You are on page 1of 28

unesp

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE BAURU

FACULDADE DE ENGENHARIA DE BAURU
FACULDADE DE ARQUITETURA, ARTES E COMUNICAÇÃO
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL
LABORATÓRIO DE CONSTRUÇÃO CIVIL

AULAS DE LABORATÓRIO
DISCIPLINA: 1662 e 3718EC2

MAT. E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I

Prof. Dr. OBEDE BORGES FARIA
Técnico ISRAEL LUIZ PEREIRA DOS SANTOS
Bauru, julho/2000
1ª revisão em julho/2003
2ª revisão em setembro/2005
3ª revisão em setembro/2008
4ª revisão em novembro/2011

2

ÍNDICE

GERAL

Programa

página

I- AGREGADOS PARA CONCRETO
1) Composição Granulométrica dos Agregados ......................................................... 3
(NBR 7217/87)
2) Massa Específica de Agregado Miúdo ou Graúdo ................................................. 9
(Método do Frasco de Chapman)
3) Massa Específica do Agregado Graúdo ............................................................... 11
(ASTM C-127/54)
4) Massa Unitária de Agregados em Estado Solto ................................................... 13
(NBR 7251/82)26
5) Massa Unitária de Agregados em Estado Compactado Seco ............................ 16
(NBR 7810/87)
II- ENSAIOS COM CONCRETO E ARGAMASSA
6) Confecção e Cura de C.P. de Concreto Cilíndricos ou Prismáticos ..................... 19
(NBR 5738/84)
7) Det. da Consistência do Concreto peloAbatimento do Tronco de Cone .............. 23
(NBR 7223/82)
8) Argamassas e concretos - determinação da resistência à compressão
de corpos-de-prova cilíndricos (NBR 5739/80) .................................................... 25

ÍNDICE DOS RELATÓRIOS
Relatório 1-A ...................................................................................... 5
Relatório 1-B ...................................................................................... 7
Relatório 2 ....................................................................................... 10
Relatório 3 ....................................................................................... 12
Relatório 4-A .................................................................................... 14
Relatório 4-B .................................................................................... 15
Relatório 5-A .................................................................................... 17
Relatório 5-B .................................................................................... 18
Relatório 6 ....................................................................................... 22
Relatório 7 ....................................................................................... 24
Relatório 8 ....................................................................................... 27

peneiras intermediárias (6. 0.8 mm. e 50 mm) . 1976).3 mm.5 3 5 10 20 30 . 19 mm."Pedregulho ou Brita proveniente de rochas estáveis.5 e 25 entre 32 e 38 50 entre 64 e 76 0.bandejas 3.075 mm" c) Agregado graúdo .3 entre 9.8 6.8 mm" ENSAIOS DE DETERMINAÇÃO DE CONSTANTES FÍSICAS DOS AGREGADOS 1) COMPOSIÇÃO GRANULOMÉTRICA DOS AGREGADOS (NBR 7217/87) 1. Equipamentos e materiais . dimensão máxima (mm) massa mínima (Kg) ≤ 4. 2. b) Agregado miúdo .6 mm.AGREGADOS PARA CONCRETO Definições: a) Agregado . 25 mm. 9."areia de origem natural ou resultante do britamento de rochas estáveis.balança (capacidade de 20 kg) . cujos grãos passam por uma peneira de malha quadrada com abertura nominal de 152 mm e ficam retidos na peneira ABNT 4. ou a mistura de ambas. . 2.peneiras da série normal (0." agregado constitui o material granuloso e inerte que entra na composição das argamassas e concretos".3 mm.3 I.5mm.15 mm.4 mm. ou a mistura de ambos.escova com cerdas de latão . 32 mm.8 mm e ficam retidos na peneira ABNT 0. 12. Amostra A quantidade mínima de materiais a ser tomada é função da dimensão máxima. 0. e 76 mm). 1. 38 mm.escova com cerdas de nylon . 4. Objetivo: Este método fixa o modo pelo qual deve ser feita a determinação da composição granulométrica dos agregados miúdos e graúdos.2 mm.5 mm. cujos grãos passam pela peneira ABNT 4. (PIZARRO.

Se o agregado fino apresentar entre 5 e 15 % de material retido na peneira de 4.1. da peneira a qual corresponde uma porcentagem retida acumulada igual ou imediatamente inferior a 5 %. 5. . Procedimento 5. 6. d) a dimensão máxima do agregado.2. com aproximação de 0. Preparo da amostra Secar a amostra previamente ao ar 5. que é definido como sendo a soma das porcentagens acumuladas nas peneiras da série normal dividido por 100. b) porcentagens retidas e retidas acumuladas (em números inteiros). c) o módulo de finura. e) o traçado da curva granulométrica do agregado e sua classificação no caso do agregado miúdo. será considerado como agregado miúdo. em mm.8 mm. 7. será considerado como agregado graúdo. A amostra é a seguir peneirada através da série de peneiras. que é a abertura da malha.2. Se o agregado grosso apresentar menos que 15 % de material passado pela peneira de 4. 6. O tempo de peneiramento é de 5 minutos.8 mm. Condições 6.4 4.1 % da massa da amostra. O material retido em cada peneira é separado e sua massa é determinada. Resultados O certificado de ensaio deve consignar: a) massas dos grânulos retidos em cada peneira.1.

.................................................................................... ........................................................................... ...............5 DISCIPLINA: 1662 ............................ Dimensão máxima: ___________ mm Módulo de finura: ___________ Observações: ................................. a tabela de granulometria juntamente com seu respectivo gráfico.......................... .................................................................. Conclusões:.................................................................................................................................................................................. Obs: do relatório deverá constar em anexo.......................................................................................... Nº..................................................................................................... . ............................................................................................................................................................................................... Nº.....................................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 1-A COMPOSIÇÃO GRANULOMÉTRICA DOS AGREGADOS AGREGADO MIÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ......................................................................... ................................................................................................................................................. Nº.................... Agregado: ................. ........................................ Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: .............................

2ª determ.5 12.3 4.6 TABELA DE COMPOSIÇÃO GRANULOMÉTRICA (NBR 7217/87) Peneiras Nº ABNT Massa retida (g) Porcentagem retida (%) Abert.4 4.2 0.agregado miúdo NBR7211/2005 4. (mm) 1ª determ.15 < 0.8 100 6.8 6.4 1.3 10 dimensão das partículas (mm) 100 .6 0. ----------------------------------------------------------------------------------------------------------- Curva de Distribuição Granulométrica .5 6.3 1.15 0.3 9.15 totais Interm.5 9.6 1 2.2 0.1 0.8 2. média individual acumulada Normal 4 8 16 30 50 100 50 38 32 25 19 12.3 0.5 19 25 32 38 50 76 Zona utilizável 90 porcentagem retida acumulada (%) Zona ÓTIMA 80 70 60 50 40 30 20 10 0 0.

....................................................... ............................................................. Nº............................................................... ......................................................... a tabela de granulometria juntamente com seu respectivo gráfico............................................................ .................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... Obs: do relatório deverá constar em anexo............. ........ Conclusões:.......................................................................................................................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 1-B COMPOSIÇÃO GRANULOMÉTRICA DOS AGREGADOS AGREGADO GRAÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ................................................................................. ........................................................... Dimensão máxima: ___________ mm Módulo de finura: ___________ Observações: ................................................ .......................... ................................................ ............................................. Agregado: .............................................................................................................................................................................................7 DISCIPLINA: 1662 .................................... Nº...... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ........................................................... Nº..........

12.1 0.8 6.3 4.4 4. 2ª determ.5 .75 (Brita 4) 60 50 40 30 20 10 0 0.5 .31.8 TABELA DE COMPOSIÇÃO GRANULOMÉTRICA (NBR 7217/87) Peneiras Nº ABNT Massa retida (g) Porcentagem retida (%) Abert.15 < 0.3 1. (mm) 1ª determ.agregado graúdo NBR7211/2005 4.5 6.8 2.5 12.3 9.15 totais Interm.4 1.6 0.5 (Brita 2) 70 25 -50 (Brita 3) 37.15 0.5 19 25 32 38 50 76 100 porcentagem retida acumulada (%) 90 4.3 0.3 1 10 dimensão das partículas (mm) 100 .2 0.6 2.5 9.25 (Brita 1) 80 19 . ----------------------------------------------------------------------------------------------------------- Curva de Distribuição Granulométrica .5 (Brita 0) 9. média acumulada individual Normal 4 8 16 30 50 100 50 38 32 25 19 12.2 0.75 .8 6.

1. agitar bem.funil . Objetivo: determinar a massa específica do agregado miúdo. Relatório Calcular a massa específica.2. 2. Colocar água no frasco de Chapman até a marca de 200 ml tomando-se o cuidado de não molhar a parede interna do mesmo e deixar estabilizar no banho termorregulador. Equipamentos e materiais . Procedimento 5.frasco de Chapman . até constância de massa. Após esse período corrigir o nível. constante importante para dosagem dos concretos e argamassas. Colocar 500 g do material no frasco.recipiente paralelepipédico . Amostra . caso necessário.termômetro 3.cronômetro . 5. 6. Preparo da amostra Secar o material em estufa a temperatura de 100 oC.balança . γ= ( 500 g / cm3 Lf − 200 ) Sendo: γ : massa específica do agregado Lf : leitura final . 5. girando a base do frasco sobre uma bancada de neoprene para a retirada de bolhas de ar e fazer a leitura final.500 g de agregado 4.9 2) MASSA ESPECÍFICA DO AGREGADO MIÚDO (método do frasco de Chapman) 1.

...... Nº..... ............................................ Conclusões:......................................................................................................................................................... .............................................................................10 DISCIPLINA: 1662 .......................................................................... . ............................................................................................................................................................................................................g / cm3 Observações: ..................................................................................................................................... ............................. Nº.... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ............... Nº.................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... ........................................ ....................................................................................... ...............................................................................................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 2 MASSA ESPECÍFICA DO AGREGADO MIÚDO (método do frasco de Chapman) Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ............................................................ γ:.................................................... Agregado:............................................................ ................

Procedimento 4. Enxugar os grânulos do agregado com um pano úmido e determinar sua massa (Msaturada).1.3.balança . 4.2. Relatório A massa específica é dada pela relação: γ = M sec a (M saturada − M submersa ) . Equipamentos e materiais . Mergulhar o recipiente na água até atingir a saturação do agregado e determinar sua massa submersa na balança hidrostática (Msubmersa).recipiente para submersão de agregados . 2. Amostra Secar previamente em estufa a temperatura de 110 ºC até constância de massa.11 3) MASSA ESPECÍFICA DO AGREGADO GRAÚDO (método da balança hidrostática) ASTM C-127/54 1.balaça hidrostática . 4. 5. Objetivo: determinar a massa específica do agregado graúdo. 4.panos umidecidos 3. Preencher com o material o recipiente para submersão de agregados e determinar a sua massa (Mseca). constante importante para dosagens dos concretos.

..................................................................................................................12 DISCIPLINA: 1662 ......................................... .......................................... ...................................................................................................................................... .............................................................................................. .......................................................................................................................................................................................................................... Agregado:...................................................................................... Nº..................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 3 MASSA ESPECÍFICA DO AGREGADO GRAÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ...................................................................................................................................................................................................... γ= ....... Nº.................................................. ........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... .... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ....................................................................................................... ........................... Conclusões:................. Kg/dm3 Observações: ............................................................................................................................... . ................................................................. Nº...............................

4.concha ou pá .8 50 100 volume do recipiente (dm3) 15 20 60 .balança . Preparo da amostra Secar o material previamente ao ar. lançando o agregado de uma altura de 10 cm do topo do recipiente. Preencher o recipiente por meio de uma concha ou pá. 4.escala . Procedimento 4. Efetuar 3 determinações 5. .recipiente paralelepipédico. característica importante nas transformações dos traços em massa para volume e vice .13 4) MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO SOLTO (NBR 7251/82) 1.1.3.versa. Rasar o recipiente com régua biselada e determinar a sua massa. Equipamentos e materiais . Relatório A massa unitária do agregado em estado solto é obtida dividindo-se a massa do agregado pelo volume do recipiente (kg/dm3).2.régua biselada . com os seguintes valores: dimensão máxima (mm) 4. 4. 2.agregado em quantidade suficiente 3. Objetivo: determinar a massa unitária dos agregados em estado solto.

............... ........................................................... Agregado:....... .............................................................................................................. Nº....................................................................................................................... kg Volume do recipiente: ................................................................................................................. kg/dm3 Observações: ........................... ............................... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ........................................... Nº..................................................................................14 DISCIPLINA: 1662 .................................................................................................................................................................................................................................................................. Nº......................................................................................................................................................................................................... .............................................................................................. dm3 Massa unitária em estado solto (δ δs): ................................................................................. ......................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 4-A MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO SOLTO AGREGADO MIÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ....................................... Massa do recipiente: ..................................................... ...................... .............................................................................. Conclusões:.................................................. ....

.......................... ......... ............. Nº................................................ kg Volume do recipiente: ..................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 4-B MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO SOLTO AGREGADO GRAÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: .... Nº................................. ........................................................................................................................................................................ dm3 Massa unitária em estado solto (δ δs): .......................................................... Agregado:.................................................... .................................................................................................................................................................................................................................................... ............................................................................................. ........ Massa do recipiente: ..............................................................kg/dm3 Observações: ..................................................................................................................................................................................................... .... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ............................................................................................................................................. Nº.......................... Conclusões:.................................................................................................................................................................15 DISCIPLINA: 1662 .................................................................................................. ............................................................

3. Para cada camada o recipiente deve cair 50 vezes sendo. Efetuar três determinações 5.5 38 76 15 15 30 .2.1. Procedimentos 4. Relatório Calcular a massa unitária em estado compactado dividindo a massa de agregado (Kg) pelo volume do recipiente (dm3). . 4.régua biselada .recipiente paralelepipédico com volume indicado na tabela abaixo: dimensão máxima (mm) volume do recipiente (dm3) 12. Razar o recipiente e determinar a sua massa.estufa . Objetivo: constante importante para efetuar transformações de massa em volume. Razar o recipiente com régua biselada e determinar a sua massa. 25 para um lado e 25 para o outro. 4. alternadamente.haste de compactação .16 5) MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO COMPACTADO SECO (NBR 7810/83) 1. Efetuar três determinações. 4.4. Equipamentos e materiais . Preparo da amostra Secar o material previamente em estufa a 100oC 4. 2. Agregados com dimensão máxima menor que 38 mm: Preencher o recipiente em três camadas iguais. Agregados com dimensão máxima maior que 38 mm: Preencher o recipiente em três camadas iquais e compactar cada camada apoiando sobre uma superfície plana e rígida.balança .escala . para dosagem experimental.agregado em quantidade suficiente 3.bandeja . inclinando-o de modo que o ponto mais alto do fundo do recipiente fique a 5 cm da superfície e deixando-o cair livremente. socando 25 vezes cada camada.

................... Nº................................................................................ ................................... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ...................................................................................... .........17 DISCIPLINA: 1662 ..... .................................................................................................................................................................................................................................................................................... ................................ Nº............ ..................................................................................... Conclusões: ............ Nº.................................................................................................................................................kg Volume do recipiente:................................................................................................................................................. ............ ............................. Agregado: ................................................................ .......................................................................................................... kg/dm3 Observações: ....................................................................................................................................................................................... Massa do recipiente: ................................................... dm3  δ  Índice de vazios = 1 − c 0  × 100% γ   Massa unitária em estado compactado seco (δc0):: ............................................................................................................ .......................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 5-A MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO COMPACTADO SECO AGREGADO MIÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ...........................................

................................................................................................................................................................................................................................ ............................... Nº................................................................................................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 5-B MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO COMPACTADO SECO AGREGADO GRAÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ..................... ............................................................. ..............................................................................................................................................................................dm3 Massa unitária em estado compactado seco (δ δc0):: ............................. ........................ ....................................................................................................................................................................................... Conclusões:................................... .. Nº................................................................................................................................................................................................. .............................................. Massa do recipiente: ........................................................18 DISCIPLINA: 1662 ......................................... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ........................................ ............................................................................... Nº.................kg  δ  Índice de vazios = 1 − c 0  × 100% γ   Volume do recipiente:............................................................................ Agregado: ...................................................................................................... ............................................. kg/dm3 Observações: ....................

concha .2. Local de moldagem . o concreto deve ser colocado no molde em 4 camadas aproximadamente iguais. 2.haste de compactação .cronômetro .ENSAIOS COM CONCRETO E ARGAMASSA 6) CONFECÇÃO E CURA DE CORPOS-DE-PROVA DE CONCRETO CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS (NBR 5738/82) 1. . Quando a dimensão máxima do agregado for menor ou igual a 50 mm.os corpos-de-prova devem ser moldados em local próximo daquele em que devem ser armazenados nas primeiras 24 horas. manual enérgico ou mecânico.os moldes devem ser colocados com as geratrizes na posição vertical e se o adensamento for manual. Dimensões .o adensamento pode ser manual. Processo de adensamento .óleo mineral 3. recebendo cada camada 30 golpes da haste de compactação.19 II.3. 3.enxôfre . Moldagem .1. 4.moldes prismáticos . Nos concretos de 20 a 60 mm pode ser adotado qualquer um dos processos de adensamento. Corpos-de-prova cilíndricos 4.concreto .gola . Nos concretos de abatimento maior que 60 mm o processo de adensamento deve ser manual. 4. Objetivo: fixa o modo pelo qual devem ser moldados e curados corpos-de-prova cilíndricos ou prismáticos.o concreto deve ser colocado no molde 15 x 30 cm em 6 camadas de altura aproximadamente igual. uniformemente distribuídos na seção transversal. Adensamento manual enérgico .os corpos-de-prova devem ter comprimento igual a duas vezes o seu diâmetro.placa de vidro . Corpos-de-prova 3.moldes cilíndricos .2. Nos concretos que apresentam abatimento inferior a 20 mm o processo de adensamento deve ser mecânico ou manual enérgico. deve-se utilizar o corpo-de-prova de 150 x 300 mm.1. 4. Equipamentos e materiais .guia para capeamento . recebendo cada camada 60 golpes da haste de compactação.bandeja .bico de Bunsen . A moldagem dos corpos-de-prova uma vez iniciada não deve sofrer interrupção.

5.5. contendo serragem ou areia molhada. após a moldagem. os corpos-de-prova devem ser conservados em água de cal ou em câmara úmida com neblina artificial que apresente no mínimo 95 % de umidade relativa e que atinja toda a sua superfície livre. Na obra. antes da desmoldagem devem ser recobertos com panos úmidos e permanecerem nos moldes pelo menos 12 horas. o que geralmente ocorre entre 2 a 6 horas. depois que o concreto tiver cessado de recalcar no interior do molde. Cura No laboratório. devem ser capeados com uma fina camada de enxofre. os corpos-de-prova. que desenvolvam na ocasião do ensaio uma resistência à compressão superior à resistência prevista para o concreto. Os corpos-de-prova que não satisfazerem as condições anteriores. os corpos-de-prova destinados a um laboratório devem ser transportados em caixas rígidas.deve ser adensado em 2 camadas de altura aproximadamente igual. 4. O capeamento deve ser feito com uma placa de vidro. o diâmetro da agulha deve ser menor ou igual a 1/4 do diâmetro do corpo-de-prova. No caso de vibrador de imersão. e o tempo de vibração necessário para que a superfície fique plana e brilhante. que ficará até o momento da desmoldagem. devem ser compatíveis com o equipamento a ser utilizado na obra. A freqüência e amplitude de vibração.4. . Adensamento mecânico . Observação: os mecanísmos de moldagem e cura dos corpos-de-prova destinados a ensaio de flexão devem atender a NBR 5738 (MB .20 4. Após a desmoldagem.2). Capeamento . A pasta deve ser preparada 2 a 4 horas antes de seu emprego. ou areia completamente saturada. previamente lubrificada.os corpos-de-prova podem ser capeados com uma fina camada consistente de pasta de cimento.

com 25 golpes em cada camada 19 mm Dimensão máxima do agregado graúdo 2) CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS Cimento: CP V-ARI Agregado graúdo: Britas nº 1 Agregado miúdo: Areia quartzosa Resistência normal de 34 MPa (aos 7 dias) Brita de basalto Do Rio Tietê.0 = 33.56 kg Brita 1 3. Portanto. POR kg DE CIMENTO 1 Cimento 1. realizado em 3 camadas de igual altura.28 kg Brita 1 1. o traço em massa para a betonada será: 4.26 kg Brita 1 0.82 Brita 1 0.0 kg Cimento 7.0 kg Cimento 14.6 litros água Para a imprimação da betoneira.645 x 2.08 kg Areia 11.3 Mpa .21 Relatório 6 CONFECÇÃO E CURA DE CORPOS-DE-PROVA DE CONCRETO CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS 1) CARACTERÍSTICAS DO CONCRETO fck 28 = a= Dmáx= 30 MPa Resistência característica à compressão.426 cm3 Consumo de cimento por m3 de 424 kg Concreto (C): Definido em função da resistência desejada para o concreto Como 1 m3 = 106 cm3.77 Areia 2. é costume rodar um traço de 20% do traço anterior. para a moldagem dos 6 CPs serão necessários aproximadamente 4 kg de cimento. aos 28 dias de idade 70 ± 10 mm Abatimento do tronco-cone (“slump test”).36 litros água 5) RESISTÊNCIA ESPERADA PARA O CONCRETO (j dias de idade) f cj = f ck + 1. em Iacanga 3) TRAÇO EM MASSA.571 cm Quantidade de CPs: 6 CPs Volume total de concreto: 9. ou seja: 0.42 kg Areia 2.16 kg Areia 22. Consistência do concreto.45 água 4) TRAÇO EM MASSA PARA OS ENSAIOS (“Betonada”) Dimensões corpo-de-prova (CP_: 10 x 20 Diâmetro de 10 cm e altura de 20 cm 3 Volume de 1 CP: 1.8 kg Cimento 1.645 sd = 30 + 1. caso seja muito pouco para a betoneira: 8.8 litros água OBS: Estas quantidades poderão ser dobradas.

............................................................................................................... ................................................................ .......................................................................... .................................................................................................. Observações: .............................................................................................................................................................. .. .............................................................................. Nº........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... Nº............................................................................ .....................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 6 CONFECÇÃO E CURA DE CORPOS-DE-PROVA DE CONCRETO CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: .................................................................... ........................................ Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ...... ........... ............... Nº......................22 DISCIPLINA: 1662 ............................................................ ....................................................... Conclusões:.................................................................................................................................................................................................................................................................................................... ....................................................................................................

4.haste de compactação .molde tronco cônico . 4. Na camada inferior é necessário inclinar levemente a haste de compactação e efetuar cerca da metade dos golpes próximos a parede interna do molde. O excesso de concreto deve ser removido com auxílio da própria haste de compactação. plana e horizontal. o mesmo deve ser colocado sobre a placa metálica de base. deslizando sobre os bordos do molde. igualmente limpa e umedecida. na direção vertical. cuidadosamente.complemento tronco-cônico 3.5. A amostra do concreto deve ser colhida de acordo com a NBR 5750 3.3. Após o adensamento. a haste deve penetrar até ser atingida a camada inferior subjacente. que deve respaldar a superfície do concreto. e deve ser preenchido em três camadas de altura aproximadamente iguais.2. é a distância em milímetros entre o plano correspondente à base superior do molde e o centro da base superior da amostra abatida. Cada camada deve receber. 3. é retirado o complemento tronco-cônico. Equipamentos e materiais . sem interrupção. e num período de tempo não superior a 2 minutos e 30 segundos. num tempo de (10 ± 2) segundos . 2. Todas essas operações devem ser executadas. Procedimento 3. Resultados O abatimento do tronco de cone. para ser adensada. A desmontagem é efetuada elevando-se o molde pelas alças. O molde deve ser fixado pelas aletas com os pés do operador.1.concha metálica . 25 golpes da haste de compactação uniformemente distribuídos. No adensamento das camadas restantes. com o auxílio do complemento tronco-cônico. Objetivo: determinar a consistência do concreto pelo abatimento do tronco de cone (“slump test”). medida com régua. que por sua vez deve se apoiar em superfície rígida.placa metálica . Havendo desmoronamento total deve-se repetir o ensaio. 3. com velocidade constante e uniforme. .23 7) DETERMINAÇÃO DA CONSISTÊNCIA DO CONCRETO PELO ABATIMENTO DO TRONCO DE CONE (NBR 7223/82) 1.régua graduada . 3. Após a limpeza e umedecimento interno do molde.

................................................................................................................................................... ..................................................... .............. Nº...................................................................................................................... Nº.............................................................................................. Cimento: ......................... ................................................ ............................................................................................................................................................ ............................................................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 7 DETERMINAÇÃO DA CONSISTÊNCIA DO CONCRETO PELO ABATIMENTO DO TRONCO DE CONE Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... Conclusões:........................................................................... ......................................................................................................................................................................................................................................................... Traço corrigido: .............................................................................................. ................................ mm Observações: ................................................................................................................... Abatimento:........................................................................... ..... .............24 DISCIPLINA: 1662 ..................................... Nº........................ ..................................................... Traço original (em massa):.................................. ....... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ............................................................................ .........................................................

Cronômetro .2. Os corpos-de-prova devem ser cuidadosamente centralizados no prato. 2. pela média de duas leituras para cada medida. Se necessário os corpos-de-prova devem ser conservados sob panos molhados ou convenientemente recobertos. Os corpos-de-prova que receberem cura úmida ou cura saturada.bico de Bunsen .guia de capeamento . As faces devem ser capeadas com camada de enxofre não superior a 2 mm. 5. para se tornarem planas e paralelas. Cálculos 5. com uma velocidade de 0.paquímetro . O prato rotulado superior deve ser suavemente colocado. As dimensões dos corpos-de-prova devem ser determinadas. 4.3 a 0.panos 3.recipiente metálico para preparo do enxofre . devendo ser expressa com aproximação de 0. dividindo-se a carga de ruptura pela área da seção transversal do corpo-de-prova.3. Amostra São necessários 6 corpos-de-prova de concreto para cada ensaio.8 MPa/segundo. O carregamento deve cessar tão somente quando o recuo do ponteiro de carga ficar em torno de 10 % do valor máximo alcançado. que será anotado como carga de ruptura do corpo-de-prova.1. . 4.1 MPa. Equipamentos e materiais .DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS (NBR 5739/80) 1. As faces dos pratos da máquina e dos corpos-de-prova devem ser limpas antes de ensaiados. devem ser ensaiados ainda úmidos. A tensão de ruptura à compressão é obtida. a fim de evitar evaporação.1. Procedimento 4.25 8) ARGAMASSAS E CONCRETOS . Objetivo: fixa o modo pelo qual devem ser ensaiados à compressão os corpos-deprova cilíndricos de concreto.máquina de ensaio . A carga deve ser aplicada continuamente. de modo a se obter um ajuste uniforme. 4. que contém referências.

data de moldagem.). tensão de ruptura.26 5. data do ensaio. defeitos eventuais do corpo-de-prova. etc. . área da seção transversal. identificação do corpo-de-prova. O certificado de resultados de ensaios deverá conter as seguintes informações: a) b) c) d) e) f) g) h) procedência do corpo-de-prova.2.. agregado.. e informações adicionais (cimento. idade do corpo-de-prova.

...................................... Abatimento: .............................................. Nº.............................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 8 ARGAMASSAS E CONCRETOS ................................................ ......................................................................................................... Agregado miúdo: .........................................................................................................................................................................DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: .......... Agregado graúdo:................................................................ Traço: ............................................................................................................................... Nº....................................................................................................... ........................................................................................ Cimento: ........................ Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ......................................................... Nº........................ CP 1 2 3 4 5 6 F(Kgf) fcj (Kgf/cm2) fcj (MPa) T (%) ....................................... ........27 DISCIPLINA: 1662 ...............................................................................................

.............................................. ........................... ................. ................................................................................................................ .................................. .............................. ....................................................................................................................................................................................................................................................................................... ....................................................................... ................................................................................................................................................................. Conclusões:........................................................... ............................................................. ................................................................................................................................................................................................................................................................. Carga máxima à compressão:............................................................................. Idade: __________________________ Data de moldagem: ___/___/______ Data do ensaio: ___/___/______ Diâmetro/altura: .......................... Identificação .............. cm Defeitos eventuais:..................................................................... ......................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... ........................................................................... Observações: .................................................... Desvio Padrão:..................................................................................................................................................................... ........................................................... ......................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................28 Procedência doCP: ..................................................................