You are on page 1of 14

FACULDADE ANHANGUERA DE VALINHOS

CURSO: ADMINISTRAÇÃO
DISCIPLINA: MATEMÁTICA FINANCEIRA




ATIVIDADE PRÁTICA SUPERVISIONADA



(Nome dos Alunos)


Tutor à distância: Andreliza Mila Rosa de Oliveira






Valinhos, 20 de Novembro de 2013

INTRODUÇÃO
A Matemática Financeira possui diversas aplicações no atual sistema econômico. Algumas
situações estão presentes no cotidiano das pessoas, como financiamentos de casa e carros,
empréstimos, compras a crediário ou com cartão de crédito, aplicações financeiras,
investimentos em bolsas de valores, entre outras situações. Nesta ATPS, os integrantes do
grupo terão a oportunidade de trabalhar com cálculos da matemática financeira resolvendo
exercícios de um casal fictício, Marcelo e Ana, a fim de ajuda-los a descobrir a quantia
aproximada eles deverão gastar para que consigam criar o seu filho do nascimento até a idade
em que ele terminará a faculdade. Esse valor será obtido através de cada etapa desta atividade.

ETAPA 1:
Passo 1: Capitalização simples e composta e a utilização da HP12C em cálculos
financeiros.
Capitalização Simples: No regime de capitalização simples, os juros são calculados sempre
sobre o valor inicial, não ocorrendo qualquer alteração da base de cálculo durante o período
de cálculo dos juros. Na modalidade de juros simples, a base de cálculo é sempre o Valor
Atual ou Valor Presente (PV), enquanto na modalidade de desconto bancário a base de
cálculo é sempre o valor nominal do título (FV). O regime de capitalização simples
representa, portanto, uma equação aritmética, sendo que o capital cresce de forma linear,
seguindo uma reta; logo, é indiferente se os juros são pagos periodicamente ou no final do
período total. O regime de capitalização simples é muito utilizado em países com baixo índice
de inflação e custo real do dinheiro baixo; no entanto, em países com alto índice de inflação
ou custo financeiro real elevado, a exemplo do Brasil, a utilização de capitalização simples só
é recomendada para aplicações de curto prazo. A capitalização simples, porém, representa o
início do estudo da matemática financeira, pois todos os estudos de matemática financeira são
oriundos de capitalização simples.
No regime de juros simples, os juros de cada período são sempre calculados em função do
capital inicial (principal) aplicado. Os juros do período não são somados ao capital para o
cálculo de novos juros nos períodos seguintes. Os juros não são capitalizados e,
conseqüentemente, não rendem juros. Assim, apenas o principal é que rende juros.,
Capitalização Composta: No regime de capitalização composta, os juros produzidos num
período serão acrescidos ao valor aplicado e no próximo período também produzirão juros,
formando o chamado “juros sobre juros”. A capitalização composta caracteriza-se por uma
função exponencial, em que o capital cresce de forma geométrica. O intervalo após o qual os
juros serão acrescidos ao capital é denominado “período de capitalização”; logo, se a
capitalização for mensal, significa que a cada mês os juros são incorporados ao capital para
formar nova base de cálculo do período seguinte. É fundamental, portanto, que em regime de
capitalização composta se utilize a chamada “taxa equivalente”, devendo sempre a taxa estar
expressa para o período de capitalização, sendo que o “n” (número de períodos) represente
sempre o número de períodos de capitalização.
Em economia inflacionária ou em economia de juros elevados, é recomendada a aplicação de
capitalização composta, pois a aplicação de capitalização simples poderá produzir distorções
significativas principalmente em aplicações de médio e longo prazo, e em economia com altos
índices de inflação produz distorções mesmo em aplicações de curto prazo.
O regime de juros compostos é o mais comum no sistema financeiro e, portanto, o mais útil
para cálculos de problemas do dia-a-dia. Os juros gerados a cada período são incorporados ao
principal para o cálculo dos juros do período seguinte. Matematicamente, o cálculo a juros
compostos é conhecido por cálculo exponencial de juros.
A calculadora HP12C em cálculos financeiros: A calculadora HP 12C é muito útil na
resolução de problemas matemáticos, e até financeiros. Com ela, é possível calcular, por
exemplo, quanto de juros o banco cobrará se pegar um empréstimo de x reais a n meses,
bastando colocar as variáveis necessárias. Por mais que já esteja no mercado há anos e exista
hoje em dia calculadoras mais potentes, a HP12C ainda está no gosto popular, devido a
grande qualidade e funções que a mesma possui. Uma função interessante é a tecla STO e
RCL, que juntas podem salvar na memoria da calculadora qualquer numero, podendo salvar
até 20 registros, e chama-los em uma operação. Por exemplo, suponha que queira salvar o
numero “50”, basta digitar 50, apertar a tecla STO, apertar o 1 (memória), e pronto. Agora
para chama-lo em uma operação qualquer, deve-se apertar RCL e o numero da memoria que o
mesmo está armazenado, no caso 1. Estas é apenas uma dentre varias outras funções que a
HP12C possui, ela atende as necessidades de estudantes até de administradores financeiros.
Passo 2 e 3: Resolução de exercícios:
CASO A
Despesas do casal fictício Ana e Marcelo:
1) Terno e vestido 12x R$ 256,25 sem juros = R$ 3.075,00
2) Buffet R$ 10.586,00 – R$2.646,50 ( entrada )
3) Empréstimo com o amigo com condições especiais (prazo e taxa de juros) no valor de
R$10.000,00 a serem pagos após 10 meses de o valor ser cedido pelo amigo.
4) Outras despesas pagas em uma única vez utilizando parte do limite de cheque especial
totalizando o valor de R$ 6.893,17, numa taxa de 7,81% ao mês.
I – O valor pago por Marcelo e Ana para a realização do casamento foi de R$ 19.968,17
Resolução:
(12 x 256,25) + 2.646,50 +10.000,00 + 6.893,17 = R$ 22.614,67
Portanto, esta afirmação é incorreta.
II – A taxa efetiva de remuneração do empréstimo concedido pelo amigo de Marcelo e Ana
foi de 2,3342% ao mês.
Resolução (utilizando a calculadora HP12C):
7939,50
CHS
PV
10.000,00
FV
10 n
0 PMT
i = 2,3342 % a.m.
Portanto, esta afirmação está correta
III – O juro do cheque especial cobrado pelo banco em 10 dias, referente ao valor emprestado
de R$ 6.893,17 foi de $174,97.
Resolução (utilizando a calculadora HP12C):
Primeiro passo: encontrar o i (taxa), equivalente ao dia:
6893,17
CHS
PV
10 n
7,81 i
ENTER
100 : 1 +, resultado 1.0781, ou seja transformando a taxa % a.m. em índice, para depois
transformar em dias:
1.0781
ENTER
30
1/x
Yx = 1.0025
1-100 * = 0,25% ao dia
i
0
PMT
FV = 7.068,14
FV – PV = 174,97
Portanto esta afirmação está incorreta.
Associamos então o número 3 ao Caso A.

CASO B
A afirmação está incorreta pois conforme já calculado anteriormente os custos seriam o
mesmos.
Associamos então o número 1 ao Caso B.

ETAPA 2:
Passo 1:Séries de Pagamentos Uniformes – Postecipados e Antecipados.
Entende-se seqüência uniforme de capitais como sendo o conjunto de pagamentos (ou
recebimentos) de valor nominal igual, que se encontram dispostos em períodos de tempo
constantes, ao longo de um fluxo de caixa. Se a série tiver como objetivo a constituição do
capital, este será o montante da série; ao contrário, ou seja, se o objetivo for a amortização de
um capital, este será o valor atual da série.
Sequência Uniforme de Termos Postecipados: As séries uniformes de pagamento
postecipados são aqueles em que o primeiro pagamento ocorre no momento 1; este sistema é
também chamado de sistema de pagamento ou recebimento sem entrada. Pagamentos ou
recebimentos podem ser chamados de prestação, representada pela sigla “PMT” que vem do
Inglês “Payment” e significa pagamento ou recebimento.
Sequência Uniforme de Termos Antecipados: As séries uniformes de pagamentos antecipadas
são aquelas em que o primeiro pagamento ocorre na data focal 0 (zero). Este tipo de sistema
de pagamento é também chamado de sistema de pagamento com entrada.
Passos 2 e 3: Resolução de exercícios:
CASO A
12 X 350,00 aplicado na caderneta de poupança que renderá juros de R$120,00 acumulados
durante os 12 meses.
Em 12 meses Marcelo terá acumulado R$ 4.320,00
Marcelo encontra uma última peça da TV com 10% de desconto
350,00
PMT
12 n
350,00
ENTER
12 *
120 +
CHS
4320,00
FV
I
0,5107%
400,00
ENTER
350,00 -
50,00 *
12
600,00
As duas afirmações estão corretas, portanto associamos o número 8.

CASO B
I – Se Clara optou pelo vencimento da primeira prestação após um mês da concessão do
crédito, o valor de cada prestação devida por ela será de R$ 2,977,99, conforme calculo na HP
abaixo:
30.000,00
CHS
PV
12n
0
FV
2,8 i
PMT
2.977,99
Portanto, a afirmação está correta.

II – Clara, optando pelo vencimento da primeira prestação no mesmo dia em que se der a
concessão do crédito, o valor de cada prestação devida por ela será de R$ 2.896,88.
G
7 ( begin )
30.000,00
CHS
PV
12n
PMT
2.896,88
Portanto a afirmação está correta.

III – Caso Clara opte pelo vencimento da primeira prestação após quatro meses da concessão
do crédito, o valor de cada prestação devida por ela será de R$ 3.325,80.
30.000,00
CHS
PV
4n
2,8 i
0 PMT
FV 33.503,77
33.503,77
CHS
PV
12 n
0 FV
PMT 3.325,80
Portanto a afirmação está incorreta.
Desta forma, associamos o número 9 ao Caso B.

ETAPA 3
Passo 1: Conceitos de taxa a juros compostos
Juros compostos são os juros de um determinado período somados ao capital para o cálculo
de novos juros nos períodos seguintes. Juros compostos fazem parte de disciplinas e conceito
de matemática financeira, e esses juros são representados através de um percentual.
A fórmula de juros compostos pode ser escrita através da remuneração cobrada pelo
empréstimo de dinheiro, e o valor da dívida é sempre corrigida e a taxa de juros é calculada
sobre esse valor. O regime de juros compostos é o mais comum no sistema financeiro e o
mais útil para cálculos de problemas do dia-a-dia.
O atual sistema financeiro utiliza o regime de juros compostos, pois ele oferece uma maior
rentabilidade quando comparado ao regime de juros simples, uma vez que juros compostos
incidem mês a mês, de acordo com o somatório acumulativo do capital com o rendimento
mensal. Juros compostos são muito usados no comércio, como em bancos. Os juros
compostos são utilizados na remuneração das cadernetas de poupança, e é conhecido como
“juro sobre juro”.
Os juros compostos em disciplinas de matemática financeira, geralmente são calculados e
aprendidos com a utilização da calculadora HP 12C, mas também é possível resolver seus
cálculos e a fórmula no Excel.
Passos 2 e 3: Resolução de exercícios:
CASO A
I – A taxa média diária de remuneração é de 0,2987%
4280,87
CHS
PV
1389n
0
PMT
4280,87 + 2200,89
FV
I
0,02987
Portanto esta afirmação está correta.

II- A taxa media mensal de remuneração é de 1,2311%
0,02987 : 100 + 1 = 1.000298700
30
Yx
1.009
ENTER
1-
100*
0,90%
Portanto esta afirmação está incorreta

III-A taxa efetiva anual equivalente à taxa nominal de 10,8% ao ano capitalizada
mentalmente é de 11,3509%
10,80
ENTER
12 :
0,90
100:
1+
12
Yx
1.113509
1-
100*
11,3509
Portanto, esta afirmação está correta
Neste caso, associaremos o número 5.

CASO B
25,78
ENTER
100 :
1+
1,2578
121,03
ENTER
100:
1 +
2,2103
1,2578
ENTER
2,2103 :
0,5690
ENTER
1 –
100*
-43,0937 %
Portanto, esta afirmação está correta.
Neste caso, associaremos o número 0

ETAPA 4
Passo 1: Conceitos de Amortização de Empréstimos
Amortização de um empréstimo é a quantidade negociada com a entidade financeira ou
banco, que você vai pagar. Essa quantidade é denominada por quota e pode ter uma
periodicidade anual, semestral, trimestral, ou a mais usada, a mensal. Se você subtrair os
interesses da taxa que estão incluídos, o que amortiza é o capital principal. Quando se paga
uma quota nem tudo é amortização, terá que ter em conta os interesses e o método de
amortização para poder calcular as quotas do empréstimo de dinheiro, que pode ser uma quota
constante, crescente e decrescente. O mais utilizado é o método francês ou quota constante,
onde o pagamento de interesses (impostos e taxas do crédito) vai decrescendo e a amortização
do capital principal é maior ao longo de cada quota. No sistema de empréstimo de dinheiro
francês, os primeiros anos de vida do empréstimo são para pagar a maior parte das taxas,
sendo que este é o método que é usado na maior parte dos empréstimos
Nos empréstimos em que se paga numa só quota ou mensalidade, no princípio do empréstimo,
sobre a forma de gastos de abertura, são empréstimos dirigidos ao consumo, as quotas vão
diminuindo o capital, isto é, é amortizado desde que é concedido o crédito.
Para saber qual é o empréstimo que é realmente mais barato, tem sempre que ter em conta a
TAE, isto é, a Taxa Anual Equivalente. Atualmente para simular uma hipoteca ou qualquer
tipo de crédito financeiro existem vários simuladores fornecidos pelos bancos.
Amortização do capital principal: Podemos amortizar o capital principal no momento em que
queira, sempre que esteja presente no contrato. Normalmente o cancelamento ou amortização
do empréstimo tem uma comissão de cancelamento, que aparecerá no contrato. Será uma
percentagem sobre o capital amortizado no momento, sendo em muitos os casos contemplado
uma comissão mínima, quando é permitido amortizar uma quantidade anual sem custos de
cancelamento.
Para saber se vale a pena amortizar o capital, tem de calcular os interesses e as comissões que
terá que pagar, para saber se irá poupar dinheiro no caso de cancelamento antecipado do
empréstimo.
No caso do empréstimo ao consumo, em que os interesses são pagos numa só quota no início
do empréstimo, não é vantajoso amortizar no futuro o capital, pois não irá ganhar nada com
isso, sem contar que perderá a possibilidade de ter o seu dinheiro a dar algum tipo de
rentabilidade.
Passos 2 e 3: Resolução de exercícios:
CASO A
Se Ana tivesse acertado com a irmã que o sistema de amortização das parcelas se daria pelo
SAC (Sistema de Amortização Constante), o valor da décima parcela de R$ 2.780,00, e o
saldo devedor atualizado para o próximo período seria de R$ 5.000,00.
Período Saldo devedor Amortização Juros Parcela
0 30.000,00 2,80%
1 27.500,00 2.500,00 840,00 3.340,00
2 25.000,00 2.500,00 770,00 3.270,00
3 22.500,00 2.500,00 700,00 3.200,00
4 20.000,00 2.500,00 630,00 3.130,00
5 17.500,00 2.500,00 560,00 3.060,00
6 15.000,00 2.500,00 490,00 2.990,00
7 12.500,00 2.500,00 420,00 2.920,00
8 10.000,00 2.500,00 350,00 2.850,00
9 7.500,00 2.500,00 280,00 2.780,00
10 5.000,00 2.500,00 210,00 2.710,00
11 2.500,00 2.500,00 140,00 2.640,00
12 0,00 2.500,00 70,00 2.570,00

Portanto, esta informação está incorreta.
Para este caso associaremos o número 3.
CASO B
Se Ana tivesse acertado com a irmã que o sistema de amortização das parcelas se daria pelo
sistema PRICE ( Sistema Frances de Amortização), o valor da amortização para o sétimo
período seria de R$2.780,00, o saldo devedor atualizado para o próximo período seria de R$
2.322,66, e o valor do juro correspondente ao próximo período seria de R$ 718,60.
30.000
CHS
PV
12 n
0
FV
2,8 i
PMT
2977,99
7 f n
4562,00 valor amortização sétimo período
x><y
16284
RCL
PV
13716,00
1 f n
384,00 – juros do próximo período
X><y
2594,00
RCL
PV
R$ 11.122,00 – saldo devedor para o próximo período

Portanto esta informação está incorreta.
Para este caso, associaremos o número 1.

CONCLUSÃO:
Desta forma, os algarismos obtidos da etapa 1 à 4 formam o valor de R$ 318.950,31 que
corresponde ao valor aproximado que Marcelo e Ana deverão gastar para conseguir criar seu
filho do nascimento até o término da faculdade.

CONSIDERAÇÕES FINAIS:
Nesta atividade prática supervisionada, realizamos pesquisas, nos reunimos para desenvolver
as etapas, e resolvemos as situações-problema fazendo uso da matemática financeira e da
calculadora HP12C. Registramos os conceitos e as resoluções seguindo as instruções
fornecidas. Durante a realização desta atividade podemos compreender e colocar em prática
conceitos matemáticos inerentes a nossa graduação. Para a realização desta ATPS foi de
extrema importância que cada aluno se dedicasse ao acompanhamento das teleaulas, assim
como a leitura e compreensão do material de apoio como livros e slides das aulas. Esta
atividade sem dúvida proporcionou conhecimento a cada um dos seus participantes,
conhecimento este que certamente será utilizado em nossa vida profissional não só após a
formação, mas imediatamente e ao longo dos anos, conforme a atividade profissional de cada
participante, pois situações onde são necessários cálculos matemáticos surgem com facilidade
no nosso dia-a-dia, e cabe a nós utilizarmos o conhecimento adquirido para a melhor
resolução das mesmas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
GIMENES, Cristiano Marchi. Matemática Financeira. São Paulo: Pearson Education, 2009.
www.administradores.com.br
www.somatematica.com.br
www.brasilescola.com.br
www.calculadorahp.com.br