos. Wikipédia como espaço de interações e a redação coletiva de
artigos sobre o vôo TAM 3054. In: XXXI Congresso Brasileiro de Ciências da
Comunicação, 2008, Natal. Disponível em <http://www.adtevento.com.br/
intercom/2008/resumos/R3-0268-1.pdf>. Acesso em: 02 set. 2008.

________. Colaboração, edição, transparência: desafios e possibilidades de uma
“wikificação” do jornalismo. In: SOSTER, D. E FIRMINO, F. Metamorfoses
jornalísticas 2 – a reconfiguração da forma. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2009.

D'ANDRÉA, Carlos, ESTEVES, Bernardo. Disputas, vandalismos, reversões: a
dinâmica de edições dos artigos sobre a Gripe Suína na Wikipédia em português.
Artigo submetido em set. 2009 ao III Encontro da Associação Brasileira de
Cibercultura (ABCiber).

ENCYCLOPAEDIA BRITANNICA. Fatally flawed. Refuting the recent study on
encyclopedic accuracy by the journal Nature. Publicado em mar. 2006. Disponível
em <http://corporate.britannica.com/britannica_nature_response.pdf>. Acesso em 14
set. 2009.

GILES, Jim. Internet encyclopaedias go head to head. Nature, London, v. 438, p.
900-901, 15 dez. 2005.

GILMOR, Dan. Trusting Unsourced Quotations. Mediactive.com. Publicado em 09
mai. 2009. Disponível em <http://mediactive.com/2009/05/06/trusting-unsourced-
quotations/>. Acesso em 06 set. 2009.

JOHNSON, Telma Sueli Pinto. Nos bastidores da Wikipédia lusófona: Percalços e
conquistas de um projeto de escrita coletiva on-line. 2009. 273 f. Tese (Doutorado
em Comunicação) – UFMG, Belo Horizonte, 2009.

KEEN, Andrew. O culto ao amador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009. 208 p.
LIH, Andrew. The Wikipedia revolution: How a bunch of nobodies created the world’s
greatest encyclopedia. London: Aurum, 2009. 252p.

McHENRY, Robert. The Faith-Based Encyclopedia. TCSDaily.com. Publicado em 15
nov. 2004. Disponível em <http://www.tcsdaily.com/article.aspx?id=111504A>.
Acesso em 14 set. 2009.

STOCKING, S. Holly. Como os jornalistas lidam com as incertezas científicas. In:
MASSARANI, Luisa; TURNEY, Jon; MOREIRA, Ildeu de Castro (Org.). Terra
incógnita: a interface entre ciência e público. Rio de Janeiro: Vieira&Lent / Casa da
Ciência / Fiocruz, 2005. p. 161-182.

WIKIPÉDIA. Wikipedia: Verificabilidade. Disponível em
<http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikipedia:Verificabilidade>. Acesso em 14 set. 2009a.

WIKIPÉDIA. Wikipedia: Fontes fiáveis. Disponível em
<http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikipedia:Fontes_fi%C3%A1veis>. Acesso em 14 set.
2009b.

WILKINSON, Dennis M.; HUBERMAN, Bernardo A. Coooperation and quality in
Wikipedia. In: WikiSym’07, 2007, Montreal. Disponível em:
<http://www.hpl.hp.com/research/idl/papers/wikipedia/wikipedia07.pdf>. Acesso em:
02 set. 2008.

ZACHTE, Erik. H1N1 Flu or New Flu Or... Infodisiac.com. Publicado em 1 mai. 2009.
Disponível em <http://infodisiac.com/blog/2009/05/h1n1-flu-or-new-flu-or/>. Acesso
em 14 set. 2009.